WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Belo Horizonte’

PRESIDENTE DA BAMIN É MEDIADOR DE PLENÁRIA DA EXPOSIBRAM 2019, EM MINAS

Eduardo Jorge, da Bamin, participa de plenária da Exposibram 2019 || Foto Netun Lima

O diretor-presidente da Bahia Mineração (Bamin), Eduardo Jorge Ledsham, participou como mediador da I Plenária da Exposibram 2019, em Belo Horizonte (MG). Eduardo Jorge mediou a plenária que discutiu o futuro do mercado de commodities minerais e as principais tendências para a mineração. O evento reúne representantes de 30 países e é considerado um dos maiores e mais importantes nas discussões do setor da mineração na América Latina.

Das plenárias, também participaram Paul Fraser Robinson, do CRU Group, abordando as perspectivas globais das tendências das commodities minerais; Roger Emslie, diretor de Metais & Consultoria de Mineração Wood Mackenzie, que apresentou a Visão dos fundamentos da mineração na América Latina dentro do contexto da indústria de mineração global, além de Barbara Lanhoso de Mattos, vice-presidente senior da Moody’s Latin America.

Bianual, o evento reúne centenas de empresários, representantes de organizações governamentais e privadas para discutir e apresentar tecnologias e soluções para mineração. Neste ano, o evento é realizado de 9 a 12 de setembro, em Belo Horizonte, pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

A Exposibram deste ano tem participação de 30 países e 490 expositores, de acordo com a organização. Na edição anterior, em 2017, o evento reuniu 45 mil visitantes, mil congressistas, 107 expositores estrangeiros, 308 brasileiros e 28 países. Paralelamente à exposição, ocorre o Congresso Brasileiro de Mineração, que atrai a cada edição mais de mil participantes entre especialistas, pesquisadores, estudantes e representantes de empresas.

AOS 50 ANOS, MORRE O CANTOR VANDER LEE

Vander Lee havia gravado trabalho para comemorar 20 anos de carreira.

Vander Lee havia gravado trabalho para comemorar 20 anos de carreira.

Autor de sucessos como Onde Deus possa me ouvir, Românticos e Esperando aviões, o cantor Vander Lee morreu nesta sexta (5), em Belo Horizonte (MG), vítima de infarto.

Vander Lee faleceu por volta das 8 horas, no Hospital Madre Teresa, na capital mineira, onde havia passado por cirurgia depois de sofrer um infarto. De acordo com boletim médico, o cantor e compositor sofreu paradas cardíacas depois da cirurgia e não reagiu às tentativas de reanimação.

O músico mineiro teve várias de suas canções regravadas por monstros da MPB, dentre eles Gal Costa, Maria Bethânia e Fagner.

Confira, abaixo, interpretação de Lee para música de sua própria autoria, Esperando aviões.

COPA 2014: O DIA DO MASSACRE HOLANDÊS

Van Persie e Robben marcaram duas vezes cada um (Foto Alex Grimm/Getty Image-Fifa).

Van Persie e Robben marcaram duas vezes cada um (Foto Alex Grimm/Getty Image-Fifa).

A sexta-feira, 13!, foi daqueles dias para espanhol esquecer quando o tema é futebol. Foi uma tarde-noite de três jogos na Copa do Mundo e inacreditáveis 11 gols. Não pela quantidade do todo, mas de uma das partes, a que diz respeito ao confronto Espanha x Holanda. Agora, um resumo. Na sequência, o que temos para hoje.

México 1 x 0 Camarões, em Natal [Melhor em Campo: Giovani dos Santos].
Espanha 1 x 5 Holanda, em Salvador [Melhor em Campo: Robin van Persie].
Chile 3 x 1 Austrália, em Cuiabá [Melhor em Campo: Alexis Sánchez].

Neste sábado (14), a Copa 2014 terá:

Colômbia x Grécia, às 13h, em Belo Horizonte (MG);
Uruguai x Costa Rica, às 16h, em Fortaleza (CE);
Inglaterra x Itália, às 18h, em Manaus (AM); e
Costa do Marfim x Japão, às 22h, em Recife (PE).

INIMIGOS ÍNTIMOS

Da coluna Painel (Folha):

A política de alianças do PT para 2012, que começará a ser costurada na reunião do Diretório Nacional no próximo fim de semana, vai evidenciar algo que já está claro nas discussões internas: a preocupação do partido, hoje, é maior com o crescimento demasiado de aliados como PSB e PMDB do que com a oposição, enfraquecida e às voltas com sua própria divisão.

A lógica petista é simples: não ajudar a vitaminar legendas cujo engajamento no projeto de reeleição de Dilma Rousseff em 2014 é incerto. Setores do partido defenderão o desembarque de alianças em polos estratégicos como Belo Horizonte (MG), onde hoje o PSB governa com o PT na vice.

ENTREVISTA: A INCRÍVEL HISTÓRIA DE UMA JUÍZA DE ITABUNA

Aos 14 anos, ela trabalhava em um canavial no interior de Minas Gerais. Aos 17, era empregada doméstica em Belo Horizonte e, por não ter onde dormir, durante oito meses passou as noites em um ponto de ônibus em frente à antiga Telemig, que era a companhia telefônica de Minas.

Para conseguir aprovação em seu primeiro concurso, para oficial de justiça do Tribunal de Justiça daquele estado, ela catou folhas borradas de um mimeógrafo onde faziam apostilas de um cursinho preparatório. As folhas eram jogadas no lixo, de onde ela as recolheu, estudou e ficou em terceiro lugar no concurso.

A hoje Doutora Antônia Marina Faleiros é sem dúvida alguma uma vencedora, uma mulher que superou todos os obstáculos e dificuldades e veio a ocupar cargos importantes, como procuradora do município de Belo Horizonte e procuradora do Banco Central. Atualmente, ela é juíza da 1ª Vara Crime de Itabuna, que julga crimes relacionados a tóxicos.

Mas a magistrada não é somente uma pessoa que venceu na vida. Ela é também uma mulher singular, que não se limita às paredes de um gabinete e gosta de ir aos bairros, conhecer gente. Nessa entrevista concedida ao PIMENTA, a juíza surpreende, comove e demonstra que ainda é possível acreditar no ser humano.

PIMENTA – Eu gostaria que a senhora contasse o início de sua história: onde nasceu, sua infância…

Dra. Antônia – Eu nasci em Serra Azul de Minas, um lugar belíssimo, extremamente pobre, mas muito bonito. Era uma família grande, como todas as famílias do interior: pai, mãe e um monte de irmãos. E minha mãe sempre foi uma pessoa muito entusiasmada. Ela não teve oportunidade de estudar, só fez até o que se chamava na época de quarta série primária. E era professora rural, dava aula no Mobral e sempre teve uma exigência muito grande com os filhos, sempre quis botar os filhos pra frente.

PIMENTA – Quais são as histórias das quais a senhora se recorda dessa época?
Dra. Antônia – Há algumas histórias interessantes que envolveram minha mãe. Quando fiz meu primeiro concurso público, eu passei em terceiro lugar para oficial de justiça do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, então eu fiquei entusiasmadíssima e fui contar para ela. Quando falei que havia passado em terceira colocação, ela disse: “mas a prova estava tão difícil assim?”. Eu mencionei a concorrência e salientei que muitas pessoas haviam ficado para trás, mas ela respondeu: “você já viu algum bom corredor olhar para quem está ficando pra trás? Ele olha para os concorrentes que estão na frente”. Esse é um exemplo do nível de exigência da minha mãe. Ela morreu dois meses depois da minha formatura em Direito e eu fiquei bastante magoada porque era meu sonho conseguir ter um emprego e poder dar a ela algumas coisas com as quais ela sonhava.

PIMENTA – Por exemplo…
Dra. Antônia – Eu me emociono sempre quando me lembro disso. Um dos sonhos da minha mãe era ir à Aparecida do Norte, que é um santuário católico no interior de São Paulo e nós não tivemos a oportunidade de atender esse desejo. Ela morreu antes que eu tivesse um emprego que me permitisse lhe dar o prazer de conhecer Aparecida do Norte.

PIMENTA – Vocês viviam na cidade ou na zona rural?
Dra. Antônia – Até os meus sete anos, nós morávamos na roça. Depois meu pai se mudou para a cidade, que era tão pequena que se pode dizer que é como se fosse uma roça. Eu fui conhecer luz elétrica aos 17 anos. Meu pai era trabalhador do DER, o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais, trabalhador braçal.

 

Eu acabava ficando sem o café da manhã como punição por ter causado o “incêndio” e acordado todo mundo.

 

PIMENTA – Quantos irmãos?
Dra. Antônia – Éramos seis, mas um morreu há 11 anos. Eu sou a filha mais velha e depois de mim tem outra irmã e mais três irmãos. Muitos anos depois, quando eu já tinha deixado a casa de meus pais, minha mãe teve outra filha, que foi a irmã que eu criei, porque minha mãe a deixou pequena e ela acabou virando “minha filha” e veio comigo para a Bahia.

PIMENTA – Como foi a história do seu trabalho em um canavial?
Dra. Antônia – Quando eu terminei naquela época a quarta série, com 14 anos, não tinha continuação lá. E apareceram pessoas que contratavam trabalhadores, inclusive menores, para o corte de cana. Quem fazia a intermediação e ia pelas cidades procurando era chamado de “gato” e os capatazes que controlavam o trabalho no canavial preferiam menores, porque eles achavam que podiam até bater na gente. Como não tínhamos outro meio de sobrevivência, nós seguimos para esse trabalho, eu e mais dois irmãos, de 13 e 12 anos.

:: LEIA MAIS »

AZUL ANUNCIA VOO BH-ILHÉUS

A Azul anunciou hoje que inaugura em 1º de fevereiro voos em dias alternados entre Belo Horizonte e Ilhéus. A companhia já iniciou a venda de passagem, que custará R$ 109,00 o bilhete comprado com 21 dias de antecedência.

Haverá voos entre o aeroporto de Confins e o de Ilhéus em dias alternados (domingos, terças e quintas). Minas Gerais é o segundo maior polo emissor de turistas para o município baiano. A empresa também ampliará o número de voos de BH para Porto Seguro, de um para quatro voos semanais a partir da capital mineira.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia