WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Caboclo Alencar’

FESTA NOS 52 ANOS DO ABC DA NOITE

Caboclo e o seu ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

Caboclo e o seu ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

Os 52 anos do ABC da Noite, o mais tradicional boteco do Sul da Bahia, serão comemorados amanhã (26) com uma festa em homenagem ao Caboclo Alencar, que há mais de meio século brinda seus discípulos com batidas incomparáveis e frases de efeito que renderam até livro.

A festa, além de comes e bebes, terá as participações dos músicos Jaffet Ornelas, Carlos Santana e Duo Bem Ti Vi, que se apresentam a partir das 11 horas da manhã no palco armado em frente ao boteco.

Tombado pela Prefeitura  em 2013, o prédio onde o ABC foi instalado, inicialmente um açougue providencialmente transformado em boteco, faz parte da história de Itabuna e além dos clientes fiéis, é parada obrigatória para quem visita a cidade.

A homenagem é organizada pela Associação Cultural Amigos do Teatro (Acate), Associação dos Amigos do Caboclo Alencar (Acacau) e Academia de Letras, Artes, Músiva, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias, Etc. (Alambique).

AMIGOS E CLIENTES LOTAM BECO DO FUXICO NOS 83 ANOS DE CABOCLO ALENCAR

Sábado (1º) centenas de amigos e clientes se juntaram no Beco do Fuxico, centro de Itabuna, para comemorar os 83 anos de Caboclo Alencar. E, puxados pela Charanga Elétrica, entoaram os parabéns para o homem do ABC da Noite. Confira vídeo feito por Ari Rodrigues, um dos organizadores da festança.

ABC DA NOITE COMPLETA 51 ANOS HOJE

Caboclo e o seu ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

Caboclo e o seu ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

O ABC da Noite completa 51 anos de plena atividade e a comemoração será neste sábado (27),  a partir das 11 horas, no Beco do Fuxico, em Itabuna.  O Caboclo Alencar, fundador do tradicional boteco grapiúna,  vai receber os amigos, que fazem do ABC da Noite um ponto de encontro da boemia itabunense.

Além das tradicionais batidas, haverá vinho, cachaça e  salgadinhos por conta da casa, já que aos 81 anos de idade, o Caboclo resolveu abrir a mão. Dedé do Amendoim, outra figura lendária, também vai dar o ar na graça no ABC da Noite com amendoim, ovo de corda e codorna, mas ai é por conta do freguês. Leia mais

UNIVERSO PARALELO

NAÇÃO DE BEBEDORES FERIDOS E CHOROSOS

Ousarme Citoaian | ousarmecitoaian@yahoo.com.br

1AlencarAtônito, Caboco Alencar, com sua “farmácia” assaltada na calada da noite, teria se perguntado: “Mas, por que eu?”. É duro de aceitar um mundo em que nem o boteco (refúgio de vagabundos e cavalheiros, espaço da solidariedade, do sonho e da poesia) é respeitado. Quando grandes empresas comerciais ou industriais predadoras, molas mestras do enriquecimento nem sempre lícito (muitas vezes movido a sangue dos trabalhadores) são assaltadas é maior nosso nível de compreensão. Assaltar o ABC da Noite é mais do que atentar contra o diminuto patrimônio pessoal do Caboco; é ferir de morte uma imensa nação de bebedores – ato próprio de bandidos sem coração, lirismo ou paladar.

________________

O mundo fica cada vez mais inabitável

O ABC (justo, D. Ceslau não há de me recomendar à excomunhão por essa verdade nua) é espaço sagrado. Bem que ali, não se pode negar, possam  ter surgido algumas manifestações anticlericais, motivadas por uma dose a mais de batida.  Mas foram apenas engrolados discursos tentativos de consertar o vasto Brasil sem porteira, insuficientes para abalar o teto da Capela Sistina. Constato, com imensa tristeza, que o mundo se faz um lugar cada vez mais inabitável, pois nem líricos e inocentes botecos são dignos do respeito dos assaltantes, que invadiram o templo do ABC como se adentrassem um depósito de rinchona. Bem fez Eduardo Anunciação, que, em protesto antecipado, recusou-se a testemunhar tamanha heresia.

COMENTE! » |

NÃO QUEREMOS A MENTIRA COMO APANÁGIO

Decidi-me a “responder” (na verdade, ninguém me perguntou nada!) a alguns comentários, o que não fiz. Poderia dizer que foi devido à “roda viva” que tritura os que escrevem com data marcada. Mas não digo, pois tenho sido invadido por completo desapreço à mentira. Expulsemo-la, portanto, do capital dos jornalistas, para integrá-la ao apanágio dos políticos, que de tal valor não podem prescindir. Se não fiz o que me prometi foi por falta de planejamento – e não se pode debitar a culpa ao lixo nas ruas e a outras mazelas pequenas e provincianas. Então, mãos à obra, como disse o prefeito, diante do indefeso cofre municipal.
________________

4BebadosambaDebatedor culto, coerente e corajoso

Devo informar a Yan Santos, que me propõe discutir a questão “Camilo de Jesus Lima” com o professor Adylson Machado, ser impossível a tarefa. Quando Adylson (ex-roqueiro, professor de Direito e autor de, pelo menos, dois livros) fala, eu silencio. Culto, coerente e corajoso (eis uma inesperada aliteração!), ele está mais para ser ouvido do que contestado. Mas só a sugestão já me eleva, honra e consola. Comunista da Sibéria me emocionou com a citação de Paulinho da Viola (“Se lágrima fosse de pedra eu choraria”). Bebadosamba é um dos meus discos preferidos, que ganhei de uma “amiga secreta” de bom gosto, no Natal de 1996, ainda quentinho.

________________

Jornalismo genial e ditadura estúpida

5Tarso de CastroPor fim, não gostaria que passasse em branco a dica de leitura de Ricardo Seixas, o livro Memórias do esquecimento, de Flávio Tavares. Também acho pertinente o emprego de protetor auricular durante o Carnaval, mas esta é outra história… A referência me conduziu a dois outros livros de jornalistas: 75 Kg de músculos e fúria (Tarso de Castro – a vida de um dos mais polêmicos jornalistas brasileiros) e O sequestro dos uruguaios (Operação Condor – Uma reportagem dos tempos da ditadura), de Luiz Cláudio Cunha. São dois grandes momentos da vida brasileira: no primeiro, o jornalismo em tempos emoldurados pelo golpe militar; no segundo, a específica estupidez das ditaduras em nuestra America.

COMENTE! » |

(ENTRE PARÊNTESES)

Nas arquibancadas, assistindo a fumacinhas negras e brancas, torcedores verde-amarelos de eventos vaticanos lamentam o resultado do Habemus papam, como se fosse um jogo em La Bombonera: Argentina 1 x 0 Brasil. “Só nos faltava mesmo um papa argentino!”, lamentou-se um dos meus amigos mais pessimistas. Mas pior seria se pior fosse: dizem que o novo sumo não se chamou Maradona II porque Pelé, ao perceber a tendência, ameaçou fazer haraquiri na Praça de Maio. Entende?

BIBI FERREIRA E SUAS MALAS DE LIVROS

7Jane F.Levando duas malas de livros, Bibi Ferreira embarca para Nova Iorque, quando abril chegar. A artista vai comemorar o aniversário de 90 anos com uma apresentação no Lincoln Center, com ingressos disputadíssimos: a espevitada Jane Fonda (foto), que não é boba, reservou camarote no ano passado. A mala é de obras literárias, filosóficas e algumas partituras, publicações de que Bibi não se separa, textos que ela quer ter ao alcance da mão em qualquer tempo, em qualquer lugar. Uma curiosidade sobre a filha de Procópio Ferreira: estreou no palco com apenas 20 dias de nascida, em 1922, na peça Manhã de sol, no colo da madrinha Abigail Maia, mulher Oduvaldo Viana, padrinho do bebê.
_______________

Matrícula negada em colégio paulista

Com cerca de oito anos, Bibi começa a trabalhar na companhia do pai famoso e aos nove, por ser filha de artistas, tem sua matrícula negada no tradicional Colégio Sion, de São Paulo. Mas Procópio responde à altura: manda a filha para a escola em Londres, onde ela também estuda teatro. Em 1936, outra vez no Brasil, participa de filmes, como atriz e cantora, monta sua própria companhia (por onde passam Cacilda Becker, Maria Della Costa, Sérgio Cardoso e Henriette Morineau) e não para mais: canta, representa, produz. Uma das primeiras mulheres a dirigir teatro no Brasil, fez tevê, mas não  novela. Aqui, um corte de show da Globo, em 1992, comemorativo dos 50 anos da artista.

(O.C.)

MAIS DE 30 MIL “BALANÇAM O CHÃO DA PRAÇA” NA LAVAGEM DO BECO DO FUXICO

Bloco Te Amasso puxou multidão com a banda itabunense Tsunami (Foto Pimenta).

Bloco Te Amasso puxou multidão com a banda itabunense Tsunami (Foto Pimenta).

A Lavagem do Beco do Fuxico deste ano já entrou para a história como a maior de todas as edições já realizadas. Segundo cálculos do comando da Polícia Militar, mais de 30 mil pessoas participaram da festa que começou com o tombamento do ABC da Noite e terminou ao som da banda de Armadinho, Dodô e Osmar na Praça Adami, às 23h30min de ontem.

Na Lavagem do Beco com as baianas, crianças dão os primeiros passos (Foto Gabriel Oliveira).

Na Lavagem do Beco com as baianas, crianças dão os primeiros passos (Foto Gabriel Oliveira).

A Avenida do Cinquentenário, a Praça Adami, o Beco do Fuxico e transversais foram tomadas pela alegria contagiante do folião – seja ele o “pipoca” ou em bloco, puxados por atrações da casa, mas que fizeram grande sucesso, como o Tsunami.

E o público balançou o chão da praça no show de Armadinho, Dodô e Osmar (Foto Pimenta).

E o público balançou o chão da praça no show de Armadinho, Dodô e Osmar (Foto Pimenta).

Nem mesmo integrantes do Bloco Casados I…Responsáveis contiveram a alegria e desceram a avenida com o som de sua tradicional bateria. A diretoria do bloco, que antes havia informado que os Casados iriam silenciar os tambores em homenagem ao jornalista e fundador, Eduardo Anunciação, sentiu que reverenciar o mestre do jornalismo regional era descer a avenida e ser parte da alegria, juntando-se a Maria Rosa, Encantarte, Te Amasso, Chapolin, Mendigos de Gravata…

O chão ferveu…

No encontro da Cinquentenário com a Praça Adami, multidão à espera de Armandinho&Cia (Foto Pimenta).

Avenida Cinquentenário e Praça Adami: multidão à espera de Armandinho&Cia (Foto Pimenta).

Magalhães, da Bahiagás, o vice-prefeito, Wenceslau Júnior, e Caboclo Alencar no tombamento do ABC da Noite (Foto Gabriel Oliveira).

Magalhães, da Bahiagás, o vice-prefeito, Wenceslau Júnior, e Caboclo Alencar no tombamento do cinquentenário ABC da Noite, do Beco do Fuxico (Foto Gabriel Oliveira).

Os Casados I...Responsáveis decidiram ir para a avenida em homenagem a Eduardo Anunciação, jornalista e fundador do bloco (Foto Marcos Souza/Pimenta).

Os Casados I…Responsáveis decidiram ir para a avenida em homenagem a Eduardo Anunciação, jornalista e fundador do bloco (Foto Marcos Souza/Pimenta).

 

Confira dezenas de fotos de flagras e foliões clicando no :: LEIA MAIS »

TOMBAMENTO DO ABC DA NOITE ABRE LAVAGEM DO BECO DO FUXICO

Alencar e sua esposa Neuza, em frente ao ABC, que será tombado neste sábado.

Alencar e esposa, Neuza, em frente ao ABC.

A Lavagem do Beco do Fuxico, que acontece neste sábado, 9, terá uma atração especial: o tombamento, pela Prefeitura de Itabuna, do boteco ABC da Noite.

A solenidade, organizada pela Secretaria de Indústria e Comércio,  acontece às 12 horas, abrindo oficialmente a programação da Lavagem.

Fundado  há 50 anos por Alencar Pereira da Silva, celebrizado como Caboco Alencar, o ABC da Noite se tornou um símbolo de Itabuna.

O tombamento garante a preservação de uma parte importante da história e da memória de Itabuna, um local que é reduto da boemia e ponto de encontro de amigos, que se confraternizam em torno das lendárias batidas feitas pelo Caboco Alencar.

A Lavagem deste ano terá como uma das principais atrações a guitarra de Armandinho, que vai se apresentar na Praça Adami, a partir das 22h deste sábado. Com informações do Blog do Thame.

O CACIQUE DO BECO DO FUXICO

Alencar e sua esposa Neuza, em frente ao ABC

Alencar e sua esposa, Neuza, em frente ao ABC

Confete, serpentina e velhas marchinhas de carnaval tornaram este sábado, 2, Dia de Iemanjá, especialíssimo no Beco do Fuxico, reduto da boemia itabunense. No local, foi comemorado o octogésimo-segundo aniversário do Caboclo Alencar, alquimista de famosas e saborosas batidas.

A homenagem ao Caboclo foi organizada pela Alambique (Associação de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias Etc.) e Acate (Associação Cultural Amigos do Teatro). As entidades lançaram uma campanha pelo tombamento do ABC da Noite, bar administrado por Alencar Pereira, o “Cabôco”, há 51 anos.

A ideia é vista com simpatia pela administração municipal.

O CINQUENTENÁRIO ABC DA NOITE!

Caboclo e o ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

Nesta sexta-feira, dia 27, será realizada uma merecida homenagem aos 50 anos do ABC da Noite, no Beco do Fuxico, ícone da boemia itabunense, comandado pelo Caboclo Alencar e suas batidas de antologia.

A festança começa às 18 horas, com direito à inauguração de uma  placa comemorativa. A bebemoração vai reunir os amigos de Alencar, o que garante lotação completa no Beco e se discurso houver, só do Caboclo, com sua gloriosa sabedoria de botequim.

Durante o ágape, a Via Litterarum vai comercializar, a preço camarada, exemplares do livro O ABC do Caboco, do professor e escritor Adylson Machado.

Ah, o Ministério da Alambique adverte: se beber, não aporrinhe.

Do Blog do Thame

FESTA NOS 50 ANOS DO ABC DA NOITE

Do Blog do Thame

Caboclo Alencar no histórico ABC da Noite.

Dia 27 de julho é dia de festa no Beco do Fuxico, reduto da boêmia itabunense. O bar ABC da Noite, do Caboclo Alencar, estará comemorando 50 anos de fundação, com direito a inauguração de uma placa, iniciativa do advogado Gabriel Nunes, “abecezeiro” das antigas.

A clientela do ABC da Noite é formada  por  bancários, jornalistas, literatos, médicos, comerciários, servidores públicos, professores, estudantes universitários, enfim, os apreciadores de um bom  papo e das batidas sem igual na galáxia, sob as bênçãos do Caboclo Alencar, nascido Alencar Pereira da Silveira, em Sorocaba, interior de São Paulo, mas que mora em Itabuna desde os 3 anos de idade, portanto, um legítimo grapiúna.

Como diriam os colunistas sociais de antanho, o ABC da Noite, berço da fundação da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias, Etc., a Alambique, será pequeno  para receber tantos amigos do Caboclo e, per supuesto, de suas batidas, entre elas a antológica batida de maracujá.

A bebemoração começa às 18 horas.

O ABC DO CABOCLO FAZ 48 ANOS

O Caboclo e sua incomparável batida

A boemia itabunense está em festa. Nesta mesma data em que a cidade comemora seus 100 anos de emancipação, a sua  “barmácia” mais tradicional também faz aniversário.

Há 48 anos, o ABC da Noite tem sido o ponto de encontro de apreciadores das incomparáveis batidas do Caboclo Alencar, o filósofo-alquimista que prepara e serve a bebida de um jeito único, que só existe naquele cantinho da Rua Adolfo Leite, mais conhecida pela alcunha (bem mais interessante) de “Beco do Fuxico”.

De tão pitoresco, o ABC da Noite já virou assunto de livro, escrito por Adylson Machado e editado pela Via Literarum. Aliás, uma obra que todo itabunense deveria ler para aprender a também admirar as preciosidades humanas que existem nesta terra.

Nossos parabéns ao Caboclo!

CABOCLO ALENCAR E O ABC DO DIREITO

Fábio Luciano

VAI UM GOLE? Caboclo Alencar e a batidinha.

Esta aconteceu ontem à noite, durante o lançamento do livro Tribunal do Júri, do juiz Marcos Bandeira, no  Fórum Ruy Barbosa, em Itabuna: antes mesmo de começar a solenidade de lançamento da obra, o folclórico Cabolco Alencar, do ABC da Noite, se dirigiu até a tribuna onde estava o autor do livro e, de posse de um exemplar, não fez cerimônia:

– Doutor Marcos, vou quebrar o protocolo. Me dê um autográfo aqui, por favor, porque eu não gosto dessas filas chatas  e longas de autográfos.

Quando o juiz autografava o exemplar, o Caboclo saiu-se com mais uma:

– Com um livro desse, eu vou ser advogado de novo.

Fez-se um ar de espanto, mas o homem do ABC da Noite logo emendou:

– Porque eu já sou Doutor da Batida

Não houve quem segurasse o riso.

Em tempo: poucos foram os que não sorveram da deliciosa batida de maracujá do Cabôco, daquelas que você só encontra no ABC da Noite e cujas doses generosas foram servidas no coquetel de lançamento do livro.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia