WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba





fevereiro 2019
D S T Q Q S S
« jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  

editorias






:: ‘campanha salarial’

PARALISAÇÃO DOS FAZENDÁRIOS AFETA REGIÕES NORTE E NORDESTE DA BAHIA

Paralisações programas afetam postos da Sefaz nas regiões norte e nordeste || Foto Divulgação

Paralisações programas afetam postos da Sefaz nas regiões norte e nordeste || Foto Divulgação

Os fazendários paralisaram novamente suas atividades, nesta segunda-feira (6), em todos os postos fiscais e postos de atendimento da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz) nas regiões norte e nordeste da Bahia. Os postos estão vinculados à Diretoria de Administração Tributária na região Norte (DAT Norte) da Sefaz-BA. O movimento prosseguirá nesta terça (7) e segue calendário de lutas da categoria que se iniciou em outubro, segundo informou o Sindsefaz.

Estão paralisados os postos fiscais Angelo Calmon (Feira de Santana), Fernando Presídio (BA-PE, em Juazeiro), Heráclito Barreto (BA-AL, em Paulo Afonso) e Francisco Hereda (BA-SE, em Rio Real/Loreto). E os postos de atendimento nos SACs e inspetorias das cidades de Alagoinhas, Cruz das Almas, Feira de Santana, Irecê, Itaberaba, Jacobina, Juazeiro, Paulo Afonso, Santo Antônio de Jesus, Seabra, Senhor do Bonfim, Serrinha e Valença. Nestes locais não está havendo recepção ao público e nem agendamento.

Em outubro os fazendários paralisaram atividades nos dias 2 e 3 na Diretoria de Administração Tributária Sul (DAT Sul), que inclui ainda o oeste, sudoeste e extremo-sul do Estado. Depois, pararam nas regiões norte e nordeste, em 09 e 10. Seguiram com o movimento na Região Metropolitana e na capital, nos dias 17 e 18, culminando com uma paralisação geral em todo o Estado, no último dia 26.

Os fazendários reivindicam, de forma imediata, a convocação de concurso público para todos os cargos da Sefaz, mudança na GDF dos técnicos administrativos, aumento do valor do ponto da gratificação do grupo Fisco (Auditores e Agentes de tributos) e atualização da Indenização de Transporte, congelada há 10 anos.

SERVIDORES DE ITABUNA EM CAMPANHA SALARIAL

Karla Lúcia denuncia acúmulo de funções com atraso nas contratações no município (Foto Divulgação).

Karla Lúcia aponta sobrecarga com acúmulo de funções no município (Foto Divulgação).

Os servidores municipais de Itabuna têm reunião nesta manhã, no Centro Administrativo Firmino Alves, para tratar da campanha salarial 2013. Será a primeira rodada de negociações entre governo e servidores.

A reunião, além de cobrar reajuste salarial, também discutirá o corte de adicionais (insalubridade e periculosidade) e na pontuação dos fiscais da Fazenda e da Indústria e Comércio. A Mesa Permanente de negociações inclui secretários, servidores e o prefeito Claudevane Leite.

A presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserv), Karla Lúcia, revela sobrecarga dos servidores municipais, devido ao atraso nas contratações de servidores, via seleção pública. Os maiores prejudicados, segundo ela, têm sido funcionários de escolas e postos de saúde”.

PARALISAÇÃO NA TRIFIL

Cerca de 600 funcionários da Trifil de Itabuna cruzaram os braços por duas horas hoje.

Cerca de 600 funcionários da Trifil de Itabuna cruzaram os braços por duas horas hoje.

Funcionários da Trifil paralisaram as atividades por duas horas nesta quinta, 14, para pressionar a direção da empresa a negociar reajuste salarial e de tíquete-alimentação. A paralisação ocorreu das 14h às 16h.

De acordo com direção do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Têxtil e Calçadista do Sul da Bahia (Sintratec), os funcionários exigem tíquete de R$ 150,00 para todos os trabalhadores, reajuste de 20% e piso salarial de R$ 930,00. A Trifil emprega aproximadamente 2 mil trabalhadores na unidade em Itabuna.

PRESIDENTE DO SIMPI DIZ QUE PROFESSORES ESTÃO VIGILANTES

“Na calada da noite, as coisas acontecem”, disse em entrevista ao PIMENTA  a presidente o Sindicato Municipal do Magistério Público de Itabuna (Simpi), Normagnolândia Sant’Ana, sobre o minitrio e no calor da passeata na Avenida do Cinquentenário, centro, na sexta-feira, 13.  A líder se referia à vigilância que deve ser feita quanto à tramitação de projeto de reajuste salarial dos professores. A proposta foi protocolada na Câmara de Vereadores pelo prefeito Capitão Azevedo na noite do dia 10.

Na sexta, os professores desfilaram pela avenida em protesto que reuniu instituições sindicais dissidentes: a API/APLB e o Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi). Em faixas, cartazes e camisetas docentes municipais e estaduais chamaram a atenção de transeuntes e comerciantes para a luta salarial.  Confira a entrevista com Normagnolândia.

PIMENTA – O prefeito mandou à Câmara de Vereadores projeto de lei com reajuste para os professores na noite do dia 10. A greve continua?

 NORMAGNOLÂNDIA SANT´ANA – No dia 10, a categoria esteve no plenário e na presidência da Câmara com o vereador Ruy Machado. Acontece que o prédio estava às escuras. A Câmara até hoje (sexta-feira, 13) está sem energia. Nós professores estamos indignados com o percentual de 15% parcelado, sendo 8% para abril e 7% para o mês de setembro. Saímos em caminhada até a Praça Adami onde fizemos manifesto em protesto ao desrespeito do governo com a categoria.

Os professores vão aceitar o percentual no projeto que está Câmara ou vão tentar pressionar os vereadores a elevar isso?

O que pleiteamos? A gente tem um Plano de Carreira de 2003 que garante que reajuste para um nível seja para todos. O nível I é regulamentado pelo piso nacional do magistério, que é de R$ 1.451,00 para quem não tem nível superior. O que a gente quer é que se estendam os 22,22% aos níveis II e III pela linearidade estipulada no Plano de Carreira dos Professores Municipais.

Você sabe que temos de ficar de olho. Na calada da noite, as coisas acontecem…

Passado o dia 10 de abril, a lei eleitoral proíbe percentual maior que a inflação. O que fazer?

Estamos analisando a questão com o consultor jurídico do sindicato. Na segunda-feira, na assembleia, vamos ver como levar adiante o movimento grevista. Tivemos adesão dos professores estaduais, que exigem o cumprimento pelo governador da lei do piso, que não está sendo cumprida.

Em nível local, a Câmara não teve nenhuma sessão, não leu o projeto e nem deu conhecimento do conteúdo. Como vai ser?

A Câmara está às escuras e sem funcionamento. A partir de segunda-feira vamos lá ver como está a tramitação, se realmente foi dado entrada. Você sabe que temos de ficar de olho. Na calada da noite, as coisas acontecem…

AZEVEDO (PRA VARIAR) DÁ BOLO NOS SINDISERV

Já se tornou uma marca registrada do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, não comparecer a reuniões agendadas com o Sindicato dos Servidores Municipais. A desagradável mania se repetiu nesta manhã, quando haveria uma audiência para discutir a campanha salarial da categoria.

Segundo a assessoria, o prefeito não teve tempo para analisar a pauta apresentada pelo Sindiserv. O sindicato reivindica uma reposição de 10,6%.

Logo mais, às 17 horas, a entidade que representa o funcionalismo municipal se reúne em assembleia extraordinária no auditório do Sindicato dos Bancários. O objetivo, segundo a direção do Sindiserv, é discutir “o que fazer diante do descompromisso da Prefeitura para com a nossa campanha salarial”.

INACERES CONCEDE REAJUSTE DE 6,5%

Um acordo garantiu aos trabalhadores da indústria de palmitos Inaceres, em Uruçuca, reajuste salarial de 6,5%. Além do percentual, a unidade do grupo Agroceres melhorou outros itens da campanha salarial. Os trabalhadores também terão cesta básica de R$ 50,00 e auxílio-farmácia anual de R$ 300,00.

As negociações entre o sindicato que representa os trabalhadores, o Sindicacau, e a Inaceres levou exatos seis meses. “A mobilização dos trabalhadores foi fundamental para que a empresa melhorasse a proposta e pusesse fim à campanha salarial”, enfatiza o presidente do Sindicacau, Luiz Fernandes.

COMERCIÁRIOS INICIAM CAMPANHA SALARIAL

Os trabalhadores do comércio de Itabuna definiram a pauta de sua campanha salarial, tendo como principal ponto a reivindicação de um reajuste de 12%. Em assembleia, a categoria também aprovou outros itens que serão negociados com a representação patronal.

A lista inclui auxílio-creche de R$ 75,00, redução da jornada de trabalho, participação nos lucros e a definição de percentuais para as comissões pagas aos comerciários.

SERVIDORES DE ITABUNA AMEAÇAM ENTRAR EM GREVE

Os servidores da prefeitura de Itabuna podem entrar em greve por tempo indeterminado. Uma assembléia será realizada na quinta-feira, às cinco da tarde, na Usemi.

Os funcionários rejeitam a proposta da prefeitura de Itabuna, que ofereceu reajuste salarial de 4,11%. A categoria quer mais que o triplo do oferecido: 14,7%.

Leia mais

SINDSERV NÃO ACEITA REPOSIÇÃO DE 4,1%

Embora a Prefeitura de Itabuna tenha divulgado, unilateralmente, que fechou questão em torno do reajuste salarial de 4,1% para os servidores, o sindicato da categoria afirma que não há nada resolvido na campanha salarial. De acordo com a presidente do Sindserv, Karla Lúcia, o funcionalismo mantém o foco na reivindicação de 14,7% de resposição, mais 5,1% pendentes de um acordo fechado com o governo no ano passado.

Ontem, a Prefeitura distribuiu matéria informando que o prefeito Capitão Azevedo havia batido o matelo nos 4,1%. Vai encontrar problemas, já que o sindicato afirma disposição de presssionar “de todas as formas” por uma maior elevação.

Há outras reivindicações incluídas na pauta, como a de que os salários dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias seja correspondente aos repasses do Governo Federal.

RODOVIÁRIOS AMEAÇAM PARAR E ACUSAM PATRÕES DE MÁ-FÉ

O “cessar-fogo” entre o Sindicato dos Rodoviários de Itabuna e Região e as empresas Rio Cachoeira e São Miguel pode não durar muito. Em audiência no início da semana, na Procuradoria Regional do Trabalho, a entidade chegou a se comprometer a não promover novas paralisações até o dia 14 de maio. No dia 12, haverá audiência na Justiça do Trabalho, que julga quem possui legitimidade para representar a categoria, uma vez que outra entidade – o Sintracol – reivindica esse direito.

O Sindirod, presidido por Joselito Paulo, sustenta que tem representado os rodoviários de Itabuna nos últimos 61 anos e aponta manobra das empresas. “Eles querem enganar até o Poder Judiciário. Isso é má-fé!”, acusa o presidente, acrescentando que a categoria se encontra em estado de greve, com a possibilidade de parar o serviço a qualquer momento.

Assembleias foram marcadas para a próxima terça-feira (11), às 8h30min e às 16h30min, na sede do Sindirod, com a proposta de esclarecer os trabalhadores sobre pontos debatidos na negociação do acordo coletivo e, segundo comunicado da entidade, “informar sobre as manobras judiciais das empresas”.

Segundo Joselito Paulo, a greve será deflagrada “caso os empresários não apresentem em mesa de negociação contrapropostas sérias”. O sindicato aponta uma defasagem salarial de 30% nos últimos 12 anos, por isso pleiteiam esse percentual de reajuste, além da redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas, aumento do valor do ticket-alimentação, participação nos lucros, entre outros itens.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia