WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘eleições 2014’

MARINA É, SIM, CANDIDATA À PRESIDÊNCIA

paixaobarbosaPaixão Barbosa

Detentora de uma significativa marca – mais de 20 milhões de votos nas eleições presidenciais de 2010 – e ostentando índices também significativos nas últimas pesquisas de opinião na corrida para 2014, a ex-senadora Marina Silva surpreendeu a quase todo o mundo político ao optar pelo ingresso no PSB, depois de ver naufragar nos meandros legais do TSE a sua Rede Sustentabilidade, que ainda pretende ser um partido político sem os desgastes e as marcas negativas que as legendas atuais carregam consigo. A surpresa, contudo, foi mais pela opção de entrar num partido que já tem um pré-candidato definido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do que pelo fato de não aceitar os conselhos recebidos de se manter à margem da disputa de 2014, preservando, assim, a imagem de pureza com que ela fez questão de dourar a ideia da sua Rede.

Afinal, por maior que seja o desejo de apresentar-se para a disputa com uma proposta de partido bastante diferenciada dos demais, não seria possível imaginar que Marina Silva atendesse à banda dos seus seguidores que preferiam vê-la fora da campanha a decidir reingressar no sistema eleitoral num partido tradicional e, portanto, capaz de carregar no seu DNA as mazelas que tanto têm desgastado as legendas tradicionais. Até porque Marina, embora faça questão de manter um discurso diferenciado, lembrando sempre que sua luta não tem os mesmos estímulos dos políticos considerados tradicionais e sim são gerados pela vontade de transformar profundamente as bases sociais do Brasil, correria um risco muito grande de perder visibilidade ao ficar sem palanque por mais quatro anos, especialmente num País no qual os eleitores têm memória de peixe, ou seja, quase nenhuma.

Assim, para analistas políticas e também para as chamadas “cobras criadas” da cena política nacional, a ex-senadora seria obrigada a participar, de algum modo, das eleições do próximo ano e, com a frustração provocada pela decisão do TSE, o único caminho seria mesmo ingressar numa legenda já formada. Tanto que foram várias as legendas que se ofereceram para abrigá-la e aos “marineiros”, como são chamados seus seguidos mais fiéis. Todas de olho no patrimônio eleitoral que Marina conquistou em 2010 e que as pesquisas de opinião recentes revelam que ela está mantendo.

Inesperada mesmo foi a decisão de ingresso no PSB. Nem tanto pela imagem da sigla, uma vez que a legenda socialista tem sido vista no Brasil como uma espécie de segundo time de muita gente, ou seja, mesmo os que não votam em seus candidatos manifestam simpatia pelo partido criado em 1947 e que teve no baiano João Mangabeira um dos seus fundadores e principais ideólogos. Extinto em 27 de outubro de 1965, pelo Ato Institucional nº 2, promulgado pelo governo ditatorial, o partido foi recriado oficialmente em 1988, mas nunca ocupou um espaço tão significativo na cena política nacional que lhe pudesse atrair desafetos. O que, ao lado de não ter tido nenhum figurão dos seus quadros envolvidos nos recentes escândalos de corrupção, contribuiu para ter a imagem simpática já citada.

Ao entrar no PSB, Marina aumentou as preocupações do PT e de Dilma Rousseff, além de deixar Aécio Neves e o seu PSDB também de cenho franzido, como sempre acontece quando um fato novo acontece no cenário político e, além de se constituir uma surpresa, carrega potencial de provocar alterações num quadro até então estável e no qual vinham se baseando as análises para 2014. Mas, além da surpresa e do incômodo gerados, o gesto da ex-senadora deixou no ar uma grande interrogação a respeito do que realmente Marina deseja para seu futuro imediato, ou seja, em relação às eleições de 2014.

:: LEIA MAIS »

DEZ SECRETÁRIOS DO GOVERNO WAGNER DEVEM DISPUTAR ELEIÇÕES EM 2014

Robinson confirmou desejo de disputar vaga à Câmara Federal.

Robinson confirmou desejo de disputar vaga à Câmara Federal.

Pelo menos dez dos 26 secretários estaduais devem deixar os seus respectivos cargos até dezembro deste ano para disputar as eleições de 2014. O prazo de desincompatibilização vence em 5 de abril do próximo ano, mas o governador Jaques Wagner alertou a quem deseja participar do pleito eleitoral a necessidade de sair até dezembro.

De acordo com matéria d´A Tarde, a fila de secretários-candidatos tem Eduardo Salles (PP), da Agricultura; Wilson Brito (PP), da Integração e Desenvolvimento Regional;  e Paulo Câmera (PDT), da Ciência e Tecnologia. Dois nomes certos na disputa por vaga na Câmara dos Deputados são Jorge Solla (Saúde) e Robinson Almeida (Comunicação Social).

A lista é completada por Moema Gramacho (PT), do Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza; Domingos Leonelli (PSB), secretário do Turismo. Outros nomes são tidos como potenciais candidatos: Cícero Monteiro, do Desenvolvimento Urbano; Almiro Sena (PRB), da Justiça; Ney Campello (PCdoB), da Secopa; e Elias Sampaio (PT), da Promoção da Igualdade.

IBOPE/ESTADÃO: DILMA AMPLIA LIDERANÇA E VÊ QUEDA DE MARINA

Dilma mantém nível de recuperação após protestos.

Dilma mantém nível de recuperação após protestos.

A presidente da República, Dilma Rousseff (PT), ampliou a vantagem que já possuía em relação aos seus adversários na corrida eleitoral de 2014, segundo a última pesquisa Ibope encomendada pelo Estadão. Dilma ampliou de 8 para 22 pontos a diferença sobre Marina Silva (sem partido): 38% a 16%. Antes, na pesquisa de julho, Dilma aparecia com 30% a 22%.

Aécio Neves (PSDB) oscilou de 13% para 11%, apesar de ser a estrela da propaganda do PSDB em exibição na televisão aberta. Eduardo Campos (PSB) tinha 5% e escorregou para 4%. A mesma pesquisa anota que o percentual de eleitores sem candidato permanece alta: 31% do universo pesquisado.

Quando o candidato do PSDB é José Serra, Dilma aparece com 37%, Marina tem 16% e Serra surge com 12%. Campos fica nos 4%. O percentual de “sem candidatos” cai apenas um ponto: 30%. Nos dois cenários, revela a pesquisa, Dilma teria chances de levar a disputa no primeiro turno.

A pesquisa foi feita de 12 a 16 de setembro em 141 municípios, em todas as regiões, com 2.002 eleitores. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

PSB ROMPE COM GOVERNO DILMA

Campos reforça projeto de candidatura própria com rompimento.

Campos reforça projeto de candidatura própria com rompimento.

De olho nas eleições de 2014, o PSB entregou todos os cargos no Governo Federal em estratégia para lançar a candidatura de Eduardo Campos à presidência da República. A decisão foi anunciada hoje à tarde, após reunião da Executiva Nacional do partido. Apenas o governador Cid Gomes se opôs a decisão.

Eduardo Campos, que é governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, disse ser esta uma decisão que torna mais fácil o debate em torno das divergências do seu partido com o governo federal. “Agora fica mais fácil fazer o debate sem nenhum tipo de constrangimento”.

A decisão da legenda deve ser comunicada à presidente Dilma Rousseff ainda hoje. O PSB está disposto a cobrar do PT que entregue todos os cargos nas gestões administradas estaduais pela legenda (Amapá, Ceará, Espírito Santo, Paraíba, Pernambuco e Piauí).

Campos aparece com percentual de intenções de voto entre 3% e 5% nas pesquisas para a eleição à presidência da República de 2014.

VOX POPULI: DILMA APARECE COM 38% DAS INTENÇÕES DE VOTO ANTE 19% DE MARINA

Dilma lidera sucessão 2014, segundo Vox Populi.

Dilma lidera sucessão 2014, segundo Vox Populi.

Do site RBA

A presidenta Dilma Rousseff lidera com folga todas as simulações feitas pelo Vox Populi para as eleições de 2014, divulgadas hoje (6) pela revista Carta Capital. No cenário que se mostra como mais provável atualmente, a petista tem 38% das intenções de voto, o dobro de Marina Silva (Rede), com 19%, seguida pelo senador Aécio Neves (PSDB), que chega a 13%, e pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 4%. Neste quadro, votos brancos e nulos chegariam a 15%, e não souberam responder outros 11%. Se computados apenas os votos válidos, Dilma venceria no primeiro turno.

A base de comparação com levantamentos anteriores ficou prejudicada porque foram realizados antes de junho. Para o Vox Populi, a referência mais fiel são as pesquisas do Datafolha e do Ibope promovidas já após a onda de protestos. Em relação a elas, Dilma tem se recuperado, ao passo que os adversários perdem força.

Quando se tira Aécio Neves da disputa, chega-se à conclusão de que o ex-governador de São Paulo, José Serra, ainda é o nome do PSDB que obtém o melhor desempenho inicial. Ele alcança 18%, e fica empatado com Marina Silva no segundo lugar. Já Joaquim Barbosa, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), teria 11% em um outro cenário, no qual empataria com o senador tucano de Minas Gerais, seis pontos atrás de Marina e com 25 pontos a menos que Dilma.

Com Serra fora do PSDB, a presidenta alcança 36% das intenções de voto, seguida por Marina, com 16%, e pelo ex-governador, com 15%. Aécio ficaria novamente com 11%, e Eduardo Campos teria 3%.

O Vox Populi ouviu 2,2 mil pessoas entre 31 de agosto e 3 de setembro. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais.

Leia a íntegra aqui

AZEVEDO NO PSL?

O presidente estadual do PSL, Toninho Olívio, convidou o ex-prefeito de Itabuna Capitão Azevedo (DEM) para se filiar ao partido e ser candidato a deputado federal em 2014. Foi criada a Frente Partidária Jorge Aleluia, composta por PSL, PSDC, PTdoB, PEN e PRP, que estarão coligados nas eleições proporcionais de 2014.

O ex-prefeito de Salvador, João Henrique, deverá se filiar ao PSL para ser candidato a deputado federal. Segundo informações, antes da chegada de João Henrique, a coligação estava na expectativa de ter uma média 350.000 votos, e para garantir um Deputado são necessários 185 mil votos, com a sobra poderia eleger dois deputados. Informações do Políticos do Sul da Bahia.

LÍDICE E A SUCESSÃO

marco wense1Marco Wense

Todas as pesquisas eleitorais visando o Palácio de Ondina, encomendadas pelos dois lados, oposição e situação, apontam ACM Neto em uma posição privilegiada.

E mais: a diferença de Neto para a turma do governo, sob a batuta do governador Jaques Wagner, é considerável. Outro detalhe é que Paulo Souto e Geddel, segundo e terceiro colocados, são oposicionistas.

A fila segue com Lídice da Mata, Wálter Pinheiro, Otto Alencar, Rui Costa e Marcelo Nilo, respectivamente na quarta e oitava colocações. Todos da base de apoio ao governo estadual.

O engraçado no traiçoeiro e movediço jogo sucessório, quase sempre marcado por desconfianças recíprocas, fica por conta da senadora Lídice da Mata.

A ilustre parlamentar, que é presidente estadual do PSB e líder da legenda no Senado, quer o apoio do governador Jaques Wagner independente do cenário nacional.

“Se Eduardo Campos for candidato não impede que o governo me tenha como candidata”, diz a senadora. Campos é governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB.

Pois é. Lídice quer um palanque diferenciado, sem a presença de Dilma, que busca a reeleição, e de Lula. Quer se fortalecer com o apoio de Wagner para pedir votos para Eduardo Campos.

Lídice também criticou a articulação política do governo Dilma: “Ninguém imaginava Cézar Borges como ministro e Otto Alencar como vice de Wagner. O PT se misturou”.

Se o saudoso Gonzaguinha estivesse vivo, diria que o governador Jaques Wagner não tem “cara de panaca” e “jeito de babaca”.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ACM NETO DESCARTA 2014 E EVITA FALAR DE REDUÇÃO DA TARIFA DE ÔNIBUS

ACM Neto descarta - por enquanto - 2014.

ACM Neto descarta – por enquanto – 2014.

Marival Guedes

Salvador – O prefeito ACM Neto anunciou hoje (11) no programa Acorda Pra Vida (Tudo FM) que no dia 25 deste mês assina decreto com medidas sobre o transporte coletivo em Salvador, mas não mencionou redução da tarifa nem citou o Movimento Passe Livre (MPL).

Ele falou que vai implantar gradativamente o bilhete único para permitir que o passageiro não pague a segunda “perna”, esse R$ 1,40 que é a segunda passagem. Também será ampliado o benefício do “Domingo é Meia” e implantado o sistema de monitoramento eletrônico com um sistema de GPS de controle de todos os ônibus.

O prefeito adiantou também que vai fazer a concessão do serviço com renovação da frota , revisão das linhas, sistema de corredores exclusivos de ônibus (neste aspecto levou projeto para o Governo Federal no total de 900 milhões de reais) integração da Estação da Lapa com o Iguatemi. Além disso, há quatro outros corredores exclusivos, com recursos do governo do estado.

CANDIDATURA EM 2014

O jornalista Levi Vasconcelos disse que “todas as pesquisas apontam ACM Neto como líder absoluto na disputa para o governo do estado”. E completou: “Ele tem dito que não será candidato, mas já disse também que não seria candidato a prefeito de Salvador”, para concluir com a pergunta: E aí, ACM Neto?”.

O prefeito não comentou sobre as negativas com relação a candidatura no ano passado, mas negou com veemência que seja candidato ao governo do estado em 2014:

“Não serei candidato a governador em nenhuma hipótese. Está completamente descartado. Primeiro por que quando me elegi prefeito havia e há uma grande esperança depositada no nosso trabalho. Eu não posso frustrar esta esperança da população. Segundo, todos os grandes projetos deste governo vão se tornar reais entre 2015 e 2016. Eu quero colher estes frutos. Até abril do ano que vem eu vou arrumar a casa.Eu fui eleito pra ser prefeito de quatro anos e ficarei até o último dia do meu mandato.”

OTTO AVISA QUE TRATARÁ DE ELEIÇÃO EM 2014 E ANUNCIA 900 MORADIAS EM ITABUNA

Otto (microfone) evita falar de 2014 e anuncia obra em Itabuna (Foto Pimenta).

Otto (microfone) evita falar de 2014 e anuncia obra em Itabuna (Foto Pimenta).

O vice-governador Otto Alencar rejeitou falar de eleições em sua visita a Itabuna, hoje (8). “Ano ímpar não se discute eleição. Só em ano par. Esse ano é 13”, disse, risonho. Questionado pelo repórter João Ailton se 2014 era o ano do PSD, manteve o sorriso largo e lembrou do número de legenda do seu partido: “Não sei. PSD é 55”.

Otto é dos nomes mais cogitados da base governista para disputar a sucessão de 2014. Ainda na solenidade, anunciou a construção de mais 900 moradias em Itabuna. Representando o governador Jaques Wagner, ele ainda explicou o atraso para o início das obras de duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415).

Além de licenciamento ambiental, disse, a duplicação também dependerá da realização de audiências públicas com as populações de Ilhéus e Itabuna, estas previstas para agosto. “Os moradores vão discutir a obra e definir, por exemplo, o seu traçado”, disse.

As discussões, porém, não vão mudar a decisão de construir a nova pista à direita do Rio Cachoeira. Segundo ele, trata-se de opção mais viável e de menor custo por causa das desapropriações.

MORADIAS

Otto assinou contrato para construção de 900 moradias na região de Ferradas, o Residencial São José. Os recursos de R$ 50 milhões sairão do Programa Minha Casa Minha Vida.

Além dele, assinaram o documento o superintendente regional da Caixa, Marcus Vinícius Nascimento, o prefeito Claudevane Leite e o representante da construtora, Mário Filho. Na gestão de Wagner, lembrou Otto, foram entregues, até hoje, 107 mil imóveis de programas como Viver Melhor (estadual) e Minha Casa Minha Vida.

WAGNER DIZ QUE “NÃO HÁ EROSÃO” DA IMAGEM DE DILMA E DESCARTA PLANO B PARA 2014

Wagner fala de popularidade e intenções de voto em Dilma (Foto Pimenta).

Wagner fala de popularidade e intenções de voto em Dilma (Foto Pimenta).

A onda de protestos que tomou conta do país e atingiu a popularidade da presidente Dilma Rousseff deve ser encarada com cautela, no entendimento do governador Jaques Wagner em entrevista ao PIMENTA.

A queda também afetou, segundo pesquisa Datafolha, as intenções de voto na presidente. Wagner, porém, tem outra leitura. “Está todo mundo tirando conclusões precipitadas. Eu não acho que ela esteja em desvantagem, até porque não vi ninguém ultrapassá-la”.

Wagner admitiu ter havido uma aproximação dos índices de Dilma e da pré-candidata Marina Silva (Rede). Dilma apresenta 30% ante 23% de Marina. Antes o quadro era 51% a 16%. “É, mas eu ainda não vi um quadro de ameaça [à liderança da presidente]”, considerou.

O governador baiano descartou um “Plano B” do PT para a disputa presidencial, embora os números tenham mostrado que o ex-presidente Lula foi quem mais preservou o capital de votos e seria até eleito em primeiro turno.

Em favor de sua tese, lembra o mesmo período do primeiro mandato de Lula, em 2005, quando surgiu o Caso do Mensalão e o ex-presidente atingiu nível mais baixo de popularidade, recuperando-a entre outubro, novembro e sendo reeleito em 2006.

Confira os principais trechos da entrevista concedida pouco antes da abertura do Festival do Chocolate e Cacau, em Ilhéus, nesta noite de quarta (3). Antes, na coletiva, Wagner falou de cacau, chocolate e conflitos agrários no sul da Bahia, o que será conferido em matéria nesta manhã.

__________

BLOG PIMENTA – A queda de popularidade da presidente Dilma, segundo pesquisa, força o PT a trabalhar com um Plano B?

JAQUES WAGNER – Olha, eu acho que está todo mundo tirando conclusões precipitadas. É óbvio que toda queda de popularidade preocupada todo político. Como a queda de popularidade atingiu a todos os governantes, eu não acho que ela esteja em desvantagem, até porque não vi ninguém ultrapassá-la [nas intenções de voto].

PIMENTA – Mas se aproxima [Marina Silva].

WAGNER – É, mas eu ainda não vi um quadro de ameaça. Evidente que a equipe dela está se debruçando sobre o tema, é claro que o ex-presidente Lula, pela pesquisa do jornal de São Paulo, foi quem mais preservou a sua posição em relação à população. Quanto aos outros, quase todos eles tiveram impacto negativo [com queda nas intenções de voto]. Então, estou mais cauteloso.

______________Jaques Wagner

A presidente Dilma vai, seguramente, recuperar [a popularidade], pois não há uma erosão da imagem dela.

______________

 

PIMENTA – E como o senhor analisa esses dados?

WAGNER –  Gosto de repetir o que digo sempre: pesquisa é fotografia de um momento. Ela não é uma premonição e estamos cheios de exemplos assim… O próprio presidente Lula, em 2005, nessa época do ano, talvez tenha chegado aos mais baixos índices [de aprovação e intenções de voto], no chamado Caso Mensalão. E em outubro, novembro, virou o jogo. Ganhou a reeleição em 2006. Então é evidente que preocupa. A gente quer estudar, responder. A presidente Dilma vai, seguramente, se recuperar, pois não há uma erosão da imagem dela.

JOAQUIM BARBOSA DESCARTA 2014

Barbosa rejeita ideia de disputar presidência da Repúbica.

Barbosa rejeita ideia de disputar presidência da República.

Aparecendo em pesquisas eleitorais com índices que variam de 3% a 7% das intenções de voto na sucessão presidencial de 2014, Joaquim Barbosa, ministro do Supremo Tribunal Federal, concedia entrevista há pouco. Falava do encontro que teve no Palácio do Planalto e descartou participar do processo eleitoral como candidato:

– Não tenho a menor vontade de me lançar candidato a presidente da República.

Barbosa também disse que é a favor do pacto nacional por melhorias no país, proposto pela presidente da República, Dilma Rousseff.

NILO: “A MAIORIA DOS DEPUTADOS NÃO TEM INTERESSE EM VOTAR PROJETO DE DEPUTADO”

nilo perfilMarcelo Nilo é presidente da Assembleia Legislativa pela quarta vez consecutiva e está no sexto mandato como deputado estadual. Após a experiência de mais de 20 anos de legislativo, Nilo agora sonha com o Executivo e iniciou andanças pela Bahia e tenta se cacifar para disputar a sucessão do governador Jaques Wagner.

Nilo concedeu entrevista exclusiva e falou desse sonho, do perfil governista da Assembleia Legislativa (“deputado não tem interesse de votar projetos de deputado”) e de temas como a maioridade penal. Nilo defende a redução.

A entrevista foi concedida ao jornalista Marival Guedes que, a partir de hoje, fará a cobertura da política, cultura e negócios em Salvador para o PIMENTA.


BLOG PIMENTA – Vamos começar pelos projetos aprovados pela Assembleia. Quais os mais importantes aprovados nos últimos meses?

MARCELO NILO – Os mais importantes são o aumento de salário do servidor público, a modernização do meio ambiente, o empréstimo de R$ 1 bilhão que o Executivo tomou, ampliação das penitenciárias, ampliação da Agerba. Enfim, alguns projetos dessa magnitude. Vamos votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) agora, no final do mês.

BP – Quase todos os projetos foram enviados pelo Poder Executivo. Isto pode caracterizar o Legislativo baiano como um poder governista? A partir de agora, vai ter mais projetos da própria Casa?

MN – Olhe, os deputados, uma grande parte, não tem interesse de votar projetos de     deputado. Eu nomeio comissão, eu peço, eu apelo, mas grande parte  não tem interesse em votar nos próprios projetos. E aqui só se passa projeto de interesse de deputado através de acordo. Mas eles, infelizmente, apesar da nossa pressão, não gostam de votar nos próprios projetos. Eles preferem votar os projetos do Executivo.

nilo perfil______________

ASSEMBLEIA GOVERNISTA – Como você não pode fazer projeto de impacto, os parlamentares não querem fazer projetos menores, que não têm impacto perante à sociedade.

______________
BP – Por causa da competição…

MN – Na realidade a Constituição Federal tirou a prerrogativa dos parlamentares. Você não pode fazer projeto que gere despesa. E o próprio papel já é uma despesa. Então, como você não pode fazer projeto de impacto, os parlamentares não querem fazer projetos menores, que não têm impacto perante à sociedade. É uma tradição dos parlamentos estaduais do Brasil, porque não pode votar projeto que aumente o orçamento do Estado. Consequentemente, perde-se a força, a vontade, o estímulo de você ter mais criatividade nos respectivos projetos.

BP – Qual a avaliação que o senhor faz do governo Dilma Roussef?

MN – O governo Dilma manteve as reformas sociais iniciadas no governo Fernando Henrique com a redução drástica da inflação e manteve as reformas sociais do governo Lula. E agora está tentando implantar sua marca, que é melhorar a infraestrutura do país, com modernização dos portos, que infelizmente estão defasados, recuperar as estradas, fazendo o papel de permitir o escoamento agrícola com mais facilidade, iniciando  ferrovias.

BP – E o governo Jaques Wagner?

MN – É um governo que fez muitas obras: um milhão de pessoas alfabetizadas pelo Topa, recuperou mais de oitenta por cento das estradas da Bahia, tendo em vista que ele as recebeu intransitáveis, fez quatro mil poços artesianos, diversas adutoras no interior do estado, a nova Fonte Nova e  entregou cento e vinte mil casas populares. Mas a marca principal do governador  Jaques Wagner é uma obra que não custa um centavo sequer: é fazer um governo democrático e republicano sem perseguir ninguém. Essa pra mim é a grande marca, é a grande força do governador.

BP – E o prefeito ACM Neto, como o senhor avalia estes cinco meses?

MN – Eu diria que tá muito cedo para emitir uma opinião, porque com cinco meses, até agora, não deu pra ver uma marca do ACM Neto, não deu pra ver que Salvador tá diferente. Mas é lógico que você tem um prefeito que tá fazendo parceria com o governo do estado, o que é bom para o estado e é bom para o município. Mas não dá, ainda, pra ter uma marca porque o tempo tá muito curto, cinco meses não dá pra a gente ter a noção exata sobre qual será o planejamento estratégico do seu governo.

nilo perfil______________

MAIORIDADE PENAL – O jovem de 16 anos pensa completamente diferente do jovem de 1940. Eu defendo o plebiscito e nele votarei favorável que a maioridade pena seja a partir dos 16 anos.

______________

BP – Uma questão polêmica: qual a opinião do senhor sobre a redução da maioridade penal?

MN – Sou favorável que se reduza pra 16 anos. Somente no Brasil, Peru, Colômbia e uma parte dos Estados Unidos a maioridade penal é 18 anos. Agora recentemente, um jovem de 16 anos matou uma dentista queimada só porque ela tinha R$ 30,00 na conta. O crime abalou a sociedade brasileira. O Código Penal brasileiro foi elaborado em 1940, portanto, tem 73 anos. Ou seja,o jovem de 16 anos pensa completamente diferente do jovem de 1940. Então o jovem de 16/17 anos tem discernimento do que é bom e o que é ruim. Eu defendo o plebiscito e, nesse plebiscito, votarei favorável que a maioridade pena seja a partir dos 16 anos.

BP – Mas muda alguma coisa sem mudar a infraestrutura do país, a educação, a saúde?

MN – Se ficarmos preocupados com educação, saúde, segurança pública, tudo isso, nós nunca vamos reduzir. Se você reduz de 18 para 16 anos, claro, você dificulta a criminalidade. Claro que se tivéssemos uma boa educação, saúde, empregos suficientes é obvio que a criminalidade reduziria. Mas como você não tem educação, saúde e geração de empregos cem por cento perfeitas, acho que a melhor coisa é reduzir a maioridade penal. Você não tem a ala masculina e feminina? Vamos criar a ala de 16 e 18 anos. Agora, o que não dá é um jovem cometer cinco, seis crimes e quando chega aos 18 anos aquilo é zerado porque ele não pode ser penalizado nem processado com menos de 18 anos.

BP – No próximo ano vai ter eleições. O senhor será  candidato?

MN – Olha, eu sou um deputado de seis mandatos, quatro vezes presidente da Assembleia, fui o deputado estadual mais bem votado em 2010, com 140 mil votos, governador interino por cinco vezes (é óbvio que a caneta não tinha muita tinta porque o cargo não é meu, é de Jaques Wagner)… Fui escolhido pela mídia, pela oitava vez consecutiva, como o melhor deputado da casa, e agora quero ser governador.

nilo perfil______________

ELEIÇÕES 2014 – Eu quero um governador que tenha raiz interiorana, que conheça os 417 municípios da Bahia, saiba seus problemas, angústias e tenha soluções.

______________
BP – E por que o desejo de ser governador?

MN – Tem 51 anos que saiu um governador do interior do estado. Eu quero um governador que tenha raiz interiorana, que conheça os 417 municípios da Bahia, saiba seus problemas, angústias e tenha suas soluções. Quero fazer um planejamento estratégico de desenvolvimento regional. O problema de Itabuna é diferente do problema de Barreiras, o de Barreiras é diferente de Porto Seguro. Nós temos que fazer um governo com planejamento e desenvolvimento regional. Itabuna, nós homens públicos, devemos muito à região de Itabuna. [O ex-governador] Lomanto Júnior me dizia,quando era governador, que ficava esperando a saca do cacau pra poder pagar o servidor público, esperando o ICMS do cacau pra pagar o servidor público.Portanto, nós devemos retribuir isso a lavoura cacaueira, que passa por dificuldade. Devemos aplicar os recursos pra cada área específica: terreno fértil, agricultura, área turística, turismo. Por que Porto Seguro cresceu? Porque foi feito um aeroporto internacional. Por que a Chapada Diamantina não cresceu? Porque, infelizmente, demoraram muito para construir o aeroporto, consequentemente os turistas não foram. Agora com o aeroporto está começando a se iniciar o potencial turístico da Chapada. O que nós devemos é investir em cada área específica num planejamento estratégico regional.

BP – Vai tentar ser candidato do governador ou vai sair pela oposição?

MN – Eu quero ser candidato a governador nem de esquerda nem de direita. Espero ter o apoio do governador Jaques Wagner.

MARQUETEIRO APOSTA EM VITÓRIA DE DILMA NO PRIMEIRO TURNO

Do Brasil 247

Dilma: reeleição em 1º turno.

Dilma: reeleição em 1º turno.

A presidente Dilma Rousseff tem tudo para se reeleger em primeiro turno, mas o ex-presidente Lula continua em condições de ser o candidato se a temperatura e a pressão da  economia se deteriorarem muito. Essa dupla leitura está sendo feita, neste momento, pelo marqueteiro oficial de ambos, o jornalista e publicitário João Santana.

Ao jornalista Ilimar Franco, de O Globo, ele afirmou ter acabado de realizar uma pesquisa qualitativa na qual o entrevistado era questionado sobre a situação de vida de dez amigos. Apurou-se que oito, em média, tinham crescido economicamente desde a administração de Lula.

O cuidado de Santana em manter atualizados os radares sobre a imagem do ex-presidente demonstra que Lula está preparado para, em caso de emergência, estar disponível ao PT para um candidatura a presidente em 2014. “Só não sou candidato a síndico do meu prédio”, disse Lula a um amigo, segundo apurou 247.

Em conversas políticas, o ex-presidente encontrou uma maneira de abordar, sutilmente, sua situação política neste momento. Ele vai avisando que se arrependeu de antecipar o debate eleitoral, de acordo com a apuração de Franco.“Eu só queria parar o volta Lula”, cochicha o ex-presidente.

Como se sabe, desse movimento surgiu, após a eclosão do caso Rosemary Noronha, a amiga íntima de Lula pivô de um escândalo de tráfico de influência no gabinete da Presidência da República em São Paulo, a consolidação da candidatura Dilma à reeleição. Em Paris, a presidente aproveitou o momento de fragilidade de Lula para perguntar se ele queria ser candidato em 2014 – e ele disse que não.

Mesmo assim, Santana continua fazendo raios-x sobre a imagem do ex-presidente na população. E tudo o que encontra é o prestígio dele inalterado. Entre os petistas de cúpula, o comentário generalizado é de saudades do estilo carinhoso de Lula com eles, em lugar da distância e da, muitas vezes, frieza da presidente Dilma. “O carinho faz falta”, comentam.

Mas Santana está seguro de uma verdade ainda maior. A presidente Dilma irá se reeleger em primeiro turno. O marqueteiro nem considera a possibilidade de, com a economia patinando ou andando para trás, o prestígio de Dilma diminuir. Ele desdenha do debate desenrolado neste momento, a um ano e cinco meses da data da eleição.

– É tudo perda de tempo, diz Santana. Para ele, Dilma já tem uma imagem forte o suficiente como presidente popular, e isso irá continuar. É o que deve bastar. Diante da chance de vencer em primeiro turno, as vontades de Lula e do PT irão refluir naturalmente. Será?

“UNIDOS VENCEREMOS”

Rosemberg e Nilo (Foto Sisal N).

Rosemberg e Nilo (Foto Sisal Notícias).

Momento hilário na manhã deste sábado, 11, durante a inauguração da usina de beneficiamento de leite em Coaraci.

Diante do governador Jaques Wagner, o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), fez uma provocação a Rosemberg Pinto (PT), que tentou disputar o comando da AL na última renovação da mesa diretora.

Nilo, presidente desde 2007, cutucou Rosemberg:

– Você deveria parar de disputar comigo e apoiar minha candidatura ao Governo do Estado. Aí eu lhe apoio para a presidência da Assembleia.

Gargalhada geral, Nilo arrematou:

– Hoje, Rosemberg, a chance de você ser presidente da Assembleia é a mesma que eu tenho de ser governador.

REDE SUSTENTABILIDADE QUER COLETAR 20 MIL ASSINATURAS EM ITABUNA

Ato no centro de Itabuna coletou mais de mil assinaturas (Foto Pimenta).

Ato no centro de Itabuna coletou mais de mil assinaturas (Foto Pimenta).

Os organizadores itabunenses do Rede Sustentabilidade preveem a coleta de, pelo menos, 20 mil assinaturas em favor da criação do partido da ex-ministra e ex-candidata a presidente Marina Silva. Ontem, cerca de 60 pessoas participaram de ato na Avenida do Cinquentenário.

O empresário Delson Mesquita disse que, até agora, foram coletadas cerca de 10 mil assinaturas. A estratégia para chegar a 20 mil inclui ações nos bairros e regiões de grande fluxo de pessoas, além de faculdades de ensino.

O grupo conseguiu obter mais de 1,2 mil assinaturas na atividade de ontem no centro de Itabuna. Até a próxima sexta, 10, haverá posto fixo para a coleta de apoios à criação do Rede, sempre em horário comercial.

Delson comemora o apoio obtido em Itabuna e destaca a força da ex-ministra do Meio Ambiente. “Mesmo sem ainda ter partido, Marina Silva é a segunda colocada nas pesquisas para a presidência da República. As pessoas lembram do comportamento ético e da maneira diferente dela fazer política”.

Para ser criado, o partido necessita de, no mínimo, 550 mil assinaturas validadas pelos cartórios eleitorais. Em Itabuna, a criação do partido conta com coordenação com o empresário Delson Mesquita, Elivaldo Cabral, Guilherme Santos, Tiago Reis e Solange da Saúde.

JOSIAS CONTRA-ATACA APÓS ‘ALFINETADAS’ DE ISAAC ALBAGLI E JOSÉ CARLOS ARAÚJO

Josias responde à cutucada de Isaac Albagli.

Josias responde à cutucada de Isaac Albagli.

O deputado federal Josias Gomes (PT-BA) entrou em contato com o PIMENTA para responder à provocação do ex-presidente da Bahiapesca, hoje secretário de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Isaac Albagli, que comentou seu artigo defendendo a candidatura do vice-governador Otto Alencar ao Senado Federal (relembre aqui).

Albagli desconfiou da defesa feita por Josias e enxergou desejo do petista de “fritar” a candidatura de Otto. O parlamentar petista contra-atacou. Segundo ele, a ideia do artigo surgiu após conversa com o próprio vice-governador, que lhe pediu apoio na empreitada. A conversa de Josias e Otto, segundo o petista, ocorreu quando ambos retornaram para Salvador depois de evento da Bahiagas, em Ilhéus, no último dia 24.

“Ele disse que queria meu apoio para o Senado e eu respondi: vou escrever um artigo de apoio. E ele concordou”, afirmou em contato por telefone com este blog.

Respondendo também ao deputado José Carlos Araújo, Josias disse que nunca atravessou samba nem colocou carro à frente dos bois. Araújo também fez críticas a Josias em artigo-resposta ao petista. Quanto a Isaac Albagli, Josias disse que o ex-presidente da Bahiapesca deixou claro, na resposta, “sua dificuldade de alinhamento político [com o PT e o governo]”. E fechou, alfinetando os dois aliados do governo de Wagner: “na política, até a raiva tem que ser combinada”.

 

ALBAGLI CUTUCA JOSIAS E DIZ QUE INTENÇÃO DO PETISTA É “FRITAR” CANDIDATURA DE OTTO

Josias elogia Otto e Isaac (à direita) ironiza "escolha" ao Senado.

Josias elogia Otto e Isaac (à direita) ironiza “escolha” ao Senado.

Após artigo em que o deputado federal Josias Gomes defende o nome do vice-governador Otto Alencar para o Senado (veja aqui), o ex-presidente da Bahiapesca Isaac Albagli resolveu cutucar o petista. Albagli vê outro interesse no artigo: “A intenção de Josias não é lançar Otto ao Senado, e sim excluí-lo da disputa da cabeça da chapa”, disse em comentário no PIMENTA.

Atualmente ocupando a Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Albagli acredita que Otto “reúne as melhores condições eleitorais” para ser o sucessor de Jaques Wagner. “Evidente que Otto só não será candidato único (da ala governista) ao Senado se não quiser”. E recorre a trocadilho para encerrar a alfinetada: “[A candidatura] Independe de lançamento feito por A, B ou Jota”.

PARA O SENADO, OTTO ALENCAR

Josias anuncia retorno de petistas.

Josias Gomes

Trata-se de alguém com profundo conhecimento dos problemas do estado.

Baseada na experiência de quem já governou o estado, e, agora, exerce o papel de vice no governo do PT, começa a tomar vulto e importância a candidatura ao Senado da República do aliado e amigo Otto Alencar. E é em virtude dessa dupla condição, de aliado e de amigo, que me acho à vontade para defender a chance, na eleição do próximo ano, de, nessa condição, Otto tornar a fazer parte da chapa majoritária em composição com o nosso partido.

São inúmeras as razões para que isto volte a acontecer. Antes de tudo, pelo sucesso da gestão atual, com Jacques Wagner e Otto Alencar formando uma dupla de governantes que vem transformando o perfil econômico e social do Estado da Bahia. Algo somente possível em virtude de uma simbiose política baseada na confiança mútua e na profunda experiência desses dois quadros políticos.

Mas o sucesso da interação entre os dois governantes é lastreado na correção com que o PSD de Otto e o PT de Wagner, e de todos nós, convivem na administração da Bahia e no exercício da política no estado. Com efeito, PT e PSD podem repetir a coligação política atualmente no poder, nas eleições do próximo ano, com reduzidas áreas de conflito municipal, cuja ampla maioria dos casos é facilmente superável.

Qualquer aliança para que dê certo, e continue, tem que ser baseada, portanto, nos dois princípios que caracterizam o governo Wagner-Otto: o sucesso e a confiança. O sucesso pode ser aferido nas estatísticas sobre a nova realidade baiana à disposição de quem as deseje consultar.

:: LEIA MAIS »

OTTO ALENCAR: “O CANDIDATO QUE WAGNER APONTAR EU APOIO. JOGO PARA O TIME”

O vice-governador Otto Alencar (PSD) disse ao PIMENTA que apoiará em 2014, para governador, o candidato que Jaques Wagner e o conjunto de 13 partidos da base aliada apontarem. “Pode ser qualquer um. Eu jogo para o time”, disse, afirmando que, às vezes, o atacante sofre o pênalti, mas quem cobra é o goleiro.

Otto desconversou ao comentar a “forcinha” do PP à sua candidatura a governador. Agradeceu o gesto do dirigente progressista na Bahia, Mário Negromonte. “Fico feliz por me conhecer há 30 anos e saber que eu sou leal, sincero, verdadeiro”. E disse que apoia a decisão de Wagner qualquer que seja o escolhido: “pode ser Rui Costa, Gabrielli, Caetano, Marcelo Nilo, Lídice da Mata, primeira prefeita de Salvador, primeira senadora da Bahia”. Confira em vídeo.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia