WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia





março 2019
D S T Q Q S S
« fev    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

editorias






:: ‘Canavieiras’

MUNICÍPIOS DO SUL DA BAHIA SOFREM COM A FALTA DE PROFISSIONAIS DO MAIS MÉDICOS

Mais de 100 municípios na Bahia sofrem com a falta de médicos

Moradores de pelo menos 110 municípios baianos estão prejudicados pela falta de profissionais do Programa Mais Médicos, que encerrou a inscrição na segunda chamada na sexta-feira (21).São cerca de 200 vagas que não foram preenchidas no primeiro edital publicado pelo Ministério da Saúde para contratação de médicos para substituir os cubanos, que foram chamados de volta após declarações do presidente eleito que faria mudanças no programa a partir de janeiro.

No sul da Bahia, conforme relação de remanescentes do Ministério da Saúde, as vagas não foram preenchidas nos municípios de Canavieiras, Dário Meira, Itagibá, Itaju do Colônia, Itapitanga e Pau Brasil, que juntos somam 85 mil habitantes, a maioria depende do atendimento ofertado na rede básica pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A esperança dos moradores é que no próximo edital apareçam candidatos para o preenchimento das vagas.

No extremo-sul, até a população de Teixeira de Freitas, município com cerca de 160 mil moradores, vem sofrendo com falta de profissionais. São cinco vagas remanescentes, segundo o Ministério da Saúde. As vagas disponibilizadas pelo programa federal também não foram preenchidas em Caravelas, Guaratinga, Itabela e Medeiros Neto.

Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou à assistência na Atenção Básica fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. O programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), levando assistência para cerca de 63 milhões de brasileiros. A remuneração para o médico é de R$ 11,8 mil livres dos impostos.

LÍDER DE FACÇÃO CRIMINOSA DE ILHÉUS É PRESO EM CANAVIEIRAS

“Marquinhos” tirou a barba para fugir da polícia || Montagem Pimenta

Líder de facção criminosa em Ilhéus e 4 de Espadas no “Baralho do Crime” da Bahia, Marcos Santos Rosa, de 24 anos, foi preso na manhã deste domingo (23), no município de Canavieiras, no sul da Bahia, com visual diferente do sempre conhecido.

Para tentar livrar-se de investigadores, “Marquinhos” não mais estava usando barba. Policiais do Pelotão Especial Tático Ostensivo (Peto) prenderam o acusado de homicídio e tráfico de drogas durante ronda no Jardim Burundanga.

Durante abordagem a Marquinhos, os policiais encontraram revólver calibre 38, munições e drogas. A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) havia incluído “Marquinhos” no baralho no qual constam os criminosos mais perigosos do Estado.

CANAVIEIRAS: PREFEITO FAZ GESTO DE ARMA E CHAMA CHEFE DA RESEX PARA BRIGAR “DE HOMEM PRA HOMEM”

Dr. Almeida faz gesto de arma e chama Joaquim para briga (no detalhe)

O prefeito Clóvis Almeida, o Dr. Almeida (PPS), surpreendeu alunos, professores e ambientalistas durante debate sobre a Reserva Extrativista de Canavieiras (Resex) ao chamar para a briga, “no meio da rua”, o chefe da Resex, Joaquim Rocha Neto.

O chefe da Reserva tentou mostrar que o prefeito se equivocada ao falar de reserva extrativista.

Dr. Almeida reagiu, fazendo gesto de arma com os dedos:

– Fui covardemente chamado de “Burro” por Joaquim. Só não entendeu quem não quis. Então, se ele tiver coragem de me chamar de burro no meio da rua, a gente resolve de homem pra homem – disse.

A cena foi gravada por um dos presentes no debate, nesta quinta (26), no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães. Confira o vídeo, abaixo.

ARTIGO | O PADRE SÓ PENSA NAQUILO!

Walmir Rosário

 

Das sandálias da humildade à Hilux, mas isso não é nada em que o Bispo Diocesano não possa dar um jeito!

Assim como em boa parte do Brasil, Canavieiras passa por seus percalços na vida econômica, com reflexos diretos aos cidadãos que por aqui trabalham, habitam, ou seja, tenham vida econômica ativa. O município, há muito não recebe investimentos públicos e privados substanciais, isto é fato reconhecido por todos, ou melhor dizendo, por quase todos, e nesta exceção está a Igreja Católica, quem sabe, só o seu pároco.

Recém-nomeado vigário e pastor das não tão muitas almas fiéis ao catolicismo que devota São Boaventura como Santo Protetor, nosso padre, representante de Deus nessas terras, já iniciou uma série de exigências para cumprir sua sagrada missão, entre elas, uma Hilux novinha em folha. É certo que a área ocupada pelo município de Canavieiras é conhecida pela extensão de muitas léguas de terra, dois distritos, vários povoados, muitas capelas.

Como dizem que Deus ajuda a quem madruga, o novo vigário escolheu um veículo de preço alto, cerca de R$ 150 mil, sem os descontos de praxe, que oferece todas as comodidades e luxo de fazer inveja à plebe ignara.

Naturalmente que custeada pelos fiéis, que bancarão talões de uma rifa de uma motocicleta, vendam ou não todos os bilhetes. E, para que fique sacramentado, do alto do púlpito, incita-os a agilizar as vendas.

Também nenhum cristão há de desconhecer que as estradas não são aquelas que nossos governantes prometeram, mas não cumpriram Deus sabe lá por que motivo, mas nem de perto chegam a ser intrafegáveis nos períodos chuvosos. Bastava uma simples visita à unidade da Ceplac, para saber como nossos valentes extensionistas driblam os buracos e atoleiros para chegarem às fazendas.

Em se tratando de igreja eu até diria que é o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa, logo ali na praça São Pedro no Vaticano. Um erro imperdoável de comunicação, justamente por quem vive e depende dela (além da filosofia, teologia, sociologia, antropologia, etc., etc.,) para pastorar os fiéis desgarrados do rebanho, sejam lá que motivos forem.

Mas, sem qualquer pretensão professoral, fica a dica (não sei se tão valiosa). Eu mesmo, de motu proprio, andei fazendo minhas pesquisas a respeito da realidade de nossas estradas e como fazem os moradores para se deslocarem. Na própria Ceplac, encontrei um velho colega, que me deu todas as explicações e como se deslocar por esse mundão de meu Deus que é Canavieiras: “Basta ser bom de volante e ter um Fiat Uno. Não precisa de mais nada, a não ser a proteção divina”, assegurou-me.

E acredito piamente no colega acima, que me lembrou ser o veículo utilizado pelo Padre Euvaldo Santana, um missionário, na essência da palavra, um Volkswagem Gol, que nunca lhe deixou na mão. Com o singelo carro, os católicos do interior nunca deixaram de receber os santíssimos sacramentos, do batismo à extrema unção, passando pelas missas, novenas e romarias. Nenhuma lama ou buraco atrapalhou seu mister.

Na minha pobre visão, o grande problema que hoje aflige a igreja católica é a formação dos padres, em sua maioria secular, ao contrário de antes, quando os regulares primavam no comando das igrejas. De forma rasteira, a diferença entre secular e regular está nos votos de pobreza, castidade e obediência, feitos pelos últimos, enquanto os primeiros se comprometem apenas em não contrair o matrimônio e manter o estado de solteiro.

Enquanto o regular está subordinado a uma congregação, um instituto, que administra, inclusive as finanças das paróquias, marcada pela convivência religiosa e social coletiva e obediência a um superior. Já os seculares, como disse, estão incardinados em igrejas particulares, reunidas em torno de uma diocese, arquidiocese, prelazia particular ou pessoal, com a possibilidade de fazerem fortunas, em detrimento das ações sociais.

As ações sociais são conhecidas da população pelos atos das congregações religiosas, que se preocupam, além de ministrar a palavra de Deus, o alívio da alma, também os ensinamentos para a vida, geralmente através da educação e da assistência social. As congregações religiosas mantêm colégios para todos, e seminários para a formação de novos sacerdotes. Entretanto, muitos deles após ordenados com os recursos da ordem, fazem a opção por serem seculares, com o objetivo de dirigir sua própria vida profissional.

Eu, sinceramente, não acreditava no final do mundo creditado à Bíblia Sagrada, mas, aos poucos, estamos sendo obrigados a nos conscientizar sobre as mudanças dos tempos. Parece até que voltamos aos tempos do absolutismo, em que os reis construíam palácios e exigiam dos súditos pesados impostos para mantê-los cada vez mais belos e dispendiosos, enquanto o povão de meu Deus passava fome em suas choupanas.

Das sandálias da humildade à Hilux, mas isso não é nada em que o Bispo Diocesano não possa dar um jeito!

Walmir Rosário é advogado, radialista e jornalista, além de editar o Cia da Notícia.

SERIA SÃO BOAVENTURA UM SANTO PERALTA?

Walmir Rosário || [email protected]

 

 

Pelo meu pensar, livre pensar, o líder desse padre de meia batina deveria ser o bispo e outras autoridades religiosas, de acordo com a hierarquia da Igreja Católica, merecedoras do nosso respeito, já que não tem o dele.

 

Não leve o título deste artigo como pejorativo. Pelo contrário. É enaltecedor das peripécias de que pode ser capaz, seja por inconformismo de sua nova casa ou pelo comportamento de seus seguidores. Há quem tenha levantado a tese de que seriam essas suas novas travessuras fruto da redução do número de devotos, haja vista o aumento geométrico dos protestantes, cada vez maior seguidores das velhas e novas denominações de igrejas.

Eu, com toda a sinceridade, não comungo esse estudo, se é que assim pode ser chamado, por não ter visto nenhuma base científica nesta pesquisa, que, de tão chula não pode, sequer, ser chamada de empírica. Acho que nem mesmo tenha saído de conversa de boteco, já quando os clientes se encontram fora do controle de suas faculdades mentais, devido aos efeitos do alto consumo das variadas bebidas alcoólicas.

Para não enrolar muito, explico nessas poucas linhas: É que me senti inconformado com o sumiço da placa de comemoração dos 300 anos de fundação da Paróquia de São Boaventura, há poucos recuados dias. E olha que não é todo dia que temos comemorações deste tipo, com a presença de altas autoridades civis e eclesiásticas, dada a importância do evento.

Acredito, mas longe de mim afirmar que o sumiço da placa tenha sido ação de oposicionistas religiosos intolerantes, do tipo do que estamos vendo todos os dias explodindo prédios e gente por esse mundo de meu Deus. Pelos meus cálculos, isso deve ser fruto de algum desses poucos ateus que habitam em Canavieiras e que agem com certa frequência conforme os ditames da anarquia.

E demonstro: Já no auge dos festejos, um painel que retratava os feitos e eventos históricos da Paróquia de São Boaventura apareceu com uma das fotos fora da ordem, ou seja, de cabeça pra baixo. Após a descoberta, não se discutiu muito o assunto, acho que por acreditarem sem importância, incapaz de levar qualquer mácula, ou pequena nódoa que seja. Tudo bem, passou em brancas nuvens, sem qualquer relevância.

Mas, com o sumiço da placa, os fiéis devotos de São Boaventura não se conformaram e passaram a questionar os pequenos atentados que devem ter a finalidade de desprestigiar tão brilhante homenagem. Mereceu até matéria jornalística investigativa do repórter Nei Amaral, da Costa Sul FM, que incomodaram setores da Igreja, e os motivaram a procurar tal profanada placa, finalmente encontrada num depósito no quintal da paróquia.

Se todos dão o caso por solucionado, volto a dizer que não comungo desse resultado. Mesmo sem ser historiador e não ter o conhecimento do mestre Durval Filho, nem dos memorialistas Raimundo Tedesco, Antônio Tolentino ou Beto Pescoço de Galinha, o que pouco passei as vistas dos acontecimentos pretéritos, a própria imagem de São Boaventura já fez algumas viagens sem a permissão dos dirigentes da Igreja.

Contam que trazida do Poxim para Canavieiras (sede), a imagem do seráfico doutor sumia da Igreja e voltava para o Poxim, caminhando pela praia, onde deixava seus passos impressos na areia. Lenda ou não, faz parte da h(e)istória e levanta a suspeita de que não estaria sendo tratado com a importância do “amável padroeiro”, daí voltando, vez em quando, para o local em que teria desembarcado do navio que o trouxe da Europa.

Ligando um ponto a outro, me lembrei da indignação de um católico fervoroso que não se conformava com o tratamento dispensado por um frade nascido em Canavieiras e que nem mesmo esperou a homilia e deixou a missa por acabar para embarcar num avião. O motivo alegado por esse padre de meia batina é que teria que embarcar para Curitiba, onde participaria de uma manifestação pro Lula, preso na Polícia Federal. Te desconjuro!

Até onde me remete os parcos conhecimentos sobre os votos e a ordenação sacerdotal, as obrigações religiosas estariam acima das mundanas, principalmente das políticas. Quem é que vai acreditar que um padre abandonou o altar para visitar um seu líder, preso por embolsar dinheiro de forma desonesta, como disse a Justiça? Mas me disseram: não ligue não, pois o Tribunal de Contas também não leva muita fé nas ações desse padre, quando na política. Tudo farinha do mesmo saco!

Pelo meu pensar, livre pensar, o líder desse padre de meia batina deveria ser o bispo e outras autoridades religiosas, de acordo com a hierarquia da Igreja Católica, merecedoras do nosso respeito, já que não tem o dele. Mas isso é assunto para o Direito Canônico e outros regulamentos religiosos resolverem se deverão ou não submeterem o dito cujo aos rigores da lei. Será que falta uma força tarefa do tipo Lava Jato na Igreja?

Para concluir, acredito piamente que esse sumiço da placa comemorativa e da colocação da foto de cabeça pra baixo no painel comemorativo foi um recado dado à população de Canavieiras pelo festejado arcebispo de Albano. Ainda mais quando ele é festejado nesta cidade em data antecipada, 14 de julho, quando a data correta é 15 de julho, que também deixou de ser comemorada por um bando de infiéis.

Castigo…na certa. Depois não reclamem das peraltices do Santo.

Walmir Rosário é advogado, radialista e jornalista, além de editor do Cia da Notícia.

CINQUENTÃO, “TABU” DEIXA DE CIRCULAR

A última edição do “Tabu”

Do Cia da Notícia

É o fim do caminho. Assim foi anunciado o fechamento do jornal Tabu, que circulou durante 50 anos de forma ininterrupta. A última edição saiu nesta quarta-feira (25), pegando os leitores de surpresa, pois esperavam festejar no próximo dia 25 de maio, Dia da Cidade de Canavieiras, o quinquagésimo aniversário do jornal, o que acabou não acontecendo.

Ao invés da festa comemorativa, o anúncio de primeira página comunicando o encerramento de uma vitoriosa caminhada de 50 anos. “Tabu sai de cena no momento em que o jornal impresso está se tornando página virada na história da humanidade”, disse o comunicado, informando, ainda, que a última edição, com 32 páginas, 16 delas é integrada por um caderno especial, com notícias e artigos relembrando o último meio século.

Nesse meio século de existência o Tabu teve um único editor, o jornalista Tyrone Perrucho, que em artigo disse que foi uma aventura e tanto! Ele ressaltou que nesse tempo (18 mil dias) foram 917 edições. “Agora, é só a despedida, com direito a algumas recordações das cerca de 13 mil páginas.
É certo que tal acervo constitui uma respeitável e bem diversificada fonte de informações sobre a Canavieiras dos últimos 50 anos”, ressaltou Tyrone.

Ao finalizar o seu artigo, Tyrone Perrucho disse: “Aos 73 anos de idade, já prestes a ser carimbado como produto de validade vencida, e se passado o tempo de se fazer justiça com as próprias mãos, seguirei respondendo às ações judiciais movidas contra o jornal e saboreando os lances mais notáveis, como os mais amargosos, dessa emocionante aventura”, escreveu.

Com o fim de Tabu, o jornalista Tyrone Perrucho já deu conhecimento aos amigos que passa agora, de vez, ao pleno exercício e gozo dos seus direitos de jornalista vadio. “Foi bom enquanto durou!”, finalizou.

CORPO DE “BOINHA” SERÁ ENTERRADO EM CANAVIEIRAS

Corpo de Boinha será enterrado nesta segunda, em Canavieiras

O corpo de Boaventura Nascimento, empresário e idealizador da Cavalgada do Boinha, será sepultado nesta segunda-feira (26), em Canavieiras, no sul da Bahia, às 10h. O corpo foi liberado ontem (25), após vários dias de confirmação de morte encefálica e espera para captação de órgãos, no Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus.

Boinha, como era conhecido, faleceu depois de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ter sido submetido a uma cirurgia. Um amigo relatou a este blog que os familiares autorizaram a doação de órgãos do empresário, mas o Estado foi lento e a doação acabou não se tornando possível. “Fica o gesto nobre da família”.

O APELO DOS CIRCOS INCOMODA

Walmir Rosário | [email protected]

 

A apresentação publicitária era uma pequena prévia do gabarito dos artistas circenses. Se agradava, o espetáculo era garantia de casa cheia, do famoso poleiro (arquibancadas mais altas), passando pelas cadeiras e até camarotes.

 

Hoje tem espetáculo? Tem, sim senhor! Hoje tem marmelada? Tem, sim senhor! Hoje tem palhaçada? Tem, sim senhor! Então, arroooooochaaaaa, negrada! Era assim o apelo publicitário dos circos na minha infância e adolescência. O palhaço com sua perna de pau, alguns anões, e outros personagens circenses que, todos a pé, circulavam pelas ruas da cidade, convidando o respeitável público para os shows.

Não tinham alto-falantes – no mínimo uma espécie de corneta com a aparência de um funil – mas tinham graça e sabiam arrastar uma galera de moleques, que como eu não resistiam ao charme do palhaço e sua trupe. Se bem que não era apenas o charme do palhaço que nos fazia acompanhá-lo, mas a possibilidade de assistir ao espetáculo, gratuitamente. Bastava o palhaço marcar o nosso braço com uma tinta apropriada.

Que publicidade melhor do que essa para “arrebanhar” assistentes para o grandioso espetáculo? O respeitável público comparecia em massa para conhecer a variedade de atrações, que iam do drama ao globo da morte. Ainda mais se fosse o Capitão Anthony. Palhaçadas, a emoção do trapézio, leões, macacos, elefantes, a mulher de borracha, e uma centena de artistas capazes de agradar aos mais variados gostos.

Mas, se o circo fosse mambembe, a alegria também contagiava a todos nós, que nos apresentava aos donos e artistas do circo, como parte dos personagens da publicidade volante. Para dar credibilidade e a garantia de público, até oferecíamos o roteiro a ser percorrido, principalmente passando pelas ruas cujos moradores seriam presença assegurada, dado ao poder aquisitivo favorável.

A comunicação era perfeita, sem muita zoada, apenas a garganta era suficiente para fazer com que as pessoas deixassem o interior de suas casas, aparecerem no passeio e soltarem boas e alegres gargalhadas. A apresentação publicitária era uma pequena prévia do gabarito dos artistas circenses. Se agradava, o espetáculo era garantia de casa cheia, do famoso poleiro (arquibancadas mais altas), passando pelas cadeiras e até camarotes.

Lembro-me até hoje da boa comunicação, feita por quem tinha o dom e a sabedoria da arte da publicidade, embora nenhum deles tenha passado em frente ou alisado os bancos de uma faculdade de marketing e propaganda. Simples, eles não queriam inventar a roda, apenas vender seu peixe bem vendido, com a competência de quem sabia e gostava do que estavam fazendo.

Nos dias atuais, em que falamos de boca cheia que temos e utilizamos tecnologia, parece que desaprendemos a boa prática de vender nossos serviços de forma eficiente, para termos eficácia no nosso negócio. Inventamos fórmulas mirabolantes que não levam a nada, a não ser a confusão na cabeça das pessoas. É o chamado “embromeicho”, “enroleicho” que ninguém entende ou gosta.

Pra começo de conversa, partem do princípio de que todos somos surdos – ou nos querem fazer surdos –, ligando os carros de som numa altura insuportável, nos obrigando a ouvir uma verborragia na voz execrável de um locutor horrendo e inconveniente. Se fosse só isso – que já é demais –, até poderíamos tolerar o incômodo, mas os carros de som percorrem, insistentemente, as ruas, um atrás do outro, deixando-nos martirizados.

Pensa que acabou, caro leitor: nem pense, pois sequer falei nas baterias de fogos, queimados a todo o instante, como se tivessem a intenção de deixar os shows pirotécnicos de Ano Novo em Copacabana no chinelo. Ledo engano, os fogos daqui somente fazem zoada, para o desespero de pessoas idosas, doentes, crianças e os animais.

Os donos dos circos Show Fantástico e Dayllon, ou seus gerentes, devem ter ouvido de alguém que em Canavieiras tudo começa e termina com a queima de fogos, daí que devem ter acreditado e torraram o dinheiro do mesmo modo que o poder público. Pelas minhas desconfianças, aí deve ter o dedo do jornalista Tyrone Perrucho, fogueteiro mor dos tempos que o fuzilar de fogos era sinônimo de recontagem de votos. Tudo passado e boa molequeira.

Esperamos que na próxima safra de circos que venham apresentar seus espetáculos ao nem tão respeitável público, receba, por parte do poder público municipal (meio ambiente) e do ministério público, as orientações sobre a legislação pertinente. Caso não acatem as recomendações, é o dever das nossas polícias civil e/ou militar enquadrar os infratores na forma da lei, como diz o jargão.

Tudo por uma questão de respeito.

Walmir Rosário é jornalista, radialista e advogado, além de editor do Cia da Notícia.

CANAVIEIRAS: DR. ALMEIDA GANHA SOBREVIDA NO TRE-BA

.

Dr. Almeida ganha sobrevida com mudança de relatoria de processo

A Região Online

Por falta de quórum qualificado, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) adiou, mais uma vez, o julgamento dos recursos do prefeito de Canavieiras, Clóvis Roberto de Almeida, conhecido como Dr. Almeida. A decisão do presidente do TRE, José Edivaldo Rotondano, foi anunciada na sessão de ontem (31.jan).

Pela manhã, o juiz Fábio Alexsandro Costa Bastos, relator, anunciou seu voto de aprovação das contas da campanha de Almeida. Mas não houve votação pelos demais desembargadores.

O prefeito foi acusado por adversários e pelo Ministério Público de esconder, nas contas apresentadas, uma nota fiscal de R$ 20 mil referente a combustíveis, importância que corresponderia a cerca de 80% de todo gasto de sua campanha.

O relator disse que a situação foi ajustada com o cancelamento da venda pelo posto de combustíveis e da Nota Fiscal. Como os processos estão juntos com duas outras ações de investigação judicial e de impugnação de mandato, requeria quórum qualificado.

Além disso, venceu o mandato do juiz Costa Bastos. Com o adiamento, o prefeito de Canavieiras fica no cargo aguardando julgamento que dependerá da recomposição da Corte e da nomeação de outro relator.

Almeida foi cassado por incorrer em diversas irregularidades, apontadas pelo Ministério Público, na eleição de 2016. Por não ter sido condenado em segunda instância, ele ainda administra o município do Litoral Sul baiano.

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O ENCONTRO DE COMPOSITORES DO SUL DA BAHIA

Encontro de Compositores vai promover mostras no Teatro Municipal de Ilhéus||Foto Maurício Maron

Começou a contagem regressiva para o Encontro de Compositores do Litoral Sul da Bahia.  As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até 19 de fevereiro, pela internet, no  www.encontrolitoralsul.com.br, por compositores de 26 municípios regionais. Com o objetivo de dar visibilidade às obras autorais de qualquer gênero musical, inclusive instrumental, o evento vai promover mostras no palco do Teatro Municipal de Ilhéus.

A curadoria, formada por músicos de reconhecida atuação na região, selecionará oito atrações da categoria individual e oito atrações da categoria banda autoral. Serão consideradas como critérios de seleção letra, harmonia, melodia, arranjo, originalidade e conjunto da obra nas músicas inscritas. Os selecionados serão conhecidos no dia 26 de fevereiro, e se apresentarão ao longo de quatro mostras musicais que acontecerão entre março e junho.

Podem se inscrever compositores dos municípios de Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barro Preto, Buerarema, Camacan, Canavieiras, Coaraci, Floresta Azul, Ibicaraí, Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Itaju do Colônia, Itajuípe, Itapé, Itapitanga, Jussari, Maraú, Mascote, Pau Brasil, Santa Luzia, São José da Vitória, Ubaitaba, Una, Uruçuca.

:: LEIA MAIS »

CAMACAN E CANAVIEIRAS PODEM TER REPASSES PARA A SAÚDE BLOQUEADOS

Canavieiras poderá ter verbas bloqueadas

O Ministério da Saúde divulgou mais uma relação de municípios brasileiros com irregularidades na alimentação do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) e que podem ter bloqueadas as verbas do Piso Fixo de Vigilância Sanitária em Saúde (PFVS) e do Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS). Na lista de ameaçados estão Canavieiras e Camacan. Os dois municípios deixaram de repassar as informações relativas ao bimestre setembro/outubro do ano passado.

As secretarias de saúde de Camacan e Canavieiras têm até 31 de março para sanar as irregularidades apontadas pelo Ministério da Saúde. Caso contrário, a partir de maio o repasse de parte dos recursos para ações na área de vigilância sanitária será suspenso. Além de regularizar a situação, os dois municípios não poderão acumular novas falhas.

Na Bahia, além de Canavieiras e Camacan, podem ter os repasses de recursos suspensos os municípios de Barra, Correntina, Luís Eduardo Magalhães, Macaúbas, Paratinga, Ribeira do Pombal, Santo Estêvão e Sento Sé. Paratinga e Pombal deixaram de repassar informações referentes ao bimestre outubro/novembro de 2016.

O município Macaúbas deixou de atualizar o banco de dados no período de agosto a outubro do ano passado. Já Secretaria de Saúde de Santo Estêvão não abasteceu o sistema de fevereiro a março. As demais localidades precisam fazer a atualização referentes ao bimestre setembro/outubro de 2017.

COQUINHO DE QUELÉ AINDA É LEMBRADO COMO UMA DAS DELÍCIAS DE CANAVIEIRAS

Tia Quelé recebe amigos e relembra fatos de Canavieiras

Uma unanimidade: assim era considerado o coquinho de Quelé, uma deliciosa mistura de cachaça com o coco, fabricado anos a fio na atual rua Dr. Edmundo Lopes de Castro, no bairro da Birindiba, em Canavieiras. E o delicioso produto etílico, àquela época, era consumido por pessoas das mais diversas faixas etárias – de mamando a caducando, como se diz –, bastando, para tanto, saborear um bom aperitivo.

Aos 89 anos, Dona Clemência Vieira Costa está aposentada deste afazer desde 2009, para desespero dos antigos e fiéis clientes, que relembram com água na boca as visitas ao Coquinho de Tia Quelé. Para uns, visita diária obrigatória – ao meio-dia para despertar o apetite, ou ao final da tarde para descansar de um dia estafante de trabalho e se encorajar para um banho frio –; semanais, às sextas-feiras, com a finalidade de abrir o fim de semana; e ainda tinha a turma do sábado ou do domingo.

Desculpas de biriteiros à parte, a fama do Coquinho de Quelé reunia representantes de todas as camadas sociais de Canavieiras por ser um local onde até os políticos adversários se encontravam e se comportavam com civilidade. Até mesmo os alunos do Ginásio Municipal Osmário Batista – uniformizados, inclusive – frequentemente pulavam o muro para beber um coquinho em Tia Quelé, como fazia o hoje bancário aposentado, Raimundo Antônio Tedesco, isso aos 15 anos de idade.

Coquinho de Tia Quelé, umas das delícias de Canes

Mais de 100 coquinhos eram produzidos mensalmente, sem contar as encomendas destinadas a parentes e amigos em Salvador, que recebiam os coquinhos para verdadeiros mimos para matar as saudades da terra natal. Além do coquinho, Tia Quelé também atendia aos mais diferentes paladares, oferecendo cachaça com folhas (folha podre, no ditado popular) e cerveja. Já os tira-gostos eram servidos por estabelecimentos vizinhos.

JEGUE AMARRADO NO BALCÃO

No Coquinho de Quelé também tinha a turma da saideira, que amarrava o jegue no balcão e só deixava a casa depois de pronto e acabado, embora para uma grande turma era o local do início dos “trabalhos”. Informa Tedesco, que o local era uma espécie de esquente para a turma ir à farra, após umas doses espertas do coquinho. “Dali cada um tomava o seu rumo”, conta Tedesco.

E Tia Quelé, que serviu e introduziu várias gerações ao mundo etílico e boêmio por várias décadas, finalmente aposentou e não deixou nenhum substituto à altura, como reclama um dos clientes mais assíduos, Nélson Barbosa (Nélson Amarelão). Essa também é a queixa dos canavieirenses que residem em outras cidades, que frequentemente visitam Tia Quelé em suas idas e vindas. Outro cliente com muitas encomendas era o ex-bancário Jaime Bandeira, para presentear os amigos em Salvador.

Até mesmo o bancário aposentado e ex-secretário municipal Antônio Amorim Tolentino, hoje fora das lides etílicas, quando relembra o coquinho de Tia Quelé diz que vem a saliva na boca. Para ele, além da alta qualidade do produto, a casa reunia a mais fina-flor da boemia, a exemplo de Arimar Chaves, Fred Érico Almeida, José Reis, Almir Melo, Tyrone Perrucho, Toninho Pereira Homem, Ériston Nascimento, dentre outros, que passavam os mais variados temas em revista.

Na opinião do jornalista Tyrone Perrucho, mesmo com todos o bares e botequins da cidade, a casa de Tia Quelé era uma parada obrigatória da boemia, lembrando a grande profusão desses estabelecimentos em Canavieiras. “De repente, ficamos órfãos com a aposentadoria de Tia Quelé. Ela representou para nós o mesmo que Caboclo Alencar, do ABC da Noite, simboliza para Itabuna”, retratou.

Tia Quelé faz pose com os embaixadores

HOMENAGEM

Mas o sentimento de perda do Coquinho de Tia Quelé deixou nos nostálgicos clientes está perto de ser satisfeita e, quem sabe, neste Carnaval possam matar as saudades do coquinho, numa edição especial de homenagem, com 50 coquinhos. Mais ainda, outra edição do coquinho está prevista para o dia 5 de junho, data em que Tia Quelé completa 90 anos de idade. Quem promete essa festa toda é o seu bisneto Paulo Henrique.

A intenção da família é relembrar uma das grandes tradições de Canavieiras criadas por Tia Quelé e que faz parte da memória da cidade e das pessoas que aqui viveram e foram apreciadores da iguaria. A notícia das edições especiais já despertaram alguns dos clientes mais assíduos, que tentam se inscrever numa lista de pré-venda e participarem das homenagens.

RECONHECIMENTO

Num expediente sabático na Confraria d’O Berimbau, entre as várias e simultâneas discussões, o Coquinho de Quelé foi apontado pelos confrades especialistas em assuntos etílicos como uma das maravilhas da vida boêmia de Canavieiras. Considerado um assunto dos mais relevantes, imediatamente foi programada uma visita de reconhecimento à Tia Quelé, com a formação de uma comissão de alto nível para a importante missão.

Nesta embaixada, participaram os jornalistas Tyrone Perrucho e Walmir Rosário, os bancários aposentados Raimundo Antônio Tedesco e Antônio Amorim Tolentino e o funcionário público aposentado Nélson Barbosa. O objetivo principal foi o de refrescar a memória das pessoas sobre uma pessoa que contribuiu para tornar Canavieiras uma cidade de cultura rica, notadamente na gastronomia e nas bebidas.

Tia Quelé, que criou e netos adotivos, se aposentou aos 81 anos e hoje vive com o bisneto Paulo Henrique. Aualmente tem dificuldades em reconhecer as pessoas, mas, com esforço, lembra de alguns fatos e amigos mais chegados, a exemplo de Raimundo Orelhinha e Wallace Mutti Perrucho. Apesar dessas condições, não perde o bom humor, mesmo quando reclama de algumas dores ao ficar sentada ou em pé. Mesmo assim não se fez de rogada ao ser chamada a ir para a porta para pousar na fotografia com os antigos clientes.

CGU DETECTA FRAUDE EM 1,3 MIL BENEFÍCIOS DO BOLSA FAMÍLIA EM ITABUNA E ILHÉUS

CGU detecta fraude no Bolsa Família em Itabuna e Ilhéus||Foto imagem ilustrativa da CGU

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) encontrou irregularidades em 760 benefícios do programa Bolsa Família em Itabuna e determinou o imediato cancelamento do pagamento. Outros 2.049 benefícios foram bloqueados até que os seus responsáveis façam o recadastramento para confirmação de dados.

Agora, a CGU investiga quem são exatamente as 760 famílias que recebiam o pagamento irregularmente. Por enquanto, sabe-se que são pessoas que passaram informações falsas sobre a renda no momento do cadastro pela Secretaria Municipal de Assistência Social. Itabuna tem 18.418 famílias recebendo Bolsa Família.

Em Ilhéus, 667 famílias contempladas irregularmente tiveram os cadastros cancelados e também estão sendo investigadas. Outras 1.706 tiveram o benefício suspenso e terão que fazer o recadastramento. Se condenadas ao final do processo, as famílias que receberam o Bolsa Família irregularmente terão que devolver o valor integral. Ilhéus tem 18.112 famílias cadastradas no programa federal.

OUTROS MUNICÍPIOS

No sul da Bahia, o pente fino da CGU detectou irregularidades no pagamento do Bolsa Família em praticamente todos os municípios. Foram cancelados benefícios localidades como Almadina (53), Aurelino Leal (61), Arataca (68), Barro Preto (57), Buerarema (67), Camacan (154), Canavieiras (127), Coaraci (147), Floresta Azul (42), Ibicaraí (117), Ibirapitanga (62) e Itacaré (106).

Também foram cancelados benefícios em localidades como Itagibá (69), Itajuípe (65), Itapé (34), Itapitanga (40), Jussari (51), Mascote (58), Pau Brasil (52), Santa Luzia (52), Ubatã (46), Una (119), Uruçuca (98) e Ubaitaba (75). Na Bahia, 55.675 famílias tiveram os cadastros cancelados e outras 172.288 foram bloqueadas. No segundo caso, as famílias terão um prazo para atualizar os dados e voltar a sacar o dinheiro. O processo de cadastramento e recadastramento é de responsabilidade dos municípios.

JUSTIÇA SOLTA ACUSADA DE PARTICIPAR DA MORTE DE TAXISTA DE CAMACAN

Acusada de envolvimento de morte de taxista é solta

A justiça concedeu liberdade para a mulher acusada de participar do sequestro e morte do taxista Alex Ferreira da Cruz, 38 anos, no dia 14 deste mês, informa a rádio Jaraguar FM. Iná Rocha de Souza, 21 anos, estava detida em Teixeira de Freitas desde o dia 16, quando policiais da Companhia de Ações Especiais da Mata Atlântica (Caema) localizaram ela e Alisson de Souza Vinhas, o “Biri”, 24 anos, em Mucuri.

De acordo com a rádio Jaraguar, a justiça acatou os argumentos dos advogados de defesa de que não existem provas de participação de Iná Rocha no assassinato de Alex Ferreira.  O carro do taxista, um Prisma de Placa PJI – 7649, foi encontrado em Arraial D’ajuda.

“Biri” acabou atingido em troca de tiros com policiais da Caema e não resistiu aos ferimentos. Já Iná Rocha não resistiu à prisão. O casal aparece em imagens de câmara de segurança de uma loja minutos antes de contratar o taxista Alex Ferreira para transportá-lo de Camacan para Canavieiras.  A corrida para morte foi feita no dia 15 deste mês.

O taxista foi encontrado morto no distrito de Ourucana, em Canavieiras.  O crime revoltou amigos e colegas de profissão de Alex, que era muito conhecido no sul e extremo sul da Bahia. Eles acreditam que  Iná Rocha teve participação no crime. Ela está grávida de sete meses.

CAIXA É ALVO DE PROTESTO EM CANAVIEIRAS

Bancários e representantes da comunidade participaram de manifestação || Foto Luiz Fernandes

Bancários e movimentos sociais fizeram protesto contra a decisão da Caixa Econômica Federal de fechar a única agência da instituição em Canavieiras, na Costa do Cacau, nesta quarta (29). Caso o fechamento se concretize, os correntistas e beneficiários de programas como Bolsa Família terão que se deslocar até Ilhéus, a 100 quilômetros, pois só dispõe de uma casa lotérica.

Lojas maçônicas e parlamentares federais interferem na questão para impedir que o fechamento se concretize. A Caixa Econômica justifica que a agência tem baixa demanda. A instituição passa por reestruturação em todo o país.

CAIXA SINALIZA TRANSFORMAR AGÊNCIA EM POSTO DE ATENDIMENTO EM CANAVIEIRAS

Bebeto teve audiência, em Brasília, com o presidente da Caixa, Gilberto Occhi

O fechamento da única agência da Caixa Econômica Federal em Canavieiras, anunciado para dezembro, foi discutido em audiência do deputado federal Bebeto Galvão (PSB/BA) com o presidente do banco, Gilberto Occhi, ontem (22), em Brasília. Segundo Bebeto, Occhi sinalizou a possibilidade de manter um posto da instituição na cidade.

Segundo o deputado, o fechamento significa perdas para o comércio e a população em geral, principalmente aquela que usa os serviços do banco para receber repasses de programas sociais ou da previdência, por exemplo. “Não custa lembrar que a agência da Caixa mais próxima está em Ilhéus, a mais de 100 quilômetros de distância”, afirmou Bebeto.

Desde que anunciado o fechamento da agência em Canavieiras, já foram realizados protestos pela população, sindicato dos bancários e CDL local. “Negociar a permanência da agência na cidade foi uma demanda que chegou até o nosso mandato e que, pela importância que tem o município em nossa região, não poderia deixar de comprar essa pauta aqui em Brasília”, finalizou o deputado.

CANAVIEIRAS: TCM REJEITA CONTAS E MULTA EX-PREFEITO

Almir teve contas de 2016 rejeitadas, mas pode recorrer

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) rejeitou, nesta quarta (22), as contas de 2016 do ex-prefeito de Canavieiras Almir Melo (PMDB). De acordo com a corte de contas, o peemedebista não deixou em caixa recursos suficientes para cobrir as despesas com os restos a pagar de exercícios anteriores, o que gerou um saldo negativo de R$802.398,27 nas contas públicas.

O ex-prefeito também extrapolou o limite máximo de 54% para despesas com pessoal, atingindo 63% da receita corrente líquida ao final do exercício. Almir também, segundo o TCM, não pagou duas multas de sua responsabilidade, no total de R$2.700,00. Pelas irregularidades, Almir foi multado em R$12 mil, além de mais R$43.291,44, que corresponde a 30% dos seus subsídios anuais, por não ter reduzido a despesa com pessoal.

Hoje, o TCM também julgou as contas de outros prefeitos e ex-prefeitos de quatro municípios – Castro Alves, Chorrochó, Guaratinga e Piripá. Cloves Rocha Oliveira, Rita de Cássia Campos Souza, Kenoel Viana Cerqueira e Sueli Bispo Gonçalves também tiveram contas rejeitadas e sofrerão representação no Ministério Público da Bahia para que seja apurada a ocorrência ou não de crime contra as finanças públicas. :: LEIA MAIS »

JUDOCA DE CANAVIEIRAS CONQUISTA OURO E BRONZE NOS JOGOS DA JUVENTUDE

A delegação baiana já conquistou 10 medalhas em Brasília|| Foto Dayse Faleta/Ascom Sudesb

O judoca Arnou Sena Netto, que estuda no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Canavieira, foi um dos destaques da delegação baiana que disputou a primeira etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude.  O evento esportivo, que está sendo realizado em Brasília, reúne atletas de 12 a 17 anos.

Os Jogos Escolares contam com a participação de mais de 2 milhões de atletas de 40 mil escolas públicas e privadas de 3.950 municípios brasileiros. As disputas por medalhas ocorrem em  14 modalidades esportivas, entre quais judô,  handebol, basquetebol, voleibol e futsal. Na primeira etapa do evento foram realizadas as modalidades individuais e os atletas da Bahia conquistaram 10 medalhas, sendo que duas com Arnou Sena Netto.

Os jovens baianos faturaram duas medalhas de ouro, uma de prata e quatro de bronze, na modalidade de judô; medalha de prata no vôlei de praia, dupla masculina; uma medalha de bronze, até então inédita, na luta olímpica (categoria por equipe mista) e mais uma de bronze no atletismo, na prova de 3.000 M. Os Jogos da Juventude  seguem até o próximo sábado (25).

CAIXA ECONÔMICA FECHARÁ AGÊNCIA EM CANAVIEIRAS

Rodrigo Cardoso: mobilização contra fechamento da Caixa em Canavieiras

A Caixa Econômica Federal decidiu fechar a agência de Canavieiras, a partir de 15 de dezembro. Agora os clientes que quiserem atendimento da unidade terão que se dirigir a casa lotérica. A agência mais próxima será no município de Ilhéus. O fechamento da agência foi justificado pela suposta “falta de demanda”. Os funcionários serão realocados em outras unidades.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Ilhéus, Rodrigo Cardoso, durante discurso na Câmara Municipal de Canavieiras, conclamou os vereadores a se envolver na luta contra o fechamento da agência. Os vereadores prometeram abordar o assunto em uma sessão especial para tentar trazer os deputados com atuação no município para o debate.

O Sindicato de Ilhéus, que visitou a agência para prestar solidariedade aos funcionários, de acordo com o seu presidente, buscará mobilizar a comunidade para tentar evitar o fechamento.

“Segundo informações, a agência é lucrativa, o que trago apenas para registro, pois o próprio esforço cotidiano dos funcionários para que a Caixa cumpra o seu papel de banco público e social e sua importância para o povo daquela cidade já justifica a manutenção da agência. Será uma batalha difícil, mas não temos a opção de não enfrentá-la”, afirmou Rodrigo Cardoso.

PARA MARÃO, AGENDA INTEGRADA FORTALECE TURISMO NA COSTA DO CACAU

Marão defende gestão integrada do turismo na Costa do Cacau

Marão defende gestão integrada do turismo na Costa do Cacau

Ao participar do Festival do Caranguejo, em Canavieiras, neste final de semana, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, defendeu o fortalecimento de um calendário regional que promova o turismo das principais cidades da Costa do Cacau, criando um roteiro que faça com que o visitante permaneça por mais tempo na região.

“As cidades têm singularidades que precisam obviamente ser respeitadas. Mas é importante transformar o que hoje é uma competição que mais divide do que multiplica numa oportunidade de negócio lucrativo para todos”, afirmou.

Ao lado da primeira dama Soane Galvão, o prefeito visitou estandes, participou da Cozinha Show e foi recebido pelo prefeito Clovis Roberto Almeida de Souza (Dr. Almeida) e pelo presidente da Câmara, Nilton Nascimento. “Esta forma de pensar do prefeito de Ilhéus, resgata, sobretudo, o processo de desenvolvimento econômico através de uma potencialidade viva da nossa região”, disse Nascimento.

Para Abel Lisboa, secretário de Turismo de Canavieiras, a saída para o desenvolvimento do setor no sul da Bahia, passa prioritariamente pela integração das cidades-polo: Ilhéus, Itacaré e Canavieiras.

CARNAVAIS

Marão lembrou que as duas cidades promoveram carnaval no mesmo período neste ano. “A gente dividiu público”, lembrou o prefeito Dr. Almeida. Para 2018, os dois prefeitos já anunciaram as datas da folia momesca e as cidades esperam ganhar muito com a atração do público regional, realizando a festa em datas diferentes. “Ilhéus vai realizar de 24 a 28 de janeiro. Canavieiras, de 1º a 9 de fevereiro”, exemplificou o prefeito de Canavieiras.

A retomada do Festival do Caranguejo reúne este ano 21 bares e restaurantes e promove shows com artistas nacionais e regionais. A Cozinha Show serviu para estimular a gastronomia local com o surgimento de novos pratos através da participação de chefs baianos, entre eles, de Ilhéus, com experiência e participação no Festival Internacional do Chocolate.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia