WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Flamengo’

MENOS DE 24H APÓS TÍTULO DA LIBERTADORES, FLAMENGO É CAMPEÃO BRASILEIRO

Flamengo conquistou a Librertadores ontem e fatura o Brasileirão sem entrar em campo neste domingo || Foto Alexandre Vidal/CRF

O Flamengo nem entrou em campo neste domingo, mas acaba de conquistar, matematicamente, o Campeonato Brasileiro de 2019, menos de 24 horas depois do título de bicampeão da Libertadores da América.

O título nacional foi confirmado com a ajuda do Grêmio, que bateu o Palmeiras, em São Paulo, por 2 a 1. Como o time paulista ficou a 13 pontos do Flamengo e restam, agora, só 4 rodadas, o Palmeiras não tem mais como superar o rubro-negro na tabela de classificação (68 pontos contra 81 do time carioca).

Domingo inesquecível para os rubro-negros. A entrega da taça do Brasileirão 2019 deve ocorrer na próxima quarta, quando o Flamengo enfrentará o Ceará, às 21h30min, no Maracanã. O título antecipado é o sétimo dos cariocas na história do Brasileirão.

FLAMENGO É BICAMPEÃO DA LIBERTADORES DA AMÉRICA COM VIRADA ÉPICA

Flamengo é bicampeão da Libertadores da América em 2019 || Reprodução

Numa virada histórica, o Flamengo acaba de faturar a Libertadores da América de 2019 diante do argentino River Plate, por 2 a 1. O bicampeão chegou ao título depois de sofrer um gol antes dos 15 minutos de jogo e virar a partida no finalzinho, com Gabigol marcando duas vezes, aos 43 e aos 46 minutos do segundo tempo.

FLAMENGO E RIVER PROTAGONIZAM FINAL INÉDITA – E HISTÓRICA – DA LIBERTADORES

Flamengo e River Plate fazem final inédita e histórica da Libertadores || Fotos Reuters/Agência Brasil

Neste sábado (23), a partir das 17h (horário de Brasília), Flamengo e River Plate, da Argentina, escreverão mais uma página da longa história de conquistas e glórias do futebol sul-americano, protagonizando uma final inédita de Copa Libertadores da América, no Estádio Monumental de Lima (Peru).

O ineditismo do jogo está no fato de as duas equipes se enfrentarem pela primeira vez na decisão da competição. E a importância histórica se dá porque esta é a final de número 60 da Libertadores, torneio que, pela primeira vez, terá uma final em partida única.

Uma decisão de Libertadores entre um time do Brasil e outro da Argentina não é uma novidade na história da competição. Elas já aconteceram em 14 oportunidades, com cinco vitórias brasileiras e nove argentinas. O Flamengo nunca esteve nesta situação, enquanto o River já encontrou um time brasileiro em confrontos decisivos, há mais de 40 anos. Foi em 1976. E deu Brasil. O Cruzeiro acabou campeão.

O rubro-negro carioca e os millonarios já se enfrentaram em quatro oportunidades na história da Libertadores. No ano de 1982, em uma semifinal em formato triangular que também contava com o Peñarol, o Flamengo derrotou o River Plate em duas oportunidades, por 3 a 0 jogando em Buenos Aires, e por 4 a 2 atuando no Rio de Janeiro.

As duas outras partidas aconteceram em 2018 pela fase de grupos da competição. Elas terminaram empatadas, 2 a 2 no Rio de Janeiro e 0 a 0 em Buenos Aires. Com informações d´Agência Brasil.

EM PITUAÇU, BAHIA VENCE O GRÊMIO E ENTRA NO G-4

Fernandão fez o gol da vitória contra o Grêmio || Foto Felipe Oliveira/ECBahia

Um gol de pênalti colocou o Bahia, provisoriamente, entre os 4 melhores do Brasileirão 2019, há pouco, no Estádio de Pituaçu, em Salvador. O gol foi marcado pelo atacante Fernandão, batendo o temível Grêmio por 1 a 0.

O time chega aos 13 pontos – empatando com o Flamengo e o líder, Palmeiras – e alcança a terceira colocação em 7 jogos. Já o Grêmio, caiu na Zona de Rebaixamento.

Com o resultado, manteve a invencibilidade no Brasileirão dentro de casa – incluindo as partidas na Fonte Nova e em Pituaçu. A próxima partida do Esquadrão de Aço será contra o Ceará, no próximo sábado (8). Confira lances do jogo no vídeo abaixo.

ISAQUIAS QUEIROZ ASSINA CONTRATO COM O FLAMENGO

Contrato com rubro-negro carioca vai até 2020

O maior medalhista do Brasil numa edição de Olimpíada, com três conquistas, o canoísta Isaquias Queiroz assinou contratado com o Flamengo até os Jogos de Tóquio, em 2020. Nascido em Ubaitaba, no sul da Bahia, o atleta será a principal referência do Projeto Flamengo Náutico e poderá ter o contrato estendido até 2024. Além de destaque nos Jogos no Brasil, em 2016, o canoísta é dono de 10 medalhas em mundiais.

Isaquias Queiroz seguirá treinando e morando com a Seleção Brasileira de Canoagem, em Lagoa Santa, em Minas Gerais, e se deslocará para o Rio de Janeiro para treinamentos especiais.  O gerente de Remo e Canoagem do Flamengo, Marcello Varriale, explica que o clube está alinhado com o Comitê Olímpico do Brasil, já que o interesse é o mesmo, “dar suporte para que Isaquias conquiste medalhas olímpicas”.

Garantir vaga para os Jogos de Tóquio-2020, no Mundial da Hungria, em agosto, é uma das principais metas do atleta, que neste ano disputará o Pan-Americano e a Copa do Mundo de Canoagem. “Quero turbinar ainda mais minha carreira e ter meu nome entre os ídolos de um dos clubes mais importantes do país”, disse o canoísta baiano.

JOGADOR DO SANTOS, ITABUNENSE VIVE EXPECTATIVA DE ESTREIA NA COPA SÃO PAULO

Sandry Roberto embarcando para a disputar a Copa São Paulo Júnior

Ele só tem 16 anos, mas já faz parte da equipe do Santos que disputará a edição deste ano da Copa São Paulo de Futebol Junior, competição que reúne 128 clubes e mais de três mil jogadores de todas as regiões do país.O menino em questão é Sandry Roberto, que começou aos oito anos no futebol de salão da escolinha do Colégio Ciso, chegou aos 11 na equipe de futebol de campo da AABB e, aos 13 anos, foi aprovado na “peneira” do Santos.

Nesta sexta-feira (4), às 19h, no Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira,  o “Nogueirão”, o Santos do itabunense estreia na Copa São Paulo de Futebol, contra o Sergipe (SE). Sandry Roberto é um dos 25 Meninos da Vila que desembarcaram, na tarde de quarta-feira (2), na cidade de Mogi das Cruzes, para a disputa da primeira fase da 50ª edição da competição.

Sob comando do treinador Emerson Ballio, o Santos vai em busca do tetracampeonato da competição de base mais importante do Brasil. Em Itabuna, no sul da Bahia, quem não “vai se desligar da TV ” na hora do jogo é o professor Vladistone Menezes, treinador de Sandry Roberto no Ciso e AABB. “Desde muito cedo que o garoto mostrava uma habilidade diferenciada. Sempre se destacou”, conta ao PIMENTA o orgulhoso treinador.

UM DOS GRANDES NOMES

O Vladistone Menezes afirma não ter dúvidas de que Sandry Roberto será um grandes nomes do futebol brasileiro. “O Sandry é um volante diferenciado, que sabe marcar e sair jogando como poucos atletas na posição dele. Aqui em Itabuna, ele atuava como meia direita, mas no Santos foi escalado como volante e seu futebol cresceu ainda mais”, comemora.

Além da equipe do Sergipe, na primeira fase, o Santos enfrentará o São Caetano (SP), no dia 7, às 20h; e União (SP), no dia 10, às 19h45min. O treinador do Santos ainda não divulgou os relacionados para o jogo de estreia. A Copinha começou na quarta-feira (2) e a grande decisão será  em 25 deste mês, no dia de aniversário de São Paulo.

LUCAS PAQUETÁ, DO FLAMENGO, CURTE AS BELEZAS DE PORTO SEGURO

Jogador do Flamengo curte as belezas de Porto Seguro|| Arquivo Pessoal

Um dos destaques com Flamengo na temporada, o meia Lucas Paquetá está aproveitando os dias de folga na belíssima praia do Espelho, no distrito de Trancoso, em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia. O destino turístico é considerado um dos mais lindos do mundo. O jogador está de folga por causa da parada no Campeonato Brasileiro por causa da Copa do Mundo de Futebol.

Paquetá descansa em Trancoso|| Arquivo Pessoal

Lucas Paquetá está acompanhado da namorada, a nutricionista Duda Fournier, e postou, nas redes sociais, várias fotos feitas nesta sexta-feira (15). Por causa da boa temporada no Flamengo, o jogador ficou entre os 35 pré-convocados da seleção brasileira para a Copa do Mundo na Rússia e pode trocar o rubro-negro carioca pelo futebol europeu durante a janela de transferência.

BAHIA MARCA NO ÚLTIMO LANCE DO JOGO E VENCE O SANTOS NA FONTE NOVA

Júnior Brumado deu a vitória ao Bahia || Foto Felipe Oliveira/EC Bahia

O Bahia conseguiu a primeira vitória na Série A do Campeonato Brasileiro, neste sábado (21), diante do Santos, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O gol do tricolor foi marcado no último minuto de jogo, aos 49 minutos do 2º tempo, por Júnior Brumado. Na próxima rodada, o time baiano volta a atuar em casa, contra o Atlético-PR, no domingo (29), às 16h.

O principal rival do Bahia, o Vitória, entra em campo neste domingo (22). O rubro-negro enfrenta o Atlético Mineiro às 16 horas, em Belo Horizonte, em busca da primeira vitória. Na estreia no Brasileirão, o Vitória ficou no empate em 2 a 2 com o Flamengo.

GABO/BERRÍO/MACONDO/MARACANÃ

dt-chargeDaniel Thame | Blog do Thame

Na antológica abertura de Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marquez, Aureliano Buendia, diante do pelotão de fuzilamento, lembra o fascinante e distante dia em que o pai lhe apresentou o gelo, maravilha da humanidade naquele rincão perdido nos confins da Colômbia.

A narrativa é antológica, sinalizando o que o mundo conheceria e admiraria como o realismo fantástico de Gabo.

Na já antológica noite de 23 de agosto de 2017, um colombiano menos famoso chamado Orlando Berrío nos reapresentou a algo que estava perdido nos desvãos da memória de um futebol que era jogo, mas também era poesia: a magia do improviso, do drible desconcertante que destrói um esquema mecânico, monótono e previsível.

Flamengo e Botafogo faziam um daqueles jogos modorrentos, típicos do futebol atual, em que o importante é se defender e se der, ou quando der, atacar. Meio de campo congestionado, goleiros sem serem incomodados e o indefectível cheiro de 0x0.

E eis que no ex-Templo do Futebol, hoje mais um exemplo do tributo ao deus corrupção, o Maracanã foi apresentado ao gelo.

Como se Garrincha, numa dessas molecagens do destino, resolvesse reencarnar por um átimo de segundo no estádio onde foi rei e menino travesso, e trazer um pouco de luz naquela escuridão de futebol.

O drible de Berrío!

O drible de Berrío!

E, noutra trapaça do destino, reencarnar no time errado, botafoguense que foi, e ainda por cima num colombiano com pinta de milongueiro e estampa de dançarino de tango. Ou de cumbia. Ou seria de samba? Orlando Berrío.

Berrío estava pronto para ser substituído e recebeu uma bola na lateral. Lance comum.

Ninguém no Maracanã esperava nada da jogada e o próprio Berrío poderia ter se livrado na bola e saído de um jogo do qual ninguém se lembraria daqui a uma semana.

Mas Berrío (Garrincha?) produziu o lance a ser lembrado daqui a Cem Anos (de Solidão). Um drible tão desconcertante quando indescritível, que resultou no passe perfeito para o gol da vitória.

Filho, eis o Gelo!

Maravilhem-se todos, pois esse é um daqueles raros momentos que vão para a eternidade.

O divino, o imponderável, o fantástico, o genial, a irreverência gerados num pedacinho de gramado transformando em latifúndio.

Meninos eu vi, dirão daqui pra frente os que estiveram no Maracanã. E os que não estiveram, testemunhas multiplicadas aos milhões. Macondo é o universo.

Aproveitemos o gelo.

Congela, eterniza a imagem.

O resto, o gol, a vitória, a classificação do flamengo para a decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro são meros detalhes.

Eterno é Berrío, numa obra de arte que Gabo assinaria.

Maracanã, Macondo.

Na magia de um drible esse mundo de merda ainda pode ser uma alegre Bola de Futebol.

UM POUCO DE HISTÓRIA (DE ZÉ E DE ITABUNA)

Do site Museu da Pelada, extraímos esta narrativa de Zé Roberto Padilha. Década de 70, a glória no Flamengo, a despedida no Itabuna e a inauguração do eterno inconcluso Estádio Luiz Viana Filho em um pouco da história do jogador. Confira:

zé roberto padilhaO AEROPORTO DE ITABUNA

Zé Roberto Padilha

(…) não consegui esconder minhas lágrimas quando a cidade parou numa quarta-feira para assistir nosso primeiro treino. Tratava-se da principal atração do clube do cacau para o estadual da primeira divisão baiana de 1979.

 

 

 

Era um sábado ensolarado do mês de junho e o avião da Varig (lembram-se dela?) se aproximava do Aeroporto Luis Viana Filho, em Itabuna, Bahia, trazendo a delegação do CR Flamengo, que iria fazer um amistoso inaugurando o novo estádio do clube. E como se tratava de Flamengo, dava para ver da janelinha aquelas formiguinhas carregando suas bandeiras vermelho e preta em volta da pista. Estou falando de 1976, naquela época as pessoas recebiam os passageiros da Varig, Vasp e Transbrasil à beira da pista, não tinha aquela passarela suspensa, era olho no olho, emoção do torcedor na cara do jogador.

Nas últimas poltronas, após o sambinha do fundo homenageando nosso Merica para desespero das aeromoças, o filho daquela terra que chegara à Gávea ao lado do Dendê, eu e meu parceiro Toninho Baiano. Já jogador da seleção, Toninho, então assíduo do Charles de Gaulle, Orly, e aeroportos cheios de estilo como o de Roma e de Madrid, virou-se para mim e disparou:

– Já pensou, Zé, você chegando nesta “babinha” não mais para jogar, mas de mala, para ficar de vez por aqui.

Não concordei, nem discordei, apenas sorri. Meu silêncio foi de uma cumplicidade e arrogância do mesmo tamanho.

zé roberto padilha3
E descemos aquelas escadas anestesiados pela glória passageira como eterna fosse. Porque jogador de futebol vive seus 15 anos máximos de glória fora da realidade econômica do seu país e da sua família, ou vocês acham que o Gum (120 mil reais/mês), Henrique (160 mil reais/mês) limitados zagueiros do Fluminense, que ganham 4 vezes mais do que nosso mais alto magistrado, não seriam protagonistas, hoje, da mesma história? Perguntem a eles, no fundo do jatinho fretado do Flu, durante a Copa do Brasil, se eles fossem jogar contra o Asa e desembarcassem no aeroporto de Arapiraca não para o jogo de ida, mas para ficar por ali, ganhando salário normal, de um jogador trabalhador da segunda ou terceira divisão do nosso futebol?

Com a camisa do Flamengo

Com a camisa do Flamengo

A partida entre Flamengo x Itabuna levou 40 mil pessoas ao também estádio Luis Viana Filho no dia 25/01/76, poderoso nome de uma raposa política capaz de batizar aeroportos e estádios, e o placar foi de 5×0 pro nosso time (Luizinho, aos 8, Zico, 17 do 1º tempo, e Caio aos 24, 27 e 32 do 2º), e saímos dali nos braços queridos dos baianos, levando aquele diálogo de fundo de avião como uma norma taxativa da irrealidade em que vivíamos.

Daí fui para o Santa Cruz, em Recife, dois anos depois machuquei meu joelho, operei em uma época em que a medicina retirava todos os meniscos no lugar de isolar apenas sua parte lesionada, preservando aquele fundamental órgão de amortecimento, e acabei colocado em disponibilidade no mercado esportivo. Minha esposa estava grávida da nossa primeira filha, a Roberta, quando desembarquei de uma excursão à Arábia Saudita com o Santa Cruz, onde meu joelho não mais respondia aos apelos do meu pulmão para correr pelo campo todo. Sem ele, restou-me o currículo para atrair clubes ainda interessados. O primeiro foi o Bahia. Fui para Salvador realizar exames médicos e escolher apartamento. Ainda arrumava as malas quando um diretor do Santa Cruz me abordou com aquele velho chavão:

– Tenho duas notícias, uma boa e a outra ruim. Qual delas prefere?

A ruim era que o departamento médico do Bahia vetara minha contratação. A boa era que um clube baiano, diante da recusa do seu rival no estadual, pagava o mesmo preço. Sem exames médicos. Este clube o Itabuna FC.

Quando o avião me levou, três anos depois, de volta para aquele aeroporto, desta vez para ficar, com a mala cheia de vergonha e um pensamento no preconceituoso diálogo travado com o Toninho, não consegui esconder minhas lágrimas quando a cidade parou numa quarta-feira para assistir nosso primeiro treino. Tratava-se da principal atração do clube do cacau para o estadual da primeira divisão baiana de 1979 e no primeiro toque na bola senti meu joelho. E eles respeitaram minha saída cabisbaixa do treino, ajudaram na minha recuperação pelo SUS, incentivaram meu retorno e a manter, até o final do contrato, um salário digno de um trabalhador já então pai de família.

Naquele ano não foi apenas a Roberta que nasceu, mas uma lição definitiva de humildade explícita foi incorporada a vida da gente. Aquela “babinha” foi o lugar que me acolheu e desnudou o quanto são “bobinhos” os que se deixam seduzir pelo efêmero poder de ser um dia jogador de futebol do Flamengo.

NO BRASILEIRÃO, BAIANOS CAUSAM ESTRAGOS

Zé Ricardo caiu do comando do Flamengo || Foto Divulgação Gilvan de Souza/Fla

Zé Ricardo caiu do comando do Flamengo || Foto Divulgação Gilvan de Souza/Fla

Vitória e Bahia tiveram um domingo de triunfos e levaram (mais) dor aos adversários neste início de agosto. O Rubro-Negro sapecou 2 a 0 no Flamengo em plena Ilha do Urubu e derrubou o treinador da equipe carioca. Há menos de duas horas, o time da Gávea informou a saída de Zé Ricardo. O técnico estava há mais de um ano à frente do Flamengo.

O Bahia não causou terremoto parecido ao se impor diante do São Paulo e fazer 2 a 1, na Fonte Nova, mas ajudou a afundar o São Paulo na zona da degola. E, de quebra, deu uma mãozinha ao Vitória. O Leão venceu duas seguidas e agora soma 19 pontos, igual soma do Tricolor paulista (17º colocado). Já o rubro-negro da Boa Terra, também tem 19, mas fica em 18º pelos critérios de desempate (vitória, saldo de gols etc).

VITÓRIA BATE O FLAMENGO NA ILHA DO URUBU

O Vitória conseguiu se impor diante do Flamengo, na Ilha do Urubu, e bater o time carioca por 2 a 0, neste domingo (11). Yago e Neilton fizeram os gols da partida.

A equipe baiana chega aos 19 pontos, mas permanece na zona de rebaixamento. Foi o segundo triunfo consecutivo da equipe no Brasileirão 2017. Na quarta, bateu a Ponte Preta, por 3 a 1, em Salvador.

Pelo lado carioca, o Flamengo manteve a sina dos últimos jogos e corre o risco de cair ainda mais na tabela de classificação. Hoje, com 29 pontos, está na quinta colocação. Pode ser ultrapassado pelo Cruzeiro, que tem 26, e joga contra o Botafogo, às 16h, no Mineirão.

O Leão voltará a campo no sábado (12), às 19h, contra o Avaí, no Barradão, em Salvador. Já o Flamengo, enfrentará o Atlético-MG, em Minas, às 16h do domingo (13).

TIMES TERÃO R$ 83 MILHÕES EM PATROCÍNIO DE BANCO PÚBLICO

Flamengo, que tem maior torcida do país, receberá R$ 25 milhões.

Flamengo, que tem maior torcida do país, receberá R$ 25 milhões.

Times das séries A e B do Campeonato Brasileiro receberão, pelo menos, R$ 83 milhões em patrocínio máster da Caixa Econômica Federal em 2016, conforme anúncio feito pela presidente da instituição financeira, Míriam Belchior. A novidade deste ano é o patrocínio do banco para Cruzeiro e Atlético, ambos de Minas Gerais.

A lista dos patrocinados com os respectivos valores foi divulgada na edição de hoje (19) do Diário Oficial da União. O maior patrocínio vai para o Flamengo (RJ), seguido por Atlético e Cruzeiro. Atlético e Coritiba, ambos do Paraná, Sport Recife e Vitória receberão, cada um, R$ 6 milhões.

Veja a lista completa, que ainda não inclui o Corinthians, que está em fase de negociação com a Caixa. O contrato termina no final de fevereiro.

Futebol Caixa

FLA ERA 100% NO RETURNO. ATÉ QUE…

O Rubro-Negro fazia campanha irretocável no returno do Brasileirão 2015, com 100% de aproveitamento. Ontem à noite, esperava confirmar a ótima fase com uma vitória sobre o Coritiba, a sétima seguida. Mas não deu. Para os supersticiosos, a derrota tem uma explicação. Havia um certo pé-frio no Estádio Mané Garrincha…

1cunha

VITÓRIA PERTO DA DEGOLA

O Vitória perdeu por 4 a 0 para o Flamengo, em Manaus, hoje (29), permaneceu na Zona de Rebaixamento e mais próximo da queda para a Série B do Brasileiro de Futebol. Com 38 pontos, o rubro-negro baiano está na 17ª colocação. Apesar da derrota, o time baiano ainda pode permanecer na Série A, a depender dos resultados da última rodada, quando o Vitória enfrentará o Santos, no Barradão.

Antes da sapecada do Flamengo, o Palmeiras perdeu para o Inter por 3 a 1, o que deixou o time paulista apenas um ponto acima dos demais que compõem a Zona de Rebaixamento. Enquanto o Verdão tem 39 pontos, o Vitória aparece com 38, o Bahia tem 34 e o Botafogo soma 33.

Bahia e Botafogo ainda têm dois jogos pela frente (entram em campo neste domingo).  O Tricolor de Aço terá o Grêmio pela frente nete domingo, na Fonte Nova, às 18h30min (horário local). O Botafogo pega o Santos, na Vila Belmiro, às 16h.

URUBU X GALO

www.amarildo.com.br

www.amarildo.com.br






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia