WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Casa Civil’

WAGNER: IMPEACHMENT NÃO PODE SER USADO COMO MEIO DE LUTA POLÍTICA

Wagner durante transmissão de cargo na Casa Civil (Foto José Cruz/Agência Brasil).

Wagner durante transmissão de cargo na Casa Civil (Foto José Cruz/Agência Brasil).

O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, disse hoje (7) que a busca do impeachment por parte da oposição é um ato “perigoso” para o país e para a própria democracia. Segundo o petista, que assumiu o cargo nesta quarta-feira, o impeachment não pode ser usado como meio de luta política. Ele substitui Aloizio Mercadante, que passa a ser o ministro da Educação.

“Considero que o impeachment é um instrumento poderosíssimo para casos muito bem determinados no texto constitucional. Por isso, acho um perigo as pessoas trabalharem o impeachment como se fosse um instrumento de luta política. Ele não trata de luta política. A luta política se trata no debate no Parlamento, na eleição”, afirmou, em sua primeira entrevista coletiva na nova função.

ministro criticou a postura daqueles que, segundo ele, têm agido com o objetivo de “chegar ao impeachment”. “Isso, por si só, já está errado. Tomamos um ano falando o tempo todo que se precisa construir o impeachment, mas ninguém constrói impeachment, ninguém busca. Essa é a grande subversão na minha opinião.”

Wagner acrescentou que a redução da popularidade do governante não pode ser usada como justificativa para tirá-lo do poder. “Significa dizer, se for tocada nessa toada, que toda vez que se tiver um governo que está com a taxa de popularidade baixa, com dificuldade na sua maioria congressual, é a oportunidade para o impeachment? Acho [isso] um risco muito grande, principalmente, no ano em que a gente comemora 30 anos de democracia ininterrupta. Respeito quem está pregando mas, evidentemente, discordo porque acho que é um péssimo uso de uma ferramenta de exceção.”

Jaques Wagner disse que, neste momento, o principal desafio do governo é concluir a reforma administrativa e criar um ambiente positivo para retomada do crescimento. “O anúncio dos novos ministros e os cortes de ministérios são só o começo. Qualquer economia não tem um processo de sustentabilidade definitivo. A economia sempre recebe impacto até das economias de fora.”

:: LEIA MAIS »

WAGNER DIZ QUE ARTICULAÇÃO POLÍTICA FICARÁ COM BERZOINI

Wagner refuta papel de articulação, que caberá a Berzoini (Foto Antonio Cruz/A.Brasil).

Wagner refuta papel de articulação, que caberá a Berzoini (Foto Antonio Cruz/A.Brasil).

O ministro da Defesa, Jacques Wagner, disse hoje (30) que, mesmo que seja convidado e assuma a Casa Civil da Presidência da República, o trabalho de articulador político do governo deve continuar com o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini.

“Acho que é isso que a presidenta [Dilma Rousseff] está buscando: a negociação política, não só com as duas Casas [do Congresso Nacional], mas com os governadores, estar a cargo do ministro Berzoini”, disse Wagner, cotado para assumir a chefia da Casa Civil no lugar do atual ministro Aloízio Mercadante.

Wagner explicou que não trabalha na condução da reforma administrativa e que o papel de ministro da Casa Civil é outro. “Eu vivi como articulador político quando a presidenta Dilma estava na Casa Civil e não houve nenhum tipo de esbarrão. Cada qual tinha sua missão, e na época o presidente Lula foi muito claro quanto a isso”.

Segundo Wagner, a Casa Civil tem a obrigação de normatizar e auxiliar na condução de programas prioritários, negociando, sim, com partidos da base e da oposição para facilitar as votações no Congresso. A articulação política tem uma função diferenciada, ressaltou.

O ministro disse, porém, que ainda não foi convidado formalmente, mas pode contribuir com sua boa relação com o Congresso. “Eu tenho essa fama de ser adepto do diálogo. As pessoas acham que há dificuldades nessa área e que eu possa contribuir. Mas não acredito que alguém seja o solucionador isolado, isso não existe. É um trabalho de equipe, comandado pela presidenta da República”, afirmou Wagner. Ele destacou que tem uma boa relação com as lideranças do PMDB, um dos partidos da base aliada ao governo.

No comando do Ministério da Defesa, Wagner disse que sempre tenta ajudar no projeto de governo. “São ministérios [Defesa e Casa Civil] igualmente importantes. As Forças Armadas são instituições centenárias. Não vou negar, se for formalizado o convite, vou cumprir minha missão, mas deixo a pasta com tristeza porque eu vislumbrava uma caminhada ainda com muita coisa a melhorar”, disse o ministro. Informações da Agência Brasil.

WAGNER ASSUMIRÁ CASA CIVIL, DIZ BLOG

Dilma colocará Wagner na Casa Civil (foto Alberto Coutinho/GovBA-Arquivo).

Dilma colocará Wagner na Casa Civil (foto Alberto Coutinho/GovBA-Arquivo).

Do Blog do Fernando Rodrigues

A presidente Dilma Rousseff cedeu ao seu antecessor e decidiu retirar o ministro Alozio Mercadante da Casa Civil. Para esse posto vai Jaques Wagner, atualmente ministro da Defesa.

Luiz Inácio Lula da Silva defendia de forma ostensiva a saída de Mercadante do Palácio do Planalto como forma de “distensionar” as relações do Poder Executivo com o Legislativo. Na Casa Civil, Mercadante acumulou muito poder e era visto como um interlocutor arestoso por vários deputados e senadores aliados ao governo.

Nessa troca, a Defesa ficará com Aldo Rebelo (PC do B), que sai da pasta da Ciência e Tecnologia. Já Aloizio Mercadante, que ficou sob forte bombardeio durante vários meses, será realocado para o Ministério da Educação, local que já ocupou durante o primeiro mandato de Dilma Rousseff.

OBRAS DA FIOL E DO PORTO SUL ATRASAM E GOVERNO AUTORIZA BAMIN A USAR “PLANO B”

Rota alternativa não põe fim a projeto em Ilhéus, segundo Bamin.

Rota alternativa não põe fim a projeto em Ilhéus, segundo Bamin.

ARATU E TUBARÃO PODEM SER DESTINO
DE MINÉRIO PRODUZIDO NA BAHIA

O que antes autoridades municipais e estaduais e a presidência da Bahia Mineração (Bamin) tratavam como boato acaba de ganhar forma. Uma portaria do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), da Bahia, publicada em 25 de setembro deste ano, autoriza a empresa cazaque a exportar minério de ferro por uma “rota alternativa” por três anos.

Com isso, a produção das minas de Caetité e Pindaí poderá ser escoada pela Ferrovia Centro-Atlântica. Por esta rota, dois seriam os terminais para exportação do minério de ferro: Tubarão, no Espírito Santo, e Aratu, na Baía de Todos os Santos. A portaria é a de número 5.961/2013.

O terminal de Tubarão fica a 1,4 mil quilômetros de distância das minas, o que encarece a operação. A rota é utilizada hoje para pesquisas laboratoriais e conhecimento do nível de concentração de ferro, conforme informou técnico da Casa Civil ao PIMENTA.

A exportação por Aratu é viável, mas necessitaria de investimentos por parte da Bamin em um nível próximo ao que está projetado para Ilhéus. O governo estadual é contrário, inicialmente, a esta saída, por entender que pode colocar em risco o projeto Porto Sul.

A portaria da licença de alteração do Inema também autoriza a Bamin a transportar o produto das minas para o terminal ferroviário em Licínio de Almeida por, pelo menos, três anos, “para posterior distribuição do minério via Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).

Contatada, a presidência da Bahia Mineração respondeu há pouco que a FCA já vem sendo usada desde janeiro deste ano, por meio de autorização ambiental. A exportação por Aratu é tratada pela empresa como “possível, mas não há nada de concreto até este momento”.

VIVEIROS DIZ QUE “NENHUM PLANO
RELACIONADO A ILHÉUS FOI MODIFICADO”

A utilização do terminal de Aratu poderia suspender os investimentos na construção do Porto Sul, embora a presidência da empresa assegure ao PIMENTA que não houve modificação no projeto para Ilhéus.

– Nenhum plano relacionado a Ilhéus foi modificado. Estamos, apenas, usando alternativas disponíveis neste momento. Para isto, foi fundamental o desenvolvimento de um “novo conceito”, que introduziu o aproveitamento em separado do minério de alto teor que não precisa ser concentrado para poder ser comercializado. Portanto,  a empresa está confiante e otimista na execução dos projetos Fiol e Porto Sul – disse o presidente, Francisco Viveiros, por meio da assessoria de comunicação.

A direção da Bamin também respondeu a questionamento do PIMENTA se a busca de uma “rota alternativa” não tem a ver com as desconfianças quanto à construção da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e do Porto Sul, por onde o minério da Mina Pedra de Ferro, no sudoeste baiano, deverá ser escoado e exportado, de acordo com o projeto original:

– A escala de produção nesta fase é muito menor que aquelas previstas para as fases que virão após a inauguração do nosso terminal marítimo em Ilhéus. Por esta razão, não dá para comparar uma coisa com a outra.

O blog manteve contato com o gabinete do secretário da Casa Civil, Rui Costa, hoje à tarde. Não houve retorno até o fechamento desta matéria.

CONFIRMADA NOVA REDUÇÃO NA ÁREA DO PORTO SUL

Assentamento Bom Gosto está fora da área do porto (foto José Nazal)

O Governo da Bahia publicará no Diário Oficial, até fevereiro, o decreto que determina nova redução na área da poligonal do Porto Sul, empreendimento que aguarda licença ambiental para ser construído no norte de Ilhéus.

Em novembro, o governo diminuiu a área destinada ao projeto, de 4.833 para 2.268 hectares, o que atenuou significativamente os impactos ambientais do complexo portuário que, além do porto público, terá também um terminal da empresa Bahia Mineração.

A segunda redução da poligonal foi antecipada pelo PIMENTA no final de dezembro (leia aqui) e confirmada nesta quarta-feira, 18, pelo coordenador de Políticas de Infraestrutura do Governo da Bahia, Eracy Lafuente Pereira. Ele se reuniu hoje à tarde com trabalhadores do assentamento Bom Gosto, diretamente beneficiados pela nova medida do governo.

Com a diminuição, o assentamento, onde vivem cerca de 70 famílias, estará fora da área do porto. Além de não precisarem mais ser reassentados, os trabalhadores rurais – de acordo com o governo – serão contemplados com programas de melhoria habitacional, capacitação e inclusão social.

A possibilidade de remoção das famílias do assentamento Bom Gosto era criticada pela igreja, sobretudo pela Comissão Pastoral da Terra. Outras áreas rurais, como as comunidades do Valão e do Itariri, foram anteriormente excluídas da poligonal para reduzir o impacto social do Porto Sul.

COSTA POR CIMA DA CARNE SECA

Rui Costa (à direita): Fiol entre as prioridades (Foto Manu Dias).

O novo secretário da Casa Civil do Estado, Rui Costa, revelou prestígio ao levar quase mil pessoas à solenidade de posse, ontem, em Salvador. E logo começaram as especulações sobre o pleito de 2014. Embora diga que não tem habilidade política, Costa tratou de evitar discutir 2014. Nas palavras dele, falar de eleição a governador agora é discutir fim de governo.

Na cerimônia de posse, tratou de apontar prioridade para a Pasta: foco nas ações em Saúde e Educação e investimentos em infraestrutura. Do discurso, projetos importantes para o sul da Bahia, especialmente Ilhéus: o Porto Sul, a ferrovia Oeste-Leste e os novos aeroportos, dentre eles o de Ilhéus, cujo projeto está “de rosca”, difícil de sair.

Costa chega ao cargo após reinar no sindicalismo baiano nas décadas de 80 e 90 – ao lado do governador Jaques Wagner, comandar a Secretaria de Relações Institucionais e garimpar mais de 212 mil votos para deputado federal em 2010. Agora, licencia-se do mandato em Brasília para assumir a Casa Civil. Substituirá Eva Chiavon, agora na secretaria-executiva do Ministério do Planejamento.

RUI COSTA PARA A CASA CIVIL

Da Tribuna:

Aliado e amigo pessoal há 25 anos do governador Jaques Wagner (PT), conforme o mesmo deixou claro em entrevista recente à Tribuna, o deputado federal Rui Costa (PT) deve ser o escolhido para assumir a Secretaria da Casa Civil, de acordo com informações das hostes do governo.

Apesar de o parlamentar ter negado o fato em conversas com a imprensa, nos bastidores o seu nome já é dado como certo para substituir Eva Chiavon, que saiu da gestão estadual para ocupar o cargo de secretária executiva do Ministério do Planejamento. A saída de Eva, considerada a “dama de ferro” da gestão de Wagner, teria deixado uma lacuna, já que ela teria exercido com habilidade, segundo avaliação do governo, os grandes projetos e demandas do Estado, a exemplo dos trâmites para implantação do Porto Sul, da Ferrovia Oeste-Leste, da Via Expressa, entre outras obras. Com isso, o governador já teria articulado a possibilidade de ter no comando da pasta alguém mais próximo e de sua inteira confiança.

PALOCCI CAI; SENADORA ASSUME CASA CIVIL

Acusado de multiplicar o patrimônio particular em vinte vezes no intervalo de quatro anos, Antônio “Midas” Palocci acaba de deixar o cargo de ministro-chefe da Casa Civil. A comunicação foi feita em nota pública.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), especialista em orçamento público e ex-diretora do Consórcio Itaipu, foi escolhida pela presidente Dilma Rousseff como substituta de Palocci.

Ex-ministro da Fazenda no Governo Lula e coordenador da campanha de Dilma Rousseff, Palocci é ejetado do cargo na Casa Civil pouco mais de cinco meses depois da posse.

Confira no “leia mais” a nota de demissão do “Midas” petista.

:: LEIA MAIS »

DRAGON – MILAGREIRO

WAGNER DIZ QUE DESCONHECE AGRESSÃO A SINDICALISTAS NA GOVERNADORIA

Wagner: "desconheço" agressão (Foto Pimenta).

O governador Jaques Wagner disse desconhecer as cenas ocorridas no final da tarde da última quinta-feira, 16, na Governadoria, quando um policial da Casa Militar teria agredido sindicalistas que exigiam a contratação imediata de agentes penitenciários aprovados em concurso público. “Desconheço”, respondeu o governador ao PIMENTA, quando questionado se haveria investigação do caso.

Ao ser informado que a agressão aos sindicalistas e a destruição de imagem de Santo Expedito foram divulgados em jornais e tevês tanto do interior como da capital, Wagner repetiu a resposta: – desconheço.

A assessoria do governador informou ao blog que o policial militar envolvido no caso não seria capitão, como aqui foi divulgado. O governo não informou se foi aberta investigação para as agressões e cenas de intolerância religiosa. O caso acontece num momento em que maior número de policiais militares são envolvidos em arbitrariedades e assassinados e cai o número de punições aos militares.

Jaques Wagner inaugurou neste sábado (18), em Ibicaraí, no sul da Bahia, a primeira indústria de chocolate fino oriundo da agricultura familiar no Brasil. A Bahia Cacau terá capacidade para produzir 600 quilos de chocolate por dia. O produto terá entre 52% e 70% de concentração de cacau por quilo. O governo estadual e a prefeitura de Ibicaraí já investiram R$ 2,040 milhões na indústria que atenderá a 300 agricultores familiares do polo ibicaraiense.

LEIAUTE GANHA O “PROFISSIONAIS DO ANO”, DA REDE GLOBO

Três vetês com depoimentos de pessoas beneficiadas pelos programas Topa, Água para Todos e Geração de Emprego e Renda deram à agência baiana Leiaute o prêmio Profissionais do Ano, etapa Norte/Nordeste, na categoria campanha.

A competição reuniu 1.409 das duas regiões brasileiras. A entrega de premiação ocorreu ontem. As campanhas foram desenvolvidas para a Casa Civil do Governo do Estado e trazem como destaques a itabunense Dona Enedina, aluna-símbolo do Topa em Ilhéus, e dona Isabel, atendida pelo Água para Todos.

A final nacional está prevista para ocorrer no dia 25 de novembro. É ponto para a turma de Sidônio e Antônio Carmo. Abaixo, reveja o vídeo de Dona Enedina “do Topa”.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia