shopping jequitiba
sind sefaz
agosto 2014
D S T Q Q S S
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  




:: ‘eleições 2014’

PSB OFICIALIZA CHAPA MARINA-BETO ALBUQUERQUE

Marina e Beto Albuquerque são oficializados (Foto Agência Brasil).

Marina e Beto Albuquerque são oficializados (Foto Agência Brasil).

Da Agência Brasil

O PSB oficializou na noite de hoje (20) a ex-senadora Marina Silva como candidata do partido à Presidência da República e o deputado federal Beto Albuquerque como candidato a vice. Marina, que antes era candidata a vice na chapa, irá substituir Eduardo Campos, morte em um acidente aéreo na quarta-feira passada (13), em Santos, no litoral paulista.

A decisão foi tomada após reunião do partido e com representantes da coligação Unidos pelo Brasil. O PSB tem agora até o dia 23 para registrar a nova chapa na Justiça Eleitoral.  Mais cedo, Beto Albuquerque disse que Marina e ele serão fiéis aos compromissos do PSB e aos projetos de Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco, ex-dirigente do partido e avô de Eduardo Campos.

“Marina vai cumprir os acordos firmados pelo ex-governador Eduardo Campos. Marina e Beto não vão fazer o que querem. Vão fazer o que Brasil exige e precisa, e o que o povo quer. Isso está expresso no nosso programa de governo. E este é o nosso compromisso”, afirmou o deputado.

SOUTO: “FIZ MAIS QUE O PT”

Souto diz que fez mais que o PT.

Souto: “Fiz mais que o PT”.

O ex-governador Paulo Souto (DEM) comandou a Bahia por oito anos e disse ontem em entrevista ao BA-TV (TV Bahia) que fez mais que o PT na área de saúde.

O democrata disse que construiu o Hospital de Oeste e deixou encaminhado o Hospital de Juazeiro, concluído e inaugurado em 2009 pelo governador Jaques Wagner.

Souto passou quase toda a entrevista fazendo críticas ao atual governo, principalmente nas áreas de segurança pública e saúde. Para ele, há um claro sentimento de rejeição ao PT na Bahia. O candidato não chegou a apresentar propostas de campanha.

RUI PROMOVE CARAVANA NO SUL DA BAHIA

Rui e Otto fazem caravana no Sul da Bahia amanhã (Foto Divulgação).

Rui e Otto fazem caravana no Sul da Bahia amanhã (Foto Divulgação).

O candidato ao governo baiano pelo PT, Rui Costa, promove a “Caravana 13″ no sul da Bahia nesta quinta-feira (21). Junto com o candidato ao Senado, Otto Alencar (PSD), e o vice, João Leão (PP), Costa percorrerá os municípios de Coaraci, Itajuípe, Barro Preto, Itapé e Ibicaraí.

A caravana tem partida às 15h, em Coaraci, passando por Itajuípe, Barro Preto e Itapé. O encerramento, por volta das 19h, será em Ibicaraí.

De acordo com a coordenação regional da campanha de Rui, prefeitos e lideranças sul-baianas se mobilizam para reunir milhares de pessoas, em apoio a Dilma presidente,  Rui governador e Otto senador.

LÍDICE RETOMA AGENDA DE CAMPANHA NA QUINTA

Lídice retoma agenda de candidata na quinta.

Lídice retoma agenda de candidata na quinta.

A senadora Lídice da Mata (PSB) retomará somente na próxima quinta (21) a sua campanha ao governo baiano, segundo comunicou em nota.

A socialista segue para Brasília nesta segunda (18) para missa em homenagem ao ex-governador Eduardo Campos, morto no dia 13 em desastre aéreo.

De acordo com a assessoria da candidata, Lídice participará das conversas que definirão os rumos da campanha do PSB à presidência da República e aos governos estaduais. Ela ainda estará na reunião que definirá a nova chapa do PSB à presidência.

Marina Silva é a cabeça de chapa, mas ainda falta definir o (ou a) vice. Nomes como Renata Campos, Luiza Erundina e Beto Vasconcelos são cogitados. Após o anúncio, Lídice retornará para o estado e retoma a agenda de candidata na quinta. O compromisso ainda não foi informado.

DATAFOLHA: MARINA SILVA JOGARIA ELEIÇÃO PARA SEGUNDO TURNO

Dilma, Marina e Aécio: quem será o eleito?

Dilma, Marina e Aécio: quem será o eleito?

A nova pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda (18) revela que a eleição presidencial poderá ser decidida apenas no segundo turno no novo cenário com a entrada de Marina Silva (PSB-Rede) no papel de cabeça de chapa. Após a tragédia com a morte de Eduardo Campos (PSB), Marina deverá ser escolhida a candidata a presidente em lugar do ex-governador de Pernambuco.

Na pesquisa feita nos dias quinta e sexta-feiras (14 e 15), no calor da comoção pela morte de Campos, Marina Silva empata, tecnicamente, com Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno e com Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, mas numericamente à frente dos dois nestes cenários.

Os números do primeiro turno são os seguintes: Dilma Rousseff tem 36%, Marina Silva vai a 21% e Aécio Neves soma 20%. Pastor Everaldo (PSC) fica com 3% e Zé Maria (PSTU) e Eduardo Jorge aparecem com 1% cada um. Os demais candidatos não chegam a 1%.

Os percentuais de brancos e nulos e indecisos caem consideravelmente com a entrada de Marina em cena. Antes, somavam 27% (13% de brancos e nulos e 14% de indecisos). Agora, representam 17% (8% de brancos e nulos e 9% de indecisos).

O Datafolha aferiu, ainda, cenário sem Marina. Nele, Dilma sai de 36% para 41%; enquanto Aécio vai de 20% para 26%. Os demais candidatos juntos têm 8%.

SEGUNDO TURNO

A pesquisa Datafolha também apurou que Marina Silva é surpresa no segundo turno. Empatada com Dilma Rousseff dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais, Marina surge à frente da presidente: 47% a 43%.

Dilma, no entanto, ampliou a sua vantagem em relação a Aécio Neves em um hipotético segundo turno. Se antes a situação era de empate (44% a 40% em 15 e 16 de julho), agora a petista aparece oito pontos à frente do tucano: 47% a 39%.

A pesquisa não testou confronto entre Marina Silva x Aécio Neves em um segundo turno. Foram consultados 2.843 eleitores em 176 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 386/2014.

MARINA SILVA ACEITA SUBSTITUIR CAMPOS

Marina Silva e Eduardo Campos (Foto Ed Ferreira/AE).

Marina Silva aceita ser candidata em lugar de Campos, morto na quarta (Foto Ed Ferreira/AE).

Da Agência Brasil

A ex-ministra do Meio Ambiente e candidata à Vice-Presidência da República Marina Silva aceitou ser cabeça de chapa da coligação Unidos para o Brasil, em substituição ao ex-governador de Pernambuco  Eduardo Campos (PSB), que morreu quarta-feira (13), em acidente aéreo em Santos, no litoral de São Paulo. Hoje (15), o presidente do PSB, Roberto Amaral, foi à casa de Marina para saber se ela autorizava uma consulta ao partido sobre a candidatura dela ao cargo.

Segundo o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS), a ex-ministra aceitou que seja feita a consulta para saber se o partido concorda com sua candidatura à Presidência da República em substituição a Campos. Beto Albuquerque confirmou que Marina disse sim à consulta e que aceita disputar a presidência pela coligação formada pelo PSB, PPS, PPL, PRP, PHS, além da Rede Sustentabilidade, que ainda não tem registro.

O deputado, que está em São Paulo acompanhando os trabalhos de identificação das vítimas do acidente aéreo de quarta-feira, informou que foi à casa de Marina Silva na noite de ontem (14), para lhe dar um abraço e conversar sobre a necessidade de uma releitura da campanha de Campos e de ela adotar também o discurso que vinha sendo feito pelo ex-governador.

Para Albuquerque, não haverá dificuldade para que os partidos da coligação aceitem a ex-ministra como cabeça de chapa.

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), disse à Agência Brasil que seu partido foi o primeiro da coligação a aconselhar que Marina fosse a substituta de Campos na corrida eleitoral. “Marina Silva vai unir os partidos da coligação”, afirmou o parlamentar. Para ele, está havendo consenso em torno do nome dela para a disputa. Quanto a um nome para ser o companheiro de chapa de Marina, caso seja confirmada sua indicação, Freire acredita que “o PSB reivindique o cargo”. O mais importante agora “é consolidar a candidatura de Marina Silva à Presidência”, destacou.

A decisão final sobre quem substituirá Eduardo Campos na disputa deverá ser tomada quarta-feira (20), em Brasília, durante reunião do Diretório Nacional do PSB com deputados e senadores do partido e líderes da legenda. A coligação Unidos para o Brasil tem até o dia 23 deste mês para informar à Justiça Eleitoral o nome de seu novo candidato à Presidência da República.

BABESP: PARA ZÉ NETO, ELEIÇÃO ESTÁ EM ABERTO

Zé Neto: jogo em aberto.

Zé Neto: jogo em aberto.

O deputado estadual Zé Neto (PT) passou a lupa nos números da pesquisa Babesp e, com base no que viu, acredita que o jogo está mais que aberto. O levantamento revela que 79,6% dos eleitores consultados ainda não têm candidato. Para ele, este percentual joga a favor dos candidatos mais desconhecidos do eleitorado, a exemplo do companheiro de partido Rui Costa, nome escolhido por Jaques Wagner para concorrer ao governo baiano.

- Isto (o percentual de 79,6% sem candidatos na espontânea) mostra que a eleição está completamente em aberto e, com o crescimento que Rui vem tendo não há dúvida de que dentro de pouco tempo as novas pesquisas irão mostrar um quadro diferente, e o nosso candidato vencerá a pesquisa real, que é a das urnas – disse o líder do governo na Assembleia Legislativa.

Confira mais dados da pesquisa Babesp aqui.

APOIOS INFLACIONADO$

dinheiro

Três candidatos a deputado desistiram da peleja eleitoral alegando falta de recursos. Graça Pimenta, Sérgio Passos e Gaban reclamam, no geral, do encarecimento das campanhas na Bahia. Cabos eleitorais estão cobrando até R$ 600 mil por apoio, segundo disse Gaban em entrevistas.  A estimativa é de que a campanha para deputado estadual custe, por baixo, R$ 2,1 milhões na Bahia. É investir esse montante ou, dificilmente, será eleito (ou reeleito).

BABESP: NA BAHIA, DILMA VAI A 60% E AÉCIO, 13%

Corrida presidencial: Campos, Dilma e Aécio.

Campos vai a 6%, Dilma tem 60% e Aécio atinge 13% na Bahia.

Além da corrida ao Palácio de Ondina, a pesquisa Babesp (DataNilo) também aferiu as intenções de voto dos baianos para a presidência da República. Candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT) aparece com 60% ante 13% de Aécio Neves (PSDB) e 6% de Eduardo Campos (PSB).

Pastor Everaldo (PSC) atinge 2% e Luciana Genro (PSOL) chega a 1%. Eduardo Jorge (PV), Eymael (PSDC), Rui Pimenta (PCO), Levy Fidélix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Zé Maria (PSTU) atingem menos de 1% cada um deles.

A pesquisa consultou 2.000 eleitores em 84 municípios baianos no período de 5 a 11 de agosto. Ela está registrada com o número BA-99998/2014. O levantamento foi encomendado à Babesp pelo deputado estadual Marcelo Nilo.

PESQUISA BABESP: COM PADRINHOS, SOUTO VAI A 38% E RUI COSTA ATINGE 28%. LÍDICE TEM 11%

Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

Os candidatos ao governo: Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

A primeira pesquisa Babesp sobre a corrida sucessória na Bahia revela que os padrinhos políticos podem mexer com o cenário ao Palácio de Ondina, mas ainda sem o impacto previsto em sondagens eleitorais.

Rui Costa (PT) chega a 28% das intenções de votos quando associado ao governador Jaques Wagner, à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Lula. Paulo Souto (DEM) continua na liderança se associado ao prefeito de Salvador, ACM Neto, e ao presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, atingindo 38%. A diferença entre ambos cai a 10 pontos percentuais com os apadrinhamentos.

A socialista Lídice da Mata (PSB) fica com 11% quando o eleitor recebe a informação de que ela é apoiada pelo presidenciável e ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, também do PSB. Marcos Mendes (PSOL), Da Luz (PRTB) e Renata Mallet (PSTU) atingem 1% cada um ao serem associados aos presidenciáveis por suas respectivas legendas. O percentual de nulos, brancos e indecisos atinge 21%.

SEM APOIOS, SOUTO VAI A 40% E COSTA, 16%

Quando os candidatos ao governo baiano aparecem sem a força dos padrinhos políticos, o democrata Paulo Souto vai a 40% e o petista Rui Costa atinge 16%. Lídice da Mata vai a 13%. Marcos Mendes alcança 2%, enquanto Da Luz e Renata Mallet chegam a 1% cada um. Neste cenário na estimulada, votos em branco, nulos e indecisos somam 29%. Como a soma dos adversários é inferior aos 40%, Souto estaria eleito no primeiro turno.

A pesquisa Babesp ainda revela que o universo de eleitores sem voto definido chega a quase 80% a menos de dois meses da eleição na pesquisa espontânea, quando não são apresentados nomes dos candidatos ao eleitor. Nesta modalidade, Souto tem 6,95% das intenções de voto ante 2,25% de Rui Costa e 0,6% de Lídice da Mata. Os demais candidatos têm menos de 1%.

A pesquisa consultou 2.000 eleitores em 84 municípios no período de 5 a 11 de agosto. O levantamento foi encomendado pelo presidente da Assembleia Legislativa baiana, Marcelo Nilo (PDT) e está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número BA-00008/2014.

WAGNER ESPERA QUE CAMPANHA NA TV MUDE QUADRO ELEITORAL NA BAHIA

Wagner confia em arrancada de Rui (Foto Pimenta).

Wagner confia em arrancada de Rui (Foto Pimenta).

O governador Jaques Wagner deu entrevista ao jornalista Gerson Camarotti, da Globo News e Portal G1, e disse esperar uma arrancada do seu candidato ao governo baiano, Rui Costa, após o início da propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

- O desconhecimento do Rui ainda é muito elevado. E o desinteresse na eleição também é grande até o momento. Só 9% dos eleitores se manifestam por um candidato espontaneamente. Mas depois de 15 dias de propaganda eleitoral na televisão, o quadro vai mudar na Bahia.

Wagner afirmou que, na Bahia, Dilma deverá ter a sua maior vantagem dentre os estados brasileiros. A ideia é manter a margem de 2,8 milhões de votos. “O DEM quer reduzir essa vantagem para 1 milhão de votos. Mas, em 2014, Dilma vai manter a mesma vantagem da eleição passada”, disse Jaques Wagner.

INFLAÇÃO CAI, PETROBRAS CRESCE E PESSIMISTAS PADECEM

josias gomesJosias Gomes

E assim, caminha o povo brasileiro, em marcha batida contra o caminho que lhe procura traçar os oposicionistas, para, enfim, em outubro próximo, reconduzir a presidenta Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto.

Retomando a mania que a oposição brasileira adquiriu, nos últimos tempos, de brigar com a realidade, optando pelo lado pessimista na projeção econômica, novos fatos estão se encarregando de desmoralizar os arautos da desgraça.

Os novos fatos de ontem e hoje detonam a aversão que têm os oposicionistas com as evidências reais. Para desconsolo tucano, a inflação oficial de julho subiu insignificantes 0,01%, ficando bem abaixo do que esperava o mercado. Bom para o Brasil. Péssimo para os oposicionistas.

Com isso, a inflação volta a ficar dentro da meta anual projetada pelo governo, não devidamente levada em conta pela oposição. E, aos poucos, vai se firmando a convicção da presidenta Dilma sobre os rumos positivos da economia brasileira.

Nesta quinta-feira (7), ainda, outra boa notícia, a pulverizar os maus fluidos dos que insistem nas teses pessimistas: a Petrobras voltou a ser a empresa com maior valor de mercado na América Latina. Mesmo com todo o bombardeio das oposições contra a empresa.

A Petrobras atingiu o valor de mercado de US$ 110,896 bilhões, ultrapassando a Ambev, segunda colocada com valor de mercado de US$ 107,046 bilhões. A liderança no ranking de valor de mercado é resultado da valorização das nossas ações desde o início de 2014.

Deveria despertar mais a curiosidade das oposições, e de seus aliados na mídia nacional, o fato de a presidente Dilma Rousseff continuar liderando com boa margem de diferença a corrida presidencial deste ano, no país. Se mais curiosos fossem, perceberiam que o pessimismo deles não está dando certo, mesmo.

Mais uma informação: Nesta quinta-feira (7), mais uma rodada Ibope revela que Dilma, pelos números de hoje, venceria a disputa presidencial já no primeiro turno, apesar de toda a artilharia pesada que busca transformar bobagens em escândalos.

É que mais além da propaganda oposicionista, o povo brasileiro aprendeu bem claramente a fazer a separação entre a mentira e a verdade, entre os pregões falsos e a força da realidade que, no Brasil, graças aos governos Lula-Dilma, e ao povo, é uma realidade bastante positiva.

E assim, caminha o povo brasileiro, em marcha batida contra o caminho que lhe procura traçar os oposicionistas, para, enfim, em outubro próximo, reconduzir a presidenta Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto.

Afinal de contas, é pra frente que a gente caminha.

Josias Gomes é deputado federal pelo PT-BA.

DEM E PSB EM DOBRADINHA CONTRA PESQUISA

Antes de impugnar Babesp, Lídice comemorou números do Ibope.

Antes de impugnar Babesp, Lídice comemorou números do Ibope.

O DEM de Paulo Souto e o PSB de Lídice da Mata se uniram para impugnar a pesquisa do Instituto Babesp sobre a sucessão estadual baiana. O levantamento foi encomendado pelo deputado Marcelo Nilo (PDT).

O DEM já havia exposto os seus motivos. Já a maior zanga do PSB é que o instituto não tenha colocado entre os apoiadores de Lídice a ex-senadora e ex-ministra Marina Silva, candidata a vice-presidente da República na chapa de Eduardo Campos. Para a coligação da socialista, a pesquisa busca “induzir” o eleitor.

Rodrigo Hita, secretário-geral do PSB baiano, diz, em nota, considerar “ridículas” as pesquisas feitas pelo PT (Vox Populi e Babesp) e pelo DEM (Ibope).

Apesar de considerar os levantamentos superficiais, a cúpula do PSB entrou com pedido de impugnação apenas contra o Babesp. Lídice até comemorou os últimos números do Ibope, divulgados em julho e que apontavam a candidata com 11% ante 42% de Paulo Souto e 8% de Rui Costa (PT).

AÉCIO NEVES EM ITABUNA

Geddel, Souto e Aécio Neves participarão de evento em Itabuna (Foto Valter Pontes/CPhoto).

Geddel, Souto e Aécio Neves participarão de evento em Itabuna (Foto Valter Pontes/CPhoto).

O candidato a presidente da República pelo PSDB, Aécio Neves, visitará Itabuna no próximo dia 16. O presidenciável tucano desembarcará no aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, às 15h, deslocando-se de carro para Itabuna, onde participará de carreata com a chapa majoritária ao governo baiano, encabeçada por Paulo Souto (DEM), informa o Políticos do S. da Bahia. O roteiro da carreata ainda está sendo definido.

Será o primeiro evento do presidenciável tucano na Bahia desde o início oficial da campanha eleitoral (6 de julho). Aécio pretende reforçar sua presença no Nordeste para retirar ao máximo votos de Dilma Rousseff (PT) na região e tentar levar a disputa para o segundo turno. A estratégia inclui a cooptação de nomes do PMDB em estados como a Bahia e o Ceará, onde terá apoio do candidato a governador peemedebista Eunício Oliveira.

PARA SOUTO, INFLUÊNCIA DE DILMA NA ELEIÇÃO BAIANA SERÁ MENOR

paulosoutoPaula Pitta | A Tarde

O democrata Paulo Souto, candidato à sucessão estadual, minimizou a influência da presidente Dilma Rousseff na eleição baiana. O ex-governador disse que o cenário atual é diferente do de 2006 quando a aliança com o governo federal foi decisivo na vitória do governador Jaques Wagner.

“Eu vinha com uma vantagem excepcional, mas veio um movimento nacional que interferiu na eleição na Bahia. Hoje a situação é completamente diferente e a influência é menor”, falou nesta quarta-feira, 6, em entrevistas as rádios Cruzeiro AM, Cultura AM e Romântica FM.

Paulo Souto argumentou que apesar das pesquisas de intenção de voto indicarem sua vitória, a aliança de Wagner com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva influenciou na reta final. O democrata disse que não acredita que isso se repita esse ano, já que a aprovação da presidente Dilma não é semelhante a de Lula.

Leia mais n´A Tarde

ELEIÇÕES 2014: BABESP REGISTRA PESQUISA SOBRE A SUCESSÃO BAIANA

Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

Da Luz, Rui Costa, Renata Mallet, Marcos Mendes, Lídice da Mata e Paulo Souto.

O Instituto Babesp (DataNilo) registrou nesta noite de segunda (4) pesquisa sobre a corrida eleitoral na Bahia. O contratante é o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), sob o número BA-00007/2014.

A pesquisa ouvirá 2 mil eleitores em 84 municípios no período de 5 a 11 de agosto. Os dados poderão ser divulgados no próprio dia 11 (próxima segunda).

O questionário avalia as administrações da presidente Dilma Rousseff (PT) e do governador Jaques Wagner (PT), além de aferir as intenções de voto na corrida ao Palácio do Planalto e ao Palácio de Ondina.

Para governador, são avaliados os pesos dos apoios eleitorais de Dilma, Lula e Wagner a Rui Costa (PT); ACM Neto e Aécio Neves ao democrata Paulo Souto e de Eduardo Campos a Lídice da Mata (PSB).

SEGUNDO TURNO

Talvez já tendo como base levantamentos internos não registrados que mostram o humor do eleitorado, o Babesp traz simulações de segundo turno entre Rui Costa (PT) e Paulo Souto (DEM).

PARA ESPECIALISTAS, PROGRAMAS DOS CANDIDATOS SÃO SUPERFICIAIS

urna_ELEIÇÕESAo registrarem as candidaturas, os concorrentes aos cargos de governador e presidente da República protocolaram, na Justiça Eleitoral, seus programas de governo. Originalmente, os documentos deveriam servir para detalhar diretrizes e metas. No entanto, cientistas políticos consultados pela Agência Brasil criticam a superficialidade dos programas, que não passam de mera formalidade e não significam necessariamente compromissos futuros.

Para o cientista político Otaciano Nogueira, os programas apresentados no registro das candidaturas são inúteis e não fariam falta se não fossem exigidos pela Justiça Eleitoral. “São coisas absolutamente superficiais. Os candidatos não vão, antes da eleição, prometer nada que vão efetivamente cumprir. Vão prometer tudo para ganhar votos, mas só saberemos se aquilo vai ser cumprido depois da eleição”, diz.

Segundo o professor, a maior parte dos eleitores não lê os documentos e, quando lê, não os considera como compromisso válido. Para ele, seria mais interessante se o programa fosse apresentado pelo candidato vencedor somente após a posse. “O Brasil tem o segundo maior eleitorado do mundo ocidental. Depois da democratização, a participação dos eleitores tem sido intensa, mas há uma distância entre votar e julgar os candidatos depois de eleitos”, opina.

O professor de ciência política da Universidade de Brasília (UnB), David Fleischer, também critica a qualidade dos programas de governo. Ele considera os documentos generalistas e semelhantes entre si. “São coisas muito comuns: criar mais empregos, reduzir os juros, aumentar o crédito disponível para a classe média e a baixa. As promessas são muito gerais, mas ninguém diz como pretende fazer tudo isso”, comenta.

Fleischer, no entanto, não defende o adiamento da apresentação dos programas de governo para depois das eleições. Para ele, o eleitor poderia ir mais esclarecido para as urnas se os eleitores cobrassem o detalhamento das propostas durante a campanha e os debates eleitorais. “Os debates na televisão, que têm boa audiência, deveriam centrar-se nas promessas de campanha e desafiar cada candidato a detalhar e mostrar no que se difere dos demais”, aponta.

:: LEIA MAIS »

DEM QUER PROIBIR VOX POPULI NA BAHIA

Aleluia: na Bahia, só Ibope.

Aleluia: na Bahia, só Ibope.

A cúpula do DEM informou hoje que tentará impedir qualquer pesquisa Vox Populi na Bahia. O porta-voz da mensagem foi o ex-deputado José Carlos Aleluia, e ocorre dias após a divulgação da pesquisa Ibope/TV Bahia que gerou ranger de dentes entre opositores e desconfiança entre analistas políticos.

A TV Aratu havia anunciado intenção de contratar pesquisa Vox Populi para aferir as intenções de voto na corrida ao Palácio de Ondina. Aleluia diz que a coligação do candidato a governador Paulo Souto (DEM) trabalhará para impedir qualquer pesquisa Vox Populi por considerá-la “suspeita”.

- Uma nova tentativa de pesquisa do Vox Populi será alvo de ação judicial – anuncia o democrata.

A suspeição decorre de uma questão que buscava aferir a importância dos apoios de Lula, Jaques Wagner e Dilma Rousseff ao candidato do PT ao governo baiano, Rui Costa.

Baseando-se em análises, a coligação de Rui acredita que as intenções de voto no petista podem até triplicar, mesmo em início de campanha, se o eleitor associar o petista aos principais nomes do partido no cenário nacional. Daí o temor democrata de novas pesquisas – que não sejam a do Ibope.