WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba










novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘Ferrovia Oeste-Leste’

ESTAMOS REALMENTE PREPARADOS?

José Januário Félix Neto | netto_felix74@hotmail.com

A dicotomia partidária não pode ser transformada em dissonância administrativa de crescimento e planejamento para as soluções da desigualdade social que acomete o nosso município.

Itabuna é conhecida estadualmente pela sua capacidade em ser prestadora de bens e serviços, o seu comércio é forte, competitivo e inovador. Mas, ao longo dos anos a capacidade de investimento da prefeitura local para otimizar serviços essenciais e avançar  socialmente foi insuficiente devido a inércia municipal em promover políticas assistenciais para inclusão de jovens no mercado de trabalho.

A violência incessante, endêmica na região, educação básica com profissionais, educadores desestimulados, não há promoção de atividades sociais para inclusão de jovens que estejam em situação de risco, elevando mais ainda o índice de pessoas com idade entre dezoito e trinta anos sem formação escolar ou qualificação adequada para o novo mercado de trabalho e suas nuances, empurrando-os para atividades ilícitas.

Com o advento de três grandiosas obras em nossa região, sendo uma delas diretamente em nossa cidade, ficamos a mercê da sorte. A ferrovia Oeste-Leste (FIOL), com investimentos da ordem de R$ 7, 43 bilhões; o Porto Sul, que escoará grãos, minérios e combustíveis, interligando a região cacaueira ao oeste baiano – gerando recursos diretos e indiretos, e a implantação da Ufsba, que trará novos cursos de graduação superior, tecnologia e qualificação, será a mudança e exigibilidade de nova dinâmica em nossa cidade.

Não ficaremos restritos à mão de obra na construção civil ou a serviços de baixa complexidade. Seremos expostos nacionalmente, haverá uma forte mutação socioeconômica em Itabuna.

A fragilidade dos jovens em idade promissora para inclusão no mercado de trabalho demonstra a cumplicidade e negligência do poder público na degradação social. A falta de ação governamental em fomentar cursos destinados à profissionalização e qualificação do homem e retirá-lo do ostracismo irá retardar o crescimento da nossa cidade, trazendo sérios danos à sociedade grapiúna.

:: LEIA MAIS »

OBRAS DA FERROVIA OESTE-LESTE CORREM RISCO DE NOVA PARALISAÇÃO

Os problemas de licenciamento ambiental podem levar o Tribunal de Contas da União (TCU) a paralisar as obras de construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

Segundo a Folha, o problema principal está justamente no porto. “O governo da Bahia e a ENRC (Bamin), responsáveis pela obra, ainda não conseguiram a licença ambiental. Por causa disso, o ministro André Luiz de Carvalho preparou parecer pedindo a paralisação das obras no trecho entre Caetité e Ilhéus”, diz o jornal.

Acrescenta que, para o ministro, “a obra não pode continuar até que os problemas ambientais no porto e também numa região de cavernas sejam solucionados, sob risco de dano ao erário”.

O TCU informou que o processo saiu da pauta, “pois se identificou a necessidade de complementação de algumas informações técnicas”.
Possivelmente voltará neste mês. A Valec informou que passou diretrizes técnicas às empresas para o novo local e já está adaptando o projeto.

LICENÇA LIBERADA EM JUNHO

O secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, disse que o governo baiano trabalha com a perspectiva de que a licença para o porto saia em junho. Na entrevista concedida ao jornal A Tarde, o secretário diz que as respostas a 170 questionamentos feitos pelo Ibama serão entregues nesta semana, um calhamaço de 4 mil páginas.

GOVERNO ACUSA VALEC DE EMPERRAR OBRAS DA FERROVIA OESTE-LESTE

James Correia acusa direção da Valec (Foto Tiago Melo/BN).

“Se a Valec não tem capacidade de coordenar a Fiol, admita. A Fiol é a maior que ela tem, a única ferrovia que já nasce superavitária. E não dá para imaginar que tudo fique emperrado por incompetência. Está na hora da Bahia lutar pela presidência da Valec”.

O desabafo é do secretário estadual de Indústria e Comércio, James Correia, publicado na coluna Tempo Presente, d´A Tarde, edição desta quarta-feira, 2.

O colunista Levy Vasconcelos relata que a construtora Andrade Gutierrez estava com 2.300 homens contratados no canteiro Jequié das obras da ferrovia por acreditar na palavra do governo de que as obras iriam decolar, mas teve que demitir a maioria deles. Ficou com apenas 200.

Ferrovia tem pouco mais de 5% das obras prontas.

O superintendente estadual do Ibama, Célio Costa Pinto, disse que foi concedida Licença de Implantação para 500 km, mas teve que suspendê-la porque a Valec, a estatal do governo que constrói e explora ferrovias, não conseguiu cumprir o Plano Básico Ambiental. Por conta disso, o órgão ambiental está liberando a Fiol a conta-gotas, de 20 em 20 quilômetros.

O jornalista lembra que os ministros Miriam Belchior, do Planejamento, e Sérgio Passos, dos Transportes, além do governador Jaques Wagner, fizeram reunião de trabalho dia 10 em Jequié. Empresários e governo estão à beira de um ataque de nervos.

DEMISSÕES E PARALISAÇÃO NO LOTE I DA FERROVIA OESTE-LESTE

Duas semanas após as visitas dos ministros Miriam Belchior (Planejamento) e Paulo Sérgio Passos (Transporte) ao sudoeste da Bahia para vistoriar o andamento da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol), a Alta Engenharia deu início a demissões de funcionários e está paralisando as desapropriações no trecho entre Ilhéus e Ipiaú, no sul da Bahia (lote I).

O clima é de apreensão e compromete ainda mais o calendário da ferrovia. Originalmente, o trecho Ilhéus-Caetité deveria ser entregue neste ano, já para permitir o início da exportação de minério de ferro explorado pela Bahia Mineração (Bamin) em Caetité. Tanto o licenciamento para o terminal privado da Bamin ainda não saiu como a obra da Fiol.

A ferrovia enfrenta diversos entraves e determinação de paralisações por parte do Tribunal de Contas da União (TCU), cujos ministros enxergaram superfaturamento na aquisição de trilhos e equipamentos para a construção da Fiol.

WAGNER SOBRE NEVILLE CHAMBERLAIN: “MATÉRIA DA VEJA ESTÁ EIVADA DE MENTIRAS”

Em Jequié, Wagner rebate Veja (Foto Manu Dias).O governador Jaques Wagner disse em Jequié, há pouco, que a matéria da revista Veja apontando-o como um dos políticos que intercederam para salvar da degola Neville Chamberlain, superintendente da Ferrovia Oeste-Leste, é mentirosa.

Ele negou que tenha intercedido por Chamberlain. “Não fiz isso. A matéria da Veja está eivada de mentiras”, afirmou o governador baiano, que saiu em defesa do suspeito de irregularidades à frente do projeto Fiol. “Nevile é um técnico que está na área ferroviária há 25 anos”.

Na matéria da revista semanal da editora Abril, o executivo da Valec aparece em diagnóstico do presidente da Valec, José Eduardo Castello Branco, como incompetente, suspeito de irregularidades e próximo de empreiteiras.

Jaques Wagner também comentou sobre o andamento da licença ambiental do Porto Sul. Para ele, a determinação judicial para realização de audiências públicas em Itacaré e Uruçuca não atrasam o andamento do projeto. “[Se precisar] Elas vão ser feitas, mas não comprometem o andamento [do projeto]“.

MINISTRA DIZ QUE DESAPROPRIAÇÕES PROVOCAM LENTIDÃO EM OBRAS DA FIOL

Miriam Belchior observada por Wagner e Paulo Sérgio Passos (Foto Manu Dias).

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, reconheceu a lentidão nas obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e numa tentativa de resposta à inquietação do presidente da Bamin, José Francisco Viveiros (veja aqui), disse que os três primeiros lotes da obra serão entregues até junho de 2014. O primeiro trecho da obra tem extensão de 537 quilômetros e ligará Ilhéus e Caetité, onde a Bamin possui mina de ferro.

Belchior afirmou que a lentidão se deve, em grande parte, ao ritmo das desapropriações de terrenos na trecho da obra. Ela, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, o governador Jaques Wagner, o presidente da Bamin, José Francisco Viveiros, e representantes de consórcios da obra concluíram, há pouco, reunião de trabalho em Jequié, no sudoeste baiano.

A ministra afirmou que uma diretoria será criada exclusivamente para cuidar (e acelerar) as desapropriações. Outro ponto que está atravancando as obras é a compra de dormentes, questionada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e que teria preços bem além dos da Ferrovia Transnordestina. Uma proposta quanto a esta questão, conforme disse em coletiva, será apresentada até o dia 16 de abril.

Belchior e o grupo que participou da reunião trataram de afirmar que a reunião técnica de hoje não foi “um soluço”. Segunda ela, reuniões serão realizadas periodicamente “para acelerar o andamento das obras”.

OBRAS DA FIOL PARALISADAS HÁ UM MÊS

As obras da Ferrovia Oeste-Leste na região sulbaiana estão paralisadas há 30 dias por causa do calote do consórcio responsável pelo lote I. Ontem, os trabalhadores aceitaram proposta de pagamento dos salários pendentes de dezembro nesta quarta (8) e quitação de duas das três cestas básicas atrasadas na próxima sexta (10).

Os trabalhadores realizaram assembleia, ontem, em Barra do Rocha para decidir o retorno ao trabalho, o que deve acontecer ainda hoje ou na próxima segunda (13). O consórcio responsável pelas obras da Ferrovia Oeste-Leste promete pagar o salário de janeiro nos próximos dias 16 e 17, conforme o Barra do Rocha News.

A ferrovia interligará Fernandinópolis (TO) a Ilhéus (BA) e terá como principal finalidade o transporte de grãos e minérios, integrando o Complexo Intermodal Porto Sul, que prevê investimentos de, aproximadamente, R$ 6,5 bilhões. Desse montante, parte será destinada à construção do porto público e do terminal privado, além do aeroporto internacional ilheense.

O DESTINO DE EVA CHIAVON

Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano.

O governador Jaques Wagner não costuma dar nó em pingo de água à toa. O ingresso da ex-secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, ao Ministério do Planejamento, desencadeia uma espiral no tabuleiro político baiano, mas, principalmente, brasileiro. No primeiro plano, o prelúdio de uma reforma administrativa na Bahia. No segundo, o uso de uma cortina de fumaça para esconder as reais intenções do PT paulista para disputar a prefeitura de Santo André.

Por um ano, convivi com o governador dos baianos e pude notar que Wagner, às vezes, como no jogo de xadrez, expõe a rainha para criar mais alternativas, mas, principalmente, preservar o rei. Se por um lado, a pequena Eva Chiavon vira uma subalterna da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, por outro, assume a coordenação do PAC, mas, especialmente, é a primeira da lista para comandar o ministério, caso Belchior, concorra às eleições de 2012 para a prefeitura de Santo André.

Com a proximidade das eleições municipais, nenhuma alternativa é descartada. No caso de São Paulo, a possibilidade de manter acesa às chances da viúva do ex-prefeito Celso Daniel, a ministra Miriam Belchior, de disputar uma das três cabeças do ABC paulista. No caso da Bahia, o senso de oportunidade de quem abre mão da sua principal secretária para participar do núcleo central do governo Dilma Rousseff.

É um olho na missa, outro no padre. Afinal de contas, ninguém é insubstituível. Saiu José Dirceu assumiu a mulher que seria sucessora do presidente Lula. O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano. A Ferrovia Oeste-Leste, Porto Sul, Copa 2014, metrô de Salvador, a duplicação da BR 101 e dezenas de obras de saneamento básico ancoradas no PAC.

É verdade que o deputado estadual e pré-candidato à prefeitura de Santo André, Carlos Grana (PT/SP), anunciou a desistência da ministra do Planejamento. Mas, também é verdade de que ninguém ouviu nada de Miriam Belchior. A política é dinâmica para quem acompanha a dinâmica dela. Até por que, esconder o jogo também faz parte.

Sócrates Santana é jornalista.

“NÓS VAMOS GANHAR A ELEIÇÃO COM O APOIO DO PT”, DIZ DAVIDSON

Magalhães diz que esta é a vez do PCdoB e quer apoio do PT.

O presidente da Bahiagás, o prefeiturável Davidson Magalhães (PCdoB), negou ao PIMENTA que a composição da chapa majoritária tenha sido o assunto da reunião com o deputado Geraldo Simões. De acordo com ele, o papo foi para discutir o fim dos ataques entre PT e PCdoB por causa da disputa de nomes a vereador. Mas… ressalta ter sido este o passo inicial para um diálogo visando à composição da chapa a prefeito.

Davidson reafirma a intenção comunista de manter a candidatura a prefeito até o fim. O partido tem dois nomes no páreo: o do próprio dirigente e o do vereador Wenceslau Júnior.

Segundo o cururu, tanto o governador Jaques Wagner como o PT sabem do projeto comunista em Itabuna. “Não está posta, em nenhum momento, a retirada de candidatura a prefeito. A nossa decisão política foi tomada e estamos conversando com todos os partidos da base”.

O dirigente da Bahiagás e do PCdoB baiano insiste na teoria de que há um esgotamento de nomes no PT e prega que o partido da estrelinha apoie o PCdoB em 2012. “Com o apoio do PT, com o papel destacado de Geraldo, nós vamos aglutinar e tenho certeza que vamos ganhar a eleição”, acredita, lembrando da dobradinha das legendas em 2004 e 2008 com os cururus no papel de vice.

O comunista diz que as pesquisas apontam, além do esgotamento petista, a necessidade de um novo modelo de gestão. E faz críticas ao jeito “improvisado” de governar, implantado pelo prefeito Capitão Azevedo (DEM). Para Davidson, a cidade precisa de um governo antenado com as mudanças que acontecerão no sul da Bahia a partir dos projetos de grande impacto executados pelos governos baiano e federal, a exemplo da Ferrovia Oeste-Leste e do Porto Sul.

SENADOR DIZ QUE HÁ INTERESSES CONTRÁRIOS À FERROVIA OESTE-LESTE

Pinheiro fala de interesses e tramas contra ferrovia.

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) usou a tribuna nesta terça (6) para criticar a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), de paralisar as obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) por considerar o projeto “desatualizado”.

Para o senador baiano, existem grandes interesses contrários à obra e apontou a existência de grupos que tramam contra a construção da ferrovia que integrará os estados de Goiás, Tocantis e Bahia, desembocando em Ilhéus. Ele vê, ainda, o TCU extrapolando as suas funções, quando, “de órgão fiscalizador passa a ser legislador, passa a ser órgão do Executivo.

Pinheiro demonstrou irritação porque essa nova paralisação ocorre dias após o Ibama ter liberado a obra. E ironiza:

– A obra acabou de ser autorizada para retomar e jádesatualizou? Tão rápido assim? Então, ela não está de trem, ela está de avião,de tão veloz.

A promessa do senador é de que cobrará, pessoalmente, explicações do Ministério dos Transportes sobre o que, de fato, ficou desatualizado no projeto a ponto de levar o TCU a tomar tal decisão.

GLOBO CITA REAÇÃO DE AMBIENTALISTAS À FERROVIA OESTE-LESTE

Após pesadas críticas às deficiências do sistema brasileiro para o transporte da produção de grãos no Brasil, a Rede Globo voltou à carga contra as obras do Complexo da Ferrovia da Integração Oeste-Leste. A postura, incoerente para alguns, tem a ver com os interesses dos donos da Vênus Platinada no sul da Bahia. No Jornal da Globo desta sexta, a emissora destacou a visita presidencial a Ilhéus para renovar a artilharia. Espaço novamente aproveitado pelo professor Rui Rocha, do Instituto Floresta Viva. “Essa obra pode ser uma tragédia”, enfatiza o dirigente da ONG.

TOPA ALFABETIZOU 953 MIL BAIANOS, DIZ WAGNER

Na primeira edição do programa Conversa com o Governador após as eleições, Jaques Wagner fala da alfabetização de 953 mil alunos pelo programa Todos pela Alfabetização (Topa) em menos de quatro anos e da assinatura da ordem de serviço da Ferrovia da Integração Oeste-Leste, na próxima sexta-feira, 10, em Ilhéus.

O Topa encerra 2010 muito próximo da meta de alfabetizar 1 milhão de baianos. Na manhã de sexta-feira, mil alunos alfabetizados participam de solenidade de formatura que terá presença do presidente Lula, em Salvador. Wagner promete foco no Ensino Fundamental no seu segundo mandato.

Clique no play para ouvir a Conversa com o Governador, apresentação de Edmundo Filho.

LULA E SÃO TOMÉ

Virou motivo de piada a última visita de Lula ao sul da Bahia ainda na condição de presidente da República. Já foram divulgadas três datas da vinda do mandatário-mor do País a Ilhéus, para dar a largada na obra de construção da Ferrovia Oeste-Leste. Agora, a última é que Lula virá na sexta-feira (10), à tarde, depois de cumprir agenda em Salvador.

Será?

LULA EM ILHÉUS NO DIA 8

EM PRIMEIRA MÃO

Agora é oficial: o presidente Lula vem ao sul da Bahia na próxima quarta-feira, 8, para solenidade de início das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), trecho Ilhéus-Caetité. De acordo com a assessoria do governo federal, o horário de chegada do presidente será definido até o final da tarde desta quinta.

Acompanhado de comitiva integrada pelo governador reeleito Jaques Wagner, o presidente dá a partida a uma das maiores obras de infraestrutura da história baiana. São previstos investimentos de R$ 4 bilhões, tocados pela estatal Valec Engenharia e executados por empresas vencedoras dos primeiros lotes da licitação da Fiol.

A licença ambiental para o primeiro trecho da obra foi concedida na última terça (30). A ferrovia terá extensão total de 1,5 mil quilômetros e integrará as regiões norte e centro-oeste brasileiras com o sul da Bahia, exportando desde grãos a minérios, como o ferro que será extraído pela Bamin no município de Caetité, no sudoeste baiano.

Também na próxima quarta deverá ser inaugurada a primeira fábrica de chocolate sul-baiana nos moldes do PAC do Cacau. A unidade está localizada no município de Ibicaraí, a 70 quilômetros de Ilhéus. A fábrica tem investimentos da prefeitura local e do governo baiano. A inauguração não contará com a presença de Lula, mas do governador Jaques Wagner e do prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana.

TCU ENCONTRA “IRREGULARIDADE GRAVE” NA FIOL

Desenterrem a cabeça de jegue que se encontra sob a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). Após sucessivos adiamentos ou suspeição da obra, vem mais uma: o Tribunal de Contas da União (TCU) apontou indício de irregularidade grave no trecho Caetité-Barreiras da Fiol. Isso significa ameaça de bloqueio de verbas para o trecho da obra, que tem extensão total de 1,5 mil quilômetros e custo divulgado de R$ 4 bilhões. Ela interligará o Tocantins ao sul da Bahia, desembocando em Ilhéus.

A irregularidade grave, segundo relatório do TCU, foi encontrada na licitação do lote que corresponde à construção de uma ponte sobre o rio São Francisco. A obra, de R$ 146.762.458,23, teria apresentado itens que restringiam a competitividade, “decorrente de critérios inadequados de habilitação e julgamento”. A ferrovia integra o Complexo Intermodal Porto Sul.

CONCLUÍDA LICITAÇÃO DOS 2 PRIMEIROS TRECHOS DA FERROVIA OESTE-LESTE

A Valec concluiu ontem a licitação do trecho baiano da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e 24 empresas vão construir os 1.022 de ferrovia entre Ilhéus, no sul da Bahia, e Barreiras, no Oeste do estado. A obra foi dividida em sete lotes e tem investimento previsto de R$ 4,198 bilhões, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

De acordo com o Valor Econômico, o consórcio que venceu o maior contrato – de R$ 739,9 milhões – é formado pelas construtoras Andrade Gutierrez, Barbosa Mello e Serveng. O segundo maior lote – R$ 720,1 milhões – ficou com a Mendes Junior, Sanches Tripolini e Fidens. Os consórcios têm, juntos, 24 empresas.

De acordo com a Valec, o primeiro trecho da ferrovia, entre Ilhéus e Caetité, terá 537 quilômetros de extensão e deve ficar pronto em julho de 2012. A segunda etapa, Caetité-Barreiras, deve ser entregue em julho de 2013, sendo que o trecho até Figueirópolis ainda encontra-se em estudo.

A ferrovia transportará 52 milhões de toneladas de cargas até 2018, sendo que mais de 85% será de minério de ferro da Bahia Mineração Limitada (Bamin), entre Caetité e Ilhéus. Além de minério, outras cargas já previstas são álcool, açúcar e grãos. Bernardo Figueiredo, da Agência Nacional de Transportes e Terrestes (ANTT), aposta que a ferrovia mudará a “cara da Bahia”.

Empresas que venceram os sete primeiros lotes (Arte Valor).

PESQUISAS

Marco Wense

Como andam as intenções de voto, aqui no sul da Bahia, principalmente nas cidades de Itabuna e Ilhéus, nos candidatos Jaques Wagner (PT), Paulo Souto (DEM) e Geddel (PMDB)?

Como não tem uma pesquisa registrada e publicada na imprensa, a confusão é geral, com cada partido dizendo que seu candidato está bem na frente do outro.

Uma coisa é certa: a vinda do presidente Lula para lançar a pedra fundamental da ferrovia Oeste-Leste e a autorização do serviço de duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna vai acrescentar uns pontinhos na cada vez mais provável reeleição de Wagner no primeiro turno.

MUTIRÃO

A justiça eleitoral, através da sua instância maior (TSE), em parceria com outros tribunais, tem que julgar todas as pendências que se encontram “sub judice”. É bom lembrar que daqui a dois anos teremos a sucessão municipal.

Do contrário, o lenga-lenga vai continuar: Fulano pode ser candidato hoje, amanhã não pode mais. Cicrano é ficha suja hoje, amanhã é ficha limpa. O pobre do eleitor, coitado, fica como cego em tiroteio.

O cidadão-eleitor-contribuinte, como diria o irreverente jornalista Eduardo Anunciação, ainda corre o risco de votar em um candidato que pode ter seu diploma cassado. Essa instabilidade prejudica o Estado democrático de Direito.

NA VITRINE

O ex-ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, adora aparecer no noticiário político com declarações polêmicas. Essa doentia obsessão termina criando problemas para a campanha da candidata Dilma Rousseff.

Dirceu anda dizendo, só para citar um exemplo mais recente, que o PT vai ficar duas vezes mais forte com a eleição de Dilma. Insinua, nas entrelinhas, que o PMDB não terá os mesmos espaços que tem no governo Lula.

Agindo assim, em plena efervescência eleitoral, Dirceu cria uma perspectiva de que o relacionamento de Dilma com o pragmático PMDB será o pior possível. Suas intempestivas previsões só fazem alimentar o discurso da oposição de que Dilma terá dificuldades no trato com os partidos aliados e, principalmente, com o peemedebismo.

Além do PSDB, do DEM e das denúncias que pipocam por todos os lados, a campanha de Dilma tem o José Dirceu. O Zé inconsequente. O Zé incendiário.

PT versus PSDB

A coordenação política da campanha de Dilma Rousseff já decidiu que não vai entrar no jogo do PSDB de nivelar o processo eleitoral por baixo.

Algumas lideranças petistas, no entanto, contrariando a decisão já tomada, começam a defender o uso da reportagem da revista Carta Capital no horário eleitoral da televisão e do rádio.

A reportagem diz que a empresa Decidir.com, que tem como sócias Verônica Serra, filha do presidenciável José Serra, e Verônica Dantas, irmã do banqueiro Daniel Dantas, alvo de investigação pela Polícia Federal, suspeito de cometer vários crimes contra a economia, conseguiu ter acesso aos sigilos bancários de 60 milhões de brasileiros.

Sobre o assunto em tela, a inquestionável sabedoria popular costuma dizer duas coisas: 1) quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado do vizinho. 2) macaco não olha para o próprio rabo.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

LULA EM ITABUNA E ILHÉUS NO DIA 29

Presidente assinará ordens de serviço
da Ilhéus-Itabuna e da Oeste-Leste

O governador Jaques Wagner havia antecipado, numa exclusiva ao Pimenta, que o presidente Lula retornaria ao sul do Estado ainda neste mês para lançar a pedra fundamental da ferrovia Oeste-Leste. Agora foi definida a data: será no dia 29 de setembro.

Não só para lançar a pedra fundamental da ferrovia de R$ 4,5 bilhões. O presidente estará em Itabuna para assinar a ordem de serviço de duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna. A nova pista será construída à margem direita do rio Cachoeira.

Ao Blog do Thame, o governador confirmou a data do compromisso de Lula no sul da Bahia. A visita ocorre exatos seis meses após viagem à região para inaugurar o Gasoduto de Integração Sudeste-Nordeste (Gasene) e lançamento do edital da Ferrovia Oeste-Leste.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia