WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Geraldo Magela’

A ESCOLHA DE MARÃO PARA A SAÚDE

Magela foi secretário de Saúde em Itabuna e Teixeira de Freitas

O professor de História Geraldo Magela será o novo secretário de Saúde de Ilhéus. O prefeito Mário Alexandre teve reunião tensa, ontem (19), com Elizângela Oliveira, em Salvador, quando comunicou da mudança e da consequente exoneração. O nome estava escolhido há cerca de 30 dias, razão pela qual a reunião se tornou ainda mais “quente”.

Magela foi secretário de Saúde de Itabuna no Governo Azevedo. Quem pode falar da atuação dele à frente da Pasta em território itabunense é o ex-secretário de Administração e ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna Leléu Rodrigues, então no DEM.

– Geraldo Magela é persona non grata desde que chegou a Itabuna – resumiu Leléu naquela sessão plenária de 26 de outubro de 2012.

Convém lembrar que a definição para a passagem de Magela na Saúde era de um aliado do Governo Azevedo e então presidente da Câmara de Vereadores do município. O episódio pode ser relembrado aqui (veja).

MAGELA, O PESADELO DE AUGUSTO

Augusto e Geraldo Magela

O deputado estadual Augusto Castro (PSDB) é dos nomes lembrados para a disputa política em 2016. E aparece em boa condição. Internamente, a avaliação é de que Augusto marcou um gol ao se apresentar como o salvador do fechamento do Hospital São Lucas – a negociação da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e a Secretaria Estadual de Saúde, porém havia sido concluída no dia anterior, conforme fontes da Sesab.

A estratégia “Chapolin” (“Não contavam com minha astúcia”) visa mascarar a responsabilidade direta de Augusto pela indicação de um dos piores secretários municipais de Saúde de Itabuna, o professor de História Geraldo Magela (foto acima), a quem são atribuídas façanhas como desvio de mais de R$ 2 milhões que deveriam ser aplicados na reforma de postos, por exemplo.

Dezenas de postos foram fechados no Governo Azevedo por falta de condições de funcionamento, embora a verba estivesse em conta – enviada pelo Ministério da Saúde -, mas usada para outros fins.

O passado de Magela em Itabuna pode condenar Augusto, eleitoralmente, em 2016, mas o deputado pode agradecer ao PCdoB, que não procurou responsabilizá-lo – nem o seu pupilo – devido a um combinado eleitoral em 2014. Os comunistas evitaram desgastar Augusto, neste sentido, e não consideravam o parlamentar como adversário. Preferiram “matar” outros oponentes, como Capitão Azevedo (DEM).

 

AMEAÇA DE EPIDEMIA DE DENGUE PREOCUPA VANE

O prefeito eleito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), esteve reunido nesta quarta, 7, com o secretário de Saúde, Geraldo Magela. A pauta foi a ameaça de novo surto epidêmico em Itabuna neste verão. O alerta já foi dado pela Secretaria Estadual de Saúde.

Vane disse ter recebido tratamento cortês de Magela. Na reunião, ficou acordado o acesso da comissão de transição a informações que auxiliem na definição de medidas  para os primeiros dias de governo, em janeiro, e enfrentamento à dengue no município.

O contato do prefeito eleito é importante tendo em vista quadro relatado por agentes de combate à dengue. Dentre os problemas, falta de material de trabalho, desvio de função de pessoal e falta de qualificação técnica (relembre aqui).

SECRETÁRIO NEGA QUE TENHA AGREDIDO SERVIDORA

O secretário da Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, disse ao PIMENTA que “não houve agressão fisica nem verbal” contra a sindicalista Siomara Costa durante manifestação dos servidores, na sede da secretaria.

O secretário disse que, após a manifestação, conversou com os representantes do Sindserv e culpou os atrasos na saúde ao Estado. “O mesmo governo que trata mal a educação e a segurança também não cuida da saúde”, repetiu Magela.

PARALISAÇÃO NA SAÚDE EM ITABUNA

Servidores da Saúde cumpriram o prometido: deram uma paradinha nos trabalhos para fazer “homenagens” ao secretário da Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, e ao prefeito Capitão Azevedo (DEM).

A Secretaria de Saúde possui cerca de 1,5 mil funcionários e a maioria ainda não recebeu o salário de junho. No protesto hoje pela manhã, eles ocuparam o estacionamento do Centro Administrativo Firmino Alves e usaram faixas, apitos e “nariz de palhaço” para denunciar os atrasos e, ainda, a falta de vale-transporte.

O secretário Geraldo Magela disse ao Bahia Meio Dia, da TV Santa Cruz, que o salário poderá ser pago até o final desta semana. Os servidores só receberam o salário de maio no último dia 25 de junho.

ITABUNA: IDOSO MORRE EM POSTO DE SAÚDE

José Domingos dos Santos, 78 anos, morreu na unidade de saúde Amália Lessa, no Novo São Caetano, em Itabuna, hoje pela manhã. Ele sentiu-se mal e foi levado para a unidade, mas acabou morrendo de infarto fulminante.

A equipe da unidade de saúde diagnosticou infarto no paciente e diz ter acionado, imediatamente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), que levou 20 minutos para chegar ao local.

Há pouco, este blog conversou com o secretário de Saúde, Geraldo Magela, que descartou negligência no atendimento. Ele reconheceu que o Samu 192 para chegar à unidade. O tempo aceitável para atendimento a chamado, disse, é de 10 minutos.

O paciente, diz o secretário, deveria ter sido levado ao Hospital São Lucas, referência em atendimento a casos de infarto. “A unidade avançada do Samu atendeu o paciente na unidade, entubou e reanimou, mas ele veio a falecer. Não houve negligência”, diz.

FUNCIONÁRIOS DO SAMU 192 ESTÃO SEM SALÁRIO

Funcionários do Samu ainda não receberam salário de maio.

Os funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) de Itabuna perigam passar o São João ainda sem receber o salário de maio. Os funcionários reclama que também estão há quatro anos sem férias.

“Já está acabando o mês de junho e nada de nos pagarem. Como podemos salvar vidas com fome e todas as nossas contas atrasadas?”, questiona uma das vítimas do atraso. O atraso atinge 40 dos 55 funcionários do Samu 192, segundo setor financeiro da Secretaria de Saúde de Itabuna.

Geraldo Magela, secretário de Saúde de Itabuna, reconheceu atraso de parte dos funcionários e afirmou que o dinheiro será creditado em conta até o início da noite. “A folha foi repassada à Caixa Econômica ontem e [o dinheiro] entra na conta hoje”.

Magela reclamou dos atrasos nos repasses por parte da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), que financia o Samu em 30% do valor. Segundo ele, o último repasse da Sesab para Itabuna ocorreu em março deste ano.

Magela afirma ainda que a dívida mensal da Sesab com Itabuna, na área de média complexidade, atinge R$ 400 mil por mês. Para ele, “há perseguição eleitoral a Itabuna”.

NOVAS DENÚNCIAS REFORÇAM DESCASO DA PREFEITURA NO COMBATE À DENGUE

O presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Roberto Machado, afirmou que o número de agentes de combate à dengue em Itabuna é insuficiente. O município sul-baiano contabilizou mais de 5.300 casos e duas mortes no primeiro semestre deste ano. Segundo ele, o caso foi denunciado ao governo.

Roberto também aponta sobrecarga de trabalho para os profissionais que são obrigados a visitar um grande número de residências numa mesma jornada para o combate focal. “O excesso de trabalho com as visitas de até 50 residências complica a vida dos trabalhadores pela sobrecarga”, disse o sindicalista em entrevista à TV Santa Cruz.

A reportagem da emissora foi ouvir o secretário de Saúde, Geraldo Magela, que anunciou o remanejamento de profissionais de outras áreas para evitar mais prejuízos. Magela alegou as exigências da lei eleitoral que impede a realização de concursos públicos, como se a questão da falta de pessoal e de materiais e insumos tivesse surgido somente agora.

O secretário disse que até segunda-feira chegará material e equipamentos aos agentes de endemias…

GREVE NA SAÚDE EM ITABUNA

Os servidores municipais da área da saúde ameaçam entrar em greve por tempo indeterminado se o salário de maio não for depositado hoje. São mais de 400 funcionários sem salário e que atendem nas áreas de média e alta complexidade e Vigilância Epidemiológica e nos programas DSTs/Aids e Hiperdia. Parte dos servidores concursados e dos contratados também está sem receber salário.

Contratados também não receberam, segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna, Karla Lúcia Oliveira. O secretário da Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, nem o prefeito Capitão Azevedo (DEM) sinalizaram quando pretendem pagar o salário atrasado.

SECRETÁRIO É ACUSADO DE RETALIAR O CEMEPI

Hospital pediátrico acusa retaliação por parte de secretário.

Magela: retaliação ao Cemepi.

Uma reunião nesta manhã deverá dar fim ao impasse entre prefeitura e Cemepi (antigo Ipepi). O secretário de Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, comprometeu-se a repassar R$ 50 mil por mês ao hospital pediátrico, a partir de janeiro deste ano. O acordo não foi cumprido e o Cemepi acionou o Ministério Público estadual pra fazer valer a palavra. Magela não gostou. “Ah, vocês vêm pro Ministério Público. Sendo assim, não vou repassar [o dinheiro]”.

Dito e feito. O caraminguá não caiu. A direção do Cemepi pediu que, em vez do repasse mensal de R$ 50 mil, fossem repassados R$ 54 mil, parcelado em 11 vezes. Nem assim, conforme os dirigentes, a coisa andou. Retaliação mesmo.

Nos últimos dias, a direção do Cemepi fez contatos com algumas lideranças e a coisa caminha para ser resolvida ainda hoje. Mas a solução virá com a interferência do jornalista Tom Ribeiro, da TV Cabrália, a pedido da direção do Cemepi, e do secretário de Indústria e Comércio, Carlos Leahy, que se reúnem com o prefeito Capitão Azevedo (DEM) e a direção do Cemepi, na prefeitura. Magela, o Vingativo, não é esperado para esta reunião.

QUE FEIO, MAGELA!

Coisa de menino birrento. Zangadinho porque Itabuna não sediou o Saúde em Movimento – que acabou sendo realizado em Ubaitaba, o secretário de Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, resolveu boicotar o programa estadual.

Conforme a assessoria da Sesab, Magela se negou a fornecer o transporte a cerca de duas mil pessoas carentes que residem aqui e necessitam de consultas, exames e cirurgias oftalmológicas. A situação absurda é daquelas difíceis de acreditar, mas estamos falando de gestores públicos…

Em tempo: apenas 70 itabunenses compareceram ao Saúde em Movimento, mas sem auxílio da secretaria comandada pelo senhor Magela.

PPP – PAGA O POVO, PREFEITO

Os servidores da área de saúde da Prefeitura de Itabuna ainda não viram a cor do salário de abril. A diretoria do sindicato dos servidores municipais, o Sindserv, aponta que os atrasos de salário viraram rotina e classifica a situação como “vexatória e constrangedora”.

Amanhã, haverá assembleia dos servidores, no estacionamento do Centro Administrativo Firmino Alves, para pressionar o prefeito Capitão Azevedo (DEM) e o secretário de Saúde, Geraldo Magela. Os servidores reivindicam que o salário seja sempre quitado dentro do prazo estabelecido por lei, até o quinta dia útil do mês subsequente.

Wilmaci Oliveira, do Sindserv, informa que contatos foram mantidos com a Secretaria de Saúde de Itabuna, mas não houve retorno quanto a prazo de pagamento do salário.

ITABUNA: SERVIDORES DA SAÚDE AMEAÇAM ENTRAR EM GREVE

Os servidores da saúde em Itabuna ameaçam entrar em greve a partir das 7h de amanhã (13), caso a Prefeitura de Itabuna não pague o salário de fevereiro. Os atrasos de salário na Secretaria de Saúde de Itabuna são constantes e a categoria decidiu pela paralisação em assembleia realizada na frente da secretária, na rua Barão do Rio Branco, no Alto Mirante, hoje pela manhã.

A direção do Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna (Sindserv) foi recebida pelo secretário Geraldo Magela. Karla Lúcia, presidente do Sindserv, diz que só o pagamento abortará a greve de amanhã. A Pasta tem aproximadamente 2 mil funcionários, entre efetivos, contratados e comissionados.

SECRETÁRIO DIZ QUE ESPERA POR CONSULTA OFTALMOLÓGICA PODE LEVAR 15 MESES

Magela: Sesab no alvo.

A prefeitura de Itabuna decidiu ir pra cima da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). Ela novamente exige que a secretaria distribua melhor a cota de exames oftalmológicos. O secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela, classifica como equivocada a política da Sesab.

Segundo ele, em 2008 Itabuna teve direito a 43.093 consultas, o que dava média mensal de 3.591 exames. Já no ano passado, foram 3.976 consultas autorizadas e média de apenas 497 ao mês. “É menos de 10% do que era liberado na época da gestão plena”, reclama o secretário.

Magela afirma que a fila de espera em 2012 é superior a 4 mil pacientes. Quem precisa, de acordo com ele, pode esperar até 15 meses pela marcação da consulta.

O município fechou pactuação com o estado de R$ 507 mil para exames e consultas oftalmológicos, mas só tem recebido R$ 270 mil por mês. “Nenhuma solução é dada pelo governo do estado”, reclama. O secretário também aponta discrepâncias em consultas cardiológicas. Foram 6.064 autorizadas em 2008 contra 3.656 em 2011.

ATRASOS

O secretário junta à lista o que classifica como “impontualidade” da Sesab no pagamento de prestadores de serviço. A Maternidade Ester Gomes é apontada como exemplo de dificuldades para receber desde dezembro do ano passado. O diretor da maternidade, Leopoldo dos Anjos, diz que a demora nos pagamentos por parte da Sesab gera atrasos de salário dos funcionários e dos compromissos com fornecedores

BLOG DENUNCIA ESQUEMA NO HOSPITAL DE BASE. PREFEITO E SECRETÁRIO “FECHAM OS OLHOS”

O blog O Trombone denunciou esquema altamente lesivo aos cofres itabunenses e ao cidadão daqui que precisa de atendimento médico no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem).

De acordo com a publicação, o hospital itabunense foi “completamente aparelhado por correligionários do deputado Coronel Santana”. Há casos de atendimentos a pacientes de outros municípios que são feitos ‘por fora’, aqueles que não estão pactuados, que cresceram assustadoramente nos últimos meses”.

Esse atendimento por fora gera despesas para os cofres locais. Didaticamente, assim explica o blog:

“Cada atendimento gera uma conta, que será apresentada à Sesab para que o repasse desse custo seja feito ao prestador. Quando isso é feito com pacientes de fora de Itabuna, oriundos de municípios que sejam pactuados, esse custo é debitado na conta daquele município.

Quando o atendimento é feito ‘por fora’, esse custo é absorvido por Itabuna, e resulta em prejuízo para o atendimento local. Poderia-se dizer que o atendimento indiscriminado seria um ato de desprendimento, de humanidade dos gestores, mas é barganha política, mesmo”.

AZEVEDO E MAGELA FECHAM OS OLHOS

Por que o município de Itabuna não chia e denuncia o aparelhamento e as irregularidades? O que ocorre é que há uma disputa de autoridade entre os homens fortes que comandam a saúde de Itabuna. O prefeito, que é capitão da Polícia Militar, se sente retraído e diminuído diante do deputado Gilberto Santana, que também é militar, mas detém a maior patente da corporação, a de coronel.

O poder de Santana, fora a vantagem na briga de patentes, se dá porque é dele o cargo de gestão do Hospital de Base e da Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (Iasi), ocupados por sua irmã, Gilnay Santana.

No meio disso tudo está o secretário Geraldo Magela, que não tem patente alguma e detém bem pouco poder no Hospital de Base. Perguntado sobre o tráfico de pacientes no Base, ele disse apenas que “esse não é o melhor momento para essa discussão”.

Isso pode querer dizer que “sim, há o tráfico, mas vamos esperar o momento certo para denunciar”; ou que “não gostaria de comprar uma briga com o coronel nesse momento, porque ele que pode ser um aliado na busca da gestão plena“. Mas não há uma negativa.

É para isso que querem a Gestão Plena?

TENSÃO NA JUSTIÇA FEDERAL

Representantes da prefeitura e da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) aguardam o início da primeira audiência do processo judicial que decidirá se o município voltará a gerir os mais de R$ 80 milhões da média e alta complexidade. A audiência será presidida pelo juiz federal Igor Matos Araújo, na subseção da Justiça Federal, em Itabuna.

De um lado, estão o prefeito Capitão Azevedo, a procuradora-geral Juliana Burgos e o procurador da Saúde de Itabuna, Marcos Conrado, além dos secretários Geraldo Magela (Saúde) e Carlos Burgos (Assuntos Governamentais e Comunicação Social). Do outro, o da Sesab, encontram-se Andrés Alonso (Regulação), Estevão Toffoli (Contratualização) e advogados de defesa. Como diria o blogueiro João Matheus, o clima é tenso na Justiça Federal.

À esquerda, Capitão Azevedo, tapando o nariz, puxa o time municipal. Do outro lado, representantes da Sesab. Todos aguardam a chegada do juiz federal (Foto Pimenta).






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia