WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba



bahiagas





novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘Adervan’

PSDB QUER A SAÚDE

Nas conversas de bastidores do PSDB há inconformismo com a adesão do partido à reeleição do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), pela falta de diálogo com a maioria da base. Também merece comentários ácidos a maneira como dirigentes tucanos se comportaram na convenção que homologou a reeleição do atual prefeito dia 21, na Usemi.

A irritação se dá pelas fotografias, em primeiro plano, do presidente municipal do PSDB, José Adervan de Oliveira, junto com estrelas estaduais do DEM e o deputado Augusto Castro, com quem andava às turras. “Ninguém sabe como se deu o processo de paz”, ironiza um tucano que prefere o anonimato.

Este mesmo tucano lembrou que, no passado, o principal dirigente tucano grapiúna criticou outros partidos como PTB e PT, acusando-os de “partidos da boquinha.” Com a adesão, teria bebido do próprio veneno. Entre tucanos, é certo que o partido exigirá de Azevedo o comando da Secretaria de Saúde, mas sem Magela – que é, apenas, nome do deputado Augusto Castro.

BANDEIRA BRANCA NO NINHO TUCANO

Adervan e Augusto Castro fumam o cachimbo da paz

Não se sabe se tucano fuma, mas o fato é que nesta sexta-feira, 09, os emplumados do PSDB de Itabuna deram vigorosas pitadas no cachimbo da paz. Foi em um evento na Região Metropolitana de Salvador, onde se encontravam integrantes do PSDB e do DEM, como Antônio Imbassahy, Aécio Neves e ACM Neto.

Durante o evento, o deputado estadual Augusto Castro conversou com o presidente do diretório do PSDB de Itabuna, José Adervan, procurando colocar panos quentes na divergência em torno do processo sucessório itabunense.

Castro, como se sabe, defende o apoio tucano à reeleição do prefeito Capitão Azevedo. Adervan bate pé firme na defesa da candidatura própria, apresentando como nome para a disputa o do arquiteto Ronald Kalid.

A solução, com as bênçãos de Imbassahy, será a de evitar antecipação da disputa, deixando-a para momento apropriado, ou seja, próximo ao período das convenções. Até lá, se a candidatura própria não se mostrar viável, opta-se pelo apoio ao DEM.

“O capital político do partido não pode sofrer desgaste”, professou Imbassahy em conversa com o PIMENTA por telefone. Esta é a senha para que Adervan e Castro substituam a artilharia pela harmonia.

PSDB x PSDB

Allah Góes | allah.goes@hotmail.com

 

Deve-se marcar uma data, antes do período das convenções, para que se possa observar se há ou não viabilidade numa candidatura própria.

 

Apesar de não mais fazer parte do PSDB de Itabuna, mas por gostar de política, incluo-me entre aqueles que, sem entender o porquê, assistem ao festival de ataques, de parte a parte, em que hoje se transformou a disposição do arquiteto Ronald Kalid de lançar sua pré-candidatura a prefeito por aquela legenda.

De um lado, vemos o tucano Augusto Castro, de forma pragmática, afirmar que o PSDB não pode insistir numa candidatura que, palavras dele, “não possui musculatura para ganhar uma eleição”, motivo pelo qual deveria o PSDB de Itabuna, que já possui duas Secretarias (Saúde e Indústria e Comércio), acompanhar o projeto de reeleição do atual prefeito.

Como forma de reforçar seu posicionamento, Castro lembra que o PSDB em nível nacional tem um acordo com o DEM, onde somente não haveria alianças quando houvesse chances reais para quaisquer dos lados (como ocorre em Salvador), o que não é, segundo o deputado, o caso de Itabuna.

Do outro lado, temos o tucano José Adervan, que, juntamente com a maioria do diretório municipal, numa posição mais “romântica”, entende que, se há no partido filiado disposto a lançar seu nome, deve a legenda, mesmo fazendo parte do atual governo, apresentar a candidatura.

E faz questão de lembrar que no ano de 1992 a chapa Geraldo Simões/João Xavier, quando lançada, sequer aparecia nas pesquisas e acabou ganhando as eleições daquele ano, isto em razão do eleitorado estar cansado dos políticos de então, algo que, segundo o jornalista, novamente se vê e que favoreceria o aparecimento de uma nova proposta, mais técnica, leia-se Ronald Kalid.

Deveriam os tucanos, ao invés de se digladiarem na imprensa, num show que nenhum benefício traz, utilizarem do bom senso e, mesmo não aplicando o critério da pontuação em pesquisas como preponderante, estabelecer outro meio que possa indicar se há ou não viabilidade na manutenção de uma candidatura própria.

Voltando ao exemplo da chapa Geraldo Simões/João Xavier, esta, mesmo não figurando de início em pesquisas, galvanizou o apoio de importantes lideranças e segmentos da sociedade, o que permitiu a assimilação de sua mensagem e fez com que a vitória acontecesse, podendo também este critério, apoio de lideranças, dentre outros, serem os utilizados para definir o lançamento ou não da candidatura própria.

Deve-se marcar uma data, antes do período das convenções, para que se possa observar se há ou não viabilidade numa candidatura própria e, até lá, se permitir que haja tanto a divulgação das ideias da pré-candidatura do tucano Ronald Kalid, como que se possibilite que seu grupo possa lutar para conseguir novos apoios, atos que ficam prejudicados pelo clima de confronto que hoje se vê, e que embaçam o propósito principal de uma campanha eleitoral, que é a apresentação e a discussão de propostas para a cidade.

Boas razões existem para a defesa de ambas as teses, devendo prevalecer o bom senso, não a guerra fratricida a que hoje publicamente se assiste, pois neste tipo de situação, qualquer lado que vença, também será um perdedor, já que haverá prejuízos mútuos, o que uma boa conversa pode muito bem evitar.

Allah Góes é advogado municipalista e foi membro do Diretório Municipal do PSDB de Itabuna.

ADERVAN VAI À (SÉRGIO) GUERRA

Presidente do PSDB em Itabuna diz que Augusto Castro busca interesses pessoais

Indignado com o posicionamento do deputado estadual Augustro Castro, que rejeita a pré-candidatura do arquiteto Ronald Kalid, pelo PSDB, a prefeito de Itabuna, o presidente do diretório municipal tucano, José Adervan, dediciu recorrer a forças superiores.

No próximo dia 7, Adervan se encontra em Brasília com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, a quem cobrará providências. “Vou falar com Sérgio Guerra sobre tudo o que vem acontecendo. Vou explicar porque o deputado Augustro Castro não aceita a pré-candidatura de Ronald Kalid a prefeito”, afirma o presidente do PSDB em manchete de primeira página no jornal Agora.

Segundo Adervan, a intenção do deputado é “usar o PSDB para barganhar vantagens pessoais no governo municipal”.

Em outros espaços de seu jornal, o presidente afirma que manteve contatos com o deputado federal Antônio Imbassahy (PSDB) e diz que este duvidara de que o correligionário Jutahy Magalhães tenha dado as declarações publicadas no PIMENTA (leia aqui). Em verdade, Magalhães as deu, em conversa por telefone com o blog. Caso venha a desdizer-se (o que não fez, é bom salientar), passará a ser tratado aqui como mentiroso.

Adervan também dedicou ao assunto sua “Coluna Livre”, publicada na página 2 do Agora. No texto, o jornalista afirma que Augusto Castro exibe autoritarismo em “manchetes e declarações dadas aos blogs”, onde maneja as notícias e manchetes“.

Nota da Redação: Com relação ao PIMENTA, fique claro que o deputado não maneja nem “apita” coisa alguma. Ele é simplesmente uma fonte e, no caso específico da peleja tucana, parte de uma controvérsia política que desperta interesse da comunidade, até porque terá – pequena ou grande, não se sabe – alguma influência na sucessão em 2012. O mais são ilações, por vezes maldosas, de quem não se contém ao contraditório, resvalando o argumento para a ofensa.

Nessa briga de tucanos, o blog – que não tem absolutamente nenhum interesse que não seja o de informar – está aberto tanto ao Augusto Castro como ao José Adervan, sem preferências, porque não nos cabe tê-las.

SEGUNDO JUTAHY, RUMOS DO PSDB EM ITABUNA SERÃO DETERMINADOS POR AUGUSTO CASTRO

Jutahy diz que a estratégia é fortalecer o candidato mais forte no campo da oposição ao PT

Homem forte do PSDB baiano, o deputado federal Jutahy  Magalhães Júnior entrou em contato com o PIMENTA e praticamente desautorizou o presidente do diretório do partido em Itabuna, José Adervan.

Segundo Jutahy, a estratégia tucana para a sucessão municipal exigirá a opção por candidatos competitivos no campo da oposição ao PT. “Nossa estratégia será fortalecer a candidatura mais viável, não adianta ir para a disputa apenas para marcar posição”, salientou o deputado, reforçando que o escolhido deverá ter “competitividade e força para ganhar”.

O recado é direto para o presidente do diretório municipal, José Adervan, que defende a candidatura do arquiteto Ronald Kalid. Reconhecido pela excelente reputação, o arquiteto é, no entanto, um nome considerado inexpressivo do ponto de vista eleitoral.

Ainda de acordo com Jutahy Júnior, o deputado Augustro Castro deverá conduzir o processo sucessório em Itabuna. Jutahy justificou que o fato de ter sido o tucano mais votado em Itabuna para a Assembleia Legislativa confere esse direito ao parlamentar. Castro trabalha pelo apoio do PSDB à reeleição do prefeito Capitão Azevedo (DEM).

Questionado sobre a diverência entre Augusto Castro e o diretório municipal, Jutahy Júnior afirmou: “existe uma norma (do diretório) estadual e eu não acredito que o diretório municipal vá de encontro”.

QUEDA DE BRAÇO

Uma dúvida persiste com relação ao processo sucessório itabunense: o PSDB estará posicionado conforme orientação do presidente do diretório municipal, José Adervan, ou do deputado estadual Augusto Castro?

Adervan insiste na candidatura do arquiteto Ronald Kalid, de perfil mais técnico que político. Castro ignora este caminho, não dá trela para o presidente e afirma que os tucanos estarão alinhados com a reeleição do prefeito José Nilton Azevedo (DEM).

Durante encontro com líderes partidários na União dos Servidores Municipais, na última sexta-feira, 11, Castro mirou Azevedo e disse: “vamos formar uma grande aliança em 2012”.

E aí?

MAIS BICADAS NO NINHO TUCANO

O ninho tucano em Itabuna está uma bagunça, com penas pra todo lado e aves distribuindo bicadas a torto e a direito. Há alguns dias, o presidente do diretório municipal do PSDB, José Adervan, e o deputado estadual Augusto Castro trocam “amabilidades” e na terça-feira, 13, o parlamentar distribuiu nota na qual, entre outras coisas, diz que Adervan somente continua no comando local dos tucanos por deferência e gentileza dele, Augusto.

O presidente respondeu hoje, em seu jornal Agora, que não permance na presidência do PSDB em função da generosidade do deputado. “Não é verdade. Ele não teve força para tirar o diretório do meu comando. Ele se esquece que em política há uma máxima que diz que poder não se dá, se toma. Se ele tivesse força, teria tomado, sim, o controle do partido”, escreveu o dirigente tucano.

Essa briga está longe de terminar e os rumores são de que Augusto Castro está se movimentando para confirmar na prática essa tese replicada por Adervan. Ou seja, pretende mostrar que tem a força para “tomar” o comando do diretório do PSDB, um partido que, definitivamente, se tornou pequeno demais para o jornalista e o deputado.

Leia também:
AUGUSTO DIZ QUE PSDB NÃO TERÁ CANDIDATO EM ITABUNA

PARA ADERVAN, AUGUSTO CASTRO DEFENDE INTERESSES PESSOAIS

AUGUSTO CASTRO DIZ QUE ADERVAN É “AFOITO”

AUGUSTO CASTRO DIZ QUE ADERVAN É “AFOITO”

Esquentou a polêmica entre o presidente da executiva do PSDB de Itabuna, José Adervan, e o deputado estadual Augusto Castro, do mesmo partido. Depois de afirmar que os tucanos deverão aliar-se ao DEM na sucessão municipal e ser criticado pelo presidente, que aposta na candidatura própria, Castro emitiu nota na qual sustenta a opção pela aliança tucano-democrata e chama Adervan de afoito.

“Não podemos agir de forma afoita como José Adervan, que tenta a todo custo convencer a Executiva Estadual da candidatura de Ronald Kalid”, bicou o tucano da Assembleia Legislativa, que ontem foi acusado pelo correligionário de querer impor o nome do prefeito Capitão Azevedo, movido por “interesses pessoais”.

Para o deputado, o momento não é de antecipar candidaturas a prefeito e o PSDB até poderá encabeçar uma chapa majoritária, desde que tenha um nome viável.“ O presidente da Executiva Municipal deveria, sim, estar preocupado em conquistar novos nomes para a lista de filiados do PSDB, buscando compor uma forte chapa proporcional de candidatos a vereadores”, aconselha o parlamentar.

Em outra “bicada” no presidente da executiva municipal, o tucano deputado disse que Adervan talvez ainda não tenha percebido o fato dele ter sido eleito para a Assembleia Legislativa e “ter consolidada uma liderança natural”.

PIMENTINHAS

Aquele lance macabro de outro dia, quando uma ruma de sindicalista invadiu o plenário da Câmara de Ilhéus com velas, caixão e cânticos fúnebres, assombrando centenas de velhinhas que estavam ali para receber homenagem dos vereadores, ilustra bem os tempos vividos pela política nesse eixo torto Ilhéus-Itabuna.

A falta de seriedade não poupa nem as vovós e é sabido que essa raça de políticos desalmados e vorazes só têm consideração mesmo pelo que lhes favorece a conta bancária, como se viu no caso dos dez fantasmas da mesma Câmara de Ilhéus. Um esquema que desviou R$ 83.700,00 dos cofres públicos em três meses.

Como se percebe, as coisas andam mesmo fúnebres no legislativo municipal, onde caixões e fantasmas formam congestionamento . E o que é mesmo de morte é ser denunciado pelo vereador Aldemir Almeida, conhecido por maquinar estranhas operações na rede pública de saúde e por ter sido um dos beneficiários do velho mensalinho de Valderico Reis, entre outras traquinagens.

O presidente Dinho Gás, com sua pinta de ingênuo, faz cara de paisagem de quem não está entendendo nada. E na porta da funerária – ou melhor, da Câmara – alguém abordou o vereador com uma pergunta capciosa: “vai se safar, Dinho?”

É a treva…

***
O vereador petista ilheense Paulo Carqueja, o outro caça-fantasmas da Câmara, é esperado há mais de três meses para assumir o comando da Secretaria Municipal da Saúde. Carqueja impôs a condição de receber a Secretaria organizada e em condições de prestar um bom serviço.

Talvez assuma o cargo em 2099…

***

Após a mobilização do GAC (Grupo do Almoço Cevado), não teve jeito: a presidenta Dilma finalmente sentiu a poder de pressão itabunense e autorizou a instalação da Universidade Federal na cidade.

E quem deve colocar o assunto na pauta de sua próxima reunião é a Alambique (Academia de Letras, Arte, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias Etc). A questão agora é definir o local do campus, que a Alambique até aceita que seja na Ceplac…

Chiadeira mesmo vai ser se alguém sugerir a desativação do Katikero para que no lugar do boteco seja instalada a universidade…

***
Anda sumida a vereadora Rose Castro, de Itabuna, que faz companhia a Clovis Loiola no ostracismo. Juntos, eles emplacaram sucessos nas sessões plenárias, como a famosa falta de “cloro” para que fosse votado um projeto (pérola de Loiola) e a pedrada de Rose que, numa discussão com outro vereador, disse que não entraria no “inquérito” da questão…

Com Rose e Loiola apagados, as páginas políticas perdem totalmente a graça.

***
O presidente do PSDB de Itabuna, José Adervan, deverá ter as asas cortadas no toco. No ninho tucano, vigora a regra do “vale quanto pesa” e as aves eleitas não respeitam os cabelos brancos do dirigente.

Adervan, retado da vida, esperneia em papel-jornal. Mas vai acabar empastelado.

***
Leitor deste blog não mostra espanto diante da possibilidade de união entre os ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões, que eram inimigos desde criancinha.

O atento e conformado internauta recorre à sabedoria popular: “É assim mesmo, meu amigo – Deus faz, o vento espalha e o diabo ajunta”…

***
Até a próxima!

NÃO ACABA BEM

A cisão no tucanato itabunense promete capítulos de forte tensão. Decidido a tomar as rédeas da legenda, o deputado estadual Augusto Castro enfrenta a birra do atual presidente do diretório municipal, o empresário José Adervan (confira).

Ao perceber Castro estufando a plumagem, Adervan passou o recibo. Acusa o correligionário de ingratidão, alegando ter aberto as portas de sua empresa para a campanha dele.

O deputado não reconhece a fatura e confidenciou a amigos que não ganhou nada do empresário em sua campanha, que teria sido custeada exclusivamente com o suor de seu próprio rosto. Gente próxima ao parlamentar eleito diz que realmente ele produziu algum material de campanha na gráfica do empresário, porém foi “mais para ajudar o próprio Adervan”.

Apesar do entrevero, Castro não pretenderia rifar o empresário da executiva tucana. Quer mantê-lo, mas com as asas prudentemente cortadas. Adervan não aceita a tesoura, até porque deseja assegurar o controle do PSDB para tentar um novo voo eleitoral em 2012.

Sim, o empresário ainda sonha com a Prefeitura de Itabuna.

NÃO ACABA BEM 2

Outro motivo para os desentendimentos entre Augusto Castro e José Adervan atende pelo nome de Geraldo Magela, o novo secretário da Saúde de Itabuna. Castro o indicou para o cargo e Adervan teria reclamado de que a iniciativa foi isolada, sem discussão no PSDB. Mais: o presidente do diretório tucano queria emplacar outro nome no cargo.

O deputado eleito não tomou conhecimento. E as relações se azedaram ainda mais.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia