WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Dilma Rousseff’

DILMA EXONERA MENDES RIBEIRO E OUTROS DOIS MINISTROS

Os presidentes do Senado, Renan Calheiros, da Câmara, Henrique Alves, e o vice-presidente Michel Temer vão se reunir com a presidente Dilma Rousseff na tarde desta sexta (15) para confirmar os nomes e as pastas dos ministros do PMDB na reforma ministerial.

O ministro de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco, irá para Secretaria da Aviação Civil e a pasta de Agricultura sairá das mãos de Mendes Ribeiro para o deputado Antonio Andrade (MG). Até agora, ainda não está definido o comando da Secretaria de Assuntos Estratégicos, oferecida a Mendes Ribeiro, que não anunciou se aceita o convite.

O PDT continua com o Ministério do Trabalho. Dilma acertou a substituição de Brizola Neto por Manoel Dias, atual secretário-geral do partido. Ainda há dúvidas sobre a participação de PR e PSD nas mudanças ministeriais. Informações do Bahia Notícias.

DILMA ROUSSEFF PROMULGA LEI DOS ROYALTIES

amorim charge royaltiesA presidente Dilma Rousseff promulgou na noite de ontem, 14, a nova lei que trata da distribuição dos royalties do petróleo, após o Congresso Nacional ter derrubado os vetos da presidente à parte do texto original. A íntegra da nova lei foi publicada na edição de hoje, 15, do Diário Oficial da União (confira aqui).

Pela lei, a União tem sua fatia nos royalties reduzida de 30% para 20%. Os estados produtores terão redução de 26,25% para 20%. Os municípios confrontantes (que fazem divisa com os produtores) sofrerão a seguinte redução: de 26,25% passam para 17% e chegam a 4% em 2020.

Os municípios afetados pela exploração de petróleo também sofrerão cortes: de 8,75% para 2%. Em contrapartida, o percentual a ser recebido pelos estados e municípios não produtores saltará de 8,75% para 40%.

:: LEIA MAIS »

VIAGEM DE DILMA ADIA INAUGURAÇÃO OFICIAL DA FONTE NOVA

Fonte Nova terá inauguração festiva no dia 7 de abril (Foto Manu Dias).

Fonte Nova terá inauguração festiva no dia 7 de abril (Foto Manu Dias).

O governo baiano adiou a inauguração oficial do estádio Arena Fonte Nova, marcada para a próxima segunda, 18. O adiamento se deve à viagem da presidente Dilma Rousseff a Roma, onde participa da cerimônia de entronização do novo papa, Francisco, próxima terça, 19, às 8h30min.

A viagem da presidente da República foi anunciada nesta tarde de quinta, 14, pelo porta-voz da presidência, o jornalista Thomas Traumann. Apesar do adiamento da inauguração oficial, está mantida a inauguração festiva da Arena Fonte Nova, em 7 de abril, com o jogo Bahia x Vitória, pelo Baianão 2013, além de shows com artistas como Ivete Sangalo.

A Nova Arena Fonte Nova recebeu investimentos de, aproximadamente, R$ 600 milhões e será o primeiro estádio totalmente reconstruído a ser entregue para a disputa da Copa das Confederações, em junho, e da Copa do Mundo 2014. Salvador será uma das sedes das duas competições organizadas pela Fifa.

PESQUISA REVELA QUE SÓ 23,2% DOS ITABUNENSES APROVAM GOVERNO VANE

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

A Sócio-Estatística fez levantamento com 808 itabunenses, no período de 1 a 8 de março. Os resultados levam preocupação ao prefeito Claudevane Leite (PRB) e – mais ainda – ao ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).

Com pouco mais de dois meses de gestão, o Governo Vane obteve apenas 23,2% de avaliação positiva, percentual praticamente igual ao dos que consideram a gestão ruim ou péssima: 20,8%.

A margem de erro do levantamento é de 4 pontos percentuais.

O percentual dos que avaliam o governo como regular atingiu 21,5%. Dos eleitores ouvidos,  34,5% não quiseram emitir opinião.

Para Agenor Gasparetto, da Sócio-Estatística, a avaliação do governo tende levemente ao positivo, mas a administração “terá que provar que será capaz de ir além de boas intenções e bons propósitos”. O itabunense, diz Gasparetto, está mais exigente.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses (Foto Bahia Online).

A pesquisa também aferiu o humor do eleitorado em relação ao finado governo de José Nilton Azevedo (DEM).

Exatos 52,1% dos pesquisados avaliaram como negativa a administração do ex-prefeito, sendo que, destes, 42,9% cravaram como “péssima” a gestão do democrata. A aprovação ficou em 21,1%.

Palavras de Gasparetto: “Essa avaliação praticamente sela a sorte de Azevedo como político no curto prazo. Saiu mal do governo e sair mal não é uma boa notícia e não emite sinais alvissareiros para o futuro, muito pelo contrário”.

A Sócio-Estatística ainda perguntou ao eleitor itabunense sobre as gestões de Dilma (muito bem avaliada) e de Wagner (tendendo ao negativo) e mandatos de deputados itabunenses: os estaduais Augusto Castro e Gilberto Santana têm avaliação tendendo ao positivo, enquanto o federal Geraldo Simões é mais conhecido (está no terceiro mandato de deputado e foi duas vezes prefeito de Itabuna), mas a visão que o itabunense tem dele, no geral, tende ao negativo. Atualizado às 13h37min.

DIVULGADA MP QUE ZERA IMPOSTOS DA CESTA BÁSICA

3DilmaEdição extra do Diário Oficial da União, com data de sexta-feira e divulgada nesta segunda-feira, traz a Medida Provisória 609 com a desoneração de impostos federais de produtos que compõem a cesta básica.

De acordo com a MP, foi reduzida a zero a incidência das contribuições federais PIS/Pasep e Cofins sobre a venda interna e de importações dos seguintes produtos: carnes (bovina, suína, ovina, caprina, e de aves), peixes, café, açúcar, óleo de soja, manteiga, margarina, sabonete, pasta de dente e papel higiênico. Estes três últimos itens não faziam parte da cesta básica e foram acrescentados pelo governo.

Outros produtos da cesta básica como arroz, feijão, farinha de trigo ou massa, batata, legumes, pão e frutas, já contavam com desoneração. A desoneração da cesta básica foi anunciada na sexta, 8, pela presidente Dilma Rousseff.

Na mesma edição extra do D.O. também foi publicado o decreto 7.947, que reduz a zero o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de sabonetes e açúcar. Informações do Valor.

DILMA ANUNCIA DESONERAÇÃO DA CESTA BÁSICA E MANDA RECADO PARA AGRESSOR DE MULHER

dilmaA presidente Dilma Rousseff ocupou mais de 11 minutos em cadeia nacional de televisão para anunciar o fim da cobrança de impostos federais em produtos da cesta básica. Com a decisão, o governo espera queda de 9,25% a 12,5% no preço final dos produtos.

A desoneração incide sobre produtos como carnes bovina e suína, aves e peixes, feijão, arroz, leite integral, café, açúcar, farinhas, pão, óleo, manteiga, frutas e legumes. Também foram incluídos neste grupo, sabonete, papel higiênico e pasta de dente.

A presidente brasileira também aproveitou para mandar recado – duro – contra homens que agridem mulheres, fechando o discurso em cadeia nacional:

– Faço um especial apelo e um alerta àqueles homens que, a despeito de tudo, ainda insistem em agredir suas mulheres. Se é por falta de amor e compaixão que vocês agem assim, peço que pensem no amor, no sacrifício e na dedicação que receberam de suas queridas mães. Mas se vocês agem assim por falta de respeito ou por falta de temor, não esqueçam jamais que a maior autoridade deste país é uma mulher, uma mulher que não tem medo de enfrentar os injustos nem a injustiça, estejam onde estiverem.

Confira vídeo com a íntegra do discurso da presidente, que destacou o Dia da Mulher.

WAGNER E DILMA NA DESPEDIDA A CHÁVEZ

Chávez recebeu Wagner no Miraflores em março de 2009 (Foto Divulgação).

Chávez recebeu Wagner no Miraflores para tratar de dengue e investimentos (Foto Francisco Batista).

O governador Jaques Wagner embarcará com a comitiva presidencial brasileira que irá a Caracas, na Venezuela, para participar das últimas homenagens a Hugo Chávez, presidente venezuelano morto na última terça-feira, 5, vítima de câncer.

O corpo do comandante venezuelano será enterrado nesta sexta, 8. Wagner lembra das visitas de Chávez ao estado e das colaborações do presidente do país vizinho em ações de combate à dengue na Bahia. O voo a Caracas está marcado para o meio-dia de hoje.

Wagner esteve em missão oficial, na Venezuela, há exatos quatro anos (relembre aqui). Em março de 2009, o governador baiano foi recebido por Chávez, no Palácio Miraflores, quando foi tratar de projeto na área petroquímica e ações de combate à dengue na Bahia.

O país sul-americano havia enfrentado uma grande epidemia de dengue em 2006.

COLUNISTA D´O GLOBO DIZ QUE GEDDEL TENTA DESESTABILIZAR RELAÇÃO ENTRE DILMA E PMDB

Geddel: "humilhado" com cargo 'de m...." na Caixa.

Geddel: jogando com o inimigo.

O jornalista Jorge Bastos Moreno, d´O Globo, diz em seu blog que os irmãos Vieira Lima jogam para promover a discórdia na relação Dilma Rousseff-PMDB.

A nota começa falando da negativa do governo em relação a um possível, porém improvável, rompimento entre petistas e peemedebistas. E explica por que a presidente da República, hoje, não pôde falar de nova dobradinha com o PMDB em sua estratégia de reeleição. A presidente participou de convenção peemedebista.

Na parte final da nota, Bastos Moreno atribui a Geddel Vieira Lima, hoje na Caixa Econômica, e ao deputado Lúcio Vieira Lima a estratégia de parte do PMDB em desestabilizar a relação com o governo, já com vistas a 2014.

Eis parte do texto:

“O Planalto identificou nos irmãos Geddel/Lúcio Vieira Lima toda a tentativa de desestabilizar a relação do governo com o PMDB.

Geddel mesmo reconhece que seu cargo no governo não passa de uma sinecura.

Dilma só ainda não o demitiu porque é malvada: quer humilhá-lo nesse cargo insignificante.

Dilma alega que não perde tempo com Geddel.

Geddel, por sua vez, fala mal da Dilma pra todo mundo e diz que não tem medo de perder “esse cargo de….”, ah, vc sabe, leitor, como diria Ancelmo.”

Confira aqui a íntegra da nota.

WAGNER DEFENDE ALIADO NA DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA EM 2018

Wagner defende aliado na disputa presidencial em 2018.

Wagner defende aliado em 2018.

O governador Jaques Wagner surpreendeu petistas em sua passagem pela capital pernambucana, na noite da segunda-feira, 25, quando defendeu que o PT abra espaço na disputa pela presidência da República a um dos partidos aliados em 2018. O gesto, logo em Recife, foi visto como uma forma de agradar o governador Eduardo Campos, que é do PSB e faz jogo (não tão claro) com vistas à disputa de 2014.

– Eu posso falar que em 2018 a gente vai inteirar 16 anos de governo, de um projeto político que tem aliados sem os quais a gente não teria andado e que tem o PT na condução; mas que não tem, obrigatoriamente, que ter o PT na condução.

Wagner, segundo reportagem do Valor, também disse que a melhor forma é “caminhar agregando” para que não dar chances aos adversários. Afirmou isso ao discorrer sobre alianças e participação do PSD no governo da presidenta Dilma Rousseff.

Enquanto isso, não se sabe qual o jogo de Wagner para 2014 na sua área, a Bahia. O partido dele, o PT, tem, pelo menos, quatro nomes na disputa pela cadeira principal do Palácio de Ondina, dos quais se destacam o senador Walter Pinheiro e os secretários estaduais José Sérgio Gabrielli e Rui Costa.

Do lado da oposição, nomes ventilados são os do peemedebista Geddel Vieira Lima e do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que – por enquanto – descarta entrar na disputa do próximo ano.

PDT OSCILA ENTRE DILMA E EDUARDO CAMPOS

Do Blog do Josias

Dilma Rousseff joga na reforma ministerial de 2013 a sorte da coligação de 2014. A chance de perder aliados cresce na proporção direta da sua capacidade de colecionar desafetos. Sócio de médio porte do condomínio governista, o PDT já oscila entre Dilma e o neopresidenciável Eduardo Campos.

Presidente do PDT federal, Carlos Lupi tornou-se um governista de dois gumes. Negocia com Dilma ao mesmo tempo em que flerta com o PSB de Campos. Longe dos refletores, informa que, desatendido por uma, não deixará de considerar a hipótese de associar-se ao outro.

Para Dilma, o PDT está representado na Esplanada pelo deputado Brizola Neto, ministro do Trabalho. Expurgado dessa pasta na pseudofaxina de 2011, Lupi discorda. Alega que o neto de Leonel Brizola virou ministro por vontade de Dilma, não por indicação do partido. Quer manter o ministério. Mas com outro ministro.

Além da fisiologia de Lupi, um pedaço do PDT nutre simpatias por Eduardo Campos por razões menos inconfessáveis. Parte da legenda enxerga no governador pernambucano uma alternativa à hegemonia exercida por PT e PMDB.

Leia mais

 

DILMA “APRESSOU” O BARBUDINHO

De forma incomum, o governador Jaques Wagner cumpriu compromissos em Itabuna e Ibicaraí, hoje, dentro da agenda. Em Ibicaraí, aliás, ele iniciou a solenidade de inauguração do trecho repavimentado da BR-415 minutos antes do programado, que era 9 horas. E voou para Itabuna, para assinar a ordem de serviço da Barragem do Colônia.

Ao final dos compromissos no sul da Bahia ele explicou a sincronia com o relógio alheio: precisava chegar em Salvador às 13h30min, para despedir-se da presidente Dilma Rousseff, que encerrou hoje o período de férias – e clausura – na bela Praia de Inema, na capital baiana e de frente para a Baía-de-Todos-os-Santos.

PT CAMINHA PARA APOIAR GOVERNO VANE

geraldo simões derrotaO deputado federal Geraldo Simões caminha para sofrer uma grande derrota no diretório local do PT. As executivas nacional e estadual do partido defendem apoio à gestão do prefeito Claudevane Leite, Vane do Renascer (PRB), mas Geraldo resiste. Ainda não se refez do resultado eleitoral em que a esposa, Juçara Feitosa (PT), terminou em terceiro lugar com apenas 16.837 votos, quase um terço das votações individuais de Vane (45.623) e Capitão Azevedo (44.516).

Ainda nesta semana, o diretório e a executiva locais decidirão para qual lado a “estrelinha” deve ir. É forte a tendência de apoio ao prefeito eleito, seguindo orientações dos diretórios estadual e nacional. O “racha” acontece dentro da ala de apoio ao parlamentar, enquanto outros grupos já sinalizaram que vão apoiar a nova gestão municipal, a exemplo daqueles ligados ao deputado federal Josias Gomes.

– Geraldo quer que façamos, contra Vane, uma oposição que nem o Capitão Azevedo (DEM) teve. Ele é pobre em humildade – diz uma fonte que defende apoio ao governo do ex-petista.

O partido de Vane, o PRB, é da base de sustentação dos governos de Jaques Wagner e da presidente Dilma Rousseff. As movimentações locais fizeram com que Geraldo deixasse Salvador para se abrigar em Luzimares (zona norte de Ilhéus) e se mobilizasse na tentiva de evitar a derrota iminente.

Enquanto os dirigentes discutem, petistas começam a ganhar espaço no Governo Vane. Ex-assessor de Geraldo, o comerciante Erivaldo Matos está praticamente confirmado no comando do matadouro municipal, que será gerido em sistema de cooperativa.

Figura histórica do partido, Luciano Estevam já trabalha no gabinete do prefeito, numa composição do próprio Vane com o deputado federal Luiz Alberto (PT). O partido da estrelinha também ganhará espaço na Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), que será transformada em autarquia e se chamará Empresa Municipal de Saneamento Ambiental (Emasa) por uma decisão do prefeito itabunense.

Numa entrevista exclusiva ao PIMENTA em novembro, Vane já sinalizava que o Partido dos Trabalhadores teria espaço em seu governo. Mas deixou claro que fecharia portas para o PT do G, como é chamada a ala geraldista do partido ao qual o prefeito era filiado até setembro de 2011 e dele saiu para concorrer à prefeitura.

DILMA PASSARÁ RÉVEILLON NA BAHIA

Pelo segundo ano consecutivo, a presidente Dilma Rousseff vai passar o réveillon na Praia de Inema, na Base de Naval de Aratu, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Na virada para o ano de 2012, ela esteve no local com a família por dez dias. Na época, Dilma não participou da festa que aconteceu à beira-mar para os moradores da vila militar.

No último réveillon, Dilma foi bastante discreta e passou a maior parte do tempo longe das lentes dos fotógrafos, que costumam acompanhar a rotina da presidente à beira mar. Durante a visita da presidente, a área, que é cercada por muros e protegida por militares, também ganha proteção marítima reforçada. Informações do Correio.

COM 78% DE APROVAÇÃO, DILMA ATINGE NOVO RECORDE DE POPULARIDADE

Dilma: novo recorde de popularidade.

Dilma: novo recorde de popularidade.

A presidente Dilma Rousseff atingiu novo recorde de popularidade na série de pesquisas encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Ibope. A aprovação à presidente brasileira atingiu 78% ante os 77% de setembro deste ano.

A pesquisa também aferiu que 62% aprovam a gestão petista, mesmo patamar atingido em setembro. O índice de confiança na presidente permaneceu estável em 73%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios, de 6 a 9 de dezembro. A margem de erro do levantamento do Ibope é de 2 pontos percentuais.

“A FOTO”

Foto de Lúcio Távora, da Agência A Tarde, ilustra a capa do jornal dos Simões. Traz a presidente Dilma Rousseff num tête-à-tête com o governador baiano, Jaques Wagner.

PMDB VERSUS PSB

Marco Wense

Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A bola da vez, quando o assunto envereda para a disputa do Palácio do Planalto, é o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Todo esse oba-oba, envolvendo o neto do saudoso Miguel Arraes, decorre do sucesso eleitoral do PSB, que foi a sigla que mais cresceu (40% a mais de prefeitos) desde 2008.

Não é o bom desempenho da legenda que vai ditar as regras para a eleição presidencial de 2014. A candidatura de Campos está condicionada a uma queda acentuada na popularidade da presidenta Dilma Rousseff.

A verdadeira disputa é o PMDB versus PSB. Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A ELEIÇÃO DE HADDAD

É evidente que o ex-presidente Lula tem os seus méritos e foi o grande responsável pela vitória de um “poste” na sucessão paulistana.

O então candidato Fernando Haddad saiu do zero em todo sentido: pesquisas de intenção de voto, apoios de partidos e de lideranças políticas. Só contava com o entusiasmo de Lula.

É bom lembrar que o toma-lá-dá-cá funcionou a todo vapor. Marta Suplicy, por exemplo, só virou Haddad desde criancinha depois que passou a ser ministra da Cultura.

É o toma-lá-dá-cá, digamos, “interna corporis”.

A BRIGA PELO PT

A briga é de “cachorro grande”. A disputa é pelo comando do diretório do PT de Itabuna. De um lado, o deputado Geraldo Simões. Do outro, o também parlamentar Josias Gomes.

Josianistas são da opinião de que o momento é agora, já que o ex-prefeito, depois de três derrotas consecutivas na sucessão municipal, se encontra politicamente debilitado.

Uma coisa é certa: Geraldo Simões, em caso de uma nova derrota política, vai ficar no mato sem cachorro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

WAGNER PENSA EM UM “POSTE” PARA 2014

Embora tenha nomes como o do senador Walter Pinheiro, do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e do secretário estadual Rui Costa, o governador Jaques Wagner pode buscar um nome diferente destes que aparecem para a disputa pelo Palácio de Ondina em 2014.

O governador diz que pode recorrer a quadro técnico e menos político. E lembra até a conjuntura que levou o ex-presidente Lula a fazer escolha pela então ministra Dilma Rousseff, hoje presidente e dona de aprovação recorde dentre todos os mandatários brasileiros após o “período de chumbo”.

A conversa pode ser séria ou apenas para tirar a pressão sobre os seus ombros – que tende a aumentar após o fechar das urnas hoje. Quanto ao nome do sucessor – ou sucessora -, tudo dependerá da avaliação de seu governo até o 2014. E, nessa conta, Wagner também precisa incluir nomes de partidos aliados. Marcelo Nilo (PDT) quer, Otto Alencar (PSD) também. Outros estão na fila, embora chamuscados pela passagem apagada como ministro em Brasília, a exemplo de Mário Negromonte (PP).

TIRO PELA CULATRA

Marco Wense

Como não bastasse um leão desdentado ou, então, com caninos e incisivos inofensivos, o PSDB e o DEM têm que enfrentar uma aprovação recorde do governo Dilma Rousseff.

O oposicionismo ao governo Dilma, tendo na linha de frente o PSDB e o DEM, vibrou com a notícia de que o julgamento do mensalão seria concomitante com o processo sucessório municipal.

Tucanos e democratas comemoraram como se já fosse uma vitória antecipada de seus pré-candidatos a prefeito, principalmente nas grandes capitais, com destaque para São Paulo.

A possibilidade de figuras importantes do PT serem condenadas e, com efeito, massacradas publicamente, como, por exemplo, um José Dirceu, deixou a oposição confiante, embevecida.

Em tempo, a ex-cúpula poderosa do PT, formada por José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, respectivamente ex-ministro da Casa Civil, ex-presidente do partido e ex-tesoureiro da legenda, foi condenada pelo STF por crime de formação de quadrilha.

O escândalo do mensalão seria uma espécie de tábua de salvação para uma oposição fraca e comprovadamente incompetente. Sem falar na arrogância e na soberba dos tucanos da Avenida Paulista.

Ledo engano. O mensalão, não menos e nem mais escandaloso do que a compra de votos para aprovar a PEC da reeleição no então governo FHC, mostrou-se, digamos, como um leão desdentado.

O jornalista Fernando Rodrigues tem razão quando diz que “o PT sairá das urnas como o grande vencedor nas cidades com mais de 200 mil eleitores, podendo levar pela terceira vez a joia da coroa, São Paulo”.

Como não bastasse um leão desdentado ou, então, com caninos e incisivos inofensivos, o PSDB e o DEM têm que enfrentar uma aprovação recorde do governo Dilma Rousseff.

Pois é. Tucanos e democratas estão, como diz o ditado popular, no mato sem cachorro. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. É Dilma incorporando o papel de paladina da justiça e Lula com sua capa de teflon.

WAGNER E 2014

A manifestação de vontade do governador Jaques Wagner, querendo deixar o governo para se candidatar a uma vaga na Câmara Federal, foi comemorada, efusivamente, por dois políticos: Otto Alencar e Geddel Vieira Lima.

Para os gedelistas, a atitude de Wagner é a prova inconteste do seu desinteresse pelo governo. Os otistas, por sua vez, vibram com a possibilidade do chefe assumir o comando do Palácio de Ondina.

Geddel, pelo PMDB, e Otto, pelo PSD, são pré-candidatos a governador na eleição de 2014.

O CARA

Nem o senador tucano Aécio Neves e, muito menos, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Para enfrentar Dilma Rousseff, candidatíssima a um segundo mandato, via instituto da reeleição, só Joaquim Barbosa (foto acima), ministro do Supremo Tribunal Federal – STF.

Depois de jogar duro nos mensaleiros, o eminente ministro passou a ser “o cara”. A bola da vez. O cara retado de bom, como diz o nordestino

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

GOVERNO INVESTIRÁ R$ 4,1 BILHÕES NA PESCA

A presidente Dilma Rousseff e o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, lançaram nesta quinta-feira (25) o Plano Safra da Pesca e Aquicultura, que prevê investimento de R$ 4,1 bilhões até 2014 na indústria da pesca com objetivo de dobrar a produção brasileira e alcançar 2 milhões de toneladas por ano.

O público-alvo do plano, segundo informações do ministério, são aquicultores familiares e comerciais, pescadores artesanais, armadores de pesca, agricultores familiares e indústrias do setor.

O plano, que foi anunciado na última segunda-feira (22) por Dilma durante o programa de rádio Café com a Presidenta, engloba diversas ações de estímulo ao setor. Entre elas, aumento de créditos aos pescadores, assistência técnica, formação de cooperativas e investimento na melhoria nas condições de armazenagem e comercialização.

Com o programa, pescadores com renda de até R$ 160 mil por anos e aquicultores com renda de até R$ 320 mil por ano terão acesso à linha de crédito do Programa de Financiamento da Agricultura Familiar (Pronaf). Eles pagarão 4% de juros ao ano e terão dois anos de carência para quitar o crédito utilizado no custeio da produção. Informações do G1.

IBOPE TRAZ NETO À FRENTE DE PELEGRINO: 47% A 39%

ACM Neto (DEM) apareceu à frente de Nelson Pelegrino (PT) na primeira pesquisa de intenções de voto no segundo turno em Salvador: 47% a 39%. Encomendado pela Rede Bahia, o levantamento do Ibope apresentou 9% de eleitores que votariam em branco ou nulo e percentual de 4% de indecisos.

Em votos válido, ACM Neto tem 54% e Pelegrino, 46%. A pesquisa Ibope ouviu 805 eleitores do dia 17 a 19 e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o protocolo BA-00544/2012, e tem margem de erro de 3 pontos percentuais.

Se o resultado do Ibope se confirmar nas urnas, ACM Neto derrotará Pelegrino, que na campanha tem abusado em exibir os apoios da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, além do governador Jaques Wagner. Pelegrino também recebeu apoio dos prefeituráveis derrotados em primeiro turno (Mário Kertész, Da Luz e Márcio Marinho). Apenas Hamilton Assis, do PSOL, manteve-se neutro.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia