WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
unime


fevereiro 2017
D S T Q Q S S
« jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  

editorias


:: ‘Esporte’

ATLETA ITABUNENSE BRILHA NO SUL-AMERICANO DE JIU-JITSU

Gabryel conquista Sul-Americano de Jiu-Jitsu (Foto Matheus Vital/Guache).

Gabryel conquista Sul-Americano de Jiu-Jitsu (Foto Matheus Vital/Guache).

O itabunense Gabryel Moreira Silva Rocha, de 19 anos, conquistou o 2º lugar do Sul-Americano de Jiu-Jitsu, categoria acima de 100 quilos, disputado em Vitória, no Espírito Santo.

Gabryel é faixa azul e pratica jiu-jitsu há três anos. O atleta é treinado pelo técnico Miquéias Bezerra, referência no esporte no cenário nacional. “São, pelo menos, quatro horas de treino diário. Estou há sete meses com a faixa azul e treino forte, diariamente”, disse Gabryel.

O interesse pelo esporte surgiu quando o jovem participou de um torneio interno. “Depois do torneio, aqui na academia, participei do Sul Americano, do Brasileiro Norte Nordeste, Baiano, Itabuna Open, Buerarema Open, Copa Coaraci, entre outros”, explicou o atleta. O atleta já faturou o título de campeão baiano em 2014, conquistou o terceiro lugar no Norte Nordeste em 2013 e, agora, ficou em segundo lugar no Sul-Americano.

Gabryel disse que apesar da dedicação e treino intenso, é preciso apoio financeiro para ajudar a manter a dieta adequada, suplementos, academia, viagens, hospedagem, e outros gastos com competição. Para isso, o atleta conta com alguns patrocínios como Frigobom, MetroQuadrado Consultoria Imobiliária e Guache Comunicação.

“Quero agradecer aos meus amigos da academia, ao professor Mikeias Bezerra e aos patrocinadores que acreditaram e confiaram em mim. Para 2017, venho treinando com afinco em busca do título Brasileiro de Jiu-Jtsu CBJJ”, diz.

CANAVIEIRAS SEDIARÁ 1º TORNEIO DE KETTEBELL DO INTERIOR DA BAHIA

João Rosário puxa treino com atletas de Canes.

João Rosário puxa treino com atletas de kettlebbel numa das mais belas paisagens de Canes.

Canavieiras, na região sul do Estado, será o primeiro município do interior baiano a sediar torneio de kettlebell. A competição será realizada em 25 de março numa das mais bonitas paisagens de Canes, o porto da cidade.

O evento será aberto ao público. Competirão atletas de Salvador, Itabuna, Ilhéus e será a primeira oportunidade dos canavieirenses mostrarem seu desempenho no esporte disputando as provas long cycle, snatch e jerk. A inscrição custa R$ 25,00. Informações podem ser obtidas no site www.brutalsc.com.

O torneio é promovido por João Rosário, da empresa Brutal Strenght and Conditioning, especialista em Kettlebell e uma das maiores referências no Brasil nesse esporte, que alia força e técnica para levantar uma bola de ferro por tempo determinado e que vem conquistando muitos praticantes na cidade por fortalecer o corpo inteiro de forma integrada e dinâmica.

Segundo João Rosário, Salvador sediará a etapa do GP Mundial de Kettlebell da Associação Mundial de Clubes de Kettlebell (WAKSC) neste ano. João está preparando atletas de Canavieiras para representar bem a cidade na competição.

PREPARAÇÃO FÍSICA

Atletas de Canavieiras que praticam outras modalidades esportivas já estão inserindo o kettlebell na sua preparação física com a supervisão Rosário. Eles também já confirmaram presença no torneio, como a faixa preta de judô e jiu jitsu Joyce Araújo e o surfista Bruno Senna.

Desde o segundo semestre de 2016, é comum ver em alguns pontos da cidade praticantes do esporte, pois muitos preferem treinos ao ar livre, uma vez que o esporte possibilita o transporte do kettlebell para qualquer lugar que escolha treinar. “É uma academia em suas mãos, como definem alguns praticantes, e isso me dá a liberdade de realizar os treinos e ainda aproveitar as paisagens da cidade”, explica Rosário, que iniciou turmas de kettlebell ao ar livre no porto de Canavieiras três vezes por semana.

INSTITUTO APONTA O BAHIA COM A MAIOR TORCIDA DO NORDESTE

Torcida do Bahia é a maior do Nordeste, segundo pesquisa.

Torcida do Bahia é a maior do Nordeste, segundo pesquisa.

Um levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas aponta a torcida do Bahia com mais que o dobro que a do Vitória. O tricolor tem também a “maior do Nordestão”, como sua torcida canta no estádio, e a 11ª maior do Brasil, com 2% da população nacional. A do Leão é a 16ª, com 0,8%.

Mais de 4,1 milhões de brasileiros têm o Esquadrão de Aço como clube do coração, o que coloca a torcida tricolor à frente dos cariocas Botafogo e Fluminense. Os fãs rubro-negros são 1,6 milhão, empatados com Atlético-PR e Fortaleza.

No Nordeste, a torcida do Vitória aparece em 4º lugar, atrás também de Sport e Ceará. É a primeira vez na década que o Leão não aparece entre as três maiores da região, independentemente do instituto de pesquisas. Na mais recente, divulgada em abril pelo Paraná Pesquisas, a lista tinha apenas as 14 maiores torcidas, sem o Vitória. O Bahia já era 11º.

Durante dez meses, de março a dezembro de 2016, foram ouvidas 10,5 mil pessoas em 23 estados. A pesquisa foi divulgada pelo jornal O Globo e mostrou também que 40 milhões de brasileiros (19,5%) afirmam não ter time nenhum. A soma supera até a torcida do Flamengo, que continua a maior do país, com 33 milhões (16,2%), seguida por Corinthians (13,7%) e São Paulo (7,4%) no top 3. Do Correio24h.

BANDEIRA BRANCA NA ARENA

marianaferreiraMariana Ferreira | marianaferreirajornalista@gmail.com

Seguimos observadores da banalização e espetacularização da violência dentro daquilo que deveria ser o seu antídoto, o esporte. A educação talvez um dia mude esse padrão e modifique o leque de palavras e comportamentos.

Há cinco anos escrevi um artigo acadêmico que analisava a banalização da violência nos esportes de massa pela imprensa esportiva. Hoje, no período de luto pela equipe da Chapecoense, a solidariedade, que moveu dezenas de clubes no apoio ao time catarinense e milhões de pessoas pelo mundo se declarando suas torcedoras, parecia estabelecer-se, enfim, nesse universo esportivo. As torcidas organizadas poderiam, agora, ser menos gladiadoras? A imprensa passaria a ser mais zelosa na linguagem? Os clubes seriam menos beligerantes?

Somente as dez maiores torcidas de futebol do Brasil possuem juntas mais de 120,8 milhões de torcedores – a população nacional é de aproximadamente 206,8 milhões de habitantes. As agremiações como um todo possuem torcidas organizadas com verdadeiros espíritos de guerra, que transformam estádios e ruas em arenas medievais para agredir os oponentes até o limite da vida. O país é campeão no número de mortes de torcedores por conflitos entre torcidas organizadas. Foram nove mortes esse ano e outras seis estão sendo investigadas por possível elo com o futebol.

O futebol, em particular, como é o assunto que mais mobiliza a massa brasileira, é tratado com alta prioridade pelos veículos de diferentes plataformas. É importante que cada um reavalie seu papel nesse cenário; afinal, vale a pena oferecer a emoção de um combate ao torcedor/espectador, utilizando de linguagem bélica, com forte influência e banalização da violência? O esporte não deveria ser uma fuga da violência? Por vezes, quando escrevia para a editoria de esportes do Jornal Agora, essa reflexão se fazia presente.

:: LEIA MAIS »

VITÓRIA FORA DA ZONA

O Vitória saiu da Zona de Rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro, hoje (28), ao bater o América-MG, na Fonte Nova, em Salvador. O Rubro-Negro venceu o time mineiro por 2 a 1,  alcançando a 15ª posição, com 26 pontos.

Quem abriu o placar foi Marcelo. Ele aproveitou rebote da entrada da grande área e mandou no cantinho do goleiro do América. David fez 2 a 0. Já no finalzinho do jogo, a equipe mineira – lanterna do Brasileirão – diminuiu, com Diego Barcelos.

Confira os principais lances no vídeo abaixo.

O VERDADEIRO MENINO DO RIO

daniel thame fotoDaniel Thame | danielthame@gmail.com

 

E se tornou o verdadeiro Menino do Rio. Do Rio de Contas, do Rio de Janeiro, de todos os rios do mundo, porque, como cantou o poeta, se navegar é preciso e viver é preciso, Isaquias pode acrescentar que remar também é preciso.

 

Exatos 1.317 quilômetros separam o Rio de Contas, em Ubaitaba, sul da Bahia, e a Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro.

1.317 quilômetros que separam e, ao mesmo tempo, unem uma história de superação, que de tão improvável surpreendeu o mundo e fez surgir um novo ídolo brasileiro, no maior espetáculo esportivo do planeta.

A trajetória de Isaquias Queiroz, que emergiu das Olímpiadas 2016 como o maior medalhista brasileiro numa única edição dos Jogos, é ainda mais fascinante porque é fruto do imponderável, ainda que também seja de um talento inato e de muito, muito esforço pessoal.

Menino humilde de Ubaitaba, cidade localizada às margens do Rio de Contas, Isaquias sofreu um acidente doméstico e, em seguida, perdeu um rim ainda na infância. Ganhou dos colegas e assumiu sem maiores traumas o apelido de  `Sem Rim`, personagem que poderia muito bem caber num romance de seu conterrâneo Jorge Amado.

Futuro? Um emprego no comércio em Ubaitaba, quem sabe tentar a vida em Itabuna ou então arriscar-se no ex-Eldorado Paulista, que há muito perdeu o brilho.

Mas, não no meio do caminho, mas às margens do caminho, havia um rio.

E foi neste rio que o menino Isaquias remou contra o destino e reescreveu a sua história.

Na cidade em que a canoa parece fazer parte da indumentária, Isaquias, ainda menino, demonstrou que poderia remar além dos limites do Rio de Contas.

E remou, sem deixa a canoa virar.

Isaquias QueirozA primeira medalha veio em Itacaré, sul da Bahia. Um menino de 10 anos, orgulhoso entre os pais e os amigos.

A medalha não mudou muita coisa. Era preciso continuar remando contra a falta de estrutura, os recursos escassos, o dinheiro contado para disputar competições dentro e fora do Estado. A dura vida de atleta de esportes fora do circuito Futebol/Vôlei.

E Isaquias, com seu  talento,  continuou remando. Cada vez mais forte, cada vez mais longe.

Em 2015, sagrou-se campeão mundial de Canoagem, privilégio então restrito aos privilegiados europeus e suas superestruturas esportivas, com investimentos em atletas desde a base.

O mundo, então, voltou os olhos para o baiano, o Brasil descobriu que havia um canoísta pronto para brilhar nas Olimpíadas 2016. Ainda que não fosse um astro do futebol, Isaquias já não era um anônimo praticante de um esporte que poucos ouviram falar.

Vieram as  Olimpíadas, as duas medalhas de prata (uma delas ao lado do Erlon de Souza, vizinho de Ubatã, outra história de superação), e uma de bronze. Três provas disputadas, três medalhas conquistadas.

Veio, enfim, a consagração, num palco planetário. O nome inscrito na história dos Jogos Olímpicos.

O esporte amador brasileiro, que nunca foi tratado com a seriedade que merece, é pródigo em histórias de superação.

Essa foi a Olímpiada da menina da favela, vítima de racismo, que ganhou o Ouro no Judô, do menino abandonado pelos pais que levou o Ouro no Salto com Vara, do baiano da periferia de Salvador que faturou o Ouro no Boxe.

E foi a Olimpíada de Isaquias Queiroz, que remou contra as correntezas reais e metafóricas, e se tornou o verdadeiro Menino do Rio.

Do Rio de Contas, do Rio de Janeiro, de todos os rios do mundo, porque, como cantou o poeta, se navegar é preciso e viver é preciso, Isaquias pode acrescentar que remar também é preciso.

Daniel Thame é jornalista, escritor e editor do Blog do Thame.

UBAITABA FAZ FESTA PARA ISAQUIAS QUEIROZ; ATLETA DESEMBARCA EM ILHÉUS AMANHÃ

Isaquias desfilará em carro do Corpo de Bombeiros, em Ubaitaba, nesta sexta.

Isaquias desfilará em carro do Corpo de Bombeiros, em Ubaitaba, nesta sexta (Foto A. Brasil).

Isaquias Queiroz, o maior medalhista brasileiro numa única Olimpíada, será homenageado nesta sexta-feira (26), às 17 horas,  em Ubaitaba, no Sul da Bahia. O canoísta deverá desembarcar no Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, às 15h40min, quando deverá ser recebido por milhares de pessoas, dentre elas, o governador Rui Costa, que anunciou, na terça (23), um centro de treinamento para a canoagem em Ubaitaba.

Ele chega à sua cidade natal uma semana após se consagrar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, conquistando uma medalha de bronze na canoagem 200 metros e duas medalhas de prata nas categorias 1.000m da canoagem velocidade individual e canoa dupla 1.000m, esta ao lado do também baiano Erlon Silva, de Ubatã.

Isaquias Queiroz deverá desfilar pelas ruas da cidade num carro do Corpo de Bombeiros, exibindo as três medalhas olímpicas, informa o Blog do Thame. O atleta seguirá até as margens do Rio de Contas, onde iniciou sua trajetória esportiva,  até se consagrar como um dos grandes nomes do esporte brasileiro.

A homenagem está sendo organizada pela Associação Cacaueira de Canoagem.

ILHÉUS: CORRIDA DO FOGO SERÁ NO SÁBADO

Corrida do FogoO 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros promove a 18ª edição da Corrida do Fogo, em Ilhéus, no próximo sábado (16). As inscrições podem ser feitas no grupamento, localizado na Barra.

A corrida terá 7,3 quilômetros de percurso (Quartel-Distrito Industrial-Quartel). A concentração começará às 8h e a largada está prevista para as 9h.

De acordo com a relações públicas do 5º GBM, capitão Ana Isabel Araújo, haverá premiação com troféus e medalhas, além de sorteio de brindes. A corrida atrai não apenas bombeiros, mas desportistas de todo o estado. Mais informações pelo telefone 73-3639.2633.

BAHIA QUEBRA SEQUÊNCIA DE DERROTAS

Ontem à noite (28), o Bahia recebeu o Oeste (SP), na Fonte Nova, e conseguiu vencer, após sequência de quatro derrotas para times intermediários ou na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro.

O Esquadrão bateu o Oeste por 2 a 0 e deu uma respirada na competição, passado a 20 pontos, mas ficando a 2 da zona de classificação para a Série A de 2017. Hernane e Zé Roberto fizeram os gols do jogo que marcou a estreia do técnico Guto Ferreira.

Confira os melhores lances da partida.

E A ARGENTINA “VICIOU”…

Assista à disputa de pênaltis que deu a vitória ao Chile sobre a Argentina, na final da Copa América Centenário. Pelo segundo ano consecutivo e diante do mesmo adversário, os hermanos ficam com o vice.

AULÃO DE KETTLEBELL EM ITABUNA

João Rosário, ao centro, ministrou aulão beneficente em Itabuna.

João Rosário (blusa cinza) ministrou aulão beneficente em Itabuna.

No último sábado (11), João Rosário conduziu um aulão aberto de Kettlebell no Studio X-Pro Training, em Itabuna, cuja inscrição foi a doação de alimentos não-perecíveis para entidades assistenciais do município. No evento, ele demonstrou os principais movimentos com essa ferramenta no treino e no esporte.

Rosário utiliza o kettlebell para condicionamento físico e treinamento de atletas da modalidade há seis anos, é especializado em kettlebell training/Sport e possui várias certificações internacionais.

Após 10 anos de trabalho no sudeste do país, o itabunense, no início do mês, voltou a residir no sul da Bahia (Canavieiras) trazendo toda a experiência adquirida para colaborar com a promoção do Kettlebell Sport e qualificação de profissionais na região.

Professor de Educação Física e atleta, João Rosário é um dos organizadores do 1º GP mundial de Kettlebell no Brasil, que será realizado no dia 9 de dezembro, em Curitiba. Ele planeja levar atletas de Itabuna e região para representar o estado no GP mundial.

ITABUNENSE FATURA DUAS MEDALHAS DE OURO NO PARANAENSE DE KETTLEBELL

Flávia, João José e Nicole faturaram, juntos, sete medalhas de ouro (Foto Divulgação).

Flávia, João José e Nicole faturaram, juntos, sete medalhas de ouro (Foto Divulgação).

No último domingo (5), o itabunense João Rosário representou a Bahia no 1º Campeonato Paranaense de Kettlebell Sport, realizado na Crossfit SM30, em Curitiba. Mais de 40 atletas de sete estados (PR, SC, SP, DF, CE, RS e BA) participaram da competição em que os atletas vão ao seu limite executando movimentos com tempo e técnica específica com o kettlebell, uma bola de ferro com alça que pode pesar até 32 quilos em competições oficiais.

Único representante da Bahia na competição, Rosário conquistou 2 medalhas de ouro nas provas Snatch com kettlebell de 24 kg e Long Cycle com dois kettlebells de 20 kg.  Ele presenciou também Nicole Zaniz e Flávia Karolina, duas das atletas que treina, ganharem 5 medalhas de ouro.

João José ainda auxiliou na arbitragem e organização do evento ministrando no sábado (4), véspera da competição, curso técnico e de arbitragem para atletas e árbitros, quando repassou as regras e a técnica correta dos movimentos válidos nas provas do Campeonato.

Um dos destaques da competição foi o recorde atingido por Nicole Zaniz, atleta treinada há 4 anos por Rosário, que na prova One Arm Long Cycle com kettlebell de 20 kg executou 109 repetições, marca compatível para obter o título de master of sports de acordo com a tabela de marcas da ketacademy, uma das principais desse esporte.

Radicado há quase 10 anos no eixo Sudeste-Sul do Brasil, onde começou a trabalhar em 2009 com o kettlebell para condicionamento físico e treinamento de atletas da modalidade, Rosário é especializado em kettlebell training e sport, possui várias certificações internacionais inclusive com o hexacampeão mundial de kettlebell Denis Vasilev, foi um dos fundadores e ex-presidente da Federação Brasileira de Kettlebell Lifiting (FBKL) e é coach de atletas campeãs americanas nesse esporte.

DE VOLTA PARA A BAHIA

Após o Campeonato Paranaense, João Rosário voltou a residir no Sul da Bahia trazendo toda a experiência adquirida para colaborar com a promoção do Kettlebell Sport e qualificação de profissionais na região. “Foram quase 10 anos fora da Bahia morando em Santa Catarina e, recentemente em São Paulo, e toda a experiência e trabalho desenvolvido além de viagens constantes, workshops, envio de planilhas de treino para alunos de outros estados, me deram a tranquilidade de tomar essa decisão de voltar a morar perto de familiares e amigos, além de ir em busca de uma melhor qualidade de vida”, informa.

Só no mês de maio Rosário explica que esteve na Bahia duas vezes a trabalho para ministrar workshops de kettlebell e, no dia 21 de maio, auxiliando na organização do Campeonato Baiano de Kettlebell. Mas, a partir da agora, vai ser mais fácil os adeptos do esporte na região ou interessados se aprofundar mais nessa modalidade entrando em contato com Rosário, fundador da empresa Brutal – Strength and conditioning.

:: LEIA MAIS »

HÁ 10 ANOS, COLO-COLO FATURAVA O BAIANÃO


Era um 28 de maio, mas não era mais um. Era o Dia D, o do título. Pela primeira vez na história, um time do sul da Bahia faturava o Baianão de Futebol.

Fora de casa, Gil, Ednei, Jânio, o paredão Marcelo & Cia premiaram o Vitória com um belo chocolate em pleno Barradão, a toca do rubro-negro: 4 a 2.

Era 28 de maio de 2006. O time caiu para a Segundona por duas vezes. A última delas ocorreu justamente neste ano, após campanha decepcionante. Porém, fica o sabor daquele título que fez Ilhéus parar.

UBAITABA FORMA ATLETAS OLÍMPICOS E SE TORNA A CAPITAL DA CANOAGEM

Maior esperança de medalha do Brasil nas Olimpíadas, o ubaitabense Isaquias Queiroz é exemplo para outros futuros herois

Maior esperança de medalha do Brasil nas Olimpíadas, o ubaitabense Isaquias Queiroz é exemplo para outros futuros herois

Belíssima matéria do Estadão:

No mapa, o Rio de Contas é uma linha azul fininha que divide as cidades de Ubaitaba e Aurelino Leal, no sul da Bahia, distantes a 379 km de Salvador. De perto, essa linha vira uma avenida fluvial que define a vida na região. Anos atrás, meninos e adolescentes se ofereciam para remar as canoas que faziam a travessia do rio, pois não tinham o dinheiro da passagem – hoje, R$ 2. De canoeiros a canoístas, foi um pulo. Ou um mergulho. Dos cinco atletas que se preparam para os Jogos do Rio, três são da região, um deles é o bicampeão mundial Isaquias Queiroz. Dos últimos dez torneios nacionais por equipes, oito foram vencidos por ubaitabenses. Além disso, Jefferson Lacerda, o pioneiro da canoagem brasileira em Olimpíadas, também é de lá. Isso ainda não existe nos mapas, mas Ubaitaba é a capital brasileira da canoagem.

Hoje, quase 60 alunos participam da escolinha gratuita da Associação Cacaueira de Canoagem. Existem dois pré-requisitos para entrar no curso: saber nadar e ir bem na escola. A cada trimestre, os professores da canoagem visitam a escola e também analisam o boletim de cada aluno. Se o aluno vai mal, é afastado por um período. “Tia, a gente já pode colocar o barco na água?”, pergunta Yuri Silva dos Santos, prata na categoria até 14 anos no Campeonato Brasileiro.

Até chegar à margem, meninos e meninas a partir dos oito anos carregam nos ombros barcos de 10 quilos. Os corpinhos mirrados, rascunhos de atletas, envergam, mas não quebram. O sonho de ser como Isaquias vai no ombro também e ajuda a equilibrar o peso.

Leia mais e sinta orgulho!

OPEN DE TÊNIS NO SUL DA BAHIA

Competição de tênis ocorrerá na Ilhéus-Itabuna.

Competição de tênis ocorrerá na Ilhéus-Itabuna.

Um torneio open de tênis será realizado no Clube Cidadelle, de 29 de abril a 1º de maio, no quilômetro 24 da Rodovia Jorge Amado (Ilhéus/Itabuna), próximo ao Atacadão. Organizado pelo professor Robert Lima, o torneio terá disputas nas categorias Infantil, Iniciante, 5ª Classe, 4ª Classe, 2ª Classe e Sênior.

Todas as categorias serão divididas em dois grupos e cada participante jogará com todos do seu grupo, sendo qualificados para semifinal os dois melhores de cada grupo. Desses encontros será feito o cruzamento para se chegar aos finalistas.

Cada partida será disputada em 6 games com vantagem. A final será de um set de 8 games. Na categoria infantil será feito um festival de tênis e todos os jogadores infantis serão premiados com medalhas. As inscrições podem ser feitas com o professor Robert, através do telefone (73) 99141-4168.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia