WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘Azevedo’

AZEVEDO PROMOVE FARRA DE DOAÇÕES

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, está dando uma de Papai Noel no final de sua administração, só que os presentes são bancados pelo poder público e mediante critérios um tanto duvidosos.

Uma das beneficiárias do saco de bondades do gestor é a Associação Proeves, do Pastor Elias Fernandes, que pleiteou um terreno de 800 metros quadrados, no Parque Jardim Lorena, próximo ao bairro Jaçanã. A área, de acordo com documento protocolado na Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) será destinada à construção da sede administrativa da associação, além do estúdio de uma rádio comunitária e auditório.

O pedido do terreno, assinado por Fernandes e pela diretora administrativa da Proeves, Iara Alves dos Santos Jesus, tem como data 3 de novembro de 2012, pouco menos de um mês após a derrota de Azevedo nas eleições. Segundo informações obtidas pelo PIMENTA, o “presente” já estaria garantido, pois é assunto do interesse da secretária de gabinete do prefeito, Joelma Reis.

Esta não é a primeira vez que Fernandes é agraciado com os favores da Prefeitura, contando sempre com o auxílio da secretária de Azevedo. Antes, ele conseguiu um terreno situado nos fundos de sua rádio comunitária, no bairro São Caetano. Há informações de que o contemplado acabou vendendo o imóvel. Ou seja, trata-se de negociações que não atendem nem de longe o interesse público, mas ajudam a melhorar a situação financeira de alguns.

O Capitão Noel pretende ainda doar outra área no Jardim Lorena. Um tal Instituto de Desenvolvimento Municipal (Idem), que alega se dedicar à defesa de direitos sociais, mas cujo trabalho ninguém em Itabuna conhece, está para se tornar o feliz proprietário de uma área de 900 metros quadrados.

Profissionais do ramo imobiliário dizem que, com as áreas para construção cada vez mais escassas em Itabuna e um mercado super-aquecido, terrenos como esses valem ouro. Para quem é amigo do rei e pode recebê-los de graça, são um verdadeiro “negócio da China”.

Clique abaixo para ver as solicitações encaminhadas pelas entidades ao prefeito. Os documentos estão na Sedur, com ordem de tratamento prioritário.

:: LEIA MAIS »

LUZ PRÓPRIA

Marco Wense

 

No começo, as tetas do erário público eram açucaradas. Agora, no ocaso, no crepúsculo do governo, são azedas.

 

A boa votação de Vane do Renascer, se elegendo prefeito de Itabuna, decorreu de uma avalanche de fatores. O principal deles foi a inconteste e contagiante vontade de mudar.

Como não bastasse o chega-pra-lá no fernandismo e no geraldismo, aparece o voto útil para liquidar a fatura. Sem falar no desastroso e atabalhoado governo Azevedo.

Centenas de eleitores, com a então candidata petista Juçara Feitosa despencando nas pesquisas, optaram pela chapa dos vereadores, com Wenceslau Júnior (PCdoB) na vice.

Aliás, depois da gestão Ubaldo Dantas, considerada como uma das melhores que passou pelo Centro Administrativo Firmino Alves, Itabuna só foi governada pelo geraldismo e fernandismo.

Se Vane for bem-sucedido na sua árdua missão de colocar Itabuna no lugar que merece, resgatando a autoestima do seu povo, terá pavimentado o seu próprio e personalizado caminho.

Na sucessão de 2016 não haverá mais esse inominável sentimento de mudança. O vanismo só será sólido, se transformando em uma forte corrente política, se Vane for reeleito.

O secretariado é bom. É confiável. Não é o do desejo 100% do prefeito eleito. Mas é infinitamente melhor do que o do capitão Azevedo e do seu antecessor.
É bom lembrar que o instituto da reeleição continua com a “virgindade” intacta.

:: LEIA MAIS »

À ESPERA DE UM MILAGRE

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), deixa o poder daqui a 25 dias e prevê um futuro tormentoso em virtude dos problemas que criou no governo.

Apesar de não ser considerado um “morto-vivo” na política, Azevedo é visto como um “abacaxi” do ponto de vista jurídico. Com três contas rejeitadas pelo TCM (e provavelmente a de 2012 também será), o destino do prefeito estará nas mãos da Câmara de Vereadores.

Muitos acham improvável que Azevedo tenha força política para derrubar os pareceres do tribunal, pois até mesmo vereadores de sua órbita partidária se ressentem de acordos descumpridos. Enfrentar a tempestade sozinho é um pesadelo que tira o sono do prefeito.

Um dos conselhos que ele tem recebido é o de sair brevemente do DEM e arranjar guarida em um partido com melhores condições de ajudá-lo a se defender. O “escudo” pode ser o PSD do vice-governador Otto Alencar.

A PRÓXIMA VÍTIMA

Juntamente com servidores e fornecedores em geral, veículos de imprensa que fizeram contrato com a Prefeitura de Itabuna para a divulgação de publicidade institucional estão seriamente ameaçados de ficar no preju.

A informação é de que o prefeito Capitão Azevedo (DEM) não pretende pagar a dívida acumulada com emissoras de televisão, rádio, jornais e sites, que somaria algo em torno de R$ 500 mil.

Os mais impacientes já ameaçam fazer cobrança “no ar”.

AZEVEDO EMPURRA REAJUSTE DA PASSAGEM

Em uma manobra política, o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), esquivou-se do reajuste da passagem de ônibus, cujo valor está em R$ 2,20 há mais de dois anos. Havia uma indicação do Conselho Municipal de Transportes (CMT) para que fosse concedido aumento de 9%, o que elevaria a tarifa para R$ 2,40, depois de as empresas terem solicitado que o preço fosse fixado em R$ 2,69. A recomendação do CMT foi levada ao prefeito pelo secretário de Transportes, Wesley Melo.

Se Azevedo tivesse vencido a eleição, era líquido e certo que concederia o reajuste, pois havia acordo nesse sentido com as empresas. Como perdeu, a opção foi por manter a tarifa congelada, o que fatalmente obrigará o sucessor, Vane do Renascer (PRB), a decretar o aumento em 2013.

É a esperteza “póstuma”…

O CHORO DE AZEVEDO

O ex-secretário de Assuntos Governamentais da Prefeitura de Itabuna, Carlos Burgos, que pediu exoneração ontem (veja aqui), tem dito que o prefeito Azevedo caiu em prantos ao saber que ele estava de saída. Burgos conta a história como quem massageia a própria vaidade: “chorou feito um menino”.

Um membro do primeiro escalão explica: “deve ter chorado mesmo, porque ele está chorando por tudo, chora desde que perdeu a eleição”.

Tantas lágrimas podem ser mais do que pela derrota. Azevedo encara o fim de governo mais melancólico da história de Itabuna. A Prefeitura está completamente desorganizada e com as finanças comprometidas, sem condições de pagar salários e chegando a dispensar servidores contratados e comissionados com data retroativa.

Burgos, que era um dos secretários mais fortes do governo, conhece bem o tamanho do problema. E Azevedo fica cada vez mais sozinho para (não) resolver.

BURGOS PEDE PRA SAIR

Homem forte do governo deu tchau a Azevedo

No apagar das luzes do governo Azevedo, até quem menos se esperava começa a abandonar o “barco”. Quem pediu exoneração na manhã desta quinta-feira, 29, foi o advogado Carlos Burgos, que ocupava a Secretaria de Assuntos Governamentais.

Membro do “núcleo duro” do governo Azevedo, Burgos era tido como a eminência parda da gestão, na qual diziam que ele mandava mais que o próprio prefeito (e não era o único). O ex-secretário foi também um dos coordenadores da campanha malsucedida de Azevedo na disputa pela reeleição.

Segundo informações de dentro do Centro Administrativo Firmino Alves, o pedido de exoneração de Burgos já foi apresentado ao prefeito e por este assinado. O governo ainda não anunciou o nome do substituto.

PROMOTOR DE OLHO NO RELATOR

Informações chegadas ao PIMENTA dão conta de que o promotor Inocêncio Carvalho ficou com “uma pulga atrás da orelha” ao saber que o relator das contas de Azevedo na Câmara de Itabuna é o vereador Adeládio Pezão (DEM).

“Mas esse rapaz não é um que responde a processo administrativo por irregularidades cometidas no Hospital de Base?”, teria indagado o promotor, dando a entender que vê algum tipo de suspeição em quem emitirá parecer sobre questão delicadíssima.

Suspeito ou não, Pezão já antecipou que seu parecer deixará o prefeito em condição de ser canonizado.

SEGUNDO VEREADORA, QUEM GOVERNA ITABUNA ATÉ 31 DE DEZEMBRO É A DENGUE

Florentino (centro) expôs o caos nas ações de combate à dengue em Itabuna

A informação de que Itabuna possui hoje o maior índice de infestação de dengue do Brasil (veja aqui) coincidiu com a ida do diretor do Departamento de Vigilância à Saúde do município, Florentino Souza Filho, à Câmara de Vereadores. Ele compareceu à sede do legislativo nesta terça-feira, 27, a convite do vereador Paulo Luna (PSDB), e não se preocupou com floreios. O diretor da Vigilância confirmou que seu setor é prejudicado, entre outros fatores, pelo deslocamento de agentes de combate a endemias para outras funções, fato já denunciado pelo PIMENTA.

Durante a sessão, a vereadora Maria do Carmo Ferreira, a Carmem do Posto Médico (PR), fez um pronunciamento-desabafo que chamou atenção. Com 28 anos de trabalho na área da saúde, ela observou que Itabuna está entregue à sujeira, o que ajuda a proliferar diversas doenças, inclusive a dengue.

“Não é possível garantir a saúde da população com a cidade suja do jeito que está”, afirmou a vereadora, acusando prefeito e secretários de omissão. Segundo Carmem, “Itabuna não tem prefeito, quem governa até 31 de dezembro é a dengue”. Ela disse ainda, sem citar nomes, que  secretários municipais não estão preocupados com a situação, pois pensam apenas em “encher os bolsos”.

O pronunciamento surpreendeu alguns vereadores, pelo fato de Carmem do Posto Médico ser de um partido da base do prefeito. Porém, mesmo pertencendo ao PR, a vereadora tem demonstrado independência com relação ao governo, já tendo criticado a gestão de Azevedo em pelo menos outra sessão.

MAIS UMA LAMBANÇA DE AZEVEDO

O Ministério Público está de olho em mais uma trapalhada do governo Azevedo, que pode resultar em uma bomba relógio a ser detonada no colo do futuro gestor.

É que, depois de inchar a folha da prefeitura com servidores contratados (muitos dos quais sequer precisavam trabalhar), o chefe do executivo dispensou esse pessoal neste mês de novembro, mas com efeito retroativo a 30 de setembro.

Resultado: quem trabalhou (ou não) em outubro está revoltado com a postura do prefeito e muitos pretendem cobrar seus direitos na justiça.

CÂMARA ANALISA CONTAS DE EDSON DANTAS

Ex-presidente do legislativo itabunense terá contas apreciadas a partir de hoje

A Câmara de Vereadores de Itabuna começa a analisar nesta segunda-feira, 12, nas Comissões Técnicas, as contas da gestão do ex-presidente da casa, Edson Dantas, referentes ao ano de 2008. A previsão é de que a discussão em plenário ocorra na quarta-feira, véspera do feriado prolongado.

Após a análise das contas de Edson Dantas, entra na fila a apreciação das contas do prefeito Capitão Azevedo (DEM), de 2009, que já tiveram parecer negativo do TCM em razão de graves irregularidades e vícios insanáveis, com destaque para o gasto de quase R$ 23 milhões sem licitação com a empresa Marquise, responsável pela limpeza da cidade.

O relator das contas é o vereador Adeládio Pezão (DEM), aliado de Azevedo, que já antecipou seu parecer favorável tanto no que diz respeito às contas do prefeito como às do ex-presidente do legislativo.

AZEVEDO JOGOU A TOALHA

Não é só no descaso com a cidade que o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), dá sinais de que abandonou o barco após a derrota no dia 7 de outubro. Outro exemplo de que o gestor atual entregou os pontos está na Câmara de Vereadores.

Desde que a composição do legislativo foi inteiramente renovada, com o afastamento dos titulares por liminar judicial, Azevedo não indicou ninguém para assumir a função de líder do governo na Câmara.

A situação gerou o seguinte comentário de um oposicionista:

– Para que líder, se não existe governo?

O PARECER DE PEZÃO SOBRE AS CONTAS DE AZEVEDO

Pezão puxa a fila para a “absolvição” de Azevedo

A Câmara de Vereadores de Itabuna está prestes a dar um belo salvo-conduto ao prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), cujas contas referentes ao ano de 2009 tiveram parecer negativo do TCM. O tribunal identificou uma penca de irregularidades, como o gasto de mais de R$ 22 milhões num contrato sem licitação com a empresa Marquise.

Em suma, os problemas referentes às contas de Azevedo vão muito além do que se poderia chamar de meros erros formais. São o que a lei considera vício insanável, o que, entre outras coisas, significa que o prejuízo causado aos cofres públicos jamais será reparado.

O parecer do TCM será apreciado na semana que vem pela Câmara, provavelmente já na segunda-feira, dia 12. O relator da matéria é o vereador Adeládio Pezão (DEM), que não esconde de ninguém qual será o seu voto. Resta saber como será o dos demais, mas nas contas do governo, Azevedo vence o TCM (e a moralidade pública) com tranquilidade.

AZEVEDO FICOU APERREADO

Foi tudo muito tranquilo no encontro entre o prefeito eleito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), e o gestor que sai, Azevedo (DEM), no final da tarde desta terça-feira, 6. Fora o detalhe de que Azevedo não conseguiu disfarçar o desconforto com duas pessoas que integravam a comitiva do visitante e sucessor.

Uma das figuras em questão era Gilson Nascimento, ex-secretário da Administração do atual governo, com o qual rompeu na metade do mandato. Nascimento teve papel importante na eleição de Azevedo em 2008, mas aquela história de que ingratidão tira afeição o fez procurar outro rumo. Em 2012, apoiou Vane e sorriu. O prefeito, como se sabe, chora até hoje.

O outro participante da comitiva era o vereador Ruy Machado (PTB), que na última eleição estava oficialmente com o DEM, mas extraoficialmente ajudou o candidato do PRB, o que Azevedo não perdoa. Mas hoje teve que engolir.

CÂMARA VOTARÁ CONTAS DE AZEVEDO

Há um cheiro de pizza no ar… Quem serão os pizzaiolos???

A Câmara de Vereadores de Itabuna se prepara para apreciar nos próximos dias as contas do prefeito Capitão Azevedo (DEM), referentes ao exercício de 2009. A gestão deste período já foi alvo de parecer negativo do Tribunal de Contas dos Municípios, que constatou a existência de graves irregularidades e vícios insanáveis, principalmente no contrato entre o município e a empresa Marquise, com o gasto de mais de R$ 22 milhões sem licitação.

O prefeito precisa de nove votos para derrubar o parecer do TCM e, pelas contas do governo, esse número está garantido. A rejeição do parecer seria o primeiro passo para livrar Azevedo da Lei da Ficha Limpa, que o ameaça com o fantasma da inelegibilidade. “Livrar” momentaneamente, pois suas contas de 2010 também foram reprovadas.

A matéria começa a tramitar na Comissão de Finanças  do legislativo até a próxima sexta-feira, dia 9.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia