WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Dengue’

CAMINHADA CONTRA A DENGUE

A comissão de articuladores da mobilização contra a dengue no bairro Santo Antônio, em Itabuna, promove caminhada nesta sexta-feira, 11, pelas ruas daquela comunidade. A atividade começa às 14 horas, com saída e término na praça do bairro. Segundo os organizadores, serão percorridas as avenidas Itajuípe e José Monstans.

O objetivo é manter o alerta na prevenção contra o mosquito transmissor da dengue.

SEM MEMÓRIA NEM RESPONSABILIDADE

Quem é pego distraído por um assaltante costuma mudar de comportamento. Pelo menos por algum tempo, torna-se mais cauteloso, vigilante, às vezes desenvolve um medo incontrolável e até precisa de tratamento para sair de casa. A memória do fato ruim determina atitudes e decisões. Se não fosse a lembrança, nada mudaria.

Assaltaram Itabuna no verão de 2009 e não foram (só) os gatunos que você pode imaginar à primeira impressão. Os autores do crime foram milhões (ou bilhões, sei lá) de mosquitos Aedes aegypti, que se valeram de uma comunidade descuidada para se alastrar. Quieto e sorrateiro, o insetinho contaminou mais de 13 mil pessoas e matou nove, sendo a maioria delas crianças.

Seria plausível que o poder público, alarmado por tão pavoroso e hediondo assalto, adotasse políticas severas e contínuas de combate à dengue. Mas quase todo o ano de 2009 passou e somente nas proximidades do verão seguinte o governo local surgiu com uma bateria de mutirões que, em última análise, procuram suprir sem muito sucesso a falta de uma ação regular.

Atualmente, ouve-se falar menos de óbitos decorrentes da dengue, mas não porque o governo tenha adotado uma política séria de controle. A maior parte da população, depois do “assalto”, passou a ter mais cautela e evitar a formação de focos, embora ainda haja os incautos e para eles é como se não existisse dengue.

Quais foram as nove pessoas que a dengue matou na cidade de Itabuna em 2009? Seria de grande valor que elas fossem lembradas, tivessem seus nomes e fotografias gravados em um monumento construído em praça pública. Um monumento às vítimas, para que o sofrimento delas não deixasse de nos comover e alertar.

Em tempo: naqueles mutirões realizados após a grande epidemia de dengue em Itabuna, o governo municipal prometeu cestas básicas como prêmio a moradores da periferia que não tivessem focos em suas casas. Muitas pessoas carentes contavam com a ajuda e foram estimuladas por ela a entrar na campanha, mas o governo cometeu a desfaçatez de esquecer de entregar as cestas. E lá se vão quase dois anos!

É essa a grande “contribuição” do poder público para aumentar o nível de consciência da população.

Ricardo Ribeiro
ricardoribeiro@pimentanamuqueca.com.br

BRINCANDO COM A DENGUE

Alguns dos maiores focos de dengue em Itabuna são encontrados em terrenos baldios e construções, onde a fiscalização do serviço de controle de endemias é bastante fraca. O PIMENTA já denunciou uma obra no centro da cidade, na qual a laje era um criatório de Aedes aegypti. O mesmo ocorre em toda a cidade, onde falta consciência e o cuidado para evitar a formação de focos do mosquito é praticamente nenhum.

Na foto, registrada pelo blog no bairro Castália, percebem-se dois pontos onde colunas foram batidas. Com a chuva, pequenas “piscinas” se formaram e a água está acumulada há dias, oferecendo um lugar ideal para o inseto transmissor da dengue se proliferar.

É incrível, mas alguns já esqueceram o terrível verão de 2009, quando nove pessoas (a maioria crianças) morreram nesta cidade em consequência da dengue.

O MAU-EXEMPLO DE QUEM DEVERIA COMBATER A DENGUE

Esta pilha de pneus se encontra largada num terreno descoberto, sob sol e chuva, no bairro Banco Raso, em Itabuna. Mas não se trata de um terreno qualquer. Nele funcionou uma base de apoio da Coordenação de Controle de Endemias, que tem – entre suas principais atribuições – a de combater a dengue!

Parte da área hoje é ocupada pelo novo prédio do Tribunal Regional do Trabalho e, nos fundos, os próprios funcionários daquela Coordenação, vinculada à Secretaria Municipal da Saúde, despejam os pneus velhos.

A destinação irregular favorece a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. E esse risco é agravado pelo fato de que não se aplica nenhum larvicida nos pneus.

Uma senhora que reside no BNH, conjunto habitacional situado naquelas imediações, chegou a ser destratada por um funcionário da Secretaria Municipal da Saúde, quando tentou falar sobre o perigo ao qual os moradores estão submetidos.

TORPEDOS CONTRA A DENGUE

Mais de 6,2 milhões de pessoas de 36 municípios brasileiros, incluindo Itabuna e Ilhéus, vão receber mensagens via SMS, em celulares e de todas as operadoras, sobre como prevenir a dengue.

As cidades selecionadas são que as apresentam alto índice de risco da doença. O Ministério da Saúde, informou que 24 dos municípios se encontram em situação de risco de surto e 12 apresentaram incidência superior a 200 por cem mil habitantes. Informações d´A Região.

BA TEVE 1,6 MIL CASOS DE DENGUE EM JANEIRO

No primeiro mês de 2011, foram registrados mais de 1,6 mil casos de dengue na Bahia. Apesar de alto, o número representa uma queda, se comparado ao mesmo período do ano passado, quando o sistema de informação epidemiológica registrou 2.341 casos – redução de 31,3%.

Os municípios mais críticos, que concentram quase 61% dessas notificações, são Barreiras, Irecê, São Gabriel, Feira de Santana, Gentio do Ouro, Jussara, Ibipeba, Ilhéus, Ibititá e Cristópolis. Entretanto o risco de epidemia ainda é preocupante: das 417 cidades baianas, 198 apresentam “risco alto” ou “risco muito alto” de sofrer um epidemia de dengue neste ano. Informações do jornal A Tarde.

COMBATE À DENGUE EM ILHÉUS

O grupo ilheense auto-intitulado Coeso (sigla de Comitê de Entidades Sociais em Desfesa dos Interesses de Ilhéus e Região) apresentou esta semana ao prefeito Newton Lima um plano de ação para enfrentar o risco de uma epidemia de dengue no município.

A intenção do Coeso, que é formado por representantes de entidades sindicais e lideranças comunitárias, é envolver poder público e sociedade civil organizada, e programar uma série de mutirões nos bairros de Ilhéus. Um mapeamento será feito para priorizar as áreas com os maiores índices de infestação.

Newton Lima recebeu bem a iniciativa e dentro em breve será anunciado um cronograma de mutirões nos bairros.

DENGUE: ITABUNA E ILHÉUS FIGURAM NO “MAPA DE RISCO” DA DENGUE

A Bahia é um dos 16 estados brasileiros com risco muito alto de epidemia de dengue e possui sete dos 178 municípios brasileiros com risco de surto ou em situação de alerta para epidemia, segundo o novo Mapa de Risco para a Dengue no Brasil, divulgado pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Para combater esta situação, o ministro afirmou que o governo deve investir R$ 1,08 bilhão nas ações de enfrentamento da doença neste verão. Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Juazeiro, Ilhéus, Itabuna e Camaçari estão entre os 70 municípios brasileiros que serão submetidos a monitoramento semanal dos casos, podendo até mesmo ganhar reforço de ações de saúde para evitar a proliferação de casos graves da doença.

Esse grupo de cidades foi classificado pelo chamado “risco dengue”, que cruza os números da infestação pelo mosquito Aedes aegypti com a densidade populacional e o tamanho da rede de atenção à saúde. Informações d´A Tarde.

COESO PREOCUPADO COM A DENGUE

O Coeso (Comitê de Entidades Sociais em Defesa dos Interesses de Ilhéus e Região) pretende se engajar no combate à dengue. Representantes da entidade afirmam que o índice de infestação superior a 6% e a inclusão de Ilhéus entre as cidades brasileiras com risco de enfrentar epidemia neste verão justificam a mobilização.

Aldicemiro Duarte, coordenador-geral do Comitê, adianta que serão enviados ofícios esta semana ao prefeito Newton Lima, ao secretário da Saúde Jorge Arouca e representantes de entidades da sociedade civil organizada e Ministério Público. No documento, o Coeso propõe um plano de emergência contra a dengue.

Um dos pontos da estratégia inclui a realização dos conhecidos mutirões para o controle dos focos nas comunidades.

ITABUNA TEM CASO SUSPEITO DE DENGUE HEMORRÁGICA

O verão nem começou e a dengue hemorrágica já assusta Itabuna. A Vigilância Epidemiológica investiga um caso suspeito de dengue hemorrágica, forma mais agressiva da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Uma criança residente na rua São Bento, no Pedro Jerônimo, apresentou quadro clínico da doença e foi internado no Cemepi (antigo Ipepi).

Nesta sexta-feira, 10, a Sétima Diretoria Regional de Saúde (7ª Dires) determinou a aplicação de fumacê em todo o quarteirão onde mora L.M.S. Material foi coletado e enviado ao Laboratório Central (Lacen), em Salvador, para exame que dirá se a criança foi mesmo vítima da doença.

Os cuidados estão sendo redobrados, pois um levantamento realizado em novembro mostrou que Itabuna corre risco de enfrentar uma nova epidemia de dengue neste verão. O LIRAa, levantamento realizado pela prefeitura e Ministério da Saúde, detectou que 9,3% das casas itabunenses têm focos de larvas do Aedes aegypti. O percentual é mais de oito vezes o aceitável por organismos internacionais de saúde.

AZEVEDO PROMETE CESTAS BÁSICAS, MAS NÃO ENTREGA

O prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, realmente é do tipo que promete e não cumpre. Nada menos que 600 famílias foram enganadas pelo chefe do executivo municipal, pois até hoje esperam pelas cestas básicas que foram prometidas no início de 2010 a proprietários de imóveis na periferia da cidade onde não havia focos de dengue.

A ideia era estimular a população a evitar a formação de criadouros do mosquito Aedes aegypti nas casas. Proposta louvável, embora esse cuidado não passe de uma obrigação de cada cidadão que tenha um mínimo de responsabilidade.

Mas, enfim… O governo prometeu as tais cestas básicas, cujos contemplados eram sorteados ao final de mutirões realizados nos bairros. Sorteou, mas não entregou nenhuma. E até hoje os ganhadores esperam o prêmio.

Segundo informações obtidas pelo PIMENTA, a entrega das cestas de alimento era assunto que, no governo Azevedo, estava sob a responsabilidade do ex-diretor de Planejamento da Secretaria da Saúde, Antônio Carrero, e da secretária particular do prefeito, Joelma Reis. E, pelo que consta, os alimentos foram comprados.

Só não se sabe porque até hoje não chegaram ao destino. Pelo menos ao destino correto…

ITABUNA E ILHÉUS CORREM RISCO DE SOFRER EPIDEMIA DE DENGUE, DIZ MINISTÉRIO

Itabuna e Ilhéus aparecem na relação de 24 cidades brasileiras que correm risco de sofrer epidemia de dengue no próximo verão. A lista foi divulgada pelo Ministério da Saúde e se baseia nos resultados do Levantamento Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa).

O levantamento detectou que 9,1% das residências de Itabuna possuem larvas do mosquito transmissor da dengue. Em Ilhéus, o percentual de casas com focos do Aedes aegypti alcançou 6,3%. Outro município baiano que pode ter epidemia da doença neste verão é Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, com 5,3% de infestação.

Os percentuais apurados nos três municípios estão bem acima do considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de menos de 1%. Tanto Ilhéus como Itabuna registraram casos por morte de dengue hemorrágica em 2010. No ano passado, Itabuna enfrentou epidemia que matou 9 pessoas e a cidade registrou mais de 15 mil casos da doença.

MOBILIZAÇÃO CONTRA A DENGUE

A coordenadora do Grupo de Trabalho Ampliado da Dengue na Bahia, Elisabete França, e a representante do Grupo de Trabalho da Dengue da Fundação Luís Eduardo Magalhães, Melyssa Santos Neves, estarão em Ilhéus nesta terça-feira, 30. Às 13h30min, elas concedem entrevista coletiva à imprensa no auditório da Justiça Federal, onde darão informações sobre o projeto de mobilização social para a prevenção e o controle da dengue.

O projeto será realizado nos municípios baianos com maior risco de enfrentar uma epidemia da doença. São eles Ilhéus, Itabuna, Salvador, Porto Seguro, Teixeira de Freitas, Feira de Santana, Irecê, Guanambi, Jequié e Senhor do Bonfim.

INFESTAÇÃO DE DENGUE EM ITABUNA ATINGE 9,1%

RISCO É DE SURTO EPIDÊMICO DA DOENÇA

Itabuna foi o quarto município brasileiro dentre os de maior índice de infestação por larvas do mosquito da dengue, segundo apurou o Ministério da Saúde. O estudo detectou que 9,1% das residências visitadas em Itabuna pelos agentes tinham focos do Aedes aegypti.

O percentual é superior aos registrados em municípios como Ilhéus (6,3%) e Simões Filho (5,3%), antes apontados como os campeões baianos. Os números de Itabuna foram conhecidos somente agora porque a prefeitura local retardou o envio dos dados para o Ministério da Saúde.

O percentual foi colhido no último Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), aplicado pela prefeitura com a supervisão do Ministério da Saúde em outubro.

No LIRAa 2010, os municípios campeões foram Afogados da Ingazeira (PE), com 11,7% de infestação, Ceará-Mirim (RN), com 11,4%, e Bezerros (PE), com 10,2%. Itabuna vem em seguida com 9,1%. O percentual é mais que nove vezes o aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O município sul-baiano registrou mais de 15 mil casos de dengue em 2009, sendo a maior epidemia da doença no município e acabou matando nove pessoas.

BLOGUEIROS FALAM SOBRE A DENGUE EM ILHÉUS

Abaixo, o primeiro bloco do segundo “N Blogs”:

DESCASO COM A DENGUE

Tonéis abandonados pela Prefeitura estão se tornando focos de dengue (foto Zeka)

A terrível experiência que Itabuna viveu com a dengue no início de 2009, quando houve o registro de nove mortos,  tão cedo não sairá da memória da população. Mas parece já ter sido esquecida pelo governo municipal.

Na avenida Aziz Maron, onde deixou a recomposição de um passeio inconclusa, a Prefeitura abandonou três tonéis que eram utilizados na obra. Os serviços foram interrompidos faz tempo, mas os trambolhos estão lá, acumulando água e se transformando em berçário de Aedes aegypti.

Isso às vésperas do verão, que é o período crítico para o controle da dengue, e com a Bahia incluída entre os estados que deverão enfrentar epidemia da doença.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia