WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba








novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘abandono’

QUADRAS ABANDONADAS EM IBICUÍ

É lamentável a situação dos poucos espaços destinados ao lazer e à prática de esportes em Ibicuí, no sudoeste baiano. Em visita realizada a quadras poliesportivas da cidade, o vereador Renildo Santos, o “Legá” (PV), constatou cenário de abandono, com direito a matagal e lixo, banheiros inutilizados e muitos indícios de que local vem sendo mais utilizado não para o esporte, mas para o consumo de drogas.

O vereador diz que já fez indicação, pedido de providências e até reunião com a Coordenadoria de Esportes do Município, da qual participaram outros vereadores. Um zelado foi solicitado para a quadra Luciano Ravel (antiga quadra do colégio), mas o governo da prefeita Gilnay Santana (PTN) não deu nenhuma resposta.

Triste!

TRECHO INTRANSITÁVEL NO SANTO ANTÔNIO

Falta de manutenção em valeta impede acesso a rua

Falta de manutenção em valeta impede acesso a rua

Uma valeta entre as ruas Marquês de Pombal e 1º de Dezembro, no bairro Santo Antônio, em Itabuna, virou motivo de transtorno para os moradores desta última via. Eles dizem que o buraco foi aberto há alguns anos para facilitar a drenagem de águas pluviais e evitar alagamentos, mas não há manutenção por parte da Prefeitura.

Após muito tempo de descaso, o trecho se tornou intransitável, dificultando a vida dos moradores. A estudante Jéssica Silveira, graduanda de História na Uesc, diz que várias pessoas já se machucaram depois de enfiar o pé na valeta. Ela salienta que a falta de acesso ao local chega a colocar em risco a vida de quem precisa de socorro médico.

“Uma vizinha passou mal e o Samu não pode passar por ali, teve que vir pela rua de cima”, conta a estudante, que reclama de descaso do poder público e cobra uma solução. “Exigimos que a manutenção seja feita o mais urgente possível, pois está se tornando impossível conviver com isso”, protesta.

ITACARÉ: PRAIA DA CONCHA ABANDONADA

Um dos pontos turísticos de Itacaré, a Praia da Concha está abandonada. Moradores relatam que há buracos gigantescos e muita lama nas ruas, e classificam a situação como “insuportável”. Eles dizem ainda que em uma das ruas há uma enorme vala aberta, com água parada, funcionando como foco de dengue. Outro problema grave é a falta de saneamento, o que gera contaminação do lençol freático.

O local é estratégico para o turismo, por servir de acesso a outras praias de Itacaré, além de ser endereço de muitas pousadas. Infelizmente, devido ao descaso da Prefeitura na conservação das ruas, muitos turistas têm saído decepcionados da cidade.

Trata-se de um misto de irresponsabilidade com a população e burrice, visto que a negligência afeta a principal base da economia local.

BRONCA NA 1ª TRAVESSA JURACY MAGALHÃES

Abandono de rua no bairro de Fátima deixa moradores indignados

Abandono de rua no bairro de Fátima deixa moradores indignados

Moradores da 1ª Travessa Juracy Magalhães, no bairro de Fátima, reclamam da precariedade daquela via, que está cheia de buracos, tomada pelo mato e pela lama, além dos canos da Emasa estourados. Segundo um dos residentes no local, nos dias em que há fornecimento a água corre pela rua, em virtude dos problemas com a tubulação.

Para orientar o pessoal da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da Empresa Municipal de Saneamento Ambiental, o acesso à travessa se dá pela rodovia Ilhéus-Itabuna, em frente à empresa Gelitos.

DEPENARAM A PATRULHA MECÂNICA

Veículos comprados em 2009 estão encostados como se fossem sucatas

Veículos comprados em 2009 estão encostados como se fossem sucatas

O ex-prefeito José Nilton Azevedo (DEM) gostava de repetir que a aquisição de uma patrulha mecânica própria, substituindo a que era alugada, foi um dos maiores feitos de sua administração, por ter resultado em economia de recursos. O que ele não revela é que os veículos comprados com verba do IPTU vinham sendo sistematicamente depenados durante sua gestão.

Vergonhosamente, equipamentos caros, adquiridos em 2009, encontram-se encostados na antiga sede da Adei. Um dos caminhões basculantes ficou sem pneus e a motoniveladora está com a caixa de câmbio quebrada. Para consertá-la, o novo governo terá que desembolsar R$ 30 mil.

O ABANDONO DO BAIRRO JORGE AMADO

Valeta na rua Pitanga. Segundo moradores, a situação ficou pior após a chuva de sexta-feira, 8

Valeta na rua Pitanga. Segundo moradores, a situação ficou pior após a chuva de sexta-feira, 8

Em Itabuna, não é apenas a estátua de Jorge Amado que está cheia de buracos. O bairro que leva o nome do escritor também se encontra em situação deplorável, com ruas intransitáveis e moradores chegando a abandonar suas casas em função do complicadíssimo acesso.

A moradora Elisângela Alencar afirma que as ruas Pitanga, Graviola, Lírio e Violeta, de nomes bonitos, estão há anos sem receber manutenção. Nelas, o trânsito é comprometido por enormes valetas que se abriram ao longo das vias, tornando difícil até mesmo trafegar de moto ou bicicleta.

Segundo a moradora, a situação do bairro, que já era ruim, ficou muito pior após a chuva do dia 8.

GALPÕES DA KILDARE SE TORNAM ALVO DE VANDALISMO

Patrimônio de valor altíssimo se tornou alvo da ação de vândalos

Após a desativação da fábrica de calçados Kildare, em 2009, os galpões que abrigavam a unidade produtiva no bairro São Caetano, em Itabuna, tornaram-se cenário de uma série de confusões, invasões, despejos, brigas judiciais e projetos mirabolantes. O último deles foi o que visava transferir a feira livre do bairro para os galpões, ideia que não agradou a ninguém, a começar pelos feirantes.

O imóvel é disputado entre o município e a família Kaufmann, que em maio do ano passado obteve liminar favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas a briga continua e um patrimônio milionário está hoje entregue ao abandono e à ação de vândalos.

Na semana passada, a empresa Kaufmann Cacau registrou notícia crime na Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio de Itabuna, após confirmar a depredação dos galpões. Foi constado o furto de portas e janelas, telhas, vasos sanitários, luminárias e a fiação elétrica, entre outros itens.

Vândalos levam tudo que encontram: portas, janelas, vasos sanitários e até a fiação elétrica

Vândalos levam tudo que encontram: portas, janelas, vasos sanitários e até a fiação elétrica

Veja abaixo a cronologia desse imbróglio:

 

21 de maio de 2009 – Representantes da Kildare anunciam a decisão de encerrar as atividades da fábrica em Itabuna. Na mesma data, o PIMENTA noticia que a escritura do imóvel não foi entregue à Sudic, como previam os termos da desapropriação. Este vacilo foi utilizado como argumento pelos Kaufmann para reaver a área.

22 de maio de 2009 – O blog divulga que o ex-prefeito Geraldo Simões (atual deputado federal) “cochilou”, deixando a escritura da área no cartório de registro de imóveis do 2º ofício enquanto os Kaufmann acionavam a justiça exigindo a devolução do imóvel. O Governo do Estado tenta intervir para evitar o fechamento da fábrica. Geraldo Simões se exime da culpa pelo não-pagamento da desapropriação.

23 de maio de 2009 – A Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração da Bahia afirma que o motivo da saída da Kildare de Itabuna era a crise econômica mundial e não a ação movida pelos Kaufmann.

25 de maio de 2009 – Governo do Estado e Prefeitura de Itabuna tentam formatar proposta na tentativa de manter a Kildare na cidade.

Feirantes se reúnem para dizer que não querem ir para os galpões

26 de maio de 2009 – Sindicato das Indústrias Têxteis e Calçadistas de Itabuna informa que os 145 operários da Kildare já estavam de aviso prévio. Fechamento definitivo da fábrica estaria programado para o dia 14 de junho.

27 de maio de 2009 – Prefeitura cobra posicionamento da Kildare.

16 de junho de 2009- Fábrica começa a ser desativada.

28 de junho de 2011 – Prefeitura obtém sentença favorável da Vara da Fazenda Pública na disputa pelos galpões, mas descobre que os Kaufmann tinham alugado o imóvel à Cargill.

5 de julho de 2011 – Prefeitura determina a desocupação dos galpões e anuncia intenção de ali instalar a feira livre do São Caetano.

20 de dezembro de 2011 – Igreja evangélia que tinha alugado parte de um dos galpões é despejada pela Prefeitura.

8 de fevereiro de 2012 – Feirantes do São Caetano recusam proposta de se mudar para os galpões.

2 de maio de 2012 – Justiça devolve galpões aos Kaufmann.

 

A CULPA É DOS URUBUS

Antas feridas sofrem ataque de urubus (foto Sudoeste Hoje)

Antas feridas sofrem ataque de urubus (foto Sudoeste Hoje)

O blog Sudoeste Hoje denunciou a situação de abandono do Parque Zoobotânico da Matinha, administrado pela Prefeitura de Itapetinga. No local, a cena mais chocante é a de urubus bicando as feridas de duas antas que deveriam estar protegidas.

Diante da denúncia, o secretário do Meio Ambiente de Itapetinga, Carlos Leôncio, fez o que não deveria. Primeiro, responsabilizou o blogueiro Davi Ferraz, do SH, que teria razões políticas para perseguir a administração; depois, atribuiu culpa aos urubus, observando que estas aves têm seu “abate proibido por todos os órgãos ambientais”.

Leôncio, no entanto, já tem a solução mágica para os problemas do parque. De sua lavra, está para sair um infalível “Plano de Controle de Urubus”.

Agora, a pergunta que não quer calar: como ninguém havia pensado nisso antes?

PREFEITOS DERROTADOS DEIXAM CIDADES AO ABANDONO

Do Globo

Às vésperas da troca de prefeitos, a população e os servidores de vários municípios do país enfrentam problemas como a ausência de serviços públicos básicos e atrasos de salários.

Em alguns estados, o Ministério Público foi à Justiça para garantir que prefeituras mantenham pagamentos em dia, repassem as contas em ordem aos prefeitos eleitos e mantenham serviços essenciais à população. Mesmo assim, muitas cidades pelo país enfrentam situação de abandono, com lixo na rua, falta de atendimento médico e serviços paralisados.

Leia a íntegra aqui

DESRESPEITO AOS MORADORES DO JOÃO SOARES

Moradores pagaram para colocar cascalho na rua

O bairro João Soares, na periferia de Itabuna, é mais um que foi esquecido pela Prefeitura. Na comunidade, as ruas se encontram em estado tão ruim, que taxistas têm se recusado a fazer corridas para aquela área da cidade.

Como reclamar à Prefeitura não tem resolvido a situação, alguns moradores fizeram uma “vaquinha” para botar cascalho em um dos acessos ao bairro.

As informações são do Blog do Érick.

LEITORA CRITICA SUJEIRA NA AV. ILHÉUS

Funcionários de frigorífico tiram o lixo da avenida. Foram seis carroças de sujeira acumulada (imagem feita pela leitora)

Mensagem enviada por uma leitora do PIMENTA, que pede para não ser identificada:

A Avenida Ilhéus, no centro da cidade, abandonada pelo serviço municipal de limpeza feita pelos pelos garis, deixa moradores em desespero com tanta sujeira acumulada.Quando chove, desce todo tipo de lixo, que fica retido nos cantos das vias, provocando mal cheiro, entupimento, alagamento, excesso de areia e terra e colocando em risco a saúde dos que aqui transitam e moram. Quando seca, a poeira é tanta que fica impossível de trabalhar.

Imagine a situação dos moradores, que ficam reféns da inoperância do serviço, tendo que deixar janelas fechadas constantemente e manter limpeza redobrada durante todo o dia, pois só janelas fechadas não seguram o que há de mais fino no ar! Além disso, os que visitam nossa cidade falam mal e não podemos lhes retirar a razão! Não tenho conta das vezes que moradores, de madrugada, quando fecham-se os bares, vão para rua varrer o que podem.

O Frigobom, neste feriado do dia 15, quando muitos estão descansando, colocou três de seus funcionários e um carroceiro para retirar esse amontoado enorme de sujeira. Foram mais de seis carroças de entulho.

Pergunto: onde estão os impostos recolhidos todos os dias? Onde estão os responsáveis por esse serviço? Será que nenhum deles entra no Frigobom ou passa na Avenida Ilhéus para suas missões diárias? Tomara que não estejam levando nos pés, na pele ou no alimento que compram, os vírus e bactérias que sempre estão ameaçadores no meio dessa poeira.

Aguardo ansiosa a divulgação desse abandono no seu conceituado blog, que tanto serviço presta à nossa sociedade. Por favor, peço que não divulgue meu nome. Libero o texto.

Obrigada.

UMA CIDADE ABANDONADA

O estado em que se encontra grande parte das ruas de Itabuna indica que o futuro governo dedicará muito de seu trabalho nos primeiros meses para corrigir o descaso da administração atual.

Na foto acima, somente um exemplo do abandono, encontrado na esquina da Avenida Ilhéus com a Amélia Amado. Quem passa pelo local precisa tomar muito cuidado para não arrebentar o veículo.

Isso é no centro da cidade. Já nos bairros, o “asfalto eleitoral” (aplicado horas antes das caminhadas do prefeito quando em campanha) também começa a expor a má-qualidade do serviço, com buracos por toda parte.

Um crime contra a cidade.

RUA ABANDONADA NO CASTÁLIA

Há anos os moradores da Rua Major Dórea, no bairro Castália, esperam que a Prefeitura de Itabuna pavimente aquele logradouro ou pelo menos passe uma máquina para diminuir a buraqueira. Segundo os que habitam nas imediações dessas crateras, a última manutenção foi feita no governo Ubaldo Dantas, que “pendurou as chuteiras” há quase 25 anos. Desde então, abandono total…

O resultado é esse aí da foto.

Os moradores desta rua pagam IPTU!

A TERRA DO “JÁ TEVE”

Da Coluna da Tonet (Agora)

Obras de teatro estão abandonadas há anos

 Já teve I – Nada mais certo do que aquela máxima que circula por aí dando conta de que Itabuna é a terra do “já teve”. Já teve cinema (cinco – Itabuna/Marabá/Catalunha/Plaza/Oásis) e agora não tem nenhum. Só tem DVD pirata em cada esquina. Também já teve teatro (ABC/TEI – Teatro Estudantil Itabunense) e agora tem dois esqueletos: um próximo ao Hospital de Base e oiutro na Ação Fraternal.

Já teve II – Itabuna cresce, mas culturalmente continua atrasada em relação a outros centros. Itajuípe, por exemplo, que agora já tem até um memorial dedicado a um escritor, filho da terra, o Adonias Filho. A homenagem que se presta ao mais ilustre filho da terrinha, o escritor Jorge Amado, é um bairro que leva o seu nome, com fama de ser um dos locais com alto índice de criminalidade.

Que vergonha!

A SITUAÇÃO DA BIBLIOTECA DE ILHÉUS

A Biblioteca Pública de Ilhéus tem avançado em alguns pontos. Recentemente, fechou parceria com o Rotary Club Jorge Amado, conseguindo em doação seis computadores desktop, um notebook e equipamento para acesso à internet. Também obreve recursos da Fundação Biblioteca Nacional para a renovação do acervo. Terminam aí as boas notícias e agora vêm as más:

A biblioteca ilheense tinha 17 funcionários quando estava no antigo prédio do Colégio General Osório. Desde que se mudou para uma casa alugada no bairro Cidade Nova, ficou com apenas cinco servidores, os quais deixaram de comparecer ao trabalho na semana passada, por atraso no fornecimento de vale-transporte.

Mais uma: permanece a pendência da Prefeitura com o pagamento dos aluguéis da casa onde está a biblioteca. Como este blog já informou, o dono só recebeu o primeiro mês (julho do ano passado) e nada mais…

PREFEITURA CONDENA INSTALAÇÕES DE CRECHE

Vigilância condenou estado de freezers e geladeiras da creche

Com base em uma inspeção da Vigilância Sanitária, a Prefeitura de Ilhéus condenou as instalações e as condições de funcionamento da Creche Meira, que atende 500 crianças em um imóvel situado na Praia do Marciano, bairro do Malhado. O relatório produzido pelo governo define o nível de higiene do estabelecimento como péssimo e denuncia a creche por estar funcionando com alvará sanitário vencido desde 2008.

Entre as irregularidades constatadas, estão falta de asseio na cozinha, com freezers e geladeiras em condições precárias, banheiros fora dos padrões exigidos para estabelecimentos do tipo e bebedouro com água direto da torneira, sem filtro. Os problemas foram identificados em duas inspeções, sendo que na primeira a creche foi autuada e teve prazo de vinte dias para sanar as deficiências apontadas, o que não ocorreu.

A direção da creche, em contrapartida, denuncia a Prefeitura por abandonar a rua onde funciona o estabelecimento.

ABANDONO NA RUA DA CRECHE

A omissão da Prefeitura de Ilhéus proporciona cenas lamentáveis na rua de uma creche situada próximo à Praia do Marciano, no bairro do Malhado. Toda vez que chove, as cerca de 500 crianças, bem como seus pais e os funcionários da instituição são obrigados a enfiar o pé na lama. Já foi solicitada a recuperação da rua, mas o governo, como se diz, dá de ombros.

O vídeo abaixo dá uma ideia do drama:

HERNANI SÁ ABANDONADO

Moradores do bairro Hernani Sá, na zona sul de Ilhéus, não sabem mais a quem apelar para resolver os principais problemas da comunidade: a irregularidade da coleta de lixo e a falta de manutenção da rede de esgoto.

Grande parte do bairro está com os canos de esgoto estourados, o que faz os dejetos correrem feito riachos pelas ruas, dificultando a circulação das pessoas e impedindo as crianças de brincar fora de casa. “Estamos condenados a passar nossa noite de Natal sem poder abrir a porta por não suportar o cheiro”, diz a moradora Amanda Oliveira.

Embasa e Prefeitura tapam o nariz e fecham os olhos para os problemas do bairro.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia