WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘Genaro de Carvalho’

LOJA PÕE LIXO NA ARTE. E A ARTE, NO LIXO!

Painel de Genaro sofre ataque da Ricardo Eletro (Foto Pimenta).

Painel de Genaro sofre ataque da Ricardo Eletro (Foto Pimenta).

O painel A civilização do cacau (Saga do cacau), de Genaro de Carvalho, no encontro da Praça Adami com a Avenida do Cinquentenário, em Itabuna, é um dos mais ricos retratos da cultura cacaueira sul-baiana. A obra foi fixada ali, no Edifício Comendador Firmino Alves, em 1953, encomendada pelo Banco Econômico. Sofreu a ação do homem até ser, finalmente, restaurada em 2011 pelo artista Richard Wagner, contratado pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), então presidida pelo escritor grapiúna Cyro de Mattos.

Para resistir à ação predatória em uma das regiões mais movimentadas do centro da cidade, um gradeado protege o painel em azulejo. Nem sempre o bicho homem respeita este limite. Nem sempre o gradeado significa proteção. Camelôs utilizam o espaço para guardar produtos ou até mesmo cadeiras. Não há repressão por parte do município.

A permissividade abriu espaço para que não só os informais cuidassem de, novamente, ameaçar o patrimônio artístico e histórico. De domingo para segunda, homens contratados pela Ricardo Eletro tiveram a “brilhante” ideia de usar o espaço para descartar o resto de letreiro da finada Insinuante.

Questionada pelo PIMENTA, a gerência da loja explicou que a decisão de usar aquele espaço como descarte de lixo teria sido tomada, desavisadamente, por operários contratados para mudar a cara do estabelecimento, trocando o letreiro da finada rede de móveis e eletros. “A gente vai tirar [o lixo] amanhã”, disse a tranquila gerente.

O blog procurou a presidente da Ficc, Nilmecy Gonçalves, mas a sua assessoria informou que ela estava fora da cidade.

EM ITABUNA, A OBRA ATRÁS DAS GRADES

Que Itabuna é uma cidade de contrastes e de contrários, vá lá. Mas aqui inaugura-se uma nova era, a era em que não é o malandro, mas a arte que vai parar atrás das grades. Pelo menos, é o que acontece com o painel de azulejos Saga do Cacau, de Genaro de Carvalho, no edifício Comendador Firmino Alves, na esquina da avenida do Cinquentenário com a praça Adami.

Depois de recuperar o painel cinqüentenário, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) não tiveram outra saída a não ser colocar uma grande em redor do painel, para evitar que a obra seja novamente atingida pelas mãos nefastas do homem.

E aí uma explicação de um dos operários que concluíam a colocação da grade, em torno do painel: “Aqui tinha de tudo. Ou arrancavam os azulejos ou apregavam faixas sobre a obra, estragando a arte, senhor”. As faixas, que ironia!, eram autorizadas pela prefeitura, esta uma responsável pela preservação dos nossos monumentos e acervo histórico.

O painel foi montado em 1953 e retrata a civilização cacaueira baiana. Quase 60 anos depois, está “preso”, atrás das grades, após restaurado pelo artista plástico itabunense Richard Wagner.

 

Obra de Genaro de Carvalho vai parar atrás das grades (Foto Pimenta).






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia