WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba



bahiagas





novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘demissões’

PENALTY DEMITE MAIS DE 100 FUNCIONÁRIOS EM ITABUNA

Penalty demite mais de 100 funcionários na unidade de Itabuna

A Penalty demitiu mais de 100 funcionários da fábrica de Itabuna, no sul da Bahia, neste final de semana. A empresa alegou estoque alto e baixas vendas no período. Nas unidades em Itabuna e em Itajuípe, a Penalty fabrica bolas e materiais esportivos e, agora, emprega cerca de 600 funcionários.

As demissões ocorrem após rumores de fechamento das fábricas nos dois municípios do sul da Bahia. A direção da empresa, em contato com o sindicato dos trabalhadores, o Sintratec, negou que vá deixar a região. Na última semana, a Penalty obteve, do governo do Estado,  mais 10 anos dez anos de isenções fiscais para operar no sul da Bahia.

Jéser diz que empresa negou intenção de deixar o sul da Bahia

Jéser Cardoso, do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Têxteis e de Calçados do Sul e do Extremo-Sul da Bahia (Sintratec), disse ao PIMENTA que manteve contato com a direção da empresa. “Eles nos disseram que já receberam isenção do governo do Estado e a pendência com o município [de Itabuna] já foi resolvida. Negaram que vá deixar o município”, disse.

Ao site, Jéser afirmou não confirmou se houve demissão em Itajuípe. A Penalty, marca que pertence à Cambuci, também concedeu férias coletivas a funcionários de um dos turnos da fábrica em Itabuna devido ao alto estoque, informou Jéser.

EMPRESAS DE ÔNIBUS PODEM DEMITIR 250 FUNCIONÁRIOS, DENUNCIA VEREADOR

Charliane e Enderson Guinho, juntos à esquerda, apontam preocupação com reajuste e demissões

Os vereadores Enderson Guinho e Charliane Sousa mostraram-se preocupados com a possibilidade de forte aumento no valor da tarifa do transporte coletivo urbano de Itabuna em julho. Os dois vereadores acompanharam, ontem (13), a audiência na Justiça do Trabalho em Itabuna.

Para Enderson Guinho, o fim da greve de 10 dias trouxe alívio para a população, porém veio acompanhado de uma preocupação: o aumento de  cerca de 17% na passagem de ônibus. A tarifa deverá saltar de R$ 3,00 para R$ 3,50 em julho.

Os rodoviários obtiveram reajuste de 5,1% no salário e 10% no tíquete refeição. “Ocorre que os empresários do setor de transporte condicionaram dar esse aumento se o Executivo reajustasse o valor da passagem. Entendemos que o valor de R$ 3,50, que deverá entrar em vigor no próximo mês, penalizará a população, principalmente os trabalhadores e os mais carentes” disse Charliane Sousa.

DEMISSÕES

Enderson Guinho denuncia uma possível onda de demissões nas empresas, apesar do reajuste de R$ 0,50 no valor da passagem. Ele ressaltou que o legislativo acompanhou toda a movimentação da greve e, segundo ele, existe a denúncia de que as empresas São Miguel e Sorriso da Bahia, que operam o transporte público em Itabuna, pretendem demitir 250 cobradores, “como alternativa para reduzir custos operacionais”.

A CORRUPÇÃO É A MAIOR CAUSA DE DEMISSÃO NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

A corrupção é a maior causa de demissões no serviço público federal

A Controladoria-Geral da União (CGU) informou, nesta segunda-feira (8), que irregularidades, principalmente a corrupção, levaram a expulsão de 506 pessoas do serviço público no ano passado. Foram registradas 424 demissões de funcionários efetivos; 56 cassações de aposentadorias; e 26 destituições de ocupantes de cargos em comissão. Os dados não incluem os empregados de empresas estatais, a exemplo da Caixa, Correios e Petrobras.

O principal motivo das expulsões foi a prática de atos relacionados à corrupção, com 335 das penalidades aplicadas ou 66% do total. Já o abandono de cargo, inassiduidade ou acumulação ilícita de cargos são fundamentos que vêm em seguida, com 125 dos casos. Também figuram entre as razões que mais afastaram servidores: proceder de forma desidiosa (negligência) e participação em gerência ou administração de sociedade privada.

Entre os atos relacionados à corrupção estão: valimento do cargo para lograr proveito pessoal; recebimento de propina ou vantagens indevidas; utilização de recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares; improbidade administrativa; lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.

:: LEIA MAIS »

PREFEITURA DE ITABUNA DEMITIRÁ 513 CONTRATADOS

Prefeitura demitirá 513 contratados em todas as secretarias || Divulgação

Prefeitura demitirá 513 contratados em todas as secretarias || Divulgação

A Prefeitura de Itabuna anunciou a demissão de 513 funcionários contratados temporariamente. Os desligamentos serão feitos de forma gradativa nos próximos dias e atingirão todas as secretarias. O governo alega queda de arrecadação.

Pelos números divulgados pelo prefeito Fernando Gomes, a arrecadação caiu 34% nos últimos meses. Saiu de uma média de R$ 50 milhões para R$ 33 milhões ao mês.

Além da necessidade de equilíbrio receita e despesa, o município estouraria, conforme projeções, o limite imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece gastos de, no máximo, 54% das receitas com o pagamento do funcionalismo.

CARGILL ENFRENTA PROTESTO CONTRA DEMISSÕES NA UNIDADE DE ILHÉUS

Funcionários fazem protesto em frente à unidade da Cargill.

Funcionários fazem protesto em frente à unidade da Cargill (Foto Divulgação).

Cerca de 30 funcionários e dirigentes sindicais participaram, nesta manhã de quarta (8), de um protesto contra demissões na unidade da Cargill em Ilhéus. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Moageiras de Cacau (Sindicacau), Luiz Fernandes Ferreira, a multinacional demitiu 14 funcionários na sexta (3) e ontem (7).

A unidade em Ilhéus possui cerca de 200 funcionários. “Mas já empregou 400”, observa Fernandes. O sindicalista aponta desmonte na unidade e diz que a empresa demitiu empregados com 22 anos de empresa e prestes a se aposentar. “Estão aumentando a terceirização [na unidade de Ilhéus]”, afirma.

Fernandes diz que a Cargill obteve financiamento da Desenbahia, há dois anos, para uma nova linha de produção em Ilhéus. “Nem gerou os 100 empregos prometidos nem fez linha de produção”, denuncia. O site não conseguiu contato com a empresa.

PROTESTO CONTRA DEMISSÕES FECHA AGÊNCIA DO BRADESCO EM ILHÉUS

Bancários fecham agência do Bradesco contra demissões.

Bancários fecham agência do Bradesco contra demissões.

O Sindicato dos Bancários de Ilhéus fechou a agência do Bradesco localizada em frente ao Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), no centro de Ilhéus, nesta segunda-feira (30).

A medida, de acordo com o presidente do sindicato, Rodrigo Cardoso, se deve à demissão, sem justa causa, de três funcionários, ocorrida na última sexta-feira (28).

A agência, prometem sindicalistas e funcionários do banco, seguirá fechada por 24 horas, não devendo, por isso, abrir aos clientes até a manhã de terça (31).

Os clientes que precisarem de serviços que podem ser executados fora da agência de origem tem a opção de usar a que está localizada no Edifício Cidade Ilhéus, também na região central.

EFEITOS DA CRISE

Fachada da Casa do Cartucho, na Avenida do Cinquentenário (Foto Reprodução).

Fachada da Casa do Cartucho, na Avenida do Cinquentenário (Foto Reprodução).

A crise econômica bateu forte em um dos setores da economia que mais empregam, o comércio. Dos 1.465 postos de trabalho fechados em Itabuna no período de janeiro a outubro, 519 demissões ocorreram no comércio. Ou seja, mais de um terço.

Nesta semana, nova piora na estatística.

A Casa do Cartucho, especializada em produtos de informática e com 11 lojas na Bahia, Sergipe e Alagoas, demitiu nova leva de funcionários em Itabuna. A loja tinha 23 funcionários e, agora, passou a trabalhar com apenas 3. Um baque. Ressalte-se que, além da crise, há um fenômeno que afeta as negociações físicas neste setor, as vendas online.

DECISÃO DO TCM É TRUNFO PARA JABES DEMITIR SERVIDORES

Palácio Paranaguá, sede do governo ilheense.

Palácio Paranaguá, sede do governo ilheense.

A reprovação, pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), das contas de 2014 de Jabes Ribeiro (veja aqui) vão dar o tom das ações que ele pretende tomar sobre demissões.

O tribunal alegou que pesou na reprovação o descumprimento do limite de gastos com pessoal, que deveria ser de 54%, mas está em 63% – Jabes diz que recebeu, em 2013, em 78%.

Com esse argumento, o prefeito pretende levar a cabo as demissões de servidores que, de acordo com a Constituição Federal, não possuem estabilidade (admitidos entre 1983 e 1988), além de colocar na rua cerca de 800 trabalhadores com contratos temporários.

Com o “respaldo” do TCM, que exige concurso público, JR consegue diminuir o índice com pessoal e realizar o certame. Mas vai amargar o descontentamento de mais de 400 trabalhadores, muitos com mais de 30 anos de casa.

DEMISSÕES EM CANTEIROS DE FERROVIA ATINGEM 1,15 MIL TRABALHADORES

Manifestações ocorreram  no sudoeste baiano ontem (Foto Divulgação).

Manifestações ocorreram no sudoeste baiano ontem (Foto Divulgação).

Cerca de 1.150 trabalhadores foram demitidos, nos últimos quatro dias, pelos consórcios das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que cruza a Bahia a partir da cidade de Ilhéus e segue até Figueirópolis, no Tocantins (TO). A denúncia de demissão em massa foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial da Bahia (Sintepav). Ao G1, o governo baiano justifica situação pelo atraso na aprovação orçamentária. A Valec, empresa responsável pela construção, comenta que não há paralisação da construção.

Na Bahia, a Fiol conta com cerca de 5.868 trabalhadores. De acordo com o Sindicato, há ameaças de outros desligamentos nos sete lotes. Operários demitidos caminharam pelas ruas da cidade de Jequié, onde fica o Lote 2, em protesto nesta quinta-feira (19). Na cidade, 700 dos 848 trabalhadores foram demitidos entre segunda (16) e terça-feira (17), informa o presidente do Sintepev, que também é deputado federal pelo PSB-BA, Bebeto Galvão. Ele diz que mais 150 trabalhadores de empresas terceirizadas ao consórcio foram demitidos.

PREFEITURA COMEÇA A DEMITIR CONTRATADOS

claudevane leiteO prefeito Claudevane Leite deve anunciar na próxima segunda (1º) quantos e quais serão os demitidos e exonerados  – entre contratados e comissionados – do governo. Vane não vai esperar até lá.

Funcionários contratados da Secretaria de Desenvolvimento Urbano foram demitidos na semana passada. São a parte fraca da história. Recebem pouco mais de um salário mínimo.

O maior número de demissões e exonerações será na área da saúde. O “bisturi” não será nada cirúrgico. Existem setores que serão obrigados a demitir em torno de dez contratados.

O argumento mais forte no geral é a queda de receita e, na saúde em especial, é a frustração da previsão de receita. O Governo Vane foi inábil ao negociar os termos da municipalização da saúde, perdendo quase R$ 2 milhões em receita por mês.

ITACARÉ: JARBAS DEMITE 200 CONTRATADOS

Jarbas: demissões.

Jarbas: demissões.

Servidores contratados para atuar na área educacional em Itacaré, no sul da Bahia, foram surpreendidos nesta segunda-feira (20) com uma lista de demissões.

A lista tem aproximadamente 200 nomes, entre pessoal de apoio da educação e professores. A revolta do pessoal é que não houve justificativa para a “tábua de graxa”. O prefeito Jarbas Barbosa (PSB) está em silêncio.

Internamente, a desculpa é que, passada a eleição, chegou a hora de ajustar o quadro de pessoal para fechar os gastos com a folha dentro do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 54%.

As demissões devem continuar durante a semana. A próxima pasta alvo da “limpa” será a Saúde, conforme informações de fonte do governo.

ITAJUÍPE: GILKA DEMITE 240 FUNCIONÁRIOS

Gilka demite 240 contratados.

Gilka demite 240 contratados.

A prefeita de Itajuípe, Gilda Badaró (PSB), acaba de demitir 240 servidores municipais. A área mais afetada pela decisão da prefeita foi a saúde. A pasta teve cem contratados demitidos.

A decisão foi tomada para “aliviar” a folha. Internamente, a prefeita teme que suas contas sejam reprovadas devido ao gasto com pessoal, que superava o limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 54% das receitas líquidas.

De acordo com informações obtidas pelo PIMENTA, os trabalhadores foram demitidos com a promessa de recontratação em fevereiro. A leva de demissões de contratados deve atingir outros municípios sul-baianos. Em Buerarema, o prefeito Guima Barreto (PDT) pretende demitir 200 contratados.

FTC DEMITE ASSESSORES

A crise realmente anda feia para os lados da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC). Mergulhada em dívidas trabalhistas, sob ameaça de perder sua sede em Itabuna (que pertence ao Município), a instituição começou a desmontar alguns setores.

Uma das áreas afetadas é a de assessoria de imprensa. Todos os jornalistas que trabalhavam nas unidades do interior foram desligados, a exemplo do que ocorreu em Itabuna, onde Erivaldo Bomfim saiu depois de prestar bons serviços à FTC durante 11 anos.

PROCURADORIA ACIONA JABES POR DEMITIR CONCURSADOS

Jabes é acionado pelo MPT por demitir concursados (Foto Pimenta).

Jabes é acionado pelo MPT por demitir concursados (Foto Pimenta).

A procuradoria do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Itabuna acionou judicialmente o prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, pela demissão ilegal de 79 concursados aprovados em concurso público contratados em 2012. A ação da procuradora Cláudia Soares tenta reverter as demissões.

Logo após assumir, o prefeito Jabes Ribeiro anulou as contratações, sob a alegação de aumento de despesas acima do teto permitido por lei (54% das receitas). As contratações tinham sido feitas pelo ex-prefeito Newton Lima no cumprimento de termo de ajustamento com o MPT.

A procuradora enfatiza que Jabes não conseguiu apresentar “qualquer  documento que comprovasse a justificativa” de aumento de despesa. Ela acrescenta, ainda, as 11 contratações, em abril, de funcionários demitidos no início do ano.

Dentre os pedidos, além de indenização por dano moral coletivo e multa de R$ 5 mil por servidor prejudicado, inclui-se a proibição de exoneração, demissão ou dispensa de qualquer servidor concursado “sem a instauração de inquérito administrativo que permita o amplo direito de defesa”.

PROFESSORES DE ILHÉUS FARÃO VIGÍLIA

Professores em assembleia nesta terça-feira, 22

Professores em assembleia nesta terça-feira, 22

Os professores de Ilhéus vão aumentar a pressão sobre o governo municipal, na tentativa de obter o pagamento dos salários de dezembro e do décimo terceiro, deixados em aberto pela gestão Newton Lima. Nesta sexta-feira, 25,  às 10 horas, os dirigentes da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), entidade vinculada à APLB / Sindicato, terão audiência no Palácio Paranaguá com o prefeito Jabes Ribeiro. Do lado de fora da sede do governo, professores estarão em vigília.

Além da regularização dos salários, a APPI, que promoveu assembleia nesta terça-feira, 22, cobra a revogação do decreto 006/2013, assinado por Jabes Ribeiro, que determinou a demissão de servidores concursados. A categoria protocolou ofícios junto ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público do Trabalho, sustentando a ilegalidade da medida.

O governo alegou a existência de vícios no concurso. Já a APPI observa que o processo seletivo, principalmente no que se refere à contratação de profissionais de educação, resultou de Termo de Ajustamento de Conduta.

AZALEIA DIZ QUE NÃO SUPORTOU “SUCESSIVOS PREJUÍZOS”

A empresa Vulcabras|azaleia divulgou nota em que explica os motivos do fechamento de suas filiais na Bahia, confirmando que a importação de calçados a preços baixos é responsável pela sua perda de competitividade.

“(A empresa) registrou sucessivos e elevados prejuízos financeiros em decorrência do aumento da competição, causado pela excessiva entrada de produtos importados a preços muito baixos, não compatíveis com a estrutura de custos da Vulcabras|azaleia na Bahia”, diz a nota.

Doze filiais da fabricante de calçados, situadas em cidades do sudoeste do Estado, serão fechadas, restando apenas a matriz em Itapetinga. Na nota, a indústria afirma que se compromete “a respeitar integralmente os direitos legais dos funcionários”.

DEMISSÕES TÊM IMPACTO DEVASTADOR

A Tarde

O fechamento de 12 unidades da Vulcabras Azaleia, anunciado na última sexta-feira, terá um impacto devastador na economia dos seis municípios-sede das fábricas. Ao todo, foram quatro mil trabalhadores demitidos.

Na pequena Firmino Alves, na microrregião de Itabuna, o fechamento da fábrica deixará desempregada cerca de 80% da mão de obra formal da cidade. Segundo dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho, Firmino Alves tem 693 empregos formais, dos quais 570 estão na unidade da Azaleia.

Em Itororó, também na região de Itapetinga, o impacto na mercado formal é da ordem de 60%. Dos 2.068 empregos formais, 1.242 estão na indústria calçadista.

A situação não é diferente em cidades como Caatiba, Itambé, Macarani, cujas economias estão fortemente calcadas na produção de calçados. Em Itapetinga, cidade-sede da Azaleia na Bahia, o impacto tende a ser menor, já que a matriz continua em funcionamento.

Leia mais

AZALEIA FECHA UNIDADES NO SUDOESTE

O blog Sudoeste Hoje informa que a indústria de calçados Azaleia anunciou o fechamento de todas as suas 12 unidades instaladas nas regiões de Itapetinga e Itororó. Apenas a fábrica principal, em Itapetinga, será mantida em funcionamento. A medida implica na possível demissão de 3.500 trabalhadores, o que é considerado um verdadeiro desastre econômico-social.

O encerramento das atividades da filiais da Azaleia foi anunciado pelos gerentes das unidades. A previsão é de que os funcionários trabalhem somente até o dia 14 de dezembro.

Existe o receio de que a indústria planeje no médio prazo encerrar totalmente suas atividades na Bahia.

BOMPREÇO DEMITE 12 EM ITABUNA

O Sindicato dos Comerciários de Itabuna se prepara para fazer barulho no hipermercado Bompreço. O motivo é a recém-anunciada demissão de 12 funcionários da unidade local, o que, para o Sindicato, foi um “presente de grego” em meio às festas de fim de ano.

“O Bompreço bateu recorde de vendas este ano e agora dá esse presente de grego aos funcionários e clientes”, afirma o presidente do Sindicato, Gilson Araújo. Ele diz que as demissões contribuem para aumentar o nível de stress e registro de doenças ocupacionais nos funcionários que ficam, considerando que a redução do quadro implica em aumento da carga de trabalho para os “sobreviventes”.

Outra vítima das demissões, segundo o sindicalista, são os clientes do hipermercado, em virtude da perda de qualidade do serviço. “Os clientes enfrentarão filas mais longas, além de empacotar suas mercadorias”, cita Araújo.

DOURADO BUSCA SOLUÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS DA AZALEIA

Dourado diz que medida da Azaleia foi selvagem

O presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Cláudio Dourado, prefeito de Ibicuí, está propondo que os trabalhadores a serem atingidos pelo fechamento de unidades da fabricante de calçados Azaleia se organizem numa cooperativa destinada à produção de calçados escolares. A ideia será discutida hoje pelo presidente  da Amurc com o secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correa.

Na semana passada, a Azaleia anunciou o fechamento de suas unidades de produção situadas nos municípios de Iguaí, Ibicuí, Itati, Potiraguá, Itarantim e Maiquinique, no centro-sul baiano. Para Dourado, a solução pode ser formar uma cooperativa e produzir calçados destinados a abastecer a rede escolar da Bahia e do Nordeste. Essa cooperativa utilizaria a estrutura a ser desocupada pela Azaleia.

O presidente da Amurc critica a decisão da indústria. Segundo ele, “a Azaleia tomou uma medida selvagem e não respeitou as famílias (dos trabalhadores), que tiveram suas vidas desnorteadas por conta da perda do emprego”.

AZALEIA FECHARÁ UNIDADES NA BAHIA

Após dar início à série de 1,5 mil demissões nas unidades espalhadas por 11 municípios do centro-sul baiano, a indústria de calçados Azaleia fechará as fábricas instaladas em Iguaí, Ibicuí, Itati, Potiraguá, Itarantim e Maiquinique. Aos funcionários está sendo oferecida a alternativa de poderem se transferir para a matriz em Itapetinga, no sudoeste baiano. É isso ou demissão.

As seis unidades empregam em torno de dois mil dos 16 mil funcionários da Azaleia na Bahia. Daqui a pouco, às 14h, o Ministério Público do Trabalho realiza audiência em Vitória da Conquista. A finalidade é discutir as demissões na fabricante de calçados que goza de isenções fiscais estaduais e federais. Confira mais no Blog do Thame.

O APRENDIZ 13

Direto do Kibeloco








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia