WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘Carlos Burgos’

BURGOS VOLTA A DAR AS CARTAS

Fora do noticiário desde quando assumiu a pasta de Ações Governamentais, o advogado Carlos Burgos voltou a ser ouvido pelo prefeito Capitão Azevedo (DEM).

O ex-secretário da Fazenda foi quem orientou Azevedo a nomear Geraldo Briglia para a presidência da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa). Tudo com apenas um objetivo: preparar a privatização da empresa.

Carlos Burgos, lembremos, é acionista da Emasa e desde os dois últimos governos de Fernando Gomes sempre esteve à frente das mobilizações de bastidores para vender a empresa pública.

MARIA ALICE NA CADEIRA DE BURGOS

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) prepara o golpe fatal no ex-todo poderoso Carlos Burgos. O advogado vai durar menos que o esperado no cargo de secretário de Assuntos Governamentais e Comunicação Social. A Pasta será assumida – em breve – pela nova articuladora política do governo, Maria Alice Pereira, hoje presidenta do DEM.

Alice, que não perde tempo, já promoveu reuniões e foi apresentada como nova secretária do governo numa reunião só com membros do primeiro escalão. Tudo longe dos olhos e ouvidos de Burgos, naturalmente…

BURGOS EXIGE SALA

Depois do vexame de ver exposta na mídia a sua situação de secretário sem sala, o titular da Secretaria de Governo da Prefeitura de Itabuna, Carlos Burgos, deu o famoso “par de gritos” no prefeito José Nilton Azevedo. Burgos exigiu que o alcaide lhe conseguisse algum lugar para desenvolver suas importantes atribuições na gestão municipal e o “chefe” do executivo atendeu na hora.

O problema está na física, pela qual dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no tempo e no espaço. Ou seja, alguém teve que ser desalojado para dar o lugar reivindicado pelo manda-chuva do governo Azevedo.

A vítima foi o jornalista Ramiro Aquino, que se retirou da sala que abrigava a equipe do cerimonial da Prefeitura e mudou-se para um cômodo na Assessoria de Imprensa.

AZEVEDO DEIXA BURGOS SEM GABINETE

Situação das mais constrangedoras – e deprimentes – vive o ex-todo poderoso Carlos Burgos, antes secretário das Finanças e hoje titular da Secretaria de Assuntos Governamentais e Comunicação Social.

Desde quando assumiu a nova pasta, Burgos ainda não deu expediente. Não foi culpa dele.

Na semana passada, o advogado foi ao gabinete, mas não havia nem mesa nem cadeira. Ficou em pé e zanzando entre uma sala e outra.

A situação se repetiu nesta segunda-feira, 14. Burgos, pra lá dos 60 anos de idade, pensa em evocar o Estatuto do Idoso contra o prefeito Capitão Azevedo (DEM).

O cenário seria inimaginável há quatro, três meses, quando o advogado era quem dava as cartas na prefeitura e possuía a chave do cofre.

AUMENTOS EXTORSIVOS DO ALVARÁ E DO IPTU AMEAÇAM INVESTIMENTOS PRIVADOS EM ITABUNA

Empresários planejam forte reação contra aumento extorsivo (Foto Pimenta).

A economia de Itabuna poderá sofrer já neste início de ano os impactos da alta carga tributária imposta pelo governo municipal. Empresários veem um cenário de fuga de investimentos e perda de receitas com as distorções geradas pela implementação do novo Código Tributário, que impõe aumento de até 6.000% do alvará de funcionamento (TFF) e de 250% do IPTU.

Dezenas de empresários participaram de uma reunião da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (ACI) nesta noite de segunda-feira (31) e defenderam uma revisão do código, além de medidas de protesto, a exemplo do fechamento de lojas por duas horas, e Mandado de Segurança contra a validade do Código Tributário.

“Se tivéssemos empresário lá dentro [da prefeitura], a situação não estaria assim”, bradou o presidente da ACI, Eduardo Fontes, que ainda crê na possibilidade de diálogo com o município. Uma reunião definitiva está marcada para a próxima quinta-feira, 3, com a participação de representantes do setor, do secretário Carlos Leahy (Indústria e Comércio) e do prefeito Capitão Azevedo (DEM).

EMPURRANDO COM A BARRIGA

Jorge Braga, da CDL.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itabuna (CDLI), Jorge Braga, está propondo à prefeitura a revisão completa do Código Tributário, embora revele desconfiança neste ponto. “O governo diz que existe disposição para o diálogo, mas não estou vendo ação. Prometeram prorrogar o vencimento do alvará [de funcionamento, a TFF], mas até agora não existe nada”, reclama Braga.

O dirigente da CDL revelou ao PIMENTA o seu temor de que o IPTU seja outra bomba a estourar neste início de ano. O tributo municipal terá os valores revistos em relação a 2010. Os carnês ainda não foram lançados. O imposto terá aumento médio de 250%, segundo cálculos de especialistas que conseguiram analisar a lei de reforma do Código Tributário.

SUBSERVIÊNCIA DA CÂMARA

Fontes: reclama contra desrespeito do governo (Foto Geraldo Borges).

As mudanças tributárias foram aprovadas pela Câmara de Vereadores em outubro do ano passado. O presidente da Associação Comercial de Itabuna lembra como foi o processo. “Nós não fomos ouvidos. Fomos desrespeitados. Chegamos lá e estava o secretário de Finanças conversando com os vereadores. Foi triste”, enfatiza.

A sessão que aprovou o código extorsivo ocorreu na sala das comissões técnicas da Câmara. Os vereadores votaram sob a pressão do ex-secretário de Finanças, Carlos Burgos. O presidente do Sindicato do Comércio (Sindicom), José Adauto Vieira, vê a reunião da próxima quinta-feira, 3, como decisiva para definir qual será o comportamento do empresariado em relação ao governo.

EXEMPLO DE ARROCHO

Poucas vezes se viu o empresariado tão enfurecido com o governo local como agora. Almir Oliveira Silva é dono de uma distribuidora de gás de cozinha. O faturamento bruto da empresa em 2010 foi de R$ 496 mil, mas a sua empresa ficando com apenas R$ 72 mil. A taxa do alvará de funcionamento (TFF), no entanto, saltou de R$ 51,23 no ano passado para R$ 1.500,00 neste ano.

:: LEIA MAIS »

BURGOS QUER A SECRETARIA DE ASSUNTOS GOVERNAMENTAIS

Carlos Burgos (aqui em campanha eleitoral, de bandeira em punho) faz de tudo para se equilibrar no governo

Procede a informação publicada no blog Políticos do Sul da Bahia de que o secretário da Fazenda de Itabuna, Carlos Burgos, pode ir para a pasta de Assuntos Governamentais e Comunicação. Segundo o PIMENTA apurou, o ato de exoneração de Burgos está preparado desde a semana passada, mas ele e o prefeito José Nilton Azevedo ainda conversam sobre o “day after”.

Azevedo pretende nomear Geraldo Pedrassoli, atual presidente da Fundação Marimbeta, para o comando da Fazenda. O prefeito, no entanto, não quer (ou não pode) desprezar Burgos e ofereceu a ele inicialmente a Procuradoria Jurídica, cargo que o secretário recusou, porque sua nomeação significaria a exoneração da atual procuradora, Juliana, sua própria filha.

Mas Burgos, que antes afirmava que sairia da prefeitura “diretamente para seu escritório de advocacia”, parece querer prolongar sua permanência na vida pública. Tanto que pediu a Azevedo a Secretaria de Assuntos Governamentais e Comunicação, e o prefeito está bastante inclinado a ceder.

Um conselheiro, entretanto, sugeriu a Azevedo que só atenda parte do pedido. A ideia, como antecipou o já citado Políticos, é de fato promover uma reformulação na pasta, retirando de sua esfera de controle a área da Comunicação. Burgos, assim, ficaria somente com a Secretaria de Assuntos Governamentais, responsável, entre outras coisas, pela relação do governo com instituições da sociedade civil e articulação política.

Resta saber se a Comunicação será incorporada a outra secretaria ou se ela mesma vira uma secretaria independente. Esta última hipótese é menos provável, já que a atual tendência da gestão municipal é a de reduzir o número de cargos do primeiro escalão.

O atual secretário de Assuntos Governamentais e Comunicação é o jornalista Ramiro Aquino, que também responde pela chefia do cerimonial do governo.

EM BUSCA DE UMA SINECURA

Tempos atrás, o secretário da Fazenda de Itabuna, Carlos Burgos, andou dizendo que sairia em breve do governo, partindo diretamente, sem escalas, para seu escritório de advocacia. Burgos adora dar a impressão de que o cargo público é um fardo, que ele carrega em nome de um puro e verdadeiro amor a Itabuna.

Não é o que o secretário demonstra neste momento, quando a sua saída da Fazenda é dada como favas contadas. Ao prefeito José Nilton Azevedo, o secretário afirmou que deseja outra pasta no primeiro escalão, o que deixou o chefe do executivo na maior saia justa.

“Desapego” é isso aí!

PRESENÇA MARCANTE

Não passou (nem poderia) despercebida no plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna nesta manhã a presença de duas figuras carimbadas da política local: a empresária Maria Alice Pereira e o advogado e secretário da Fazenda do município, Carlos Burgos.

Ela, conhecida eminência parda dos governos Fernando Gomes. Ele, o homem que manda e desmanda na gestão atabalhoada do Capitão Azevedo. No plenário, os dois juntos sinalizavam que a aproximação entre o ex-prefeito e o atual ainda é grande.

E alguém duvida?

GILSON, AZEVEDO E O PT

Gilson vinha tomando posições contrárias ao prefeito, principalmente no campo político, onde o terreno é movediço e traiçoeiro.

Marco Wense

Na sucessão municipal de 2008, o então candidato Capitão Azevedo, do Democratas (DEM), teve a sorte de contar com um tripé – Gilson Nascimento, Carlos Burgos e Josias Miguel – que terminou sendo imprescindível para sua vitória.

Cada um no seu cada qual, fazendo o que sabia fazer. Carlos Burgos, o advogado, cuidando dos entraves jurídicos inerentes ao processo eleitoral. Josias Miguel, o publicitário, dando conta do recado. E Gilson, o sargento, cuidando das negociações políticas.

É bom lembrar, até mesmo por uma questão de justiça, que Josias também participou, com bastante desenvoltura, da aproximação do candidato Azevedo com os partidos e suas respectivas lideranças.

Com a eleição do Capitão Azevedo para prefeito de Itabuna, Gilson Nascimento, Carlos Burgos e Josias Miguel viraram secretários, respectivamente de Administração, Finanças e Ações Governamentais.

Josias Miguel deixou o governo. Não saiu atirando. Mas totalmente decepcionado com o prefeito, principalmente com sua pouca autoridade diante dos que ocupam cargos de confiança.

Agora é a vez do “rebelde” Gilson Nascimento. Sua saída provoca um vácuo político no governo, um desmoronamento no diálogo com os partidos, lideranças partidárias e comunitárias.

O prefeito José Nilton Azevedo não ficou surpreso com o pedido de exoneração do colega de farda. Em conversas reservadas, o chefe do Executivo já teria dito que a situação de Gilson era insustentável.

Na cúpula do azevismo, a opinião que prevalece é a de que o sargento Gilson vinha tomando posições contrárias ao prefeito, principalmente no campo político, onde o terreno é movediço e traiçoeiro. Gilson seria o protagonista-mor de um “governo paralelo”.

O prefeito-capitão e o secretário-sargento continuam amigos. A sintonia política acabou. Cada um vai seguir o seu rumo. Integrantes do diretório do PT de Itabuna não descartam a possibilidade de Gilson apoiar Geraldo Simões (ou Juçara Feitosa) na sucessão de 2012.

REMANESCENTE

O ex-marinheiro Raimundo Vieira, que tem suas hilariantes histórias contadas pelo empresário “Mané Cem”, é o mais fiel remanescente do fernandismo. É companheiro de todos os minutos do ex-prefeito Fernando Gomes.

Somente três pessoas participaram da primeira reunião com Lúcio Vieira Lima, presidente estadual do PMDB, para tratar da campanha de Renato Costa à Assembleia Legislativa do Estado: Fernando Gomes, Juvenal Maynart e Raimundo Vieira.

Entre o ex-alcaide, que é o presidente de honra do PMDB de Itabuna, e o aposentado Raimundo Vieira, ex-proprietário de empresa funerária, existe uma recíproca e inabalável confiança.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

CAPITÃO CALOTE

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) é presidente de honra da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc). Isso não evita que a prefeitura de Itabuna deva cinco meses à entidade. Na ponta do lápis, dá R$ 25 mil em dívida.

A administração da Amurc já teve várias audiências com o prefeito, a fim de quitar o “prego”. Durante a reunião, Azevedo promete pagar, aciona o secretário da Fazenda, Carlos Burgos, autoriza a transferência, faz o maior arerê… Mas dinheiro que é bom, “necas”.

GILSON NASCIMENTO MANDA RECADO PARA ADVERSÁRIOS INTERNOS

Um grande cartaz preto, com letras brancas e garrafais, estava afixado na manhã desta segunda-feira, 04, na entrada da Secretaria da Administração, em Itabuna. Nele, a frase: “Não importa o temporal, o bem sempre vencerá o mal”. Quem assinou e mandou expor ao público foi o próprio secretário, Gilson Nascimento.

O recado, em plena ressaca eleitoral, tem motivo e alvos certos. Guarda relação direta com a divisão que se formou dentro do governo e que produziu  um desgaste que quase levou o secretário a pedir exoneração no mês passado.

Nascimento engajou-se na campanha de Luiz Argôlo (PP) para deputado federal, enquanto o secretário da Fazenda, Carlos Burgos, trabalhou em prol de Roberto Britto, também do PP.

E Burgos não estava sozinho na campanha de Britto. Seus filhos, encastelados na Procuradoria-Geral do Município e na Emasa, também entraram de cabeça no apoio ao político de Jequié. Outros que embarcaram nesse time foram o Soldado Pinheiro e o chefe do setor de veículos da Prefeitura, Rolemberg Santos.

Os dois candidatos foram eleitos, mas, apuradas as urnas itabunenses, deu Argôlo com 4.289 votos e Britto com apenas 1.823. Uma “lavada” do secretário da Administração, que não dispensou a cutucada na turma que opera para derrubá-lo. Na linha do “vocês vão ter que me engolir!”

CÂMARA DE ITABUNA CHEGA AO MAIS BAIXO NÍVEL

Walmir Rosário

Hoje, as decisões tomadas na Câmara são decididas nos porões do Centro Administrativo, mais exatamente na Secretaria da Fazenda.


Volta e meia a Câmara de Itabuna desce às profundezas do ridículo e se atrela ao Poder Executivo sem nenhuma cerimônia. Nesta terça-feira (28), os vereadores receberam determinação de votar, sem nenhum atraso, o projeto do Código Tributário neste mesmo dia, sem qualquer aviso prévio.

Era uma ordem emanada do todo-poderoso Carlos Burgos e o presidente Loiola se esforçava para cumprir. O ocorrido foi mais um fato ridículo patrocinado pelo presidente do Legislativo, e somente não seguido à risca porque não contavam com a “teimosia” do vereador Claudevane Leite (Vane do Renascer), relator do projeto, que ainda não tinha elaborado o seu relatório.

De cara, Vane não se submeteu aos caprichos do Poder Executivo, cujo representante, o secretário da Fazenda, Carlos Burgos, foi a plenário, e tal como um feitor, passou a cobrar a celeridade requerida por ele dos nem tão ilustres edis. O relatório será apresentado na quinta-feira, quando os “carneirinhos”, pacificamente, cumprirão as ordens do “pastor”.

Melhor seria chamá-los [os vereadores] de lobos travestidos de carneiros, haja vista a fantasia que ora vestem. Hoje, como é de conhecimento público, as decisões tomadas na Câmara de Itabuna são decididas nos porões do Centro Administrativo, mais exatamente na Secretaria da Fazenda, local que serve de esconderijo ao presidente Loiola.

A Câmara de Itabuna nunca foi “uma Brastemp”, mas em cada mandato é respeitada por alguns de seus membros. Numerá-los, aqui, ficaria difícil e poderíamos cometer alguns esquecimentos. Mas, nos últimos tempos, não poderemos deixar passar “em branco” nomes como Orlando Cardoso, Edmundo Dourado, Ramiro Aquino (por pouco tempo), dentre outros, que nunca transigiram nos seus princípios, embora se mostrassem bons negociadores políticos.

Hoje, temos alguns vereadores do mesmo naipe, Vane e Wenceslau são dois deles. Com isso não quero dizer que os demais não exerçam seus mandatos com dignidade, mas estão abertos a negociações políticas sem alguma observância aos princípios partidários ou a interesses pessoais. Isto é fato e nunca vi nenhum deles negar.

Os vereadores de Itabuna não dão demonstração das responsabilidades por eles assumidas junto aos eleitores e sequer respeitam a Constituição Brasileira, que em seu artigo 2º confere como cláusula pétrea, a independência entre os poderes. E nossa lei magna vai além ao conferir outras seguranças, a exemplo da estipulada no artigo 29, VIII, que concede “inviolabilidade dos vereadores por suas opiniões, palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Município”.

Na Câmara de Itabuna os papeis se inverteram e é o Poder Executivo quem faz o papel de fiscalizador. E mais deplorável: tal como uma boiada, os vereadores se encaminham docemente ao matadouro. Vale o imediato, o interesse pessoal, as migalhas jogadas pelo dono do palácio aos esfomeados, que vão entremeando novos favores com a prestação de novos serviços.

Depõe, ainda, contra a Câmara e seu presidente, que os últimos três meses do vereador Clóvis Loiola na Presidência ficarão marcados pela subserviência ao Executivo. É deveras triste para um vereador cujo primeiro mandato, e talvez o último, veio acompanhado de um forte apelo das camadas mais carentes da sociedade. Isso, acaso a CEI ou o TCM não carimbe sua gestão com um rótulo ainda pior.

Walmir Rosário é jornalista, advogado e editor do site Cia da Notícia.

DRAGON – CONSOLO

ALFREDO COM DATA DE VALIDADE

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) cedeu a mais um capricho do secretário da Fazenda, Carlos Burgos. Dará mais um brinquedinho (público) à família do secretário: a presidência da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa).

Octaviano Burgos assume o comando da empresa a partir de outubro – segundo fontes da própria Emasa – ejetando o presidente Alfredo Melo.

A “Burguesia” passa ao controle com a tarefa de acelerar o processo de privatização da Emasa.

DRAGON – ENTRE TAPAS E BEIJOS

www.dragonx.com.br

GILSON NEGA

O secretário da Administração de Itabuna, Gilson Nascimento, negou que esteja saindo do governo, embora fontes do próprio centro administrativo sustentem que as relações entre ele e o prefeito Capitão Azevedo tenham se estremecido nos últimos dias. E o motivo são realmente divergências entre Nascimento e o secretário da Fazenda, Carlos Burgos.

Quem acompanha a briga de perto assegura que a negativa do titular da Administração é somente uma maneira de evitar que a roupa suja seja lavada fora das dependências da Prefeitura.

GILSON DE SAÍDA DA PREFEITURA

Do Diário Bahia, ontem

Nascimento: de saída.

A situação não anda nada boa na Prefeitura de Itabuna, em função de desentendimentos internos. Ontem, por exemplo, o secretário de Administração, Gilson Nascimento, teve uma tensa conversa com o prefeito José Nilton Azevedo, quando se disse insatisfeito com alguns acontecimentos dentro do governo.

Gilson está tão descontente que deixou Azevedo à vontade para procurar outro secretário, pois garantiu que entregará o cargo logo após as eleições de outubro. Ele faz parte do grupo que “bate testa” com o Secretário da Fazenda, Carlos Burgos, apontado como o pivô de todas as intrigas dentro da Prefeitura.

MÁ NOTÍCIA PARA SUZANA ANDRADE

Suzana foi presa no dia 23 de agosto, na antessala do prefeito de Itabuna (foto Fábio Roberto / Pimenta)

Presa há 13 dias no Conjunto Penal de Itabuna, a secretária do prefeito Capitão Azevedo, Suzana Andrade, deve amargar mais tempo na cadeia do que previa o seu advogado, Carlos Burgos.

O advogado, que é também o secretário da Fazenda do município, passou quatro dias em Salvador tentando obter liminar num pedido de habeas corpus em favor de Suzana. De acordo com o site Cia da Notícia, a missão não logrou êxito.

A disposição do TJ é definir-se sobre a preventiva da secretária somente num julgamento de mérito, e não em sede de liminar.

Suzana Andrade é apontada como a autora dos dois tiros que mataram seu próprio companheiro, Alex Santos. O crime foi cometido no dia 21 de novembro do ano passado.

BURGOS ACUMULA DÉBITO DE R$ 114 MIL COM A EMASA

O Ministério Público Estadual oficiou a Justiça de Itabuna para saber se há alguma cobrança da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) contra o advogado Carlos Burgos, secretário da Fazenda do Município.

Segundo reportagem de capa do jornal A Região, Burgos não paga suas contas de água desde 2002 e já acumula um débito de R$ 114.887,34.

A situação de inadimplência não fez com que a empresa municipal interrompesse o fornecimento de água ao advogado, que é considerado o homem mais poderoso do governo itabunense.

Leia mais na versão online de A Região.

O EQUILIBRISTA DO PREFEITO

Burgos "faz o quatro" enquanto segura a bandeira (foto Fábio Roberto/Pimenta)

O prefeito de Itabuna, que anda na corda bamba entre diversas correntes políticas, tem no Centro Administrativo um grande professor de equilibrismo. É o seu secretário da Fazenda, Carlos Burgos.

Durante a carreata de Paulo Souto, Burgos, de bandeira em punho e “montado” numa caminhonete, exibia alta performance e segurança, mesmo quando o carro caía num dos inúmeros buracos existentes nas ruas da cidade.

Esnobe que só ele, o secretário chegou a “fazer o quatro” enquanto segurava o estandarte de seu candidato. Se lhe oferecessem uma bola, ele ainda faria embaixadinhas…










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia