WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


conlar

banner-site-150x300px

jamile_yamaha

sintesi17

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias


:: ‘consumidor’

SUA EMPRESA É ANALÓGICA?

Felipe de PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Comunicação não pode ser compreendida como gasto. É um investimento que, bem gerido, impactará objetivamente em seus lucros. Uma sociedade conectada, digital, não admite empresas analógicas. Você pode oferecer um brilhante atendimento em horário comercial, mas seu cliente precisa de mais.

 

Gostaria de iniciar esse texto propondo uma breve reflexão para você, meu leitor: Em que mundo vivemos? Como você observa nosso cotidiano? Como você obtém conhecimento na contemporaneidade? Muito provavelmente devem ter surgido em sua mente imagens de celulares, computadores, telas com mensagens surgindo, redes sociais. Estamos conectados como nunca, produzindo informação como nunca. O grande “produto” contemporâneo é a informação.

Numa sociedade extremamente informacional, é inegável a importância de uma comunicação bem planejada, gerida com plena ciência das ações e resultados desejados. Como profissional e estudioso da área, vejo cotidianamente empresas construindo suas práticas de comunicação de uma forma que demonstram não ter ciência plena dos múltiplos caminhos possíveis. Uma comunicação subaproveitada, feita como se vivêssemos em tempos remotos.

Vivemos imersos numa lógica acelerada, informatizada. Comunicamo-nos em tempo praticamente integral. A comunicação institucional precisa ser pensada nessa mesma linha.

Como você gere a comunicação de sua empresa? Tenha o porte que tiver, penso ser inviável conceber uma empresa que “feche”. Não sugiro portas abertas 24 horas, mas afirmo: seu cliente vai ter uma dúvida sobre seus serviços em qualquer horário do dia.

Diante disso pergunto: sua empresa tem alguém online pronto a responder?

Não? É possível que seu concorrente tenha.

E me responda agora com a mente de um consumidor: você vai privilegiar qual empresa? Aquela que lhe atendeu de imediato ou aquela que não retornou sua mensagem?

Comunicação não pode ser compreendida como gasto. É um investimento que, bem gerido, impactará objetivamente em seus lucros. Uma sociedade conectada, digital, não admite empresas analógicas. Você pode oferecer um brilhante atendimento em horário comercial, mas seu cliente precisa de mais.

Quantas vezes já iniciei o processo decisório de consumir no estabelecimento A ou B ainda em casa, pesquisando perfis em redes sociais? Quantas vezes decidi por um produto, por uma empresa a partir de um argumento gentil e disponível através de mensagens trocadas num email ou num perfil de Facebook? Diversas vezes.

Um perfil desatualizado, mal gerido, equivale a uma vitrine suja, desorganizada, quiçá abandonada.

Você entraria numa loja assim?

Provavelmente você pode estar pensando que as questões levantadas por esse texto competem a grandes empresas, que contam com assessoria especializada. Isso não é verdade. Esse investimento pode – e deve – ser feito por todos.

O mundo é digital. Sua empresa (ou mesmo você) não pode seguir sendo analógica. Busque um consultor de comunicação. É muito mais acessível que imagina e garantirá que seu empreendimento não siga com uma imagem e posturas inadequadas perante seus clientes. O resultado será objetivo: lucro e satisfação.

Felipe de Paula é professor universitário e pesquisador da Comunicação Social.

DECISÃO DO STF SOBRE JUROS PODE REFLETIR NOS CONSUMIDORES

stfO Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar hoje o mérito de liminares concedidas a unidades da Federação permitindo o pagamento da dívida com a União por juros não capitalizados.  Na avaliação de especialistas consultados pela Agência Brasil, caso haja decisão definitiva pelos juros simples, os consumidores terão um estímulo para entrar na Justiça e contestar o modelo vigente de cobrança.

O economista Miguel de Oliveira, diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), explica que a diferença entre os juros simples e os compostos, ou capitalizados, é que os primeiros são sempre aplicados sobre o valor original da dívida. Os juros capitalizados, por sua vez, são aplicados sobre o montante corrigido. “Em uma dívida de R$ 1 mil com juro de 1% ao mês,  o juro, que corresponde a R$ 10, vai ser sempre calculado sobre R$ 1 mil. Já o juro composto vai ser calculado sobre a dívida devidamente corrigida – por exemplo, sobre R$ 1.010, passado o primeiro mês. Por isso, se diz que é juro sobre juro”.

Oliveira lembra que os juros capitalizados estão amplamente difundidos na economia doméstica e na de outros países. “Vale para geladeira, casa própria, financiamento de veículo. Tudo é com juros compostos. No mundo inteiro é assim que se pratica mas, lá fora, as taxas são mais baixas”, comenta. Na visão dele, justamente por abrir um precedente, o Supremo não permitirá o cálculo da dívida dos estados baseado nos juros não capitalizados. Da Agência Brasil

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PODERÁ RECORRER AOS PROCONS

Assinatura de acordo

Assinatura de acordo de cooperação que dá direito a microempreendedor (Foto Sebrae).

Os microempreendedores individuais (MEI), aqueles que faturam até R$ 60 mil por ano, poderão recorrer aos Procons, órgãos estaduais e municipais de defesa do consumidor para resolver conflitos relacionados ao consumo de produtos e serviços até então limitados às pessoas físicas.

Durante a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre Sebrae em Minas Gerais e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, foi divulgada uma nota técnica com a recomendação aos Procons para atenderem as demandas dos MEI no âmbito das relações de consumo.

Durante o evento, a secretária nacional do Consumidor, Juliana Pereira da Silva, informou que os MEI passam a contar com o suporte legal do Código de Proteção e Defesa do Consumidor. “A partir de agora, o trabalhador individual, além de cidadão, também é reconhecido como consumidor. É um pacto entre os órgãos de defesa do consumidor e o mercado que confere proteção a essa parcela de trabalhadores”, explicou a secretária.

“Esse entendimento que equipara MEI a consumidor marca mais uma etapa de evolução do ambiente legal, desde a implantação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, com a recomendação aos Procons de todo o Brasil do tratamento diferenciado ao Microempreendedor Individual. É de fato o maior movimento de inclusão produtiva no mundo”, avaliou a diretora-técnica do Sebrae, HeloÍsa Menezes.

Com abrangência nacional, a orientação da Senacon aos Procons vai beneficiar os 5 milhões de microempreendedores individuais existentes hoje no Brasil. O acordo tem por objetivo desenvolver estratégias conjuntas para a promoção da educação financeira das micro e pequenas empresas e dos MEI.

Os microempreendedores já podem contar com ferramentas de orientações e superações de conflitos, como a plataforma www.consumidor.gov.br. O documento foi assinado pela secretária Juliana Pereira da Silva e os diretores superintendente e de Operações do Sebrae em Minas Gerais, respectivamente, Afonso Maria Rocha e Anderson Cabido.

:: LEIA MAIS »

SOFRIMENTO NA FILA DA COELBA

Consumidores enfrentam via-crúcis em escritório da Coelba (Foto do Leitor).

Consumidores enfrentam via-crúcis em escritório da Coelba (Foto do Leitor).

Consumidores que estiveram no escritório local da Coelba depararam com uma fila padrão SUS, nesta tarde. Esta fila acima é a da triagem. É grande a reclamação por causa da longa espera. A foto foi enviada por um leitor – e vítima.

BANCOS MALTRATAM CLIENTES EM ITABUNA

As agências bancárias de Itabuna têm ignorado solenemente a chamada “Lei dos 20 Minutos”, que prevê limite de tempo para o atendimento. Ao contrário do que determina a legislação municipal, os bancos maltratam os clientes, obrigando-os a esperar até mais de duas horas nas filas.

O desrespeito não poupa ninguém, atingindo até mesmo idosos, gestantes e outras pessoas que têm direito a atendimento preferencial. Na manhã desta terça-feira (10), um idoso que retirou a senha às 11h09, na agência Centro do Banco do Brasil, foi atendido somente às 13 horas.

A recomendação nesses casos é acionar o Procon e o Ministério Público.

CLIENTE DA CRISTAL VEÍCULOS DESABAFA

Do Blog do Gusmão

Se for comprar um veículo Volkswagen, não compre a garantia estendida oferecida pela Cristal Veículos de Itabuna. A qualidade do atendimento oferecido pela concessionária aos consumidores que adquiriram o seguro da “Virginia Surety” é muito ruim.

Desde segunda-feira (08) aguardamos a troca de dois simples amortecedores num Gol 1.0. A concessionária levou 48 horas para enviar à seguradora um relatório acompanhado de documentos. Depois avisou que deveríamos aguardar a chegada das peças.

As funcionárias designadas para acompanhar os clientes estão sempre sobrecarregadas. Falar com elas pelo telefone é muito difícil.

No ato da compra, as vendedoras da Cristal são bem atenciosas e chegam a afirmar que a garantia estendida é um produto excelente. Ao fazer uso, só dessa forma é possível conhecer o outro lado (perverso) das políticas de “marketing”.

Haja paciência!

O pior disso tudo é ser obrigado a alterar uma viagem cuja finalidade é cuidar da saúde.

COMÉRCIO ESTICA HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Comércio de Itabuna abre em horário especial.

Comércio de Itabuna abre em horário especial.

O consumidor terá mais tempo para fazer compras no comércio de Itabuna até o natal. Hoje, as lojas abrem às 8h30min e fecham somente às 19h30min. O funcionamento das 8h30min às 19h30min vale até a próxima sexta-feira (12).

O horário estendido é resultado de acordo dos sindicatos patronal e de empregados. No sábado (13), o consumidor terá mais quatro horas para compras com as lojas abertas das 9h às 17h.

O comércio ampliará ainda mais o horário de funcionamento do dia 15 até o dia 19, quando as lojas abrem das 9h até as 22h.

No sábado 20, o comércio funcionará das 9h às 18h, enquanto nos dias 22 e 23 abrirá das 9h às 22h. Na véspera do Natal, o funcionamento vai das 9h às 18h. Confira, abaixo, todas as datas até o final de ano.

Horário do comércio

Dias 8 a 12 – 8h30min às 19h30min

Dia 13 – 9h às 17h

Dias 15 a 19 – 9h às 22h

Dia 20 – 9h às 18h

Dia 21 – 15h às 20h

Dias 22 e 23 – 9h às 22h

Dia 24 – 9h às 18h

Dia 31 – 8h30min às 17h

PECHINCHA DEPOIS DA BLACK FRIDAY

consumidor itabuna foto Blog do Thame

Dezenas de consumidores se aglomeraram na porta de uma loja no Calçadão da Ruy Barbosa, centro de Itabuna, hoje pela manhã. Buscavam artigos de cama, mesa e banho, além de ferramentas e materiais escolar. O atrativo era o preço: R$ 10,00. A foto é do Blog do Thame.

TENTATIVAS DE FRAUDE CONTRA O CONSUMIDOR AUMENTARAM 8,2%, DIZ SERASA

fraude consumidorAgência Brasil

As tentativas de fraude contra o consumidor aumentaram 8,2% em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2013, de acordo com o indicador da empresa de consultoria Serasa Experian. Foram registradas, no mês, 186.549 tentativas de fraude, o que representa uma tentativa a cada 14,4 segundos no país. Em relação a dezembro, houve queda de 2%.

A Serasa considera tentativa de fraude contra o consumidor o roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica, ou obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos.

Entre os segmentos, a telefonia respondeu por quase metade das tentativas de fraude. Foram, em janeiro, 84.310 registros, o que representa 45,2% do total. O setor de serviços, que inclui construtoras, imobiliárias e seguradoras, teve 51.517 registros, o equivalente a 27,6% do total.

Os bancos ficaram em terceiro lugar no ranking de registros. Em janeiro, foram 33.734 tentativas de fraude, o que representa 18,1% do total. O segmento varejista teve 13.531 mil tentativas, ou seja, 7,3% do montante.

:: LEIA MAIS »

CUIDADO COM A LISTA DE MATERIAL ESCOLAR

lista de materiaisInício de ano é período de uma série de gastos extras, sendo a lista de material escolar um dos elementos que mais pesam no bolso do consumidor. Em Salvador, o Procon-BA realiza fiscalização nas escolas, a fim de coibir práticas abusivas, como a inclusão de itens de uso comum na relação de materiais.

Em novembro, os fiscais do Procon fizeram várias recomendações aos estabelecimentos de ensino, observando o que eles podem e o que não podem fazer para manter o devido respeito aos direitos do consumidor.

A operação é só na capital, mas a lista de recomendações vale para todos. Confira:

1. É proibida a solicitação de material para uso da escola. Todo material solicitado deve ser usado para fins de trabalho pedagógico do próprio aluno;

2. Material de higiene da escola não pode ser solicitado sob qualquer hipótese;

3. Aluno inadimplente não pode sofrer qualquer tipo de constrangimento, nem ser privado de assistir aulas normalmente, receber seu histórico escolar, fazer avaliações, nem reter documentação referentes a sua transferência;

4. Toda escola tem que apresentar aos pais o plano de execução dos trabalhos que serão utilizados durante todo o ano, discriminando os materiais solicitados que serão usados em cada unidade;

5. É proibida a indicação, pelo estabelecimento de ensino, de preferência por marca ou modelo de qualquer item do material escolar;

6. Toda instituição de ensino deve ter pronta para apresentar aos seus consumidores uma planilha de custos que justifique o percentual de reajuste da sua anuidade de um ano para o outro;

7. É proibida a solicitação, por parte do fornecedor, de certidão de quitação da escola anterior, para alunos novos;

8. Todas as informações relacionadas à escola devem constar no contrato assinado pelo consumidor;

9. O material didático pode ser entregue pelo aluno até 8 (oito) dias antes do início da unidade, na qual usará o respectivo material.

PROJETO EXIGE EMPACOTADORES EM SUPERMERCADOS

Brandão quer debate amplo sobre a violência nas escolas

Júnior Brandão é o autor da proposta

Foi aprovado na tarde desta segunda-feira (11) na sessão das comissões técnicas da Câmara de Vereadores de Itabuna  projeto de lei de autoria do vereador Júnior Brandão (PT), dispondo sobre a obrigatoriedade da presença de empacotadores em supermercados e hipermercados. A matéria alcança também as empresas que operam no sistema de “atacarejo”.

Caso a lei seja aprovada em plenário e sancionada pelo executivo, os supermercados que a descumprirem estarão sujeitos a multa equivalente a 100 Unidades Fiscais do Município (UFM) a cada caixa sem empacotador. A fiscalização ficará por conta da Secretaria de Indústria e Comércio e do Procon.

O relator do projeto nas comissões foi o vereador Paulinho do INSS (PT). A previsão é de que a matéria seja votada em plenário na próxima semana.

BC ESPERA REDUÇÃO NA CONTA DE LUZ

Kelly Oliveira | Agência Brasil

O Banco Central (BC) espera recuo de aproximadamente 16% na tarifa residencial de eletricidade, em relação à expectativa anterior de redução de 15%, em julho. A informação foi divulgada hoje (5) na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

“Essa estimativa leva em conta os impactos diretos das reduções de encargos setoriais anunciadas, bem como reajustes e revisões tarifárias ordinários programados para este ano”, informa o BC.

Também houve alteração na estimativa para o preço do botijão de gás, que passou da estabilidade para aumento de 2,5%. Em relação à tarifa de telefonia fixa, em julho, havia previsão de recuo de 2% e agora o BC espera redução de 1%.

A projeção de reajuste no preço da gasolina, para o acumulado de 2013, foi mantida em 5%.

Para o conjunto de preços administrados por contrato e monitorados, em 2013, foi mantida a projeção de 1,8%. Para 2014, foi mantida a estimativa de 4,5%.

MESMO PRODUTO. JÁ O PREÇO…

roxa

À esquerda, cupom fiscal do Bompreço, com o quilo da cebola roxa a R$ 5,99. À direita: o mesmo produto saiu por R$ 1,85 em outro supermercado

O corretor de imóveis Nilton Borges descobriu no último fim de semana que a cebola roxa pode fazer mal à saúde do bolso. Mas isso depende de onde se compra o produto.

Borges foi no sábado, 27, ao Hiper Bompreço, em Itabuna, onde comprou 775 gramas de cebola roxa por R$ 4,64. Nesse caso, o quilo do item era comercializado a R$ 5,99.

No dia seguinte, o corretor foi ao Makro, na rodovia Ilhéus – Itabuna,  e tomou um susto quando descobriu que ali o quilo da mesma cebola roxa era vendido a R$ 1,85.  Ou seja, conforme verificou o consumidor, o que ele gastaria para comprar um quilo de cebola roxa no Bompreço daria para levar três quilos no outro supermercado.

Desse jeito, a salada fica indigesta.

COORDENADOR DO IDEC AFIRMA QUE CONSUMIDOR ESTÁ MAIS CONSCIENTE

consumidor direitosO coordenador executivo do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Fulvio Gianella Júnior, disse à Agência Brasil que o nível de consciência do brasileiro sobre os seus direitos como consumidor tem crescido nos últimos anos. Hoje, além de buscar mais os institutos de defesa, ele tem procurado diretamente os fornecedores.

“Podemos reparar que aumentou o grau de pessoas reclamando seus direitos, como se vê nos rankings do Procon, do Sindec [Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor]. Essa situação mostra duas coisas: os consumidores estão mais conscientes e reclamando mais seus direitos”.

Em 2012, 2,03 milhões de consumidores foram atendidos nas unidades do Procon, distribuídos em 292 cidades do país. De acordo com o Sindec, essa quantidade representa um aumento de 19,7% em relação a 2011, quando 1,6 milhão de consumidores recorreram ao sistema.

CAMPEÕES DE QUEIXAS

A telefonia celular foi o serviço com mais reclamações nos Procons (9,17%), seguido por bancos comerciais (9,02%), pelos cartões de crédito (8,23%), pela telefonia fixa (6,68%) e pelas financeiras (5,17%). O setor com maior demanda foi o financeiro (banco comercial, cartão de crédito, financeiras e cartão de loja), com 23,85%.

Com o ranking dos procons, também foi possível constatar um aumento de demandas no setor de telecomunicações (telefonia celular, telefonia fixa, TV por assinatura e internet), que saltou de 17,46% em 2011, para 21,7% dos registros em 2012.

:: LEIA MAIS »

COMPRADOR DE IMÓVEL NA PLANTA PODERÁ SER INDENIZADO EM CASO DE ATRASO

Incorporadoras que atrasarem a entrega de imóveis poderão ser obrigadas a indenizar os compradores. É o que prevê o Projeto de Lei 07/2013, que tramita no Senado. De acordo com a proposta, se o atraso for superior a 180 dias, o incorporador deverá pagar multa de 2% sobre o valor já quitado e 0,5% ao mês sobre o mesmo montante enquando perdurar o atraso. Os valores poderão ser compensados nas prestações devidas.

Caso seja aprovada, a norma atingirá somente os contratos que forem celebrados a partir de sua vigência. O autor da proposta, senador Gim Argello (PTB-DF) observa que o lançamento de alguns empreendimentos imobiliários não tem seguido planejamento adequado.

Além do próprio ritmo das construções, os atrasos teriam a ver com procedimentos burocráticos a cargo das incorporadoras e algumas vezes pela falta da documentação necessária, como alvarás de licenciamento. Com informações do site Última Instância.

BRONCA DO LEITOR

boca_no_trombone1O leitor João Ricardo afirma ter ficado no prejuízo ao comprar uma máquina de lavar no Magazine Luiza, em Itabuna. Após sair da loja apenas com o cupom fiscal (e não a nota fiscal definitiva), o cliente descobriu que o equipamento adquirido apresentava problemas. A dificuldade está sendo entrar em entendimento com a empresa para trocar o produto ou obter o ressarcimento do valor pago.

Confira:

Olá Pimenta,

Gostaria de registrar uma denúncia contra a Loja Magazine Luíza da Av. Cinquentenário de Itabuna, na qual comprei uma máquina de lavar Eco Performance 15kg da marca GE no saldão do dia 11/01/2013, na loja Magazine Luíza da cidade de Itabuna, pagando o valor de R$ 890,00 em dinheiro. Acontece que, no dia da compra, por estar muito cheia a loja e o atendimento meio que “pagou, pegou, sai da frente que atrás vem gente”, e também por confiar na loja Magazine Luíza, não peguei o manual de instruções, certificado de garantia e nota fiscal grande; apenas recebi o cupom fiscal, peguei minha máquina e vim embora, feliz da vida, achando que tinha feito um grande negócio. Mas, assim que instalei a máquina de lavar, liguei e coloquei algumas roupas para testar, para minha tristeza, os comandos de água e molho automático NÃO FUNCIONAM e, pior ainda, onde se diz que são 35 programações, só funcionam 3 e mesmos assim se eu for manualmente e solicitar uma a uma cada função.

Voltei à Loja Magazine Luiza por diversas vezes e o gerente me trata com maior descaso, se nega a me entregar a nota fiscal, manual de instruções e certificado de garantia.

Na função LAVAGEM, a água enche o bojo, que em seguida gira uma única vez para direita e uma única vez para esquerda, e simplesmente joga toda água e sabão fora. Após isso, ela fica em eterno repouso, não lava nada; no ENXAGUE, a máquina seca toda a água que tem nela e pronto; na função CENTRÍFUGA, o bojo fica girando 22 minutos, e só funciona se selecionar separadamente.

Infelizmente, tive a maior decepção e arrependimento em comprar essa máquina de lavar, voltei à Loja Magazine Luiza por diversas vezes e o gerente me trata com maior descaso, se nega a me entregar a nota fiscal, manual de instruções e certificado de garantia; tenho apenas um cupom fiscal em mãos. O gerente da loja Magazine Luíza da Av. Cinquentenário, n- 1100 – Centro de Itabuna – Ba diz que não tem obrigação nenhuma de me fornecer nota fiscal, manual de instruções e garantia, e que também não poderia trocar o meu produto que já veio com defeito, ou devolver o meu dinheiro, como se eu tivesse achado essa máquina no meio da rua, como se não tivesse comprado e pago à vista, em dinheiro, o valor de R$ 890,00.

João Ricardo

IBEDEC RECOMENDA QUE CONSUMIDOR GUARDE RECIBOS DOS PAGAMENTOS FEITOS NO ANO

consumidorO ano está acabando e o que fazer com os recibos na hora de limpar as gavetas? Separá-los e organizá-los, sejam de pagamento de impostos, sejam de quitação de outras dívidas, recomenda o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec). A instituição destaca que, no caso de pagamentos de impostos, os recibos devem ser guardados por cinco anos.

Segundo Geraldo Tardin, presidente do Ibedec, é comum no início do ano as pessoas descobrirem que deixaram de pagar uma parcela de algum imposto. “Por isso, é importante para o cidadão ter tudo organizado e separado. No caso de documentos fiscais, o prazo é sempre cinco anos. Não se deve descartar nada”, recomenda.

Devem ser guardados, também por cinco anos, os comprovantes de despesas usados na Declaração do Imposto de Renda, como os relativos a empréstimos bancários, a investimentos e a aquisições de bens, como imóveis, informou Tardin. No caso de transações de pessoa física com pessoa física, como recibo de aluguel, por exemplo, o prazo é menor: três anos.

DOCUMENTOS GUARDADOS POR 5 ANOS

Para as relações protegidas pelo direito do consumidor os documentos devem ser guardados também por cinco anos. Caso a compra seja parcelada, o presidente do Ibedec recomenda que os cinco anos sejam contados a partir do pagamento da última parcela e, claro, arquivados todos os recibos anteriores.

No caso dos trabalhadores, o Ibedec recomenda o armazenamento de papéis que comprovem sua vida laboral, como os contracheques. “Isso porque quando chega a época da aposentadoria, se faltar comprovar algum período trabalhado muito distante, a pessoa poderá ter dificuldade. Infelizmente, existe sim a burocracia”, destaca Geraldo Tardin. Informações da Agência Brasil.

BANCOS TERÃO QUE EXPLICAR SUAS TAXAS

Da Agência Brasil

Os seis maiores bancos do país terão de prestar esclarecimentos ao Ministério da Justiça sobre os pacotes de serviços que oferecem. O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do ministério deu dez dias de prazo para as instituições financeiras apresentarem as respostas.

De acordo com o Ministério da Justiça, existem indícios de falta de transparência na oferta de pacotes bancários com base em levantamento nas páginas das instituições na internet. Além disso, os bancos estariam inserindo, nos pacotes, serviços gratuitos e obrigatórios. Para o DPDC, o procedimento pode levar à tarifação indireta, fazendo o cliente pagar por serviços aos quais tem direito garantido pela legislação.

A notificação atingiu os seguintes bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander.

Leia mais

COMISSÃO APROVA MP QUE DIMINUI CONTA DE LUZ

Walter Pinheiro considera matéria fundamental para  a economia brasileira (foto Wilson Dias / Ag. Brasil)

Walter Pinheiro considera matéria fundamental para a economia brasileira (foto Wilson Dias / Ag. Brasil)

O relatório da Medida Provisória que trata da renovação das concessões de energia foi aprovado nesta terça-feira, 11, pela comissão mista responsável pela análise da matéria. Os próximos passos serão a análise na Câmara dos Deputados e, depois, a votação no plenário do Senado.

A aprovação foi comemorada pelo líder do PT no Senado, Walter Pinheiro. Ele afirmou que a matéria é fundamental para a economia brasileira, pois reduz custos das empresas e especialmente do setor industrial, além de também contemplar o consumidor residencial com uma conta de energia menos salgada.

“É mais um passo no caminho da aprovação da matéria, que tem fundamental importância para a economia, não só na redução das tarifas, como na promoção do desenvolvimento regional com a chegada de energia em todos os lugares, promovendo a interiorização do desenvolvimento”, disse Pinheiro.

GOVERNO MANDA RECOLHER XAMPU CONTAMINADO

A Tarde

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça determinou o recall de mais de 500 xampus da linha Avon Care Hidratante que foram vendidos em embalagens de 1 litro.

A justificativa para a medida é a de que os produtos podem causar sérios riscos à saúde, já que testes apontaram que eles estão contaminados com a bactéria Pseudomonas aeruginosa, que em contato com a pele ou os olhos pode “agravar qualquer eventual quadro infeccioso aos consumidores com sistema imunológico debilitado”.

Fazem parte do recall as embalagens do xampu que estão no lote LP 3182 e que foram fabricadas em 13 de novembro de 2012, com validade para 2015. A Avon informou, por meio da sua assessoria de imprensa, que está recolhendo voluntariamente as 558 unidades do produto.
Informou ainda, por meio de nota, que identificou e contatou as revendedoras que adquiriram esses itens e, até agora, mais de 300 unidades do xampu já foram recolhidas.

Leia  mais

MPF VÊ CONCORRÊNCIA DESLEAL NO “LITRÃO”

Segundo o parecer, marca em alto relevo no vidro da garrafa funcionaria para fidelizar os pontos de venda

O Ministério Público Federal (MPF) divulgou parecer segundo o qual o “litrão” de uma cervejaria – embalagem de 1 litro de cerveja com sua marca em alto relevo na garrafa de vidro – constitui “nítida prática predatória”. O parecer será encaminhado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), onde tramita processo administrativo movido pela Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe) contra a Ambev.

A polêmica começou em 2008, quando foi lançada a nova embalagem em vidro e retornável. Mas certamente não perderá nenhum impacto com o fim do verão nesta terça-feira, 20. Muito pelo contrário…

No entendimento do MPF, o símbolo em alto relevo no vidro do litrão implicaria ‘fidelização’ dos pontos de venda. É o que diz o parecer do procurador Luiz Augusto Santos Silva.

Em nota, a Ambev se defende alegando que o parecer não é conclusivo e tanto Secretaria de Direito Econômico, quanto a Procuradoria do Cade já se manifestaram favoráveis à cervejaria no “caso litrão”.

Com informações da Agência Estado.

ASSIM DESMORALIZA-SE O MERCADO ON-LINE

É cada vez maior o número de queixas de consumidores que fazem compras pela internet e passam o maior sapeco para receber os produtos pelo qual pagaram.

Situação assim acaba de acontecer com uma leitora deste blog, que mora em Ilhéus e comprou presente de Natal no site das Casas Bahia, para um sobrinho que mora no interior de São Paulo. Passou Natal, Réveillon e já quase se ouvem os primeiros acordes do Carnaval, mas presente que é bom… Nada de chegar.

Por email, a cliente foi informada de que houve três tentativas de entrega, mas não havia ninguém em casa para receber a encomenda. Ela refuta, afirmando que há sempre uma pessoa no endereço do destino.

Ainda assim, aceitando o argumento das Casas Bahia, pediu simplesmente que fosse feita nova tentativa de entregar o pedido. Resposta: agora não dá mais, pois o produto não se encontra mais em estoque.

Detalhe: quando a cliente comprou, o produto estava disponível. Isto significa que, além de não entregar, a empresa ainda vendeu encomenda alheia para outra pessoa. Se tiver outro nome melhor que “esculhambação” para definir isso, por favor sugiram.

PARQUE FECHA ANTES DO DIA E LESA CONSUMIDOR

Um parque de diversões que estava instalado desde o final de 2011 à margem da Avenida Princesa Isabel, bairro Banco Raso, em Itabuna, encerrou as atividades antecipadamente, nesta segunda-feira, 9, apesar de ter divulgado que funcionaria até domingo, 15.

O encerramento antecipado prejudicou várias pessoas, que adquiriram passaportes que davam direito a três horas de brincadeiras. Muitas crianças chegaram na tarde desta segunda e encontraram os brinquedos quase já totalmente desmontados, o que causou muita frustração e, para os pequeninos, uma choradeira daquelas.

A dona de casa Adriana Ribeiro adquiriu dois passaportes, cada um no valor de R$ 30,00, para levar o filho e um sobrinho ao parque. “Quando cheguei, não entendi nada. Estavam desmontando os brinquedos sem nenhuma explicação”, afirma ela, que é mãe de um garoto de quatro anos.

Mesmo antes de fechar, o parque – que é do mesmo proprietário de outro instalado em Ilhéus – já era alvo de reclamações por conta da falta de conservação dos brinquedos e do mau-atendimento. Em Ilhéus, no fim de semana, uma criança sofreu escoriações no brinquedo denominado “Ciclone” (uma espécie de tobogã). O parque não oferece nenhum tipo de primeiros-socorros nesses casos.

De acordo com o diretor do Procon em Itabuna, José Sidenilton Pereira, as pessoas que se sentiram lesadas pela empresa que administra o parque de diversões poderão acionar o órgão de defesa do consumidor, que funciona ao lado do Fórum Ruy Barbosa.

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia