WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate


alba










julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias






:: ‘Bairro Lomanto’

CASO NADSON TEM 1ª AUDIÊNCIA HOJE

Nadson Almeida morreu em perseguição.

Nadson Almeida morreu em perseguição.

A primeira audiência do Caso Nadson Almeida será realizada hoje, no Fórum Ruy Barbosa, em Itabuna. Serão ouvidas sete testemunhas e familiares do garoto morto após perseguição policial em 16 de fevereiro deste ano, no Bairro Lomanto, em Itabuna.

O Ministério Público Estadual decidiu pela denúncia contra o policial militar Wallace Feitosa da Silva, que dirigia a viatura na perseguição ao menor. O veículo bateu no fundo da moto que Nadson pilotava, provocando a queda do menor, que faleceu no local.

A promotoria denunciou o PM por “dolo eventual”, por acreditar que o policial assumiu o risco de matar o adolescente ao manter a perseguição, chocando a picape Ford Ranger no fundo da moto para tentar pará-lo. A audiência ocorrerá na Vara do Júri, às 13h30min, no Fórum Ruy Barbosa.

A morte de Nadson detonou um clima de revolta no bairro. Vândalos aproveitaram para queimar ônibus e carros de passeio no entorno da Avenida J.S.Pinheiro, no final da manhã e início da tarde daquele domingo, 16 de fevereiro.

Nos ataques, o pátio da Settran foi invadido. Cerca de 20 carros e motos foram incendiados. Os veículos, apreendidos em blitzen, iriam a leilão.

A MORTE DO ADOLESCENTE DO BAIRRO LOMANTO – CRIMES DOLOSO E CULPOSO

Gilson Nascimento -Gilson Nascimento | gnpj10@hotmail.com

Não poderia me calar diante da tentativa de alguns em transformar os policias militares em assassinos e monstros na história da morte do adolescente no bairro Lomanto. Pelas evidências e opiniões de peritos no assunto, ocorreu de fato um crime culposo, ou seja, aquele em que não há a intenção de matar! Ocorreu um acidente de trânsito com vítima fatal. Conhecendo a seriedade da Corporação Militar, os policias serão punidos com rigor, se comprovada a culpa.

Chamo atenção para outro crime que fora cometido antes, o qual foi decisivo para o acontecimento fatídico do dia 16/02/2014. Refiro-me ao crime de trânsito descrito no artigo 310 do Código de Trânsito Brasileiro que diz: Permitir, confiar ou entregar a direção de veículo automotor a pessoa não habilitada ou ainda, a quem, por seu estado de saúde, física ou mental não esteja em condições de conduzi-lo com segurança.

Este crime, por sua vez, pode ser classificado pelos criminalistas como Dolo Eventual, ou seja, quando, os pais do adolescente, sem querer efetivamente produzir o resultado, assumiram o risco de produzi-lo. Isso fica evidente quando a tia em uma reportagem afirma que já havia reclamado sobre o fato do adolescente ir, todos os dias, buscar a irmã na escola e o pai, que naquele dia, o teria mandado buscar uma peça de carro. Ou ainda quando, em vários depoimentos de populares, fica claro que era prática normal a permissão, a entrega e a confiança, de veículos automotores ao adolescente.

O crime doloso também esta tipificado no artigo 249 da Lei 8069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente, que fala: “Descumprir, dolosa ou culposamente, os deveres inerentes ao pátrio poder familiar ou decorrente de tutela ou guarda”.

Os policiais envolvidos no episódio certamente serão punidos com todo o rigor previsto na legislação militar, pois os estatutos e regimentos da corporação assim preveem, tratando-se de crime culposo. Por sua vez, não recairão sobre os pais do adolescente, nenhum tipo de pena, pelo cometimento do crime doloso, pois eles já foram punidos com a dor da morte do filho querido.

:: LEIA MAIS »

TESTEMUNHAS DEPÕEM E AFIRMAM QUE VIATURA DA PM ATROPELOU NADSON ALMEIDA


Vídeo registra perseguição policial a Nadson Almeida

Quatro das sete testemunhas ouvidas pela Polícia Civil confirmaram que a viatura da polícia militar atropelou Nadson Pereira de Almeida, de 14 anos, durante perseguição ocorrida por volta das 10h do último domingo (16), no Lomanto, em Itabuna. Nadson morreu ainda no local, antes que recebesse atendimento do Samu 192.

As testemunhas foram ouvidas ontem (19) pelo delegado regional Evy Paternostro. Elas afirmaram terem visto a perseguição pela Rua Jorge Amado.

Segundo a versão destas testemunhas, a viatura tocou no fundo da moto e passou por cima do corpo do adolescente, quando este foi lançado ao chão com o impacto da colisão.

Os depoimentos das testemunhas contradizem a versão dos cinco policiais que estavam na viatura do Ceto. Ao comandante do policiamento regional, coronel Antônio Reis, os militares disseram que não houve colisão nem atropelamento.

Ao coronel Reis, o quinteto disse que o jovem havia perdido o controle da moto por causa de um quebra-molas e teve o corpo lançado contra um carro GM Astra que estava na rua.

Advogado da família de Nadson, Davi Pedreira disse que a prova pericial “comprova que houve a compressão no corpo da criança, bem como que a viatura da PM teve amassamento na parte frontal direita provocada pela colisão com a moto”.

A família do adolescente está pedindo aos moradores do Lomanto que não promovam atos de vandalismo. “Igualmente não concordamos que se promova a crítica generalizada a todos os policiais militares”.

PROTESTOS E CARROS QUEIMADOS

Manifestantes atearam fogo em veículos no pátio da Settran (Foto Pimenta).

Manifestantes atearam fogo em veículos no pátio da Settran (Foto Pimenta).

O atropelamento do menor ocorreu durante abordagem de rotina dos militares na praça do bairro. Nadson teria recebido ordem para estacionar a moto, mas fugiu dos policiais, que iniciaram a perseguição.

A morte de Nadson desencadeou clima de revolta e protesto. Em menos de quatro horas, um ônibus da Rota Transportes que seguia de Itabuna para Buerarema foi queimado no viaduto Paulo Souto, no entroncamento das BRs 101 e 415, a menos de um quilômetro da tragédia.

Os manifestantes também atearam fogo em um carro de passeio na Avenida J.S. Pinheiro, que foi interditada com várias barricadas. Houve confronto com policiais da Cipe Cacaueira, Tropa de Choque e Exército.

Momentos depois, manifestantes invadiram o pátio da Secretaria de Transporte e Trânsito, também no Lomanto, e atearam fogo em 11 carros e carcaças e 15 motos velhas. Um guarda foi agredido.

Na segunda-feira, após o enterro do corpo de Nadson, houve novo ataque a um ônibus que trazia estudantes de Itapitanga para a Unime, em Itabuna. O assento do motorista foi incendiado.

CONFRONTO NO LOMANTO: SETTRAN RECUPERA 4 MOTOS FURTADAS

Na ação no pátio da Settran, 11 carros e 15 motos ficaram destruídos (Foto Pimenta).

Na ação no pátio da Settran, 11 carros e 15 motos ficaram destruídos (Foto Pimenta).

Quatro das sete motos furtadas do pátio da Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna (Settran) foram recuperadas até ontem, segundo balanço divulgado pelo governo. As motos foram levadas por um grupo durante os confrontos entre manifestantes e polícia, no domingo (16), no Bairro Lomanto.

Após atear fogo em um carro de passeio e um ônibus da Rota Transportes durante os protestos à morte do jovem Nadson Almeida, um grupo invadiu a Settran e ateou fogo em 11 carros e carcaças e 15 motocicletas velhas que estavam no pátio da Settran, no Aeroporto Tertuliano Guedes de Pinho.

Parte dos veículos estava sob a guarda da secretaria e seria devolvida às seguradoras, conforme o titular da Pasta, Clodovil Soares. A outra iria a leilão que o município está organizando. O estrago na Settran só não foi maior porque o Corpo de Bombeiros conseguiu controlar as chamas rapidamente.

Um relatório circunstanciado sobre o que ocorreu no pátio da Settran foi enviado à Polícia Civil para as investigações.

PM ABRIRÁ INQUÉRITO PARA INVESTIGAR MORTE DE NADSON ALMEIDA

Bombeiros controlam chamas em incêndio no pátio da Settran (Foto Pimenta).

Bombeiros controlam chamas em incêndio no pátio da Settran (Foto Pimenta).

Um inquérito militar será aberto para investigar as circunstâncias da morte do garoto de 13 anos, atropelado por uma viatura da PM hoje pela manhã em Itabuna. Pelo menos esta é a garantia do comandante do 15º Batalhão da PM, Ubiraci Barbosa, durante entrevista.

Para o tenente-coronel, a morte do menor Nadson Pereira de Almeida foi uma fatalidade. Ubiraci falou ao Correio. Moradores do Lomanto dizem que a viatura da guarnição que fazia abordagens no Lomanto teria passado duas vezes por cima do corpo do menor, na Rua Jorge Amado. Os policiais que estavam na viatura negam que tenha ocorrido atropelamento.

Logo após a tragédia, populares interditaram a Avenida J.S. Pinheiro, no Lomanto, e ainda tocaram fogo em um ônibus da Rota que fazia a linha Itabuna-Buerarema. O veículo foi interceptado no Viaduto Paulo Souto.

Os manifestantes deram ordem para que passageiros e motorista deixassem o ônibus. “Assim que eles saíram, jogaram gasolina e atearam fogo”, disse um funcionário da Rota ao PIMENTA. A empresa calcula em aproximadamente R$ 200 mil o prejuízo.

Um Ford Mondeo foi incendiado por manifestantes na J.S. Pinheiro, em frente a um posto de combustível. Durante protesto, houve tentativa de atear fogo em um caminhão de combustível que estava estacionado em  frente a loja de peças automotivas.

Manifestantes atearam fogo em veículos e carcaças no pátio da Setran, localizado no aeroporto (Foto Pimenta).

Manifestantes atearam fogo em veículos e carcaças no pátio da Setran, localizado no aeroporto (Foto Pimenta).

20 MOTOS ROUBADAS DO PÁTIO DA SETTRAN

Um balanço preliminar da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) revela que 11 carros e 10 motocicletas velhas, pelo menos, foram incendiados durante protesto. Estes veículos estavam no pátio da Settran, localizado no Aeroporto Tertuliano Guedes de Pinho, no Lomanto.

Um grupo aproveitou o protesto para roubar cerca de 20 motos estacionadas no pátio da Settran. O secretário de Transporte e Trânsito, Clodovil Soares, disse ao PIMENTA que parte dos veículos atingidos iria a leilão.

Homens do Batalhão de Choque da PM, da Cipe Cacaueira, do Exército e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram mobilizados para liberar a J.S. Pinheiro, o que ocorreu somente por volta das 15h. Mesmo assim, apenas ônibus intermunicipal passava pela avenida.

Cerca de 40 homens da PRF chegaram à avenida em oito viaturas e um furgão de apoio, auxiliados por homens da Caerc e do Choque. A PRF ainda utilizou um helicóptero para dar suporte aos policiais na movimentação dentro do bairro e na ação no aeroporto.

PROTESTO DEIXA ITABUNA SEM ÔNIBUS

Pai corre com o filho ao passar por área de confronto na Avenida J.S. Pinheiro (Foto Pimenta).

Pai corre com o filho ao passar por área de confronto na Avenida J.S. Pinheiro (Foto Pimenta).

Faz mais de duas horas que as empresas São Miguel e Expresso Rio Cachoeira recolheram todos os ônibus que operam no sistema de transporte público urbano em Itabuna. A suspensão do serviço ocorreu após ameaça de que novos veículos sejam incendiados na cidade, principalmente nas linhas que servem a moradores da região do Lomanto e Ferradas.

Os protestos começaram por volta das 10h da manhã de hoje (10), quando centenas de moradores dos bairros Lomanto e Odilon incendiaram um ônibus da Rota Transportes e apedrejaram outro da Águia Branca. Os manifestantes também interditaram a Avenida José Soares Pinheiro com barricadas em chamas.

Até o início da tarde, ônibus urbanos rodavam apenas nas regiões do Santo Antônio, São Caetano, Conceição e Califórnia, mais distantes do epicentro da guerra ocorrida após uma perseguição desastrada da polícia a um adolescente de 13 anos, de prenome Nadson, no Lomanto.

Quem sai do centro de Itabuna com destino à região de Ferradas, deve optar por seguir pela BR-101. Até as 17h, as vias não enfrentavam congestionamento. Patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal orientavam motoristas e motociclistas.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia