WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Fabrício Messias’

SUCESSO EM ITABUNA, BARIÁTRICA POR VIDEOLAPAROSCOPIA SERÁ OFERECIDA PELO SUS

Fabrício Messias introduziu a técnica em Itabuna (Foto Portal Bahia).

Fabrício introduziu técnica em Itabuna (Foto PortalSBahia).

Pouco mais de três anos depois de Itabuna se tornar a primeira cidade baiana e a segunda do Brasil a disponibilizar este tipo de cirurgia pelo SUS, o procedimento de cirurgia bariátrica por videolaparoscopia é estendido a todo o país.

O procedimento significou importante avanço. “Esse método é avançado e oferece toda a segurança de que médico e paciente necessitam”, afirmou em entrevistas o cirurgião Fabrício Messias, um dos envolvidos na campanha para que o SUS ampliasse as bariátricas em Itabuna, no início da gestão do prefeito Vane do Renascer, em junho de 2013.

A partir de hoje, o Sistema Único de Saúde (SUS) passará a oferecer cirurgia bariátrica por videolaparoscopia. A técnica é menos invasiva em comparação à cirurgia aberta. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (1º).

Na cirurgia aberta, o médico faz um corte de 10 a 20 cm no abdômen do paciente. Já na videolaparoscopia, são feitas de quatro a sete mini-incisões de 0,5 a 1,2 cm cada uma, por onde passam as cânulas e a câmera de vídeo. A taxa de mortalidade média da cirurgia videolaparoscópica é menor do que a da cirurgia aberta, segundo informações da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

A recomendação da inclusão do procedimento tinha sido feita pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) em relatório de novembro de 2016.

“A evidência atualmente disponível sobre eficácia e segurança do procedimento de gastroplastia com derivação intestinal em Y-de-Roux por laparoscopia para tratamento da obesidade grave e mórbida é baseada em revisões sistemáticas, estudos clínicos controlados e estudos observacionais”, afirma o relatório.

O documento também observa que o aumento da escala de compras dos materiais usados na cirurgia bariátrica laparoscópica deve fazer com que o preço desses equipamentos diminua no Brasil.

No SUS, a cirurgia bariátrica é indicada para pessoas que apresentem o seguinte perfil:

– Com índice de massa corporal (IMC) igual ou maior que 50;

– Com IMC maior ou igual a 40, com ou sem doenças associadas, sem sucesso no tratamento clínico por no mínimo dois anos; e

– Com IMC maior que 35 e com problemas de saúde como alto risco cardiovascular, diabetes mellitus e/ou hipertensão arterial sistêmica de difícil controle, apneia do sono, doenças articulares degenerativas sem sucesso no tratamento clínico.

O Ministério da Saúde também anunciou que o SUS passará a ter disponível uma nova técnica para tratar varizes. O chamado tratamento esclerosante estará disponível para tratamentos não-estéticos, ou seja, quando as varizes representarem um problema de saúde e não apenas uma questão estética. Redação com informações da Agência Brasil.

MEA CULPA

A inauguração do centro médico Acácio Cardoso, na rua Ruffo Galvão, no final de semana, foi oportunidade para mea culpa da classe médica. Uma autocrítica. Puxado por Fabrício Messias, seguido por dirigentes do Cremeb, a opinião generalizada era que os médicos também têm sua parcela de culpa na alta taxa de mortalidade infantil e no fato de Itabuna perder o posto de principal polo de saúde do interior baiano. Quem discursou não deixou de colocar o dedo na ferida: médicos precisam pensar menos no bolso e um pouquinho mais na coletividade.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia