WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘educação básica’

ITABUNA: AULAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS COMEÇAM NA PRÓXIMA QUINTA

Imeam atraiu mais alunos e está em reforma || Foto Wilson Oliveira/Arquivo

As aulas nas escolas da rede municipal de Itabuna começam na próxima quinta-feira (16) com pouco mais de 16,6 mil alunos matriculados para o ano letivo de 2019. As atividades preparatórias começaram desde a semana passada, com a realização da pré-jornada e da jornada pedagógica da rede. O início tardio do ano letivo se deve a greves dos educadores no período 2017-2018.

Apesar da grande queda no número de alunos na rede municipal, a Secretaria de Educação de Itabuna aponta que houve aumento no alunado do Instituto Municipal de Educação Aziz Maron (Imeam), que saiu de 700 alunos em 2018 para 1.100 em 2019. O colégio terá 37 turmas neste ano.

O acréscimo se deve, principalmente, ao fim do convênio do município com o Ciso. O convênio foi rompido, unilateralmente, pelo prefeito Fernando Gomes com o colégio por questões político-partidárias. Os alunos tiveram que ser remanejados para o Imeam, que terá como um dos atrativos a adoção do modelo militar.

De acordo com a secretária de Educação, Nilmecy Gonçalves, o número de alunos até agora, na rede, é 16.623, porém as matrículas para o ano letivo estão abertas até 31 de maio. A expectativa, segundo ela, é que a rede alcance 18 mil alunos matriculados. A rede conta com 1.223 professores e 800 funcionários de apoio, conforme dados da Secretaria de Educação de Itabuna.

ESCOLAS PARTICULARES NEGOCIAM MENSALIDADE PARA MANTER ALUNOS E ATRAIR NOVOS

Escolas negociam mensalidade para não perder alunos

As escolas particulares de Itabuna registraram aumento médio de 10% na mensalidade em relação ao ano passado, mas em muitos casos mantém os mesmos valores para segurar os alunos. No período, a inflação foi de 2,95%. Sondagem feita por este blog em escolas de diferentes bairros da cidade, mostrou que, mesmo enfrentando aumento de custos, a estratégia é manter preços de 2017. E uma dica: Procure diretamente a unidade escolar para fazer uma melhor negociação.

A reportagem tomou como parâmetro o sexto ano do ensino fundamental. Na escola Curumim, uma das mais conceituadas da cidade, o percentual de desconto é igual ao de 2017. A escola, disse, busca fidelização dos alunos da casa e a busca de novos.

Os pais, afirma a diretora, conhecem a proposta pedagógica da escola, entretanto a opção pelo preço pesa na definição dos país. “Oferecer uma metodologia diferenciada e reconhecida é o que fazemos nos nossos 27 anos de atuação”, disse. Segundo Raquel Prudente, outra diretora do colégio, há um olhar diferenciado para alunos de outros municípios e bairros pelo enfrentamento dos custos com o transporte escolar.

O mesmo ocorre na Escola Geórgia, localizada no Bairro de Fátima. A escola oferece até 10% a mais de desconto pela distância até a unidade escolar. De acordo com Ronara Mota, a escola está oferecendo 50% de desconto para novos alunos. O valor da mensalidade para o sexto ano é R$ 656,00. Com o desconto, fica em R$ 328,00. A diferença em relação ao ano passado fica, na média, em 10%. Enquanto fazíamos a reportagem, um pai de aluno conseguiu ampliar o desconto. A matrícula fica em R$ 450,00. A escola oferece como diferencial aulas de natação uma vez por semana.

No tradicional Colégio Batista, na Conceição, a mensalidade varia de R$ 471,70 a 500,00 , com um percentual de 10% de desconto. As negociações são feitas caso a caso, de acordo com a diretora Gracileide Silva Guimarães Sousa. A escola procura fazer uma negociação adequando a capacidade financeira dos pais. Oferece salas climatizadas, equipamentos de audiovisual, quadra poliesportiva, brinquedoteca e um corpo docente com psicopedagogo e psicólogo e outros profissionais.

ITABUNA: ANO LETIVO COMEÇA EM MAIO

Dinalva afirma que calendário foi aprovado pelo CME (Foto Pedro Augusto).

Dinalva afirma que calendário foi aprovado pelo CME (Foto Pedro Augusto).

A rede municipal de ensino de Itabuna encerrou nesta quarta (31) o ano letivo de 2015, após quase oitenta dias de greve e paralisações dos educadores no período. Hoje, a Secretaria de Educação divulgou o calendário para o novo ano letivo. As aulas começam em 18 de maio nas 100 unidades escolares. O encerramento das aulas de 2016 está previsto para 8 de fevereiro de 2017.

Segundo a secretária municipal de Educação, Dinalva Melo, o calendário foi aprovado pelo pelo Conselho Municipal de Educação (CME) e assegura o cumprimento dos 200 dias letivos. Estão programados 18 sábados letivos e sextas-feiras com aulas durante período integral, além da suspensão do recesso do período junino para que a carga horária seja efetivamente cumprida.

CIOMF COMEÇA ANO LETIVO SEM DIREÇÃO; COLEGIADO PROTESTA CONTRA A SEC-BA

Ciomf começou ano letivo sem direção, mesmo após processo eleitoral validado.

Ciomf começou ano letivo sem direção, mesmo após eleição de novos dirigentes.

Pais, alunos e professores do Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf), em Itabuna, vão às ruas na próxima sexta (26), às 8 horas, protestar contra a Secretaria Estadual de Educação (SEC-BA). O Ciomf iniciou o ano letivo sem atividades programadas em sala de aula por causa de uma lambança da SEC-BA e da sua representação em Itabuna, o Núcleo Regional de Educação (NRE 5).

A professora Semíramis Castro foi eleita nova diretora do Ciomf, em 10 de dezembro passado, com 90% dos votos. Até agora, Semíramis e os demais colegas integrantes da chapa (vices) não tomaram posse. O colegiado escolar cobra transparência no processo. Quer saber o porquê da não posse dos dirigentes eleitos, principalmente porque o resultado eleitoral foi validado.

De acordo com professores, pais e alunos, a não nomeação dos novos dirigentes complicou o início do ano letivo. Os educadores ainda não têm horário de aula. O processo licitatório da merenda escolar não pode ser tocado nem há compra de material de manutenção. “Não há como se definir, por exemplo, a programação dos professores”, aponta o colegiado em nota.

PROTESTO NA SEXTA

O ato programado para a próxima sexta (26) foi decidido durante reunião do colegiado escolar do Ciomf. A caminhada terá concentração às 8h, quando os manifestantes saem em direção ao Núcleo Regional de Educação (NRE5), na Avenida Fernando Cordier (Beira-Rio), região central de Itabuna.

O colegiado também decidiu enviar representantes para uma audiência às 14 horas da próxima segunda (29), na Câmara de Vereadores. Professores, alunos e representantes dos funcionários, colegiado escolar e da APLB-Sindicato estarão no legislativo.

FUGA DE ALUNOS

A indefinição da SEC-BA quanto ao Ciomf preocupa a comunidade escolar. A lambança tem levado pais de alunos a matriculá-los em outras escolas. “Foi uma semana praticamente sem aula”, disse uma mãe, que preferiu transferir o filho para uma escola particular. Atualizado às 9h48min para correção de informação.

A UFSB E OS COMPLEXOS INTEGRADOS DE EDUCAÇÃO

Álamo-PimentelÁlamo Pimentel

 

O que se apresenta é apenas o início de uma transformação há muito reivindicada mas, até o momento, bloqueada pela ausência de projetos capazes de articular de forma orgânica e eficaz diferentes esferas do poder público na implantação de políticas educacionais.

 

A integração dos Sistemas de Ensino no Brasil constitui um dos mais importantes desafios para as políticas educacionais nacionais nos últimos anos. É preciso superar os obstáculos que hoje separam as esferas municipal, estadual e federal e geram desigualdades nos processos e estruturas de gestão na educação pública.

A Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB, em cooperação com a Secretaria Estadual de Educação, adianta-se no cumprimento desta importante missão histórica e inicia neste fevereiro de 2016 a implantação dos Complexos Integrados de Educação (CIEs) da rede estadual de ensino médio do Sul da Bahia.

Essa iniciativa implica profunda transformação dos modelos escolares que até então conhecemos. As escolas que aderirem ao projeto CIE passam de turno único para turno integral (manhã e tarde), implantando o conceito de Educação Integral. Para tanto, a UFSB assume a coordenação pedagógica das escolas, tornando-as campo de práticas para que os estudantes das Licenciaturas Interdisciplinares possam qualificar seus conhecimentos no convívio com os cotidianos e práticas escolares, oferecendo residências pedagógicas articuladas a programas de formação continuada dos profissionais da educação e produzindo inovações curriculares capazes de enfrentar os desafios do mundo contemporâneo.

Os primeiros CIEs instalam-se nos municípios de Itabuna, Porto Seguro e Itamaraju. A previsão é que, nos próximos anos, novos CIEs sejam criados com efetiva ampliação da participação de outras instituições. Ao articular ensino superior e educação básica, historicamente apartados, o projeto CIE busca, também, consolidar a qualificação do trabalho docente desenvolvido nas escolas. Assim, a formação de futuros profissionais da educação se dará em diálogo amplo e profundo com o contexto real das escolas e da região em que cada escola se localiza. Acrescente-se a este aspecto o trabalho incessante na busca por inovações pedagógicas em consonância com o que hoje preconizam os Planos Nacional e Estadual de Educação.

O que se apresenta é apenas o início de uma transformação há muito reivindicada mas, até o momento, bloqueada pela ausência de projetos capazes de articular de forma orgânica e eficaz diferentes esferas do poder público na implantação de políticas educacionais. Assim, a UFSB busca um novo modo de ver, fazer e sentir a escola e a educação. Acreditamos na transformação do presente visando à construção de um futuro viável para a elevação da qualidade da educação pública na Bahia, e, quem sabe, no Brasil.

Álamo Pimentel é diretor de ensino-aprendizagem da Pró-Reitoria de Gestão Acadêmica da UFSB.

CONCURSO PÚBLICO ABRIRÁ 7,1 MIL VAGAS PARA PROFESSOR NA BAHIA

concursosO governo baiano anunciou ontem (4) realização de concurso público para contratação de 7.131 professores para o Ensino Fundamental e Médio. O certame deverá ocorrer no primeiro semestre de 2016.

De acordo com a Secretaria Estadual da Administração (Saeb), os aprovados no concurso substituirão 6.134 professores contratados neste ano por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), enquanto 986 suprirão vagas deixadas por professores que se aposentarão em 2016.

Segundo a Saeb, o Estado já extinguiu cerca de 6 mil contratos precários, a exemplo do PST (Prestador de Serviço Temporário). Já os contratos via Reda, deverão ser extintos em 2016, a partir da homologação e contratação dos aprovados em concurso ainda a ser realizado.

Ainda de acordo com a Saeb, a contratação de 7.131 por meio de concurso público terá impacto de R$ 138,4 milhões por ano nas contas estaduais, apenas a título de custeio com salário. “O valor evidencia o compromisso do Governo da Bahia com a educação e o esforço para manter os investimentos nessa área, mesmo diante do período de baixa arrecadação pelo qual passa o país”, informa nota da Saeb.

GREVE DOS PROFESSORES DE ITABUNA PODE ACABAR HOJE

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT 5) decidirá hoje à tarde (29) o percentual de reajuste dos professores da rede municipal de Itabuna no julgamento de dissídio. Os professores pedem 13,01% de reajuste, enquanto o município oferece 8%.

Uma audiência de conciliação no último dia 8, no TRT, terminou sem acordo. O Ministério Público do Trabalho chegou a propor 9% de reajuste, mas a proposta não foi aceita.

A greve dos professores começou em 21 de maio. A paralisação é considerada a mais radical da história de Itabuna. Com menos de vinte dias de movimento paredista, sindicalistas ocuparam o gabinete do prefeito Claudevane Leite e, um dia depois, fecharam o Centro Administrativo Firmino Alves. O sindicato da categoria, o Simpi, foi obrigado, por decisão judicial, a desocupar o prédio.

ANO LETIVO EM ILHÉUS COMEÇA DIA 27

Escolas ilheenses preparam início de ano letivo (Foto Arquivo).

Escolas ilheenses preparam início de ano letivo (Foto Arquivo).

A Secretaria de Educação de Ilhéus confirmou para o próximo dia 27 o início das aulas na rede municipal de ensino em 2015. Nesta semana, os educadores participam da Jornada Pedagógica, evento de planejamento para o ano letivo.

As aulas começam com atraso de mais de dois meses devido a paralisações dos professores da rede e reforma de escolas. O ano letivo de 2014 foi encerrado em 18 de março em boa parte das escolas.

Secretária de Educação de Ilhéus, Marlúcia Rocha disse que a ideia é aperfeiçoar os modos de transmissão de informações e conhecimento em sala de aula, a partir do tema da jornada deste ano (“Aprendizagem: uma prática compartilhada”).

PROFESSORES DE ITABUNA DECIDEM MANTER GREVE

Professores votaram pela manutenção de greve.

Reunidos em assembleia realizada no auditório do Colégio Ciso, os professores da rede municipal de ensino de Itabuna deliberaram manter a greve iniciada nesta segunda, 9. Pela manhã, os professores fizeram ato público na Praça Adami, centro da cidade, pedindo a compreensão da população para o movimento, seguido de manifestação em frente ao Centro Administrativo, na Avenida Princesa Isabel, Bairro Banco Raso.

No encontro mantido com representes do município, ficou mantida a oferta de 15% de reajuste escalonado em duas parcelas, sendo a primeira em abril, para os níveis II e III. Mas a proposta foi mudada: em vez de outubro a segunda parcela seria antecipada para setembro, o que também foi recusado pelos dirigentes do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi). A categoria reivindica 22,22% de reajuste linear sobre os atuais salários para todos os níveis (I, II e III).

A rede municipal tem aproximadamente 1,4 mil professores e cerca de 30 mil alunos. O município mantém-se firme no discurso de que não há capacidade de pagar reajuste linear de 22,22% para os três níveis. Os professores prometem fazer novas manifestações amanhã, 10, na prefeitura de Itabuna, às 9h, e na Câmara de Vereadores, às 13h30min.

TROCARAM O LÁPIS E O CADERNO PELO REVÓLVER

Ailton Silva | ailtonregiao@yahoo.com.br

A diferença daqueles meninos do passado, não tão distante, é que tinham pais que não fugiam de suas responsabilidades.

Nesta semana ficamos estarrecidos com as imagens de câmara de segurança mostrando duas crianças assaltando uma ótica no movimentado bairro São Caetano, em Itabuna. Os meninos, com menos de 12 anos de idade, trocaram a caneta e o lápis por um revólver. Usaram a mochila, que deveria carregar cadernos e livros, para transportar o resultado de um crime.

A bicicleta, que deveria ser para conduzi-los até uma escola, serviu para a fuga. Somente quando ocorre coisa desse tipo é que fazemos uma série de questionamentos e buscamos ter a dimensão da realidade que vivemos. Muitos aparecem dizendo que isso acontece por causa de um sistema falido de educação, saúde, habitação e falta de políticas públicas etc. Pode ser também.

Mas muita gente culpa apenas e tão somente os governantes pelo aumento da criminalidade. Essas mesmas pessoas esquecem-se das responsabilidades das famílias. É verdade que em Itabuna não existe espaço de lazer. As quadras de esportes estão abandonadas, os campos de futebol idem e as praças encontram-se em estado lastimável. Mas nada disso tira a responsabilidade dos pais de cuidar de seus filhos.

Não é aceitável que crianças fiquem fora da escola. Ela é o único caminho para o sucesso, principalmente daqueles nascidos em famílias miseráveis. Hoje, nas séries iniciais, o governo distribui livros, cadernos lápis, oferece transporte e manda dinheiro para as prefeituras comprarem merenda. E mais: o governo paga para o aluno estudar, com programas como Bolsa Família e Projovem.

Muitos vão dizer que é uma esmola, que não serve para nada. Para esses, eu respondo que gostaria muito de ter tido isso no tempo que estudei em escola pública e muitos dos meus amigos, que têm uma carreira de sucesso hoje, também gostariam muito dessa ajuda. Nós, os miseráveis, tínhamos que recorrer a livros emprestados e trabalhar aos 10 anos para comprar os nossos cadernos.

Tínhamos que caminhar quilômetros para chegar a uma escola mais próxima e quase nunca havia merenda. Nem por isso deixamos de perseguir e realizar o sonho de ter uma profissão e vida decentes. Tenho muitos amigos que passaram por isso. Tornaram-se servidores públicos, professores, advogados, dentre outros profissionais de respeito.

A diferença daqueles meninos do passado, não tão distante, é que tinham pais que não fugiam de suas responsabilidades de matricular – e acompanhar – seus filhos. Além disso, eles cobravam e tinham respeito. O resultado não poderia ser melhor. Vendo a cena dos dois meninos assaltando, lembrei logo da história que uma amiga minha relatou durante uma viagem ao Recife.

– Há alguns anos, quando criança e acompanhada da minha família, passei aqui como mendiga. Nesta mansão, pedi alguma coisa para comer. Disseram que tão tinha nada e acabei aceitando um copo com água e uma manga. Hoje, estou em um hotel cinco estrelas na Praia de Boa Viagem, um dos metros quadrados mais caro do país – narrou, emocionada.

Minha amiga prosseguiu afirmando: “como foi bom minha mãe ter ensinado que o conhecimento transforma vidas. A negra era analfabeta, mas sabia o valor do estudo”. Por causa de uma mãe cuidadosa, ela hoje tem um salário de R$ 7 mil e pode se dar ao luxo de viajar não só pelo Brasil, mas para o exterior também. Mais que isso, tem dignidade.

Poderia aqui citar vários exemplos, inclusive o meu, mas acredito que apenas este caso serve para comprovar que o conhecimento pode transformar a vida das pessoas e que os pais têm a obrigação de mandar seus filhos para a escola. É uma responsabilidade mínima. É inaceitável que crianças de 12 anos troquem caneta e lápis por revólver.

:: LEIA MAIS »

EM CONQUISTA, UNIFORME INTELIGENTE “DEDURA” ESTUDANTE QUE FILA AULA

Criança com uniforme inteligente numa das escolas de Conquista (Foto Divulgação).

Vitória da Conquista é o primeiro município brasileiro a adotar tecnologia que “entrega” o aluno que falta às aulas. O “Uniforme Escolar Inteligente”, baseado em rádio frequência, informa ao responsável se o aluno está na escola ou “filou” aula.

A prefeitura investiu R$ 1 milhão para implantar o sistema que funcionará, inicialmente, em 25 escolas e atenderá a cerca de 20 mil estudantes. Um chip é colocado no uniforme escolar. Quando o aluno entra na escola, este sensor então avisa ao pai da criança ou adolescente.

Cada uniforme vem com etiqueta que usa número universal. No chip, são cadastrados dados do aluno e número do celular do pai ou responsável para o qual será enviada mensagem informando se o estudante tá na escola ou deu uma “fugidinha”.

O prefeito Guilherme Menezes diz que o projeto cria condição para aliar “educação, segurança e possibilita parcerias com o Ministério Público, Conselho Tutelar, Polícia Militar, sempre defendendo a comunidade escolar, os alunos e a própria família”. A engenhoca tem o apoio da justiça local.

Mãe de três alunas do Caic Paulo Freire, Miraildes do Prado diz que uniforme “vai ser ótimo, por se tratar de “uma segurança a mais para os alunos”. “Eu sempre me preocupo com as minhas três filhas que estudam aqui no Caic e, agora, irei ficar mais tranquila”.

PROFESSORES FAZEM GREVE DE TRÊS DIAS POR PISO NACIONAL

Os professores da Educação Básica em todo o país iniciam nesta quarta (14) uma paralisação que só terminará na próxima sexta (16). Os educadores reivindicam o pagamento do novo piso do magistério, reajustado em 22,22% pelo governo federal e que passa a ser de R$ 1.451,00. O valor será paga ao educador que leciona 40h semanais.

Hoje, o Governo da Bahia anunciou que vai pagar o piso salarial nacional a todos os professores. De acordo com o secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto, o governo já paga além do novo piso nacional. Os professores licenciados, disse, percebem R$ 1.586,02, além da gratificação relativa à regência de classe.

Aos educadores não licenciados, Barreto disse que o governo está concluindo estudo para que os mesmos percebam o valor devido. O secretário diz que a instituiu em 2008 o Plano de Carreira do Professor. O plano estabelece duas formas de progressão. “o avanço vertical automático relacionado com a titulação – abrangendo desde a licenciatura até o doutorado -, e a progressão horizontal decorrente da avaliação de desempenho”.

Em Itabuna, a direção do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi) informou que todos os professores da rede vão cruzar os braços pelo novo piso nacional.

ITABUNA: AMEAÇA A PROFESSOR DEIXA REDE MUNICIPAL EM ALERTA

Escola onde alunos ameaçaram professor.

A ameaça que dois alunos da Escola Lourival Oliveira Soares, em Ferradas, fizeram a um professor da área de Língua Portuguesa será discutida amanhã, às 10h, numa audiência da vítima com o secretário municipal de Educação, Gustavo Lisboa.

O professor ainda não havia decidido se dará aula na escola nesta quinta (14) e revela preocupação com a reincidência de ameaças e agressões a educadores em salas de aula em Itabuna. “Só vou dar aula se houver garantia da Ronda Escolar”, disse ao PIMENTA, há pouco.

Os alunos têm entre 15 e 17 anos e fizeram ameaças ao professor ainda em sala de aula, ontem à noite, quando este anunciou que iria à direção da escola. “Não viu o que aconteceu com o cara, não? Você vai perder a vida”, disse a dupla, numa referência à tragédia na Escola Tasso da Silveira, em Realengo, Rio de Janeiro.

O professor lembrou, ainda ali, que “o cara” (Wellington Menezes de Oliveira) acabou morto. Os alunos emendaram: “Você vai sobrar”. Ainda durante o tenso diálogo, um deles disse que era parente do líder do tráfico no bairro Nova Esperança.

Lisboa: monitoramento nas escolas.

Depois que a vice-diretora da escola esteve na sala e decidiu suspendê-los, os alunos aguardaram o professor na porta da escola, já acompanhados de um suposto traficante. Foi quando também fizeram ameaças em relação ao carro do docente, estacionado na frente da Lourival Oliveira Soares. A escola tem apenas um guarda municipal, que atua como porteiro. Os alunos pertencem a uma classe de aceleração onde cursam o equivalente às 7ª e 8ª séries em um ano.

Hoje, a Secretaria de Educação de Itabuna garantiu ao educador que a Guarda Municipal armada estará no colégio. Nenhuma entidade sindical do magistério ainda se posicionou, publicamente, sobre o caso nem a onda de violência nas escolas. O caso está sendo acompanhado agora pela Secretaria de Educação e também será levado ao Ministério Público Estadual.

Nesta quinta, o secretário Gustavo Lisboa divulgou que pretende concluir em dezembro a instalação de sistemas de monitoramento nas 112 escolas da rede de ensino. O sistema estará gerenciado pela Guarda Municipal. A partir do momento que ocorre algum incidente numa escola, basta acionar o alarme para que equipe da guarda se desloque para atender a ocorrência.










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia