WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘Dnit’

BAHIA: COMISSÃO DEVE IR À BRASÍLIA COBRAR OBRAS DE RECUPERAÇÃO DAS FERROVIAS FEDERAIS

Comissão teve audiência com o superintendente do Dnit na Bahia || Foto Divulgação

A Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Assembleia Legislativa da Bahia, presidida pelo deputado Pedro Tavares (DEM), em audiência, na superintendência estadual do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), coletou informações sobre a situação de algumas rodovias federais que cortam o estado. Da audiência, também participaram deputados como Robinson Almeida (PT), Eduardo Salles (PP), Jusmari Oliveira (PSD) e Tiago Correia (PSDB).

Segundo Tavares, o objetivo do colegiado é embasar as articulações políticas para destravar obras que estão paradas na Bahia. Ainda de acordo com o parlamentar, com a pauta em mãos, o colegiado pretende fazer uma mobilização parlamentar com audiências, no Ministério da Infraestrutura, em Brasília.

Os deputados foram recebidos na sede do órgão, na Bahia, pelo superintendente Amauri Lima, que apresentou dados, referentes à duplicação das BRs 101 (Feira de Santana até divisa de Sergipe) e 242 (ligação Luís Eduardo Magalhães e Barreiras), e o que falta para a retomada das obras de ampliação das BRs 135 e 020 (Barreiras), a construção da BR-235.

Quanto à duplicação da BR-101, com extensão de 169,2 km, o superintendente destacou que essa deve ser uma das prioridades. Lima relatou ainda as obras na ponte do Rio Jequitinhonha, em Itapebi, onde foram afastados os riscos de rompimento. Segundo ele, há também um projeto de recuperação total do equipamento. O projeto, afirmou, está pronto em Brasília para licitar.

A duplicação da BR-116 tem quatro pontos que foram alvos de questionamentos do Tribunal de Contas da União (TCU) e que estão sendo equacionados. Foi garantida ainda a construção da passarela que vai beneficiar comunidades que ficam no entorno da BR-242, principalmente do distrito do Zuca, localizado, no município de Boa Vista do Tupim, na Chapada Diamantina.

RUI, FERNANDO E MINISTRO ENTREGAM ESTUDO DA BR-415 AO TCU

Duplicação da Ilhéus-Itabuna foi tema de encontro no TCU || Foto Pimenta/Arquivo

Estudos adicionais de intervenção para duplicar o trecho da BR-415 entre Ilhéus e Itabuna foram entregues hoje (9) ao Tribunal de Contas da União (TCU) pelo governador Rui Costa e o ministro dos Transportes, Valter Casimiro. O estudo foi exigência do TCU. Coube à Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) responder, tecnicamente, grande parte dos questionamentos feitos pelo TCU sobre a obra, que espera autorização para ser iniciada.

De acordo com o secretário estadual da pasta, Marcus Cavalcanti, o entendimento entre a Seinfra e o Dnit, responsável pela rodovia, “é um só”. Segundo ele, a parceria contribuiu para o rápido envio de informações adicionais ao TCU.

Conforme o ministro Augusto Sherman, do TCU, as equipes técnicas analisarão o documento entregue hoje “com toda rapidez”. O governador, acompanhado por senadores, deputados, o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes; o procurador geral do Estado, Paulo Moreno; e o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, foi ainda ao gabinete do presidente do TCU, ministro Raimundo Carreiro, que se comprometeu a incluir a BR-415 como prioridade de análise do órgão.

RUI SOBRE A DUPLICAÇÃO DA ILHÉUS-ITABUNA: “QUANDO DOU MINHA PALAVRA, É PARA FAZER”

Duplicação da Rodovia deverá ser tema de audiência em Brasília || Foto Pimenta/Arquivo

GESTOR BAIANO ATRIBUI AO TCU E AO DNIT ATRASO NA OBRA

O governador Rui Costa deverá ter audiência, nesta quarta (16), com o novo ministro dos Transportes, Valter Casimiro, para tratar das obras de duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415). A previsão era de início da duplicação ainda em março, o que não se concretizou. Rui atribui o atraso à dependência de entendimento entre Tribunal de Contas da União (TCU) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).

– A obra está licitada, contratada e com projeto pronto e o TCU e o DNIT precisam superar os entraves burocráticos, porque se trata de uma obra federal – disse, observando o impacto da obra para cerca de 511 mil baianos e para setores como o turismo, a agricultura e a indústria, além de melhorar a mobilidade entre os dois principais municípios do sul da Bahia.

A obra está orçada em R$ 105 milhões e deverá ser executada pela OAS, num prazo de dois anos. Pelo projeto, a nova pista será construída à margem direita do Rio Cachoeira, sendo interligada à pista atual por quatro pontes.

Rui Costa com a ordem de serviço assinada, em outubro passado

– Reafirmo aqui o meu compromisso com Ilhéus, com Itabuna e com toda região. Vamos realizar a duplicação da rodovia, porque quando dou minha palavra é pra fazer, mesmo que seja necessário colocar recursos no Estado, como temos feito em outras obras importantes na Bahia – afirmou.

ORDEM DE SERVIÇO ASSINADA

O governador assinou, em 9 de outubro do ano passado, a ordem de serviço para a construção da nova pista. A ordem determinava o início da formulação do projeto executivo e, na sequência, autorização para início das obras, o que ocorreu há mais de dois meses. TCU e Dnit ainda não concluíram a análise do projeto. Já na semana passada, Rui Costa responsabilizava os dois órgãos pelo atraso no cronograma.

Em vídeo, Rui diz que Dnit e TCU batem cabeça e atrasam o início da obra. Confira.

OS MUITOS PAIS DA BR-415

Walmir Rosário 3Walmir Rosário | [email protected]

 

É uma pena que uma estrada tão anunciada e cancelada como essa continue com com os defeitos congênitos, que poderiam ter sido corrigidos antes do começo da obra.

 

A Bahia reedita mais uma campanha política acirrada com a luta travada entre as candidaturas do governador Rui Costa (PT) à reeleição, e a do atual prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) ao Palácio de Ondina. Uma das mais recentes disputas é a duplicação da BR-415, no trecho entre Ilhéus e Itabuna, anunciado pelo Governo do Estado como se fosse sua, embora os recursos tenham origem no Governo Federal.

A eleição ainda será no próximo ano, mas já pega fogo em todo o Brasil e na Bahia não poderia ser diferente, pelo contrário, aqui começa mais cedo, haja vista a dualidade das candidaturas. E faz tempo que é assim, com os eleitores e simpatizantes de Antônio Carlos Magalhães e um seu adversário, seja lá de que corrente política for, mas unidas (ou coligadas) para tentar derrotar os adversários de sempre.

E não é de hoje que o palanque é armado em Itabuna em 1985, a exemplo do que lançou Waldir Pires (PMDB) ao Governo da Bahia, que no ano seguinte ganhou para Josaphat Marinho (PFL) por uma avalanche de votos: perto de 1,5 milhão. Se antes o palanque foi montado na praça Adami, agora foi deslocado para a avenida Juracy Magalhães, na saída para a Ilhéus, cidade vizinha amada ou odiada, de acordo com os interesses.

E o motivo da discórdia é a chamada duplicação da BR-415, trecho que será construído pela margem direita do rio Cachoeira, mas sem o fôlego suficiente para segui-lo até sua foz. O projeto é antigo, elaborado pelo Derba, revisto pelo DNIT, e, de certa forma, é um grande vetor de desenvolvimento regional, por desbravar uma área que produz cacau, café, gado (leite e corte) e produtos de subsistência.

Sim, mas onde está o motivo da refrega entre os possíveis candidatos ao Governo Estado da Bahia? No anúncio do “pai da criança”. Pela primeira vez todos os candidatos que se apresentar como tal, mesmo sem o certificado do DNA. Ou melhor, a genética financeira aponta que o Governo Federal é o pai e mãe da criança, pois gerou e vai custear todas as despesas de criação até que se dê por independente.

E não é de hoje que a fecundação da criança é insistentemente anunciada, mas sem resultados positivos. Pelos meus cálculos, está já é a quarta vez que os coitados dos jornalistas anunciam a data do nascimento, mas a mãe União cismava em não dar a luz ao rebento. De tanto anunciarem, os governadores baianos petistas se acostumaram e se consideraram (em verdade, se consideram) o verdadeiro pai da criança.

Nessa renhida disputa, o governador do Estado considera o rebento como seu, por ter sido a duplicação anunciada durante os governo de Lula e Dilma, embora nunca executada. Assim como a BR-415, outras obras com recursos do Governo Federal são executadas pelo Governo do Estado e Municípios, como se fossem de recursos próprios e não oriundos de transferências, seja a que título forem.

E os petistas – que não são graça e sabem utilizar a mídia no formato os fins justificam os meios – massacraram o presidente da República, “golpista” no entender deles, como se não quisessem executar a obra. E os arroubos não foram poucos, com afirmações falaciosas do tipo: “Se o governo golpista não fizer, nós faremos”, embora grande parte dos recursos federais já esteja disponível na conta.

Mais uma vez, a turma do Temer “apanha como mala velha pra tirar a poeira”, sem ter qualquer culpa registrada em cartório, e não soube ou sabe contra-atacar e promover sua defesa. De forma atabalhoada, cancelou a vinda do ministro dos Transportes a Itabuna e se apresentar no palanque como o verdadeiro pai da criança. Nos comunicados petistas, a culpa teria sido de ACM Neto, que agiria nos mesmos moldes do avô, embora nem cabeça branca ainda tenha.

E essa confusão toda tem todo o motivo para tanto. A obra, embora não seja uma duplicação de verdade, é importante para o desenvolvimento econômico e social, não só de Itabuna e Ilhéus, mas da região cacaueira como um todo. A atual BR-415 se tornou uma avenida comercial, industrial e serviços, além de ser nosso caminho do nosso pequeno mas atuante aeroporto e poderá nos oferecer novos rumos.

Só que, no meu modesto entendimento, a duplicação de verdade começaria em Itabuna, no bairro da Conceição, e se estenderia até a cidade de Ilhéus e não terminaria no meio da estrada. A nova estrada terá 17,98 quilômetros de extensão, embora a distância entre as duas cidades meçam quase 30 quilômetros. Uma perna nasce menor do que a outra e antes do bairro ilheense do Banco da Vitória o tráfego se congestionará de novo. Deveria ter sido feito um enxerto ou uma prótese para corrigir a deficiência.

É uma pena que uma estrada tão anunciada e cancelada como essa continue com com os defeitos congênitos, que poderiam ter sido corrigidos antes do começo da obra. Até porque o fluxo do tráfego não é apenas das duas cidades e sim de toda uma região, que sempre teve a vocação para produzir e ser grande, mesmo que seu povo abdique da política, entregando-a de bandeja aos povos de outras regiões, contentando-se apenas com a economia.

Eu, como sou um otimista incorrigível, acredito que a obra seja concluída, porém muitos ainda são como São Tomé: têm que ver para crer.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado

TRÂNSITO LENTO NA ILHÉUS – ITABUNA

Trecho próximo ao Atacadão tem fluxo em apenas uma pista (foto Pimenta)

Trecho próximo ao Atacadão tem fluxo em apenas uma pista (foto Pimenta)

O motorista que trafega hoje pela rodovia Jorge Amado, ligação entre Ilhéus e Itabuna, tem que redobrar a atenção e a paciência. Devido  a uma obra de recapeamento realizada pela Superintendência de Infraestrutura de Transportes (antigo Derba), nas imediações do acesso ao supermercado Atacadão e ao condomínio Cidadelle, o trânsito naquele trecho se dá em apenas uma pista, no chamado “pare/siga”.

A operação, que é necessária e bem vinda, gera filas tanto na saída como na chegada a Itabuna.

Em um trecho mais próximo à Ceplac, é preciso reduzir a velocidade, pois homens do Dnit trabalham na retirada do mato da margem da rodovia.

REITORA COBRA DO DNIT NOVA LOMBADA EM FRENTE À UESC

Adélia pede redutor de velocidade em frente ao campus da Uesc.

Adélia pede redutor de velocidade em frente ao campus da Uesc.

A reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, cobrou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), por meio de ofício, a reconstrução da lombada que foi retirada em frente ao campus Professor Soane Nazaré de Andrade, na Rodovia Ilhéus-Itabuna.

Das 14 lombadas instaladas na rodovia, enfatiza Adélia, o Dnit só retirou a que estava localizado em frente ao campus da Uesc, no bairro de Salobrinho. Alunos, professores, servidores, idosos, crianças e portadores de necessidades especiais cruzam a rodovia Jorge Amado para pegar o transporte público e fazer refeições nos estabelecimentos locais.

A comunidade acadêmica da Uesc tem um contingente de mais de 11 mil pessoas que trafegam diariamente no local. A lombada foi instalada com o objetivo de reduzir a velocidade de um fluxo intenso de veículos que trafegam pela rodovia, em resposta aos graves acidentes com vítimas.

A lombada foi retirada e em seu lugar foi instalado um “pardal”, que, avalia a reitora, não protege os alunos, servidores, professores e transeuntes em geral que atravessam a rodovia para chegar à Uesc ou para pegar o transporte público do outro lado da rodovia.

DNIT E INEMA AUTORIZAM DUPLICAÇÃO DA ILHÉUS-ITABUNA

Ainda sem informar quando começam as obras, o pré-candidato ao governo baiano pelo PT, Rui Costa, ex-secretário da Casa Civil, disse que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) autorizou o Estado a executar as obras de duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna. A obra já conta, também, com autorização do órgão ambiental estadual, o Inema.

A duplicação ocorrerá com a construção de nova pista à margem direita do Rio Cachoeira. O trecho de 17,98 quilômetros terá três pontes de interligação, na região da Ceplac, Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e no Banco da Vitória.

Nesta nova configuração, o Dnit e o Derba desistiram de uma quarta ponte, que interligaria o Semianel Rodoviário, na região da Churrascaria Los Pampas, à nova pista.

De acordo com o pré-candidato petista, a obra já conta com recursos de R$ 68 milhões dos R$ 180 milhões previstos. O início da duplicação ainda será anunciado pelo governador Jaques Wagner, o que poderá ocorrer até o aniversário de Itabuna, em 28 de julho, ou ainda nesta semana, nos festejos do aniversário de Ilhéus (28 de junho).

Abaixo uma projeção feita por Pablo Joaquim e Wallace Silva para o PIMENTA em setembro do ano passado.

Plotagem aponta o traçado da nova pista (Projeção Projeção traz o traçado da nova pista (confira seta) da Rodovia Ilhéus-Itabuna (Projeção Pablo Joaquim e Wallace Silva).

Plotagem aponta o traçado da nova pista (Projeção de Pablo Joaquim e Wallace Silva para o Pimenta).

ATÉ QUANDO, SENHORES DO DNIT?

A Curva da Morte, próximo ao Posto da Polícia Rodoviária Federal em Camacan, continua fazendo vítimas. Ontem pela manhã, um Fiat Pálio (MZK-4632, Apodi-RN) colidiu lateralmente com uma carreta. Um dos ocupantes do veículo de passeio morreu no local.

Trata-se da terceira morte em 20 dias no local.

O produtor rural e engenheiro agrônomo José Roberto Benjamin diz que a outra vítima, motorista do veículo, foi levado em estado gravíssimo para o Hospital de Base de Itabuna.

Este é o segundo apelo para que a superintendência baiana do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) faça uma análise do trecho da BR-101. Há forte suspeita de que nem só a imprudência seja a causa das mortes naquele trecho. A pista apresenta incorreções, como já citamos aqui.

Bem pertinho dali, na Curva Santa Maria, o Dnit fez correções na pista e deixaram de ocorrer mortes e praticamente não há registro de acidentes.

Com um pouquinho de boa vontade, o Dnit pode salvar muitas outras vidas.

NOVA “CURVA DA MORTE” NA BR-101 E A RESPONSABILIDADE DO DNIT

Colisão de ontem à tarde provocou duas mortes em curva próximo ao posto da PRF (Foto Baianão).

Colisão de ontem à tarde provocou duas mortes em curva próximo ao posto da PRF (Foto Baianão).

Há três anos, o PIMENTA, A Tarde e o produtor e engenheiro agrônomo José Roberto Benjamin iniciaram uma campanha que, pouco tempo depois, deu resultado – e poupou, talvez, dezenas de vida. A Curva da Santa Maria, no quilômetro 595 da BR-101, sofreu correções e deixou de ser a “Curva da Morte”.

Nos últimos três anos, não há registro de óbitos no local. Nem de acidentes, conforme relata Benjamin. O problema na pavimentação foi corrigido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), após o então diretor na Bahia Saulo Ponte sensibilizar-se com a série de notas nos dois veículos e o apelo emocionado de Benjamin (relembre aqui).

Agora, bem perto dali, surge outra “Curva da Morte”, a primeira depois do posto da Polícia Rodoviária Federal de Camacan para quem vai no sentido Itabuna-Eunápolis.

Ontem à tarde, duas pessoas morreram nesta curva próximo ao posto da PRF. Narra o produtor Roberto Benjamin:

– Os acidentes são diários e as morte, constantes. É raro o dia em que não cai um carro ali [na Curva da Morte] – disse o engenheiro agrônomo ao PIMENTA. Nas contas de Benjamin, nos últimos três meses, foram três mortes. Duas ocorreram ontem na colisão de um Golf com um táxi.

Benjamin lembra de outra morte, a de um advogado de Eunápolis, que morreu carbonizado:

– Ele agonizou, pedindo socorro. O [Hyundai] Azera explodiu ao bater em um gol que vinha em sentido contrário. A PRF bota cones na curva. Hoje à tarde, outra colisão, com 2 óbitos e 8 feridos, alguns com gravidade.

Ao Dnit, resta o pedido de que seja feita a correção da pavimentação. O problema tem as mesmas características que provocaram várias mortes na Curva Santa Maria.

Dá para poupar vidas. E logo!

RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA SEM POLICIAMENTO

Rodovia está sem policiamento e radar instalado em 2007 não funciona (Foto Pimenta/Arquivo).

Rodovia está sem patrulhamento e radares não funcionam (Foto Pimenta/Arquivo).

A indefinição entre as polícias rodoviárias Estadual (PRE) e Federal (PRF) deixou uma das principais rodovias do Estado, a Ilhéus-Itabuna (BR-415), sem patrulha há quase um ano.

Desde o final de 2011, o policiamento rodoviário desta BR nos trechos entre as duas maiores cidades do sul da Bahia e de Itabuna ao entroncamento de Itapé passou das mãos do Derba (Estado) para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão federal.

A mudança visou criar as condições para que o Governo Federal operasse as obras de recapeamento asfáltico da rodovia que tem tráfego, médio, de 5 mil carros por dia. As obras foram concluídas, embora quem trafegue por ela observe locais em que não houve manutenção. Não custa lembrar, a rodovia está entre as mais perigosas do estado.

Há vários meses a BR-415 nos trechos citados está sem patrulhamento efetivo. Como o policiamento rodoviário da Ilhéus-Itabuna passou a ser responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal, a ela cabe o trabalho de monitoramento e abordagens. Não é o que vem ocorrendo. As ações limitam-se a blitzen em feriadões, como a ocorrida no domingo passado.

Por isso, quem trafega no trecho mais intenso da BR-415 deve estar estranhando, há quase um ano, a falta de policiamento. Embora os postos policiais estejam ainda sendo ocupados pela Polícia Rodoviária Estadual, esta encontra limitações para atuar.

As abordagens, registro de ocorrências e até aplicação de multas não são mais legais se forem feitas pela PRE. Para isso, deveria haver convênio entre os governos estadual e federal. Até agora, nada.

A Polícia Rodoviária Federal, segundo fontes consultadas pelo PIMENTA, tem alegado falta de efetivo para patrulhar os dois trechos da BR-415. Pobre de quem anda pela rodovia. Mas há quem agradeça a essa indefinição. Sim, a bandidagem.

ILHÉUS-ITABUNA: EDITAL DA DUPLICAÇÃO SAI ESTE ANO

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, confirmou ao jornal Valor Econômico que o edital de licitação das obras da nova rodovia Ilhéus-Itabuna será publicado ainda em 2013 (clique aqui para ler, se for assinante). O trecho é um dos 15 da malha viária nacional que serão duplicados pelo Dnit, perfazendo um total de 1.038 quilômetros e R$ 7 bilhões em novos contratos.

Além de outros trechos, Passos informou que haverá concorrências para construir novas pistas na BR-415, entre Ilhéus e Itabuna (BA), na BR-222, que dá acesso ao Porto de Pecém (CE), e na BR-280, entre Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul (SC). De acordo com o ministro, os processos licitatórios serão realizados por meio do Regime Diferenciado de Contratações (RDC), considerado mais ágil que a Lei de Licitações.

A matéria do Valor cita levantamento do Dnit, segundo o qual o tempo médio entre a abertura da concorrência e a homologação do resultado chega a 285 dias em uma licitação tradicional. No RDC, o processo dura 79 dias.O ministro afirma que também há vantagens no que se refere à redução de custos das obras.

 

GOVERNO RECUPERA TRECHO DA BR-415

Recuperação começou pelo trecho mais crítico da rodovia (Foto Pimenta).

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) finalmente iniciou a recuperação do trecho Ferradas-Nova Itabuna da BR-415. A obra de recapeamento começou pelo pior trecho da rodovia, localizado em frente ao Parque de Exposições Antônio Setenta e acessos à Delfi-Nestlé e ao poliduto da Petrobras.

A recuperação é feita por cerca de 40 operários da Construtora Mazza e ocorre após denúncia de usuários da rodovia e de representantes de empresas do centro industrial de Itabuna. O prazo de conclusão de todo o trecho é de um ano. O trabalho envolverá também a Rodovia Ilhéus-Itabuna, entre a Vila Tital Teixeira, em Itabuna, e o Banco da Vitória, em Ilhéus.

A obra começou exatamente dentro do prazo estipulado pelo coordenador local do Dnit em Itabuna, Valter Cardoso, em matéria publicada no PIMENTA no último dia 13 (confira matéria e vídeo que revelam as condições da estrada).

RECUPERAÇÃO DA BR-415

Buracolândia na BR-415 traz prejuízos à economia regional (Foto Pimenta).

O trecho da BR-415 que vai de Ferradas ao viaduto Paulo Souto (Nova Itabuna) foi transferido para a União, assim como a Rodovia Ilhéus-Itabuna. O governo federal já definiu a empresa que realizará o recapeamento asfáltico da rodovia, enquanto não sai a duplicação dos dois trechos.

As obras de recapeamento começam até o final deste mês, conforme previsão da unidade local do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) em entrevista ao PIMENTA. O trecho mais crítico da BR-415 é o mostrado na reportagem feita pelo blog – e justamente por lá começam as obras (reveja aqui).

CONCURSO DO DNIT OFERECE 1.200 VAGAS E ATÉ R$ 7,8 MIL DE SALÁRIO

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), ligado ao Ministério do Transporte, abre inscrições para concurso público com 1,2 mil vagas para os níveis médio e superior.

Os salários vão de R$ 2.507,30 a R$ 7.815,81. O prazo de inscrição será aberto na próxima segunda, 12, e encerra-se no dia 30, e deverá ser feita somente pela internet, no site www.esaf.fazenda.gov.br. A taxa é de R$ 50,00 (nível médio) a R$ 100,00 (superior).

CONFIRA EDITAL

De acordo com o edital do concurso, o salário para analista em infraestrutura de transportes é de R$ 7.815,81. Analista administrativo terá salário de R$ 5.408,21. Técnico de suporte em infraestrutura de transportes terá salário de R$ 3.545,88. Já a remuneração para técnico administrativo, será de R$ 2.507,30.

PRF DEFLAGRA OPERAÇÃO SEMANA SANTA. DNIT ALERTA PARA CONDIÇÕES DA BR-101

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia nesta quinta, 5, a Operação Semana Santa, que prevê o reforço da vigilância nas rodovias federais. A expectativa é que haja redução de 40% nos acidentes.

Trechos rodoviários da BR-101, entre as divisas dos estados de Sergipe e Espírito Santo com a Bahia, têm restrições de acordo com o mapa “Condições de Rodovias”, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), disponível no site da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

São 35 quilômetros, entre a divisa Sergipe/Bahia e Esplanada, com remendos na pista de rolamento e 78 quilômetros entre Entroncamento da BA-120/250(B)/548 (Gandu) e Entroncamento BR-030(A) (Ubaitaba). Boa trafegabilidade em alguns trechos, mas obras em outros.

Os outros trechos com alerta estão no Extremo-Sul: 66,4 quilômetros do Entroncamento da BR-489/BA-284/690 (Itamaraju) com o Entroncamento da BA-290 (Teixeira de Freitas), com boa sinalização, mas com intervalos de conservação. A Ponte sobre o Rio Jucuruçu está com limite de carga fixado em 45 toneladas.

:: LEIA MAIS »






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia