WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
piaba
biofabrica


abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias


:: ‘Fernando Gomes’

SEMANA SANTA SEM PEIXE

FG SEM PEIXEO prefeito Fernando Gomes quebrará uma tradição em Itabuna: a distribuição de peixe na Semana Santa. Durante inauguração de quadra poliesportiva, Fernando disse ter encontrado a prefeitura com dívidas superiores a R$ 600 milhões. “Por isso, não vamos poder distribuir peixe para a população carente na Semana Santa”.

Com a notícia não agradável para os moradores da comunidade carente que envolve os bairros Corbiniano Freire e Novo Horizonte, o prefeito saiu-se com a promessa de pacote de obras a ser entregue em 2018. E tascou: “No próximo ano, vamos inaugurar uma obra por semana, com o apoio da Câmara de Vereadores e da sociedade civil organizada”.

Não faltou ataque ao ex-prefeito Claudevane Leite e a ameaça de acioná-lo, juridicamente, por não ter feito, até o momento, a prestação de contas de 2016.

EX-SECRETÁRIO CRITICA FERNANDO E DIZ QUE NÃO ABRE MÃO DA “TRANSPARÊNCIA E HONESTIDADE”

Lavinsky deixa o cargo com fortes críticas ao prefeito Fernando Gomes.

Lavinsky deixa o cargo com fortes críticas ao prefeito Fernando Gomes.

Vitor Lavinsky deixou o cargo de secretário de Saúde de Itabuna, hoje (22), com fortes críticas ao prefeito Fernando Gomes. O advogado e especialista em gestão pública disse ter enfrentado dificuldades “inerentes ao próprio cargo” e, também, pela falta de visão do prefeito “em relação ao que deveria ser uma gestão voltada para os compromissos técnicos”. Na carta pública explicando os motivos de sua exoneração, Vitor observa faltar a Fernando “respeito ao próximo”.

Ao afirmar que teve todas as suas contas aprovadas por onde passou como gestor público, o ex-secretário aponta que lhe foram sugeridas formas de administrar que, “muitas vezes, fugia ao que mandam os preceitos da legalidade”. E completa: “A administração pública, na minha visão, sempre exigiu transparência e honestidade e disso nunca abri mão”.

Ainda falando sobre respeito, disse o ex-secretário ter aprendido, apesar de jovem (tem 34 anos), que “não é com gritos, gestos bruscos, atitudes com único objetivo de menosprezar as pessoas ou propostas indecentes que devemos basear as nossas vidas, especialmente quando o bem público está colocado sob a nossa responsabilidade”.

Vitor Lavinsky também afirmou estar “cansado das “mumunhas” políticas:

– Sou brasileiro e, como tal, estou, a exemplo da população, cansado das “mumunhas” políticas, das jogadas sujas, dos dribles desconcertantes que a população tem encarado, todas dadas por gente que sempre busca o melhor para as suas vidas e sequer se importa com os caminhos sujos que seguem e com as práticas delituosas.

OUTRO LADO

O PIMENTA procurou  ouvir o prefeito Fernando Gomes quanto ao conteúdo da carta aberta. O site aguardou posicionamento dentro do prazo solicitado e fez nova ligação. A Assessoria de Comunicação, então, informou que Fernando havia acabado de viajar para Salvador (“onde terá audiência com o governador”).

O governo vai se posicionar apenas por meio de nota. Nesta tarde, a secretária de Governo, Maria Alice Pereira, falará da exoneração e do conteúdo da carta.  Clique no “leia mais” e confira a íntegra da carta aberta. :: LEIA MAIS »

CHICO FRANÇA PEDE EXONERAÇÃO; GOVERNO FG SOFRE TRÊS BAIXAS EM 80 DIAS

Chico França deixa Secretaria de Viação e Obras (Foto NaChapa).

Chico França deixa Secretaria de Viação e Obras (Foto NaChapa).

O engenheiro civil Francisco França entregou, ao final da tarde de hoje (20), a carta de exoneração e não é mais secretário de Desenvolvimento Urbano de Itabuna. Profissional de renome, “Chico” deixa o governo menos de três meses após assumir o cargo.

A saída do engenheiro é a terceira baixa no Governo Fernando Gomes nos seus primeiros 80 dias. Ainda em janeiro, Sérgio Gomes deixou o comando da Secretaria de Transporte e Trânsito por causa da repercussão nacional do nepotismo. Logo após, José Leopoldo deixou o comando da Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna, mantenedora do Hospital de Base, que é municipal. A saída de Leopoldo até agora não foi explicada.

As passagens de França pela prefeitura têm sido quase meteórica. Durante o governo de Capitão Azevedo (2009-2012), o engenheiro ficou menos de 30 dias no comando da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa). De estilo forte e considerado ético, França não é dado a fazer concessões. Em janeiro, ele não gostou de ver o contrato dos serviços de limpeza pública ser gerido pela Secretaria de Administração. Fez divulgar nota pública deixando claro que nada tinha a ver com o negócio milionário.

FACULDADE PODE GERAR 800 EMPREGOS

A instalação do campus Itabuna da Faculdade Santo Agostinho (Fasa) pode gerar até 800 empregos no município, de acordo com projeções da instituição de ensino apresentadas pelo prefeito Fernando Gomes. A Santo Agostinho, de origem mineira, implantará campus em Itabuna com a formação da primeira turma do curso de Medicina.

A previsão é de que as atividades comecem no segundo semestre deste ano, na Nova Itabuna. Além de Medicina, a Santo Agostinho deverá oferecer cursos de Engenharia Civil, Arquitetura, Farmácia e Direito, conforme Gomes. Na Bahia, a Fasa já possui unidade em Vitória da Conquista.

A Santo Agostinho foi a vencedora do edital do Programa Mais Médicos, em 2015, para instalar o Curso de Medicina em Itabuna com oferta de 85 vagas, sendo 10 delas bolsas integrais.

DE CHICO REIS PARA FERNANDO…

Fernando Gomes e Chico Reis.

Fernando Gomes e Chico Reis.

O presidente da Câmara de Itabuna, Chico Reis (PSDB), irritou-se com o prefeito Fernando Gomes (DEM), após levar um “chá de cadeira”, hoje (21), no Centro Administrativo Firmino Alves. Fernando recebia executivos  da Lupo, nova dona da Trifil/Scalina.

Chico já aguardava o prefeito fazia longos “minutinhos”. E retou ao saber que Fernando havia reservado espaço na agenda para recebê-lo somente no final da tarde. O tucano deu “cavalo-de-pau” e picou a mula, deixando o gabinete. Foi alcançado por um cumpridor de ordens já no estacionamento.

Pondera daqui, pondera dali, Chico retornou e avisou: se Fernando quiser interlocução com a Câmara, que vá até a sede do legislativo. O quiprocó é contado pelo Resenha da Cidade, de Roberto de Souza.

Aqui, no PIMENTA, o episódio ganha trilha sonora: Me dê motivo, com Tim Maia.

EM ITABUNA, PRESIDENTE DA LUPO ANUNCIA EXPANSÃO DA TRIFIL

Mazzeu e Liliana Aufiero, da Lupo, com o prefeito Fernando Gomes, secretário John Nascimento e auxilia

Jorge Tomate, Mazzeu, Aufiero, Fernando Gomes, John Nascimento e Tarciso Soares.

Investimentos na unidade da Trifil em Itabuna foram anunciados pela presidente da Lupo, Liliana Aufiero, durante visita ao município sul-baiano. A executiva antecipou que a indústria local ganhará nova linha para lançamento de novos produtos. A Lupo adquiriu a Trifil no ano passado (relembre aqui).

Segundo a executiva, a visita à fábrica em Itabuna tem a finalidade de avaliar as condições operacionais e definir estratégias de expansão da empresa.

Parte dos equipamentos da linha de produção da Trifil em Guarulhos serão destinados a Itabuna, segundo Aufiero. “Estamos inclusive trazendo partes das máquinas da fábrica de Guarulhos, que serão destinadas ao lançamento de novos produtos como a meia calça, com alto padrão de qualidade”.

Aufiero e o diretor superintendente do grupo empresarial no país, Carlos Alberto Mazzeu, também participaram de audiência com o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, acompanhado do secretário de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, John Nascimento, o diretor de Licitações, Jorge Tomate, e o diretor de Indústria e Comércio, Tarciso Soares.

EXPANSÃO DA LUPO

De acordo com entrevista concedida pela presidente da empresa, a Lupo apostará em duas frentes, uma delas o crescimento das franquias da Lupo e a expansão da fábrica da Trifil em Itabuna. A Trifil Scalina possui 90 lojas próprias. A Lupo, 320.

FERNANDO RETOMA A MATERNIDADE DA MÃE POBRE

Almir e Fernando, quando fecharam parceria em 2015.

Almir e Fernando, quando fecharam parceria em 2015.

O prefeito Fernando Gomes decidiu retomar o controle da Maternidade da Mãe Pobre. A partir da próxima segunda-feira (20), Sérgio Gomes, filho do prefeito e pré-candidato a deputado estadual, vai dirigir a unidade materno-infantil.

A maternidade estava sendo administrada pela Fundação Gonçalves Sampaio desde o final de 2015, após negociações entre o médico Almir Gonçalves e Fernando.

O porém para que Fernando reassuma o controle do negócio é a multa rescisória em caso de quebra de contrato, estipulada em R$ 4 milhões. Mas esse ponto é negociado pelo agora prefeito com o médico.

7 MESES DE SALÁRIO EM ATRASO

Cerca de 20 funcionários da Fundação Gonçalves Sampaio, que trabalham na Maternidade da Mãe Pobre, aguardam ansiosos pelo desfecho. Reclamam que estão há sete meses sem receber salário e vale transporte. “Alguns até pediram demissão porque não aguentavam mais passar por tanta necessidade”, disse uma das vítimas.

DEM, FERNANDO E ALICE

marco wense1Marco Wense

 

Alguns nomes já despontam para substituir Maria Alice no comando do DEM de Itabuna, como os do ex-vereador Solon Pinheiro e do advogado Cosme Reis, pai de Chico Reis, presidente da Câmara de Vereadores.

Matematicamente falando, diria que Fernando Gomes e Maria Alice vão sair do DEM como 2+2 são quatro. Politicamente, não sei por que continuam na legenda.

Ambos já declararam que o Partido do Democratas é coisa do passado. A secretária de Governo até que mostrou certo sentimento. O prefeito chutou o pau da barraca, como diz a sabedoria popular.

Estranho é a cúpula do demismo, sob a batuta de ACM Neto, ficar inerte diante de uma situação irreversível. O deputado federal José Carlos Aleluia, presidente estadual do partido, segue no mesmo diapasão.

Essa passividade, essa desaconselhável acomodação, lembra a expressão latina “Dormientibus Non Sucurrit Jus”. Ou seja, assim como no direito, o processo político não costuma socorrer os que dormem.

A falta de reação dos democratas passa a impressão de que estão desolados com a atitude de Fernando, que a legenda ainda mantém acessa a possibilidade de um entendimento.

Alguns nomes já despontam para substituir Maria Alice no comando do DEM de Itabuna, como os do ex-vereador Solon Pinheiro e do advogado Cosme Reis, pai de Chico Reis, presidente da Câmara de Vereadores.

Como a decisão do demismo é de fazer oposição implacável ao governo FG, hoje aliado do Partido dos Trabalhadores, a indicação do doutor Cosme Reis não é do agrado do enraizado fernandismo.

Maria Alice sempre foi uma dirigente partidária atuante, daquelas que não medem esforços para alcançar os objetivos. Continua sendo a fiel escudeira de Fernando Gomes e a “dama de ferro” do pupilo político.

Depois da derrota de Marcelo Nilo na eleição para presidir o Parlamento estadual, o PSL ficou desnutrido e já é carta fora do baralho para ser o próximo abrigo partidário do alcaide.

Com efeito, Nilo pode até perder o controle do PSL para o deputado estadual Nelson Leal. O ex-todo poderoso presidente da Assembleia Legislativa vive seu pior momento na vida pública. Vale lembrar que Nilo foi derrotado por Félix Júnior na disputa pelo comando do PDT.

O PSD do senador Otto Alencar, cada vez mais forte e, agora, tendo seus passos monitorados pelo PT, pode ser o mais novo refúgio de Fernando Gomes de Oliveira e seus seguidores.

A expectativa fica por conta de quando as lideranças do DEM vão acordar.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

FERNANDO GOMES LEMBRA PAPEL DE ADERVAN E DECRETA LUTO OFICIAL

Assim como o prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite, Fernando Gomes decretou luto oficial de três dias em Itabuna, em reconhecimento à contribuição de José Adervan de Oliveira para o desenvolvimento e, ainda, a luta pela liberdade da informação, “mantendo um diário de circulação regional por mais de 30 anos”.

Por meio de nota, o prefeito destaca a militância política de Adervan e sua “destacada atuação em favor do esporte e da cultura, bem como em defesa da ética profissionais e dos valores morais”.

Adervan faleceu na tarde do último domingo (12), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna. O corpo foi enterrado ontem à tarde, em Itabuna. Ontem, o ex-prefeito Jabes Ribeiro lembrou da sua relação com Adervan e emitiu nota em que lembra da última homenagem prestada ao jornalista, ano passado, com a entrega da Comenda São Jorge dos Ilhéus.

Adervan, paletó claro, quando recebeu comenda em Ilhéus das mãos de Jabes, em 2016 (Foto Alfredo Filho).

Adervan, paletó claro, quando recebeu comenda em Ilhéus das mãos de Jabes, em 2016.

CÂMARA DE ILHÉUS

A Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Ilhéus se pronunciou em nota na qual enfatiza o amor do jornalista e empresário pelo sul da Bahia. “Foi um influente comunicador do sul da Bahia, que perde um dos seus grandes defensores. Neste momento de dor, enviamos nossos pêsames à família e amigos”.

BIOFÁBRICA

O Instituto Biofábrica de Cacau também emitiu nota na qual destaca a relevância de Adervan no desenvolvimento da comunicação regional. “Adervan deixa um importante legado para a comunicação regional, configurando como um dos principais personagens do setor”, observa a nota. “À família e aos amigos enlutados, a Biofábrica presta solidariedade”. O profissional era um dos maiores defensores da agropecuária regional.

Além da Prefeitura de Itabuna, Biofábrica e Câmara de Ilhéus, a FTC de Itabuna, por meio do seu diretor Luiz Alfredo Omena, também se posicionou. “Com o falecimento de José Adervan, o jornalismo sulbaiano perde uma das suas referências do profissionalismo exercido com ética, competência e seriedade”.

VEREADOR ILHEENSE CRITICA “CORONELISMO” DE FERNANDO EM DEBATE SOBRE A UFSB

Fernando queria UFSB "toda" em Itabuna e Gil o chama de coronel.

Fernando queria UFSB “toda” em Itabuna e Gil o chama de coronel.

O vereador e radialista Gil Gomes condenou a postura do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, que, numa audiência com o reitor Naomar Almeida, lamentou ter parte da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) sendo construída em território ilheense (reveja aqui).

“Esse comportamento do senhor prefeito FG é um absurdo. Ilhéus e Itabuna se complementam. Hoje a política é moderna, ela mergulha numa nova linhagem, e portanto, a política do senhor do engenho e do coronelismo não existe mais”, disse o vereador.

Gil Gomes, um dos profissionais de maior audiência do rádio ilheense, recomendou a Fernando Gomes “renovar a mente”. Para o vereador, Fernando está no grupo daqueles “que se comportam com a mente política do século passado”.

O vereador acrescenta que este não é momento para rivalidade, mas diálogo. “O debate é para a implantação da Região Metropolitana [Ilhéus-Itabuna]. Esse é o debate”, acrescentou.

FERNANDO CRITICA QUE “PARTE DA UFSB” SEJA CONSTRUÍDA EM ILHÉUS

Fernando recebe comitiva da UFSB em audiência e critica antecessor.

Fernando recebe comitiva da UFSB em audiência e critica antecessor.

Durante uma audiência com o reitor Naomar Almeida, Fernando Gomes criticou que parte do novo campus da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) – cerca de 80% da área desapropriada – esteja sendo construído em Ilhéus. “Não tenho nada contra Ilhéus, mas brigo e defendo a minha cidade”, disse o prefeito de Itabuna, que não deixou de criticar o antecessor, Vane do Renascer, pela não desapropriação de área de 100 hectares para a construção do campus itabunense.

Naomar, acompanhado da vice-reitora Joana Guimarães e de assessores, foi a Fernando para pedir a desapropriação de área de 40 hectares para construção da sede da reitoria e centro cultural. Ambos agendaram para amanhã (9) visita a uma área de 400 mil metros quadrados no Loteamento Nossa Senhora das Graças para vistoriar a área e analisar se é adequada para o projeto da UFSB.

De acordo com Naomar, a instituição de ensino superior já possui mais de 2 mil alunos matriculados e movimentará cerca de R$ 80 milhões na economia do sul e do extremo-sul do Estado apenas em 2017.

PRESIDENTE DO SINDSERV DIZ QUE PREFEITURA DEIXA FUNCIONALISMO SEM VALE TRANSPORTE

Wilmaci, do Sindserv, denuncia falta de vale transporte.

Wilmaci, do Sindserv, denuncia falta de vale transporte.

A direção do Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna (Sindserv) denunciou a nova gestão por não repassar o vale transporte ao funcionalismo. O município não está fornecendo vale municipais nem intermunicipais. No início do ano, a prefeitura cortou o fornecimento do vale intermunicipal, por meio de decreto. Após pressão, a medida foi revista pelo prefeito Fernando Gomes.

De acordo com a presidente do Sindserv, Wilmaci Oliveira, servidores estão faltando ao trabalho, principalmente os que residem foram de Itabuna, por não poder custear o deslocamento. O fornecimento do vale é obrigação do município. “O que a gente percebe é que falta empenho do executivo para resolver essa demanda”, critica Wilma.

Apesar de entraves burocráticos junto à Rota, devido a pendências da gestão passada, segundo a presidenta do Sindserv, ela acredita que a questão poderia ser resolvida. “Bastava à prefeitura chamar a Rota e a AETU (Associação das Empresas de Transportes Urbanos de Itabuna) para identificar as dívidas pendentes e abrir um processo administrativo para efetuar os pagamentos”, explica.

Wilmaci vê o governo municipal com outras prioridades. “Estão mais interessados numa Reforma Administrativa, que a médio prazo comprometerá o pagamento dos salários dos servidores; no carnaval em meio a uma crise hídrica; na demissão em massa dos trabalhadores do Hospital de Base, com fechamento do setor de psiquiatria e enfermarias. Tudo isso é mais importante para o governo do que resolver o problema dos vales transportes”, alfineta.

DE VENTO EM POPA

marco wense1Marco Wense

FG é uma angustiante dúvida, não em relação à sua saída do DEM, já dada como favas contadas, mas com quem fica em uma eventual disputa entre Rui Costa e Otto Alencar pelo governo da Bahia.

O barco do senador Otto Alencar, autoridade-mor do PSD da Bahia, desliza com mais velocidade em decorrência de bons ventos que começam a soprar na parte posterior.

O parlamentar, que nasceu em Ruy Barbosa, cidade da Chapa Diamantina, médico ortopedista, deixa de lado as fraturas e fissuras ósseas para tratar exclusivamente de traumatismos políticos.

Otto vive o seu melhor momento na vida pública. Pilota seu avião em céu de brigadeiro, sem nuvens cinzentas que possam atrapalhar seu legítimo e democrático sonho: ser novamente governador da Bahia.

Até os que procuram prejudicar, agindo nos bastidores, na calada da noite, de maneira sorrateira, terminam ajudando, como Cícero Monteiro e Josias Gomes, homens de confiança do governador Rui Costa (PT).

Monteiro e Gomes, respectivamente o atual e o ex-secretário de Relações Institucionais, trabalharam para manter Marcelo Nilo (PSL) na presidência da Assembleia Legislativa do Estado.

O prefeito soteropolitano ACM Neto, o fiel da balança, o comandante da oposição, caminhava no sentido de liberar os deputados para que cada um votasse de acordo com sua vontade.

Para o demista Neto, era o mesmo que trocar seis por meia dúzia. Ou seja, tanto faz Marcelo Nilo, do PSL, como Ângelo Coronel, do PSD. Ambos integrantes da base aliada do governismo.

Quando o democrata percebeu que a articulação política do Palácio de Ondina estava pedindo votos para Marcelo Nilo, queimando o Coronel, tomou a decisão de apoiar o candidato do senador Otto Alencar.

Cícero Monteiro e Josias Gomes só fizeram o que não deveriam fazer. Sem dúvida, os responsáveis pelo apoio decisivo da oposição à candidatura do Coronel, o que levou Nilo a desistir de conquistar o sexto mandato.

Fica agora a obrigação de arrumar uma vaga para Marcelo Nilo na chapa majoritária da reeleição do governador Rui Costa, como candidato a vice ou a senador. Vale lembrar que já defenestraram Nilo na sucessão de 2014.

Ora, ora, até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que existe uma preocupação com a ascensão do senador Alencar, que vai ocupando os espaços políticos de maneira inteligente e sem fazer oba-oba.

:: LEIA MAIS »

LÚCIA OLIVEIRA: DECISÃO DE FERNANDO ATINGE SINDICATOS LIGADOS AO PCdoB

Lúcia Oliveira foi fechado ao completar 80 anos (Foto Divulgação).

Lúcia Oliveira foi fechado em um período em que completava 8 anos (Arquivo).

O prefeito Fernando Gomes determinou a desocupação do prédio onde funcionou por décadas o Grupo Escolar Lúcia Oliveira. O imóvel estava sendo as sedes dos sindicatos dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais (Sindserv) e dos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias (SindiAcs/ACE), além dos Comerciários. O prazo para desocupação teria sido encerrado na última sexta (27).

A justificativa do prefeito é de que se trata de um imóvel tombado pelo município, cabendo a ele “a responsabilidade por sua manutenção e conservação”. O Grupo Escolar Lúcia Oliveira pertencia à rede estadual até o início da década passada, quando foi municipalizado (2004). Já em 2015, o município desativou a unidade de ensino por falta de alunos e necessidade de reestruturação da rede escolar.

Quando repassado aos sindicatos, as entidades assumiram compromisso de reparos na estrutura física, que ameaçava desabar. “A iniciativa do prefeito de solicitar a desocupação do espaço tem o apoio de cidadãos de Itabuna, muitos, inclusive, ex-alunos que frequentaram a Escola, que foi a primeira Escola Pública construída no município”, afirmou a secretária de Educação de Itabuna, Anorina Lima. A desativação ocorreu quando o grupo escolar completava 80 anos.

SINDICALISMO E POLÍTICA PARTIDÁRIA

A decisão é vista como tendo carga política. Sindicalista do PSDB, Anorina milita em campo político oposto aos sindicatos atingidos pela decisão, os três comandados por dirigentes filiados ou ligados ao PCdoB do ex-vice-prefeito Wenceslau Júnior. No campo educacional, Anorina foi a responsável pela criação do Sindicato do Magistério Público Municipal (Simpi), nos anos 2000, atingindo, desta vez, a API/APLB-Sindicato, este comandado pelo PCdoB e pelo PT à época.

PREFEITURA FECHA PSIQUIATRIA DO HOSPITAL DE BASE

Hospital de Base tem unidade de psiquiatria fechada.

Hospital de Base tem unidade de psiquiatria fechada.

A ordem do prefeito Fernando Gomes para demitir 200 funcionários do Hospital de Base de Itabuna começou a afetar a qualidade e levou à suspensão de serviços importantes e exclusivos oferecidos pela unidade médico-hospitalar. A unidade de psiquiatria do Base foi fechada.

“Somente tínhamos lá para levar nosso irmão que precisa de atendimento psiquiátrico. Ficamos sem chão. A gente não tem dinheiro para médico particular”, disse a irmã de paciente atendido há mais de um ano no setor de psiquiatria do Hospital de Base.

Nem o prefeito Fernando Gomes nem o secretário de Saúde de Itabuna, Vitor Lavinsky, informaram se o fechamento da unidade, a única com atendimento pelo SUS em Itabuna, é temporária ou definitiva. De acordo com um funcionário do hospital, a unidade atendia a mais de duas centenas de pacientes regulares com problemas psiquiátricos.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia