WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Azevedo’

QUEBRA-QUEBRA NO GABINETE DE AZEVEDO

José Raimundo Santos, ex-vereador e fiscal de tributos municipal, promoveu o maior quebra-quebra no gabinete do prefeito Capitão Azevedo (DEM), ontem à tarde, e terá de se explicar na delegacia.

Invocado porque não recebeu a produtividade do mês como fiscal, Zé Raimundo invadiu o gabinete à procura do prefeito e de explicações, afinal, o contracheque de outubro chegou magrinho, magrinho, sem a produtividade das autuações do mês.

A secretária informou que Azevedo não poderia recebê-lo. O fiscal, enfurecido, teria dito impropérios e quebrado mesa e computador da antessala do gabinete. A secretária, de prenome Suzana, deu queixa por invasão ao gabinete e agressão física.

Zé Raimundo foi encaminhado para o Complexo Policial, mas foi liberado sob promessa de reapresentação à delegada Marilena Aboboreira, na próxima segunda-feira. Segundo o repórter Fábio Luciano, Zé Raimundo foi enquadrado na Lei Maria da Penha, e terá que depor na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.

AZEVEDO E OS CANDIDATOS

Marco Wense

.

Se Garrincha fosse vivo, mesmo na melhor fase de sua carreira, estaria com inveja dos dribles do prefeito de Itabuna, o capitão José Nilton Azevedo, eleito pelo Partido do Democratas (DEM).

O prefeito faz que vai e não vai. A torcida pensa que o drible é para a direita, mas termina sendo pela esquerda. Todos esperam um passe do prefeito, mas o chefe do Executivo não solta a bola.

Fulanos, cicranos e beltranos, pré-candidatos a deputado federal e estadual, se deslocam e pedem a bola. O prefeito continua com ela no pé. Todos dizem que é o candidato da preferência do democrata.

“O prefeito só vai passar a bola

no segundo tempo da prorrogação”.

__________

O ministro Geddel Vieira Lima, por exemplo, é peremptório quando afirma que o prefeito Azevedo vai apoiar sua candidatura ao governo do Estado da Bahia. Ledo engano.

Entre os fulanos, cicranos e beltranos que disputam o cobiçado apoio do prefeito Azevedo, estão o coronel Santana (PTN), Fábio Lima (PT do B), Luiz Argôlo (PP), Roberto Brito (PP), ACM Neto (DEM) e vários outros sem nenhuma chance.

O prefeito só vai passar a bola no segundo tempo da prorrogação. Um inesperado apoio ao governador Jaques Wagner (reeleição) não está descartado.

TÔ FORA!

Mais próximo do ministro Geddel Vieira Lima, o prefeito Capitão Azevedo não assistiu à palestra de Paulo Souto em Ilhéus.

Azevedo, que já deu sinais claros de que não apoiará Souto em 2010, preferiu enviar como representante o rechonchudo secretário de Agricultura, Marcelino Oliveira.

INDISPOSIÇÃO

Nem na sua própria base o prefeito Capitão Azevedo (DEM) encontra vereador disposto a avaliar os dois vetos à lei autorizativa de repactuação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

O motivo primordial é que Azevedo perdeu o prazo legal para apresentar qualquer veto e, segundo, porque reavaliá-lo seria um duro golpe no servidor.

Os vetos foram em cima das emendas legislativas que obrigam o Executivo a informar, mensalmente, o quanto foi pago de FGTS e determinam a individualização das contas do Fundo, servidor por servidor.

O ZIGNAL DE AZEVEDO NO FUNCIONALISMO

Azevedo: zignal no funcionalismo.

Azevedo: zignal no funcionalismo.

Ninguém entendeu a manobra do governo municipal. Primeiro, pediu agilidade na votação de lei autorizativa para renegociar uma dívida milionária do FGTS. A pendura estava em R$ 21 milhões. A Câmara apresentou emendas ao anteprojeto de Lei encaminhado pelo Executivo, culminando com a aprovação por unanimidade. Era o que o executivo queria!

Ontem à tarde, surpresa: o prefeito vetou duas das mais imprescindíveis e importantes emendas à lei. Uma criava a comissão mista de servidores para levantar os débitos e individualizar as contas de FGTS; e a outra, obrigava o município a informar, mês a mês, o quanto havia sido depositado de Fundo de Garantia.

As duas emendas garantem transparência ao processo, evitam que os governos dêem zignal no funcionalismo (deixando de depositar o FGTS) e asseguram um direito do servidor municipal. Mas o prefeito Capitão Azevedo vetou os dois pontos.

PERDA DE PRAZO

Wenceslau: governo tem postura contraditória.

Wenceslau: governo tem postura contraditória.

Pior do que isso é o que se expõe a seguir: o governo apresentou os vetos à Lei 032/2009 cinco dias após o prazo legal. No mínimo, Azevedo foi mal orientado pela procuradora-geral Juliana Burgos. Por conta da perda de prazo, os ofícios foram recebidos, mas não como vetos.

O vereador Wenceslau Júnior, da Comissão de Justiça do Legislativo, mostrou-se indignado:

– Não estou entendendo a postura do executivo. A lei foi aprovada por unanimidade. E, diga-se de passagem, com o apoio do próprio executivo. Até o líder do governo assinou as emendas, subscritas pelos 13 vereadores. Estranho esta situação.

Wenceslau disse que as emendas ao projeto de lei facilitam a vida do governo e dos servidores. Elas dizem, por exemplo, como instalar a comissão mista de servidores efetivos dos poderes Legislativo e Executivo.

As próprias cópias de folha de pagamento, observou, podem ajudar no levantamento individualizado das dívidas e a respectiva quitação. Para as dívidas de cinco anos atrás, este levantamento poderá ser feito com o auxílio da Caixa Econômica, via Rais, e o INSS.

TERCEIRIZAÇÃO

O que o Pimenta apurou foi que o veto de Azevedo apenas dificulta o processo e esconde uma real intenção. Uma proposta gestada na prefeitura prevê que o levantamento da dívida e individualização das contas de FGTS sejam feitos por uma empresa privada, e não pela comissão mista eleita pelos servidores.

A empresa não faria o trabalho de graça, claro. Ela ficaria com, pelo menos, 30% do total a que o trabalhador tem direito a título de Fundo de Garantia. A saída mágica teria saído da cabeça de assessores jurídicos do Capitão.

NOVA BRIGA NO FRONT

O prefeito Capitão Azevedo vai acumular nova derrota no Legislativo Municipal. Desta vez, ligada à lei autorizativa de negociação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Azevedo quis passar o trator por cima do legislativo. Mas o motor ‘bateu’: ele perdeu prazo para apresentar vetos a emendas subscritas por todos os vereadores – inclusive o líder do governo na Câmara.

Mais uma vez, a procuradora-geral Juliana Burgos terá de se explicar ao chefão. Os detalhes e os desdobramentos políticos da decisão a gente mostra em instantes.

AZEVEDO NÃO PREENCHE LACUNA: ELE É A PRÓPRIA!

Agulhão F. se diz “atônito” com a geléia geral em que se transformou a política baiana. “A mistura é tão danada que é mais fácil encontrar uma agulha no palheiro do que uma gota de ideologia em qualquer partido”, reclama o epigramista.

.

A partir de hoje (e por cinco edições), ele vai mostrar, em duas quadrinhas ditas “inocentes”, o perfil de alguns dos principais personagens da nossa cena partidária.

.
Nessa torre de Babel,
Félix Mendonça é petista,
Newton Lima é socialista,
e tiete de… Geddel!

.
Já no caso de Itabuna,
digo sem ódio e sem medo,
o poder é uma lacuna
denominada… Azevedo!
AZEVEDO NÃO PREENCHE LACUNA: ELE É A PRÓPRIA!

DRAGON – A DEGOLA DEMOCRATA

.

www.dragonx.com.br

ATÉ ONDE PODE CHEGAR A IRRESPONSABILIDADE DESSE POVO?

A desgraceira provocada pela dengue no último verão em Itabuna deveria servir de advertência, mas parece que ao governo atual está faltando alguma dose de juízo.

A Secretaria Municipal de Saúde deixa faltar larvicida para o combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, fica cinco meses sem realizar as visitas domiciliares e o desleixo chega ao ponto de não se cumprir agenda de mutirões nos bairros. É tudo que o mosquito deseja para se reproduzir à vontade e aterrorizar a cidade daqui a algumas semanas.

Hoje, a SMS tinha um mutirão de combate programado para os bairros Fonseca, Novo Fonseca e Vale do Sol. A atividade foi marcada em virtude de uma provocação do Ministério Público, mas inexplicavelmente não ocorreu.

A cada dia que passa, a população de Itabuna fica a se perguntar o que o médico Antônio Vieira está fazendo no comando da Secretaria Municipal de Saúde. O prefeito José Nilton Azevedo precisa acordar, e com urgência, porque a dengue e outras mazelas estão soltas por aí, valendo-se da incompetência oficial.

PARA AGULHÃO, AZEVEDO ENFRENTA “OSSOS DO OFÍCIO “

Agulhão F. acha que setores da população têm sido impiedosos com o prefeito de Itabuna. Ele considera que não ter larvicida pra matar mosquito e faltar água em vários bairros não é motivo para tanto grito (veja aqui e aqui). “São ossos do ofício de governar”, diz o trovador e invoca o que supõe ser a abalizada opinião do presidente da Câmara de Vereadores:

Faltar água na torneira
e na dengue larvicida
é uma coisa rotineira,
já muito velha e sabida…
.
Na câmara, onde não tem “cloro”,
bem diria o presidente:
Lamento, sinto, deploro
que o povo fique doente
ou viva nesse suplício,
mas também não ignoro
que são “ossos do orifício”…

TROVADOR “EXPLICA” COMENTÁRIO DO PREFEITO AZEVEDO

Agulhão F. não gostou do comentário do prefeito Azevedo em relação à vereadora Rose Castro (“O que ela fez, não se faz” – veja aqui). Segundo o trovador, basta olhar os jornais para saber que a traição faz parte da lógica partidária. “Só quem não sabe disso é Azevedo, porque se faz de tolinho”, brinca:

Trair tem o mesmo jeito
que tem o verbo coçar,
e sabe bem o prefeito
que é bastante começar…
Começa e não para mais,
é só coçar uma vez,
por isso, se Rose fez
o que Rose fez… se faz!…
Traição, se bem conheço,
é o caminho da desgraça:
como se fosse cachaça,
só precisa de começo
pra atingir a embriaguez,
por isso, se Rose fez,
eu cá não a desmereço,
pois todo político faz…
Ainda inexperiente,
Rose tá “virando gente”
e vai fazer muito mais.!…

“O QUE ELA FEZ, NÃO SE FAZ”

.

Não logrou êxito a tentativa da vereadora Rose Castro, de reverter as demissões de funcionários da prefeitura indicados por ela (veja em nota postada abaixo).

O prefeito Capitão Azevedo se manteve firme em sua decisão e, como argumento para a insensatez ao choro de Rose, afirmou que “o que ela fez, não se faz”.

Azevedo se disse ainda muito decepcionado com a atitude da vereadora, e chegou a lembrar que essa não era a primeira vez que ela traía o governo.

Na quarta-feira (21), Rose Castro, que era da base governista, votou com a oposição para derrubar o aumento de 14,92% na tarifa de água em Itabuna. Como retaliação, cargos ligados a ela no município foram exonerados pelo prefeito Capitão Azevdo.

Há, porém, um toque de algum gênio da estratégia nessa atitude de Azevedo, de demitir os nove cargos de Rose. Como foi anunciado, José Silva, um dos dirigentes da Emasa, remanescente do governo de Fernando Gomes, estaria sendo exonerado por consequência desse quiprocó, o que não é totalmente verdade.

Zé Silva vinha sendo fritado na Emasa há algum tempo, inclusive por gente muito ligada ao prefeito Azevedo na empresa. Sim, ele tem, lá também, seus gilsons e maurícios.

CIUMEIRA GERAL NA PREFEITURA

.

Dizem que não tem coisa pior que ciúme de homem. Pois na Prefeitura de Itabuna existe um caso que já está ficando patológico e pode ter consequências sérias…

Para ir direto ao ponto, o clima “dor-de-cotovelo” desabou na Secretaria da Fazenda, onde reina – talvez não mais tão absoluto – o xerifão Carlos Burgos. Ocorre que, nas últimas semanas, o ex-onipotente passou a ter diversos pedidos encaminhados para o sono profundo na geladeira do gabinete do prefeito Capitão Azevedo.

Antes, segundo consta, os pleitos de Burgos passavam direto. Azevedo liberava sem questionar. Mas, agora, acabou a boa vontade.

Enquanto isso, Burgos vê a contragosto ampliar a influência dos secretários de Administração, Gilson Nascimento, e de Planejamento, Maurício Athayde. Esses estão com a bola cheia junto ao prefeito, enquanto a bola do xerife anda cada vez mais murchinha.

Pior é que, segundo este blogueiro apurou,  foi reservado um espaço bem grande na geladeira do prefeito para os pleitos “burgueses”, o que tende a azedar ainda mais o relacionamento. E a intensificar muitíssimo a dor-de-cotovelo.

Para aliviar, recomenda-se xilocaína, uma pinga de Salinas e, se o paciente for dado a curtir as agruras do ciúme, várias doses de Lupicínio Rodrigues. É tiro e queda, em todos os sentidos…

Ô, LOUCO!

Na sua luta diária para esculhambar o presidente da Emasa, Alfredo Melo, o radialista Val CabraL, seu companheiro de Partido Verde, tem feito de tudo. Mas a de hoje, em seu programa “Língua Afiada”, na Rádio Difusora, vai dar o que falar.

No ar, o radialista – suposto aliado do governo Azevedo – disse que vai pedir a vereadores que providenciem rápido um teste de sanidade mental para o prefeito, Capitão Azevedo. A justificativa para o tresloucado comentário: só um louco teria coragem de manter o presidente Alfredo Melo na direção da Empresa Municipal de Água e Saneamento Ambiental.

Como diria o bordão aquele personagem do saudoso Francisco Milani, no humorístico global Zorra Total: “equilibrados, somente nós. O resto, só tem tantã… Com um aliado tão radical, em breve Azevedo vai estar adorando a oposição.

INDECISO?

Criticado por seu jogo duplo no cenário político, Capitão Azevedo (DEM) parece se divertir com a situação. No lançamento da campanha natalina da CDL, ele falou da situação. “Esses dias, criei uma confusão política danada, porque sou de um partido e tenho aliança com deputados de outros [partidos]“.

Por Azevedo, a confusão vai continuar. Ele afirma que o “partido de Itabuna” é aquele que ajudar a cidade. No caso, colaborar com o governo dele. E se é assim e pelo andar da carruagem, Paulo Souto (DEM) pode dar adeus ao pretenso apoio de Azevedo na campanha a governador. O prefeito pende mais para o ministro peemedebista Geddel Vieira Lima

A PEDIDOS (?)

Ao que tudo indica,  o médico Antônio Vieira  (o lento) é mesmo a bola da vez e tem tudo para entrar no ano do centenário de Itabuna fora da Secretaria de Saúde.

Em reunião com membros do Conselho Municipal de Saúde, Azevedo teria deixado escapulir que Vieira é o mais fácil de exonerar, por já ter um “cargo” garantido na administração municipal. Claro, ele é  também vice-prefeito, com vencimentos de aproximadamente R$ 9 mil assegurados, independentemente de pegar ou não no pesado.

Em suma, Vieira é o único que pode deixar de ser secretário sem sentir uma dor aguda naquela parte tão sensível: o bolso…

SÓ 10%?

Provocado por um ouvinte do programa Cacá Ferreira, na rádio Nacional, o secretário Gilson Nascimento (Administração) disse que o prefeito Capitão Azevedo está disposto a promover um corte linear de 10% no próprio salário, diante da crise de arrecadação e demissão de 65 garis. 

O corte atingiria também o bolso dos secretários e demais ocupantes dos primeiros escalões da administração em Itabuna.

E soltou uma provocação, quase condicionante:

– Agora, seria interessante também baixar o salário dos vereadores.

O prefeito de Itabuna recebe R$ 18 mil por mês, um dos maiores do Brasil. Dito desta forma, 10% é pouco, não?

Em tempo: diante da proposta do ouvinte, o secretário lembrou que a arrecadação tende a melhorar nos próximos meses. Logicamente, se deduz que cortar no bolso… neco, que vem a ser o popular “né comigo, não!”.

GOVERNO ATRAI A IRA DOS SERVIDORES

– PROJETO DE AZEVEDO RETIRA “CONQUISTAS HISTÓRICAS”

– CONTRACHEQUE DO SERVIDOR PODE FICAR ATÉ 50% MAIS MAGRO

– MEDIDA É “VACINA” CONTRA QUEDA DE RECEITA

O clima ameaça pegar para o lado do prefeito Capitão Azevedo (DEM). Há pouco, servidores concursados lotaram o plenário da Câmara Municipal para exigir dos vereadores uma análise cuidadosa do projeto de lei 2.042, que trata sobre o Plano de Cargos e Salários do Servidor.

O governo colocou no papel o que vem fazendo na prática. Ele simplesmente propõe, no novo Plano, o corte de conquistas históricas dos servidores, como adicionais de periculosidade e insalubridade e o fim da remuneração por produtividade.

A questão foi discutida em reunião das Comissões Técnicas da Câmara. Tanto o presidente do Sindserv, Aristóteles Bispo, como o presidente da Associação de Concursados, Washington Santos (Nego Washington), são contra as mudanças propostas pelo governo, que representam perdas de até 50% no contracheque.

– A gente tem que ficar sempre com um pé atrás em relação a este governo. Tudo que nós conquistamos, eles querem jogar por água abaixo – disse Aristóteles Bispo, do Sindserv.

Os servidores ganharam o apoio no legislativo. A reunião foi comandada pelos vereadores Wenceslau Júnior, Milton Cerqueira, Vane do Renascer e Raimundo Pólvora.

Wenceslau Júnior defendeu a convocação do prefeito Capitão Azevedo (DEM) e dos secretários municipais Gilson Nascimento (Administração) e Maurício Athayde (Planejamento) para explicar as mudanças. Eles devem comparecer à sessão plenária do dia 21 (quarta da próxima semana) para explicar o projeto de lei encaminhado à Câmara.

O vereador Vane do Renascer disse que o projeto precisa ser analisado com cuidado, para que não se retire direitos dos servidores municipais. Wenceslau Júnior assegurou que as mudanças no Plano de Cargos e Salários não serão votadas como o governo quer, a toque de caixa.

Os servidores já planejam manifestação pública contra a mudança. E ameaçam parar os serviços municipais para forçar o prefeito a renegociar os pontos polêmicos do projeto enviado à Câmara. O líder do governo, Milton Gramacho, não participou das discussões de hoje.

SARGENTO NO COMANDO

Gilson assume o PTB (Fotomontagem A Região).

Gilson assume o PTB (Montagem A Região).

Para quem negava pretensões político-partidárias, aí vai: além de ser o prefeito de fato de Itabuna, o secretário municipal de Administração, Gilson Nascimento, teve dois dedos de prosa com a direção estadual do PTB.

Fonte com livre trânsito afirma que a entrada do militar no partido tem a aprovação do prefeito Capitão Azevedo (DEM), que cada vez mais dá claras demonstrações de quem vai apoiar em 2010 para governador, o ministro peemedebista Geddel Vieira Lima.

Não está definido se Gilson assumirá a presidência do  diretório local do PTB, mas ele é quem ditará os rumos da legenda por aqui. Nos bastidores, a informação é de que articula projeto para dar “uma lição” em Maria Alice, a presidente do DEM, sobre como dirigir uma legenda.

PONGANDO NA ESTRELA

O projeto de 992 apartamentos dos conjuntos residenciais Pedro Fontes I e II, do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, fez o prefeito Azevedo sorrir de orelha a orelha. Mais que isso, fez o velho capitão ver estrelas.

Não é pra menos. O município não vai entrar com um centavo na construção das casas, mas vai levar um lucro enorme. O projeto, de R$ 40,5 milhões, será totalmente financiado pelo governo federal, através da Caixa. Quem vai inaugurar as obras, daqui a um ano?

Diante desse mamão com açúcar, Azevedo não resistiu. “No começo era só crise, dengue, só tinha notícias ruins. Agora a estrela brilhou, e podemos faturar as coisas boas”, comemorava, hoje à noite, durante a cerimônia de assinatura do mega contrato da FM Construtora com a Caixa.

As obras começam no início da próxima semana, com a contratação de cerca de mil trabalhadores, no próprio local, no bairro São Roque. “O escritório será no próprio canteiro. Todos terão carteira assinada”, afirmou Fernando Sampaio Melo, da FM Construtora.

DRAGON – CARGA PESADA

.

.

www.dragonx.com.br








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia