WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba


jamile_yamaha

sintesi17

dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

editorias


:: ‘estiagem’

EFEITO SECA: EMBASA INSTALA TANQUES COMUNITÁRIOS EM ILHÉUS

Tanques comunitários foram instalados em áreas que mais sofrem com a estiagem (Foto Divulgação).

Tanques comunitários foram instalados em áreas que mais sofrem com a estiagem (Foto Divulgação).

A Embasa informou que instalará 16 reservatórios de água para atender as comunidades de Sambaituba, Aritaguá, São José e Salobrinho, em Ilhéus. O município sul-baiano começa a sofrer os efeitos da falta de água de forma mais severa.

“A empresa dará continuidade ao fornecimento em dias alternados, através da rede distribuidora, em localidades do eixo centro norte e do distrito industrial”, informou o escritório da Embasa em Ilhéus.

De acordo com o gerente local da Embasa, José Lavigne, a preocupação é ainda maior devido a queda no nível de água do reservatório da barragem do Iguape, que abastece 70% do município.

Moradores de regiões mais altas, a exemplo do Amparo, Nerival, Pacheco e Soledade, estão sendo abastecidos em intervalos de até três dias. O intervalo maior, segundo a Embasa, decorre da falta de pressão na rede para levar água às partes mais altas. Moradores de condomínios do Minha Casa Minha Vida também reclamam bastante.

Ainda segundo Lavigne, parte da produção da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Pontal foi direcionada para reforçar o abastecimento dos eixos centro e norte. “O eixo sul de Ilhéus é atendido pela ETA Pontal, que atende cerca de 30% do município, utilizando o Rio Santana como manancial, onde a vazão de água é normal até o momento”.

DONOS DE CARROS-PIPA RECEBEM PAGAMENTO

Convênio que garante abastecimento por meio de carros-pipa foi renovado (foto Lucas França/Ascom-PMI)

Convênio que garante abastecimento por meio de carros-pipa foi renovado (foto Lucas França/Ascom-PMI)

Proprietários de carros-pipa contratados pela Coordenação de Defesa Civil de Itabuna começaram a receber seus pagamentos na última sexta-feira (29). De acordo com a Prefeitura, o processo será concluído amanhã (3).

No dia 23, os  contratados chegaram a paralisar o trabalho por causa do atraso no acerto financeiro. A Prefeitura explicou que o problema tinha a ver com o não recebimento de um cartão magnético que dá acesso à conta bancária na qual o valor foi creditado, o que já está resolvido.

O governo municipal também anunciou a prorrogação, por mais 30 dias, do convênio com o Governo do Estado que tem garantido o abastecimento emergencial  nos bairros por meio dos carros-pipa. A renovação foi publicada no último sábado (30), no Diário Oficial do Estado.

GOVERNO RECONHECE EMERGÊNCIA EM CONQUISTA

Seca prejudica população e afeta especialmente a zona rural

Seca prejudica população e afeta especialmente a zona rural

A estiagem prolongada fez o governo da Bahia homologar decretos de situação de emergência em Vitória da Conquista e mais três municípios: Andaraí, Mairi e Caetité. A homologação dos decretos, que terão validade de 180 dias, considera os danos causados pela seca à atividade econômica e à população.

Em toda a Bahia, 146 municípios se encontram em situação de emergência e chega a 1,6 milhão o número de pessoas prejudicadas. Em Conquista, o prefeito Guilherme Menezes se reuniu com técnicos da Defesa Civil para traçar as ações emergenciais.

As equipes técnicas da Defesa Civil seguem acompanhando a situação dos municípios atingidos pela estiagem. Segundo o órgão, 15 localidades foram visitadas e as que manifestaram a necessidade de decretar situação de emergência receberam orientações sobre os encaminhamentos.

Apenas os municípios com decretos reconhecidos pela União ou homologados pelo Estado podem ter acesso aos recursos emergenciais, como o recebimento da bolsa estiagem ou garantia safra, perfuração e recuperação de poços, construção de cisternas, linha de crédito e inclusão na Operação Carro-Pipa, executada pelo governo federal, com emprego do exército, e pelo Estado, por meio da Sudec, em parceria com as prefeituras

CERB VAI PERFURAR POÇOS ARTESIANOS EM ITABUNA

Cerb vai perfurar 13 poços nos bairros de Itabuna

Cerb vai perfurar 13 poços nos bairros de Itabuna

A Prefeitura de Itabuna utilizará recursos fornecidos pela Defesa Civil do Estado para perfurar 13 poços artesianos em bairros da cidade. De acordo com o prefeito Claudevane Leite, um convênio foi firmado com a Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), que ficou responsável pelos estudos geológicos e perfuração dos poços.

A captação de água no subsolo se tornou uma das alternativas dos itabunenses, diante do agravamento da crise hídrica. Com a captação em suas estações comprometida, a Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) há muito tempo não consegue nem de longe atender à demanda. A Defesa Civil já colabora com o município, desde a decretação de estado de emergência pelo Estado, viabilizando carros-pipa que trazem água de estações da Embasa em Ubaitaba e São José da Vitória.

Alguns moradores também têm contratado empresas particulares para perfurar poços, um serviço que chega a custar entre 12 e 13 mil reais. Como o valor é proibitivo para famílias de baixa renda, a expectativa é de que os poços perfurados pela Cerb aliviem o sofrimento dessas famílias.

Ligado ao Movimento de Luta pela Terra (MLT), o vereador Aldenes Meira (PCdoB) solicitou à Cerb que também perfure poços artesianos em áreas da zona rural de Itabuna. Segundo ele, três já foram perfurados e a companhia irá viabilizar outros quatro.

VANE PROMETE PAGAMENTO ATÉ SEXTA E CARROS-PIPA VOLTAM A OPERAR EM ITABUNA

Carros-pipa voltam a abastecer tanques comunitários, após negociação com o prefeito de Itabuna (foto Lucas França)

Carros-pipa voltam a abastecer tanques comunitários, após negociação com o prefeito de Itabuna (foto Lucas França)

Após suspender os trabalhos devido a um atraso nos pagamentos, os motoristas de carros-pipa retomaram hoje (25) o abastecimento dos 130 tanques comunitários instalados em Itabuna. Devido à estiagem, a cidade hoje depende dessa operação, que traz água de reservatórios da Embasa em Ubaitaba e São José da Vitória. A despesa é custeada com recursos do Estado, o que foi viabilizado após o decreto que reconheceu a situação de emergência em Itabuna.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do Município, o prefeito Claudevane Leite participou da negociação com os motoristas, e prometeu pagamento até sexta-feira (29). A informação da Coordenação Municipal da Defesa Civil é de que os recursos já estão em uma conta bancária, mas a liberação só pode ser feita por meio do Cartão de Pagamento de Defesa Civil.

A Secom informa que o cartão foi solicitado no dia 23 de março, mas o município ainda não o recebeu. Essa forma de pagamento é estabelecida pelo decreto que regulamenta o Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec).

EMBASA ANUNCIA RACIONAMENTO DE ÁGUA EM ILHÉUS

Ilhéus sofre com forte estiagem no sul da Bahia.

Ilhéus sofre com forte estiagem no sul da Bahia (Foto José Nazal).

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) anunciou, há pouco, racionamento de água em Ilhéus, a partir da próxima segunda (18). O abastecimento será feito em dias alternados.

A medida foi adotada em função da falta de chuvas e queda do nível de vazão nas barragens do Iguape e do Rio de Engenho, mananciais que abastecem o município sul-baiano.

De acordo com o escritório regional da Embasa, a medida preventiva reduz a oferta de água no município em, aproximadamente, 15%.

“Essa foi a solução encontrada para garantir a continuidade do fornecimento de água diante dos efeitos da estiagem prolongada e atípica que acontece na região”, informou a Embasa em nota.

Segundo o gerente da Embasa, Danilo Gomes, 24.100 domicílios serão afetados pela medida. A distribuição de água em Ilhéus é feita por 17 setores de abastecimento.

– Como teremos que captar menos água, para não esgotar a disponibilidade dos mananciais, e distribuir para o mesmo número de residências, é preciso que todos mudem seus hábitos, até que volte a chover, consumindo água de forma racional e mais inteligente para que não venha a faltar – explica Danilo.

ITABUNA

Ilhéus é o segundo maior município sul-baiano. O mais populoso, Itabuna, enfrenta racionamento desde o final de outubro do ano passado. O sistema itabunense é municipalizado. A população tem recebido água com nível de cloreto de sódio mais de 32 acima do permitido pelo Ministério da Saúde. Por isso, orientou a população a não ingerir a água nem usá-la para cozinhar alimentos. Deve-se evitar também dar a água a animais.

EMASA TIRA O DELA DA RETA: “PROBLEMA DA ÁGUA É COM DEUS”

O jeito é apelar a Deus... Religiosos oram sobre as pedras de Castelo Novo (foto Ascom Emasa)

O jeito é apelar a Deus… Religiosos oram sobre as pedras de Castelo Novo (foto Ascom Emasa)

Embora a estiagem complique bastante a situação do sistema de abastecimento de Itabuna, é notório que a precariedade do mesmo é um problema que dá uma contribuição decisiva para acentuar a crise que a população local enfrenta há mais de oito meses.

Os gestores da Empresa Municipal de Saneamento (Emasa) sabem que seu sistema de abastecimento é arcaico, possui uma rede obsoleta com inúmeros vazamentos, depende de bombeamento ininterrupto, o que significa um gasto astronômico com energia elétrica, e não conta com um reservatório confiável. Neste último ponto, a retomada das obras da barragem do Rio Colônia traz um alento, mas a previsão de conclusão é de um ano e meio.

Como se ignorasse todos esses problemas, a Emasa tem insistido em um discurso que põe toda a responsabilidade pela falta de água nas costas de Deus. É como se a empresa não tivesse a menor parcela de culpa pela histórica falta de investimentos.

O ponto alto dessa estratégia de entregar a batata quente ao Todo Poderoso foi visto hoje (8), quando a Emasa divulgou imagens de evangélicos orando sobre as pedras ressequidas da estação de Castelo Novo.

Segundo nota distribuída pela empresa, os religiosos fizeram “um clamor, pedindo a Deus misericórdia e que tenha piedade de Itabuna e toda a região sul da Bahia, que estão sofrendo as consequências da falta de chuvas”. O próximo passo será o prefeito Claudevane Leite nomear o Criador para a presidência da Emasa.

ENQUANTO FALTA ÁGUA EM SUA CASA…

Água corre pela sarjeta da Avenida Félix Mendonça (foto reprodução Balanço Geral)

Água corre pela sarjeta da Avenida Félix Mendonça (foto reprodução Balanço Geral)

Moradores do bairro da Conceição, em Itabuna, estão indignados com o descaso da Emasa diante de uma cena de desperdício que se repete desde a última quinta-feira (17). Segundo denúncia apresentada hoje no programa Balanço Geral (TV Cabrália), um vazamento na rede de água já dura cinco dias, sem que a empresa responsável tome qualquer providência.

A água corre pela sarjeta da Avenida Félix Mendonça, a principal via de acesso ao bairro. Ao mesmo tempo, ela falta na maioria das casas do Conceição, principalmente nas situadas na parte mais alta. A carência é idêntica em todos os bairros de Itabuna.

A impressão que se tem é de que o desabastecimento de água na cidade se agravou, mesmo após o decreto de situação de emergência e a duplicação do número de carros-pipa, que agora trazem água de Buerarema e São José da Vitória. São 30 veículos operando, sob a coordenação da Defesa Civil.

Seria para amenizar o problema, mas as queixas da comunidade só aumentam (basta ouvir os programas de rádio, que recebem a maior parte das reclamações, principalmente da população mais humilde). Um indicativo de que os recursos superiores a R$ 3 milhões para atenuar os efeitos da estiagem, obtidos com o decreto de emergência, podem não estar sendo aplicados de modo eficiente.

SEM INFORMAÇÕES –  Quem liga para o serviço 0800 da Emasa dificilmente recebe informações seguras sobre o cronograma de abastecimento. Para quem não pode esperar e solicita um caminhão-pipa, a empresa cobra cerca de R$ 12,00 pelo metro cúbico, valor que é inserido na fatura mensal. O problema é que a fila é imensa e quem solicita o fornecimento com certeza irá esperar muitos dias até ser atendido.

Oficialmente, os caminhões que trazem água de Ubaitaba e São José não abastecem diretamente as casas, apenas os tanques comunitários instalados em alguns bairros. No mercado clandestino, a água pode chegar mais rápido, mas 5 mil litros custam no mínimo R$ 250,00, sem qualquer garantia quanto à procedência.

PANE INTERROMPE CAPTAÇÃO EM CASTELO NOVO

torneiraUma pane na rede elétrica provocou a interrupção do bombeamento de água na estação de Castelo Novo, hoje a principal unidade de captação do sistema que abastece os moradores de Itabuna.

Em nota,  a Secretaria de Comunicação da Prefeitura informa que técnicos da Emasa e da Coelba estão no local, mas o problema ainda não tinha sido resolvido. A parada na captação afeta de imediato os bairros São Caetano, Banco Raso, Sarinha Alcântara, Novo São Caetano, Vila Anália, Pedro Jerônimo, Jardim Primavera, Jaçanã, Mangabinha, Zildolândia e a região central da cidade. Essas comunidades seriam abastecidas a partir de hoje, conforme o cronograma da Emasa, mas agora sofrerão mais um pouco sem água nas torneiras.

O PIMENTA entrou em contato com a assessoria de imprensa da Emasa, mas ainda não há informações sobre a conclusão dos reparos na rede elétrica utilizada pela estação de Castelo Novo.

A água captada no Rio Almada, em Castelo Novo, sofre a influência das marés e apresenta alto teor de cloretos, mas se tornou o principal recurso disponível para os itabunenses nesse período de estiagem.

Desde o último fim de semana, a Defesa Civil passou a coordenar uma operação com 30 carros-pipa, que está trazendo água das estações de tratamento da Embasa em São José da Vitória e Ubaitaba (confira).

CARROS-PIPA REFORÇAM DISTRIBUIÇÃO NOS BAIRROS. VENDA DA ÁGUA ESTÁ PROIBIDA

Prefeitura contratou mais 15 carros-pipa para atender os bairros de Itabuna (foto Lucas França/Ascom-PMI)

Prefeitura contratou mais 15 carros-pipa para atender os bairros de Itabuna (foto Lucas França/Ascom-PMI)

Desde o último final de semana, Itabuna passou a contar com  o dobro do número de carros-pipa que já vinham levando água para os bairros. Agora, há uma frota de 30 veículos para reforçar essa distribuição.

A ação é coordenada pela Defesa Civil e deve priorizar o abastecimento em hospitais, escolas, abrigos, creches e postos de saúde, além de 70 tanques instalados em diversas comunidades, principalmente nos locais mais altos, onde a água da rede da Emasa tem maior dificuldade para chegar.

A Defesa Civil alerta a população para que denuncie qualquer tentativa de cobrança pela água. O fornecimento deve ser gratuito, bastando que o beneficiado preencha um formulário para controle do serviço. Eventuais irregularidades devem ser informadas ao órgão, por meio do telefone 98854-6924.

A água transportada pelos carros-pipa é proveniente de estações de tratamento da Embasa nas cidades de Ubaitaba e São José da Vitória. Segundo a Defesa Civil, todos os veículos estão identificados com logomarca e brasão da Prefeitura de Itabuna. A expectativa é de que a frota realize um total de 100 viagens por dia.

A Prefeitura anunciou também que pretende aumentar o número de tanques instalados nos bairros. As ações foram viabilizadas pela homologação do decreto que reconheceu a situação de emergência em Itabuna devido à estiagem. O município recebeu uma verba de mais de R$ 3 milhões para amenizar a crise de abastecimento.

SECA LEVA EMBASA A RACIONAR ÁGUA EM SEIS MUNICÍPIOS DO SUL DA BAHIA

Estiagem no Almada afeta Almadina, Coaraci, Itajuípe e Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

Estiagem no Almada afeta Almadina, Coaraci, Itajuípe e Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

Seis municípios do sul da Bahia começam a enfrentar o mesmo drama de racionamento de água vivido pelos itabunenses desde o ano passado. Abastecidos pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Almadina, Camacan, Coaraci, Itacaré, Mascote e Uruçuca passam por restrição por causa da forte estiagem. Gerente do escritório regional da Embasa, Danilo Hugo Gomes diz que a ação é preventiva.

O Rio Ribeiro, principal manancial de Itacaré, secou e a captação é feita apenas no Rio Jeribucaçu. O abastecimento está sendo alternado, por áreas, em um dos principais destinos turísticos da Costa do Cacau. A restrição ocorre ainda em Mascote, desde fevereiro.

Coaraci também sofre. O manancial da Serra da Palha secou e a captação é feita no Rio Almada, cujo nível baixou acentuadamente e teve o fluxo interrompido em vários trechos. Danilo Gomes disse que, se a estiagem continuar, terá que recorrer a carros-pipas.

A situação é pior em Uruçuca, que depende do Almada. A captação é feita nos rios Serra Preta e Água Verde. O quadro em Camacan é parecido, pois o nível do Rio Panelão está muito baixo. O distrito de Panelinha está sendo abastecido com água levada à adutora a partir da sede municipal.

Na última segunda, o gerente da Unidade Regional da Embasa, Danilo Gomes, esteve reunido com o prefeito de Camacan, Arildo Evangelista, e vereadores para explicitar as medidas adotadas para garantir a continuidade do abastecimento.

ESTIAGEM DEIXA RIO ALMADA EM NÍVEL CRÍTICO

Rio Almada sofre efeitos de 6 meses de seca na região cacaueira.

Rio Almada sofre efeitos de 6 meses de seca na região cacaueira.

Se Itabuna sofre com a água salobra em decorrência da estiagem, os moradores de distritos de Itajuípe e Coaraci, que margeiam o rio, sofrem  ainda mais. Tanto Itabuna como os dois municípios dependem do Rio Almada para o abastecimento de água. O nível do rio reduziu-se a nível crítico e em vários trechos não há vazão de água, assim como em sua nascente, em Almadina.

As fotos captadas na tarde deste sábado (16) em um pequeno trecho do Almada, em Sequeiro Grande, em Itajuípe, são desoladoras e comprovam que o fluxo de água em direção ao mar está integralmente suspenso.

As pessoas do distrito de Itajuípe somente se utilizam da água retirada em alguns poços para gasto, já que a decomposição de matéria orgânica – folhas, galhos de árvores etc – causa mau cheiro. O rio, com seus pequenos poços e filetes d´água, insiste em sobreviver.

O abastecimento à população somente tem sido possível por meio de carros-pipa. O cenário é mais drástico em Itajuípe, obrigada a suspender o abastecimento. Nos distritos, muitos lamentam que políticos e pretensos candidatos a prefeito da Velha Pirangi façam mercância de votos em troca de água potável para o consumo humano.

Uns míseros filetes d´água são alívio para moradores de Sequeiro Grande, em Itajuípe.

Uns míseros filetes d´água são alívio para moradores de Sequeiro Grande, em Itajuípe.

REFLEXO EM ITABUNA

A seca no leito do Rio Almada tem reflexo direto no abastecimento em Almadina, onde a população protestou contra a Embasa por falta de água, Itajuípe e Coaraci, além de Itabuna.

Para se ter ideia, cerca de 600 litros de água por segundo eram captados do Almada para abastecer Itabuna. Hoje, a Emasa praticamente interrompeu a captação em Rio do Braço, em Ilhéus, dependendo apenas da captação em Castelo Novo, onde a maré afetou a qualidade da água, elevando os níveis de cloreto e tornando-a salgada.

EMBASA NEGA RISCO DE FALTA DE ÁGUA EM ILHÉUS

falta d´águaApresar da preocupação com o abastecimento de água no sul da Bahia, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) emitiu nota para informar que o seu sistema “está operando normalmente”, apesar do período prolongado de estiagem na região”. O sul da Bahia enfrenta estiagem superior a 130 dias.

A empresa cita o monitoramento diário dos três mananciais do sistema – 0 Iguape, Rio Santana (Rio de Engenho) e Olivença. Segundo a nota, os mananciais “apresentam níveis aceitáveis para manter o abastecimento regular”.

A nota não informa em que nível está a reservação de água nas áreas de captação, mas acrescenta que “se esse quadro for alterado, serão adotadas medidas para assegurar a regularidade do abastecimento”.

A empresa recomenda “o uso consciente da água, diante da estiagem que atinge o sul e outras regiões do estado”.

ITAMARAJU TEM SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA RECONHECIDA

Chuva castigou Itamaraju na última semana de dezembro (Foto Itamaraju Notícias/Arquivo).

Chuva castigou Itamaraju na última semana de dezembro (Foto Itamaraju Notícias/Arquivo).

Itamaraju, no extremo-sul da Bahia, e outros três municípios tiveram situação de emergência reconhecida pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil Nacional. A portaria foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União. Itamaraju sofreu com intensas chuvas no final de dezembro.

Os demais municípios reconhecidos em situação emergencial foram Andorinha (estiagem), Ituberá (enxurradas) e Medeiros Neto (inundações).

Outros 22 municípios brasileiros também integram a portaria assinada na sexta e publicada hoje. O reconhecimento permite que estas localidades tenham ajuda do governo federal tanto no auxílio às vítimas como no repasse de verbas para execução de obras emergenciais.

WAGNER: BAHIA INVESTE R$ 4 BI PARA AMPLIAR OFERTA DE ÁGUA E REDUZIR EFEITOS DA SECA

Wagner diz que seca tem lhe tirado o sono.

Wagner diz que seca tem lhe tirado o sono.

A Bahia terá investimentos de aproximadamente R$ 4 bilhões até 2014 para programas de aumento da oferta de água e de convivência com a seca, segundo o governador Jaques Wagner.

Ele cita projetos como Água do Sertão para minimizar os efeitos da pior seca dos últimos 50 anos no Nordeste. O assunto é tratado no programa semanal de rádio Conversa com o governador.

Ainda no programa, o governador fala de ações emergenciais, a exemplo da contratação de R$ 30 milhões para abastecimento de água e distribuição de alimentos e R$ 4 milhões em carros-pipa com recursos próprios.

O Exército, de acordo com Wagner, vai ampliar a sua atuação no combate à seca para cerca de 200 municípios baianos.

A pior seca em 50 anos, diz Wagner, tem lhe tirado o sono. “Porque a seca se estende, se agrava, e o nosso povo está sofrendo muito, não só aqui na Bahia, mas no nordeste inteiro”, justifica na entrevista ao jornalista Edmundo Filho.

Para ouvir o programa, clique aqui.

 

ITABUNA JÁ REGISTROU 36 FOCOS DE INCÊNDIO. IRRESPONSABILIDADE PIORA SITUAÇÃO DO AR

Irresponsável ateia fogo em terreno na Beira-Rio, área central de Itabuna (Foto Alessandra Moreno).

Pelo menos 36 ocorrências de incêndios na vegetação já foram registradas pelo 4º Grupamento de Bombeiros Militares desde o início do ano. Os focos surgem às margens das rodovias BR-415 e 101 e em terrenos baldios da área urbana de Itabuna.

Os casos aumentaram nos últimos dias com a forte estiagem que se abate sobre o Sul do Estado. O mais recente foi em uma área verde que faz limites com as ruas Francisco Benício, Armando Freire e Barão do Rio Branco, no centro.

A dica do Corpo de Bombeiros é investir na prevenção, para que se evite o surgimento de novos focos de incêndios. O Grupamento de Itabuna do CB conta com apenas com três pequenas viaturas em operação, já que uma das viaturas de combate a incêndio está parada, dependendo de manutenção e outro caminhão utilizado em grandes incêndios ainda está em manutenção na capital baiana.

A situação é piorada por donos de terrenos que aproveitam a estiagem para limpar o terreno ateando fogo na vegetação quase seca. Na Beira-Rio, próximo ao Shopping Jequitibá, o dono de um terreno tornou o ar praticamente irrespirável, colocando dois operários para fiscalizar a “operação”.

FOCOS DE INCÊNDIO AMEAÇAM A CHAPADA

Foco de incêndio entre Lençóis e Palmeira (foto Jornal da Chapada)

A estiagem na região da Chapada Diamantina traz prejuízos à economia de dezenas de municípios. Além de comprometer a agricultura, a seca tem permitido o surgimento de vários focos de incêndio, que ocorrem principalmente em Lençóis e Palmeiras. De acordo com o site Jornal da Chapada, turistas registraram ontem (11) uma grande quantidade de focos entre esses dois municípios.

Uma dona de pousada informou ao site que o combate ao fogo é feito de modo precário, com a participação de brigadistas e voluntários, mas sem equipamentos eficazes para debelar os incêndios.

Em 2008, o fogo destruiu cerca de 75 mil hectares do Parque Nacional da Chapada.

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia