WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘eleições 2012’

E O PC DO B DEIXOU SENA DE FORA

Vovô sai de cena e ficam Davidson (centro) e Wenceslau Júnior (Montagem Pimenta).

O PCdoB negava em público a fritura, mas na hora da onça beber água o ex-vereador e ex-candidato a vice-prefeito, Luís Sena, acabou sendo preterido na disputa pela prefeitura de Itabuna em 2012. O partido retirou o nome de Sena e comunicou a decisão neste final de semana. Ficam na disputa o vereador Wenceslau Júnior e o presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães.

A leitura é que Wenceslau chega turbinado pela votação obtida em 2010 na campanha a deputado estadual e Davidson tem habilidade para negociar adesões e apoios não só políticos como do empresariado. Sena teria perdido o “time” ao retirar-se de disputas eleitorais em 2010. O “Vovô”, no entanto, era considerado o nome de maior capital eleitoral pelas passagens no legislativo e campanha heroica em 2006, quando enfrentou máquinas estadual e municipal e obteve mais de 11 mil votos na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa estadual.

MARUSE DIZ QUE É PRÉ-CANDIDATA PELO PMDB

Um grupo do PMDB itabunense parece nao ter digerido bem a entrada da empresária Marilene Duarte, a Leninha. Tanto que lançará o nome de Maruse Xavier, presidente da AABB local, como pré-candidata à prefeitura de Itabuna. Maruse apresentará as linhas da sua campanha durante evento na própria AABB, no domingo, às 11 horas. Ao blog, Maruse disse que é filiada ao partido desde os temos de MDB. “Tínhamos que ter um nome histórico nessa disputa”, afirma.

O nome do PMDB seria definido em dezembro, segundo Maruse, ex-esposa do também peemedebista João Xavier, que desistiu do embate para poupar energias e apoiar a candidatura a vereador do filho, Ricardo Xavier. Se está embolado em relação ao centro administrativo Firmino Alves, o partido mostra outra disposição quando o assunto é Câmara de Vereadores. A legenda reforçou o time com nomes de prestígio, a exemplo do advogado Edmilton Carneiro.

REITOR DA UESC FILIA-SE AO PDT E DISPUTARÁ PREFEITURA DE ILHÉUS

Joaquim entra na fila em Ilhéus.

O reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Joaquim Bastos, acabou com o mistério. O professor revelou em primeira mão ao PIMENTA que será mesmo candidato a prefeito de Ilhéus. Joaquim filiou-se ao PDT e está animado com as perspectivas para 2012, embora a prefeitura da Terra da Gabriela viva uma situação financeira preocupante:

– Nos últimos dez anos, a cidade começou a caminhar para uma situação de insolvência administrativa – reconhece, numa estocada direta num dos seus possíveis oponentes em 2012, o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

O reitor, no entanto, aposta em projetos estruturantes que estão sendo tocados pelos governos federal e estadual e iniciativa privada, em Ilhéus. “Vamos trabalhar dentro de um novo modelo econômico. Teremos o Intermodal (Complexo Porto Sul), a ZPE e todas as atividades que devem acontecer daqui para frente”, assinala.

Para ele, estes investimentos mudarão o perfil econômico de Ilhéus e importante será saber “como trabalhar para aproveitar estes benefícios em prol da cidade, principalmente das comunidades mais carentes”.

O reitor deixa o cargo na Uesc exatamente no dia de Iemanjá, 2 de fevereiro de 2012, e afirma ter se sentido à vontade agora para filiar-se a um partido. “Estou em processo de aposentadoria como professor e deixando a reitoria da Uesc”. Antes da candidatura a prefeito, ainda quer fazer da vice-reitora Adélia Pinheiro a sua sucessora na Uesc.

Joaquim Bastos revela-se empolgado com o que a cúpula do PDT definiu como itens necessários para a campanha em Ilhéus. “O PDT vai ter perfil bastante diferenciado da política tradicional. Não queremos troca de favores. Quem votar no nosso partido, nossos candidatos, será pela consciência”.

E o reitor prega novas ações. “Se depender de um voto e esse tiver de ser comprado, prefiro perder a eleição”, diz, numa referência ao que deva ser o modelo da legenda brizolista em 2012. “Pode não dar certo. Às vezes, a sociedade não entende. Mas precisamos ser diferentes do que está aí.

Ao PIMENTA, deixou claro que vai usar e abusar daquilo que considera seus feitos na Uesc. “Talvez o trabalho mais importante seja o social nesses oito anos de Uesc. Temos quase dois mil alunos recebendo bolsas e criamos as cotas não raciais, mas para alunos oriundos da escola pública, além de alunos nossos estudante em universidades da Europa (intercâmbio)”.

Segundo ele, o PDT ilheense está se estruturando e já possui 11 novos nomes que irão disputar vaga na Câmara. “Para checar a esses nomes, criamos dez itens obrigatórios”. Dentre eles, estão a avaliação meritória, honestidade, ética, caráter e… gostar de trabalhar. A lista será completada com outros nomes buscados em setores estratégicos, como indústria, comércio e serviços.

TESÃO NA CÂMARA DE ITABUNA

Dorival Hygino da Silva, o Tesão, entrou na fila por vaga na Câmara (Foto Pimenta).

Uma anticandidatura, o anti-herói das massas. Dorival Hygino da Silva, o Dedé do Amendoim. Ou, simplesmente, Tesão, como é mais conhecido. O mais folclórico (e querido) vendedor de “energéticos naturais” nos bares da região central de Itabuna já decidiu: “com as graças de Deus, serei candidato”.

Sim, Tesão vai disputar uma das 21 vagas na Câmara de Vereadores local. Tudo contra a paumolescência (e a corrupção) reinante no legislativo local. “Contra tudo isso, Tesão. Com amendoim e ovos de codorna”, complementa o sorridente promotor da felicidade alheia.

A vontade de ser candidato tá expressa, mas antes Tesão terá de afiar as garras para brigar pela candidatura dentro do PT, ao qual está filiado há quatro anos. “Eu já era filiado, mas perderam minha ficha. Ficou tudo certinho mesmo há quatro anos”. Se depender de carisma, a batalha interna tá no papo…

ITABUNA, UMA CIDADE BIPOLAR

Valéria Ettinger | lelaettinger@hotmail.com

Sinceramente, o que espero de 2012, o ano das grandes mudanças, é que um raio caia na cidade de Itabuna e possamos encontrar um remédio para combater essa bipolaridade política.

Quando eu era criança ouvia os adultos dizerem: Itabuna é o ouro da Bahia. Itabuna é a cidade que sustenta o Estado da Bahia. No campo da moda Itabuna, estava sempre à frente da capital Salvador e, por ser assim tão promissora, até os filhos dos grandes políticos da Bahia tinham costume de dar uns “bordejos” para o lado de cá.

Mas, no quesito política, Itabuna nunca foi tão inovadora assim.

Vejo que nos últimos 30 anos a cidade não evoluiu, significativamente. Alguns até dizem: foi a crise do cacau que gerou tudo isso. Mas não me refiro a crescimento econômico, visto que fatores econômicos são cíclicos e novos arranjos se fazem para movimentar a economia de um centro, como ocorreu por aqui com a chegada das faculdades particulares, das indústrias e dos investimentos privados no comércio local. Refiro-me a uma estagnação política, sem inovação, sem resolutividade e sem perspectivas de mudança.

Uma política baseada em uma dicotomia de grupos políticos. Fico a pensar: será que o ranço dos tempos dos coronéis, ainda, está impregnado no inconsciente do povo itabunense e, por isso, os itabunenses não conseguem enxergar ou até fazer surgir novas lideranças capazes de quebrar com essa bipolaridade ou mudar o modo de fazer política local?

Vejo muito dinheiro e tempo jogados fora, pois como é comum na política brasileira o “se o meu antecessor é oposição ou inimigo político não darei continuidade ao seu trabalho para não valorizá-lo”. Começarei uma nova ideia e um novo serviço. Muda-se inclusive o layout da prefeitura! Ora, mas a prefeitura não é a mesma? Para que mudar? O povo não sabe que o prefeito mudou? E, assim, o dinheiro público escoa pelo esgoto sem retorno direto à população.

:: LEIA MAIS »

PLANEJAR ITABUNA

João Matheus Feitosa | ssemmeiaspalavras@gmail.com

A cidade precisa de um gestor que possa projetá-la para o futuro, alguém que tenha condição de pensar Itabuna  com projeto de desenvolvimento.

Neste momento pré-eleitoral em Itabuna vários possíveis candidatos colocaram seus nomes à disposição de partidos políticos. O objetivo é tentar consolidar uma candidatura a prefeito na sucessão de 2012.

Mas o que chama atenção é que nenhum desses pré-candidatos teve a preocupação de realizar um estudo para diagnosticar os principais problemas da cidade. O que se percebe é discurso superficial e altamente demagogo. Itabuna é uma cidade que necessita de um choque de gestão, mas a maioria dos  pré-candidatos não está preparada para isso.

Um pré-candidato a prefeito de Itabuna tem que ter como prioridade neste momento o desenvolvimento de um projeto para a cidade. Para isso, é essencial  estruturar uma equipe técnica composta essencialmente de, no mínimo, 12 integrantes. Todas as áreas da agenda municipal têm de ser contempladas.

Essa equipe tem que fazer um diagnóstico completo de todos os problemas da cidade, bem como identificar quais são as principais carências da população e o que causa mais desconforto a Itabuna. Concluindo esse diagnóstico, tem que passar à segunda etapa, que é a discussão das alternativas e soluções para os problemas de Itabuna.

Também é importante os pré-candidatos procurarem dialogar com autoridades técnicas fora de Itabuna.  Esse diálogo é importante para  buscar experiência em outras cidades do mesmo porte ou até mesmo maior. É importante se conscientizar de que para administrar Itabuna a pessoa tem que ser realmente preparada.

A situação de Itabuna é bastante delicada, por isso, será necessária uma solução bastante criativa na sua administração, e também de novas práticas de gestão. Itabuna precisa de projetos revolucionários e inovadores. A cidade não pode ficar no trivial, tem que sair da mesmice e para isso é necessário esse trabalho de elaboração técnica pensando no plano de desenvolvimento, de tal forma que a cidade seja projetada para o futuro.

O plano de governo do candidato não tem que ser feito pelo “marqueteiro” da campanha. Esse não tem capacidade técnica para tal. Se assim o for, o plano de governo será altamente demagógico. Depois de eleito, esquecido, e as promessas de campanha não serão cumpridas, mas na campanha poderão causar impactos positivos nos eleitores.

Os pré-candidatos têm que saber que jamais podem delegar a parte intelectual, sobretudo o seu plano de governo, para “marqueteiro”. Isso já aconteceu em algumas cidades e o resultado foi  a população decepcionada com a opção feita na eleição.

:: LEIA MAIS »

MOACIR SMITH E PTB COM AZEVEDO

Moacir (de óculos) à direita na foto e atrás do Capitão Azevedo: mudanças (Foto Vinicius Borges).

O técnico agrícola Moacir Smith Lima foi dos mais fiéis aliados do ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões nos últimos dez anos, período em que ocupou secretaria de Governo (2001-2004), coordenou campanhas eleitorais de GS e da esposa do deputado e, ainda, presidiu o Instituto Biofábrica de Cacau. Por último, assumiu o cargo de diretor-administrativo da Câmara de Vereadores de Itabuna, ainda sob as bênçãos de GS.

Neste final de semana, surpreendeu a imagem de Moacir posando para fotos ao lado do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM).

O PTB, presidido por Moacir, definiu apoio ao prefeito e adversário do deputado e, de lambuja, filiou o secretário de Desenvolvimento Urbano, José Alencar, que deixou o PP e encontrou nova casa. O arranjo feito pelo presidente da Câmara, Ruy Machado (PRP), ainda garante tranquilidade e votos a Azevedo para aprovar o que quiser na Câmara.

Azevedo aniquilou o que restava de oposição no legislativo e – ao que deixa transparecer a foto oficial – ainda fisgou um dos mais fiéis geraldistas da última década. Vai “tratorando” rumo a 2012, tendo como aliado nesta hora um vereador que coleciona pequenos partidos para negociá-los caro em 2012.

ACÁCIA NA PRESIDÊNCIA DO PDT

Em lugar de Professor Boy, professora Acácia Pinho no comando da comissão provisória do PDT itabunense. Essa foi a decisão vinda de Salvador e tomada pelo deputado federal Félix Mendonça Jr. Ex-secretária de Administração de Itabuna e ex-candidata a vice-prefeita, Acácia é a aposta do PDT para 2012, conforme o Agoranarede.net.

Acácia assumiu a presidência do PDT ontem e compõe a comissão provisória com o professor Boy, Marcelo Cafuringa, Marcos Wense e a advogada Jurandyr de Oliveira Lima.

O partido terá que, antes, regularizar pendências para poder entrar na disputa eleitoral de 2012, segundo o Agora. O foco, além da prefeitura, é a Câmara de Vereadores, onde pretende fazer, pelo menos, dois nomes. Em 2012, serão 21 cadeiras em disputa no legislativo municipal.

PSD OBTÉM REGISTRO EM NOVE ESTADOS

Da Agência Brasil

O PSD conseguiu o registro em nove Estados e cumpriu assim um dos requisitos para ser oficializado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como um partido político. Nesta quinta-feira, os tribunais regionais eleitorais (TREs) de Rio de Janeiro, Mato Grosso e Acre deferiram o registro. Pelo Twitter, o prefeito de São Paulo e criador da sigla, Gilberto Kassab, deu “parabéns a todos que participaram do processo de formação desse novo partido, o Partido Social Democrático”.

Em sessão plenária, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) acolheu o pedido de registro do diretório regional da nova sigla, que reúne cerca de 32 mil assinaturas no Estado. O colegiado rejeitou pedidos de impugnação encaminhados pelo PTB, que acusava a existência de duplicidade da legenda, e pelo DEM, que alegava fraude na formação dos diretórios. Agora, além do Rio, o PSD pode funcionar em Tocantins, Rio Grande do Norte, Piauí, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Acre e Paraná.

DRAGON – O CASAMENTO DO SÉCULO

COM FERNANDO, NÃO!

A propósito da polêmica união Geraldo Simões-Fernando Gomes, a pré-candidata Juçara Feitosa avisou ao marido e a colegas de partido que não há possibilidade de aliança com o ex-prefeito de Itabuna e antigo inimigo político.

Geraldo Simões botou panos quentes na história porque não quer melar, agora, seus negócios (políticos!) com o ex-inimigo.

JOAQUIM BASTOS: “DIZEM QUE TEM MUITA COISA PARA CONSERTAR [NA PREFEITURA DE ILHÉUS]”

Reitor em final de mandato na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), o professor Joaquim Bastos está com um pé na política partidária e os olhos voltados para 2012.

Ele promete definir, até o dia 31, a qual partido irá filiar-se caso concorde em disputar a prefeitura de Ilhéus. Convites parecem não faltar. PDT, PMDB e PCdoB cortejam o reitor.

O reitor não esconde o espanto com os valores gastos numa campanha para prefeito em cidades do porte de Ilhéus. “Fico pasmo”, disse ao PIMENTA.

Joaquim está com 62 anos e em processo de aposentadoria como professor e a idade, segundo ele, também pesará na decisão. Confira a entrevista concedida ao blog.

PIMENTA – O senhor recebeu convites de pelo menos três partidos. Já se decidiu pela candidatura e por qual legenda sairá? 
JOAQUIM BASTOS – Eu tenho conversado sobre política há mais de seis anos e alguns partidos me convidaram para a eleição. Com o final do mandato de reitor e o processo de aposentadoria, agora eu posso pensar nisso.

Qual a legenda escolhida?
Tenho conversado com alguns partidos. O tipo de política que faço é política acadêmica, então, tenho discutido bastante. Até o final do mês eu defino a filiação. Ainda não tenho definição clara sobre qual partido. Tenho conversado para me familiarizar [com a política partidária].

O que o senhor analisa para definir pré-candidatura?
Estou vendo as possibilidades concretas, para realmente me envolver com a vida política da cidade e entender também como funciona um partido.

Com quem o senhor tem conversado?
As conversas se dão em Salvador, Brasília e Ilhéus, para ver se realmente tomo essa decisão na minha vida. Aos 62 anos, tenho que pensar se realmente quero quatro anos na prefeitura.

A gente vê cidades como Itabuna e Ilhéus captando menos dinheiro fora do que a Uesc. 

Existe ainda um temor do que pode vir pela frente, caso vença?
Dizem que vai ter muita coisa para consertar, para fazer. Aí tenho que analisar. A gente vê cidades como Itabuna e Ilhéus captando menos dinheiro fora do que a Uesc. Precisamos ver por que isso acontece. Enfim, tem muita coisa que a gente desconhece [da estrutura partidária e da prefeitura].

Mas não dá para adiantar para onde o senhor vai, politicamente falando?
Conversei com quatro partidos. Me chamaram pra conversar. Tô indo numa boa. Tenho mais três, quatro pessoas comigo, pessoas que têm noção mais aprofundada de política partidária e que vão me ajudar [na decisão].

As propostas de filiação partem mesmo de PDT, PCdoB e PMDB? Qual seria o quarto partido?
(risos) Semana passada, conversamos com um grupo de 12 pessoas, e ficamos em 14. Conversa muito interessante, mas por vezes fico pasmo quando falam em valores de uma campanha a prefeito.

Quanto?
A gente tá acostumado a fazer campanha para reitor com 30 mil reais.  O prefeito de Ilhéus mostrou o contracheque dia desses e daria R$ 600 mil, R$ 650 mil de salário em quatro anos. Eu não admitiria gastar metade disso em campanha. A única coisa que tenho para colocar na mesa é o meu currículo. Dinheiro, moeda, eu não tenho um centavo para colocar em política. Gastar aquilo que se ganha em 25 dias de pauleira…

Depois das conversas iniciais, já há sinalização clara sobre para onde ir?
Há partido que eu considero grande, mas temos outros de estrutura menor, porém, com capacidade de aglutinação. Tenho 37 anos de universidade, uma certa rodagem em relação a acomodar pessoas. Gosto de compartilhar trabalho, responsabilidade, mas também decisão. Ninguém consegue administrar Uesc sozinho. Prefeitura, então, nem sonhando. Mas teria que ter condição.

Não dá para nomear pensando em simpatia, mas eficiência produtiva.

E qual seria, além da capacidade de formar uma boa coligação?
Por exemplo, que não seja indicado apenas um nome para determinado cargo, mas vários. Não dá para nomear pensando em simpatia, mas eficiência produtiva.

O senhor conhece a realidade da prefeitura?
A gente sabe, conhece o orçamento, que é público. Dá para identificar alguns componentes de despesa, receita. Quanto a prefeitura arrecada com a taxa de iluminação? Quanto custa o serviço? Saber se a prefeitura está em dia, se permite retirar as três certidões [para firmar convênios, captar recursos]? Até dia 31, eu vou tomar minha decisão.

PSB DESAUTORIZA EDSON DANTAS

João Carlos aconselhou o médico a ser paciente

Dirigente do PSB de Itabuna, ligadíssimo à cúpula do partido no Estado, o professor João Carlos Oliveira afirmou ter considerado estranho e precipitado o envolvimento do médico Edson Dantas em uma terceira via rumo às eleições de 2012.

Segundo Oliveira, já está definido que o PSB de Itabuna apoiará o candidato apoiado pelo governador Jaques Wagner, que certamente será um nome do Partido dos Trabalhadores (Juçara Feitosa ou Geraldo Simões). Oliveira disse ainda que esse posicionamento tem o respaldo do presidente do diretório municipal, Aurélio Macedo.

Para Dantas, o professor João Carlos Oliveira recomendou paciência. “O médico precisa ser paciente e atuar com espírito coletivo”, aconselhou o correligionário, em tom de puxão de orelha.

CAMPANHA ELEITORAL NA GLOBO?

Notinha apimentada do Bahia Notícias vê uma discreta campanha da Globo – ou seria de Faustão – em favor de Mário Kertész, pré-candidato a prefeito de Salvador.

No vídeo, Kertész é citado por Faustão como o “Rei de Salvador”.

REITOR DA UESC PODE SER A NOVIDADE NA SUCESSÃO EM ILHÉUS

O reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Joaquim Bastos, tem convites de PMDB, PDT e PCdoB para disputar a prefeitura de Ilhéus em 2012.

Com exclusividade, o PIMENTA conversou com o reitor da Uesc há pouco. Joaquim afirma ter recebido convites de quatro partidos e antecipou que conversas se dão não apenas em solo ilheense, mas em Salvador e Brasília.

O reitor confirmou o interesse em ser candidato, mas antecipou que a decisão será tomada no dia 31 de agosto, quando então anunciaria a qual partido vai se filiar. “Terei mais um mês para definir, mas será neste dia”. O prazo de filiações para quem vai disputar eleição em 2012 termina em 30 de setembro, mas os partidos têm até 6 de outubro para entregar a relação de novos membros.

Professor da Uesc e próximo da aposentadoria, Joaquim avalia se disputar a prefeitura é algo que realmente queira aos 62 anos e tendo, caso eleito, mais quatro de vida pública. O PIMENTA publicará a íntegra da entrevista.

O reitor seria a novidade em um processo eleitoral em que velhas caras já se apresentaram, dentre elas o ex-prefeito Jabes Ribeiro.

PASTOR NO TATAME

Gilmar Bomfim acha que o ilheense está cansado da mesmice

O pastor evangélico Gilmar Bomfim ofereceu almoço no último fim de semana em Ilhéus, oficialmente com a intenção de comemorar seus 30 anos de ministério. Porém, para não perder a viagem, o religioso também apresentou sua pré-candidatura a prefeito pelo PV.

Bomfim criticou a gestão presente e as anteriores, repetiu que o povo está cansado da mesmice e colocou-se como novidade no processo. Estavam presentes aos comes e bebes representantes de vários partidos, à exceção do PP de Jabes Ribeiro.

O clã dos Ribeiro, aliás, já afirmou que, na política ilheense, os que não ostentam este importante sobrenome são um grupo de japoneses numa carroceria de caminhão… Para não fazer desfeita ao possível adversário, o pastor chegou a apertar os olhos e fazer cara de guerreiro samurai.

Vai encarar?

DRAGON – FILME DE TERROR

A CORRUPÇÃO NO GOVERNO AZEVEDO

O deputado federal e ex-prefeito Geraldo Simões está reunido com correligionários no Hotel Tarik, na Beira-Rio, e tá batendo com gosto na gestão do Capitão Azevedo.

Certo é que o deputado tem em mãos um dossiê dos porões do governo democrata e, sem pestanejar, afirma que este é o governo mais corrupto da história de Itabuna. Para ele, perto de Azevedo, Fernando Gomes tende a virar santo neste quesito.

O SECRETARIADO DE GERALDO

Oscar Licâncio, clone do Amigo da Onça.

A confirmação de que os antigos inimigos políticos Fernando Gomes (sem partido) e Geraldo Simões (PT) esqueceram as trocas de acusações do passado e agora travam papos intensos por telefone causou rebuliço na política local. Eleitores fiéis de Fernando e Geraldo reprovam a ideia de união visando 2012. Mas há quem se divirta com o que seria um futuro secretariado do petista Geraldo Simões, apoiado pelo fernandismo.

Veja o caso do leitor Oscar Licâncio. Provocador, ele escala quase todo o time que ocuparia, na visão dele, o governo do petista. Licâncio deixou em aberto algumas áreas, a exemplo das secretaria de Planejamento e da Educação. Seria para contemplar amigos que, antecipadamente, lhe revelaram desgosto por terem ficado fora da lista.

Licâncio traduz em palavras o humor cortante do Amigo da Onça. “Espero que todos entendam que esta lista é sinal de prestígio dos escolhidos dentro dos seus respectivos grupos”. Alguns foram cotados pelo conhecimento e/ou afinidade com a área. Outros, por pura maldade.

Secretária de Governo: Maria Alice Pereira
Secretária Particular: Maria Fernanda Galvão
Chefe de Gabinete: Paulo “Índio” Lima
Secretario de Finanças: Jesuíno Oliveira
Secretária de Ação Social: Juçara Feitosa
Secretário de Infraestrutura: Paulo Sérgio (Paulo Seboso)
Secretário de Saúde: José Henrique
Presidente da FICC: Vera Rabelo
Secretário de Agricultura: Marcelino Oliveira
Secretário de Esporte: Paulo Roberto Rezende (Paulão)
Secretário de Indústria e Comércio: Raimundo Vieira (Raimundo do Caixão)
Secretário de Comunicação: Eduardo Anunciação ou Maria Antonieta
Procurador-Geral: Carlos Burgos
Presidente da Fundação Marimbeta: Sandra Nilma (esposa de Cuma)
Presidente da FASI: João Marcos de Lima (Marcão)
Chefe da Guarda Municipal: Marcone Sarmento








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia