WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘Ensino superior’

VESTIBULAR DA UESC: CANDIDATO PODE SOLICITAR ISENÇÃO DE TAXA

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) abre na próxima segunda (8) o prazo para que candidatos ao vestibular 2012 solicitem isenção da taxa de inscrição. O prazo para apresentar pedido vai até o dia 15.

De acordo com os editais da instituição 101 e 102/2011, a isenção pode ser requerida por servidores da universidade, alunos oriundos de escolas públicoas, portadores de deficiência, indígenas e quilombolas.

As inscrições para o vestibular 2012 começam em setembro. Será o último processo seletivo da Uesc na disputa por vagas nos cursos de graduação. Metade das 1.600 vagas será destinada aos aprovados no vestibular. As 800 restantes, aos aprovados pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

UESC USARÁ ENEM E VESTIBULAR EM 2012

EXCLUSIVO

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) definirá na próxima sexta (29), às 9 horas, se acaba com o vestibular e adota as notas de desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de acesso aos 33 cursos de graduação.

Conforme apurou o PIMENTA, a tendência é manter o vestibular como forma de acesso a 50% das vagas em 2012. A outra metade teria como critério a nota obtida na prova do Enem que ocorrerá em outubro. O desempenho no exame nacional valerá para todas as vagas em 2013.

A proposta de adesão da universidade ao sistema do MEC será votada na reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Uesc.

Proposta aprovada pelo conselho, a Uesc poderá aderir ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU), do Ministério da Educação, já neste ano. Assim, em 2013 o estudante terá que se inscrever no Enem e depois no SiSU para disputar vaga na instituição de ensino superior sulbaiana.

MEC LIBERA NOVA CHAMADA DO PROUNI

O Ministério da Educação (MEC) divulga nesta segunda-feira (25) a lista dos candidatos pré-selecionados em terceira chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni).

Os aprovados devem comparecer às instituições de ensino para as quais foram selecionados até 29 de julho a fim de comprovar os dados fornecidos nas inscrições. A lista dos documentos que precisam ser apresentados está disponível no site  do ProUni (http://siteprouni.mec.gov.br/). Informações da Agência Brasil.

DEZ CURSOS DE DIREITO SÃO REPROVADOS PELA OAB NA BAHIA

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou ontem o resultado do Exame de Ordem realizado em dezembro do ano passado reprovou 88,27% dos candidatos (reveja aqui). Hoje, a instituição liberou a lista dos 90 cursos de Direito que obtiveram aprovação zero. Exatamente dez dos cursos estão localizados na Bahia.

Dos cursos, seis são de Salvador (Isec, FSBA, Faculdade São Salvador, Faculdade São Tomás de Aquino, FTE e Faculdade Maurício de Nassau). Os demais estão localizados em Itabuna (Facsul), Luís Eduardo Magalhães (FAAHF), Camaçari (Famec) e Feira de Santana (FAN). Os resultados do exame unificado da OAB no país serão encaminhados ao Ministério da Educação (MEC).

Confira a lista completa

INSCRIÇÕES NO PROUNI VÃO ATÉ AS 23H59MIN

O Ministério da Educação encerra às 23h59min desta sexta-feira (24) o prazo de inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni). Neste segundo período, o MEC está oferecendo 92.107 bolsas para quem deseja estudar em faculdades particulares, das quais 46.970 são integrais. Outras 45.137 são parciais (50% ou 25% do valor da mensalidade).

A primeira chamada do ProUni será feita no dia 27 de junho, mas ainda estão previstas outras duas, pra os dias 12 e 25 de julho. O principal requisito para que o estudante possa concorrer às bolsas do ProUni é ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2010 e ter obtido 400 pontos, sem zerar a prova de redação, e cursado o ensino médio em escola pública ou em colégio particular, porém na condição de bolsista.

O estudante pode disputar bolsa integral se a renda familiar por pessoa (per capita) for inferior a um salário e meio. Já as bolsas parciais são destinadas a quem tem renda familiar per capita de até três salários.

ABERTAS INSCRIÇÕES NO PROUNI

As inscrições para as bolsas do ProUni do segundo semestre foram abertas nesta segunda-feira (20) pelo Ministério da Educação (MEC). O aluno precisa ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2010, alcançado mínimo de 400 pontos na soma de todas as provas e não ter zerado a prova de redação. O prazo para inscrever-se termina na próxima sexta (24).

Serão três chamadas nos dias 27 de junho, 12 de julho e 25 de julho com a oferta de bolsas integrais ou parciais em faculdades privadas . As bolsas parciais cobrem 50% ou 25% do valor da mensalidade na instituição na qual o aluno conseguir matrícula. A inscrição é feita somente pelo site do MEC (clique aqui).

ESTUDANTES DIZEM QUE PROFESSORES DA UESC DERAM “CARUARA”

Insatisfeitos com as condições negociadas pelos professores para dar fim à greve de 67 dias, estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) decidiram reagir ao que consideram “caruara” dos docentes. Com humor!

“Ô Seu Pimenta, como estudantes, estamos virados no estopô por causa da caruara que os professores deram na discussão com o Governo do Estado, afinal revogação do decreto que é bom ninguém sabe e ninguém viu! Contudo, o que tá mais revoltando a gente é a volta dessa greve em plena “boca do São João”!”

O movimento é uma reação cômica ao resultado das negociações:

“Então como a gente já levou sem dó e sem pena, fizemos uma “brincadeira Sadia” para protestar sobre o desfecho dessa greve que foi lastimável para os alunos”, justificam os líderes do “Movimento Revolucionário Todos Bebe”.

As reivindicações juninas dos alunos da Uesc.

COM O FIM DO VESTIBULAR, CANDIDATO À UESC DEVE SE INSCREVER NO ENEM

A reitoria da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) voltou a recomendar a quem deseja fazer o vestibular da instituição que se inscrevam no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011.

A instituição estuda acabar com o vestibular já neste ano e os candidatos aos cursos seriam selecionados via Sistema Unificado de Seleção (SiSU), do Ministério da Educação.

A proposta de substituir o vestibular pelo Enem ainda será avaliada pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe).

Como a universidade está em greve (há dois meses) e a discussão no conselho ocorrerá somente quando as aulas forem retomadas, a instituição recomenda que os candidatos façam o Enem. E o prazo de inscrição neste exame do MEC termina justamente nesta sexta-feira.

GREVE MANTIDA TAMBÉM NA UESB

Os professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) também votaram pela continuidade da greve. Foram 85 votos pela continuidade da paralisação, dois contra e uma abstenção.

Tanto a Uesb como a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) completam dois meses de greve dos professores nesta quarta (8). Os docentes das duas universidades têm nova assembleia na próxima terça (14). É a mais longa greve dos professores das universidades estaduais nos últimos dez anos.

Leia ainda:
GREVE NA UESC CONTINUA

PROFESSORES DEFINEM RUMOS DA GREVE NAS UNIVERSIDADES BAIANAS

Professores de três das quatro universidades estaduais baianas terão assembleia nesta tarde de terça-feira (7) para definir se retornam ou não às salas de aula. O fim da greve dependerá da resposta do governo à contraproposta apresentada pelos docentes em encontro ocorrido ao final da tarde desta segunda (6) na Secretaria Estadual de Educação (SEC).

Os docentes querem que o governo defina como 8 de janeiro de 2013 a data de retomada das negociações salariais. Antes, governo, reitores e comando de greve acordaram o “congelamento” de salário até 2012.

A categoria também reivindica do governo o envio imediato de projeto de lei que incorpore a gratificação por Condições Especiais de Trabalho ao salário-base e quer assegurar a discussão do contingenciamento do orçamento estadual.

O governo promete responder às reivindicações até o início da tarde, momentos antes das assembleias da universidades estaduais de Santa Cruz (Uesc), Feira de Santana (Uefs) e Sudoeste da Bahia (Uesb), que estão há quase dois meses sem aulas. Somente os professores da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) deixaram para decidir amanhã (quarta, 8).

GREVE NAS UNIVERSIDADES PODE ACABAR NA 3ª

O governo recuou e a greve dos professores das universidades estaduais baianas pode chegar ao fim nesta segunda (6), à tarde. Professores, reitores e governo sentam-se à mesa, na Secretaria de Educação, para discutir nova proposta, apresentada na última sexta (3).

O governo acena com a incorporação de gratificação por Condições Especiais de Trabalho (CET) em mais ou menos 51%, parcelados. As primeiras quatro parcelas de 8% seriam pagas em março e outubro de 2011 (com retroativo) e 2012.

O ponto que emperra as negociação é o veto a reajustes acima da inflação até o próximo ano, além da manutenção do decreto de contingenciamento de recursos em toda a esfera estadual – o que, no entendimento dos professores, afeta a autonomia universitária.

A proposta que sair da reunião de amanhã será votada em assembléia nas universidades na próxima terça (7).

O PASSADO QUE NÃO PASSA

Roque Pinto | roquepintosantos@gmail.com

Claro está que para o novo Cabeça Branca, na sua irrefreável ânsia de poderes imperiais, as leis e as hierarquias legais são meros obstáculos que podem ser atropelados sem maiores problemas pelo rolo-compressor da máquina pública.

Descrevendo o golpe de estado perpetrado por Napoleão III em 1851, Karl Marx observou que alguns eventos históricos se repetem duas vezes: a primeira como tragédia, a segunda como farsa.

Aqui, na Bahia de hoje, sem a opulência nem o ornamento da perspectiva histórica, mas com a mesma ferocidade de sangue que move a roda da história, a tragédia do caudilho maior precede o seu arremedo, como burla. Dizem que Antônio Carlos Magalhães gostava de repetir, com um sorriso na boca: “para os amigos, tudo. Para os inimigos, a lei.” Mas o governador Jaques Wagner, sindicalista de ontem que se traveste do novo Malvadeza de hoje, nem mesmo a justiça respeita. Apenas dela tripudia. Pois vejamos.

Neste momento mais de 400 professores, estudantes e funcionários das 4 universidades estaduais, representando um contingente de cerca de 5.000 professores e 60.000 estudantes, estão acampados na Assembléia Legislativa da Bahia, em Salvador, para que o governo reabra as negociações sobre o impedimento aos docentes de requerer qualquer melhoria salarial até 2014 e sobre a alteração de um decreto reeditado em fevereiro, que na prática transforma as universidades em apêndices da administração direta do estado, quitando-lhes a autonomia outorgada pela Constituição do Estado da Bahia.

Com a deflagração da greve dos docentes das universidades estaduais há quase dois meses, o governo da Bahia – cujo mandatário é, ironicamente, filiado ao PT – respondeu com intolerância e truculência, cortando o salário dos professores, inclusive os dias trabalhados. Através dos desembargadores que julgaram as liminares de cada um dos sindicatos, a justiça baiana ordenou o pagamento imediato dos salários (confira aqui e aqui).

Mas o governo Wagner não cumpriu as determinações legais e mantém a suspensão do estipêndio dos professores universitários.

Claro está que para o novo Cabeça Branca, na sua irrefreável ânsia de poderes imperiais, as leis e as hierarquias legais são meros obstáculos que podem ser atropelados sem maiores problemas pelo rolo-compressor da máquina pública.

E, no seu afã pantagruélico de poder, desapega-se de qualquer pudor: enquanto estrangula financeiramente as universidades públicas e corta mais de um bilhão de reais do orçamento de 2010, cria mais quatro novas secretarias de estado para acomodar seus aliados, impacientes com o destino das verbas para a Copa do Mundo de 2014.

Considerando o descumprimento da liminar que obriga o governo do Estado da Bahia a pagar o salário dos professores, o sindicato dos docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Adusb) entrou com uma nova ação no Tribunal de Justiça, no dia 31 de maio, requerendo uma multa diária de R$100 mil e o seqüestro no valor de R$ 4 milhões do orçamento do Estado, a fim de garantir o dito pagamento. Além disso, foi pedida a prisão do Secretário de Administração do Estado da Bahia, Manuel Vitório e do Reitor da Universidade, Paulo Roberto Pinto dos Santos.

E a Associação de Docentes da Universidade de Feira de Santana (Adufs) pediu a prisão dos secretários de Educação e Administração, respectivamente Osvaldo Barreto e Manoel Vitório, e do próprio governador, Jaques Wagner, em uma representação criminal encaminhada ao Ministério Público (veja aqui nos links um, dois e três).

Mutatis mutandis, o antropólogo inglês Adrian Mayer transcreve as palavras de um cabo eleitoral local, numa investigação sobre as eleições no distrito de Dewas, na Índia: “todo homem sangra: a questão é saber qual a veia que se deve abrir para que ele sangre mais”.

O atual governador do Estado da Bahia, cuja imagem pública forjou-se nas lutas sindicais do setor petroquímico, deve sabê-lo. Decerto não por leituras especializadas, mas pela vivência dos enfrentamentos na longínqua época em que militava a favor dos trabalhadores.

Talvez por isso, agora, militando em causa própria, põe em prática, com uma brutalidade sem paralelo na história baiana recente, as mesmas táticas que combatia, emulando aquele sociólogo-presidente que certa vez dissera que se esquecessem do que ele próprio havia dito e escrito.

Sim, um fantasma ronda a Bahia: o do passado que não passa.

E sim, tem razão o dito indiano: todo homem sangra. Diria mais: quem sangra não esquece. Todo político deveria saber disso.

Roque Pinto é professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Doutor em Antropologia.

UESC PODERÁ SUBSTITUIR VESTIBULAR PELO ENEM JÁ EM 2012

A reitoria da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) anunciou que poderá substituir o vestibular pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para o acesso aos 33 cursos de graduação já a partir de 2012. Os estudantes serão selecionados de acordo com as notas médias e desde que inscritos no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), do Ministério da Educação (MEC).

A proposta precisa ser antes discutida e aprovada no Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão da Uesc (Consepe), o que deve acontecer quando as aulas forem retomadas. A universidade está em greve desde o dia oito de abril.

A reitoria já emitiu comunicado em que recomenda a todos os possíveis candidatos aos cursos da universidade que se inscrevam no Enem 2011. O prazo de inscrição no exame vai até o dia 10, de acordo com o MEC.

JW PEDE FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES

Wagner: fim de greve nas universidades.

Depois de alegar aumento de 81% no orçamento das universidades estaduais baianas, o governador Jaques Wagner voltou a pedir o fim da greve dos professores. A paralisação completará dois meses no início da próxima semana.

Os docentes exigem que o governo rediscuta a política de reajuste salarial para o quadriênio e revogue decreto que suspende contratações de professores e novos investimentos nas universidades estaduais. Para a categoria, o decreto afeta a autonomia universitária.

O governador diz que melhorou “muito as condições de trabalho nas universidades” e assegurou ganho real de 18% à categoria nas discussões de reajuste salarial para os próximos quatro anos. Os docentes, no entanto, alegam que o governo incluiu uma cláusula, de última hora, que promoveria o congelamento dos salários.

Ontem, o juiz da 8ª Vara da Fazenda Pública em Salvador, Mário Soares Caymmi Gomes, considerou ilegal a greve na Universidade Estadual da Bahia (Uneb) e determinou a imediata volta dos trabalhos aos professores, sob pena de multa diária de R$ 5 mil à Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb).

A greve na Uneb é “abusiva”, segundo entendimento do magistrado. A decisão não atinge as demais universidades estaduais (Uesc-Ilhéus, Uesb-Vitória da Conquista, Itapetinga e Jequié, e Uefs-Feira de Santana). Desde ontem (31), docentes e estudantes universitários ocupam a Assembleia Legislativa baiana.

PROFESSORES DE UNIVERSIDADES BAIANAS FAZEM MANIFESTAÇÃO NA ASSEMBLEIA

Cerca de 250 professores e estudantes das universidades estaduais da Bahia ocuparam, na manhã desta terça-feira (31), o prédio da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. Os docentes, em greve há 57 dias, reivindicam a retomada das negociações, que foram interrompidas pelo governo no dia 25 de maio.

Com colchonetes, colchões e malas, os manifestantes dizem que vão ficar pelo menos 48 horas na Galeria dos Ex-presidentes, que fica ao lado do Plenário. “Queremos sair desse impasse, então decidimos ocupar a Assembleia, pois quando tomamos essa atitude o governo costuma recuar”, diz Maslowa Freitas, diretora do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES).

De acordo com ela, caso não seja realizada uma nova proposta, a categoria vai manter a greve e continuar realizando mobilizações.

Leia mais n´A Tarde

UESC: PROFESSORES DECIDEM PELA CONTINUIDADE DA GREVE

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) decidiram continuar em greve. A assembleia foi encerrada ao final da tarde desta quinta (26), no campus da instituição. Os docentes da universidade estadual encontram-se em greve há exatos 48 dias. As negociações com o governo baiano, ontem, não avançaram.

A categoria cobrava a revogação do decreto de contingenciamento do Orçamento 2011, mas o governo insiste que a medida não atinge os salários dos professores, embora reconheça que impede novas contratações e custeio (Confira mais abaixo). A categoria entende que o contingenciamento afeta a autonomia universitária.

A BARBA DE WAGNER E O CORTE NO ORÇAMENTO

Professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) foram às ruas centrais de Ilhéus protestar contra o governo baiano. Eles querem revogação de decreto que, afirmam, atinge em cheio e tiram a autonomia das universidades estaduais. Os professores da Uesc estão em greve há 44 dias.

Na foto do Jornal Bahia Online, manifestante exibe cartaz em que lembra – ao mesmo tempo – os cortes no orçamento estadual e de barba, feitos pelo governador Jaques Wagner. Pela barba, o petista recebeu R$ 500 mil, doados ao Instituto Ayrton Senna.

PROFESSORES DA UESC FAZEM PROTESTO E MANDAM RECADO PARA WAGNER. TEVE ATÉ BARBEARIA GRATUITA!

Protesto teve apresentação de coral da Uesc com sátiras dirigidas ao governador e barbearia gratuita para os professores arrochados (Foto Pimenta).

Os professores das universidades estaduais baianas estão há mais de 30 dias em greve. Nesta sexta, os docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) ocuparam as escadarias do Palácio Paranaguá, em Ilhéus, para protestar contra o secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto, e o governador Jaques Wagner. Os professores puderam aparar (ou raspar) a barba sem pagar nada (e sem cachê da Gillette).

Professores e funcionários das estaduais baianas são contrários a decreto e portaria que contingenciaram recursos das universidades e proíbem novas contratações de professores. Outro ponto polêmico é a negociação salarial. O governo quer conceder reajuste em 2011 e congelar os salários até 2015, o que provocou reação da comunidade acadêmica. A queixa geral é de quebra da autonomia das universidades.

A primeira faz tchun, a segunda faz tchan... (Foto Pimenta)



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia