WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘Carlinhos Brown’

DAVID NASCIMENTO E EDSON CARLOS ESTÃO NA PRÓXIMA FASE NO “THE VOICE BRASIL”

David Nascimento passa por mais uma fase do The Voice || Reprodução

Cada um, cada um, de Ronaldo Barcellos, foi a canção que levou o músico itabunense David Nascimento para a próxima fase do The Voice Brasil (Rede Globo) nesta noite de segunda-feira (17). David foi a segunda escolha de Carlinhos Brown em noite em que 3 dos 4 candidatos do time avançaram para novas apresentações amanhã (18).

Além de David, passaram à próxima fase no time Brown Murilo Bispo, que cantou Tempo perdido, de Legião Urbana, como o escolhido do público, e Erica Natuza, com Eu sei, de Marisa Monte. Kelvin Bruno foi o eliminado da noite.

Novamente, elogios a David no programa. “Muito encantado com o talento de David Nascimento”, disse o técnico Carlinhos Brown. “É bonito ver o David cantando”, afirmou Michel Teló, que até falou do desejo de vê-lo cantando e tocando saxofone. Ainda nesta noite, outro nome que representa o sul da Bahia passou para a próxima fase. Edson Carlos foi o escolhido do público com mais de 43% dos votos. Capixaba, ele reside em Una e integra o time de Ivete Sangalo. Abaixo, confira parte da apresentação de David nesta noite de segunda.

COM NOITE DE ELOGIOS, DAVID NASCIMENTO GARANTE VAGA NA PRÓXIMA FASE DO “THE VOICE”

David Nascimento é bastante elogiado na fase Remix, do The Voice || Reprodução

Elogiado pelos técnicos da edição de 2018 do The Voice Brasil, o itabunense David Nascimento superou mais uma etapa no reality da Rede Globo no final da noite da quinta-feira (13). O músico interpretou I´m not the only one, de Sam Smith, na fase chamada Remix, quando o técnico salva um dos membros do time direto e um outro nome é escolhido na repescagem.

Não faltaram elogios para David após a apresentação da noite desta quinta. “É muito importante, David, que o Brasil saiba uma coisa que o The Voice descobriu em você, que é um saxofonista. Eu me sinto tão vitorioso em ter um artista como você no palco”, disse Brown, lembrando que David chegou ao programa dizendo que não cantava. “Você canta muito”, emendou o técnico.

Apresentador do The Voice, Thiago Leifert destacava, novamente, o sucesso do cantor de Itabuna. Ao final da apresentação, Leifert, junto com Brown, voltou a elogiá-lo. “Esse menino… A evolução dele é a mais clara, a mais absurda que a gente já teve aqui”. Já o técnico, afirmou que espera vê-lo cantando e tocando saxofone no palco.

Ainda representando um município do sul da Bahia, o capixaba Edson Carlos, que hoje mora em Una, foi salvo por Ivete Sangalo. E avançou direto para a próxima fase. Os próximos programas vão ao ar na segunda (17) e na terça (18). Abaixo, confira trecho da apresentação de David.

CANTOR DO SUL DA BAHIA VENCE DUELO NO “THE VOICE BRASIL”

Edson Carlos passa para a próxima fase do programa

O cantor e agricultor capixaba Edson Carlos, que atualmente mora na zona rural de Una, no sul da Bahia, venceu uma das batalhas no time de Ivete Sangalo, na noite desta quinta-feira (16), e passou para a próxima fase do programa The Voice Brasil, da Globo. O duelo foi contra Larice Barreto e os dois cantaram a música Apelido Carinhoso.

Na próxima terça-feira (21), será a vez do itabunense David Nascimento, do time de Carlinhos Brown, subir ao palco. Além de David e Edson, a cantora Jamille Alves também representa o sul da Bahia nesta edição do programa. Na estreia, a ilhenense brilhou cantando Joga Fora e, assim como o itabunense, escolheu Brown como técnico.

Veja como foi a apresentação de Edson Carlos.

BRENA GONÇALVES NA SEMIFINAL DO “THE VOICE”

Brena Gonçalves avança à fase semifinal do The Voice (Reprodução).

Brena Gonçalves avança à fase semifinal do The Voice (Reprodução).

Brena Gonçalves avançou à semifinal do The Voice Brasil (Rede Globo), há pouco, ao interpretar Ainda bem, de Liminha e Vanessa da Mata. Era a fase remix. Dos 17 candidatos, 12 foram escolhidos para a próxima etapa.

Ao interpretar Ainda bem, Brena não chegou a ser escolhida de primeira. Ficou para o finalzinho, quando cada um dos jurados poderia fazer a última escolha. Carlinhos Brown disse que seguia o coração. Brena vai para a próxima fase compondo o Time Brown. O cantor baiano ainda fez menção a Ilhéus.

ARRASTÃO COM DJs, IVETE E BROWN

Ivete participa de arrastão após show em SP.

Ivete participa de arrastão após show em SP.

No tradicional arrastão da quarta-feira (18) de cinzas em Salvador são esperados os cantores Carlinhos Brown e Ivete Sangalo.

Mesmo com a maratona de uma semana de festa nas ruas da capital baiana, muita gente amanheceu no circuito Barra-Ondina à espera do fechamento da folia, com as atrações sem cordas.

Ivete Sangalo, que costuma levar muitos convidados para o trio elétrico no arrastão, não divulgou antecipadamente seus convidados. Uma maratona com DJS abre a programação. Com informações do G1.

“RÉVEILLON SALVADOR” TERÁ 37 SHOWS

Vanessa da Mata está entre as atrações do réveillon em Salvador.

Vanessa da Mata está entre as atrações do réveillon em Salvador.

A programação de final de ano de Salvador foi anunciada hoje (16) com 37 shows e atrações como Vanessa da Mata, Ivete Sangalo, Jorge e Matheus, Vagner Tiso, Bob Sinclair, Saulo, Carlinhos Brown e Yamandu Costa.

O Réveillon Salvador começa dia 28 de dezembro e vai até o dia 4 de janeiro. A festa será realizada na Feira de São Joaquim, na Barra e na Praça Cairu. A festa de final de ano na capital baiana terá, além de muita música, teatro, dança e apresentações circenses.

A intenção dos organizadores do evento é também garantir, na Feira de São Joaquim, opções de gastronomia, antiguidades, artesanato e floricultura. O réveillon é organizado pelo município e tem patrocínios públicos e privados. Abaixo, no “leia mais”, confira a programação do réveillon.

:: LEIA MAIS »

THE VOICE: IVETE ELOGIA AMANDA E DIZ QUE ITABUNA “BOTOU PRA QUEBRAR”

Cláudia Leitte e Carlinhos Brown elogiaram a apresentação da itabunense Amanda Chaves, ontem, no quinto dia da “audição às cegas” no programa The Voice Brasil (Globo). A artista, chamada de voz “divina” por Leitte, interpretou Eu sou neguinha, e não foi classificada (veja aqui).

Pelo Twitter, cantora elogiou atuação da itabunense no programa global.

Pelo Twitter, cantora elogiou atuação da itabunense no programa global (Reprodução/Pimenta).

Pelo Twitter, a musa Ivete Sangalo foi além. Disse que Amanda Chaves brilhou. “Canta cheia de personalidade”, disse. E completou: “Itabuna botou pra quebrar”.

Nas redes sociais, o maior questionamento era quanto às razões para a eliminação da cantora, apesar do reconhecimento à qualidade vocal e de interpretação da itabunense que está residindo há três anos e meio em Niterói (RJ). Ontem, dois baianos avançaram à próxima fase do programa. Outros dois já estavam garantidos em outros dias de audições.

A APRESENTAÇÃO QUE TOCOU VANESSA DA MATA, BROWN E CLÁUDIA LEITE

Amanda Chaves se apresentou no quinto dia da "audição às cegas" (Reprodução).

Amanda Chaves se apresentou no quinto dia da “audição às cegas” (Reprodução).

A itabunense Amanda Chaves mora há três anos em Niterói (RJ). A cantora participou do The Voice Brasil (TV Globo) entoando Eu sou neguinha, de Caetano Veloso. A canção fez grande sucesso também na voz de Vanessa da Mata.

Pelo Twitter, primeiro Vanessa lembrou a verdadeira autoria de Eu sou… e fez menção à apresentação de Amanda. “Bom nortear passarinhos. Eu sou Neguinha é para ser celebrada por muitos, cantando sempre. São diferentes idéias quando homem ou mulher cantam”.

A apresentação da itabunense impressionou, mas Amanda não conseguiu avançar, embora tenha sido elogiada. “Muito charme, talento, clareza na voz. As canções de Caetano são muito claras, mas difíceis de pronunciar. Continue a sua onda, continue a sua carreira, em Niterói, Itabuna, Bahia, no mundo, porque você é muito grande”, disse Carlinhos Brown, um dos quatro jurados (técnicos) do programa.

Clique aqui para assistir à apresentação de Amanda

Cláudia Leite resumiu a apresentação de Amanda: “Divina”. A cantora esclareceu que Amanda não foi selecionada porque o The Voice é um jogo e cada um dos técnicos (o programa ainda tem Lulu Santos e o sertanejo Daniel) escolhe “um caminho, estratégia e as coisas fluem prum lado que, às vezes, não é o mesmo lado pra onde você está indo”.

VOCÊ SABE O QUE É “CAXIROLA”?

Autoridades e músico Carlinhos Brown, ao centro, apresentam a “caxirola”.

Ao mundo, a Copa 2010 apresentou a vuvuzela. No Brasil, será a vez da caxirola de Carlinhos Brown. O músico baiano apresentou a geringonça ontem, em Brasília, ao lado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

A caxirola é inspirada em outro instrumento, de origem africana, o caxixi, e faz parte de 96 projetos aprovados pelo governo brasileiro para promover o país durante a Copa do Mundo de 2014.

– Nós acreditamos que poderíamos aproveitar a proposta que foi sugerida pela África do Sul, que era a vuvuzela. Muitos reclamavam que era barulhenta, mas ela prenunciava a oportunidade de o torcedor ter a sua voz. Por isso, dentro do projeto Candeal 2014, nós criamos a caxirola – contou Carlinhos Brown ao site do Globo Esporte.

A caxirola é feita de plástico e ganhou as cores da bandeira nacional. O som produzido pela invenção “brauniana” é semelhante ao de um chocalho para bebê, porém mais potente.

BAIANO RETADO!

Esperando na janela está entre as músicas mais tocadas deste século nas emissoras de rádio brasileiras, segundo levantamento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad).

O ranking foi divulgado ontem, 25, véspera do aniversário do novo setentão da praça, Gilberto Gil, intérprete da canção que compôs trilha do filme Eu, tu e eles, estrelado por Regina Casé, Lima Duarte e Stênio Garcia. Confira videoclip da música.

Em tempo: O ranking do Ecad traz outra canção composta por um baiano. É Velha infância, de Carlinhos Brown, que liderou entre as mais tocadas deste início de século. Esperando na Janela ficou na quarta posição.

BROWN AMADURECEU!

Manuela Berbert | manuelaberbert@yahoo.com.br

Brown amadureceu. E provou isso quando disse à imprensa, antes de partir para Los Angeles, que o prêmio era um grande acontecimento, mas uma festa de outro país.

Percussionista renomado, Carlinhos Brown é conhecido como o Cacique da Bahia. Foi um dos criadores do samba-reggae e em 1989 fez parte da banda de Caetano Veloso, estourando tanto no Brasil quanto no exterior com a música Meia lua inteira. Aventurou-se como compositor, conquistou o Troféu Caymmi, um dos mais importantes da música baiana, e rodou o mundo com João Gilberto, Djavan e João Bosco. Talentosíssimo, porém, bastante polêmico. E isso assustava até os fãs mais fiéis.

Lembro dele à frente da Timbalada, ainda na década de 90, quando projetou a banda nacional e internacionalmente. Elevou a autoestima do Candeal, onde nasceu, e norteou a vida de muitos jovens do bairro, onde ainda desenvolve projetos sociais.

Conheci um jovem timbaleiro em terras sergipanas, onde nos tornamos amigos. Numa ocasião, já em Itabuna, contou-me que o cantor estava em clima de despedida da Timbalada. Quando questionei o seu futuro na banda, respondeu-me que ficaria onde o Cacique determinasse, e toca na banda solo de Carlinhos Brown até hoje.

Confesso que fiquei surpresa com tamanha devoção, já que o cantor que eu conhecia, até então, era exagerado em tudo: ele gritava demais, pulava demais, xingava demais, era alvo de críticas, vaias etc.

Mas foi a partir do Projeto Tribalistas, um trabalho desenvolvido com Marisa Monte e Arnaldo Antunes, em 2002, que Brown começou a amadurecer. Prêmios, milhões de cópias vendidas e um homem mais comedido, num tom de voz mais baixo e frases conectadas entre si.  Acho que de lá para cá ele só cresceu profissionalmente: carreira internacional com base sólida na Europa, shows, produções de discos, de trilhas para espetáculos de dança, filmes, dentre outras produções.

Se a indicação ao Oscar fosse em 1998, ano em que Carlinhos ficou nu em cima de um trio elétrico no Carnaval de Salvador, o Brasil teria ficado tenso, receoso do que ele poderia “aprontar”. Mas Brown amadureceu. E provou isso quando disse à imprensa, antes de partir para Los Angeles, que o prêmio era um grande acontecimento, mas uma festa de outro país, e que a sua realidade era o chão da Bahia. Talvez estivesse prevendo a sabotagem da qual foi vítima no tão sonhado tapete vermelho. Salve Brown!










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia