WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Eleições’

TVI ENTREVISTA CANDIDATOS A DEPUTADO

Aldenes foi entrevistado hoje por Ramiro Aquino (foto Divulgação)

Aldenes foi entrevistado hoje por Ramiro Aquino (foto Divulgação)

A TV Itabuna realiza uma série de entrevistas com candidatos a deputado estadual com base no sul da Bahia. As conversas são conduzidas pelo jornalista Ramiro Aquino, no programa “Cidade Já”, transmitido ao vivo de segunda a sexta, às 7h3o da manhã (com reprise às 13h e às 18h30), também pela internet. O objetivo da emissora é concluir a bateria de entrevistas até o dia 21.

Nesta quinta-feira (18), o entrevistado foi o candidato a deputado estadual Aldenes Meira (PCdoB), que mais uma vez defendeu a necessidade de fortalecer a representação regional na Assembleia Legislativa.

BAIANO ASSUME JURÍDICO DE PERILLO

Frederico MatosUm advogado baiano foi escolhido para atuar como delegado da coligação do candidato à reeleição em Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Frederico Matos atua ao lado do renomado Ismerim Medina, coordenador jurídico da campanha.

Frederico milita na área eleitoral na Bahia há alguns anos, junto com o itabunense Marcos Alpoim e tem várias vitórias no portfólio. A batalha (jurídica) em Goiás é renhida. De um lado, Perillo, candidato à reeleição, do outro está o ex-governador Iris Rezende (PMDB). E Frederico tem tido muito trabalho, principalmente porque o tucano sempre é citado, na campanha, por suas supostas ligações com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. O advogado baiano ressalta que nunca foi comprovada essa relação.

ATÉ O SALOBRINHO…

Velha raposa da política grapiúna, o ex-prefeito Fernando Gomes costuma divertir os amigos com seus prognósticos eleitorais. Outro dia, em uma roda de bate-papo sobre o assunto do momento, alguém lhe pediu que avaliasse as chances de eleição do Capitão Azevedo, candidato do DEM a deputado estadual.

Gomes deu risada e disse que Azevedo só tem votos em Itabuna e no bairro ilheense do Salobrinho, o que dificulta uma vitória nas urnas…

De fato, levantamentos encomendados pelos partidos, para consumo interno, apontam que o demista tem tudo para ser o mais votado em Itabuna para a Assembleia Legislativa. Porém, tirando o Salobrinho, onde sempre fez piseiro, o desempenho de Azevedo fora da cidade deixa a desejar.

DILMA: “QUEM VAI PARA A PRESIDÊNCIA NÃO É COITADINHO”

Dilma afirma que quem busca presidência não pode ser "coitadinho" (Foto Arquivo Net)

Dilma afirma que quem busca presidência não pode ser “coitadinho” (Foto Arquivo Net)

Do Globo

Confrontada com as críticas da candidata Marina Silva sobre a falta de um programa de governo do PT, a presidente Dilma Rousseff disse neste domingo que não precisa fazer promessas, porque suas propostas estão sendo executadas e sendo criticadas “todo santo dia”. Candidata à reeleição, Dilma afirmou que “coitadinho” não pode chegar à Presidência da República e voltou a criticar a independência do Banco Central, defendida por Marina.

Para Dilma, os candidatos não podem “se vitimizar”. Para ela, o debate é válido enquanto girar em torno das propostas e não apelar para “a honra e as características pessoais” dos adversários.

– A vida como presidente da República é agüentar crítica sistematicamente e aguentar pressão. Duas coisas que acontecem com quem é presidente da República: pressão e crítica. Quem levar para campo pessoal não vai ser uma boa presidente, porque não segura uma critica. Tem de segurar a crítica, sim. O twitter é o de menos. O problema são pressões de outra envergadura que aparecem e que, se você não tem coluna vertebral, você não segura. Não tem coitadinho na Presidência. Quem vai para a presidência não é coitadinho, porque, se se sente coitadinho, não pode chegar lá – afirmou a presidente, acrescentando que os jornalistas são implacáveis e a vida de presidente é dura.

Leia mais

OLÉ ELEITORAL

dinheiro4A falta de dinheiro nas campanhas eleitorais deste ano tem sido uma queixa quase geral entre candidatos a deputado na Bahia. Exatamente por isso, verifica-se um pula-pula de cabos eleitorais. Quem ontem era Fulano, hoje é Sicrano e pode ser Beltrano amanhã.

Tudo depende do vil metal.

No sul da Bahia, existem exemplos de ex-prefeitos que começaram a campanha com um candidato, migraram para outro nome e hoje, na espera do capilé pingar, já estão com outro concorrente. E, claro, pode mudar até o “Dia D”, 5 de outubro.

A confusão não é só para a cabeça do (inocente) eleitor…

ALDENES APOSTA NA VITÓRIA DE RUI

Candidato a deputado reforça mobilização pela vitória do petista (foto Marcos Souza)

Candidato a deputado reforça mobilização pela vitória do petista (foto Marcos Souza)

Vereador e candidato a deputado estadual pelo PCdoB, Aldenes Meira é daqueles que apostam na vitória do petista Rui Costa na disputa pelo governo baiano. Pela última pesquisa do Ibope, Costa apresenta forte crescimento nas intenções de voto, numa tendência que pode levar a eleição para o segundo turno.

“Estamos certos de que Rui Costa será o futuro governador e de que Otto Alencar vence a eleição para o Senado, pois o povo baiano reconhece os avanços conquistados nos últimos anos com Wagner, em todas as áreas”, afirma Aldenes. Como exemplos, o candidato a deputado afirma que hoje a Bahia tem melhores estradas, mais apoio à agricultura familiar e uma visão de desenvolvimento que contempla o interior do Estado”.

Aldenes e outros candidatos a deputado federal e estadual do campo governista estão empenhados na mobilização para acelerar a decolagem do petista. A ação se intensifica nesta sexta-feira (12), com uma carreata em Itabuna, e segue nos próximos dias com mobilizações em praticamente todas as cidades.

BABESP: RUI COSTA CHEGA A 27% E FICA A 12 PONTOS DE PAULO SOUTO

Lídice, Marcos Mendes, Souto, Mallet, Da Luz e Rui (Google).

Lídice, Marcos Mendes, Souto, Mallet, Da Luz e Rui (Google).

O Instituto Babesp divulgou os dados da sua pesquisa ao governo baiano e aponta um crescimento de 12 pontos percentuais de Rui Costa (PT), que saltou de 15% para 27%, enquanto Paulo Souto (DEM) surge com 39%.

Lídice da Mata (PSB) tem, segundo o Babesp, 9%. O instituto aponta Renata Malet (PSTU), Marcos Mendes (PSOL) e Da Luz (PRTB) com menos de 1%, cada um. O instituto sofre forte carga de acusações por parte do DEM baiano.

SEGUNDO TURNO

Paulo Souto e Rui Costa aparecem empatados, tecnicamente, quando apadrinhados. Souto cai para 37% com apoios de ACM Neto e Aécio Neves, enquanto Rui Costa salta para 32% com apoio de Dilma, Wagner e Lula.

Lídice da Mata vai a 10% com apoio de Marina Silva. Neste cenário, a eleição seria decidida em segundo turno.

Os demais candidatos somam menos de 1% das intenções de voto, segundo o instituto.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas no período de 3 a 8 de setembro em 80 municípios. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BA-00018/2014. A pesquisa foi encomendada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT). O instituto está sob suspeita da campanha do líder da pesquisa, Paulo Souto.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

O instituto informa que Dilma Rousseff (PT) aparece com 54% das intenções de voto ante 27% de Marina Silva (PSB). Aécio Neves tem 8% e Pastor Everaldo 1%. Os outros concorrentes à presidência têm menos de 1%, conforme o instituto. Atualizado às 10h30min.

RÊMORAS, URUBUS, HIENAS E BABÕES

Karoline VitalKaroline Vital | karolinevital@gmail.com

Em época de campanha, os babões ostentam a praguinha do candidato no peito como uma medalha de honra. Saem colando adesivos nas janelas de casa, no carro, na moto, na agenda, naquela pasta cheia de papéis velhos que ninguém sabe a serventia.

Eu não me lembro de quando aprendi sobre relações ecológicas, na escola. Aquele lance dos modos de relacionamento entre seres vivos de diferentes espécies: comensalismo, mutualismo, inquilinismo, parasitismo, etc. Em que série foi eu não sei, mas tenho certeza absoluta de que faz muito tempo!

Há alguns dias, assistindo à série prematuramente cancelada The Crazy Ones (assim como a vida de seu protagonista, Robin Williams), fui lembrada do relacionamento entre as rêmoras e os tubarões, chamado comensalismo. Como os pequenos peixes se grudam com ventosas para se alimentar dos alimentos que caem da bocarra dos grandões e ainda viajam longas distâncias. Outras relações – que a Wikipedia me ajudou a recordar – são entre os seres humanos e os urubus, as hienas e os leões.

Em tempos de campanha eleitoral, podemos incluir a relação ecológica entre os políticos e os babões. Funciona bem parecido com o papel desempenhado pelas rêmoras, urubus e hienas. Arrumam um “poderoso” para colar e beliscar alguma coisinha que o grandão não faça muita questão. Como se trata de alguém insignificante para o provedor, não causa incômodo ou prejuízo.

puxa-sacoMuitos comensais políticos se orgulham de sua condição. Afinal, além de alimento, ainda ganham proteção e passeios gratuitos. Ser babão é seu meio de vida, pois não sabem fazer muita coisa útil. Pelo seu papel na relação, não abocanham nada grandioso. Se muito, uma boca-livre em um restaurante devidamente paga com dinheiro público, uma gasolina, um vale em um supermercado, ingressos para eventos, e até, quem sabe, algum cargo comissionado de pequeno porte, cuja função não seja muito específica e nem exija qualificação profissional.

Os babões não acrescentam em nada na vida do político provedor. Uns fazem questão de valorizar os seus feitos dispensáveis e as vantagens que conseguiu para si e os seus chegados, principalmente quando estão entre pessoas de fora do seu ambiente “profissional”. Porque entre os “peixes maiores”, se muito, são motivo de piada, do quanto mostram os fundilhos ao se abaixar catando os restos.

Cômicos de verdade são os babões que sofrem de mania de perseguição. Mas os motivos reais e concretos do desespero se perdem entre achismos e fofocas ilógicas. Apesar da aparente falta de noção, eles sabem que seu papel insignificante torna-os facilmente descartáveis. Por isso, sustentam o sentimento constante de uma conspiração que coloca suas migalhas em xeque.

Em época de campanha, os babões ostentam a praguinha do candidato no peito como uma medalha de honra. Saem colando adesivos nas janelas de casa, no carro, na moto, na agenda, naquela pasta cheia de papéis velhos que ninguém sabe a serventia. Ligam para os programas de rádio defendendo o seu candidato, postam ofensas em blogs ou perfis de adversários. Em caminhadas, conferências e qualquer tipo de reunião onde seu político esteja, urram o nome do seu provedor e batem palmas tão alto até esfolar as mãos, se assim for preciso. Afinal, não é o político que estão defendendo, e sim a própria sobrevivência.

Karoline Vital é jornalista.

DAVIDSON E ALDENES FAZEM CARREATA

Candidatos percorreram Aurelino Leal e Ubaitaba, chegando ao distrito de Faisqueira (foto Marcos Souza)

Candidatos percorreram Aurelino Leal e Ubaitaba, chegando ao distrito de Faisqueira (foto Marcos Souza)

Os candidatos a deputado federal, Davidson Magalhães, e a deputado estadual, Aldenes Meira, os dois do PCdoB, fizeram uma grande carreata nesta sexta-feira (29), percorrendo as cidades de Aurelino Leal e Ubaitaba.

A mobilização foi até o distrito de Faisqueira, onde os candidatos e lideranças locais que os apoiam fizeram discursos. Entre os participantes, estavam os vereadores José Carlos Almeida (PCdoB), Ismaile Mota (PTC) e Catarino dos Santos (PSDB).

Outras lideranças que apoiam os candidatos e também estiveram presentes foram os suplentes de vereador Leninha Cerqueira (PCdoB), Edson Freitas (PTC), Professor Robson Marques (PCdoB) e Antônio Roberto Cruz, o Bebel.

Detalhe: a estrada que liga Ubaitaba a Faisqueira, que (com o perdão da rima) era uma buraqueira, foi recentemente pavimentada e está um tapete. Quem pediu ao governo do estado atenção especial à obra foi exatamente Davidson Magalhães.

SE NÃO RESPEITAM AGORA…

A ocupação irregular das vias públicas de Itabuna por alguns candidatos já ultrapassou o limite do absurdo. Não há o menor respeito às regras estabelecidas pela justiça eleitoral, muito menos ao cidadão-eleitor-contribuinte-pedestre, que muitas vezes precisa andar pela rua, correndo o risco de ser atropelado, pela necessidade de desviar das placas dos distintos candidatos.

Se o desrespeito é assim agora, imagina-se como será se os mesmos vierem a ser eleitos…

placas cópia

Placa do candidato Capitão Fábio deixa poucos centímetros de espaço para o pedestre circular (foto Pimenta)

 

TJ CASSA LIMINAR E AZEVEDO NÃO PODE SER CANDIDATO

Decisão do TJ tira Azevedo da eleição

Decisão do TJ tira Azevedo da eleição

O presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Eserval Rocha, cassou a liminar que garantia a candidatura do ex-prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), a deputado estadual. A decisão, que por enquanto tira do político a possibilidade de ser candidato, foi tomada na tarde desta segunda-feira (18) e publicada hoje (dia 19) no Diário Oficial do Poder Judiciário.

Azevedo teve contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e pela Câmara de Vereadores, o que o deixou na condição de ficha suja e barrado pela justiça eleitoral. No entanto, o ex-prefeito acabou conseguindo registrar sua candidatura, graças a uma liminar concedida no início de julho pelo juiz Marcos Antônio Bandeira.

A Câmara de Vereadores de Itabuna entrou com recurso contra a liminar e acabou mantendo os efeitos da rejeição das contas do ex-prefeito. A candidatura de Azevedo estava também sub judice em razão de outro recurso, interposto pela Procuradoria Regional Eleitoral.

SERÁ QUE ELA REPRESENTA A MUDANÇA?

ricardo artigosRicardo Ribeiro | ricardo.ribeiro10@gmail.com

 

Marina representaria uma aventura? Por enquanto, não há informações para dizer que sim, mas também é impossível afirmar que não… Estamos diante de uma incógnita, na iminência de um mergulho no escuro.

 

Tenho sérias dúvidas sobre a legitimidade de Marina Silva incorporar o espírito de mudança que paira sobre o Brasil, sobretudo após a catarse vista nas ruas desde junho de 2013.

Marina pode ser uma política heterodoxa, mas tem feito concessões. Como, por exemplo, a de flexibilizar seus princípios para atender ao PSB e ser confirmada como substituta de Eduardo Campos.

Em política, muitas vezes é necessário negociar e ceder… Mas até que ponto isso não tira a “pureza” de Marina? Se é que pode ser imaculado quem está há tanto tempo na política partidária e no exercício de mandatos… De perto ninguém é normal, já dizia o poeta.

O jornalista Elio Gaspari indagou em sua coluna: quem banca as viagens de Marina pelo país? E olha que elas as faz há bastante tempo… É preciso verificar, analisar, observar a personagem de perto.

Há quem veja em Marina uma espécie de santa, uma líder espiritual que vem para limpar a sujeira reinante. Neste particular, além da dúvida sobre a santidade, soma-se outra, acerca da capacidade da gestora.

Marina representaria uma aventura? Por enquanto, não há informações para dizer que sim, mas também é impossível afirmar que não… Estamos diante de uma incógnita, na iminência de um mergulho no escuro.

Ao apropriar-se da frase “Não vamos desistir do Brasil”, dita por Campos em entrevista ao Jornal Nacional, Marina não está necessariamente sendo fiel ao legado do ex-governador pernambucano. Ela está de olho nos milhões de brasileiros que, decepcionados com tudo e com todos, tenderiam a votar em branco ou nulo.

Agora, pelo que o último Datafolha indica, a horda de desiludidos apresenta forte tendência para marinar. Na batalha, será preciso desnudar o mito e revelar a pessoa que há por trás da imagem projetada. Será uma missão difícil, por tudo o que envolveu a ascensão de Marina à cabeça da chapa socialista, depois de ser salva – como ela mesma afirma – pela “mão de Deus”.

Ricardo Ribeiro é advogado e jornalista.

O BRASIL SE COBRE DE LUTO

walmirWalmir Rosário | wallaw1111@gmail.com

Novo na idade, mas experiente na arte de fazer política, fez escola com um dos grandes mestres da luta pela democracia, o seu avô Miguel Arraes.

A morte de Eduardo Campos, candidato a presidente do Brasil pelo PSB, o Partido Socialista Brasileiro, pegou a todos de surpresa. E os brasileiros ainda choram o seu desaparecimento, mesmo não sendo ele um político conhecido pela maioria da população.

Neto do ex-governador Miguel Arraes, se afastou do governo de Pernambuco para empreender um voo mais alto: disputar a Presidência da República. E morreu lutando por esse ideal, ao se deslocar do Rio de Janeiro para São Paulo, onde cumpriria compromissos de campanha.

E a vida Eduardo Campos foi interrompida aos 49 anos, no dia 13 de agosto, mesma data em que morreu seu avô, que também foi governador de Pernambuco. Agosto é um mês que causa pavor aos políticos, dado ao grande número de catástrofes. Entre elas, a que causou mais comoção foi a morte de Getúlio Vargas, quando presidente da República.

Eduardo Campos ocupava o terceiro lugar na intenção dos votos do eleitorado brasileiro. Mas a campanha estava ainda começando e o seu discurso era tido como moderno e esperançoso. Prometia fazer com o Brasil o que fez em seu estado.

Quer queira, quer não, mesmo os adversários respeitavam o político Eduardo Campos, que soube fazer história. Deixou a grande coligação que ajudou a eleger Lula e Dilma Rousseff presidentes do Brasil para empreender uma grande mudança na política brasileira.

Ele prometia e todos acreditavam numa nova forma de se fazer política, de governar o país. Para tanto, promoveu o crescimento do PSB em todo o Brasil e costurou alianças com partidos políticos alinhados com seu pensamento em todos os estados brasileiro.

:: LEIA MAIS »

MUDAR A POLÍTICA: UMA IDEIA VIVA

ricardo artigosRicardo Ribeiro | ricardo.ribeiro10@gmail.com

Há pouco mais de seis meses, a notícia do nascimento do garoto Miguel, filho do então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, chamou minha atenção. Não por ser o filho de um pré-candidato à Presidência (o quinto) nem por ter a Síndrome de Down, mas pela frase de outro filho de Campos. “O Miguel nasceu na família certa”, disse o irmão.

O tanto de acolhimento e amor que a frase despertava fez surgir uma admiração por aquela família numerosa e que parecia tão unida. Ainda que percebesse na divulgação do nascimento certa estratégia para dourar a imagem do futuro candidato, era plausível que houvesse um fundo de verdade na aparente ação de marketing.

Por essas e outras, Campos acabou por encarnar o bom moço das eleições presidenciais. Jovem, idealista, construiu imagem de bom gestor. E amarrou o discurso no combate à “velha política”, criticando o sistema de coalizão e propondo um governo sem atrelamento fisiológico. Uma cantiga boa de ouvir, mas com toda certeza muito difícil de ser tocada na prática.

Num contraste com a utopia, havia certas incoerências. Esteve ao lado do PT por mais de dez anos, até descobrir, já quando decidido a se candidatar, que o partido cometia graves equívocos. Formou chapa com Marina Silva, mesmo com tantas divergências, como as relacionadas ao debate entre desenvolvimento e conservação.

Prematuramente desaparecido, Campos deixa a imagem do bom pai e marido, do sujeito que defendia a renovação da política e a definitiva extinção de certos dinossauros que simbolizam o atraso e as mazelas nacionais.

Não se sabe até que ponto o socialista considerava viável a empreitada de enterrar a velha política, mas a ideia era (e é) alentadora. Está aí um debate que não pode ser sepultado com o homem que o propunha.

Ricardo Ribeiro é advogado e jornalista.

AZEVEDO E SEUS TIROS A ESMO

Azevedo é multado por contratação irregular

Em sua segunda campanha eleitoral depois de conquistar a prefeitura de Itabuna em 2008, vai ficando cada vez mais claro que o ex-prefeito José Nilton Azevedo, o “Capitão”, é uma verdadeira biruta de aeroporto quando se trata de fazer política.

Candidato a deputado estadual pelo DEM, Azevedo vive uma situação desconfortável na qual as principais lideranças do partido no município não o apoiam. De um lado, a presidente do diretório, Maria Alice, cabala votos para Sandro Regis; do outro, o ex-prefeito Fernando Gomes opera em alta para eleger Fábio Souto.

Enquanto isso, Azevedo, conhecido por pular mais que pipoca em caminhadas pelos bairros de Itabuna, vai tentando saltar outros obstáculos. Na briga por uma cadeira na Assembleia, acredita-se que ele precise de pelo menos 35 mil votos e de superar nomes como Herzem Gusmão, Tato Pereira e Augusto Castro (todos do PSDB), missão dificultada pela falta de estrutura para garimpar fora de Itabuna.

Assessores do capitão até haviam sugerido que ele teria melhores chances se pleiteasse uma cadeira na Câmara Federal, mas o prefeito de Salvador, ACM Neto, o convenceu a abrir espaço para a candidatura do Major Fábio. Agora, um tanto tarde, o ex-prefeito acredita que tenha feito um mau negócio.

COMO É O NOME?

Paulo Fernandes Souto é Rui e Otto de carteirinha

Paulo Fernandes Souto é Rui e Otto de carteirinha

O sujeito se chama Paulo Souto, é filiado ao PSB e apoia a candidatura de Rui Costa, do PT… Entendeu alguma coisa? O blog explica: a nota se refere ao prefeito de Itarantim, Paulo Fernandes Souto, que é crítico ferrenho do xará. Para ele, o ex-governador, ora candidato, representa o atraso.

“Vamos voltar ao que era há dez anos? Paulo Souto é governador de gabinete”, reprova o prefeito.

Apesar de seu partido ter candidata ao governo (Lídice da Mata), Paulo Fernandes Souto diz que não abre mão de permanecer no grupo do governador Jaques Wagner, além de ser amigo do candidato ao Senado, Otto Alencar. “Estou deste lado porque é o lado em que sempre estive, apoiando o governador Jaques Wagner”, explica o prefeito.

O socialista também acredita que Rui esteja crescendo no interior e irá “disparar” com o horário eleitoral. “A oposição sabe disso”, diz ele.

DOBRADINHA ENTRE ALDENES E JOSIAS

Aldenes Meira e Josias Gomes estão juntos na campanha

Aldenes Meira e Josias Gomes estão juntos na campanha

O candidato a deputado estadual Aldenes Meira (PCdoB) se encontrou nesta quinta-feira (7) com o federal Josias Gomes (PT), com quem faz dobradinha nestas eleições.

Aldenes diz que a parceria com o petista foi facilitada pela semelhança da biografia. Os dois políticos têm origem no meio rural e projetos ligados à agricultura familiar e economia solidária.

Em Itabuna, a dobradinha é azeitada pelo vereador Paulinho, que é também o coordenador da campanha de Josias na região.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia