WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe
nota premiada prefeitura ilheus





janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘Fernando Haddad’

HADDAD: PT E ALIADOS PROMOVEM A CARREATA DA VIRADA EM ITABUNA

Rui Costa e Haddad puxam a Caminhada da Paz em Salvador hoje || Foto Carlos Casaes

O PT, o PCdoB e partidos aliados na Bahia farão a “Carreata da Virada” do presidenciável Fernando Haddad no centro de Itabuna, na manhã deste sábado (27). A concentração começará às 9h, no Jardim do Ó, e os participantes descerão pela Avenida do Cinquentenário e o percurso contempla vários bairros da cidade. A organização prevê participação de motociclistas e grupos de ciclistas no evento.

A carreata deverá contar com a participação de líderes dos partidos e deputados eleitos em 2018. O clima é de empolgação com os últimos resultados das pesquisas apontando crescimento de Haddad e queda nas intenções de voto no presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). No levantamento do Datafolha, divulgado ontem (25), a diferença caiu 6 pontos e está Bolsonaro 56% ante 44% de Haddad.

HADDAD EM SALVADOR

Já nesta sexta-feira, às 15h, Fernando Haddad participa de grande ato na Bahia, a “Caminhada da Paz”. Artistas como Daniela Mercury, Luiz Caldas e Mari Antunes divulgaram vídeos em suas redes sociais convidando o eleitor baiano para o ato, que terá concentração no Monumento das Gordinhas, em Ondina. Além de Haddad, o governador reeleito Rui Costa participa, ao lado dos senadores eleitos Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD).

JUAZEIRO: RUI E HADDAD REFORÇAM COMPROMISSO COM A REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Rui e colegas de Pernambuco e Piauí fazem ato com Haddad em Juazeiro || Foto Carlos Casaes

Com um ato político às margens do Rio São Francisco, o governador baiano, Rui Costa, e o candidato a presidente da República pelo PT, Fernando Haddad, assumiram compromisso pela revitalização do rio que abastece e é fonte de sustento para mineiros e nordestinos. O ato dos candidatos foi realizado neste domingo (23) em Juazeiro, no norte baiano.

– Os baianos foram generosos em ceder a água do São Francisco para a transposição, mas nós vamos intensificar a recuperação das nascentes do São Francisco. Não vamos deixar esse rio morrer jamais, e por isso nós temos que desassorear o rio – disse Haddad, acompanhado pelos governadores Rui Costa (Bahia), Paulo Câmara (Pernambuco) e Wellington Dias (Piauí).

O governador Rui Costa falou em vitória de Haddad. “Vamos dar uma vitória maiúscula a Fernando Haddad, que já assumiu o compromisso de fazer a revitalização e salvar o nosso Velho Chico”, disse o gestor baiano, candidato à reeleição. “Política se faz com amor e união”, completou ele, citando os colegas governadores nordestinos e os candidatos ao Senado pela Bahia em sua chapa – Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD).

RUI CONFIRMA HADDAD COMO SUBSTITUTO DE LULA

Rui em entrevista ao Bahia Meio Dia, apresentado por Jéssica Senra || Foto Ulisses Dumas

O governador da Bahia e candidato à reeleição, Rui Costa (PT), confirmou em entrevista ao Bahia Meio Dia (Rede Bahia) o nome do ex-ministro Fernando Haddad como o substituto de Lula na corrida presidencial deste ano. O ex-presidente chegou a ter candidatura lançada, mas está preso desde 7 de abril e teve o registro negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A candidatura de Haddad, tendo Manuela D´Ávila (PCdoB) como vice, será oficializada pelo partido ainda nesta tarde de terça (11).

Durante a entrevista à afiliada da Rede Globo, Rui Costa falou de ações durante os mais de três anos e meio de governo, disse ter sido o governador que mais cumpriu promessas em todo o país (baseando-se em pesquisa do Portal G1) e pediu votos para Haddad, além dos candidatos ao Senado Federal pelo PSD, Angelo Coronel, e PT, Jaques Wagner.

VITÓRIA DE HADDAD

Mais cedo, o ex-presidente do PT baiano e deputado federal, Josias Gomes, que foi secretário de Relações Institucionais da Bahia no governo de Rui, fez críticas ao Judiciário e falou em vitória de Haddad no segundo turno da corrida presidencial. Foi em entrevista ao PIMENTA. Para ele, a liderança de Lula nas pesquisas na corrida presidencial representavam o respeito do eleitorado ao legado lulista e do PT (reveja aqui).

GERALDO FALA DE ELEIÇÕES E ALFINETA FERNANDO: “ITABUNA PARECE QUE FOI BOMBARDEADA”

Foto Pimenta 28.07.2018

(Foto Pimenta)

O ex-deputado e ex-prefeito de Itabuna Geraldo Simões (PT) deverá ter o nome confirmado em convenção do PT, no próximo sábado (4), em Salvador, como um dos nomes do partido na disputa por vagas à Assembleia Legislativa. Ao PIMENTA, ele afirmou que pretende fazer uma campanha regional, focando em Itabuna, Ilhéus e no sul da Bahia. Numa rápida entrevista, o ex-deputado falou de eleições 2018, Lula, gestão do adversário histórico, Fernando Gomes, e de Rui Costa. Confira abaixo.

PIMENTA – O “bloco” já está na rua?

GERALDO SIMÕES – Começamos a andar na última semana, atentos à nova legislação. Vamos levar nosso nome à convenção do partido, no sábado (4), e aí a campanha deslancha. Nossa proposta é de uma candidatura regional. Sempre fui favorável ao voto distrital. Vou centrar minha campanha em Itabuna, Ilhéus e no sul da Bahia.

PIMENTA – Como avalia a gestão em Itabuna?

GERALDO – Estou muito preocupado com violência altíssima, saúde a mesma dificuldade, educação não funciona. A cidade parece que foi bombardeada. Tem buraco em tudo que é lugar. Semana passada um carro caiu em um buraco no centro da nossa cidade. Aquilo é o retrato de uma Itabuna que está sem perspectiva. A administração local está nesse desastre inteiro e não está pior ainda por conta do apoio que o governador Rui Costa está dando à gestão. Apoio é coisa que nunca tive nos meus dois governos, quando o pessoal do DEM governava o Estado.

PIMENTA – Avaliando a disputa nacional e estadual, o PT deve insistir com Lula?

GERALDO – Lula é inocente. Está preso porque a elite não gosta de governos que trabalham pela população. Foi assim com Getúlio Vargas, João Goulart e Juscelino Kubitschek. E, por último, com a presidenta Dilma Rousseff. Nós vamos registrar a candidatura de Lula no dia 15 de agosto e vamos provar que Lula é inocente e, portanto, tem direito a ser candidato.

PIMENTA – Apesar de todos os sinais no Judiciário, o sr. acredita que ele possa disputar e, vencendo, assumir a presidência?

GERALDO – As pesquisas mostram até Lula ganhando em primeiro turno. O meu desejo é que aconteça. O povo está com Lula. Quem está contra? A grande imprensa e o Judiciário.

______________

Rui está sendo um bom governador para a Bahia e o melhor governador da história para a nossa região.

______________

PIMENTA – José Dirceu diz que Wagner seria bom candidato do PT. Há o nome de Fernando Haddad. Não avalia como possíveis substitutos?

GERALDO – Meu candidato é Lula. Se lá na frente tiver alguma coisa, a gente para e analisa.

PIMENTA – E a disputa estadual?

GERALDO – Rui está sendo um bom governador para a Bahia e o melhor governador da história para a nossa região sul da Bahia. Com essas obras importantes, Barragem do Colônia, Hospital da Costa do Cacau, duplicação da estrada Ilhéus-Itabuna, que começa a qualquer momento – nós precisamos romper com essa dificuldade lá no TCU -, a nova ponte nova em Ilhéus e outras ações…. Tudo isso dá a Rui o título de melhor governador que o sul da Bahia já teve.

CACÁ LEÃO: PP BAIANO NÃO DESCARTA APOIAR ALCKMIN

PT e PP podem seguir caminhos opostos na disputa à presidência da República na Bahia, segundo o deputado federal Cacá Leão em entrevista ao PIMENTA. O PP baiano deverá ficar com o PT na disputa nacional se o candidato a presidente for Jaques Wagner ou o ex-presidente Lula, essa uma candidatura com possibilidades remotas por causa do Judiciário.

Ex-prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad foi descartado, condição em que o nome do PP na Bahia à presidência poderá ser o do tucano Geraldo Alckmin. Cacá faz um ressalva: a posição dos progressistas dependerá de para onde vá o ex-governador Jaques Wagner. “A gente precisa esperar quais são os movimentos. Principalmente, qual é o movimento do nosso homem maior da política da Bahia, o Galego, Jaques Wagner, vai fazer”.

PIMENTA – Qual vai ser a posição do PP na Bahia em relação à disputa nacional?

CACÁ LEÃO – A gente está aguardando. O PP nacional já anunciou apoio a Geraldo Alckmin, mas teremos a convenção nacional dia 2 de agosto, quando a gente vai discutir esse propósito. A gente está analisado para ver qual é o movimento, principalmente do PT. Se for Wagner, não há hipótese de o partido não estar com ele. Depois, a gente vai decidir.

PIMENTA – Se for Haddad?

CACÁ – Aí é difícil. A gente vai procurar candidatura que una todos os aspectos nossos. Acredito que, neste momento, a gente precisa mais de união do que de disputa. A gente está com uma raiva, uma falta de respeito de opinião contrária muito forte. Eu, particularmente, sempre defendi a candidatura de Rodrigo Maia (DEM), que já faz esse trabalho [de união] na Câmara, mas com a desistência dele, não consigo enxergar esse outro nome em Alckmin. A condição é de que seja essa pessoa, de união. Se ele se mostrar lá na frente, pode ser que a gente se coloque. O nosso ex-governador Jaques Wagner é um nome que tem essas qualidades [de união], mas aí vai passar por ele, pelo Partido dos Trabalhadores, ex-presidente Lula.

PIMENTA – O sr. acredita na viabilidade jurídica da candidatura do ex-presidente Lula?

CACÁ – É difícil. Infelizmente, acho que é difícil. Particularmente, eu sou contra a prisão em segunda instância. A Constituição Federal diz que é trânsito em julgado, aí seria STJ (Superior Tribunal de Justiça). Mas acho que hoje com a Lei da Ficha Limpa e com o massacre que está aí, o ex-presidente Lula não tem ainda essa condição.

PIMENTA – O PP baiano não descarta apoio a Geraldo Alckmin?

CACÁ – Não descarta. Não descarta, por enquanto, apoio a ninguém.

PIMENTA – Mesmo se levarmos em conta a conjuntura baiana?

CACÁ – Não, claro que não. Uma coisa independe da outra. É claro que nós jamais estaremos em cima de outro palanque. Claro que se Alckmin vier à Bahia nós jamais estaremos juntos com eles (DEM baiano), mas a gente precisa esperar quais são os movimentos e, principalmente, qual é o movimento do nosso homem maior da política da Bahia, o Galego, Jaques Wagner, vai fazer.

A INCÓGNITA PRESIDENCIAL DE 2018

Áureo Júnior | aureojunior1996@gmail.com

 

 

Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT).

 

No presente ano podemos ter uma disputa presidencial sem a polarização PT x PSDB que foi constante nas últimas eleições. Se com Lula na disputa só resta saber quem será o seu adversário no segundo turno, sem ele a competição fica muito embolada entre Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Joaquim Barbosa (PSB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Como todos os citados estão pontuando razoavelmente bem, dificilmente abrirão mão de candidatura própria.

Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT), pois esses dois nomes citados pelo partido para uma eventual candidatura atingiram somente 2% dos votos na última pesquisa do Datafolha.

Podemos também notar que o deputado Bolsonaro vem há muito tempo mantendo sua base de votos, que gira em torno de 15%, porém não consegue decolar. Situação essa que tende a piorar com o início dos debates, pois o mesmo tem limitações para argumentar sobre alguns assuntos como economia, por exemplo.

Também é importante lembrar que, embora não sejam protagonistas, temos outros candidatos muito interessantes, com uma boa oratória e que certamente vão enriquecer os debates, como Guilherme Boulos(PSOL), Manuela D’ávila(PCdoB), João Amoêdo(NOVO), Flávio Rocha(PRB) e o próprio presidente Michel Temer(MDB).

Áureo Júnior é estudante de Pedagogia na Faculdade Educacional da Lapa (Fael).

SAMU ANIMAL

IMG_20130831_191429O município de São Paulo vai investir R$ 3 milhões para implantar o Serviço de Atendimento Médico de Urgência Veterinário, o Samuv. O projeto do vereador Nelo Rodolfo ainda será votado pela Câmara, mas já conta com o apoio do prefeito Fernando Haddad. Deverá ser implantado em 2014, segundo Mônica Bergamo, da Folha.

A proposta de socorro de urgência para cães e gatos é reflexo das novas políticas de cuidados para animais e deve se multiplicar pelas grandes cidades.

OS HIGIENIZADOS

As novas políticas de aliança do PT acabaram por higienizar muitos nem tão “chegados” nestas eleições. São vários exemplos, mas alguns estão próximos ou nem tão distantes.

Vejamos o exemplo de São Paulo, onde o ex-ministro da Educação Fernando Haddad acabou eleito prefeito.

Se valeu o “esforço”? Valeu, pelo menos, para o presidente do diretório municipal do PT de São Paulo Antônio Donato, o apoio do ex-prefeito paulistano Paulo Maluf, caçado pela Intepol (Organização Internacional de Polícia Criminal), acusado de desviar recursos da prefeitura e enviá-los para a Ilhas Cayman. Valeu não pelos votos que poderiam ser transferidos e sim pelo tempo de televisão do PP, partido ao qual o ex-prefeito é filiado.

Foi bom para “ambas as partes”, como diz o derrotado e apresentador Celso Russomano. O PT teve o tempo de propaganda na televisão e o meliante caçado pela Interpol foi higienizado politicamente ao dar apoio à candidatura de Haddad, como opinou a deputada e ex-prefeita Luiza Erundina (PSB).

URUÇUCA

Aqui no Sul da Bahia, Dilson Argolo, o Dika de Uruçuca,  um outro ficha-suja com várias contas rejeitadas pelo TCM também foi higienizado politicamente ao apoiar a candidata petista, Fernanda Silva, e o vice, Marcelo Dantas(PCdoB).

Sujo mais do que galinheiro, vem definhando politicamente no município. Deu menos de mil votos a seu deputado em 2010. Apoiou Geddel e perdeu. Bem, agora como não ia para lugar algum porque era ficha-suja, buscou abrigo no lava a jato do PT. Como Fernanda não é boba…

PMDB VERSUS PSB

Marco Wense

Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A bola da vez, quando o assunto envereda para a disputa do Palácio do Planalto, é o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Todo esse oba-oba, envolvendo o neto do saudoso Miguel Arraes, decorre do sucesso eleitoral do PSB, que foi a sigla que mais cresceu (40% a mais de prefeitos) desde 2008.

Não é o bom desempenho da legenda que vai ditar as regras para a eleição presidencial de 2014. A candidatura de Campos está condicionada a uma queda acentuada na popularidade da presidenta Dilma Rousseff.

A verdadeira disputa é o PMDB versus PSB. Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A ELEIÇÃO DE HADDAD

É evidente que o ex-presidente Lula tem os seus méritos e foi o grande responsável pela vitória de um “poste” na sucessão paulistana.

O então candidato Fernando Haddad saiu do zero em todo sentido: pesquisas de intenção de voto, apoios de partidos e de lideranças políticas. Só contava com o entusiasmo de Lula.

É bom lembrar que o toma-lá-dá-cá funcionou a todo vapor. Marta Suplicy, por exemplo, só virou Haddad desde criancinha depois que passou a ser ministra da Cultura.

É o toma-lá-dá-cá, digamos, “interna corporis”.

A BRIGA PELO PT

A briga é de “cachorro grande”. A disputa é pelo comando do diretório do PT de Itabuna. De um lado, o deputado Geraldo Simões. Do outro, o também parlamentar Josias Gomes.

Josianistas são da opinião de que o momento é agora, já que o ex-prefeito, depois de três derrotas consecutivas na sucessão municipal, se encontra politicamente debilitado.

Uma coisa é certa: Geraldo Simões, em caso de uma nova derrota política, vai ficar no mato sem cachorro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ALIADA, SONINHA DIZ QUE SERRA “É ESTÚPIDO COM A IMPRENSA”

A jornalista e ex-candidata a prefeita de São Paulo Soninha Francine (PPS) concedeu entrevista ao jornal Brasil Econômico e não economizou em críticas ao PT, ao ex-presidente Lula e até a quem admira muito, o ex-governador José Serra:

– O Serra é um cara esquentado e cai muito fácil em provocação. Quando está no front, sai faísca. Mas ele também é estúpido com a imprensa – disse.

Soninha fez leitura da campanha eleitoral em São Paulo e explica por que chamou (?) o petista Fernando Haddad de “filho da p…” em escritos nas redes sociais. Haddad lidera as pesquisas de intenções de voto na disputa em São Paulo, no próximo domingo, 28.

Confira a entrevista de Soninha na íntegra

O PT ESTÁ MALUFADO HÁ MUITO TEMPO

Ricardo Ribeiro | ricardo.ribeiro10@gmail.com

Quantas esperanças desfeitas diante da constatação de que, ao fim e ao cabo, o PT era só mais um partido interessado no poder pelo poder.

Que novidade existe no PT que malufa? A imagem que fulminou o resto de utopia e sonho que ainda existia em alguns petistas puros (ainda há uma meia dúzia) nada mais é do que a consagração de um processo de erosão moral que já acomete a legenda há bastante tempo. Atribua-se a cena indecente, mas coerente com a degradação petista, à falta de freios que tem marcado a atuação do ex-presidente Lula nos últimos lances políticos da Terra Brasilis.

A união com Maluf espanta por revelar que o PT realmente perdeu os cinco por cento de pudor que ainda lhe sobravam. Não pela aliança em si, que já estava celebrada e macomunada há muito, mas pela desfaçatez do ato, pelo seu potencial de escárnio e desprezo pela opinião pública. Não é batom na cueca, mas adultério explícito em plena Avenida Paulista, na hora de pico.

Como bem escreveu um jornalista, o PT não se aliou a um ex-adversário, mas a um ladrão incluído na lista de grandes corruptos catalogados pelo Banco Mundial. Um sujeito procurado pela Interpol, mas encontrado pelo Partido dos Trabalhadores (sic) para dar vazão a projetos eleitorais divorciados da moral e dos bons costumes.

É nisso que se transformou o PT, partido que já alimentou o sonho de que a política e o Brasil poderiam ser diferentes e faltava pouco para reivindicar para si um espaço na lista de sinônimos da palavra “ética”.

Quantas esperanças desfeitas diante da constatação de que, ao fim e ao cabo, o PT era só mais um partido interessado no poder pelo poder. Aliás, não era mais um, era sim o mais perigoso, pois conseguiu, durante tanto tempo, omitir sua verdadeira identidade, escondendo-se sob uma máscara de decência. E enganou a muitos, inclusive a este que vos escreve.

Esse PT mofado e malufado perdeu as bandeiras e a vergonha. Está irremediável, trágica e ridiculamente nu.

Ricardo Ribeiro é blogueiro e advogado.

PMDB, O PARTIDO DOS DISSIDENTES

Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

Se por um lado, as candidaturas de Gabriel Chalita e Mário Kertész sinalizam representar a política jogada pelo lado de fora, por outro, não possuem musculatura político-partidária, a exemplo de PT, PSDB e DEM.

De grão em grão, a galinha enche o papo. Ao longo dos anos, vem sendo essa a maneira do PMDB disputar as eleições. Sem nenhum presidente eleito pelo voto popular, o maior partido do Brasil virou a legenda das beiradas. E leiam beiradas de duas formas: dos municípios e das bolas divididas. É o caso de Salvador e São Paulo.

Em Salvador, as sobras do confronto entre ACM Neto (DEM) e Nelson Pelegrino (PT) podem recair no papo do radialista Mário Kertész (PMDB). Na rinha paulista, Fernando Haddad e José Serra rivalizam com as farpas do PT e do PSDB. Com o catador nas mãos, o deputado federal Gabriel Chalita (PMDB) junta os frangalhos dos paulistanos. Ou seja: o PMDB é o partido dos dissidentes.

É bom ficar claro: o PMDB não é um partido de oposição. Sem recorrer ao enfretamento nacional, o partido do vice-presidente Michel Temer avalia a política localmente. Dança conforme a música dos costumes, sem qualquer obrigação com as decisões do Palácio do Planalto. Não faz a política do antagonismo, mas, a política da aproximação e da convergência de interesses. É o que são e o que serão as candidaturas de Mário Kertész e Gabriel Chalita.

Ambos, por sinal, possuem em comum o caráter da dissidência. O primeiro, Mário Kertész, saiu do ninho carlista. O segundo, apesar da idade, Gabriel Chalita, troca de partido como se trocasse de camisa: PSDB, PSB e, agora, PMDB. Os dois apostam em campanhas mais provincianas, beirando o bairrismo. Sem confrontar os modelos partidários, Mário e Chalita vão desfilar como se não fossem profissionais da política.

Aparentemente, o candidato paulista tem mais elementos para realizar tal proeza. Pulou de uma legenda para outra, como quem não demonstra qualquer compromisso com os princípios partidários em si. É jovem, 43 anos, portanto, não carrega consigo o fardo de ter sido tachado de tucano, malufista, petista, nem tão pouco quercista.

O candidato soteropolitano do PMDB não é diferente. Por duas vezes, Mário Kertész administrou a cidade de Salvador. A primeira, como biônico; a segunda, como prefeito eleito pelo povo. Mas, de lá para cá, já se vão 23 anos fora de disputas eleitorais. Desses, 19 anos dedicados ao rádio. Ou seja: no imaginário da população, especialmente, entre os jovens e adultos até 40 anos, a ligação de Mário Kertész no passado com possíveis negociações envolvendo dinheiro público viraram pó.

:: LEIA MAIS »

NOVO MINISTRO DA EDUCAÇÃO DEFENDE SEDE DA UFESBA EM PORTO

O bicho pegou. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, defendeu que a sede da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba) seja construída não em Itabuna, como anunciaram o ex-ministro Fernando Haddad e a presidenta Dilma Rousseff, mas em Porto Seguro. A defesa ocorreu durante audiência pública no Congresso Nacional.

O ministro apresentou argumentos como a “beleza” e o simbolismo histórico” de Porto ao falar da mudança. Quem comemorou o discurso de Mercadante foi o deputado federal Jânio Natal. “Estou solicitando ao ministro uma audiência para que possamos discutir os detalhes e juntos continuarmos a defender essa ideia. Com a força de Deus, vamos trazer essa reitoria para Porto Seguro”. Confira o vídeo em que Mercadante defende a construção da sede da Ufesba em Porto Seguro.

Leia também:
ITABUNA SOB RISCO DE PERDER SEDE DA UFESBA

PORTO SEGURO: UFESBA NA BR-367

Cidades do sul e extremo-sul mobilizam-se para definir as melhores localizações para os campi da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba). Itabuna estuda, pelo menos, quatro áreas para o campus do município e que abrigará a reitoria (sede). Já no extremo-sul, os deputados Amauri Teixeira (PT) e Jânio Natal (PRP) articulam para que o campus de Porto Seguro seja instalado nas imediações da BR-367, próximo ao Centro de Convenções.

No entendimento dos dois parlamentares federais, seria o local que permite fácil acesso a estudantes de outros municípios, por estar próximo da BR-101 e da vizinha (e próspera) Eunápolis. Requerimento neste sentido foi entregue por Amauri e Jânio ao ministro da Educação, Fernando Haddad.

AS IMAGENS DA SEMANA

O “CARA-DE-PAU”: Estelionatário aplica golpe em idosa de 87 anos.


A APOSTA NO FUTURO:
Finalmente o sul da Bahia terá universidade federal






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia