WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba


jamile_yamaha

sintesi17

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

editorias


:: ‘Bernardo Dutra’

NÚMERO DE ASSASSINATOS CAI 34% EM ITABUNA

Itabuna encerrou o primeiro semestre deste ano com a menor taxa de assassinatos dos últimos 10 anos. Os números são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e foram divulgados pelo Jornal das Sete (Morena FM). A média mensal ficou em torno de 8 mortes violentas ante mais de 12 nos seis primeiros meses de 2014.

Foram 50 assassinatos no período de 1º de janeiro a 30 de junho. Ainda segundo a reportagem do programa da Morena, o número é 34% menor do que o registrado em igual período do ano passado, quando ocorreram 76 mortes violentas (homicídios e latrocínios). Junho deste ano também foi o menos violento dos últimos dez anos, com o registro de 6 execuções.

Para as autoridades de segurança pública, um dos principais fatores foi a transferência de presos perigosos para presídios de Serrinha e Lauro de Freitas.

O governo explica que diversas ordens para assassinato de pessoas partiam do presídio de Itabuna. As mortes eram determinadas pelo chamado alto escalão das facções criminosas raios A e B.

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

REVISTA NO PRESÍDIO

O diretor-adjunto do presídio de Itabuna, Bernardo Dutra, informou que na revista de ontem (1º), por exemplo, foram encontradas facas artesanais, chips de celular, quatro celulares e buchas de maconha.

A revista foi feita por agentes penitenciários, com acompanhamento da Polícia Militar. Bernardo reforçou que essas e outras ações têm contribuído para a queda de homicídios em Itabuna. “Sem os celulares, os detentos ficam ilhados”.

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que toda a ação direta do estado contribui para a queda. “As operações, principalmente em locais mais violentos, têm sido fundamentais”, disse o delegado ao Jornal das Sete. A matéria completa pode ser conferida n´A Região.

POLÊMICA NO PRESÍDIO

O policial militar Bernardo Dutra foi nomeado diretor adjunto do Conjunto Penal de Itabuna. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado neste final de semana. O soldado e bacharel em Direito vai substituir o advogado Roney Franco.

Há um ano e meio, Dutra se envolveu em grande polêmica ao ser acusado de abuso de autoridade e agressão contra o jornalista Ederivaldo Benedito, durante a Parada Gay (relembre aqui). O policial negou que tenha agredido o jornalista. O caso foi parar na Justiça.

POLICIAIS ACUSADOS DE AGREDIR JORNALISTA SERÃO OUVIDOS HOJE

Policial tenta arrancar a máquina do jornalista (Foto Pedro Augusto/Arquivo 16.10.11).

Os quatro policiais militares acusados de abuso de poder e agressão praticados contra o jornalista Ederivaldo Benedito, em 16 de outubro do ano passado, serão ouvidos em audiência nesta terça, 8, às 7h30min, no Juizado Especial Criminal.

A prisão ocorreu durante a Parada Gay, na Beira-Rio, quando o jornalista fotograva à distância de sete metros a abordagem dos policiais a dois jovens. Os policiais partiram em direção a Benedito e arrancaram a máquina das mãos do jornalista, que acusa os policiais de apagar as fotos que registravam a abordagem aos jovens.

A prisão foi considerada arbitrária e uma sindicância foi aberta na PM por determinação do secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa. A prisão teve repúdio de diversas entidades do sul da Bahia. Os policiais militares a serem ouvidos hoje são Bernardo Dutra, que comandava a guarnição, Wallace dos Santos Tourinho, Clodoaldo Brasil da Silva e Kleber dos Santos Silva.

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia