WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias






:: ‘Eva Chiavon’

ILHÉUS-ITABUNA: NEWTON DEFENDE MOBILIZAÇÃO PARA GARANTIR RODOVIA DUPLICADA

Newton Lima : mobilização estadual.

O prefeito de Ilhéus, Newton Lima, disse ontem que ainda acredita na reversão de decreto que cancelou R$ 19 milhões do governo federal para a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna. A notícia do cancelamento foi divulgada em primeira mão aqui no PIMENTA, na última quinta, 31.

Para reverter o decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff e a secretária executiva do Ministério do Planejamento, Eva Chiavon, dele defende articulação do governador Jaques Wagner e da bancada baiana no Congresso Nacional. Segundo Newton, deve-se demonstrar a relevância da rodovia como vetor de desenvolvimento.

– A reversão dos investimentos para a duplicação da BR-415 está agora nas mãos dos políticos baianos e do poder de convencimento junto à presidenta Dilma Rousseff – disse Newton, por meio de sua assessoria.

GOVERNO CANCELA VERBA DE DUPLICAÇÃO DA RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA

Em primeira mão

Dilma e Chiavon (foto) assinam decreto.

Mais um duro golpe no sul da Bahia e contra o projeto de duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna. Decreto publicado na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira, 31, cancelou verbas no valor de R$ 19 milhões do projeto de duplicação da Rodovia Ilhéus–Itabuna (BR-415), no DNIT.

A medida foi assinada pela presidenta Dilma Roussef e pela secretária-executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Eva Chiavon, ex-titular da Casa Civil da Bahia.

O decreto abre no Orçamento Fiscal da União, em favor dos ministérios dos Transportes e da Integração Nacional, crédito suplementar no valor global de R$ 1.104.568.546,00.

O crédito foi aberto a partir do cancelamento de verbas para diversos projetos e obras, como a duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna. A obra é prometida há décadas por vários governadores, inclusive Jaques Wagner.

Decreto cancela R$ 19 milhões destinados ao projeto de duplicação (Reprodução Pimenta).

O DESTINO DE EVA CHIAVON

Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano.

O governador Jaques Wagner não costuma dar nó em pingo de água à toa. O ingresso da ex-secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, ao Ministério do Planejamento, desencadeia uma espiral no tabuleiro político baiano, mas, principalmente, brasileiro. No primeiro plano, o prelúdio de uma reforma administrativa na Bahia. No segundo, o uso de uma cortina de fumaça para esconder as reais intenções do PT paulista para disputar a prefeitura de Santo André.

Por um ano, convivi com o governador dos baianos e pude notar que Wagner, às vezes, como no jogo de xadrez, expõe a rainha para criar mais alternativas, mas, principalmente, preservar o rei. Se por um lado, a pequena Eva Chiavon vira uma subalterna da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, por outro, assume a coordenação do PAC, mas, especialmente, é a primeira da lista para comandar o ministério, caso Belchior, concorra às eleições de 2012 para a prefeitura de Santo André.

Com a proximidade das eleições municipais, nenhuma alternativa é descartada. No caso de São Paulo, a possibilidade de manter acesa às chances da viúva do ex-prefeito Celso Daniel, a ministra Miriam Belchior, de disputar uma das três cabeças do ABC paulista. No caso da Bahia, o senso de oportunidade de quem abre mão da sua principal secretária para participar do núcleo central do governo Dilma Rousseff.

É um olho na missa, outro no padre. Afinal de contas, ninguém é insubstituível. Saiu José Dirceu assumiu a mulher que seria sucessora do presidente Lula. O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano. A Ferrovia Oeste-Leste, Porto Sul, Copa 2014, metrô de Salvador, a duplicação da BR 101 e dezenas de obras de saneamento básico ancoradas no PAC.

É verdade que o deputado estadual e pré-candidato à prefeitura de Santo André, Carlos Grana (PT/SP), anunciou a desistência da ministra do Planejamento. Mas, também é verdade de que ninguém ouviu nada de Miriam Belchior. A política é dinâmica para quem acompanha a dinâmica dela. Até por que, esconder o jogo também faz parte.

Sócrates Santana é jornalista.

BAIXA NO GOVERNO WAGNER

Chiavon mira Brasília.

De acordo com a coluna Tempo Presente, assinada pelo jornalista Levi Vasconcelos n´A Tarde, a titular da Casa Civil no Governo Wagner, Eva Chiavon, está de malas prontas para Brasília, onde assumirá a Secretaria Executiva do Ministério do Planejamento. O convite partiu da ministra Miriam Belchior, com a aprovação da presidente Dilma Rousseff.

Eva assume as novas funções, ainda segundo a coluna, no início de novembro. Wagner concordou – e aplaudiu a escolha. Levi assinala que o ministério é chave para encaminhamento de projetos e liberação de recursos e o governo baiano acredita que, nesse ponto, sofre baixa na equipe, mas ganha lá em cima. O substituto da “baixinha” será definido até o início do próximo mês.

APRESENTAÇÃO DO PORTO SUL

Eva Chiavon vem a Ilhéus para falar sobre o projeto Porto Sul

O Governo do Estado programou uma apresentação do projeto Porto Sul para lideranças do segmento empresarial e imprensa em Ilhéus. O evento está agendado para esta segunda-feira, 10, a partir das 10 horas, na Câmara de Vereadores, com a presença da secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, do secretário da Indústria Naval e Portuária, Carlos Costa, e mais o presidente da empresa Bahia Mineração (Bamin), Francisco Viveiros.

O Porto Sul aguarda o licenciamento ambiental para ser implantado na região de Aritaguá, norte de Ilhéus, e a previsão é de que ele registre uma movimentação de cargas de 75 milhões de toneladas por ano, a terceira maior do País. Entre os produtos que deverão ser embarcados em Ilhéus, estão etanol, clínquer (utilizado na produção de cimento), soja e minério de ferro.

A apresentação dos impactos ambientais positivos e negativos do empreendimento já foi feita para cerca de 20 comunidades na região de Aritaguá e ainda estão agendadas outras visitas até a audiência pública, que acontece no próximo dia 29, no Centro de Convenções de Ilhéus.

REUNIÕES ANTECEDEM AUDIÊNCIA DO PORTO SUL

 

Técnicos falam sobre os impactos positivos e negativos do empreendimento

O Governo do Estado, com apoio da empresa Sondotécnica, está promovendo encontros preparatórios para a audiência pública do Porto Sul em várias comuidades de Ilhéus. Até a audiência, haverá 18 reuniões em locais situados na área de influência do projeto, abrangendo um total de 31 comunidades.

A chefe da Casa Civil do governo, Eva Chiavon, explica que essa preparação está prevista no processo de licenciamento e tem como objetivo assegurar que todos participem da discussão sobre os impactos positivos e negativos do Porto Sul. Segundo ela, a metodologia “combina com a ação política do governo, na qual o envolvimento popular é considerado peça fundamental”.

Eva diz ainda que o projeto Porto Sul representará um marco para o desenvolvimento da Bahia. “Estamos virando uma página na história da região, que enfrentou uma crise severa e agora se abre a novas oportunidades”, afirma.

IBAMA AUTORIZA RETOMADA DE OBRAS DA FIOL

Um termo de compromisso assinado na manhã desta terça-feira, 9, em Brasília, assegura o reinício das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que haviam sido paralisadas pelo Ibama devido a questionamentos quanto ao cumprimento de condicionantes pela Valec.

No encontro ocorrido nesta manhã, foi apresentado um documento que prevê a execução dos Planos Básicos Ambientais (PBAs). Estavam presentes a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, o presidente do Ibama, Curt Trennepohl, o coordenador de Licenciamento e Logística do instituto, Eugênio Pio, e a secretária da Casa Civil do governo da Bahia, Eva Chiavon. A Casa Civil irá monitorar o cumprimento do termo.

De acordo com o Governo da Bahia, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, já assegurou a retomada das obras da ferrovia.

EVA FORA DO PARAÍSO (DOS BAIXINHOS)

Uma “homenagem” do Deu na Telha da Bahia.

FIOL: MINISTRO DIZ QUE SUSPENSÃO DE OBRAS É TEMPORÁRIA

Passos manifestou otimismo quanto à retomada das obras (foto Edsom Leite /MT)

Em audiência nesta quarta-feira, 20, com o governador Jaques Wagner e a secretária-chefe da Casa Civil do Governo da Bahia, Eva Chiavon, o ministro Paulo Sérgio Passos, dos Transportes, afirmou que a Valec já enviou ao Ibama toda a documentação para reiniciar as obras da Fiol.

O órgão ambiental determinou a suspensão das obras nos lotes de 1 a 4 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que compreende o trecho Ilhéus – Caetité. Passos informou que já procurou o Ibama para sanar qualquer dúvida que possa existir sobre o projeto. “Tudo vai ser esclarecido o mais rápido possível e não vai ficar nenhuma dúvida sem resposta”, assegurou o ministro.

Ainda segundo o titular do Ministério dos Transportes, os novos documentos apresentados por técnicos da Valec ao Ibama deverão garantir que a suspensão seja revogada. Ele esclareceu que a medida do instituto não significa embargo das obras, mas sim medida de cautela para evitar danos futuros.

CHIAVON DESCARTA “PLANO C” PARA O PORTO SUL: “A ESCOLHA ESTÁ FEITA E É ARITAGUÁ”

Chiavon: não há plano C.

A decisão do governo da Bahia em transferir a construção do Porto Sul da região de Ponta da Tulha para o distrito de Aritaguá, a cinco quilômetros de distância do projeto inicial, pode não ser unanimidade entre os ambientalistas. Mas, segundo disse ao Jornal Bahia Online nesta terça-feira (26) a secretária estadual da Casa Civil, Eva Chiavon, com esta mudança o governo passou a contar com o apoio da “maioria dos ambientalistas”.

De acordo com Chiavon, o apoio é resultado de um diálogo de alto nível estabelecido. “A questão está resolvida sob o ponto de vista da área. Se tem uma parte de ambientalistas que quer fazer do nosso Porto Sul uma disputa político-ideológica, nós do governo não vamos entrar nessa. Poderá ter gente que não quer nem o porto. E esse cenário não está colocado para o governo da Bahia”, afirmou.

A secretária descartou a possibilidade de uma nova mudança de área. “Não haverá em nenhuma hipótese o Plano C”, garantiu ao Jornal Bahia Online. A nova área, segundo a secretária, está definida e é uma escolha sem volta. “Haverá um porto que vai cuidar, inclusive, dos aspectos que o tornarão ambientalmente sustentável”, disse.

Leia na íntegra

CACAU: WAGNER COMEMORA APROVAÇÃO DE MP

JW comemora aprovação.

O governador Jaques Wagner está em Brasília e comemorou, neste final de tarde, a aprovação da MP 500 (leia mais aqui). A medida provisória beneficia, pelo menos, 3 mil cacauicultores baianos que estavam fora do PAC do Cacau e impossibilitados de renegociar dívidas contraídas em financiamentos para a lavoura.

A MP ainda depende da sanção do presidente Lula. Para Wagner, a “aprovação [da MP] marca hoje mais um grande avanço na recuperação da região da lavoura cacaueira”.

O gestor baiano credita a aprovação ao esforço e ao entendimento de vários setores de governo, tanto o dele como o federal, e ressalta que a MP atende a uma reivindicação do agronegócio.

– Agora, serão incluídos novos contratos em condições mais favoráveis aos cacauicultores, além da melhora nas condições do processo de negociação desses contratos.

A secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, alerta aos produtores para o prazo de renegociação da dívida (30 de junho de 2011) e recomenda que se busque as instituições financeiras o quanto antes. Chiavon, que também trabalhou pela aprovação da emenda, acredita em “fôlego” para os produtores com a MP 500.

CHIAVON: CRONOGRAMA DA OESTE-LESTE ESTÁ MANTIDO

Eva Chiavon (à esq.): republicação não afeta cronograma (Foto Alberto Coutinho).

Eva Chiavon, secretária da Casa Civil da Bahia, acredita que a republicação do edital dos sete lotes de construção da Ferrovia Oeste-Leste não prejudicará o cronograma da obra.

Por meio da assessoria do governo baiano, a secretária disse ter entrado em contato com o presidente da Valec, José Francisco das Neves, e este garantiu o cronograma. “A pedido nosso, o edital será republicado imediatamente depois de feitos os ajustes”.

A publicação pode ocorrer ainda nesta semana, conforme Chiavon. Os ajustes no edital foram solicitados pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

A Valec baixou, ajustou valores, seguindo a recomendação do tribunal, mas dormiu no ponto e esqueceu de republicar o edital com as modificações.

Talvez não tivesse contado com a pressão das empreiteiras de olho no processo. Os donos destas, aliás, ficaram pês da vida com a reduzidinha nos preços.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia