unime

julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



ftc

:: ‘Expresso Rio Cachoeira’

CACHOEIRA ANUNCIA CONTRATAÇÕES DEPOIS DE PARALISAÇÃO DE RODOVIÁRIOS

Após duas paralisações de uma hora ontem (17) e sob a ameaça de ser punida, a Expresso Rio Cachoeira anunciou a contratação de 24 motoristas e 16 cobradores. A empresa vinha desrespeitando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) com horas extras diárias e além das duas horas por dia.

A paralisação ontem tem a ver com decisão da Justiça do Trabalho que obrigou a Rio Cachoeira a suspender horas extras diárias rotineiras.

O secretário municipal de Transportes e Trânsito, Roberto José da Silva, acredita que, após a contratação de 40 profissionais, a concessionária de transporte urbano terá nova escala que não ultrapasse a carga de 7 horas e 20 minutos por dia para cada rodoviário. Ele espera que o sindicato da categoria suspenda a paralisação de ônibus prevista para os próximos dias.

CAMINHÃO DESGOVERNADO BATE EM ÔNIBUS NA BEIRA-RIO

Caminhão descontrolado bateu em ônibus e por pouco não caiu na quadra (Foto Pimenta).

Caminhão descontrolado bateu em ônibus e por pouco não caiu na quadra (Foto Pimenta).

Pouco menos de vinte minutos após o acidente que matou o motociclista Diego Souza, um caminhão Mercedes-Benz colidiu contra um ônibus da Expresso Rio Cachoeira na Avenida Fernando Cordier (Beira-Rio). De acordo com funcionários e mecânicos da empresa de ônibus, provavelmente a barra de direção do caminhão quebrou.

O Mercedes-Benz atravessou a pista e parou a poucos centímetros da quadra poliesportiva da cabeceira da Ponte do São Caetano. Jovens jogavam bola na quadra no momento do acidente. O acidente não foi mais grave porque o ônibus estava parado. “Foi tudo rápido”, disse o motorista do caminhão, que preferiu não se identificar.

Caminhão teria quebrado a barra de direção, segundo mecânicos (Foto Pimenta).

Caminhão teria quebrado a barra de direção, segundo mecânicos (Foto Pimenta).

BANDIDOS INCENDEIAM ÔNIBUS EM ITABUNA. EMPRESAS RECOLHEM VEÍCULOS

Bandidos atearam fogo em ônibus da Expresso Cachoeira (Reprodução Silmara Sousa/TV Cabrália).

Bandidos atearam fogo em ônibus da Expresso Cachoeira (Reprodução Silmara Sousa/TV Cabrália).

Um ônibus da Expresso Rio Cachoeira que fazia a linha Bananeira-Hospital de Base foi incendiado por ordem de bandidos, por volta das 21h50min, na Bananeira.

De acordo com a Secretaria de Transporte e Trânsito, o veículo fazia a última viagem de hoje, quando houve o ataque dos bandidos. Cinco bandidos armados deram a ordem para que todos descessem. Na sequência, atearam fogo no veículo. Ninguém ficou ferido.

A ordem para incendiar o ônibus partiu de bandidos das “Casinhas” da Mangabinha e pode ter relação com o confronto contra policiais no Santa Clara.

Ontem, Murilo Sena, de 18 anos, e Gabriel Bispo dos Santos, de 19, enfrentaram a polícia e foram mortos no Santa Clara, vizinho à Bananeira. Murilo é acusado de envolvimento na morte do engenheiro Wallace Machado, na BR-101, ano passado. Hoje, Warlei Guimarães também tombou em confronto após tentar matar um policial no Santo Antônio. Ele residia na região da Bananeira.

ÔNIBUS RECOLHIDOS
Após o ataque ao ônibus na Bananeira, a ordem das empresas Rio Cachoeira e São Miguel foi recolher todos os veículos que ainda estavam na rua. A ação teve apoio da Secretaria de Transporte e Trânsito, conforme fonte, e teve a finalidade de preservar os rodoviários.

ITABUNA FARÁ LICITAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO

Empresas de ônibus podem mudar (Foto Waldy Gomes/Arquivo).

Empresas de ônibus podem mudar (Foto Waldyr Gomes/Arquivo).

O prefeito Claudevane Leite instalará hoje uma comissão especial de licitação do transporte público itabunense. O ato está programado para as 15h30min, no gabinete do prefeito, no Centro Administrativo Firmino Alves.

O município lançará concorrência pública para definir as duas novas empresas de ônibus. Hoje, o sistema é operado pelas empresas São Miguel e Expresso Rio Cachoeira.

A licitação do busão foi anunciada pelo prefeito ainda no primeiro semestre, quando as duas empresas solicitaram reajuste da tarifa de ônibus.

 

EMPRESAS QUEREM PASSAGEM A R$ 2,50, MAS PREFEITO DIZ NÃO – POR ENQUANTO

Vane e secretário Clodovil Soares (camisa mais escura) recebem empresários (Foto Wilson Moreira).

Vane e secretário Clodovil Soares (camisa mais escura) recebem empresários (Foto Wilson Moreira).

Representantes das duas empresas que detêm a concessão do transporte público em Itabuna foram ao prefeito Claudevane Leite. A São Miguel e a Expresso Rio Cachoeira querem reajuste da tarifa. Pela proposta apresentada, e divulgada pelo governo, a tarifa saltaria de R$ 2,20 para R$ 2,50.

O prefeito Claudevane Leite diz que reajuste só no segundo semestre, após a licitação das linhas municipais. Vane espera atrair empresas que possam melhorar a qualidade do serviço prestado aos itabunenses. Ele também afirma que as empresas não responderam satisfatoriamente a acordos definidos no ano passado, no calor das manifestações populares de junho último.

– A meta é atrair empresas que ofereçam ônibus novos, com mais segurança e conforto, além de dotar a cidade de uma estação de transbordo que permita a criação do sistema integrado e possibilite a criação do bilhete único, em que o usuário poderá pagar apenas uma passagem quando fizer duas viagens, em determinado espaço de tempo – diz em nota.

A mudança, porém é vista com ceticismo pelo mercado. E aí vem a explicação: os negócios em transporte rodoviário são bastante concentrados em mãos de poucos empresários. Estes dividem as regiões em mãos de acionistas minoritários. A prática ocorre tanto no transporte municipal como intermunicipal e interestadual.

ITABUNENSE AMANHECE SEM ÔNIBUS

Greve mantém 100% da frota de ônibus na garagem em Itabuna (Foto Pimenta).

Os mais de 40 mil itabunenses que utilizam ônibus diariamente tiveram que recorrer a transporte alternativo ou bater perna para chegar ao trabalho ou se deslocar para outras atividades. A greve dos rodoviários paralisou todas as linhas urbanas. Motoristas e cobradores cruzaram os braços e as frotas das empresas São Miguel e Expresso Cachoeira não deixaram as respectivas garagens nesta terça, 29.

Os rodoviários exigem reajuste de 16,5%, tíquete refeição, aumento de 60% para 70% do valor da hora extra e passe livre. Até ontem, a categoria dizia que não havia obtido retorno da Associação das Empresas de Transporte Urbano (Aetu). As negociações começaram com duas das empresas de transporte intermunicipal (Rota e Águia Branca), mas rodoviários ligados às duas empresas também deflagraram greve.

RIO CACHOEIRA INVESTE R$ 4,8 MI NA RENOVAÇÃO DA FROTA

Elvis: renovação de frota.

A Expresso Rio Cachoeira investiu R$ 1,8 milhão na aquisição de seis novos ônibus que integrarão a frota do transporte urbano em Itabuna. Elvis Souza, diretor da empresa, anunciou que mais R$ 3 milhões serão investidos na compra de mais dez ônibus novos.

Os novos veículos são equipados com elevador para cadeirante, possuem quatro câmeras de segurança cada e têm capacidade para transportar 80 passageiros.

Das duas empresas que possuem concessão do sistema de transporte em Itabuna (há ainda a São Miguel), a Cachoeira é a que mais tem modernizado a frota. O secretário de Transporte e Trânsito, Wesley Melo, afirma que 60% da frota de ônibus foi renovada nos últimos três anos.

Cachoeira investe R$ 4,8 milhões em renovação da frota em 2012 (Foto Pedro Augusto).

A “DUREZA” DA AGERBA

A Agerba enviou ofício à Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna solicitando que a pasta dê um conselhinho às empresas de ônibus urbanos do município:  respeitem os limites da cidade e, assim, não façam transporte de passageiros na área do Atacadão e Makro.

O secretário Wesley Melo recebeu o recado e já passou adiante.

Notemos que a Expresso Rio Cachoeira e a São Miguel, que operam as linhas urbanas em Itabuna, não têm a mesma sorte da Rota Transportes, que goza de uma aparente displicência da Agerba.

A agência determinou reajuste de 7,86% da tarifa na rentável linha Itabuna-Salobrinho, mas a empresa aplicou aumento superior a 11%. A atitude irritou universitários da Uesc e moradores do Salobrinho.

ITABUNA NÃO FAZ LICITAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO. E O CIDADÃO, Ó!

Linhas de ônibus em Itabuna são exploradas por duas empresas (Foto Luiz Tito/A Tarde).

O sistema de transporte público em Itabuna nunca passou por licitação e duas empresas exploram o serviço lastreadas em concessão precária por parte do município. E se o Ministério Público estadual não liga para essa aberração, o usuário do sistema é quem sofre. Ônibus sujos, mal-conservados, sempre lotados e boa parte acima dos dez anos de uso… Lata velha, mesmo.

O cenário é facilitado pela falta de fiscalização por parte da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Settran). Basta andar pelos principais pontos de ônibus para ver que praticamente não há fiscais nas ruas.

Se o Ministério Público estadual acordar e exigir uma nova licitação, talvez as cenas impostas aos cidadãos nos dias que correm acabem por se tornar raridade. Hoje, andar como sardinha em lata no buzu é o mais comum. Exigir do município uma licitação para o setor é o mínimo que se pode fazer para garantir mais qualidade ao serviço.

E não é preciso ir tão longe para ver exemplos de como a concessão faz bem nessas horas.

Ilhéus apresentava cenário tão duro e ruim como o de Itabuna, na década de 90. Fez-se uma licitação que resultou em melhoria do serviço – claro que ainda não é o melhor dos mundos! – e é comum ver circulando ônibus urbano com ar-condicionado pela Terra de Gabriela. E se quiser um sistema próximo do perfeito, basta um pulinho a Curitiba (PR).

Por aqui, o sistema é explorado pelas empresas São Miguel e Expresso Rio Cachoeira. Recuemos alguns anos e vamos lembrar que a Expresso Rio Cachoeira era Fátima e já mudou de controle por duas vezes. A São Miguel, mineira, comprou as linhas da Viação Itabuna, que explorou parte dos itinerários antes nas mãos das empresas Fátima, São José e Viação Grapiúna.

Todas essas mudanças ocorreram sem que se fizesse uma licitação sequer, abrindo espaço para toda sorte de “negócios” entre empresas e, claro, o poder público. Que tal a promotoria pública se posicionar sobre o caso? E o Conselho Municipal de Transportes, o que diz? A cidadania agradecerá. E muito!

Alguém já se perguntou por que o bilhete único não passa de ilusão em Itabuna?