WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Geraldo Simões’

RETRATO DE UM POLÍTICO PERSEGUIDOR

Filiado a um partido historicamente identificado com a luta por bandeiras democráticas, o deputado federal Geraldo Simões (PT) chega ao ocaso de sua carreira política ostentando a lamentável fama de coronel, devotado a práticas como a de perseguir jornalistas dos quais discorda. Ou seja, revela-se um tiranete da direita mais reacionária, com máscara (que já não esconde mais nada) de progressista.

O impiedoso blog O Chumbo Grosso retratou bem a figura:

RADIALISTAS CRITICAM OS “DINOSSAUROS DA DITADURA”

Nesta terça-feira, 17, o programa Alerta Geral, da Rádio Santa Cruz de Ilhéus, abordou a perseguição ao jornalista Ricardo Ribeiro, promovida pelo deputado federal Geraldo Simões (PT), que “pediu a cabeça” do profissional à empresa Bahia Mineração (Bamin), na qual o mesmo prestava assessoria de imprensa. Naturalmente, o fato é negado tanto pela empresa (que se vê muito dependente dos humores dos políticos), como pelo deputado (que faz de tudo para não figurar como coronel fora de época).

Clique no player para ouvir o comentário do radialista Gil Gomes e do blogueiro Emílio Gusmão sobre o assunto:

NÃO APENAS ARROGANTE

Davidson Samuel | davidsonsamuel@pimentanamuqueca.com.br

As pesquisas eleitorais não andam fazendo bem ao deputado federal Geraldo Simões. O parlamentar tem gasto parte do seu tempo maquinando maldades. Como se velho carlista fosse, agora também age pedindo cabeça de profissionais que ousam discordar de seus métodos, projetos etc.

Não importa a área. Também o faz na comunicação. E quando a empresa possui fortes ligações com a política – e a mesma não age de forma profissional, o campo se torna fértil para GS executar os planos dele. Tudo para tentar evitar nova derrota em eleição que se avizinha. Nada de projetos, discussão, argumentos. Cabeças na bandeja.

Calma lá, Geraldo. O que está acontecendo? Por que trocar a empatia de ontem pela arrogância e perseguição hoje? Que ganho há nisso? Que ganho há em agir como mau caráter?

Gaste seu tempo discutindo projetos para a população, pensando em boas ações de mandato – afinal, mesmo perdendo tantos votos em Itabuna em 2008, você ainda é parlamentar federal. (Re)aprenda a ouvir e a tirar lições disso. Não faz mal. É saudável para a democracia. Arrogância, perseguição, vingança são ações típicas de político em final de carreira. Deixe o porrete de lado. Argumente, cerque-se de bons conselheiros… Antes que a vaca vá pro brejo.

Davidson Samuel é um dos blogueiros do PIMENTA.

“ESQUECERAM” DE CONVIDAR

Por uma incrível “coincidência”, não havia nenhum representante da Prefeitura de Itabuna, nem da Emasa (Empresa Municipal de Água e Saneamento), na audiência pública realizada neste domingo, 15, em Itapé, para discutir o Estudo de Impactos Ambientais (EIA) do projeto de construção da barragem no Rio Colônia (veja aqui).

Itabuna, além de Itapé, é diretamente interessada no assunto, já que a barragem servirá para melhorar o sistema de abastecimento de água no município. Terá importância também para manter uma vazão regular do Rio Cachoeira, afluente do Colônia.

Agora, por que não havia ninguém da Prefeitura de Itabuna nem da Emasa no evento? Simplesmente porque o Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia) não enviou comunicado oficial ou convite nem para o governo nem para a empresa.

A situação, logicamente, agradou ao deputado federal Geraldo Simões (PT), que fez discurso e criticou o governo itabunense pela ausência providenciada.

AZEVEDO NO AR

Azevedo: negociação na capital.

Enquanto a equipe de reportagem do JN no Ar pousava em Ilhéus, o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), embarcava em voo comercial para Salvador hoje pela manhã. A tiracolo, Azevedo levava o presidente da Câmara de Itabuna, Ruy Machado (PRP).

Os dois políticos itabunenses preferiram concluir na capital baiana – longe dos olheiros e em ambiente mais fresco e iluminado – a negociação travada ontem no gabinete do presidente do legislativo itabunense (relembre aqui).

Azevedo, como já dito, quer ver suas contas de 2009 aprovadas pelo legislativo. Conta com a ajudinha de Ruy, inclusive para melar as pretensões políticas do seu hoje principal adversário, o deputado federal e ex-prefeito Geraldo Simões, cujas contas relativas a 2002 serão votadas ainda neste semestre pela Câmara.

O VERMELHINHO DA DIFUSORA

Tornou-se famoso em Itabuna o carro vermelho no qual o repórter Paulo Leonardo faz suas reportagens para a rádio Difusora AM, de tal forma que o veículo é chamado carinhosamente de “O vermelhinho da Difusora” e dá nome ao blog onde o Leonardo destaca o noticiário policial.

Porém, enquanto a viatura do repórter sempre foi vermelha, a rádio era toda azul, desde a identificação política histórica com o carlismo até a fachada, na qual a cor chamava atenção. Mas não chama mais.

Quem observou a mudança foi o blog Políticos do Sul da Bahia. Depois que a rádio Difusora foi adquirida por gente do deputado federal Geraldo Simões (PT), uma das primeiras providências foi tirar aquele azul com a cara do DEM e estampar uma faixa vermelha sobre um fundo branco, mais ao gosto dos novos donos.

E a rádio, para não perder a essência, muda de cor, mas segue a serviço do jogo político.

OLHO NAS CONTAS DE GS

A Câmara de Vereadores publicou edital 002/2012 em que abre prazo de 30 dias para que contribuintes itabunenses tenham acesso às contas do exercício 2002 da Prefeitura de Itabuna. É o primeiro passo para que os vereadores votem as contas do ex-prefeito Geraldo Simões. O parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) foi pela aprovação das mesmas.

De lambuja, o presidente da Câmara, Ruy Machado (PRP), aproveitou para passar sabão nos ex-presidentes da Casa, no período de 2005 a 2010 (Edson Dantas e Clóvis Loiola), por não terem deliberado sobre as contas do ex-prefeito e atual deputado federal.

Para ter acesso às contas, o cidadão precisa protocolar pedido na Câmara. O atendimento será das 13h30min às 16h de segunda a quinta. Às sextas, das 9h às 12h.

AOS VEREADORES, O EXEMPLO QUE VEM DE IPIAÚ

Deraldino: ficha-limpa.

Os vereadores de Itabuna estão para julgar contas do ex-prefeitos Geraldo Simões e Fernando Gomes e do atual, Capitão Azevedo (DEM). E vem lá de Ipiaú, também no sul da Bahia, um exemplo do que e como fazer. Em setembro do ano passado, a Câmara votou as contas do prefeito Deraldino Araújo. Rejeitou-as, apesar do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) emitir parecer pela aprovação. Pior que isso, não permitiu defesa ao prefeito Deraldino Araújo.

O caso foi parar na Justiça. Deraldino ganhou o primeiro round, na Justiça local. E venceu o segundo, também. Os vereadores recorreram ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) para tentar derrubar a decisão em primeira instância. E, novamente, o Judiciário decidiu favoravelmente ao prefeito. A decisão favorável a Deraldino foi do presidente do TJ-BA, Mário Alberto Hirs.

Moral da história: na sede de impedir Deraldino de disputar a reeleição – ou, no mínimo, atrapalhá-lo politicamente -, os vereadores esqueceram do básico, o direito à defesa.

GERALDO ESCOLHIDO VICE-LÍDER DO PT NA CÂMARA

Geraldo torna-se vice-líder do PT.

O deputado federal Geraldo Simões foi escolhido vice-líder do PT na Câmara dos Deputados. É a segunda vez que o parlamentar sul-baiano é designado para o posto. A bancada petista na Câmara é composta por 85 deputados.

Dentre as funções que Geraldo desempenhará, está a de “articular políticas com o Governo e com os demais parlamentares”. Ex-prefeito de Itabuna (BA), o parlamentar cumpre seu terceiro mandato como deputado federal.

A escolha para o posto de vice-líder ocorre poucos dias depois de Geraldo ser alvo de vaias de opositores, principalmente de funcionários comissionados da prefeitura de Itabuna, durante homenagem na sessão itinerante da Assembleia Legislativa, ocorrida em Itabuna.

A ORDEM DAS CONTAS

O prefeito de Itabuna tem sobre o próprio pescoço uma espada afiada, que é a votação de suas contas referentes ao exercício de 2009. O TCM já reprovou a gestão financeira do município e agora é a Câmara de Vereadores que deverá julgar o parecer do tribunal. Em caso de confirmação do mesmo, Azevedo poderá ficar fora da disputa sucessória.

A favor do prefeito, o fator tempo. A Câmara terá que correr, pois há outros pareceres do TCM a serem apreciados, sobre as contas  dos ex-prefeitos Geraldo Simões e Fernando Gomes. Segundo um experiente vereador, o Regimento determina que a votação obedeça a ordem cronológica. Ou seja, as contas mais antigas devem ser analisadas primeiro.

“Se formos muito rápidos, conseguiremos votar as contas do atual prefeito no mês de julho”, diz o vereador. Segundo ele, na próxima semana é possível que seja publicado o edital para a votação das contas de Geraldo, a primeira da fila.

NILO: “ACORDO E DURMO TODOS OS DIAS PENSANDO NA CANDIDATURA A GOVERNADOR”

Presidente da Assembleia Legislativa baiana, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT) não esconde de ninguém o sonho de tornar-se governador. Numa entrevista exclusiva ao PIMENTA, Nilo afirma que acorda e dorme pensando na candidatura, embora saiba que outros nomes da base estão na disputa.

Nilo também comenta sobre o projeto Assembleia Itinerante e o tumulto ocorrido na sessão em Itabuna. “Tinha sujeito com crachá que, claro, veio encomendado para vaiar A ou B”. Para ele, os tempos são outros. “Você tem que conquistar votos no convencimento e não na porrada”. Confira a entrevista.

PIMENTA – Como o sr. avalia a sessão em Itabuna?
Marcelo Nilo – Sucesso. Foi muito importante. Tivemos a presença de 42 deputados debatendo diversos problemas da região sul do Estado. Tivemos a presença popular. É óbvio que estamos vivendo momento político, cada um defendendo seu partido, seu candidato. Foi positivo, ficamos sabendo os problemas mais importantes: a duplicação da rodovia BR-415, segurança pública, saúde, educação, barragem, universidade federal. Somos legisladores, elaboramos as leis e fiscalizamos o Executivo. Podemos contribuir nas soluções aos Governos federal e estadual.

Houve certo tensionamento entre grupos políticos locais, o sr. foi severo, ameaçou suspender os trabalhos, mas conseguiu equilibrar e levar a sessão até o final.
Tenho experiência… Se deixasse, aquele conflito viraria bagunça. Então tive que fazer um jogo mais duro. Claro que compreendo que vivemos em um regime democrático e o povo tem que falar. Agora é preciso que se compreenda o esforço de trazer a sessão da AL de Salvador para Itabuna para prestigiar a cidade. O deputado Geraldo Simões disse que este foi fato político mais importante para a cidade que a emancipação em 1910. Então trazer a AL para a cidade e aqui ser vaiado…

Tinha um sujeito com crachá que, claro, veio encomendado para vaiar A ou B. Esse tipo de político já passou.

Não seria uma manifestação natural do cidadão?
É fácil botar claque para vaiar, é muito fácil. Tinha um sujeito com crachá que, claro, veio encomendado para vaiar A ou B. Esse tipo de político já passou. Sou presidente da Assembleia Legislativa três vezes porque respeito o contraditório. O tempo de arrogância, prepotência e de ofensa acabou, o povo da Bahia sepultou. Agora é tempo de respeitar as pessoas que pensam diferente. Só ganhará eleição, quem tiver diálogo com aqueles que não acompanhem seus projetos. Você tem que conquistar votos no convencimento e não na porrada.

Após sessões em Feira, Conquista e Itabuna, como o senhor avalia o projeto Assembleia Itinerante?
Vitorioso. Disso não tenho dúvidas. O próximo presidente da AL terá que mantê-lo. A agenda de reuniões prevê sessões em Juazeiro, Teixeira de Freitas, Jequié… O critério usado é o de população. Fizemos Feira da Santana, Vitória da Conquista e Itabuna. Coincidentemente, PDT, PT e DEM. As seguintes são lideradas pelo PC do B, PSDB e a sexta do PMDB. Então dá para se fazer arrumação partidária. Sou presidente dos iguais que na AL são muito diferentes.

Quero sentar na cadeira de governador com tinta na caneta para fazer o que penso.

O senhor será mesmo candidato a governador?
Estou trabalhando para ser o candidato a governador. Acordo e durmo todos os dias pensando na candidatura a governador. Nasci na roça, no sertão, no semiárido. Fui estudar em Salvador, morei em pensionato, estudei em escola pública. Entrei na Embasa como estagiário e saí como presidente. Seis vezes deputado estadual. Sou único deputado estadual na história da Bahia 16 anos na oposição. Três vezes presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual mais bem votado da Bahia. Fui governador interino cinco vezes. É óbvio que a caneta não tinha muita tinta porque o cargo não era meu. Quero sentar na cadeira de governador com tinta na caneta para fazer o que penso.

Na base, existem outros nomes…
Estou preparado para ser governador da Bahia. Agora, preciso trabalhar. O PT tem a preferência, mas não tem a exclusividade. Vou lutar, subindo degrau por degrau. Lento, mas constante. São 200 andares, mas chego lá.

PEEMEDEBISTA FAZ TROÇA DE GERALDO

Via Twitter, o deputado federal e colega de Geraldo Simões na Câmara, Lúcio Vieira Lima (PMDB), aproveitava para fazer troça do petista, vaiado por figuras comunistas, hoje, no auditório da FTC-Itabuna. Lúcio retuitou título de nota publicada no blog Políticos do Sul da Bahia. E, claro, não deixou de cutucar o colega de parlamento: “Quem com vaia fere, com vaia será ferido”.

Para quem não lembra, em 2008, quando do lançamento do PAC do Cacau, em Ilhéus, grupos ligados Geraldo puxaram vaias ensurdecedoras contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima, irmão de Lúcio.

Lúcio faz troça do colega Geraldo Simões, que patrocinou vaia ensurdecedora contra Geddel Vieira.

HOMENAGENS E PROTESTOS NA ASSEMBLEIA ITINERANTE

Policiais militares e familiares, concursados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) e pessoas com deficiência planejam protesto na sessão da Assembleia Itinerante, amanhã, às 14h, em Itabuna.

Os policiais vão exigir anistia em relação às prisões ocorridas logo após o fim da greve da PM, no início de fevereiro. Concursados da Sesab em Ilhéus vão pressionar os deputados pela convocação para o Hospital  Geral Luiz Viana Filho e os portadores de deficiência querem a aprovação imediata do passe livre em linhas intermunicipais de ônibus.

A sessão de amanhã também renderá homenagens ao apresentador e jornalista Tom Ribeiro, o vereador e prefeiturável Claudevane Leite (Vane do Renascer), médico Rafael Andrade (coordenador do Mutirão do Diabético), a ex-secretário de Desenvolvimento Social de Itabuna, Juçara Feitosa, e ao deputado federal e ex-prefeito Geraldo Simões. Nos bastidores, opositores preparam protesto contra o deputado petista.

MUDANDO DE LADO

Da Coluna Tempo Presente | A Tarde

Algo mudou em Itabuna. A Rádio Difusora, que sempre bateu em Geraldo Simões, hoje deputado federal, duas vezes prefeito, de repente mudou. Não mais fala mal e ainda abre espaço para entrevistas com o dito.

Pertencia ao ex-prefeito Fernando Gomes, arqui-inimigo de Geraldo.

A razão da mudança é elementar: mudou de dono. E adivinhe quem comprou? Geraldo.

Explicação do próprio:

– Eu levei 30 anos apanhando…

Geraldo negociou diretamente com o próprio Fernando, que hoje está morando em Conquista, onde é tido como ‘o mais rico’.

“FRATURAS” NA ALA DOS POLÍTICOS

Dissidências no bloco oposicionista e na base de sustentação ao prefeito Capitão Azevedo (DEM) ficaram claras na procissão de São José, ontem. A oposição se dividiu em dois blocos e os governistas sofreram leve fratura.

A pré-candidata petista, Juçara Feitosa, seguiu atrás do andor com a imagem do santo padroeiro de Itabuna acompanhada pelo esposo, o deputado Geraldo Simões, e o ex-deputado Capitão Fábio. À frente de Juçara, seguiam os prefeituráveis comunistas Davidson Magalhães e Wenceslau Júnior, acompanhados pela pré-candidata do PDT, Acácia Pinho, e o vereador Glebão (PV). O sonho dos comunistas é fechar aliança com PDT e PV, o que se via traduzido na avenida. Mas Acácia também pede a vez.

Quem puxava o bloco dos políticos prefeituráveis na avenida era o prefeito Capitão Azevedo. Rodeado de secretários e pré-candidatos a vereador, Azevedo tentava enxergar onde estavam os deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e Coronel Santana (PTN). Augusto estava “solto na avenida”, conversando com todas as alas políticas. Santana vestiu-se com a camisa azul, assim como todo seu grupo, e distribuía abraços e sorrisos aos fiéis – e também eleitores (veja texto abaixo).

Márcia Rosely, Wenceslau, Acácia (centro), Davidson e Glebão (Pimenta).

Juçara, ao lado de Geraldo Simões (c), e Sérgio Costa (Foto Pimenta).

Capitão Azevedo conversa com eleitora durante procissão (Foto Pimenta).

RELATÓRIO APROVA SEDE DA UFESBA EM ITABUNA

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal votará, na próxima quarta-feira (21), o projeto de lei 2207/2011, de criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba). A boa notícia para Itabuna é que o relator do projeto na comissão, deputado Eudes Xavier (PT-CE), deu parecer pela instalação da reitoria da Ufesba em Itabuna.

Eudes conversou com o deputado Geraldo Simões neste final de semana e antecipou o parecer do projeto. O projeto encaminhado pela presidente Dilma Rousseff à Câmara Federal prevê sede da Ufesba em Itabuna e campi em Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

Na semana passada, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, agitou a política baiana ao defender a reitoria em Porto Seguro (relembre aqui). A fala do ministro em audiência na Câmara provocou reações dos deputados Geraldo Simões (PT) e Alice Portugal (PCdoB) e do vereador itabunense Wenceslau Júnior (PCdoB). Geraldo chegou a afirmar que se o ministro conseguir alterar a localização da sede da Ufesba, o governo será derrotado na Câmara dos Deputados (confira aqui).

A comissão se reúne a partir das 10h da próxima quarta. Esta não será a última etapa antes da votação em plenário. O projeto de lei seguirá para análise da Comissão de Educação.

SEDE DA UFESBA: “SE HOUVER MUDANÇA, GOVERNO SERÁ DERROTADO”, DIZ GERALDO

Geraldo diz que Mercadante ainda desconhece pasta da Educação.

O deputado federal Geraldo Simões e o líder do PT na Câmara dos Deputados, Jilmar Tatto, entraram com requerimento de audiência com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para reafirmar a posição da bancada baiana de instalar a sede da Ufesba em Itabuna.

O parlamentar itabunense destacou que o projeto de lei 2.207/2011, enviado pela presidente Dilma Rousseff ao Congresso, já define o município “como sede e foro” da Ufesba, tendo Teixeira de Freitas e Porto Seguro como multicampi. O pronunciamento do ministro Mercadante, em defesa da sede em Porto, causou estranheza à bancada.

Geraldo acredita que o ministro “respeitará a decisão da bancada baiana” como havia manifestado na Câmara ontem, embora tenha defendido a sede na Cidade do Descobrimento. O deputado lembra de mensagem enviada à presidente Dilma em 26 de agosto do ano passado, assinada pelos ministros Fernando Haddad (Educação) e Miriam Belchior (Planejamento),  que os estudos apontaram para a necessidade de implantação da reitoria da Ufesba em Itabuna.

A mensagem fala de universidade com 36 cursos de graduação e meta de atender a 11.110 alunos na graduação e pós-graduação. “O modelo institucional e acadêmico a ser adotado para a implantação da Ufesba será multicampi. Inicialmente, contará com dois campi, nos municípios de Porto Seguro e Teixeira de Freitas, além da sede no município de Itabuna”.

DERROTA NA CÂMARA

O PIMENTA conversou há pouco com Geraldo, que ameaça posição dura contra a gestão federal. “Votei favorável ao governo em todas as matérias enviadas para a Câmara. Mas se acontecer esse fato absurdo, ele [o governo] será derrotado no Congresso. Porém, não acredito que isso [mudança de sede da Ufesba] aconteça”.

O parlamentar contesta Mercadante quanto à “necessidade de entendimento” da bancada baiana no Congresso quanto à localização da sede da Ufesba. “A bancada já se entendeu. Tanto é que se definiu pela reitoria em Itabuna, por 37 votos a 2”.

Geraldo acredita que o equívoco cometido pelo novo ministro da Educação ocorra porque o mesmo ainda “não tomou conhecimento das ações e projetos da Pasta”. “Por isso, estou combinando com meus líderes do PT e a bancada baiana para explicar ao ministro os passos dados até a definição de Itabuna como sede da reitoria”.

Sobre a posição de Mercadante, Geraldo a considerou dúbia. “Não quero avaliar as belezas de Porto Seguro. Estamos discutindo posição política e um projeto para região tão importante como o sul da Bahia”.

Geraldo afirma que a bancada não está passiva nesta discussão. Ainda segundo ele, o PL da Ufesba será posto em votação na próxima semana na Comissão de Trabalho, conforme diálogo mantido com o presidente da comissão, deputado Eudes Xavier.

LEIA TAMBÉM
MINISTRO DA EDUCAÇÃO DEFENDE SEDE DA UFESBA EM PORTO

ITABUNA SOB RISCO DE PERDER SEDE DA UFESBA

AMAURI PEDE MAIS RESPEITO COM A BAHIA

Deputados Amauri Teixeira e Geraldo Simões integram coro dos descontentes com o descarte dos baianos do Governo Federal

A manhã desta quinta-feira está  bastante movimentada para dois petistas baianos na Câmara Federal. Logo cedo, o deputado federal Amauri Teixeira (PT/BA), ao lado do deputado Geraldo Simões (PT/BA), iniciavam articulação dentro da bancada baiana para afinar o discurso em prol do “equilíbrio das federações” no Governo Federal. Ontem (14) à tarde, ficou por conta de Amauri abrir o caminho dos descontentes com as exonerações em série dos ministros baianos.

“É claro que exigimos equilíbrio político. A Bahia não é um Estado qualquer! O Nordeste não é uma região qualquer! O Nordeste tem a sua importância e quer ser contemplado também nos cargos, para ter representantes no Governo Federal para aplicar as políticas voltadas para a região. Nós queremos ter representantes da Bahia para aplicar as políticas voltadas para o desenvolvimento da Bahia”, defendeu Amauri.

PELA BEIRADA

Marco Wense 

Fernando Gomes vai continuar dizendo que não será, em hipótese nenhuma, candidato a prefeito de Itabuna. Pessoas bem próximas do ex-alcaide murmuram que não é bem assim.

Os órfãos renitentes do fernandismo apostam que Fernando Gomes muda de ideia se o cenário ficar favorável.

“Tem que acontecer quatro coisas: a inelegibilidade do prefeito Azevedo, candidatura própria do PCdoB, apoio total do PMDB e uma boa colocação nas pesquisas”, diz um entusiasmado defensor da candidatura de FG.

MINA DE OURO

A ordem no staff político do governo Azevedo é explorar o acontecimento mais inusitado da sucessão de 2012: a aliança entre os ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões.

Os azevistas acham que a inesperada aproximação entre FG e GS vai prejudicar a campanha da ex-primeira dama e pré-candidata Juçara Feitosa. O tiro vai sair pela culatra.

Já tem gente até dizendo que Fernando Gomes já conhece a casa de praia de Geraldo. Um irritado ex-fernandista chega a dizer que uma foto com Geraldo, Fernando e Juçara vale uma boa grana.

Pois é. Coisas da política. Do movediço, teatral e traiçoeiro jogo político.

SEM RETORNO

Os meninos do PCdoB, com as peremptórias e incisivas declarações de que o partido terá candidato a prefeito de Itabuna, não tem mais como recuar e apoiar o PT.

O posicionamento mais duro em relação à importância do PCdoB sair da aba do petismo foi do prefeiturável Wenceslau Júnior: “Se o partido não lançar candidato rasgo minha ficha de filiação”.

Petistas e comunistas vão caminhar por estradas diferentes. Os meninos não querem mais o papel de coadjuvantes.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia