WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘crackers’

CRACKER ACUSADO DE ROUBAR MAIS DE R$ 80 MILHÕES É PRESO NA BAHIA

Acusado de vários golpes virtuais foi preso em Salvador

A polícia prendeu na Avenida Antônio Carlos Magalhães, no bairro da Pituba, em Salvador, um dos crackers mais procurados do país. O catarinense Jean Pierre Loz, de 43 anos, é acusado de ter iniciado uma série de golpes a partir de 1999. Ele responde a vários processos por diferentes tipos de golpe, já foi condenado, preso várias vezes e, em 2017, teve o nome incluído na lista de procurados da Interpol.

Jean Pierre é acusado de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, receptação e furto. Ele aplicou vários golpes virtuais. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, um dos crimes foi cometido pelo acusado em 2003, contra a Prefeitura de Santa Helena, no Paraná. O suspeito teria conseguido roubar R$ 900 mil que seriam usados para o pagamento de salário dos servidores públicos. O cracker invadiu o sistema e desviou o dinheiro da conta bancária.

De acordo com a polícia, Jean Pierre aplicou o seu maior golpe em 2006, quando conseguiu roubar R$ 80 milhões da Companhia das Águas de Recife, em Pernambuco. Segundo o titular da 16ª Delegacia (Pituba), Ricardo Amorim, Jean Pirre ficou com R$ 8 milhões desse montante e o restante foi dividido entre outras 15 pessoas.

Jean Pierre contou que foi preso e liberado diversas vezes. A última vez, em 2013, ele foi beneficiado com a saída temporária e não mais retornou para cumprir o resto da perna na penitenciária máxima do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, em Canhanduba, Santa Catarina. No ano passado, a Polícia Federal incluiu o nome do cracker na Interpol.

WHATSAPP VIRA ALVO DE CRACKERS

whatsappDo A Tarde

O aplicativo Whatsapp se tornou um dos principais alvos de crackers (pessoas que quebram um sistema de segurança de forma ilegal ou sem ética) de smartphones, por conta do seu crescimento em número de usuários – segundo a própria empresa, são cerca de 25 milhões de novos adeptos por mês.

“Toda a ferramenta que é muito utilizada acaba chamando a atenção dos usuários maliciosos e não é diferente com o WhatsApp”, aponta o especialista em segurança da informação Rovercy de Oliveira, em entrevista ao site Uol.

Apesar da vulnerabilidade em relação aos invasores, os usuários podem adotar medidas para manter o Whatsapp longe de possíveis ataques. Confira algumas destacadas pelo especialista:

– Instale um antivírus e o mantenha atualizado: a medida permite que o celular fique protegido de invasões como vírus, vulnerabilidades no sistema e programas que executam anúncios sem permissão, entre outros;

Apague as conversas periodicamente: além de eliminar o histórico das conversas pessoais, também é recomendado desabilitar a opção que salva fotos e vídeos automaticamente e evitar transmitir informações sigilosas pelo aplicativo;

– Não receba arquivos de desconhecidos: não baixe conteúdos de origem desconhecida nem propague mensagensque podem conter vírus;

– Tenha cuidado com os grupos: conteúdos compartilhados nos grupos podem estar infectados sem que os outros membros percebam. O ideal é evitar este tipo de compartilhamento;

– Não compartilhe imagens comprometedoras: não divulgue fotos íntimas no aplicativo, pois elas podem cair em mãos erradas ou servir de vingança por algum conhecido;

– Cuidado com as redes públicas de Wi-FI: evite utilizar estas redes, que oferecem riscos para o compartilhamento de informações pelos aplicativos e internet de modo geral;

– Bloqueie o smartphone: adote uma senha de acesso para se proteger das invasões que podem ser feitas de forma presencial.

QUADRILHA DE CRACKERS É PRESA AO SACAR DINHEIRO NO BB DE ITAJUÍPE

MEMBROS DA QUADRILHA ESTUDAM
EM FACULDADE DE ITABUNA

Para delegada, quadrilha é maior (Foto Jean Macêdo).

Universitários membros de uma quadrilha de crackers foram presos em Itajuípe, no sul da Bahia, após sacar dinheiro na agência do Banco do Brasil. A investigação foi conduzida pela equipe da titular da delegacia de polícia de Itajuípe, Gildete Vitória. “Pela internet, eles entravam nas contas bancárias das vítimas e faziam as transferências para as suas contas pessoais”, explicou a delegada ao PIMENTA.

As vítimas preferenciais do golpe tinham conta no BB. De acordo com a investigação, o cracker identificado como Marcos Tadeu roubava dados bancários das vítimas e fazia as transferências, via internet, para as contas de Leandro Bulhões Gonçalves, 25, e Rone Victor Vieira Brito, 22. A polícia caça Marcos Tadeu.

O primeiro a ser preso, ontem, foi Danilo Santana Silva, o Kinha, 26. O mototaxista sacava o dinheiro na agência do Banco do Brasil em Itajuípe quando recebeu voz de prisão. O dinheiro seria levado para a residência de Leandro, em Coaraci. Instantes depois, também foi preso Rone Victor, hospedado na Pousada de Itajuípe. Os três encontram-se à disposição da Justiça em Itajuípe.

Segundo a delegada Gildete Vitória, Marcos, Rone e Leandro são estudantes da FTC Itabuna. Leandro reside em Coaraci, Rone em Itororó e Marcos é de Vitória da Conquista. Danilo Santana é mototaxista em Itajuípe. Leandro cursa Nutrição e Danilo, Enfermagem.

A delegada afirmou PIMENTA que os saques variavam de R$ 5 mil a R$ 4 mil. Desse valor, 10% ficariam com Rone e Leandro e o restante era repassado para o cracker conquistense. “A quadrilha deve ser bem maior que isso, tem mais integrantes”, disse. Quando Marcos conseguia capturar número de conta e senha de uma vítima, buscava os membros da quadrilha para que esses fornecessem conta bancária para as quais deveriam ser transferidas as quantias, pela internet.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia