WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘Ferradas’

ÔNIBUS SUPERLOTADOS IRRITAM ALUNOS DA UFSB E MORADORES DE FERRADAS

Ônibus superlotados são queixa geral de alunos de universidade e moradores de Ferradas.

Ônibus superlotados são queixa geral de alunos de universidade e moradores de Ferradas.

Aumentou ainda mais o sofrimento dos moradores da região de Ferradas e dos estudantes da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) que dependem do sistema de transporte público. Após a inauguração dos condomínios Jubiabá, Gabriela e São José, o que era ruim, piorou. Os ônibus andam sempre superlotados.

As vítimas pedem à Secretaria de Transporte, Trânsito e Segurança mais ônibus para os bairros Ferradas e Nova Ferradas. “Sofremos todos os dias com ônibus lotados e um péssimo serviço”, reclama o estudante Saulo Carneiro, enfatizando que “não houve adição de novas linhas” depois da inauguração dos novos condomínios.

Cerca de 2,3 mil famílias passaram a morar no Jubiabá, São José e Gabriela no segundo semestre do ano passado, quando receberam as chaves. O apelo de moradores é para que mais ônibus sejam disponibilizados, pelo menos nos horários de pico. A imagem que ilustra esta nota foi feita às 15 horas de um dia útil da semana passada.

Os usuários do transporte coletivo aguardam resposta da Secretaria de Transporte, Trânsito e Segurança.

EU, RAMON E PAPAI NOEL

IMG-20170115-WA0051Maurício Maron | [email protected]
Vá em paz, amigo. Leve consigo a minha gratidão. E a imagem inesquecível do abraço que trocamos, às 5 e meia da tarde, em Ferradas, no dia 24 de dezembro de 1989.

 

Recebo com imensa tristeza a morte de Ramon Vane. Todas as vezes que nos encontrávamos, relembrávamos um episódio especial que compartilhamos secretamente, por muitos anos, em nossas vidas.

Era Natal. Enquanto minha primeira filha, ainda muito pequena, aguardava pelo Papai Noel em nossa casa, eu tocava meu plantão na TV Santa Cruz.

A primeira pauta do dia me designava para cobrir uma triste realidade da nossa gente.

Ir até a periferia da cidade e ouvir as crianças que (sobre)viveriam naquele entorno, sobre o que representava aquela data e o que esperava daquela noite.

Conheci Jorge, sugestivamente morador de Ferradas.

Ao entrevistá-lo, eu cheio de dedos para não aumentar ainda mais a ferida que a vida lhe proporcionara, ouvi de uma criança de não mais de seis anos, uma frase que jamais consegui esquecer.

“Nunca vi Papai Noel, acho que ele não sabe o endereço daqui de casa. Queria muito uma bicicleta. Até tenho a sensação de que esse ano ele vem”.

Voltei para a redação com a sensação de culpa por ter reavivado um sentimento tão profundo numa criança, sabendo que, à noite, a realidade certamente não chegaria. Ouvia a todo instante a frase repetida na minha alma. E tomei uma decisão.

Na retomada das pautas, no turno da tarde, decidi me dirigir à residência do empresário Helenilson Chaves, então dono da emissora, e tentar uma conversa para ele.

(Aqui um parêntese: tenho uma admiração profunda por esta pessoa e ele sempre me tratou com um carinho especial enquanto estive na empresa dele.)

Mesmo estando recebendo, naquele momento, uma importante autoridade federal, ele não me negou a audiência.

Expliquei o que tinha se passado pela manhã.

Ele olhou nos meus olhos e me perguntou: você tem ideia de quantas crianças tem lá?

Respondi: umas cem. Rs

Ele pegou um pedaço de papel, fez uma anotação e me entregou. Era uma autorização para ir até uma loja de brinquedos e pegar bonecas e bolas e, claro, a bicicleta de Jorge, e fazer a entrega àquelas crianças sedentas por um gesto de carinho e de respeito. Todas seriam presenteadas.

Me pediu apenas uma coisa: que não revelasse quem assumiu financeiramente a iniciativa.

(Neste momento, peço a ele para quebrar um silêncio de mais de 25 anos, para justificar esta homenagem que faço a Ramon Vane.)

De posse dos brinquedos, um dilema. Quem seria Papai Noel que tivesse o endereço daquela comunidade tão esquecida?

Não pensei duas vezes. Um telefonema foi suficiente para convencer Ramon. Em menos de 15 minutos ele já estava na emissora, com uma roupa de bom velhinho “tamanho duplo” onde caberiam dois dele, com a determinação que o que mais importava naquele momento não era o estético, era ver um sorriso nos rostos sofridos dos esquecidos pelo sistema.

E assim terminamos o nosso dia. Entregando bonecas, bolas e bicicleta.

Oferecendo o bem-querer, alimentando almas de novos sonhos.

Obrigado, Ramon Vane, por me proporcionar um dos momentos mais inesquecíveis da minha vida.

Obrigado pelo abraço que trocamos silenciosamente naquele dia de natal.

Obrigado por me permitir chegar feliz em casa e, mesmo encontrando minha pequena dormindo ainda sem a chegada de Papai Noel, sorrir e acreditar que, ao encontro com pessoas como você, a gente pode acreditar num mundo melhor.

Vá em paz, amigo. Leve consigo a minha gratidão. E a imagem inesquecível do abraço que trocamos, às 5 e meia da tarde, em Ferradas, no dia 24 de dezembro de 1989.

Maurício Maron é jornalista e editor do Jornal Bahia Online.

INTERBAIRROS TEM 7 CLASSIFICADOS PARA 4ª FASE; RODADA É ADIADA

Rodada do último domingo foi marcada por goleadas e sete classificados (Foto Divulgação).

Rodada do último domingo foi marcada por goleadas e sete classificados (Foto Paulão Rezende).

A organização do Interbairros suspendeu a rodada deste final de semana de Feriadão de Finados. Os jogos seriam realizados no domingo (1). A organização achou por bem adiar os jogos para 8 de novembro.

Lomanto, Novo São Caetano, Ferradas, São Lourenço, Parque Boa Vista, Pedro Jerônimo e Sarinha. Estão classificados para a quarta fase do campeonato promovido pela Prefeitura de Itabuna.

Os confrontos do dia 8 serão entre Sinval Palmeira x Jaçanã, Conceição x Santa Inês, São Roque x João Soares, Nova Ferradas x Banco Raso, Fátima x Maria Pinheiro, Antique x Pontalzinho, Califórnia x Zizo, Daniel Gomes x Alto Mirante e Mangabinha x Jorge Amado.

PROTESTO DEIXA FERRADAS E NOVA FERRADAS SEM ÔNIBUS

Após protesto em maio, moradores voltam a interditar acesso ao bairro (Foto Pimenta).

Após protesto em maio, moradores voltam a interditar acesso ao bairro (Foto Pimenta).

Um protesto iniciado por volta das 15h de ontem (10) deixa os moradores dos bairros Ferradas e Nova Ferradas sem ônibus. A manifestação também atinge os moradores da vila rural Roça do Povo.

Até agora, os moradores da região retiveram 12 ônibus. Desde ontem, eles exigem a presença do prefeito Claudevane Leite ou de um representante do governo para que negociem melhorias na área do Cajueiro, em Nova Ferradas.

Quando a manifestação começou, ontem, quatro veículos ficaram retidos. Hoje, os moradores decidiram descer até a região da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), na BR-415, e reter também os ônibus da São Miguel e Expresso Cachoeira que fazem linha para os dois bairros e, ainda, para a Roça do Povo.

INTERDIÇÃO DA BR-415

Os moradores de Nova Ferradas exigem melhoria nas vias da região do Cajueiro e, ainda, serviços de esgotamento sanitário. “Até agora ninguém apareceu para conversar conosco. Será que o governo não tem líder?”, questiona um dos manifestantes.

Apenas agentes de trânsito e de fiscalização de transportes do município estão no local. “Não podemos fazer nada”, disse um dos agentes ao PIMENTA. Os moradores não descartam bloquear a BR-415.

MATERIAL DA ESTÁTUA É IMPRÓPRIO

roberto joseO presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), Roberto José, enviou mensagem a este blog, na qual comenta a nota sobre o abandono da estátua do escritor Jorge Amado (leia nota e comentário aqui).

Segundo Roberto, a Ficc aguardou a finalização de perícias e irá restaurar a estátua em breve, porém a mesma terá que ficar  no interior da “Casa de Jorge Amado”, em Ferradas. Ele afirma que especialistas desaconselharam a exposição da escultura ao ambiente externo. O material seria bastante vulnerável ao desgaste, em função de ter sido feito com resina.

Ainda de acordo com o presidente, haverá um concurso entre artistas locais a fim de escolher uma nova escultura para a entrada de Ferradas, onde em janeiro a estátua de Jorge foi vítima de vândalos. O presidente da Ficc ressalta que a perícia confirmou somente que a obra foi alvo de pedradas, mas não de tiros.

ALÔ, EMASA…

Rua de Ferradas está interditada há quase um mês, segundo moradores.

Rua de Ferradas está interditada há vários dias (Foto do leitor).

Moradores da Rua José Alcântara, em Ferradas, pedem à direção da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) para que técnicos concluam serviço iniciado há quase um mês, segundo as “vítimas”. Equipes estiveram no local para reparar a rede de esgoto. Os operários foram embora e – até hoje – nada de terminar o trabalho. Ficou o buraco.

Os moradores reclamam dos riscos, principalmente a crianças. O buraco também impede a passagem de veículos e os moradores acabam ficando sem coleta de lixo. Quem possui veículo, não pode deixá-lo na garagem ou perto de casa, pois a rua está interditada.

ESTÁTUA DE JORGE AMADO É RETIRADA PARA RESTAURAÇÃO

Guindaste retira estátua do trevo de acesso a Ferradas (Foto Thiago Pereira).

Guindaste retira estátua do trevo de acesso a Ferradas (Foto Thiago Pereira).

A estátua do escritor Jorge Amado foi retirada, ontem, 29, do trevo de acesso a Ferradas, em Itabuna, para restauração, após ser alvo de tiros e apedrejamento. A ação dos vândalos repercutiu nacionalmente.

De acordo como presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), José Roberto Silva, a imagem será transferida para outro local, “pois o material utilizado na confecção da mesma é inapropriado para exposição”.

Confeccionada pelo escultur Lavrud Durval, a estátua bronzinada tem 1,85 metro de altura e faz parte das homenagens ao centenário de nascimento do escritor itabunense.

ENTREVISTA À PIAUÍ: AZEVEDO MOSTRA DESCONHECIMENTO DA OBRA DE JORGE AMADO

Azevedo: desconhece obra de Jorge.

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, foi classificado como “bravo defensor da cultura e história do município” pela Revista Piauí, edição 67, deste mês que está nas bancas. Mas é pura ironia…

No final do texto da revista é dito que o prefeito e oficial reformado da PM jamais leu qualquer livro do escritor Jorge Amado. E ainda tentou enrolar o interlocutor quando foi entrevistado. Confira a parte reveladora do texto:

Naturalmente, o prefeito há de ser um bom conhecedor da obra do homenageado. ‘Exatamente… tranquilo’, tentou desconversar quando questionado sobre seu livro predileto de Amado. Até que desceu do muro: “Bem… Gabriela, que teve aquela novela, né?”, escreveu o jornalista Marcelo Bortoloti, na seção Esquina.

No texto intitulado “Papa-jacas perdoam amado?”, o jornalista fala sobre possível reconciliação da população de Itabuna como seu filho mais ilustre o escritor nascido em Ferradas, que neste completará o centenário de nascimento em agosto.

Personagens da cidade são citados, como o aposentado Nilton Ferreira Ramos, o Jega-Preta, que se diz magoado até hoje com o desapreço do escritor com sua terra natal e pela desprestigiosa frase dita por Jorge em dois dos seus livros Terras do Sem Fim e Navegação de Cabotagem: “Ferradas é cu do mundo”. Pano rápido.

ONDE NASCEU JORGE AMADO?

Isaac Albagli | [email protected]

Quando vereador, resolvi propor o título de Cidadão Ilheense ao nosso escritor. Quem registra é dono, e Itabuna registrou Jorge Amado, mas nós, ilheenses, estamos na posse mansa e pacífica.

Encarregado de preencher as “fichas” da Academia de Letras de Ilhéus criada em 1958, o seu primeiro secretário, jovem advogado Francolino Neto, aguardou quatro anos para, pessoalmente, colher os dados do acadêmico Jorge Amado.

De caneta em punho e após preencher o nome, endereço e filiação do romancista, à época já famoso, fez a pergunta: “Local de nascimento?”. “Pergunte ao meu pai…” – se esquivou Jorge Amado. Na sua carteira de identidade constava a cidade de Itabuna como local do nascimento, mas no fundo ele sabia que havia uma polêmica tanto familiar como “de ordem pública”.

Francolino Neto não se fez de rogado e foi até Itajuípe para se encontrar com o fazendeiro João Amado, pai do escritor. O Coronel João não vinha a Ilhéus há muito tempo, pois tinha pavor a vergalho de boi… Diziam as más línguas que o coronel se engraçou com uma mulher casada e acabou tomando uma surra de vergalho de boi.

Mas voltemos ao encontro de Dr. Francolino com o Coronel João Amado. Encontraram-se na firma compradora de cacau Wildberg & Cia. e o secretário da Academia foi direto ao assunto. O Coronel João Amado disse então a Francolino: “Jorge nasceu na Fazenda Auricídia que ficava na zona do Repartimento no limite entre os municípios de Itabuna e Itajuípe.”

A maior parte da fazenda pertencia em 1912, ano do nascimento de Jorge, a Itabuna, antiga Tabocas. que em 1910 tinha se emancipado de Ilhéus. Mais precisamente no distrito de Ferradas, na época próspero entroncamento de tropeiros. A outra parte da fazenda pertencia ao 7º Distrito de Ilhéus, denominado de Pirangi, mais tarde emancipado e que originou o município de Itajuípe.

Dr. Francolino, rápido no raciocínio, fez então a pergunta fatal. “E de que lado ficava a sede da fazenda?” João Amado não titubeou: “Ficava em Pirangi”. Francolino deu uma risadinha marota e tascou na “ficha” de Jorge Amado – Local de Nascimento: Ilhéus, Bahia, Brasil. A Lei 807 de 28 de julho de 1910, que criou o município de Itabuna, sancionada pelo então governador Araújo Pinho, não era muito precisa nas indicações dos limites territoriais, principalmente quando não existiam rios ou ribeirões para delimitação com maior precisão.

:: LEIA MAIS »

QUADRILHA ATERRORIZA MOTOCICLISTAS

Uma quadrilha especializada em roubar motos vem agindo há duas semanas nas estradas vicinais de Ferradas, Roça do Povo e Itamaracá, em Itabuna.

O último roubo aconteceu nesta quarta-feira (18), pela manhã, na estrada que liga Ferradas à Roça do Povo. Nas últimas duas semanas, quatro pessoas foram assaltadas e perderam suas motos na estrada de acesso à Roça do Povo.

Outros dois assaltos ocorreram na ponte que liga Ferradas a Itamaracá.  E tudo facilitado pela falta de policiamento e a proximidade com a BR-415.

FERRADAS COMEMORA 195 ANOS

Antigo ponto de parada de tropeiros que se deslocavam entre o sul e o sudoeste da Bahia, o bairro itabunense de Ferradas está completando 195 anos de história. Para marcar o aniversário, uma interessante programação cultural foi montada pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania. As atividades acontecem de 15 a 19 deste mês.

Constam na programação a apresentação de fanfarras, desfile temático, mostra de cinema, lançamento de livros, ruas de lazer, tarde recreativa e participação de artistas regionais. Na mostra de cinema, um dos destaques da agenda, serão exibidos 15 filmes produzidos na Bahia.

Os produtores culturais Eva Lima e Ari Rodrigues coordenam os eventos.

NÃO APRENDEU A LIÇÃO

Adylson Machado

Pelo que vimos segunda-feira, em Ferradas, o poeta e contista Cyro de Mattos não aprendeu a lição ministrada pelo mestre Jorge Amado.

Uma intervenção lamentável. Não pode ser outra a adjetivação para a desastrosa manifestação do Presidente da FICC, Cyro de Mattos, depois de encerrada a programação de lançamento, em Ferradas (segunda-feira, 9), de um projeto da comunidade voltado para a comemoração do centenário de nascimento do escritor Jorge Amado, a ocorrer em 10 de agosto de 2012 (confira aqui).

Desastrosa (outra adjetivação que se impõe) porque efetivou a lamentável interferência quebrando o protocolo, que fizera inserir falas curtas dos que compunham a Mesa e dos que apresentaram o Projeto “JORGE 100 anos AMADO”, imediatamente à fala do Prefeito Municipal, José Nilton Azevedo, a quem cabia o encerramento do evento.

Não fora isso, enveredou por gongóricas considerações – em 90% publicizando sua atividade de escritor – descambando por considerações outras, como se falasse para um público que não entenderia o que dissesse, como quando confundiu o lançamento de CACAU (1931) como obra amadiana que inseriu a geografia grapiúna na literatura do ilustre ferradense, o que somente ocorreria com TERRAS DO SEM FIM, em 1943.

Desconheceu no texto, de forte componente idealístico (de um radical de esquerda, daí porque seria obra menor, disse-o o próprio Cyro de Mattos), que Jorge Amado utilizou-o para denunciar mazelas da cultura/economia cacaueira como expressão da exploração capitalista, o que implica observá-la sobre qualquer espaço onde existisse o fruto de ouro, fosse Itabuna, Ilhéus, Canavieiras, Itororó, Ibicaraí, Camacã, Itajuípe etc., o que afasta a observação autoral (posta sob olhar econômico), da evidente temática abordada em TERRAS DO SEM FIM, configuradora de uma geografia física determinada, envolvendo os conflitos pela conquista das terras do Sequeiro, envidados pelos personagens Horácio e Sinhô Badaró.

:: LEIA MAIS »

DIRETO AO PONTO

Nesta quarta à noite, a Câmara Municipal realizou sessão itinerante em Ferradas. Lá, os vereadores abriram os microfones para os moradores dizer o que sentem na pele todos os dias.

Os ferradenses tinham um sem-fim de carências: da falta de segurança pública a sistema de transporte coletivo precário, ruas esburacadas, saúde ruim, água salobra fornecida pela Emasa e inexistência de área de lazer

Tudo foi anotado com presteza pelos nobres edis para, mais adiante, ser cobrado do prefeito e dos secretários municipais – que, convidados, não compareceram.

A fatura era alta para ser entregue e atendida lá nas bandas do centro administrativo Firmino Alves. Desconfiado, um astuto morador se levanta, pede o microfone e dispara:

– Seria bom que vocês [vereadores] realizassem uma nova sessão, daqui a três meses, pra dizer o que a prefeitura atendeu. É pras coisas não ficar só no papel, vocês tirar os seus da reta e a gente ficar aqui do mesmo jeito.

A sinceridade calou fundo e os edis concordaram com uma nova sessão itinerante.

Em tempo: se é certo que faltou representante do município, o mau exemplo começou em casa. Apesar da Câmara contar com 13 vereadores, na sessão em Ferradas compareceram apenas os vereadores Vane do Renascer, Wenceslau Júnior, Clóvis Loiola e Ricardo Bacelar.

DE PALAVRA

O comando do 15º Batalhão da PM mostrou que é, como se diz, “de palavra”.

Na semana passada, o tenente-coronel Jorge Ubirajara Pedreira esteve em Ferradas, ouviu as carências da comunidade na área de segurança pública e prometeu uma moto exclusivamente para as rondas no bairro – esquecido do poder público como todos os periféricos.

A moto será entregue ainda nesta noite, durante uma sessão itinerante da Câmara de Vereadores no bairro. “Não ficamos só na promessa”, disse Ubirajara ao repórter Fábio Luciano. “Prometemos na semana passada e estamos entregando hoje”, complementou. A moto será utilizada no policiamento ostensivo das ruas de Ferradas.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia