WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘cultura’

ESTUDIOSOS E MÚSICOS ANALISAM OS 30 ANOS DA AXÉ MUSIC

Luiz Caldas é precursor do axé (Foto Divulgação).

Luiz Caldas é precursor do axé (Foto Divulgação).

Danyele Soares | Agência Brasil

A axé music chegou aos 30 anos. O gênero, que marca o carnaval baiano e leva milhões de foliões à loucura, teve início com a música Fricote, de Luiz Caldas e Paulinho Camafeu, em 1985. De lá para cá, o ritmo ganhou novos contornos a partir da mistura com outros gêneros como o sertanejo, o samba e o pagode. O movimento de aproximação com diferentes fontes musicais também gerou críticas sobre uma possível crise do axé.

Para o coordenador do curso de graduação em música popular da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Ivan Bastos, entretanto, isso é um movimento natural. “Alguns falam em crise criativa, mas eu não acho que é isso,. Essa mistura se dá por conta do capitalismo. Produtores, empresários e artistas veem que isso dá dinheiro e resolvem fazer. A nova tendência dá visibilidade ao cantor e acontece com outros estilos também.”

Segundo o professor, a nova composição das bandas após a saída de vocalistas que estouraram nas décadas de 80 e 90 e até nos anos 2000, como Netinho, Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e Bell Marques, também é consequência desse ciclo natural e de interesses comerciais. “As gerações vão se sucedendo e a moda também. O antigo modelo é superado e assim surge espaço para outros nomes”, destaca.

O professor e vice-reitor da UFBA, Paulo Miguez, especialista em carnaval, avalia que a mistura de gêneros é positiva. De acordo com ele, o axé é composto por diversas formas, como a música dos blocos afro, do trio elétrico e do afoxé, o que representa um sinal de vitalidade do gênero. Ele destaca que é preciso diferenciar o axé no sentido estético musical do negócio que o movimento gera.

“O axé, no sentido estético, é muito interessante, formado por uma mistura, e gera importante transformação na cena cultural baiana. Isso é uma coisa fantástica. Já o aspecto comercial é concentrado, as oportunidades são poucas e o ativo fundamental desse negócio é o ‘sistema de estrelas’, a partir do qual é definido o valor a ser cobrado nos ingressos.”

De acordo com o cantor e compositor Luiz Caldas, considerado precursor do gênero, o axé vive um momento maravilhoso e as mudanças fazem parte do novo cenário musical. Ele destaca que o ritmo levou Salvador para o mundo e inovou o carnaval baiano. O cantor diz também que o axé foi responsável por “abrir novamente as portas” da imprensa para a Bahia depois do sucesso de Caetano Veloso, Gilberto Gil, dos Novos Baianos, de A Cor do Som, entre outros.

“Muita gente diz que o axé music está em crise, mas isso é uma crise particular, é a crise de alguns. Eu mesmo vivo meu melhor momento musical e sou o criador do axé music. Hoje, olhando para trás e vivendo o presente, digo que é um momento de criação e celebração. Vamos para a frente que vem muita gente por aí.”

ESCRITORES LANÇAM LIVROS DE POESIA E SUSTENTABILIDADE NA QUINTA

Andréia, Luedy e Lavigne lançam livros na quinta, em Itabuna.

Andréia, Luedy e Lavigne lançam livros na quinta, em Itabuna.

Os escritores Marcos Luedy, Geraldo Lavigne de Lemos e Andréia Quinto dos Santos lançam livros em Itabuna, na próxima quinta-feira (22), às 18 horas, na Livraria Nobel, na Rua Paulino Vieira, centro de Itabuna. As obras foram publicadas pela Editora Mondrongo. Os livros nascem do empenho de cada autor e do esforço da editora, que tem como princípio valorizar e publicar os bons valores da literatura baiana contemporânea. As obras de Marcos e Geraldo são de poesia. Já a de Andréia, que é bióloga e professora, traz uma série de artigos relacionados à preservação do meio ambiente.

O silêncio & As palavras, de Marcos Luedy, trata, segundo o autor, de um trabalho gestado há três gerações, sintetizado em impressões e expressões substancialmente inquietas do viver e sentir humano. A obra possui apreciações críticas da professora e crítica literária Maria de Lourdes Netto Simões, e de Gustavo Felicíssimo, escritor e editor da Mondrongo.

Já a obra de Geraldo Lavigne de Lemos, possui um inusitado projeto gráfico que reúne dois livros em um mesmo volume. De um lado, tem-se o livro Amenidades, do outro Alguma sinceridade, ambos com capa elaborada pelo artista plástico Rafael Pita. No centro da obra, onde um e outro livro se encontram, há um texto crítico do poeta e teórico capixaba Jorge Elias Neto. Os livros contam ainda com prefácios de André Rosa e Baísa Nora.

O livro Sustentabilidade: uma questão de consciência, da bióloga e professora Andréia Quinto dos Santos, é o primeiro publicado pela Mondrongo com artigos relacionados ao meio ambiente e preservação ambiental. Nele, a autora toca em assuntos relevantes, como gestão ambiental, política ambiental no Brasil, negócios sustentáveis, entre outros de enorme relevância para a preservação do ecossistema do planeta. Os livros estarão a venda por valores promocionais que variam entre R$ 25,00 e 30,00, cada.

Obras serão lançadas na Livraria Nobel.

Obras serão lançadas na Livraria Nobel.

HISTÓRIA DE APOLÔNIO BRITO VIROU LIVRO

Apolônio, centenário, é tema de livro editado pela Uesc.

Apolônio, centenário, é tema de livro editado pela Uesc.

Jonildo Glória

O pastor e professor Apolônio Brito completa 100 anos de idade amanhã, 7 de janeiro. Com bastante saúde e lucidez, ainda planta árvores e faz planos para o futuro. Apolônio nasceu num remanescente de quilombo. Foi escravo por um ano em troca do enxoval de casamento da sua irmã. “Acho realmente que Deus me tem dado uma vida longa… Entendo isso como uma oportunidade para eu continuar meu trabalho e fazer mais coisas. Enquanto me preparo para a velhice, continuo a trabalhar e todos os dias agradeço a Deus pelo fato de ter em mim os bens mais valiosos da vida: saúde, paz e alegria”, comemora.

Apolônio foi garimpeiro. Enfrentou onça. Caminhou cerca de 5.000 km pelo Maranhão, Pará, Goiás e oeste da Bahia (de aventura em aventura), até que chegou ao Instituto Industrial de Corrente (Piauí), sua primeira escola. De analfabeto, torna-se o melhor aluno do Instituto. Estuda no Rio de Janeiro, torna-se pastor protestante e grande educador, fundador de várias igrejas e escolas. Chegou a Itabuna em 1958 e aqui recebeu o título de cidadão itabunense. É um homem impressionantemente otimista, espirituoso, exemplo de fé e determinação.

A idade de Apolônio, em si, já é um caso à parte, que atesta coisas típicas do Brasil: Nasci no dia 07 de janeiro de 1919 num lugar chamado Pé da Ladeira, próximo a Loreto, que também era perto de São Raimundo das Mangabeiras, no Maranhão. Essa data foi estimada pelo tabelião da cidade de Corrente (Piauí), quando lá cheguei, em 1944, e precisei de uma certidão de nascimento. Eu realmente não tinha documento nenhum e nem sabia a minha idade. Do lugar de onde venho, as pessoas não se preocupavam muito com isso. Ninguém tinha documento”.

O centenário Apolônio recorda o espanto do diretor da escola: “Quando o senhor nasceu não registraram o seu nome? … é um papel com seu nome, feito no cartório. … Como é que pode? Tem que ter certidão…. O senhor se lembra de algum acontecimento importante quando era pequeno? … Quando foi essa seca no Maranhão? E na enchente, o senhor tinha quantos anos? … O senhor já ouviu falar da Revolução de 1930? Getúlio Vargas? … olhe, vamos considerar que o senhor nasceu em 1919, e pronto. E o dia… foi 07 de janeiro”. “Depois, na verdade, comparando minha idade com a dos meus irmãos, descobri que o ano estava errado. Eu nasci mesmo foi em 1915”, lembra.

“O impressionante é que, aos 100 anos, ele ainda planta árvores, faz planos para o futuro e diz que se prepara para a velhice. Isso é um exemplo interessante de juventude, jovialidade, coisa que falta em muita gente com menos idade. É aí que a gente vê que para ser velho não precisa ser idoso e para ter juventude não é preciso ser jovem. Apolônio é um exemplo para as novas gerações”, frisa o professor  Samuel Mattos, autor do livro Apolônio, o multiplicador, publicado pela Editus, Editora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Para o Professor Lourival Pereira Piligra Júnior (UESC), “Apolônio é um sobrevivente, uma existência que vinga no terreno inóspito e agreste do Nordeste como uma flor que desabrocha em meio a uma grande moita de espinhos… a gênese de uma vida transfigurada em mito”.

TEATRO À VISTA!

Teatro foi reformado e abriga programação da Felita (Foto Ricardo Mascarenhas).

Teatro foi reformado e abriga programação da Felita (Foto Ricardo Mascarenhas).

roberto jose
Itabuna não possui teatro e ficou ainda pior com a reforma interminável (e paralisada há mais de um ano!) do Centro de Cultura Adonias Filho, no Jardim do Ó. A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc) tentou assumir o espaço cultural, mas recebeu negativa do governo baiano.

Agora, parece surgir uma luz.

O presidente da fundação, Roberto José da Silva, negocia com a Ação Fraternal de Itabuna (AFI) para que o Teatro Amélia Amado seja reaberto para eventos culturais. A proposta inicial tem à frente a própria Ficc. As conversas estão avançadas com a direção do colégio.

Até o próximo domingo, o teatro recebe programação da Feira Literária de Itabuna (Felita). O evento é realizado na AFI e foi aberto ontem à noite com bate-papo com grandes nomes da literatura regional. Hoje, os escritores Jorge Araujo, Paloma Amado e Aleilton Fonseca falam da feira e de literatura às 9h30min, numa coletiva à imprensa.

TPI RECEBE TEMPORADA DO “VERÃO CÊNICO”

Espetáculo "Nas alturas" é atração do Verão Cênico em Ilhéus.

Espetáculo “Nas alturas” é atração do Verão Cênico em Ilhéus.

A Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) foi um dos espaços escolhidos para sediar parte da programação da terceira edição da Temporada Verão Cênico. Na próxima quarta-feira (26), estreia A conferência, do Oco Teatro Laboratório, de Salvador.

Nos dias 27 e 29, antes de A conferência, o público poderá assistir ao número circense Nas alturas, do Circo Redondo e Daniela Frantz, de Ibicoara. No dia 2 de dezembro, A Outra Companhia de Teatro, de Salvador, apresenta O que de você ficou em mim. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 e as apresentações começam às 19 horas.

A Conferência discute relações sociais, incluindo relações de poder, migração e política, com uma pitada de bom humor. Em cena, o caos urbano, o bombardeio de informações, a poluição visual e sonora, o consumo exacerbado e a perda de valores. O espetáculo exprime o conceito e a estética da obra “As Cidades Invisíveis”, do escritor italiano Italo Calvino. A montagem é dirigida por Luis Alonso, que também assina a dramaturgia com Paulo Atto. A classificação indicativa é 16 anos.

Integrando a categoria “Mostra Cenas Curtas” da Temporada Verão Cênico, Nas Alturas mescla técnicas de dança contemporânea e de acrobacia aérea em tecido. Através de movimentos ritmados no solo e no ar, a performance foge dos padrões clássicos do circo, reinventando o uso do tecido de forma fluida. A criação e performance é de Daniela Franz.

:: LEIA MAIS »

CULTURA NEGRA É TEMA DO CINECLUBE EM NOVEMBRO

O Cineclube Équio Reis retorna à Tenda do Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e dedicará as terças-feiras a curtas-metragens relacionados à consciência negra em novembro. Amanhã (4), a partir das 18 horas, será exibido o documentário Pro Filho que Precisar, que conta a história do Terreiro Matamba Tombenci Neto, narrada por Mãe Hilsa Mukalê. O curta-metragem foi montado por Jaco Galdino, Marinho Rodrigues, Márcio Goldman e Maíra Bühler.

A seleção dos vídeos que serão exibidos ao longo do mês de novembro no Cineclube Équio Reis contou com a colaboração do Grupo de Preservação da Cultura Negra Dilazenze. Foram escolhidos curtas-metragens nacionais e internacionais que trazem diferentes perspectivas sobre a cultura negra e suas colaborações para a sociedade. As exibições serão gratuitas e abertas ao público em geral.

O Cineclube Équio Reis ganhou caráter itinerante, exibindo filmes em praças, escolas, igrejas e entidades de vários bairros de Ilhéus. No último mês, o projeto prestou homenagem às crianças e, além dos curtas-metragens, levou um show de palhaços à Associação Centro Educacional de Ação Integrada (ACEAI) Nossa Senhora da Vitória.

PISIT MOTA APRESENTA “POR UMAS E POR OUTRAS” EM ITABUNA

Pisit se apresenta na sexta, sábado e domingo em Itabuna (Foto Divulgação).

Pisit se apresenta na sexta, sábado e domingo em Itabuna (Foto Divulgação).

Fenômeno da internet com a +1 Filmes, o humorista baiano Pisit Mota traz a Itabuna, neste final de semana, o stand up comedy Por umas e por outras, em apresentações na sexta, sábado e domingo, no Seven Lounge Music.

A comédia Por umas e por outras já foi vista por mais de 25 mil pessoas desde quando entrou em cartaz, em janeiro deste ano. Passou por 56 cidades na Bahia e Sergipe.

São 80 minutos de riso garantido com intervenções de áudio e vídeos produzidos para a internet em parceria com a +1 Filmes. Pisit contabiliza mais de seis milhões de visualizações e compartilhamentos nos vídeos publicados no YouTube.

A comédia provoca o riso com histórias de personagens de Salvador, sempre tratados com humor e irreverência por Pisit. Homofobia, preconceito social, violência cultural e psicológica são alguns dos temas abordados em Por umas e por outras. Tudo sempre “de forma respeitosa”, como observa o humorista, que também é educador.

SERVIÇO
Onde 7 Seven Lounge Music
Quando Sexta (24) e sábado (25), às 20h30min, e domingo (26) às 20h.
Ingresso R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Classificação 16 anos

ITABUNENSES SÃO APROVADOS NO BOLSHOI

Alunos aprovados na seletiva do Bolshoi com Vane e dirigentes da Marimbeta e Ficc.

Alunos aprovados na seletiva do Bolshoi com Vane e dirigentes da Marimbeta e Ficc.

Seis bailarinos itabunenses foram aprovados em seletiva do Teatro Bolshoi no Brasil. A seletiva foi realizada no último final de semana (17, 18 e 19), em Joinville (SC), confirmando os nomes de Giovana Assis Genovez, Jadson Santos, Lauanny Santos Batista, Pedro Guilherme Medina Silva, Sthefany Aragão Souza e Watson Conrado, além da itajuipense Gleyce Kelly.

Confira a lista completa

Os alunos foram aprovados em audição final realizada em Santa Catarina. Antes, foram selecionados há um mês em Itabuna. De acordo com a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, os alunos serão matriculados em novembro para as aulas em 2015.

Três dos aprovados no Bolshoi são alunos da Fundação Marimbeta, em Itabuna. São eles Jadson Santos, Lauanny Santos e Watson Conrado. Os alunos viajaram a Santa Catarina com custos cobertos pela Prefeitura de Itabuna.

BOURGES EXPÕE “GABRIELAS” NO JEQUITIBÁ

Talles expõe no Jequitibá até 5 de outubro.

Talles expõe no Jequitibá até dia 5.

O fotógrafo Talles Bourges abre nesta quarta (24) a exposição GabriElas, no Shopping Jequitibá, às 19 horas. A mostra tem como inspiração as obras de Jorge Amado.

Segundo Bourges, é uma homenagem ao escritor grapiúna. “Meu objetivo é recriar Gabriela no sentido contemporâneo, e tentar fazê-la fiel ao passado”, diz o fotógrafo.

O fotógrafo explica que a sua segunda exposição na terra natal tem um alvo: “São mulheres representando Gabriela”.

A exposição integra o evento anual de moda Mundo Fashion do Shopping Jequitibá, que ocorre na quinta.

A mostra de Bourges vai até 5 de outubro. Suas telas serão expostas em áreas de circulação do shopping.

O itabunense tem vários trabalhos, principalmente na área de moda e trabalhos com a principal modelo brasileira, Gisele Bündchen. A foto exclusiva, diz, “rendeu bons frutos” para o seu portfólio.

BANDA CRIME ORGANIZADO SE APRESENTA NA TENDA DO TPI

Da esquerda para a direita estão Ismera Rock, Lula Soares Lopes, Eloah Monteiro (sentada), Chico Dias e Elielton Cabeça - Foto de Andreza Mona

Ismera Rock, Lula Soares Lopes, Eloah Monteiro, Chico Dias e Elielton Cabeça (Foto Andreza Mona).

Karoline Vital

O que acontece quando músicos-pensadores se reúnem para questionar as contradições do estilo de vida contemporâneo? A resposta será dada às 20 horas desta quinta-feira (18), com a estreia da banda Crime Organizado, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI).

O grupo, que se autoclassifica como MBP (Música Brasileira Progressiva), traz um repertório autoral, misturando ritmos brasileiros ao rock and roll e suas vertentes. As entradas custam R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia para estudantes, idosos, titulares do Cartão TPI.

Por meio da sua atitude irreverente, a banda sul-baiana Crime Organizado aborda temas polêmicos do cotidiano. Ao mesmo tempo em que fala de política e critica absurdos tolerados no dia a dia, aborda também amor, sexo e liberdade. O som tenta ser ilógico e as letras são provocativas e bem humoradas, compostas por Elielton Cabeça e Eloah Monteiro.

Segundo Eloah, que divide os vocais e violão com Elielton Cabeça, embora a sonoridade de Crime Organizado busque ser disforme, assim como a corrupção e outros crimes banalizados, também provoca a identificação do público nas letras simples e diretas, propondo que todos se entendam como criminosos. O grupo conta ainda com os talentos de Ismera Rock na guitarra, Chico Dias no baixo e Lula Soares Lopes na bateria.

Quem quiser garantir o seu lugar na estreia de Crime Organizado e aproveitar o ingresso promocional a R$ 5,00 pode fazer sua reserva pelos telefones (73) 4102-0580 e 9145-1801. As entradas podem ser pagas à vista, nos cartões de crédito ou débito e com o Vale Cultura.

LOUD´N HEAVY NO SÁBADO

O rock segue dominando a Tenda TPI. No próximo sábado (20), o Ilhéus Loud ‘n Heavy vem para agradar os aficionados pelo som pesado de três bandas independentes da região. A primeira edição do evento vai contar com Kerberus (thrash metal), Locomotiva (hard rock), Enttropia (hard rock) e Exterminator (thrash/death metal). Os shows acontecem a partir das 19 horas. As entradas custam R$ 20 e R$10.

“SARGENTO GETÚLIO” COM ENTRADA FRANCA E BATE-PAPO NA UESC

Betão em "Sargento Getúlio", monólogo em cartaz amanhã e domingo, na Uesc.

Betão em “Sargento Getúlio”, monólogo em cartaz amanhã e domingo, na Uesc.

Premiada nas categorias melhor espetáculo e melhor ator no Braskem de Teatro de 2011, a peça Sargento Getúlio será apresentada às 20h deste sábado (16) e às 16h e 20h do domingo (17), no auditório central da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Somente neste ano, mais de 20 mil pessoas já assistiram à peça.

O monólogo Sargento Getúlio é encenado pelo ator Carlos Betão, um dos grandes nomes revelados pelo teatro itabunense. A direção é de Gil Vicente Tavares, com produção do grupo Teatro NU, de Salvador.

Após as encenações, haverá bate-papo com a equipe do monólogo adaptado de livro homônimo do escritor baiano João Ubaldo Ribeiro. A entrada é gratuita e classificação 14 anos.

A peça é sucesso de crítica e público do Sul ao Sudeste e Nordeste do País. O monólogo leva ao palco Getúlio Santos Bezerra, personagem, que tem a missão de levar um prisioneiro político de Paulo Afonso (BA) a Aracaju (SE). Ao receber ordem para retornar, ele mantém-se a caminho da capital sergipana.

O diretor e dramaturgo Gil Vicente Tavares diz que optou por adaptar a obra de João Ubaldo Ribeiro, transformando-a em um monólogo, ainda na sua primeira leitura. Segundo ele, “interessava imaginar esse homem, sozinho, contra a história, contra a plateia, defendendo sua ideia, sua honra, sua missão”.

:: LEIA MAIS »

TENDA TPI DIVULGA ATRAÇÕES DE AGOSTO

Casa de Farinha

Casa de Farinha é uma das atrações da programação de agosto.

A Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) inicia a programação de agosto nesta terça-feira (05), com o Cineclube Équio Reis Itinerante. Gratuitamente, o projeto exibirá curtas-metragens no Colégio Estadual Antônio Sá Pereira, na Conquista, às 19h30min. Ao longo do mês que o TPI inicia a ocupação do Teatro Castro Alves, em Salvador, o espaço cultural montado na Avenida Soares Lopes segue com atrações de teatro, música e dança, além de cursos e oficinas.

O musical infanto-juvenil Auto do Boi da Cara Preta faz apresentação gratuita, às 18 horas desta sexta-feira (08), no largo do Teatro Municipal de Ilhéus. O espetáculo da Cia Boi da Cara Preta faz parte da Semana Jorge Amado de Cultura e Arte. A iniciativa é promovida pela Secretaria Municipal de Cultura em comemoração ao aniversário do célebre escritor grapiúna.

O mímico peruano Jhonatan Ocampo Vigo vai ministrar curso sobre o uso da linguagem corporal, técnicas da expressão, interpretação e criação. Os encontros serão aos domingos das 9 às 13 horas, nos dias 10, 17, 24 e 31. Além das aulas, serão realizadas intervenções pelas ruas de Ilhéus. A taxa de inscrição custa R$ 70. Titulares do Cartão TPI – programa de fidelidade da Tenda – têm 10% de desconto.

A Cia de Dança Sôanne Marry apresenta o espetáculo Casa de Farinha, nos dias 22 e 29, às 20 horas. As entradas custam R$ 20 inteira e R$ 10 meia para estudantes, idosos e associados do Cartão TPI. E no dia 23, acontece o encontro musical Consciência Alternativa, trazendo 10 apresentações de grupos de hip-hop com MCs e DJs, a partir das 17 horas. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5.

:: LEIA MAIS »

VEREADOR CRITICA PARALISAÇÃO DE OBRAS DO CENTRO DE CULTURA

Júnior Brandão cobra retomada e conclusão de obras.

Júnior Brandão cobra retomada e conclusão de obras.

O líder do PT na Câmara de Itabuna, Júnior Brandão, cobrou hoje (21) a retomada e conclusão das obras de reforma do Centro de Cultura Adonias Filho. Como denunciado ontem aqui no PIMENTA, as obras foram iniciadas em agosto do ano passado, sem previsão de término (relembre aqui).

Brandão critica a suspensão das obras, o que causou ““enorme prejuízo aos artistas e aos admiradores da arte e da cultura”. O vereador petista disse que nenhuma explicação foi dada à comunidade quanto à paralisação.

– Se houve problema com a empresa que vinha executando a obra, por que, então, não se contratou outra para retomar os serviços? -questiona.

Brandão disse ter apresentado indicação à Câmara para que seja enviado ofício ao governador Jaques Wagner. O documento é para cobrar a retomada e conclusão das obras.

CENTRO DE CULTURA FECHADO HÁ UM ANO

Fachada do Centro de Cultura antes da reforma.

Fachada do Centro de Cultura antes da reforma (Foto Google).

Vergonhoso. Itabuna está há quase um ano sem poder receber espetáculos de médio porte. O governo baiano iniciou as obras de reforma do Centro de Cultura Adonias Filho (CCAF) em agosto do ano passado. E elas seguem a passos lentos, lentíssimos em mais um espetáculo deprimente a revelar como os governos andam tratando a nossa cultura.

Pior: o município não possui espaço semelhante para abrigar produções teatrais. Mais estranho é que há um silêncio (ensurdecedor!) da classe artística quanto ao ritmo (desrespeitoso) da obra.

CULTURA: CARTÃO TPI OFERECERÁ ATÉ 15% DE DESCONTO EM LIVRARIA ILHEENSE

Karoline Vital, do TPI, e Bruno Vita, da Papirus, exibem termo de parceria.

Karoline Vital, do TPI, e Bruno Vita, da Papirus, exibem termo de parceria.

Quem possui Cartão do Teatro Popular de Ilhéus (TPI) terá 10% de descontos em livros e 15% de descontos nos demais produtos da Papirus Livraria, em Ilhéus, que se tornou a mais nova parceira do programa de descontos e de incentivo à cultura.

– Nossa intenção é aumentar a rede de parceiros para oferecer ainda mais benefícios aos nossos associados, que já têm direito a pagar meia-entrada durante um ano em todos os espetáculos da Tenda, além de abatimento nas mensalidades de cursos e oficinas – disse o coordenador administrativo do TPI, Antônio Melo.

O Cartão TPI tem, ainda, como parceiros a Pizzaria Pinocchio e a Lanchonete Praça do Mestre, que concedem desconto de 5% em refeições e lanches a titulares do cartão. O benefício é garantido com a apresentação do cartão e de documento de identidade com foto.

O termo de parceria do Teatro Popular de Ilhéus com a Papirus foi assinado pelo gerente da loja, Bruno Vita, e a coordenadora de comunicação do TPI, Karoline Vital. A loja fica no Shopping It´Art, no calçadão da Dom Pedro II, no centro histórico de Ilhéus.

Para ter direito ao benefício, o associado deverá apresentar o Cartão TPI e um documento de identidade com foto. Para se associar, é preciso preencher um cadastro e pagar a taxa anual de R$ 25,00.

Karoline explica que as empresas parceiras do Cartão TPI ganham espaço para expor suas marcas no espaço cultural, além do nome do estabelecimento ser incluído na mensagem de serviço, antes dos espetáculos. Em contrapartida, podem oferecer descontos ou brindes para os titulares do Cartão TPI. Informações pelo telefone (73) 4102-0580.

QUEM VAI COLHER O QUE ESTÁ SENDO PLANTADO AGORA?

Gerson MarquesGerson Marques | gersonilheus@gmail.com

Quem planta ventos colhe tempestades. São ovos de serpente que estão colocando no centro do debate político. Não haverá vencedores.

O clima contaminado pelo ano eleitoral está transformando  em uma guerra de mentiras e ódio o que deveria ser um debate construtivo de um país em busca de si mesmo. Nossas elites e seus veículos de comunicação estão plantando uma safra que será terrivelmente difícil colher, todos saíram perdendo. No afã de ganhar uma eleição, estão transformando  massas difusas, sem lideranças e sem causas articuladas em bombas relógios que fatalmente explodirão em seus colos.

Qualquer observador mais atento, que consiga concatenar ideias simples de sociologia, história e cultura, concluirá que esse clima de ódio insuflado terá que ser desaguado em algum lugar. As eleições passarão, têm data para acontecer, mas o plantado não será colhido nela. Ficará para depois, não se dissipará fácil seja vencedor o projeto atual ou o de oposição. Pior  ainda para a oposição, que terá somado contra si os insuflados de agora, com os movimentos tradicionais que se sentiram órfãos das urnas.

Chegaremos a um momento, em futuro próximo, que veremos os mesmos que agora aplaudem a queima de ônibus, as greves sem lideranças, o caos no centro das grandes cidades,  implorarem por uma repressão violenta, como forma de retomar a ordem. É de uma irresponsabilidade inigualável o que estão fazendo com o Brasil para se ganhar uma eleição. Lembra a história de envenenar o  boi para matar os carrapatos…

É bobagem achar que isso terminará em golpe militar. Esqueça. Nem os militares querem, nem existe clima para isso no mundo. O que sustenta uma ditadura é o controle das comunicações. Isso se tornou impossível hoje em dia, com o advento da internet e outras mídias.

Quem planta ventos colhe tempestades. São ovos de serpente que estão colocando no centro do debate político. Não haverá vencedores. Já o caos, sim, esse interessa a muitos, aos grandes esquemas de corrupção, aos grandes bandidos do trafego de drogas, armas, contrabando, aos políticos inescrupulosos, a certo tipo de mídia que acha que vende mais quanto pior for a notícia.

Querem tocar fogo na lona do circo sem parar para pensar que é debaixo dessa lona que vivemos e ganhamos nosso pão, mas sempre tem aqueles que poderão ir morar em Miami…

Neste sentido, a história se repete. Sempre que o Brasil avança, cria-se este clima para inviabilizá-lo, foi assim com Getúlio, no segundo governo, com João Goulart e com JK. Seria tão bom se nos déssemos ao trabalho de conhecer nossa própria história. Quem sabe assim não seríamos vitimas de nossa própria ignorância.

Gerson Marques é empresário e consultor de turismo.

MANZUÁ CAPTA RECURSOS PARA GRAVAÇÃO DE CD

A banda Manzuá existe desde 2009 e se tornou mais conhecida no sul da Bahia após a produção do documentário Memórias do Rio Cachoeira. Agora, o grupo, formado por gente da terra que faz um trabalho original e interessantíssimo, busca recursos para gravar seu primeiro CD, cem por cento autorial.

Para formar o capital necessário, a banda lançou uma campanha na internet, que você pode conhecer clicando aqui.

Abaixo, um vídeo sobre a banda produzido pela TV Uesc:

ILHEENSE FATURA PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO

Amaurih Oliveira é anunciado como vencedor na categoria Revelação (Foto Divulgação).

Amaurih Oliveira é anunciado como vencedor na categoria Revelação (Foto Divulgação).

O ator ilheense Amaurih Oliveira sagrou-se vencedor, na categoria Revelação, do Prêmio Braskem de Teatro. O premiação foi entregue nesta noite de quarta (23), no Teatro Castro Alves, em Salvador.

Amaurih faturou o prêmio por sua atuação na peça Éramos gay. O prêmio chega em um momento singular do ator. Em janeiro, Amaurih protagonizou com a colega Patrícia Pillar, em Amores Roubados (Globo), uma das cenas mais comentadas da televisão brasileira nos últimos anos.

Amaurih integrou por três anos o elenco do Teatro Popular de Ilhéus (TPI). Assim que foi indicado ao prêmio Braskem, o ator ilheense concedeu entrevista à jornalista Karoline Vital. Amaurih fala da carreira, do teatro e da cultura sul-baiana. A entrevista pode ser conferida aqui.

BELO ESPETÁCULO

Centenas de pessoas assistiram à encenação da Paixão de Cristo, no estádio Luiz Viana Filho, em Itabuna, no feriadão da Semana Santa. Por causa da greve da PM, neste ano o espetáculo ocorreu no domingo (Foto Eric Souza/Ficc).

Centenas de pessoas assistiram à encenação da Paixão de Cristo, no estádio Luiz Viana Filho, em Itabuna, no feriadão da Semana Santa. Por causa da greve da PM, neste ano o espetáculo ocorreu no domingo.  Cerca de cem atores participaram da produção dirigida por Marquinhos Nô. Há quase 20 anos, a encenação não era feita no estádio (Fotos Eric Souza/Ficc).

crucificação de jesus

TPI LANÇA CAMPANHA QUE MOSTRA COMO DOAR E RECEBER RESTITUIÇÃO DO IR

lll

Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes (Foto TPI).

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) lançou campanha para captar doações e patrocínios para manutenção do grupo e da tenda cultural na Avenida Soares Lopes. Sou Parceiro busca captar doadores pessoas físicas que optam pelo modelo completo de declaração do Imposto de Renda.

Os doadores podem aplicar até 6% do valor pago e recebê-lo, integralmente, na próxima declaração. Sendo pessoa jurídica, se a empresa for tributada em lucro real, o limite do percentual é de 4% do imposto devido e o investimento pode ser abatido ou deduzido.

LEI ROUANET

A campanha do TPI foi aprovada pela Secretaria de Fomento à Cultura do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, autorizando a captação de R$ 1,9 milhão para dinamização do grupo e apresentações de cinco espetáculos do seu repertório em Ilhéus.

O valor a ser captado também financiará remontagem, ensaios abertos e apresentação de A estória engraça e singela de Fuscão – o quase capão – e o cabo eleitoral, de Équio Reis;  turnê da ópera afro-rock 1789 em Salvador e no Rio de Janeiro; além de cursos e oficinas. Ao todo, serão 66 apresentações para um público estimado de mais de 13 mil pessoas.

– Qualquer valor pode ser depositado. A pessoa escolhe o destino do seu imposto e ainda colabora com a cultura brasileira – afirma  o diretor artístico do TPI, Romualdo Lisboa.

Os interessados devem efetuar depósito identificado com o valor desejado na conta bancária do projeto, aberta e supervisionada pelo Ministério da Cultura. O doador receberá comprovante de renúncia e será ressarcido no ano seguinte, seja como restituição ou abatimento no valor do IR a ser pago.

BRINDES A DOADORES

As pessoas físicas que doarem a partir de R$ 15 receberão brindes do Teatro Popular de Ilhéus. Há um kit de presentes diferenciados para cada valor, que podem incluir cartão postal, livros, Cartão TPI, DVDs e entradas gratuitas.

No caso de pessoas jurídicas, a empresa patrocinadora do projeto terá sua logomarca divulgada em material gráfico, releases, mídias digitais, CDs e DVDs. Para mais informações, os interessados podem ir à Tenda Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes, ou ligar para (73) 4102-0580, em horário comercial.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia