WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Aleluia’

ALELUIA COBRA EXPLICAÇÕES SOBRE CONTRATO DA ARENA FONTE NOVA

Aleluia cobra explicações de Rui Costa

Apoiador do democrata ACM Neto, o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) disse hoje que o governador Rui Costa “precisa explicar” o pagamento de R$ 450 milhões da Parceria Público-Privada da Arena Fonte Nova. O contrato é investigado pela Polícia Federal, que hoje deflagrou a Operação Cartão Vermelho.

Aleluia aponta que o pagamento continua, embora tenha sido alertado de irregularidade pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-BA). O contrato foi firmado na gestão do ex-governador Jaques Wagner, alvo de mandado de busca e apreensão nesta segunda (26). Wagner é secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

A PF aponta suposto desvio de R$ 450 milhões na obra. O ex-governador Jaques Wagner deverá conceder entrevista coletiva nesta tarde, na capital baiana. No final da manhã, o governador Rui Costa disse que “ninguém está acima da lei” e defendeu o ex-governador (veja abaixo).

ALELUIA E O BOICOTE À BAHIA

Aleluia é apontado como um dos defensores de boicote || Foto Divulgação

Aleluia é apontado como um dos defensores de boicote || Foto Divulgação

As insatisfações dos deputados federais da oposição ao PT na Bahia com o Palácio do Planalto atingiram o auge nos últimos dias. “O governo do presidente Michel Temer (PMDB) está completamente sem coesão. Os ministros só querem saber deles mesmos e de seus partidos, não pensam com unidade”, disparou José Carlos Aleluia, um dos nomes mais influentes do DEM no Congresso Nacional, ao criticar os constantes afagos feitos pelo alto escalão do Planalto aos políticos ligados ao governador Rui Costa (PT).

Da Coluna Satélite, do Correio 24h

AS MAJORITÁRIAS DE RUI E NETO

marco wense1Marco Wense

 

Uma coisa é certa: a disputa Rui Costa versus ACM Neto vai ser acirrada. O segundo mandato do governador não é favas contadas como dizem os petistas mais eufóricos.

 

O comentário de hoje é sobre a composição das chapas da situação e da oposição, respectivamente encabeçadas pelo governador Rui Costa e o prefeito ACM Neto.

Quem teria mais problemas para arrumar a majoritária sem causar graves dissidências, o alcaide soteropolitano (DEM) ou o chefe do Executivo estadual (PT)?

Pelo governismo, o maior entrave diz respeito ao PSB da senadora Lídice da Mata, que não teria espaço para sua reeleição. Vai ter que se contentar com uma eventual candidatura à Câmara dos Deputados.

Outro fato que pode complicar Lídice é a articulação nacional do PSB com o PSDB, mais especificamente com o governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin.

Tem também o PR de José Carlos Araújo, que sempre deixa nas entrelinhas que pode romper com o governo se a legenda for preterida.

A chapa governista caminha para manter João Leão (PP) como vice e as duas vagas para o Senado sendo ocupadas por Jaques Wagner e um indicado pelo PSD do senador Otto Alencar.

PSB e o PR ficam de fora. Em relação ao Partido da República existe a remota possibilidade de Wagner se candidatar a deputado federal para solucionar o impasse.

Na oposição, obviamente com ACM Neto disputando o Palácio de Ondina, os postulantes são José Ronaldo (DEM), Jutahy Júnior e Antônio Imbassahy, ambos do PSDB, e Lúcio Vieira Lima (PMDB).

O que se comenta nos bastidores é que a vontade de ACM Neto é ter uma mulher na sua vice, já que a chapa adversária só terá marmanjos.

O pessoal do marketing acredita que a presença feminina na composição da majoritária pode ter um apelo significativo no processo sucessório.

José Ronaldo dificilmente seria defenestrado. O oposicionismo não pode deixar de fora o prefeito de Feira de Santana, o segundo maior colégio eleitoral.

Aí sobra apenas uma vaga para o Senado para ser disputada entre Imbassahy, Jutahy e Lúcio Vieira Lima. Dos três, o que tem menos chance é o primeiro.

Aliás, Imbassahy, que é o secretário de Governo de Temer, é uma espécie de “patinho feio”. Quer sair do PSDB, mas não encontra partido que lhe queira. As portas estão fechadas.

“Imbassahy está bem onde está”, diz Aleluia, presidente estadual do DEM. “O partido não é barriga de aluguel”, alfineta Lúcio, cacique do PMDB.

O trunfo do irmão de Geddel é o invejável tempo do PMDB no horário eleitoral destinado aos partidos políticos. O de Jutahy é tirar da chapa uma conotação 100% temista, já que votou pela continuidade da denúncia da PGR contra o presidente Temer.

Uma coisa é certa: a disputa Rui Costa versus ACM Neto vai ser acirrada. O segundo mandato do governador não é favas contadas como dizem os petistas mais eufóricos.

Marco Wense é editor d´O Busílis.

ALELUIA DEFENDE FIM DA JUSTIÇA DO TRABALHO: “DEVORADORA DE EMPREGOS”

Aleluia ataca juízes e procuradores do Trabalho (Foto Divulgação).

Aleluia ataca juízes e procuradores do Trabalho (Foto Divulgação).

Deputados federais do DEM intensificaram artilharia contra os direitos trabalhistas. Durante audiência pública na Câmara Federal, nesta quinta (9), o deputado José Carlos Aleluia (DEM -BA) defendeu o fim da Justiça Trabalhista.

– A Justiça do Trabalho se tornou uma devoradora de empregos no Brasil – afirmou.

Diante de procuradores e desembargadores, o parlamentar baiano defendeu a unificação das justiças. Para ele, a Justiça do Trabalho é “um problema para o País”. Ainda conforme ele, juízes e procuradores do Trabalho desconhecem  o mundo real.

:: LEIA MAIS »

CÚPULA DO DEM IGNORA EVENTO DE FG EM ITABUNA

Ex-prefeito lançou pré-candidatura hoje

Ex-prefeito lançou pré-candidatura hoje

O ex-prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, esperava contar com expressiva presença da cúpula estadual do DEM no lançamento de sua pré-candidatura, hoje (23). Levou bolo.

Em um evento melancólico, pouquíssimas pessoas prestigiaram FG. Dos democratas de maior relevo, apenas o deputado federal José Carlos Aleluia deu o ar da graça. Do sul da Bahia, foram ao “beija mão” a itajuipense Si Dantas e Geraldão, de Buerarema. No mais, só alguns dos velhos fernandistas de sempre.

“Pra dimensão de Fernando, foi muito pouca gente. Só a velha guarda”, observou um dos presentes.

A ausência das lideranças estaduais do DEM pode ter a ver com os grandes obstáculos que se colocam diante da candidatura do ex-prefeito. Com condenações no Tribunal de Contas da União (TCU), ele terá que se valer do socorro do judiciário para viabilizar seu nome. Não será fácil.

POSSE DE LULA É FRAUDE, DIZ ALELUIA

Zombado por Wagner e Lula, Aleluia diz que posse é fraude.

Zombado por Wagner e Lula, Aleluia diz que posse é fraude.

Motivo de chacota em conversa entre os petistas Jaques Wagner e Lula, o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) considerou uma “fraude” a posse do ex-presidente como ministro da Casa Civil.

– A posse de Lula é fraudulenta. A nomeação dele como ministro da Casa Civil de Dilma foi uma fraude – disse o parlamentar em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador.

Na conversa de Wagner e Lula, divulgada pelo juiz Sérgio Moro, o ex-governador baiano e o ex-presidente riem ao comentar que Aleluia levou uma vaia “da porra” ao tentar discursar em uma manifestação pelo impeachment de Dilma, em Salvador (reveja aqui).

PARA ALELUIA, DUPLA BA-VI CAIU POR CULPA DO PT; EVERALDO DIZ QUE DEPUTADO ESTÁ FORA DE ÓRBITA

Everaldo x Aleluia.

Everaldo x Aleluia.

Da Tribuna da Bahia

Ao justificar o posicionamento contrário da bancada do Democratas na Câmara Federal que foi contra a criação da Autoridade Pública de Governança do Futebol, previsto na Medida Provisória 671/2015, conhecida com MP do Futebol, o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) fez uma afirmação intrigante. Para o parlamentar, a entidade, que acompanharia a gestão dos clubes, seria uma tentativa de estatizar o futebol e citou exemplos de fracasso do público ‘administrando” o privado: “a queda do Bahia e do Vitória foi culpa do PT. Eles que afundaram os clubes”.

Em tese, Aleluia apontou para figuras ligadas ao PT, como o presidente do Bahia na época do rebaixamento, Fernando Schmidt, personagem muito ligada ao ex-governador Jaques Wagner, mas que é filiado ao PSB, hoje aliado do governo Rui Costa (PT). No Vitória, a pessoa mais próxima ao PT é o deputado federal José Rocha (PR), que é presidente do Conselho Deliberativo do clube, que também já presidiu o rubro-negro. Quando o Vitória caiu no ano passado, o responsável pelo clube era Carlos Falcão.

O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, não gostou de ver mais uma responsabilidade na lista de culpas do partido. “As derrotas nas eleições majoritárias deixaram Aleluia fora de órbita. É simplesmente ridículo que um deputado federal que representa um estado como a Bahia esteja tão atrasado na forma de pensar e com o tamanho da hipocrisia que ele vem revelando em alguns temas relacionados ao país. Acho que ele precisa de uma reciclagem, e como o DEM está acabando, que seja urgente”, atacou.

FUSÃO DO DEM COM PSDB É DETONADA POR ALELUIA, QUE ATACA ACM NETO

Aleluia diz que fusão é abertura para infiéis (Foto Bocão e Max Haack).

Aleluia diz que fusão é abertura para infiéis (Foto Bocão e Max Haack).

O presidente estadual do DEM, José Carlos Aleluia, aproveitou a conquista do mandato de deputado federal para mandar recado para ACM Neto, de quem era subordinado há poucos meses, antes de deixar a Secretaria Municipal de Urbanismo e Transporte. Não se sabe o que motivou o sempre beligerante, mas assim ele se pronunciou quanto à ideia de fusão do DEM com o PSDB ou outra legenda do campo de oposição ao governo federal:

Fusão significa abertura de porta à infidelidade para quem quer ir pro governo. Não existe esta história de que os partidos mantém a totalidade de suas bancadas numa fusão. Para evitar essa evasão, no Congresso, há a ferramenta do ‘bloco parlamentar’ que permite a  construção de alianças, preservando os partidos – disse Aleluia por meio da assessoria da presidência estadual do DEM.

Há poucos dias, ACM Neto disse que o DEM tende a sumir, tornar-se inexpressivo, por causa do seu tamanho diminuto e, por isso, sugeria a fusão com o PSDB, por exemplo. O partido tinha a expectativa de ganhar o poder na Bahia com Paulo Souto, mas acabou sofrendo a terceira derrota seguida para o PT de Jaques Wagner e Rui Costa, este eleito governador baiano em primeiro turno.

Nos últimos dias surgiram boatos de que ACM Neto estaria com o pé no PMDB, justamente para tornar-se mais próximo do governo e fazer deslanchar alguns dos seus projetos de governo.

DEM QUER PROIBIR VOX POPULI NA BAHIA

Aleluia: na Bahia, só Ibope.

Aleluia: na Bahia, só Ibope.

A cúpula do DEM informou hoje que tentará impedir qualquer pesquisa Vox Populi na Bahia. O porta-voz da mensagem foi o ex-deputado José Carlos Aleluia, e ocorre dias após a divulgação da pesquisa Ibope/TV Bahia que gerou ranger de dentes entre opositores e desconfiança entre analistas políticos.

A TV Aratu havia anunciado intenção de contratar pesquisa Vox Populi para aferir as intenções de voto na corrida ao Palácio de Ondina. Aleluia diz que a coligação do candidato a governador Paulo Souto (DEM) trabalhará para impedir qualquer pesquisa Vox Populi por considerá-la “suspeita”.

Uma nova tentativa de pesquisa do Vox Populi será alvo de ação judicial – anuncia o democrata.

A suspeição decorre de uma questão que buscava aferir a importância dos apoios de Lula, Jaques Wagner e Dilma Rousseff ao candidato do PT ao governo baiano, Rui Costa.

Baseando-se em análises, a coligação de Rui acredita que as intenções de voto no petista podem até triplicar, mesmo em início de campanha, se o eleitor associar o petista aos principais nomes do partido no cenário nacional. Daí o temor democrata de novas pesquisas – que não sejam a do Ibope.

TUCANO DIZ QUE OPOSIÇÃO ESTÁ UNIDA

De cima para baixo, em sentido horário: Gualberto, Paulo Souto, Aleluia, Geddel. Um deles será o candidato da oposição

De cima para baixo, em sentido horário: Gualberto, Paulo Souto, Aleluia, Geddel. Um deles será o candidato da oposição

No campo oposicionista, seguem as discussões para definir um nome que representará o bloco na disputa pelo Governo da Bahia. Dos quatro nomes colocados – Paulo Souto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB), José Carlos Aleluia (DEM) e João Gualberto (PSDB), os dois primeiros despontam como favoritos e é possível que a definição saia até fevereiro.

Para o deputado estadual tucano Augusto Castro, a unidade estará assegurada seja quem for o nome que encabece a disputa. Ele afirma que o caminho é repetir a receita que deu certo para a oposição na capital do estado em 2012. “A união contra o PT garantiu a eleição de ACM Neto para prefeitura de Salvador. Dessa vez a unidade do grupo oposicionista garantirá a vitória para o governo do Estado”, diz o parlamentar.

A expectativa é de que no mês que vem sejam também definidos os outros dois nomes da chapa majoritária (os candidatos a vice e ao Senado). Segundo Castro, o PSDB “acatará a decisão que for tomada pelos partidos de oposição, que estão caminhando juntos”. Naturalmente, ele acrescenta que o PSDB continua no páreo, com Gualberto pleiteando a cabeça de chapa.

SOMENTE DOIS: GEDDEL E PAULO SOUTO

marco wense1Marco Wense

 

A possibilidade de Geddel apoiar a candidatura presidencial do governador de Pernambuco vai terminar sendo o fator decisivo para que a escolha recaia sobre seu nome.

 

A dúvida em relação ao candidato da oposição à sucessão do governador Jaques Wagner fica restrita a Geddel Vieira Lima (PMDB) e Paulo Souto (DEM).

Se mensurada em porcentagem, diria que o tucano João Gualberto fica sem pontuação. O democrata José Carlos Aleluia não chega aos 5%. Os dois são meros coadjuvantes do processo sucessório.

Uma possível desistência de Paulo Souto, sob a alegação de problemas pessoais e de saúde, torna Geddel o único nome com viabilidade eleitoral para enfrentar o petista Rui Costa.

A cúpula do DEM, tendo na linha de frente o senador Agripino Maia (RN), presidente nacional da legenda, pressiona o ex-governador para que saia candidato.

Como o DEM é aliado incondicional do PSDB, do lado do presidenciável Aécio Neves, fica a preocupação com Geddel, que pode apoiar Eduardo Campos (PSB) se não for o candidato da oposição ao Palácio de Ondina.

A possibilidade de Geddel apoiar a candidatura presidencial do governador de Pernambuco vai terminar sendo o fator decisivo para que a escolha recaia sobre seu nome.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

BATE-BOCA ENTRE ALELUIA E INDICADO DE PELEGRINO

joséaleluiademoDo site Política Livre

Durante uma visita que o prefeito ACM Neto (DEM) fez ontem ao bairro de Itapuã, acompanhado de auxiliares, o secretário municipal de Transportes, José Carlos Aleluia, se desentendeu ao telefone com o diretor regional dos Correios, Cláudio Moras Garcia, protagonizando um bate-boca que não foi escondido de ninguém.

A conversa começou em tom ameno, mas logo descambou para a rispidez, com Aleluia exigindo respeito ao relacionamento institucional entre a empresa do governo federal e a Prefeitura e a ele próprio e protestando contra as ligações entre Garcia e o deputado federal Nelson Pelegrino (PT), que patrocinou a indicação do novo diretor junto com o colega petista Zezéu Ribeiro.

O motivo da briga não foi captado pelos presentes. Nem se sabe o que Aleluia ouviu de volta do afilhado do petista derrotado por ACM Neto na disputa pela Prefeitura de Salvador.

Leia mais

DURVAL, ALELUIA E A CPI

Marco Wense

Ninguém, aí incluindo o próprio Aleluia, ousava desafiar as ordens do chefe ACM.

O senador João Durval, eleito pelo PDT do saudoso Leonel Brizola, não pode ser crucificado pelo fato de ter retirado sua assinatura do requerimento de criação da CPI dos Transportes.

Se a presidente Dilma Rousseff estivesse tratando com desdém os sucessivos escândalos que tomam conta da República, o recuo de Durval seria imperdoável.

A maior autoridade do país está sendo implacável com os abutres do dinheiro público. Não é à toa que a aprovação ao governo tem 50% de ótimo e bom.

A impunidade, sem dúvida o maior câncer da administração pública, não pode ser alimentada pelo pretexto da governabilidade, pelo medo de perder a maioria parlamentar nas duas Casas do Congresso Nacional.

Ao fazer o jogo da oposição, o ex-governador da Bahia foi politicamente ingênuo. Qualquer oposicionismo, seja do PT, PSDB ou outra legenda, é adepto do quanto pior, melhor.

O estranho da história, até certo ponto hilariante, é José Carlos Aleluia, presidente estadual do Democratas (DEM), ficar indignado com o “servilismo” do senador Durval.

Aleluia esquece dos tempos do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, quando o carlismo dominava a política da Bahia na base do mandonismo e do chicote.

Aleluia sabe que o “servilismo” e a subserviência foram marcas registradas do carlismo. Ninguém, aí incluindo o próprio Aleluia, ousava desafiar as ordens do chefe ACM.

O destempero emocional de ACM com os subordinados, como bem disse o jornalista Samuel Celestino, “ia do desrespeito total e público ao tratamento às vezes carinhoso que não supria os ataques pessoais, invadindo o campo familiar do auxiliar ou até do aliado”.

No então governo FHC, os governistas do PFL, hoje democratas, se recusaram a assinar o pedido de instalação de uma CPI para apurar as denúncias de corrupção nas privatizações.

Depois, no mesmo governo tucano, estourou outro escândalo envolvendo a PEC da Reeleição, que terminou permitindo o segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso. Nada de CPI.

Na época, os jornais, inclusive os grandes de São Paulo, falavam em R$ 200 mil para cada voto de deputado e senador a favor da Proposta de Emenda Constitucional, a famosa PEC da Reeleição.

O discurso da moralidade da coisa pública, quando protagonizado por políticos que no passado eram contra a qualquer Comissão Parlamentar de Inquérito, não tem consistência e, muito menos, credibilidade.

PS – Ironicamente, o deputado Rubens Bueno, do PPS do Paraná, foi o que melhor definiu as sucessivas denúncias de corrupção no governo Dilma: “Parece saco de caranguejo. Você puxa um e vem outro grudado”.

O VICE DE AZEVEDO

O nome do candidato a vice na chapa encabeçada pelo prefeito Azevedo, que legitimamente busca sua reeleição, já faz parte das conversas entre os democratas (DEM).

O PMDB é o plano A não só do azevismo como do geraldismo. As duas correntes estão de olho no tempo da legenda no horário eleitoral destinado aos partidos políticos.

O PT tem outra preocupação: afastar qualquer possibilidade de coligação do PMDB com o PCdoB. A opinião de que os comunistas só terão candidatura própria com o apoio do PMDB é unânime entre os petistas.

O plano B do DEM é o PSDB do deputado estadual Augusto Castro. O jornalista José Adervan, presidente do diretório municipal, é o nome mais cotado do tucanato.

Falhando os planos A e B, vem o C com Marilene Duarte, a Leninha da Auto-Escola Regional, até agora a mais ilustre filiada do MSP (Movimento dos Sem Partidos).

NETO E ALELUIA CONDENAM ADESISTAS

Deputado acusa os novos governistas de não ter ideologia

Expoentes do Democratas na Bahia, o deputado federal ACM Neto, cotado para sucessão municipal na capital baiana, e o presidente estadual da sigla, o ex-deputado José Carlos Aleluia, criticaram ontem a saída de prefeitos de seus partidos de origem e consequente “adesismo” ao governo Wagner na Bahia.

Representantes da sigla, que já foi a maior do estado, eles minimizaram a recém-saída do DEM de prefeitos, como o de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta, considerado uma das grandes lideranças da legenda, e Rogério Costa, do município de Santo Estevão.

Eles também negaram os rumores de afastamento do ex-prefeito de Feira José Ronaldo e do prefeito de Paulo Afonso, Anilton Bastos. O partido pretende apelar para a lei de fidelidade partidária e cobrar juridicamente a saída dos membros.

Questionado sobre a motivação de gestores e lideranças municipais de trocarem de ninho partidário, o deputado ACM Neto reagiu: “Trata-se de um adesismo desenfreado e besta daqueles que não têm respeito com a ideologia e com a história política”, disparou.

Leia texto completo na Tribuna.

AZEVEDO FICARÁ NO DEM

Azevedo teme o chicote do DEM

São praticamente nulas as chances do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, sair do DEM, conforme era o seu desejo. Informações obtidas por este blog dão conta de que as portas do PSD, uma das opções, foram fechadas ao prefeito pelo vice-governador Otto Alencar, que já assegurou incluir o partido entre os que apoiarão a candidatura do PT em Itabuna.

Outro problema para o prefeito está no próprio DEM, cujo presidente, José Carlos Aleluia, avisou que não perdoará Azevedo, caso este saia da legenda. Enfim, usará contra o alcaide os chamados “rigores da lei”, que o carlismo sempre foi exímio em manusear contra os inimigos.

Diante da porta fechada do PSD e do chicote do DEM, Azevedo se viu acuado e recolheu-se. Deverá ficar onde se encontra, ainda que desconfortável e constrangido. E ainda corre o risco de acabar tendo a legenda negada para sua candidatura à reeleição, só de pirraça. Aí é caixão e vela.

ALELUIA CRITICA GOVERNO BAIANO

A não-implantação do Plano Estadual de Educação pelo governo baiano virou munição para os opositores. Nesta quinta-feira, 2, a assessoria do deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) divulgou nota em que o parlamentar critica o governador Jaques Wagner por não ter cumprido a lei federal que determina a adoção do PEE. O plano deve estabelecer o conjunto de diretrizes para as políticas públicas educacionais.

Na nota, Aleluia alfineta o governo e repete que a Bahia está perdendo terreno para outros estados nordestinos, como Pernambuco. “É lamentável que, mais uma vez, a Bahia perca espaço no contexto nacional, especialmente no Nordeste, por desprezar a educação. Enquanto Pernambuco, nosso vizinho, já adotou o Plano Estadual de Educação, a Bahia marca passo”, dispara o deputado do DEM.

IBOPE: LÍDICE E PINHEIRO ELEITOS AO SENADO

De acordo com a pesquisa boca de urna do Ibope, Lídice da Mata (PSB) e Walter Pinheiro (PT) seriam os eleitos ao Senado pela Bahia. Pinheiro apareceu com 29% e Lídice, 28%. O senador e candidato à reeleição César Borges (PR) teria 17% dos votos. Aleluia (DEM) teria 8%, Edvaldo Brito (PTB) aparece com 7%, assim como José Ronaldo (DEM).

ALELUIA, O DESMEMORIADO

Recomenda-se Fosfosol ao deputado federal José Carlos Aleluia, candidato a senador pelo DEM.

Com a intenção de constranger seus adversários Jaques Wagner, Walter Pinheiro e Lídice da Mata, o deputado os desafiou a levar algum parente a um hospital público da Bahia. E agora alardeia que nenhum dos oponentes encarou a parada.

Ora, antes de mais nada é preciso saber se os desafiados por Aleluia estão no momento com algum parente necessitando de cuidados médicos, já que hospital não é nenhum shopping center, onde se vai só por querer.

Além do mais, há que se perguntar ao ilustre deputado se no tempo do falecido ACêMê os hospitais públicos da Bahia eram essas maravilhas todas. A mesma indagação vale para outros setores que, conforme os carlistas procuram fazer crer, tinham nível de primeiro mundo na era Malvadeza.

Ou Aleluia perdeu a memória, ou imagina serem os baianos os esquecidos…

OS AVISOS DAS PESQUISAS NA BAHIA

Do Tempo Presente, d´A Tarde

Pesquisas em série, como as que estão sendo feitas agora por Ibope, Datafolha e Vox Populi, são indicativos razoavelmente seguros das tendências dos humores do eleitorado.

Em 2006, por exemplo. De início, Paulo Souto tinha 62% caindo aos pouquinhos, mas sempre caindo. Wagner, ao inverso, sempre subindo. O resultado final foi imprevisto, mas a tendência estava explícita.

Em 2008 idem, idem com João Henrique.

Tinha uma rejeição de 64% e aceitação de 11%.

Confira as pesquisas: rejeição sempre baixando e a intenção subindo devargazinho, dentro da margem de erro, mas para cima.

E o que as de 2010 estão dizendo? Para o governo: Jaques saiu de 38% e estabilizou se em 49% na ponta de cima, e Geddel de 9 para 14, também cresce lentamente, enquanto Paulo Souto está descendo a ladeira devagar e sempre.

Senado: César Borges, que era absoluto nos seus 35% a 38%, está caindo (29% no Ibope de sexta) e embolou na disputa com a dupla Lídice e Pinheiro. Note-se que Zé Ronaldo, antes na faixa de 9%, subiu a 14% no Ibope, e Aleluia subiu de 7% para 11 no Datafolha.

A tendência pró-governistas é nítida. Dizem os oposicionistas que a circunstância é ditada pelo efeito Lula, mas o governo já botou todo o gás, e a ‘tempestade’ tende a amainar. Dizem os governistas que eles estão ganhando um jogo que ainda está sendo jogado e o placar pode aumentar.

FÉLIX JR. DIZ QUE ALELUIA “PERDEU A COMPOSTURA”

O empresário e candidato a deputado federal Félix Júnior (PDT) disse que José Carlos Aleluia (DEM), concorrente a uma vaga ao Senado, parece ter perdido a compostura ao acusá-lo de compra de votos. “[Ele] deveria respeitar a população de Itajuípe que rechaça a afirmação de aceitar se vender, como este senhor insinua”.

Félix Júnior disse ter amigos em Itajuípe. ” Agradeço ao meu mais novo “fiscal de foto”, o deputado Aleluia, a informação sobre minha aceitação na cidade”, ironiza. O candidato a deputado lamenta que o algoz abuse do verbo comprar. E sapeca: “Se [Aleluia] fosse sapateiro, falaria de sapatos. Quer dizer que os outros possuem o costume dele [de comprar votos]“.

Por fim, o candidato aconselha Aleluia a abandonar a metralhadora giratória e discuta projetos, “como a Universidade Federal do Sul da Bahia, do PAC Social para o cacau, de impostos setoriais únicos, de cursos técnicos, novas indústrias para o município, de incentivar pessoas de bem a entrar na política”.

A vereadora Andrea Mendonça (DEM) reagiu, via twitter, à acusação contra o irmão. “Ele [Aleluia] enlouqueceu… devem ser os choques da Coelba”. Engenheiro eletricista, Aleluia presidiu a companhia antes de ser privatizada na década de 90. Vem daí a estocada de Andrea.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia