WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘eleições 2012’

A LISTA DO MARACAJÁ

Suspense na política baiana. O presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Paulo Maracajá, promete para hoje o envio da lista dos políticos fichas-sujas, aqueles que tiveram contas rejeitadas como gestores públicos. Resumindo, políticos em situação duvidosa, quase fora da disputa em 2012. A “Lista do Maracajá” será encaminhada à Procuradoria Regional Eleitoral.

A PRESSÃO DE MARDES

A turma do PT que apostava em Rita de Coleto como o nome do partido na sucessão em Buerarema dá sinais de cansaço. O prefeito Mardes Monteiro tem usado a força da máquina em favor do seu pupilo, o “Ariosto de Monteiro”. Em que pese a qualidade de Rita, Mardes está mais preocupado com o seu quinhão.

Guima, do PDT, que vem nadando de braçada na pré-campanha, tem agradecido a malvadeza do prefeito guloso. Nem mesmo a forcinha da secretária estadual de Políticas da Mulher, Lúcia Barbosa, vem sendo levada em conta pelos mardistas. O bicho tá pegando.

ILHÉUS: JABES GANHA APOIO DO PDT

O PDT desistiu de candidatura própria e anunciou apoio ao ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP), que tenta sentar na cadeira principal do Palácio Paranaguá pela quarta vez. O prefeiturável se reuniu com o presidente do PDT ilheense, Fred Gedeon, no escritório do PP em Salvador.

A união ocorre após Jabes conversar com algumas das principais lideranças estaduais do partido, a exemplo do deputado estadual Euclides Fernandes e do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, bem como o presidente estadual, Alexandre Brust.Estes, segundo o secretário-geral do PP baiano, sinalizaram que a decisão de apoio dependeria do diretório municipal.

Fred afirmou que o PDT está coeso no apoio ao pepista. Jabes diz que, se for eleito, o PDT “terá papel importante” no seu governo. Diplomático, o prefeiturável mencionou o empenho de Fred Gedeon, do advogado Cosme Araújo e do ex-reitor da Uesc, Joaquim Bastos, que chegou a se colocar como um dos nomes que disputariam a prefeitura de Ilhéus.

SOCORRO JURÍDICO PARA AZEVEDO

Azevedo: em busca do antídoto.

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) recorreu a um dos principais escritórios de advocacia de Salvador para tentar salvar a candidatura à reeleição.

Internamente, é dado como líquido e certo que o nome de Azevedo é carta fora do baralho, mas se tentará remédio jurídico que garanta a manutenção de candidatura até após a “Hora H”, a da urna.

O advogado viria a Itabuna por esses dias, mas a viagem foi abortada por um problema de saúde, conforme fonte.

E por que Azevedo estaria fora do jogo? Porque ficou claro entendimento que o prefeito passou à condição de impedido por ter assumido a prefeitura em algumas ocasiões no período em que era vice.

Afora isso, outro ponto é a rejeição de contas por parte do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Permanece o entendimento de que, não sendo votadas – pelo menos as de 2009 – pela Câmara de Vereadores, prevalecerá o parecer do TCM. Ou seja, mais um motivo para impedir a candidatura azevedista.

São fortes grandes as movimentações entre democratas e aliados para fechar um nome substituto nas urnas. Não à toa, crescem as pressões para que Azevedo mude de vice, alijando o peemedebista Renato Costa, e busque aliados mais fiéis…

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

TÁ PINTANDO A COLIGAÇÃO ÓLEO DE PEROBA

Entenda aqui

ELEIÇÕES 2012: ACM NETO LIDERA; PELEGRINO É O SEGUNDO

Pesquisa divulgada nesta quinta, 31, pelo Instituto Potencial traz o deputado federal ACM Neto (DEM) liderando a corrida sucessória em Salvador. O levantamento ouviu 811 eleitores de 26 a 29 deste mês na capital baiana e tem margem de erro de 3,4 pontos percentuais e foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 00018/2012.

Na espontânea, Neto aparece com 11,5%, Nelson Pelegrino (PT) apresenta 4,1% e Lídice da Mata (PSB) atinge 2,1%. Imbassahy (PSDB) soma 1,5% e o peemedebista Mário Kertész (PMDB) surge com 1,2%. Márcio Marinho (PRB) e Maurício Trindade (PR) surgem com 1% cada. Alice Portugal (PCdoB) tem 0,4%. O universo de eleitores que ainda não sabem em que votar representa 71,4%.

A pesquisa traz quatro cenários na estimulada. No primeiro, ACM Neto alcança 27,4% e Pelegrino vem em segundo (11,3%), mas empatado tecnicamente com Lídice (8,3%) e Maurício Trindade (7,2%). Em seguida, aparecem Mário Kertész (4,4%), Márcio Marinho (3,8%), Alice Portugal (2,6%) e João Leão-PP (0,4%). Confira os demais cenários:

Cenário 2

ACM Neto (DEM) – 28,9%
Pelegrino (PT)- 12,9%
Maurício Trindade (PR) – 7,9%
Mário Kertész (PMDB) – 5,3%
Márcio Marinho (PRB) – 4,1%
Alice Portugal (PCdoB) – 3,1%
João Leão (PP) – 0,9%
Capitão Tadeu (PSB) – 0,1%

Cenário 3

ACM Neto (DEM) – 29,7%
Pelegrino (PT) – 13,4%
Maurício Trindade (PR) – 9%
Mário Kertész (PMDB) – 5,3%
Alice Portugal (PCdoB)- 3,5%

Cenário 4

ACM Neto (DEM) – 31,3%
Pelegrino (PT) – 15,5%
Mário Kertész (PMDB) – 6,3%
Alice Portugal (PCdoB) – 4,4%

PMDB QUASE LÁ

O PMDB de Renato Costa e dos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima está praticamente fechado para ocupar a vice do prefeito Capitão Azevedo (DEM). E se ainda não fechou, conforme uma fonte da estadual peemedebista, é porque ainda não ficou definido com quem e se o PMDB vai coligar na proporcional.

O PSDB do deputado estadual Augusto Castro também quer a vice de Azevedo, mas a grita tem a ver, também, com a eleição proporcional. O partido quer sair sozinho, pois os líderes acreditam que assim têm chances de eleger mais de um vereador. Mas o DEM quer se coligar com os tucanos para formar uma bela bancada.

DANIEL ALMEIDA CONFIRMA DIÁLOGOS COM GS, MAS DESCARTA ALIANÇA PC DO B-PT EM ITABUNA

O presidente estadual do PCdoB, deputado federal Daniel Almeida, confirmou ao PIMENTA que o colega Geraldo Simões o procurou para tratar de aliança eleitoral comunista em Itabuna, mas ressalvou: “decisão passa pelo diretório municipal”.

O dirigente também comentou os planos do partido para as eleições na Bahia em 2012 (“queremos ultrapassar a marca de 30 prefeitos eleitos”) e o mal-estar no partido com a punição pública ao sindicalista Rui Oliveira, líder da greve dos professores estaduais.

Confira os principais trechos da entrevista concedida nesta noite de segunda, 28, logo após reunião do partido. “Discutimos tática eleitoral em Salvador e em toda a Bahia”, enfatizou.

PIMENTA – O partido terá candidatura própria em Itabuna?

DANIEL ALMEIDA – Temos como prioridade a eleição em Salvador, com Alice Portugal, e em alguns municípios, dentre eles Itabuna. Trabalhamos para construir a candidatura de Wenceslau [Júnior]. Nesse momento, estamos construindo uma frente [PCdoB, PRB, PSC, PDT e PV] da qual o PT não participa.

A frente é para valer?

Vamos insistir na construção da candidatura e de projeto inovador dentro dessa frente. Essa polarização dos últimos anos [PT x DEM] não tem produzido os resultados que Itabuna necessita. Nós temos conversado com todos os partidos da base governista, mas em Itabuna insistimos na necessidade desse caminho novo. Wenceslau é alternativa necessária e viável.

O deputado Geraldo Simões tenta apoio do PCdoB. Disse, em entrevista, que a conversa no partido se dá com o senhor.

Converso com Geraldo todos os dias, são temas variados. Ele já demonstrou interesse em conversar sobre aliança, mas a decisão passa pelo diretório municipal, que tem autonomia e confiança para conduzir a tática eleitoral.

O PCdoB elegeu 18 prefeitos na Bahia em 2008. Qual é o cenário para 2012?

Queremos ultrapassar a marca de 30 prefeitos eleitos. No sul da Bahia, manter Gandu e Itacaré e conquistar outras, como Uruçuca, Itabuna, que é a principal cidade. Temos situação muito favorável em Itagibá e Camacan.

O PCdoB reconhece as reivindicações dos professores. Isso não pode levar dirigente do partido – e Rui é dirigente– a fazer discurso de ataque ao governo.

Como o partido explica a retirada do nome do deputado Jean Fabrício em Conquista, no sudoeste?

Quando lançamos Fabrício, levamos em conta a eleição em dois turnos. Houve afunilamento muito forte dos partidos [da base] em torno de Guilherme Menezes. Por essa razão, achamos que deveríamos somar nessa direção. Nunca nos afastamos do projeto.

Avançando em outro campo, a reprimenda ao professor Rui Oliveira não pegou mal para o partido?

O PCdoB reconhece as reivindicações dos professores. Isso não pode levar dirigente do partido – e Rui é dirigente– a fazer discurso de ataque ao governo, que se soma à oposição para fragilizar o projeto do qual participamos. Isso não tem nada a ver quanto ao reconhecimento do papel da APLB e das reivindicações dos professores. Da mesma forma, reconhecemos que o governo deve dialogar.

A greve de agora se aproxima da paralisação de 55 dias de 2007. Na opinião do senhor, o que está faltando desta vez?

Penso que é necessário ter mais sensatez por parte do governo e dos trabalhadores. O tensionamento que verificamos hoje não vai levar ninguém à vitória. Vai levar a resultado que contabiliza derrota para professores, governo, sociedade, sindicato e suas lideranças. O melhor caminho é o diálogo.

“POR CIMA”: GERALDO REVELA COMO QUER CONQUISTAR O PC DO B

Geraldo: "sem paixão nem beijo na boca"

O ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões deixou claro, ontem, como quer conquistar o apoio do PCdoB para o projeto eleitoral da sua esposa, Juçara Feitosa, que disputará a Prefeitura de Itabuna pela segunda vez. Não mais negocia com os comunistas em Itabuna. Acusa rancor por parte do pré-candidato Wenceslau Júnior e diz que não conversa mais com Davidson Magalhães por que este trouxe à luz diálogo tenso que mantiveram por telefone.

O que o ex-deputado disse em entrevista logo após o encontro municipal petista mostra dificuldade em dialogar. Sobre Wenceslau:

– O ressentimento [de Wenceslau] é fruto da natureza de algumas pessoas que a qualquer percalço busca responsabilizar os outros.

Geraldo também afirma que Davidson agiu de forma incorreta ao revelar conteúdo de conversa que mantiveram durante afastamento de Wenceslau. O afastamento se deu em ação movida Ministério Público estadual:

– Fiz uma ligação telefônica para jogar água fria na fervura. Ele [Davidson]  levou o teor à imprensa – reclamou o deputado.

O parlamentar diz que agora só está conversando com o presidente estadual do PCdoB, Daniel Almeida. Ou seja, decisão de aliança, se ocorrer, só por cima, sem diálogo com o diretório municipal comunista:

– A possibilidade da conversa, portanto, existe diante das responsabilidades que temos com os destinos de Itabuna. O mesmo se dá com o PDT, PRB e PR.

SEM PAIXÃO NEM BEIJO NA BOCA

Ainda na entrevista, o parlamentar, deixando latente as dificuldades para atrair grandes legendas para o arco de alianças em favor da esposa, larga mais esta: “fazer aliança política não requer paixão nem beijo na boca”. Vendo-se diante de uma frase bem ao estilo carlista, tentou amenizar (ou jogar água na fervura, como diz). “Mas se precisa responsabilidade e compromissos com a cidade”.

O vereador e pré-candidato Wenceslau Júnior diz contar com o respaldo da direção estadual do PCdoB e considera difícil aliança com o PT em Itabuna. A entrevista com o comunista foi feita na sexta, 25, e será publicada nesta terça, 29.

PT CONFIRMARÁ NOME DE JUÇARA; MIRALVA PODE OFICIALIZAR AFASTAMENTO DA PRESIDÊNCIA

Juçara: homologação pelo PT.

O diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) vai realizar Encontro Municipal, a partir das 9 horas desse domingo, 27, na Câmara de Vereadores. A legenda vai homologar o nome de Juçara Feitosa à prefeitura de Itabuna. A candidatura, porém, será oficializado em convenção partidária a ser realizada em junho.

Dentre as presenças de autoridades confirmadas no evento de amanhã, estão a secretaria estadual de Políticas para Mulheres, Vera Lúcia Barbosa, dirigentes da executiva estadual do PT, deputados estaduais e federais e líderes regionais da legenda.

Esta será a segunda vez que a petista Juçara Feitosa vai disputar o comando do Centro Administrativo Firmino Alves. Há quatro anos, a candidata do PT obteve 40.610 (39%), mas perdeu a eleição para o atual prefeito Capitão José Nilton Azevedo Leal, que conquistou 52.187 votos válidos (50%).

RUSGAS NO PT

O encontro pode também marcar o afastamento da professora Miralva Moitinho da presidência do diretório municipal do PT. A ex-dirigente da Direc 7 pensa em concentrar todas as suas forças na pré-candidatura a vereador do filho, o advogado Edmundo Moitinho.

Miralva, aliás, não terá lá muito entusiasmo para participar da campanha da prefeiturável petista. Ela atribui a Juçara Feitosa e ao deputado federal Geraldo Simões tanto a sua queda na Direc 7, órgão máximo da Secretaria Estadual de Educação na região de Itabuna, como o fogo amigo que lhe tirou muito do capital político.

MARKETING E LEGISLAÇÃO ELEITORAL

Osias Lopes fala sobre legislação eleitoral a pré-candidatos (Foto Marcos de Souza).

Mais de 70 pré-candidatos a vereador e coordenadores participaram, hoje, de seminário de marketing e legislação eleitoral em Itagibá, no sul da Bahia.

Osias Lopes, advogado e especialista em Direito Eleitoral, e o professor e adminstrador de empresas Sérgio Lobo foram os conferencistas do encontro direcionado a políticos ligados ao pré-candidato Marquinhos Barreto (PCdoB).

O evento reuniu pré-candidatos a vereador, coordenadores e representantes de 1o partidos que apoiam o nome do comunista para a prefeitura do município (PCdoB, PT, PSDC, PMN, PP, PSD, PSC, PV, PRP e PTB).

Barreto diz que a intenção é, além da motivação, alertar e instrutir os pré-candidatos quanto à legislação e, assim, “não incorrerem em erro” que possam deixá-los de fora da disputa ou impedir a diplomação se eleitos.

PAULO MARTINHO NO CIRCUITO

O ex-prefeito de Itajuípe, Paulo Martinho (PDT), não poderá concorrer às eleições por causa da ficha – que está suja -, mas tratou de participar do pleito de outra forma. Acaba de lançar a pré-candidatura da esposa, Neuza Macedo, na disputa.

Ex-secretária de Ação Social de Itajuípe, Neuza sairá pelo PDT, com apoio do deputado federal Félix Júnior e do secretário estadual de Tecnologia, Ciência e Inovação, Paulo Câmera.

A corrida eleitoral no município sul-baiano pelo lado feminino tem, até agora, três pré-candidatas: a vice-prefeita Graciela Dantas (PSD), a ex-prefeita Gilka Badaró (PSB) e Neuza.

PV FECHA APOIO A PROFESSORA CARMELITA

Pastor Gilmar Bonfim e Carmelita fecham aliança eleitoral.

O pastor Gilmar Bonfim e o PV acabam de fechar apoio à pré-candidatura da Professora Carmelita (PT). O pastor e a pré-candidata a prefeita de Ilhéus se reuniram em um restaurante, acompanhados dos presidentes do PT, Marilene Lapa, e do PV, Robson Melo, para discutir os termos da aliança. Ainda não foi discutido se o pastor será o vice da petista.

Professora  Carmelita fez referência à respeitabilidade e o livre trânsito do pastor. Gilmar Bonfim diz que a aliança reúne uma mulher preocupada com o social e um homem que tem compromisso com o meio ambiente. “A decisão de apoio a Carmelita representa o amadurecimento que a pré-candidatura petista tem demonstrado nas últimas semanas”, assinalou Gilmar Bonfim.

AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2012 E O PESADELO (PARA ALGUNS) DA LEI DA FICHA LIMPA

Osias Lopes | [email protected]

A Lei Complementar 135/2010 reconhece competência também ao Tribunal de Contas (que antes era só da Câmara de Vereadores) para julgar contas do Prefeito Municipal.

Muito já se falou sobre a possibilidade, ou não, da reeleição de vice-Prefeito que virou Prefeito: de erro na redação de resposta a Consulta formulada ao TSE à ignorância pura e simples do teor da Resolução emitida pelo mesmo TSE tratando da matéria, chegando até mesmo a ignorar-se a Constituição da República. Enfim, foi exercido amplamente o direito à liberdade de pensamento garantido por esta mesma Constituição.

Mas pouco, ou quase nada, se tem falado de uma competência atribuída à Corte de Contas incrustada no cantinho do texto da alínea “g” do art. 1º, I, da Lei Complementar Nº 135/2010 (a festejada Lei da Ficha Limpa), e que pode dar muita dor de cabeça a um sem número de candidatos.

Diz a Lei Complementar Nº 135/2010, que são inelegíveis para qualquer cargo “os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição“ ( art. 1º, I, alínea “g”). (Grifo nosso)

:: LEIA MAIS »






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia