WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica






outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias





itao




DEPUTADO CRIA INIMIGOS

Uol Notícias:

Deputado proporcionalmente mais votado do país aos 38 anos de idade, José Antônio Reguffe (PDT-DF) quer evitar rótulos depois de já ter se tornado um incômodo para vários colegas. Novato na Câmara, abriu mão de uma série de benefícios, de forma irrevogável e sem precedentes. Defensor da austeridade no Congresso, onde é chamado de demagogo e de Dom Quixote por (muitos) adversários, ele cobra mais ousadia nos cortes de gastos públicos do governo da presidente Dilma Rousseff.

Com mais de 266 mil votos, ou 19% dos eleitores no Distrito Federal, o economista carioca ganhou destaque na Câmara Distrital durante o escândalo que levou à queda do então governador, José Roberto Arruda. Lá, tomou medidas semelhantes às que adotou no Congresso Nacional no início de seu primeiro mandato. Abriu mão dos 14º e 15º salários, rejeitou a cota de passagens aéreas, fixou em nove o número de assessores de gabinete –poderiam ser 25–, e descartou receber qualquer verba indenizatória até o fim do mandato.

GILSON NASCIMENTO FILIA-SE AO PC DO B E ASSUMIRÁ DETRAN EM ITABUNA

EXCLUSIVO

Sena, Wenceslau, Gilson e Rosivaldo no anúncio da filiação (Foto Domingos Matos).

O PCdoB acaba de anunciar em evento na churrascaria Los Pampas a filiação do ex-secretário da Administração de Itabuna, Gilson Nascimento. Ele chega ao partido após sinalizar, desde 2009, afinidade com nomes como o do vereador Wenceslau Júnior, que abona a ficha do novo filiado.

Gilson foi um dos principais cabos eleitorais de Wenceslau, o candidato a deputado estadual mais votado em Itabuna na disputa de 2010.

Bacharel em administração e sargento da Polícia Militar, Gilson chega ao PCdoB e é o nome mais forte do partido para ocupar a direção da 5ª Ciretran/Detran em Itabuna, conforme a política de divisão de cargos implementada pelo governo estadual.

Gilson saiu do governo de Capitão Azevedo (DEM), após demonstrar insatisfações com os rumos tomados pela administração. Ainda nos bastidores, é comentada a insatisfação do sargento com o deputado federal Luiz Argôlo (PP).

VAI QUE É MOLE

O presidente do Itabuna Esporte Clube, Ricardo Xavier, não esconde o desejo de reforçar o time com boa parte dos atletas do Colo Colo, de Ilhéus.

Não ofende a ninguém lembrar tanto ao presidente quanto à comissão técnica do Azulino o resultado final obtido pelo Tigre Ilheense neste ano no Baianão: rebaixamento para a Segundona.

O FILHO DO CORONEL E O IDIOMA FRANCÊS

Marival Guedes | [email protected]

“Papá, passá o arrozá”. O coronel, num misto de decepção e raiva, desabafou, entredentes: “isso é lá Francês, descarado”.

Fernando Barreto (1923-2007) foi o primeiro vice-prefeito de Itabuna e assumiu a chefia do executivo em maio de 82, quando o prefeito Fernando Gomes renunciou para se candidatar a deputado federal, a janeiro de 83. Mas não é sobre sua carreira política que vou falar.

Ele era filho de Nicodemos Barreto, um dos maiores cacauicultores do sul da Bahia nas décadas 50 e 60. Apesar de não ser letrado, o fazendeiro queria o ingresso dos filhos na universidade. E não poupava recursos para atingir este objetivo.

Então, mandou Fernando Barreto estudar o segundo grau (hoje, ensino médio) no Rio de Janeiro. O jovem ficou fascinado pelos encantos da “cidade maravilhosa” e foi buscar outros aprendizados nas deliciosas noites cariocas.

Quando as despesas se tornaram maiores que a receita, mandou carta ao pai pedindo aumento da mesada para pagar um curso de francês, o charmoso idioma daquele período.

O “velho” atendeu e Fernando aumentou os gastos com uísque e mulheres. Mas veio o período de férias e ele teve que visitar os pais. Sem saber o que acontecia no Rio, Nicodemos preparou um almoço na famosa fazenda Progresso, para o qual convidou amigos e autoridades.

À mesa, pediu ao filho que falasse algo em Francês. Fernando Barreto pigarreou e na maior tensão e cara de pau disse: “papá, passá o arrozá”. O coronel, num misto de decepção e raiva, desabafou, entredentes: “isso é lá Francês, descarado”.

Encontrei Fernando Barreto num restaurante e ele confirmou-me este caso. Mas o “historiador popular” itabunense, Nilton Ferreira Ramos, garante que o final não foi bem assim. Ele conta que participou do banquete e quando o coronel pediu para o estudante se expressar em francês, o filho falou: “paparais, passarais o arrozais?” E o pai reagiu no mesmo dialeto inventado por Fernando: “molecais descaradais, gastais meu dinheirais, para lá não voltarais, pegarais na enxadais”.

Marival Guedes é jornalista e escreve às sextas no PIMENTA.

GERÊNCIA DO BB ESCLARECE CAIXA ESPECIAL PARA ADVOGADOS

O caixa especial criado pela agência do Banco do Brasil em Itabuna para atendimento a advogados será utilizado exclusivamente em casos de pagamentos de ordens judiciais, segundo explicou o gerente-geral Fernando Bastos ao PIMENTA.

De acordo com ele, o profissional do Direito terá o mesmo tratamento oferecido aos demais clientes quando for à agência para tratar de questões pessoais. “Não existirá um caixa especial para classes, categorias. Jamais faríamos isso”, assegura.

Fernando Bastos diz que o atendimento a alvarás é demorado. Ele calcula que, na média, leve entre 30 a 40 minutos e prejudica quem está atrás, na fila. O tempo de atendimento, explicou, varia de acordo com o valor e o tempo da causa. E quanto mais antiga , maior o tempo para conferência de documentos e consequente pagamento. “Ao criar um caixa específico para alvarás judiciais, eu melhoro o meu atendimento [aos clientes]”.

REGIÃO METROPOLITANA DO CACAU

Allah Góes | [email protected]

 

Ao invés de se perder tempo com discussões menores, deveríamos nos concentrar em discutir fórmulas e programar ações que possam recolocar a nossa Região nos trilhos do desenvolvimento.

 

Alguns ditos “nossos representantes” se esforçam para acirrar ainda mais a rivalidade, que por aqui sempre é latente, entre Itabuna e Ilhéus, onde, em busca de um ganho menor (que é o imposto a ser pago por dois supermercados), deixa-se de discutir, e fomentar, o desenvolvimento de nossa região.

Esquecem-se estes “Senhores” que, infelizmente, existe uma série de dificuldades e “gargalos” que são comuns aos municípios do sul da Bahia e que, se houvesse um planejamento de forma integrada, através de ações conjuntas e permanentes, poderiam ser resolvidos, a exemplo das questões do transporte, do lixo, da segurança e da saúde, apenas para citar alguns exemplos.

Para se solucionar estes e outros problemas, ou pelo menos discuti-los, importante seria a implementação de uma Região Metropolitana que, conforme sugere o Deputado Coronel Santana, em bem-vinda indicação dirigida ao Governador do Estado, “representará um novo foco de desenvolvimento capaz de atrair atividades econômicas, através da autonomia administrativa de recursos e planejamento integrado”.

Sendo assim, poderemos ter a necessária, e sempre esperada, autonomia político-administrativa para, em conjunto e dentro dos anseios regionais, poder nos desenvolver sem os sobressaltos do improviso e da falta de planejamento.
Dentro do conceito clássico, as cidades de Itabuna e Ilhéus não poderiam ser consideradas como candidatas a formarem uma RM – Região Metropolitana, mas sim uma Microrregião, tipologia, inclusive, que é a utilizada pelo IBGE para nos “classificar”.

No seu conceito clássico, por conta de uma RM ser criada a partir da polarização de uma região ao redor de 01 cidade-polo, da qual se forma um núcleo populacional (a exemplo da RM de Salvador), não se entenderia como possível se criar uma RM, onde se tenham 2 cidades-polo (Itabuna e Ilhéus), pois aí se teria uma “aglomeração urbana” e não uma RM.

Assim, tomando-se por base este conceito, quando uma “aglomeração urbana” composta por diversas cidades passa a atuar como um “mini-sistema urbano”, e uma das cidades cresce e se destaca das demais, influenciando economicamente a região, estamos diante de uma Metrópole, sob a qual se pode criar uma RM, isto segundo lição do Prof. Marcelo de Souza, esposada em seu livro “ABC do desenvolvimento regional”, pg. 32.

A Metrópole é o polo de atuação e/ou dominação de um grande espaço de produção e consumo, e, no espírito deste conceito clássico, os deputados Antônio Menezes e Daniel Gomes, conseguiram incluir, quando da promulgação da Constituição de nosso Estado, o Art. 61 do ADT – Ato das Disposições Transitórias, onde se estabelecia que, no prazo de 30 dias, seria criada por Lei Complementar, a RM de Itabuna, lei esta que, por conta da inoperância de nossas lideranças políticas, nunca saiu do papel.

Agora, através de uma iniciativa encabeçada pelo Dep. Coronel Santana, utilizando-se de uma “brecha legal” contida no §3º do Art. 25 da Constituição Federal, que repassa aos Estados a competência de poder criar RMs, e isto através de critérios próprios e locais, poderemos iniciar a discussão de uma RM com 02 polos de influência, englobando-se Itabuna e Ilhéus.

Como se vê, ao invés de se perder tempo com discussões menores, deveríamos nos concentrar em discutir fórmulas e programar ações que possam recolocar a nossa Região nos trilhos do desenvolvimento, e liderança, que há muito deixamos para trás.

 

Allah Góes é Advogado Municipalista, consultor de Prefeituras e Câmaras de Vereadores.

REINALDO DE VOLTA

O vocalista Reinaldo Nascimento retornará ao comando da banda Terra Samba, segundo o Blog do Kuelho. Reinaldo partiu para carreira solo, há dois anos, e depois se uniu a Beto Jamaica, no Som de BR, mas a dupla não emplacou.

Sob a liderança de Reinaldo, a banda estourou no Brasil no final da década de 90 e início dos anos 2000, quando vendeu mais de três milhões de CDs com o álbum Ao vivo e a cores, gravado em Belo Horizonte.

UTILIDADE PÚBLICA

A advogada Maria Sirlene Silva de Freitas teve a carteira de identidade extraviada em Itabuna. A profissional necessita do documento, com urgência, para fazer uma viagem internacional. Quem encontrar a carteira, pode entrar em contato com Maria Sirlene pelo telefone (73) 311-0572.

—-

Um cliente esqueceu a chave do próprio veículo no Café Pomar, na avenida do Cinquentenário, vizinho ao Santuário Santo Antônio. O chaveiro tem a marca da concessionária Ville Peugeot.

A chave pode ser resgatada no Café Pomar, com a proprietária do estabelecimento. O telefone para contato é o (73) 3212-3964.

PRODUTORES DE UNA RECLAMAM DE ABANDONO

Estrada abandonada dificulta vida de comunidades.

Produtores rurais e comunidades ao longo da rodovia Una-Arataca têm reclamado das condições deploráveis da estrada, principalmente na região do Angelim. Os prejuízos, dizem as vítimas, são incalculáveis.  As crianças e adolescentes enfrentam grandes dificuldades para ir à escola, a produção praticamente não é escoada devido às dificuldades de tráfego.

Com as últimas chuvas, os buracos se tornaram imensas crateras e várias valetas se abriram, deixando a estrada intransitável e perigosa. Até mesmo a única empresa de ônibus que serve às comunidades ao longo da rodovia, suspenderá o serviço devido à falta de manutenção da estrada.

Um dos produtores rurais da região do Angelim, Edmond Ganem, diz que vários pedidos de manutenção da rodovia foram feitos à prefeitura de Una, mas até agora não houve resposta. “Estamos desencantados com a falta de atendimento aos pedidos”, admite.

NOVO CAPÍTULO DA BATALHA DE QUIRICÓS

O deputado estadual João Bonfim (PDT) e outros membros da Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa da Bahia estarão hoje em Ilhéus e Itabuna. O objetivo é verificar in loco a disputa travada entre as duas cidades pela faixa de terra onde estão instalados os supermercados Makro e Atacadão.

Os parlamentares desembarcam às 11 horas no Aeroporto Jorge Amado e seguem para a área onde fica o limite entre os municípios. Está programada uma visita aos marcos situados na Ilha de Quiricós e no bairro de Nova Califórnia.

O grupo será recebido por representantes dos dois municípios envolvidos na “batalha”, que será decidida por meio de projeto de lei da AL.

SURPRESA NO PC DO B ITABUNENSE

Nos novos critérios usados pelo governo estadual para a divisão de cargos com a base aliada, o PCdoB terá direito a indicar os representantes de, pelo menos, cinco órgãos estaduais no sul da Bahia. Um deles é a sempre disputada 5ª Ciretran.

O nome indicado pelo partido para o cargo será definido, provavelmente, nesta sexta-feira, 15. A escolha comunista, aliás, vai surpreender muita gente…

EX-PREFEITO REAJUSTOU O PRÓPRIO SALÁRIO DUAS VEZES EM CINCO MESES

Michel: dois reajustes de salário em cinco meses.

O ex-prefeito de Itapetinga, Michel Hagge (PMDB), terá de ressarcir R$ 207.096,00 aos cofres do município, como resultado de uma condenação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Ontem, o conselheiro José Alfredo Rocha Dias julgou procedente a ocorrência que apontava pagamento de subsídios a maior a secretários, vice-prefeita e ao próprio Michel, em 2008, último ano de governo do peemedebista.

Ao final de 2004, a Câmara aprovou e o governo sancionou a lei que reajustava os vencimentos dos ocupantes de cargos comissionados no governo. O salário do prefeito passaria, em 2005, a R$ 9 mil, o da vice, Cátia Espinheira, pularia para R$ 4,5 mil e o de secretários R$ 3,2 mil.

Só que, em 19 de maio de 2005, o ex-prefeito, esperto, assinou uma nova lei em que reajustava – ilegalmente – o salário para R$ 12 mil. O da vice, Cátia Espinheira, saltou para R$ 6 mil. Já os secretários passaram a receber R$ 4,2 mil. Ou seja, todos tiveram dois reajustes no mesmo ano.

Pior que isso, aponta o conselheiro José Alfredo Rocha Dias, é que os servidores municipais efetivos não tiveram reajuste nem na mesma data nem em igual índice. Assim, a canetada “comeu no centro” e Michel agora se vê obrigado a ressarcir os cofres municipais.

ESTUDANTES EM PÉ DE GUERRA NA UESC

Protestos geram "guerra" estudantil na Uesc.

Os estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) estão num verdadeiro pé de guerra. De um lado, o movimento Mobiliza Uesc defende que os universitários apoiem a paralisação de funcionários e docentes e também declarem greve, seguindo exemplo da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vitória da Conquista.

Sentindo-se pressionado e acusando o movimento de não possuir legitimidade e usar o nome da entidade ilegalmente, o Diretório Central dos Estudantes da Uesc (DCE-Uesc) emitiu carta de repúdio ao movimento. E acrescenta que o DCE “não apoia, não faz parte e desconhece o movimento intitulado Mobiliza UESC”.

Desde a semana passada que o movimento Mobiliza Uesc vem cobrando dos dirigentes do DCE uma posição clara em relação (de apoio ou não) à greve de professores e funcionários da universidade. Os servidores acusam o governo estadual de publicar decretos e retirar a autonomia financeira das universidades baianas, além de promover congelamento de salários.

Thiago Fernandes, do DCE-Uesc, afirma que o diretório já se posicionou quanto ao decreto 12.583/11, assinado pelo governador Jaques Wagner. Ele lembra que “os estudantes presentes deliberaram sobre o decreto, concordando com a ida de uma comitiva até a capital do estado negociar e se preciso protesta duramente contra o governador Jaques Wagner”. O decreto, sustenta, fere a autonomia das universidades.

Thiago ainda acusa o Mobiliza Uesc de usar o nome do DCE “sem motivo plausível, em busca de objetivos menores, o que não condiz com nossa política estudantil”. O presidente do DCE fala de algumas conquistas dos estudantes nas duas últimas semanas, a exemplo da redução – em R$ 0,02 – da tarifa para os universitários entre Itabuna-Salobrinho (Uesc).

A guerra entre os líderes do Mobiliza Uesc e o DCE ficou ainda mais acirrada quando o “Mobiliza” apontou ilegalidade na convocação do Conselho das Entidades de Base (Coeb). A convocatória é assinada por Fernandes e datada de 11 de abril, mas só teria chegado ao conhecimento dos alunos na véspera da reunião, na quarta.

AZEVEDO FICARÁ NO DEM

Azevedo teme o chicote do DEM

São praticamente nulas as chances do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, sair do DEM, conforme era o seu desejo. Informações obtidas por este blog dão conta de que as portas do PSD, uma das opções, foram fechadas ao prefeito pelo vice-governador Otto Alencar, que já assegurou incluir o partido entre os que apoiarão a candidatura do PT em Itabuna.

Outro problema para o prefeito está no próprio DEM, cujo presidente, José Carlos Aleluia, avisou que não perdoará Azevedo, caso este saia da legenda. Enfim, usará contra o alcaide os chamados “rigores da lei”, que o carlismo sempre foi exímio em manusear contra os inimigos.

Diante da porta fechada do PSD e do chicote do DEM, Azevedo se viu acuado e recolheu-se. Deverá ficar onde se encontra, ainda que desconfortável e constrangido. E ainda corre o risco de acabar tendo a legenda negada para sua candidatura à reeleição, só de pirraça. Aí é caixão e vela.

VIOLÊNCIA E MEDO NAS ESCOLAS

A ameaça a um professor da Escola Lourival Oliveira Soares, no bairro de Ferradas, infelizmente não é um fato isolado. Em muitas escolas de Itabuna, a violência é uma constante e professores e funcionários chegam a ter medo do que possa lhes acontecer.

A todo momento, os relatos chegam ao PIMENTA. Um professor do Colégio Estadual Armando Freire, no bairro Lomanto, narra um quadro de horror naquele estabelecimento. A escola, segundo o professor – que por motivos óbvios prefere não se identificar – é dominada por um grupo de “alunos” que não tem respeito por nada nem por ninguém.

De acordo com o mesmo professor, os “alunos” traficam e cobram pedágio. “As professoras vivem com medo e a direção é omissa”, critica o docente, que também aponta a falta de limpeza e a má-qualidade da merenda oferecida no Armando Freire.

Matéria da Rede Bahia revela que todo tipo de arma vem sendo encontrada nas escolas da capital e do interior do Estado. Revólveres, facas e estiletes foram apreendidos nas mãos de alunos durante esta semana.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia