WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
ftc


janeiro 2017
D S T Q Q S S
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias


:: ‘crime’

PF INVESTIGA FURTO NO MUSEU IMPERIAL E CUMPRE MANDADOS NA BAHIA

Peças foram furtadas do Museu Imperial (Foto Divulgação).

Peças foram furtadas do Museu Imperial (Foto Divulgação).

A Polícia Federal deflagrou hoje (18) a Operação Antiquários, que investiga o furto de obras de arte pertencentes ao Museu Imperial, no Rio de Janeiro. Policiais cumprem três mandados de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

A polícia busca localizar as peças e aprofundar as investigações do crime de furto qualificado. Os mandados foram expedidos pela 6º Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

No ano de 1999, houve uma doação por escritura pública de um imóvel e de aproximadamente 4.000 obras ao Museu Imperial. As investigações do inquérito policial apontam que, no ano de 2014, parentes dos próprios doadores possam ter se aproveitado dessa condição para subtrair diversos itens doados, antes da incorporação definitiva das peças ao acervo do Museu e, após o falecimento do último doador, que permanecia com a propriedade dos bens na condição de usufrutuário.

As investigações contam com o apoio do próprio Museu Imperial. As obras subtraídas encontravam-se na Casa Geyer, no Cosme Velho. Suspeita-se que os investigados faziam de suas residências e escritórios, galerias privadas com o acervo desviado.
As penas do furto qualificado podem chegar a 8 anos de reclusão e multa.

LADRÕES “BATEM PONTO” NO CASTÁLIA

violencia1Assaltantes continuam a fazer do bairro Castália, em Itabuna, um de seus locais preferidos para atacar. Na rua Major Dórea e travessa Henrique Alves, os bandidos agem praticamente todos os dias e normalmente bem cedo, entre 6h30 e 7h30 da manhã. As vítimas quase sempre são mulheres.

Um dos larápios que batem ponto nesse trecho usa uma moto vermelha e costuma intimidar as vítimas apontando com a mão por baixo da camisa, como se estivesse com uma arma. Moradores dizem que os ladrões têm preferido agir durante o dia, já que à noite há vigilância privada e a polícia costuma fazer rondas.

UNA: SUSPEITO DE TRÁFICO É MORTO A TIROS

Sidnei Magal foi morto dentro de casa.

Sidnei Magal foi morto dentro de casa.

Um homem de 27 anos foi morto a tiros, ontem à noite (18), em Una, município sul-baiano. O crime ocorreu na Rua 7, Bairro Marcel Ganem, por volta das 20h50min, quando dois homens encapuzados invadiram a casa de Sidnei Magal Silva do Espírito Santo e efetuaram os disparos.

A morte foi constatada por uma equipe do Samu 192, acionada para socorrer Sidnei Magal. Os tiros atingiram a cabeça e o tórax da vítima. De acordo com a Polícia Militar, Sidnei vendia drogas e executava integrantes de gangues rivais em Una. A polícia ainda tenta localizar os autores do crime.

APÓS DISCUSSÃO, HOMEM MATA ESPOSA A FACADAS EM ITAPÉ

Homem é acusado de matar esposa a facadas (Foto PM-BA).

Homem é acusado de matar esposa a facadas (Foto PM-BA).

Uma mulher de 35 anos foi morta a facadas após discussão com o marido, no município de Itapé, região sul  da Bahia. Segundo informações da delegacia da cidade, o crime aconteceu na noite de quinta-feira (29).

A vítima chegou a ser socorrida para um hospital, mas morreu a caminho da unidade. O marido dela foi preso em flagrante. Ainda de acordo com a polícia, o homem já havia sido preso por infringir a Lei Maria da Penha no início do ano, mas foi liberado após pagar fiança.

O agressor foi encaminhado para a delegacia de Itabuna, a cerca de 20 quilômetros do local do crime, onde segue detido aguardando uma transferência para o presídio da cidade na manhã desta sexta-feira (30).

A polícia colheu depoimentos de vizinhos, que informaram que o casal costumava se envolver em fortes discussões. O motivo da briga que causou a morte da vítima não foi divulgado pela delegacia de Itapé. Informações da TV Santa Cruz.

DEPUTADOS PEDEM ABERTURA DE PROCESSO CONTRA MARCO FELICIANO, ACUSADO DE ESTUPRO

Marco Feliciano é acusado de estupro e agressão (Foto Agência Câmara).

Marco Feliciano é acusado de estupro e agressão (Foto Agência Câmara).

A líder da minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB), e parlamentares da bancada feminina apresentaram hoje (10) uma representação contra o deputado Marco Feliciano (PSC-SP). O documento, com 22 assinaturas, pede que seja aberto um processo no Conselho de Ética para apurar as denúncias de uma estudante que disse ter sido vítima de tentativa de estupro pelo parlamentar.

“As denúncias são muitas e muito graves e queremos que a Câmara apure. Não estamos prejulgando ninguém, mas a omissão da Casa não é aceitável”, afirmou Jandira. Ela, por mais de uma vez, lembrou que a medida é apartidária e alertou que não deve abrir brechas para uma “culpabilização” antes que os fatos sejam esclarecidos. “Esperamos uma apuração isenta, que se apure tudo e, se houver comprovação, que se tome as providencias necessárias”, disse.

O direito de defesa de Feliciano também foi destacado pela deputada Érika Kokay (PT-DF) que, apesar de defender todas as possibilidades de argumento, lembrou que cinco crimes estão envolvidos nas denúncias.

“Agressão sexual, agressão física, ameaça, tentativa de corrupção e cárcere privado. Estas denúncias têm que ser apuradas com o rigor que a democracia exige. Não podemos permitir que denúncias de tamanha gravidade não tenham uma resposta desta Casa”, afirmou.

TAXISTA É ASSASSINADO EM ITABUNA

Táxi com o corpo de James no porta-malas foi encontrado em estrada para Ilhéus.

Táxi com o corpo de James no porta-malas foi encontrado em estrada para Ilhéus.

O corpo do taxista James Silva do Nascimento, de 63 anos, foi encontrado, nesta manhã (30), no porta-malas do próprio veículo em uma estrada vicinal que liga Itabuna a Ilhéus. James residia no Salobrinho, em Ilhéus, e trabalhava na Praça 36, na Avenida Juracy Magalhães (Supermercado Meira).

Os bandidos colocaram o corpo da vítima no porta-malas e tentaram atear fogo no Volkswagen Voyage (OZO-0491). As chamas consumiram parte do estofado do táxi e do volante. Pelo menos três criminosos participaram da execução.

O corpo da vítima permanecia no local até o final da manhã deste sábado, aguardando a conclusão dos trabalhos de perícia. A polícia inicia as investigações para identificar os autores do crime e a motivação. Ele era conhecido pelo estilo tranquilo. Trabalhava na praça há, pelo menos, oito anos.

James trabalhou até as 18 horas de ontem, segundo colegas ouvidos pelo Pimenta. O clima era de consternação e revolta entre os colegas da praça. Os taxistas deixaram a praça e foram até o local do crime, na margem direita do Rio Cachoeira, em Ilhéus, cerca de 4 quilômetros após o Condomínio Real Ville, região do São Judas, Itabuna.

LADRÕES “DE BUTUCA” NO QUEBRA-MOLA

Ladrões aproveitam redutores de velocidade existentes na rua

Ladrões aproveitam redutores de velocidade existentes na rua (foto Google)

Quem costuma transitar nas imediações do Colégio Carrossel, na divisa entre os bairros Conceição e Góes Calmon, em Itabuna, deve tomar cuidado extra com os “amigos do alheio”. Os larápios têm aproveitado dois redutores de velocidade existentes no local para surpreender motoristas e motociclistas desavisados.

Ontem, a vítima da vez foi o locutor Paulo Brito, da Rádio Morena FM. Ele passava com sua moto pelo local, onde dois ladrões o deixaram a pé.  A moto é uma Honda CG 150 Fan, de cor prata.

A vítima registrou ocorrência ontem mesmo na polícia.

ENVOLVIDO COM O TRÁFICO MORRE EM FERRADAS

violencia1Um homem identificado como Henrique Rocha Nolasco, de 27 anos, foi morto no início da madrugada de hoje (11), no bairro de Ferradas, em Itabuna. O crime aconteceu em frente a um bar, nas imediações da praça da localidade.

A polícia encontrou o corpo com perfurações por todo o corpo. No local, foram encontradas cápsulas de munição calibre .380.

Informações dão conta de que a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Em 2012, Henrique Nolasco foi preso durante operação em uma boca de fumo no bairro Santo Antônio.

HOMEM É PRESO POR ESTUPRO EM ITABUNA

Homem foi preso momentos depois do crime no Jorge Amado.

Homem foi preso momentos depois do crime no Jorge Amado.

Policiais militares prenderam um homem acusado de estuprar duas mulheres no Bairro Jorge Amado, em Itabuna. De acordo com a polícia, o crime ocorreu na madrugada desta sexta (8).

Alex dos Santos Olegário ameaçou as vítimas usando um revólver calibre 38. A polícia foi acionada e conseguiu prendê-lo próximo à residência vizinha, além de apreender a arma usada para ameaçar as mulheres. O estuprador também é suspeito de traficar drogas no bairro.

ITABUNA: JOVEM É MORTO QUANDO CHEGAVA À AUTOESCOLA

tarcisio do fonseca - foto Plantao Itabuna 2

Tarcísio Dantas é mais uma vítima da violência em Itabuna (imagem Plantão Itabuna)

O jovem Tarcísio Fábio Silva Dantas, de 24 anos, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (29), em Itabuna, quando chegava a uma autoescola no bairro Jardim Primavera. Pelo menos dez cápsulas de munição foram encontradas no local do crime.

Segundo informações, o rapaz era aluno da autoescola. Testemunhas disseram ao site Plantão Itabuna que o assassino esperou a vítima no local e fugiu em um Gol prata. Tarcísio Dantas era morador do bairro Fonseca.

Outro homicídio foi registrado pela polícia na noite de ontem (28), no bairro Sinval Palmeira. O crime aconteceu nas imediações de um campinho de futebol e a polícia ainda não tem a identificação da vítima. Um veículo Voyage, que pode ter sido utilizado pelos autores do assassinato, foi apreendido pelos policiais.

TIO DE VÍTIMA CONFESSA HOMICÍDIO EM FLORESTA AZUL

Ricardo, vulgo "Pretinho", é o principal suspeito do homicídio

Ricardo, vulgo “Pretinho”, é o principal suspeito do homicídio

O homem identificado como “Ricardo”, tio de Edson de Jesus, 19 anos, confessou o homicídio do rapaz e da namorada dele, Isabela Régis Lima, 18, em Floresta Azul. As vítimas foram agredidas a pauladas e depois asfixiadas.

Ricardo chegou a acompanhar a polícia nas buscas, mas começou a ser tratado como suspeito depois de uma informação de familiares de Isabela, que foram impedidos de entrar na casa em que Edson morava com o tio. O casal foi enterrado no quintal da residência.

A polícia ainda desconhece a motivação do crime e uma das hipóteses é de que o duplo assassinato tenha ocorrido em um surto do criminoso, que é usuário de drogas. O caso é investigado pela delegada Ana Paula Gomes.

O homicídio provocou comoção na cidade, que tem apenas 11 mil habitantes e ainda não convive com a rotina de violência comum em cidades maiores da região.

Crime bárbaro provocou comoção na cidade

Crime bárbaro provocou comoção na cidade

MENINO MORTO EM SP ERA DE BRUMADO

waldikO adolescente Waldik Gabriel Silva Chagas, 11, morto na noite de sábado (25), durante perseguição policial em São Paulo, era natural de Brumado, no sudoeste baiano.

Waldik estava no banco de trás de um carro que foi perseguido por uma guarnição da Guarda Civil Metropolitana. Havia suspeita de que os ocupantes do veículo teriam participado de um assalto na mesma noite.

O menino foi atingido por um tiro na nuca e deixado no carro, ainda vivo, pelos demais ocupantes. Ele foi levado para o hospital, mas já chegou morto.

Waldik era um dos nove filhos da ajudante de cozinha Orlanda Correia Silva, de 47 anos. Ela admitiu que há um ano o garoto vinha se envolvendo com “companhias erradas” e em pequenos assaltos.

ESTUPRO, CRUCIFICAÇÃO E SILÊNCIO

celina artigoCelina Santos | celinasantos2@gmail.com

 

É preciso entender que desrespeitar os limites, quando está envolvido o corpo do outro, é crime hediondo. Não cabe, portanto, o silêncio nem a tentativa de justificar o definitivamente injustificável.

 

“Será que ela não quis?”; “Também pudera! O que ela queria àquela hora da noite, com uma saia tão curta?”; “Se provocou, o cara não resistiu, ora!”; “Homem não é de ferro!”. Estas são colocações bastante comuns diante de um caso de violência sexual. Elas comprovam o estudo realizado pelo IPEA (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas), segundo o qual 58,5% dos brasileiros concordam que “se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros”.

O dedo da sociedade muitas vezes transforma vítimas em algozes – até mesmo quando os abusos ocorrem dentro de casa, a partir de pais, padrastos e outros familiares. Assim, o temor do julgamento leva ao silêncio, em lugar da busca por punição àqueles capazes de cometer um dos crimes mais covardes. A mulher estuprada, além do trauma pelo resto da vida, amarga a vergonha de suporem que a causa foi a roupa, o lugar onde estava, o comportamento diante do homem que a violentou.

Apesar dos inúmeros episódios ocultos, as estatísticas (um caso registrado a cada 11 minutos) mostram o quanto resiste no Brasil o que prefiro chamar de “contracultura do estupro”. Talvez como um absurdo indício de naturalização, é possível identificar diversas manifestações de um discurso machista a tratar a figura feminina como objeto. É o caso de letras de músicas que incentivam a exploração sexual, a imposição do desejo do homem sobre a mulher, mesmo que não seja esta a vontade dela.

Não se pode desconhecer, por exemplo, que fiquem no imaginário letras do funk, ritmo que atrai centenas de jovens para bailes com uso indiscriminado de bebida e droga. Muitos desses “versos” incentivam atos sexuais violentos – sobretudo com mulheres menores de idade, as chamadas “novinhas”. E ali se forjam comportamentos deploráveis, mas impunes, porque envoltos numa moldura de naturalidade.

Na Bahia, onde lamentavelmente foram registrados 576 estupros nos primeiros três meses de 2016, não é diferente. Letras repetidas até mesmo por meninos, que sequer sabem o seu significado, também estimulam o sexo com violência. Enojados, ouvimos expressões como “joga lá no meio/ … em cima, … embaixo”, “bota com raiva”, “passa a madeira” etc. Do mesmo modo, está implícito um discurso a incitar práticas passíveis de punição, que esbarram na falsa naturalidade (sempre ela!).

:: LEIA MAIS »

SENADO APROVA PROJETO QUE AUMENTA PENA PARA CRIME DE ESTUPRO COLETIVO

Vanessa Graziotin é autora da proposta.

Vanessa Graziotin é autora da proposta.

Da Agência Brasil

Uma semana após se tornar público o caso do estupro coletivo de uma adolescente no Rio de Janeiro, ocorrido no sábado (21), o plenário do Senado aprovou hoje (31), por unanimidade, projeto de lei que tipifica os crimes de estupro coletivo e de divulgação de imagens desse tipo de crime.

Pela proposta, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a pena para o crime de estupro praticado por duas ou mais pessoas poderá ser aumentada de um a dois terços.

“Temos que a reprovabilidade da conduta nos estupros perpetrados por diversas pessoas, na mesma ocasião, é mais elevada que nos demais crimes contra a dignidade sexual, pois a pluralidade de agentes importa, além da covardia explícita e da compaixão inexistente, em ainda mais sofrimento físico e moral, medo e humilhação para a vítima”, argumentou a senadora Simone Tebet (PMDB-MS), relatora da matéria.

Uma emenda da relatora transforma em crime, com pena de reclusão de dois a cinco anos, oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio, inclusive sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de estupro.

“A divulgação do estupro e, a partir desse momento, sua virtual e eterna permanência na internet não gera apenas prejuízos morais à vitima, a exemplo de um xingamento ou de uma mera depreciação pessoal. A divulgação perturbará seu convívio familiar, desestabilizará suas relações sociais, deixará sequelas em futuros relacionamentos amorosos e na imagem que a vítima buscará construir a respeito de si mesma”, acrescentou Simone Tebet.

A matéria estava na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, mas o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), propôs a apresentação de um requerimento assinado pelos líderes para que a votação fosse levada diretamente ao plenário.

O requerimento foi aprovado no início da noite e, depois de votada as matérias pautadas, o mérito do projeto foi aprovado. O texto segue agora para apreciação da Câmara dos Deputados.

De acordo com o Artigo 213 do Código Penal, constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a praticar sexo ou a praticar ou permitir que com ele se pratique está sujeito ànprisão de seis a dez anos.

Se da conduta resultar lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 anos ou maior de 14 anos, a pena passa a ser de oito a 12 anos. Se da conduta resultar na morte da vítima, passa a ser de 12 a 30 anos de prisão.

SEGUNDO HOMICÍDIO DE MAIO

Travessa Bom Sossego, bairro Nova Esperança. Não se engane com os nomes, pois foi neste local – nas imediações do presídio de Itabuna – que se registrou hoje (7) à tarde o segundo homicídio da cidade neste mês de maio.

A vítima está identificada como José Carlos Santos Nascimento. Tinha 31 anos e era motorista de ônibus na empresa Viação Expresso Rio Cachoeira.

Testemunhas afirmam que os tiros foram disparados de dentro de um Chevrolet Corsa, de cor prata. José Carlos, que estava em seu dia de folga, morreu no local.

CARRO ROUBADO NO JARDIM SAVOIA

Um homem teve seu carro – um Voyage – tomado de assalto na noite de ontem (28), no bairro Jardim Savoia, em Ilhéus. O roubo aconteceu no momento em que o motorista se aproximava de sua residência, que fica a cerca de 300 metros da sede da 70ª Companhia Independente da Polícia Militar.

Segundo o blog Agravo, o proprietário do veículo foi levado pelos bandidos e libertado na Avenida Princesa Isabel. A vítima não sofreu lesões.

Ainda de acordo com o blog, este foi o quarto roubo de veículo no mesmo bairro desde janeiro.

MEMBRO DE FACÇÃO É EXECUTADO EM ITABUNA

Raomi (esq.) faz o símbolo da facção a que pertencia

Raomi (esq.) faz o símbolo da facção a que pertencia

O jovem Raomi Paixão Monteiro, de cerca de vinte anos, foi executado no final da manhã de hoje, no bairro João Soares, em Itabuna. Raomi pilotava uma moto quando foi cercado por bandidos que o seguiam, também de motocicleta. Segundo a polícia técnica, a vítima levou cerca de quinze tiros de pistola.

Em um dos bolsos do rapaz, a polícia encontrou uma trouxinha de maconha. Pouco depois, fazendo buscas na casa onde Raomi morava, foi encontrada grande quantidade de droga.

Há informações de que Raomi era membro da facção criminosa conhecida como Raio A. Em imagens divulgadas nas redes sociais, o jovem aparece ao lado de traficantes e fazendo o símbolo da facção.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia