WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Amurc’

BAHIA: PREFEITOS DEFENDEM MAIS 2 ANOS DE MANDATO E ELEIÇÕES UNIFICADAS EM 2022

Luís Sérgio e os presidente Eures (UPB), Aroldi (CNM) e Lero Cunha (Amurc)

O repasse dos royalties do petróleo para os municípios baianos, a partir de janeiro de 2020, foi um dos compromissos firmados pelo Governador Rui Costa, durante o 2º Movimento Pró-Município, nesta segunda-feira (3), em Salvador. Para o presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano (Amurc) e prefeito de Firmino Alves, Aurelino Cunha, Lero Cunha, o encontro demonstrou união e força dos municípios na conquista de reivindicações importantes em nível estadual.

Além dos royalties do petróleo – recursos pagos ao poder público (Estados, Municípios e União) pelo direito de explorar reservas de petróleo, a Amurc, juntamente com a UPB e a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), representada pelo presidente, Glademir Aroldi, defenderam a pauta municipalista de unificação das eleições para mandatos políticos no Brasil, em 2022, tendo em vista o alto custo das eleições a cada dois anos e a necessidade de alinhar orçamentos.

UNIFICAÇÃO DAS ELEIÇÕES EM 2022

“É um movimento legítimo pelo princípio da economicidade. O país passaria ter uma economia maior com relação ao pleito único, quando se fala sobre a questão dos custos sobre as eleições. Além disso, com a paralisação durante 6 meses de cada ano, no período pré-eleitoral, por conta de questões legais, os municípios não podem pactuar com o Estado e a União na realização de obras estruturantes”, lembrou Lero Cunha, presidente da Amurc.

De acordo com a pauta de reivindicações da UPB, o presidente Eures Ribeiro destacou que “o custo de uma eleição municipal está em torno de R$ 12 bilhões, sendo que 80% desse valor é dinheiro público”. A solução, segundo o presidente da CNM, está numa reforma política para a unificação de mandatos. “Nós não aguentamos mais um ano fazendo políticas públicas e outro ano fazendo política partidária. Precisamos mudar isso e a coincidência de mandatos mudará isso”, defendeu.

O evento foi promovido pela União dos Municípios da Bahia (UPB) e marcado pela grande participação de prefeitos e vereadores de toda a Bahia, secretários de governo, deputados estaduais e federais, senadores. Para o prefeito de Barra do Rocha, Luís Sérgio Alves, o movimento resultou na resolução de várias demandas municipais, dentre elas, “a regularização de alguns repasses do Governo do Estado para vários municípios”.

Já o prefeito de Burerarema, Vinícius Ibrann, destacou que o evento foi muito importante “para mostrar tanto ao Estado, quanto a União, que os prefeitos estão unidos e que os municípios estão mais fortalecidos do que nunca. As pautas de reivindicações foram expostas e a gente espera que tenhamos uma resposta o quanto antes, pois se necessário for, marcharemos mais vezes com o objetivo de levar melhorias para nossos municípios”. :: LEIA MAIS »

IDENTIDADE TERRITORIAL, CAMINHO PARA O FORTALECIMENTO REGIONAL

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

 

 

Vencido o desafio da construção da agenda do cacau, devemos cobrar dos deputados votados em nossa região o compromisso de defender nossas bandeiras, contando, especialmente, com a participação dos mandatos de Josias Gomes, Rosemberg Pinto e Eduardo Salles, por terem maior vínculo com o nosso território.

Há muito a região cacaueira discute e, ao mesmo tempo, reclama da necessidade de se fortalecer politicamente para o enfrentamento dos nossos principais fatores limitadores do desenvolvimento. A cada eleição, essa mesma fala se repete e, por mais que elejamos figuras locais, esse vazio continua a ser registrado. Uma espécie de círculo vicioso de transferência de responsabilidade.

Faz-se necessária a compreensão de que essa situação precisa ser vencida para superarmos as nossas fragilidades socioeconômicas. Transferir única e exclusivamente para os ombros dos eleitos aos parlamentos estadual e federal não responde de forma correta a percepção das lacunas existentes entre discurso regional e a realidade concreta, uma vez que falta à nossa região cacaueira uma consciência de unidade de propósito com vistas a explorar as potencialidades e construir uma agenda capaz de alavancar um novo ciclo.

Ainda nos guiamos sobre a lógica das cidades-polo, não compreendendo os territórios de identidade como diretrizes para firmarmos um novo olhar. Algumas lideranças insistem em alimentar o bairrismo entre as duas maiores cidades da região, Itabuna e Ilhéus.

Chegamos ao século XXI e ainda não compreendemos o entrelaçamento das fronteiras dessas duas cidades – o fenômeno da conurbação. Por aqui, ainda brigamos por palmos de terras, sem a percepção necessária de que somos economias complementares e que precisamos unir força política e, juntos, puxarmos a discussão em favor de uma ampla e coletiva agenda regional – uma espécie de levante.

Itabuna e Ilhéus precisam compreender que se a região for bem serão elas quem mais se beneficiarão em função da estrutura de serviços, comércio, comunicação, educação, indústria, saúde, turismo de lazer e negócios. Enfim, em todas as áreas possíveis.

O início da construção de nossa agenda regional inevitavelmente acontecerá por força dos consórcios de saúde e dos consórcios territoriais. As células de conhecimento e com força propositiva terão que ajudar nessa sistematização: Uesc, UFSB, Ceplac, IFBA, Amurc, IBC e faculdades privadas, dentre outros. O desafio está sendo lançado e a nova safra de prefeitos e prefeitas exercerá papel fundamental nessa dinâmica, forçando as cidades-pólo a se reinventarem para não serem atropeladas como líderes desse processo.

Esse indicativo pode ser visto nas pesquisas de apoio popular, nas quais os gestores melhores avaliados estão nas cidades de menor porte, numa clara mensagem de necessidade de releitura e mudança de atitude de governança por parte dos gestores de Itabuna e Ilhéus. Devendo, inclusive, ter a percepção de que a união territorial é uma clara sinalização do nascimento de uma região metropolitana. Não dá mais para compreendermos o espaço das nossas cidades de forma isolada. O tempo atual não nos permite ser ilhas.

Vencido o desafio da construção da agenda do cacau, devemos cobrar dos deputados votados em nossa região o compromisso de defender nossas bandeiras, contando, especialmente, com a participação dos mandatos de Josias Gomes, Rosemberg Pinto e Eduardo Salles, por terem maior vínculo com o nosso território. A esses, pela identidade, representatividade e desempenho eleitoral, nossa confiança para juntos alcançarmos a materialização desses anseios.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades.

AMURC LAMENTA MORTE DE EX-PREFEITO DE ITACARÉ

Rafael Mota faleceu aos 93 anos

O ex-prefeito de Itacaré Rafael Mota Barros, faleceu no último final de semana, no Hospital de Ilhéus, aos 93 anos. A presidência da Associação de Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano (Amurc) lamentou a morte do ex-prefeito em nota, nesta segunda (21). O corpo do prefeito foi enterrado neste final de semana.

O gestor governou Itacaré na década 70, pela Arena, após mandato como vereador. “Neste momento de grande tristeza, rogamos a Deus por paz e conforto aos familiares, amigos e toda a população de Taboquinhas – Itacaré”, manifestou-se o presidente da Amurc, Tonho de Anízio, que é prefeito do município sul-baiano.

PRESIDENTE DA AMURC LAMENTA MORTE DE DERNIVAL FERREIRA

Multidão se aglomerou em frente à casa do prefeito || Foto Rodrigo Leite

Anízio lamenta morte de Dernival

O presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Antônio de Anizio, emitiu nota de pesar na qual lamenta o falecimento do prefeito de Itapitanga, Dernival Dias Ferreira. A morte ocorreu na manhã desta quinta (15).

Ainda na nota, Anizio lembra que Dernival estava no terceiro mandato como prefeito do município sul-baiano e “deixa um legado importante na história do município”. Dernival foi morto a tiro.

A suspeita é de que tenha tirado a própria vida. A polícia investiga o caso. “Neste momento de grande tristeza rogamos a Deus por paz e conforto aos familiares, amigos e toda a população de Itapitanga”, conclui o presidente da Amurc em nota.

Veja também:

PREFEITO DE ITAPITANGA É ENCONTRADO MORTO

PREFEITOS APROVAM CONSÓRCIO DE SAÚDE E INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA

Encontro com prefeitos do Território Litoral Sul || Foto Manu Dias

Encontro com prefeitos do Território Litoral Sul || Foto Manu Dias

Durante audiência com o governador Rui Costa em Itabuna, prefeitos de 22 municípios do Território litoral Sul se comprometeram em aprovar lei, nas respectivas câmaras municipais, para a criação de um Consórcio Público de Saúde na região. Além disso, foi tratada a formação de um consórcio na área de infraestrutura para cessão de equipamentos e serviços de manutenção e construção de estradas.

Segundo o governador, a partir da aprovação nas Câmaras Municipais de Vereadores, da proposta de criação do consórcio, o próximo passo será a construção de uma policlínica regional de saúde para os serviço de cirurgias eletivas e exames de alta complexidade.

Já na área de infraestrutura, os prefeitos devem se organizar em consórcio já existente, a exemplo dos consórcios Litoral Sul e da Mata Atlântica, para receber equipamentos do Governo do Estado e iniciar a manutenção das estradas estaduais, além da construção e a manutenção de estradas vicinais.

“Os prefeitos já saíram imbuídos de aprovar em suas câmaras a lei autorizando a formar o consórcio de saúde, e também agilizar o consórcio de infraestrutura, onde o Estado da Bahia vai adquirir equipamentos para transferir aos consórcios e começar a fazer a manutenção das estradas estaduais”, disse Rui Costa.

Para o prefeito de Itacaré e presidente da Amurc, Antônio de Anízio, o arranjo definido no encontro deste final de semana vai facilitar a vida de todos os municípios com relação as cirurgias eletivas e os exames de alta complexidade que a região tanto precisa.

Em relação à área de infraestrutura, o gestor, que também preside o Consórcio Litoral Sul, disse estar prestes “a assinar o convênio de aquisição de máquinas, de melhoramento das estradas estaduais pavimentadas e não pavimentadas, contando com o apoio das usinas de asfalto de Itabuna e Ilhéus”.

Além dos prefeitos, participaram do encontro no hotel Tarik Fontes, o deputado estadual Rosemberg Pinto, o deputado federal Davidson Magalhães e os secretários estaduais da Saúde, Fábio Vilas-Boas, de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, e de Relações Institucionais, Josias Gomes.

AMURC OFERECE CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM SICONV

SICONVA Amurc capacitará, gratuitamente, servidores municipais para o processo de execução e pagamento por Ordem Bancária de Transferências Voluntárias (OBTV) do Sistema de Convênios (Siconv). O curso é referente ao segundo módulo de capacitações, oferecidos aos profissionais das prefeituras associadas à entidade, e será ministrado nos dias 18 e 19, das 8h às 18h, na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), em Itabuna.

A qualificação desses profissionais é o foco da Associação de Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano (Amurc). “[A associação] tem se empenhado para ofertar cursos na área da gestão pública, visando dar eficiência à administração pública municipal”, afirma Antônio de Anízio, prefeito de Itacaré e presidente da entidade.

Nesta etapa, o público alvo são servidores que trabalham com transferência voluntária, no qual o pagamento ao fornecedor é feito direto pelo Sistema Siconv. O primeiro módulo do curso foi ministrado em fevereiro e capacitou os servidores em captação de recursos. Para o terceiro módulo, será discutida a temática de prestação de contas.

As inscrições no curso podem ser feitas por meio deste link. Mais informações pelo telefone: (73) 3613-5114.

CONFIANÇA EM EURES

Lenildo aposta em gestão de Eures na UPB (Foto Marcos Souza).

Lenildo aposta em gestão de Eures na UPB (Foto Marcos Souza).

Lenildo Santana, presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), disse confiar que o novo presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro, vá dar continuidade às ações de Maria Quitéria à frente da entidade estadual.

Eures, prefeito de Bom Jesus da Lapa pelo PSD, foi eleito para a presidência da UPB, na semana passada, com cerca de 60% dos votos em pleito no qual enfrentou o prefeito de Euclides da Cunha, Luciano Pinheiro (PDT).

– Acredito no seu empenho para continuar lutando pelo fortalecimento do Municipalismo e dar continuidade as ações importantes que Maria Quitéria [ex-presidente] já vinha desenvolvendo – disse Lenildo, que compôs a comissão eleitoral da UPB.

AMURC

Nesta terça (31), Lenildo, ex-prefeito de Ibicaraí, se despede da presidência da Amurc. Prefeitos sul-baianos elegem, por aclamação, o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, para o comando da entidade regional. A eleição ocorre na sede da entidade, na Almirante Tamandaré, centro de Itabuna. Atualizado às 9h (30/01).

CHAPA ÚNICA NA AMURC

Prefeito de Itacaré é candidato único à presidência da Amurc.

Prefeito de Itacaré é candidato único à presidência da Amurc.

Após encerrado o prazo de inscição de chapa para a presidência da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste (Amurc) nesta sexta (20), apenas a chapa liderada por de Antônio de Anízio (PT), prefeito de Itacaré, se inscreveu no pleito.

A eleição será no próximo dia 31. O novo presidente comandará a institução pelos próximos dois anos. Anízio terá como vice de chapa o prefeito de Firmino Alves, Lero Cunha (PSB). Siméia Queiroz (PSL), prefeita de Ubatã, não conseguiu formar chapa para a disputa.

PREFEITA DE UBATÃ SINALIZA CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DA AMURC

Simeia pode disputar Amurc.

Simeia pode disputar Amurc.

Simeia Queiroz (PSL), prefeita de Ubatã, espera anunciar ainda nesta quarta (18) se disputará a presidência da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc). “Estamos dialogando. Hoje ainda iremos definir”, afirmou ao PIMENTA.

A prefeita disse estar construindo candidatura de consenso. “Não queremos criar uma disputa e sim um [nome de] consenso”, ressaltou ao ser lembrada que existe outra candidatura posta, a do prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio (PT). “Ainda não tive contato com o colega. Mas iremos marcar essa semana ainda”, completou, frisando que é preciso “estar disposto” a pensar, coletivamente, ações para enfrentar a crise econômica.

MOACYR FORA

O prazo de registro de chapas termina na próxima sexta-feira (20). Ontem, o prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite (DEM), conversou com Anízio (PT) e afirmou que abriria mão da disputa pelo comando da entidade. Hoje, Simeia anunciou desejo de presidir a entidade.

Anízio conta com o apoio da máquina estadual e seu nome vem sendo trabalhado desde novembro na entidade. O maior cabo eleitoral até aqui tem sido o presidente e ex-prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana, também do PT.

DESENVOLVIMENTO LOCAL SERÁ DEBATIDO EM SEMINÁRIO PARA PREFEITOS

Claudiana Figueiredo é coordenadora regional do Sebrae, que apoio o evento (Foto Bahia Online).

Claudiana é coordenadora regional do Sebrae, que apoia o evento (Foto Bahia Online).

Mais de 40 prefeitos eleitos já confirmaram presença no Seminário Novos Gestores Públicos, previsto para os dias 22 e 23, no Hotel Aldeia da Praia, em Ilhéus. Promovido pela Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste Baiano (Amurc), o evento abordará desafios para os novos prefeitos que tomarão posse no próximo ano.

De acordo com a organização, o objetivo é orientar e capacitar os futuros prefeitos para que “desenvolvam gestão pública de qualidade e eficiente, ao longo do mandato”. A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, Sala do Empreendedor, Agente de Desenvolvimento, Redesim e Compras Públicas serão algumas das propostas e informações voltadas para as políticas públicas a serem apresentadas no Seminário.

Segundo a coordenadora regional do Sebrae, Claudiana Figueiredo, o desenvolvimento dos municípios está diretamente ligado à capacidade de criação de um ambiente favorável para os pequenos negócios.

“A criação desta ambiência está vinculada a capacidade de apoio a projetos através de atores capacitados, desburocratização e simplificação de legalização e acesso a crédito, espaços de atendimentos e priorização aos pequenos negócios nas compras públicas”, explicou Claudiana.

TEMAS

Na programação, ainda serão discutidas temáticas como Associativismo, Consórcio Público, Assistência Social, Empreendedorismo, Educação, Saúde, Economia Municipal, Gestão Tributária, Sustentabilidade da Gestão Municipal e os convênios com os Governos do Estado e da União.

Já estão confirmadas as presenças de prefeitos eleitos e reeleitos da região, a presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria, além de representantes dos governos Estadual e Federal. Informações pelo telefone (73) 3613-5114.

EM MEIO À SECA, AMURC VIRA “PRONTO-SOCORRO” DE MUNICÍPIOS

Superintendente da Defesa Civil do Estado, Rodrigo Hita, fala na reunião com os prefeitos

Superintendente da Defesa Civil do Estado, Rodrigo Hita, fala na reunião com os prefeitos

A partir de agora, a sede da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc) manterá um atendimento destinado a orientar prefeitos da região a instruir pedidos de decretação de estado de emergência, em função da estiagem. Um corpo formado por técnicos das áreas da Defesa Civil e da Vigilância Sanitária está responsável pelas orientações.

A criação desse núcleo na Amurc foi decidida em reunião na tarde desta segunda-feira (11), com a participação de prefeitos do sul da Bahia, região que enfrenta a pior seca das últimas três décadas. Também esteve presente o superintendente de Defesa Civil do Estado, Rodrigo Hita.

Segundo o prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana, que preside a Amurc, o objetivo é sensibilizar os governos federal e do estado para que colaborem com ações imediatas capazes de diminuir os impactos da estiagem. Ele cita, entre essas medidas, a aquisição de carros-pipa, perfuração de poços artesianos, construção de adutoras e limpeza de barragens.

A situação de emergência já foi reconhecida em Itabuna, por meio de decreto do governo estadual. Diante do agravamento da estiagem, que já dura cerca de oito meses, outros municípios – a exemplo de Almadina, Barro Preto, Buerarema, Camacan, Coaraci, Ibicuí, Itajuípe, Itaju do Colônia, Ibicaraí, Santa Cruz da Vitória, Uruçuca, Ubaitaba, Firmino Alves, Nova Canaã e Pau Brasil –  também estão na fila da emergência.

PRESIDENTE DA AMURC LAMENTA MORTE DE ÂNGELA CASTRO

Lenildo Santana, prsidente da Amurc (Foto Marcos Japa).

Lenildo Santana (Foto Marcos Japa).

O presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste (Amurc), Lenildo Santana, emitiu nota em que lamenta a perda da prefeita de Camacan, Ângela Castro, morta nesta sexta (18).

Prefeito de Ibicaraí, Lenildo disse estar “muito sentido com a perda de uma grande municipalista, que vinha construindo política com amor e sabedoria”.

“A União dos Municípios da Bahia – UPB, demais Associações e Consórcios Intermunicipais farão uma homenagem à gestora, que com certeza deixará saudade”.

Lenildo participa de encontro estadual de prefeitos, em Camaçari. “Que Deus, na sua infinita bondade, possa confortar os familiares e amigos neste momento difícil para todos”, diz em nota também assinada pelo consórcio de municípios do Litoral Sul.

 

PREFEITOS TEMEM QUEBRA COM SUBFINANCIAMENTO FEDERAL

Prefeitos sul-baianos criticam tratamento federal e subfinanciamento.

Prefeitos sul-baianos criticam tratamento federal e subfinanciamento.

A queda constante no repasse de recursos da União e do Estado para os municípios de todo o país tem levado os gestores a tomar medidas emergenciais para manter a execução de serviços essenciais à população. Nesta sexta-feira (11), prefeitos do sul da Bahia se reuniram na sede da Amurc para tentar buscar soluções para a crise financeira. Os maiores impactos, de acordo com os prefeitos, decorrem do subfinanciamento de programas federais, principalmente nas áreas de saúde e educação. A questão é agravada pelas crises econômicas brasileira e mundial.

Os prefeitos apontam que, além de todos serem subfinanciados, grande parte dos programas não tem correção inflacionária. Em vários casos, citam os gestores, os municípios gastam dois terços a mais do que recebem para a execução destes programas – são, ao todo, 397 em todo o país.

De acordo com um estudo apresentando pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o subfinaciamento é o grande problema dos municípios na atualidade. Desde 1988, quando foram elevados à condição de ente federado autônomo, eles passaram a ser executores dos serviços públicos, porém sem os correspondentes recursos financeiros para fazer frente às novas responsabilidades.

Ainda segundo o estudo, o valor de repasse do Programa de Saúde da Família (PSF), atualmente varia entre R$ 7.130,00 e R$ 10.695,00 por equipe ao mês. De acordo com informações passadas por prefeituras de todo o país, o programa tem custado cerca de 3 vezes o valor do repasse efetuado pela União.

Na educação, a situação não é muito diferente. O presidente da Amurc, Lenildo Santana, cita que a responsabilidade no setor educacional é dividida por níveis: o básico é de responsabilidade do município, os Estados respondem pelo nível médio e o ensino superior fica a cargo do Governo Federal.

– No entanto, todo o deslocamento das cidades pequenas para as universidades que estão centralizadas em Itabuna e Ilhéus é quase completamente assumido pelos Governos Municipais e, não há destinação de recursos para o Ensino Universitário exatamente porque a responsabilidade é do Governo Federal.

Da mesma forma acontece com o transporte de estudantes dos distritos para a sede dos municípios que fazem o Ensino Médio. Segundo o gestor, esse transporte é feito pelos municípios, sendo que o Estado não faz a devida reposição dos recursos, embora tenham convênios de contrapartida, como o Pnat e Pnaq, que são programas de custeio de transportes.

Diante das dificuldades, os gestores farão novas reuniões para definir medidas para evitar a “quebra” dos cofres públicos municipais. “A gente não pode dar andamento às atividades nas prefeituras hoje com os recursos que estamos recebendo do Governo Federal e do Governo Estadual. Pior ainda, as responsabilidades que estão sendo determinadas estão cada vez mais crescentes e a gente sem ter a previsão de cobertura dessas mesmas”, avaliou Lenildo Santana.

OS ERROS NOSSOS DE CADA DIA

marivalguedesMarival Guedes | marivalguedes@gmail.com

 

No mais recente escândalo, a Veja publicou cópia de documento falso com extrato bancário do senador Romário (PSB-RJ) mostrando que ele tem R$ 7,5 milhões em banco suíço, quantia não declarada à Receita Federal.

 

Na Tribuna do Cacau, na década 80, recebi release sobre reunião da Amurc. A edição “fechou” antes do horário que seria realizado o encontro, mas publiquei. Seria, foi adiado. Dia seguinte o jornal circulou informando que a Amurc se reuniu ontem. Fiz outra matéria sobre a falha e nova data do evento. Nunca mais repeti o erro.

Outro jornal publicou reportagem sobre um show de Elba Ramalho realizado em Itabuna. Citava até a música mais aplaudida, “quando o público foi ao delírio.” Detalhe: o show havia sido cancelado.

Não apenas “nós mortais” cometemos falhas. Gente famosa também erra. Eliane Catanhêde publicou nota, na Folha de São Paulo, sobre reunião emergencial entre Dilma e o ministro Edison Lobão para discutir apagão. Ganhou espaço na coluna Erramos.

Um dos veículos campeões em erros é a revista Veja, muitas vezes, intencionalmente, obedecendo a grupos políticos e econômicos.

A fictícia festa de aniversário de Thiago, sobrinho do ex-presidente Lula, é um deles. Na comemoração em Brasília, seriam distribuídos iPads com uma mensagem gravada por um jogador de futebol, incentivando a prática de esportes. A festa custaria R$220 mil.

Lula não tem sobrinho chamado Thiago morando na capital federal e não houve festa alguma realizada por seus familiares. A Veja se desculpou.

No mais recente escândalo, a Veja publicou cópia de documento falso com extrato bancário do senador Romário (PSB-RJ) mostrando que ele tem R$ 7,5 milhões em banco suíço, quantia não declarada à Receita Federal.

O ex-jogador contra-atacou de várias formas: ironizando ao seu estilo, se pronunciando no senado, dirigindo adjetivos nada elogiosos e ingressando na justiça para reivindicar R$ 75 milhões de indenização.

Pra completar, Romário publicou os endereços do facebook dos jornalistas que fizeram a matéria. Foram bombardeios de críticas, algumas irônicas e criativas, a exemplo desta:

Tem um vizinho meu aqui que tá me incomodando muito, já tivemos até algumas rusgas. Gostaria de saber quanto a Veja cobra para publicar uma matéria dizendo que ele tá enriquecendo urânio na casa dele?

Os jornalistas apagaram a conta do face.

Marival Guedes é jornalista e escreve crônicas aos domingos no Pimenta.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia