WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Geraldo Simões’

“SUCO DE LARANJA” NO AR?

Da coluna De Rodapés e de Achados, d´O Trombone

A Difusora está sendo adquirida por Geraldo Simões ou por interposta pessoa a ele vinculada. As tratativas serão consolidadas na próxima segunda-feira, no encontro que ocorrerá entre Geraldo, Fernando, o empresário e, naturalmente, Raimundo Vieira, em Salvador.

Como moeda entram, de um lado, a emissora, o prédio, os estúdios no Jardim do Ó e o terreno onde está instalada a antena. Envolve um universo de três milhões de reais. E, o que muito interessa a Fernando, a promessa de intervenção de GS junto ao Judiciário para aliviar um determinado processo criminal que incomoda FG.

Nesse particular FG ficou comovidamente agradecido a GS.

Confira a íntegra

AS PESQUISAS E OS PREFEITURÁVEIS

Marco Wense

Qualquer alteração só com as convenções partidárias, que acontecem no mês de junho, o início da propaganda eleitoral e os debates entre os candidatos.

Salvo algum acidente de percurso, o cenário eleitoral de Itabuna, até o mês de maio, com a sucessão do prefeito Azevedo (DEM), não vai sofrer nenhuma mudança significativa.

Qualquer pesquisa de intenção de votos vai apontar o atual chefe do Executivo e a petista Juçara Feitosa (ou Geraldo Simões) nas primeiras posições.

Se a consulta for encomendada pelo PT, Juçara Feitosa fica na dianteira. Se o contratante for o DEM, a ex-primeira dama fica atrás do democrata, ocupando a segunda colocação.

O vereador Vane do Renascer, pré-candidato pelo PRB, legenda sob o absoluto controle da Igreja Universal do Reino de Deus, vai continuar como o terceiro da fila.

Qualquer alteração só com as convenções partidárias, que acontecem no mês de junho, o início da propaganda eleitoral e os debates entre os candidatos.

SÓ PARA AS PIABINHAS

O deputado estadual Zé Neto, do PT do governador Jaques Wagner, é pré-candidato a prefeito na sucessão de Feira de Santana. Até aí nada de estranho.

O deputado federal Marcos Medrado, do PDT do saudoso Leonel de Moura Brizola, já declarou publicamente o seu apoio ao petista na eleição de 2012.

O atual prefeito de Feira é Tarzício Pimenta. O chefe do Executivo, ex-demista e carlista, agora neopedetista, vai disputar o segundo mandato (reeleição).

Marcos Medrado, de maneira desafiadora e escancarada, já disse que vai apoiar o petista Zé Neto. Se fosse um peixe miúdo, seria fisgado pelo comando estadual do PDT.

O anzol da fidelidade partidária só é acionado para fisgar as piabinhas. Não suporta o peso dos tubarões.

O VEREADOR E O PAI NOSSO

Alzimário "Gurita", o autor da lei.

O prefeito Newton Lima, da vizinha e irmã cidade de Ilhéus, sancionou a lei que obriga a reza do Pai Nosso em todas as escolas.

A iniciativa foi do vereador Alzimário Belmonte, que é do PP de Jabes Ribeiro, secretário estadual da legenda e candidatíssimo ao Palácio do Paranaguá.

O nobre edil deveria aproveitar o andar da carruagem e propor também que cada colega, ao adentrar na sede do Poder Legislativo, fizesse o seu “Pai Nosso”.

Um “Pai Nosso” de viva voz e repetido 100 vezes: “Prometo honrar o meu mandato e respeitar a coisa pública”.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

MAIS RECURSOS PARA A AMÉLIA AMADO

Geddel: preocupação com a Amélia Amado.

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, assinou há pouco a liberação de mais R$ 3 milhões e 140 mil para a continuidade das obras do canal da Avenida Amélia Amado (Lava-pés). Bezerra já havia assegurado ao deputado Geraldo Simões os recursos para a macrodrenagem do canal e urbanização da avenida.

A assinatura ocorreu há pouco em audiência do ministro com o vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, Geddel Vieira Lima, que disse ter ficado preocupado ao ler matéria aqui no PIMENTA sobre o ritmo da obra – lento – e o baixo número de operários, apenas 20.

A conclusão das ações de alargamento do canal e cobertura de parte dele estava prevista para julho de 2010.

GOVERNO FEDERAL LIBERA MAIS R$ 3 MI PARA OBRAS DO CANAL DA AMÉLIA AMADO

Obra terá mais R$ 3 mi, apesar de lentidão (Foto Pimenta).

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, revelou ao deputado federal Geraldo Simões que nos próximos dias serão liberados mais R$ 3 milhões para a obra do canal da avenida Amélia Amado, em Itabuna.

Como já foram liberados R$ 7 milhões e 331 mil reais, a Prefeitura de Itabuna terá recebido R$ 10 milhões e 331 mil de um total de 12 milhões e 364 mil.

Geraldo manifestou ao ministro a importância da obra para Itabuna e ao mesmo tempo preocupação com a qualidade do serviço que vem sendo executado.

QUE VENHA 2012!

Cláudio Rodrigues | claudio@formandus.com.br

 

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

 

Estamos às vésperas de mais um novo ano, onde todos fazem um balanço do período que se finda e planejam as realizações do que está pra chegar. O próximo ano é atípico, teremos eleições municipais e logo veremos uma meia dúzia de candidatos a prefeito prometendo o céu e a solução de todos os problemas de nossa cidade, além de uma legião de postulantes a vereador nos dando nome, número e falando de honestidade e ética.

Dos nomes até agora postos no xadrez da política local, temos o atual prefeito Nilton Azevedo, candidato à reeleição, a ex-comerciante, ex-primeira dama e ex-secretária de Desenvolvimento Social Juçara Feitosa, os simpáticos cururus Davidson Magalhães e Wenceslau Junior. Há também os empresários Roberto Barbosa e Ronald Kalid e a professora Acácia Pinho.

Nas últimas três décadas, Itabuna foi administrada por apenas dois grupos, hora o do ex-prefeito Fernando Gomes, hora o do ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões. O atual prefeito Capitão Nilton Azevedo, uma criação de Fernando Gomes, tem uma administração muito mal-avaliada, sua gestão é marcada pela mediocridade, incompetência e denúncias de corrupção. Não há uma rua, travessa, avenida ou caminho da cidade onde o lixo e os buracos não façam parte da paisagem.

O deputado Simões dono do PT, quer a todo custo empurrar goela abaixo a sua esposa como prefeita da cidade. A petista teve como grande mérito administrativo abrir e fechar em pouco tempo uma loja de roupas íntimas num shopping da cidade.

Esses dois grupos têm receitas semelhantes, administram na base do improviso, nunca planejaram a cidade e fizeram sempre seu feijãozinho com arroz. Penso que Itabuna deve arriscar e experimentar um dos novos nomes que estão sendo colocados nessa eleição.

Vejo com bons olhos os postulantes do PC do B, tanto Davidson quanto Wenceslau, desde que ao chegar ao poder não utilizem as práticas do seu partido, que às vezes cometem “malfeitos”, como diz a presidente Dilma. O empresário Roberto Barbosa, que já disputou a prefeitura na última eleição e ficou na terceira colocação, pode levar sua experiência de empresário bem sucedido para a gestão pública.

O empresário e também arquiteto Ronald Kalid comandou a Secretaria de Viação e Obras do ex-prefeito Ubaldo Dantas e, segundo se comenta, foi grande tocador de obras. Conta a seu favor a questão de ser um urbanista, que pode dar nova roupagem à boa e jovem, mas maltratada Itabuna.

Já a professora Acácia Pinho é uma grande interrogação. Na eleição passada foi vice na chapa do candidato fujão Capitão Fábio. Junto com o cabeça de chapa aderiu à candidatura do PT e no dia seguinte pulou do barco, que já tinha água até a metade. Ela tem os conhecimentos acadêmicos e poderia montar uma boa equipe técnica, mas como foi muito vacilante no último pleito, fica a dúvida.

Que venha 2012! Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Cláudio Rodrigues é empresário do ramo de formaturas e eventos.

PETISTAS ESCOLHEM PRÉ-CANDIDATO

João Brasil foi escolhido pela militância

O diretório do PT de Canavieiras, no sul da Bahia, realizou prévias neste domingo, 18, para escolher o nome que o partido deverá lançar para candidato a prefeito em 2012. Numa disputa apertada, o ex-vice-prefeito João Brasil venceu o médico Dácio Rolemberg por 112 votos a 108. A advogada Lourdes Ribeiro participou das prévias, obtendo 34 votos, registrando-se ainda um voto branco e três nulos.

Lourdes Ribeiro foi a única que participou da disputa sem padrinho. João Brasil, o vencedor, tem o apoio do deputado federal Geraldo Simões. Rolemberg, o derrotado, é nome da preferência do deputado federal Josias Gomes.

O placar não chegou a mostrar superioridade expressiva de nenhum dos parlamentares indiretamente envolvidos.

A UFESBA E A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

Geraldo defende Ufesba na região de Ferradas.

A localização do campus da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba) em Itabuna é debate que movimenta vários setores da sociedade itabunense. Até agora, a discussão apontava para quatro opções: Ferradas, às margens da BR-415; no semi-anel rodoviário, entre o Santa Inês e Mutuns, às margens da BR-101, no sentido Itabuna-Salvador e vizinho a Itajuípe e na região do Hospital de Base.

Mas surgiu uma quinta opção – e que começou a pôr mais lenha na discussão. O deputado federal Geraldo Simões diz que o prefeito Capitão Azevedo trabalha para que o campus da Ufesba seja na região do Serrado (Itabuna-Buerarema, às margens da BR-101). O parlamentar acusa que existe nesta opção algo menos nobre: prejudicaria o desenvolvimento da cidade para beneficiar um grupo de agropecuaristas.

Os agropecuaristas foram ao prefeito oferecer área de até 300 hectares para que ali seja instalada a universidade, que também abrigará a reitoria da Ufesba. Para Geraldo, a melhor localização da Ufesba seria a região de Ferradas. “Puxaríamos o desenvolvimento para uma região onde a cidade, verdadeiramente, pode crescer”, diz.

Exigir ou apresentar certidões vintenárias de todos os imóveis rurais na área do Serrado é algo interessante para tornar o debate mais claro. Nos cantos de Itabuna, sussuram que gestores públicos da atual safra investiram milhares de cédulas reais na compra de propriedades naquela região.

A DITADURA DOS PARTIDOS

Marco Wense

As legendas partidárias vivem sob o comando autoritário dos que se acham donos dos partidos, colocando os interesses pessoais acima de qualquer coisa.

Todo esse imbróglio envolvendo o PSDB de Itabuna, com o presidente José Adervan defendendo o lançamento de candidatura própria, lembra o que aconteceu com o PDT na sucessão de 2008.

A comissão provisória do partido brizolista, por se recusar a apoiar o então prefeito Fernando Gomes, que era do DEM e pré-candidato a um quinto mandato, foi dissolvida.

Fernando Gomes desistiu da reeleição. O capitão Azevedo, o vice-prefeito, saiu candidato e ganhou a eleição com uma diferença de 12 mil votos sobre a petista Juçara Feitosa.

As legendas partidárias vivem sob o comando autoritário dos que se acham donos dos partidos, colocando os interesses pessoais acima de qualquer coisa. São os figurões, os “mangangões” da política.

O PDT passou a ser presidido por Dinailton Oliveira, sobrinho de Fernando Gomes. Depois foi parar no colo do Sargento Raimundo, que passou a representar o governo do DEM na Câmara de Vereadores.

Não há nem resquícios de democracia nas agremiações partidárias brasileiras. Tudo é uma farsa. Um engodo. Os diretórios municipais e as comissões provisórias não têm autonomia para decidir nada.

Dirigentes tupiniquins são considerados como marionetes. Verdadeiros bonecos de engonço. É o manda quem pode, obedece quem tem juízo. É a ditadura dos partidos.

Para os barnabés do interior somente o que sobrou dos conchavos entre as cúpulas estaduais. Só interessa a política soteropolitana, lá da “capitá”. O resto é resto.

WAGNER QUER GERALDO

Todo mundo sabe, até as freiras do Convento das Carmelitas, que no PT de Itabuna só tem dois nomes que podem disputar a sucessão do prefeito Azevedo (DEM).

Dois nomes com densidade eleitoral: o deputado federal Geraldo Simões, que já governou a cidade por duas vezes, e Juçara Feitosa, ex-secretária de Desenvolvimento Social.

O governador Jaques Wagner tem informações de que Geraldo é o candidato que pode derrotar o legítimo projeto de reeleição do atual chefe do Executivo.

A melhor opção do Partido dos Trabalhadores é aquela que mais preocupa o adversário. A opinião de que a ex-primeira dama perde para Azevedo é unânime entre os democratas.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ONDE ESTÁ O DINHEIRO, AZEVEDO?

O deputado Geraldo Simões quer saber o paradeiro dos R$ 21.634.257,95 destinados pelo governo federal para a construção da barragem do rio Colônia. O dinheiro foi depositado na conta da prefeitura de Itabuna. Além dos R$ 21,6 milhões, outros R$ 5 milhões foram liberados pelo Ministério das Cidades para a construção da barragem em novembro.

Como a barragem não saiu até agora e foi preciso recorrer ao governo baiano para elaborar o projeto e dar início à obra, o deputado quer saber o que o prefeito Capitão Azevedo e o ex-prefeito Fernando Gomes fizeram com tanto dinheiro.

Só não podem dizer que o “gato comeu”…

PT E DEM DISPUTAM ENTREGA DE APARTAMENTOS

Juçara diz que Azevedo tenta faturar politicamente com obras federais e estaduais

O governador Jaques Wagner estará em Itabuna na próxima quinta-feira, 8 para a cerimônia de entrega de apartamentos do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. As unidades, um total de 368, são do condomínio Residencial Vida Nova, situado no bairro Califórnia.

A entrega está marcada para as 9 horas da manhã e será disputada pela pré-candidata a prefeita pelo PT, bem como pelo prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo (DEM), que tentará a reeleição em 2012. Ambos estão mobilizados para faturar com o programa federal.

Neste fim de semana, o PT reuniu militantes em um encontro no escritório político do deputado federal Geraldo Simões em Itabuna e a presidente do diretório municipal do partido, Miralva Moitinho, aproveitou para convocar a militância para o evento com o governador.

Na mesma atividade, organizada pela Secretaria de Movimentos Populares do PT, Juçara Feitosa aproveitou para cutucar a administração Azevedo. “Ando nos bairros de Itabuna conversando com as pessoas, e todo mundo está reclamando do abandono e dafalta de atendimento nos postos de saúde, as poucas obras são todas com recursos do governo federal e estadual do PT”, disse a petista, apimentando a disputa.

ANUNCIAÇÕES

Da coluna Política, Gente, Poder (Diário Bahia):

ROBERTO BARBOSA, prefeiturável, tem declardo em reservados ambientes, em círculos públicos. Textualmente: “estou procurando, buscando uma articulação, promover alianças para ter o apoio de Geraldo Simões, Fernando Gomes, Ubaldo Dantas”. Roberto Barbosa está com febre acima de 40 graus, está delirando, está suando no cobertor, na cama. Precisa usar remédios.

BOA NOTÍCIA PARA SERPA

Serpa: promoção.

Ex-comandante da Polícia Rodoviária Estadual na região, Valci Serpa recebeu nesta sexta-feira (25) um telefonema especial. Do outro lado da linha estava o governador Jaques Wagner. Melhor ainda foi a notícia dada ao militar: sai no Diário Oficial de amanhã (26) a promoção de Serpa a tenente-coronel da Polícia Militar.

Quem também ficou feliz com a promoção foi o deputado federal Geraldo Simões, amigo do militar.

 

O DEM AGRADECE

Marco Wense

Geraldo continua o mesmo: não aprendeu a elementar lição que política é conta de somar.

O DEM de Itabuna, sob o comando de Maria Alice, gostou da entrevista do deputado Geraldo Simões no jornal Agora, edição do último fim de semana.

Toda entrevista do parlamentar é um prenúncio de festa no staff democrata. As bordoadas do ex-prefeito contra os meninos do PCdoB, desferidas impiedosamente, são intensamente comemoradas.

É unânime a opinião de que um racha entre petistas e comunistas, com o PCdoB lançando candidatura própria, torna o projeto de reeleição de Azevedo cada vez mais provável.

Ao ser questionado sobre a vinda da universidade federal, o parlamentar foi taxativo: “Se eu não fosse deputado, Itabuna não teria uma universidade federal”.

O petista assume a paternidade da Ufesba, debochando e inferiorizando as importantes participações dos colegas Félix Mendonça Júnior (PDT), Josias Gomes (PT) e da atuante deputada Alice Portugal (PCdoB).

Geraldo Simões parece que não precisa de aliados para a sucessão de 2012. Ainda não aprendeu a elementar lição que política é conta de somar.

Na eleição de 2004, Geraldo Simões, então candidato a um segundo mandato (reeleição), depois de brigar com Renato Costa, Ubaldo Dantas, João Xavier e muitos outros, foi sucumbido por Fernando Gomes.

Geraldo continua o mesmo. Aliás, o governador Jaques Wagner, em conversas reservadas, tem dito que o ex-prefeito, por conta de seu individualismo, vai terminar sendo novamente derrotado em Itabuna.

Os demistas estão esperando a próxima entrevista de Geraldo Simões. Torcem por um Geraldo cada vez mais desagregador, tratando com desdém os partidos e as lideranças da base aliada do governo Wagner.

ACÁCIA E O PV

A pré-candidatura de Acácia Pinho à sucessão do prefeito Azevedo, pelo PDT do saudoso Leonel Brizola, ganha musculatura com o apoio do Partido Verde.

A celebração desta importante aliança, com a presença de autoridades e lideranças federais, estaduais e municipais, acontece hoje, sexta-feira(25), às 19 horas, na Câmara de Vereadores de Itabuna.

O PV, presidido por Evan Maxwel, passa a integrar a frente partidária formada pelo PDT, PCdoB, PRB e o PSC. A professora Acácia, sem muito estardalhaço, mostrando competência política, vem, como se diz na gíria, tomando o mingau pela beirada do prato.

Para Otávio Menezes, que já foi duas vezes vereador de Itabuna, “o crescimento de Acácia nas pesquisas é só uma questão de tempo. Vai ser a grande surpresa da sucessão de 2012”.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ARGÔLO PROMOVE A “GUERRA DA BARRAGEM”; GERALDO DIZ QUE COLEGA FOI CONTRA EMENDA

Geraldo diz que Argôlo (à direita) não votou em emenda.

Se ontem o deputado federal Geraldo Simões (PT) afirmava ter sido o responsável pela inclusão de emenda para a Barragem do Rio Colônia, hoje é outro dia e acaba de aparecer mais um “pai da criança”. O astuto Luiz Argôlo (PP) chama para o “próprio si” os louros por ter incluído a emenda que garante não R$ 23 milhões, mas – ele diz – R$ 50 milhões para a construção da barragem.

Não se sabe exatamente por qual razão, mas não era exatamente Argôlo o Luiz ao qual Geraldo agradecia por ter ajudado a incluir a obra entre as emendas de bancada ao Orçamento Geral da União (OGU) de 2012.

E aí, quem fala a verdade?

O deputado Geraldo Simões diz que Argôlo não votou pela inclusão. “Ele disse na reunião da bancada no Congresso (na terça, 22) que não precisava de emenda para a barragem, pois o Ministério das Cidades já possuía os recursos para a obra”, lembra.

A emenda estava entre as sugeridas pelo governador Jaques Wagner, mas inicialmente ficou entre as não acatadas pela bancada. Se tomou a decisão de ir pra voto. Eu fiz a defesa da barragem e ela ficou entre as mais votadas e agradeci nominalmente a todos os deputados que votaram comigo, diz Geraldo.

Argôlo não votou na emenda. Os votos que acompanharam o de Geraldo foram os de ACM Neto, Luiz Alberto,  Lídice da Mata, Walter Pinheiro, Luiz Alberto, Emiliano José, Joseph Bandeira, Walmir Assunção, Felix Jr., Zé Nunes, Amauri Teixeira e Roberto Brito

Os R$ 23 milhões – incluído no orçamento como R$ 70 milhões devido aos riscos de cortes ou não liberação na íntegra – serão somados aos R$ 13 milhões da verba de R$ 33 milhões liberados pelo governo entre 2008 e 2010 e R$ 23 milhões garantidos pelo PAC 2.

Guerrinha rolando e o mais interessante é saber o seguinte: quem vai correr atrás, depois, para que estes R$ 23 milhões efetivamente saiam?

ENTREVISTA COM GERALDO SIMÕES

Geraldo: "pensamos mais em Ilhéus do que propriamente no prefeito"

Geraldo Simões em entrevista ao jornal Agora:

Sobre o governo Azevedo – “Eu fico com a opinião do povo de Itabuna. A avaliação é de que a administração não está bem, com uma rejeição acima de 60%, e a população está certa na avaliação dela porque não há um bom exemplo de administração em nenhum setor. Saúde é um desastre, está um caos; educação é um feijãozinho com arroz; políticas públicas não têm mais; Sítio do Menor acabou, não tem pol[itica para a criança e o adolescente. Então, me digam o que é que tem de bom nesse governo. E é um governo com experiência porque é continuação do outro governo! O prefeito era secretário do governo passado. Itabuna só tem infraestrutura no centro da cidade. Na periferia, está tudo por fazer”.

Sobre o governo Newton Lima – “Essa decisão de trazer Newton para o PT foi uma prova de maturidade do partido em Ilhéus. Essa nossa decisão foi melhor para Ilhéus do que para o PT. Não poderíamos deixar uma cidade como Ilhéus, que está recebendo tanto investimento, com um vazio administrativo. Então, o que fizemos? Filiamos o prefeito Newton, assumimos diversas secretarias no governo e vamos tocar o projeto administrativo até 31 de dezembro do ano que vem. Como a população de Ilhéus estava muito insatisfeita com a gestão do município, nós pensamos mais em Ilhéus do que propriamente no prefeito. Agora, é hora de trabalhar, de recuperar a cidade. O PT vai ter candidato a prefeito, vai apresentar um nome para o povo ilheense avaliar”.

GERALDO DIZ QUE AZEVEDO AUMENTA IMPOSTO MAS NINGUÉM SABE PARA ONDE VAI O DINHEIRO

Geraldo: Azevedo só pensa em aumentar impostos.

A proposta do prefeito Capitão Azevedo (DEM) de aumentar em 1.900% o valor da CIP, antiga taxa de iluminação, foi considerada absurda pelo deputado federal Geraldo Simões (PT).

Caso a proposta passe na Câmara, quem consome entre 201 e 1.000 kw/h, por mês, pagará R$ 100,00 só de CIP (Contribuição Sobre Serviço de Iluminação Pública). Quem consome 201 kw/h por mês, paga hoje, na média, R$ 5,00 de CIP.

– O prefeito aumenta os impostos, mas ninguém sabe para onde vai o dinheiro, porque as obras e programas sociais em Itabuna só têm recursos do Governo Federal e do Governo do Estado. Para onde está indo o dinheiro da prefeitura? – questiona.

Geraldo diz que “o prefeito só pensa em aumentar e arrecadar impostos, mas não realiza investimentos na cidade com recursos próprios”.

O deputado federal lembra que, no início do ano, Azevedo já havia aumentado as taxas de Imposto Sobre Serviços (ISS) e mais que triplicado o valor cobrado pela concessão de alvarás e taxas de funcionamento, “inibindo a instalação de novas empresas e criação de empregos”, observa.

– A cidade só é noticia em temas negativos como mortalidade infantil, violência contra jovens e incidência de dengue. A prefeitura não tem programas sociais próprios que tirem as crianças e adolescentes das ruas. A gente não vê uma obra com dinheiro do município. E o prefeito ainda não assume nada, a culpa é sempre dos outros, enquanto a população sofre com o descaso e o abandono.

Leia também
MANOBRA DE AZEVEDO AUMENTA
TAXA DE ILUMINAÇÃO EM 1.900%

PT X PC DO B EM ITABUNA

O clima de disputa entre PT e PCdoB chegou à gerência regional da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA) em Itabuna. O comunista Franklin Passos deu lugar ao petista Wagner Ayres, indicado pelo deputado federal Geraldo Simões.

Em Itabuna, o PCdoB, por enquanto, só conseguiu um cargo na dança das cadeiras – este, na Direc 7. E só. Até mesmo a indicação para a Ciretran, periga. O sargento Gilson Nascimento ainda espera assumir o cargo, embora este esteja mais próximo do ex-deputado Capitão Fábio.

GERALDO DIZ QUE ESTÁ IMPRESSIONADO COM O “CINISMO” DE AZEVEDO

Geraldo mira prefeito Azevedo.

O deputado federal Geraldo Simões (PT) disse ao PIMENTA que está “impressionado com o cinismo” do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM). E explica: “ele empurra para os outros a culpa por todos os problemas do município”.

O parlamentar federal falava sobre a reação do governo municipal à reportagem da revista Veja. Geraldo lamentou a postura do prefeito ao tentar atribuir ao governo estadual a culpa pela liderança nacional em mortalidade infantil, conforme revelou a revista Veja.

O petista lembrou que na gestão de Azevedo Itabuna é “bicampeã brasileira de infestação de dengue” e enfrentou a maior epidemia da doença, em 2009, quando 14 pessoas morreram, além de ser apontada como a mais perigosa para jovens e a vice-líder em homicídios no país.

“PREFEITO FUJÃO”

Para Geraldo, em vez de “fugir dos problemas”, Azevedo tem que enfrentá-los e buscar soluções. “O itabunense não suporta mais conviver nessa situação. Em vez de atacar o governador, ele deveria estabelecer parcerias, mas para isso precisa governar, coisa que não faz”.

E completa:

– A gente não sabe se o prefeito é o soldado Pinheiro, a secretária Joelma [Reis] ou se é  [a articuladora política] Maria Alice [Pereira], porque Azevedo não assume nada. Não podemos ter prefeito fujão.

Itabuna perdeu a gestão plena da saúde, lembra Geraldo, porque havia desvio de recursos na gestão em que ele Azevedo vice-prefeito e preferiu se omitir. “Além disso, violência não se reduz só com policiamentos, mas com programas sociais que inexistem em Itabuna”.

Leia também:
AZEVEDO PÕE A CULPA NO ESTADO POR LIDERANÇA
NACIONAL EM MORTALIDADE INFANTIL

A FRENTE INCOMODA

Marco Wense

Sucessão em Itabuna só com dois candidatos: Azevedo e Juçara Feitosa. Os outros prefeituráveis são patinhos feios.

A frente partidária formada pelo PDT, PRB, PSC, PCdoB e o PV, com o objetivo de quebrar o “ping-pong” eleitoral protagonizado por dois grupos políticos, começa a preocupar.

Querem que a disputa do cobiçado Centro Administrativo Firmino Alves fique restrita a dois nomes: o prefeito Azevedo e a ex-primeira dama Juçara Feitosa.

Sucessão em Itabuna só com dois partidos: o DEM e o PT. Os demais prefeituráveis, seja da frente, do PMDB, PP, PSDB ou de qualquer outra legenda, são patinhos feios. “Personas non gratas”.

O lado que busca a reeleição do Capitão quer uma coligação com o DEM-PSDB-PMDB-PTB-PR-PTN-PPS. O outro, capitaneado pelo deputado federal Geraldo Simões, sonha com o PT-PCdoB-PDT-PRB-PSC-PV-PSD-PSB-PP.

Os petistas apostam na interferência do governador Jaques Wagner no processo sucessório, enquadrando os partidos da base aliada no apoio a Juçara Feitosa.

Os demistas, com o diretório municipal sob a batuta da incansável Maria Alice, acreditam que os acordos envolvendo a sucessão soteropolitana podem beneficiar o prefeito Azevedo.

O DEM, com a desistência do deputado ACM Neto em sair candidato a prefeito de Salvador, apoiaria, em um eventual e provável segundo turno, o candidato do PMDB ou do PSDB.

Em troca, como contrapartida, o PMDB e o PSDB abririam mão de seus pré-candidatos em algumas cidades. Em Itabuna, por exemplo, os tucanos e peemedebistas apoiariam o segundo mandato de Azevedo.

No tocante ao PT, o governador Jaques Wagner não vai jogar o seu republicanismo na lata do lixo, desrespeitando a autonomia das legendas aliadas.

A junção do PDT, PCdoB, PRB, PSC e do PV, com os prefeituráveis Vane do Renascer, Acácia Pinho e Wenceslau Júnior, é legítima. O pai dessa união é a democracia.

A pré-candidata Acácia Pinho tem razão quando diz que “a frente não é de rancor e raiva. É uma opção para quem não quer a continuidade do atual governo e, muito menos, o retorno do PT”.

Os inimigos da democracia são os que, sorrateiramente, quase sempre na calada da noite, pregam o mandonismo como instrumento de pressão.

Os defensores de um posicionamento mais duro do governador Jaques Wagner, forçando uma coligação das legendas aliadas com o PT, são os verdadeiros patinhos feios e “personas non gratas” da sucessão municipal.

PSB VERSUS PSB

O PSB de Itabuna está rachado em relação ao apoio a Juçara Feitosa na sucessão do prefeito Azevedo, eleito pelo DEM depois de derrotar a própria petista com uma diferença de mais de 12 mil votos.

Aurélio Macedo e João Carlos, respectivamente presidente do diretório municipal e membro da estadual, querem o partido no palanque do PT, seguindo uma orientação, segundo eles, da senadora Lídice da Mata.

O médico Edson Dantas, por sua vez, diz que nada foi definido, já que a militância do PSB prefere a frente partidária formada pelo PDT, PCdoB, PSC, PRB e o PV.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ITABUNA SEM UFESBA E POLO TÊXTIL

Geraldo faz críticas a Azevedo.

O deputado federal Geraldo Simões (PT) participou de um almoço no Grupo de Ação Comunitária (GAC) e aproveitou para desferir críticas contra a gestão do prefeito Capitão Azevedo (DEM).

De acordo com Geraldo, a “inoperância” do governo democrata pode comprometer a implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba) e o polo têxtil. Outra obra ameaçada, segundo o parlamentar, é a construção da Barragem do rio Colônia.

Geraldo ainda dá outra alfinetada ao sugerir que os aumentos do ISS e dos alvarás, no início do ano, podem ter contribuído para a queda na geração de emprego em Itabuna durante 2011.

– Enquanto o Brasil gerou 1 milhão de empregos e a Bahia gerou 57 mil empregos de janeiro e agosto 2011, Itabuna teve saldo negativo na geração de empregos [em agosto].

As críticas, logo depois, foram parar no Facebook do político itabunense que tem a esposa, Juçara Feitosa, como prefeiturável em 2012.

“NÓS VAMOS GANHAR A ELEIÇÃO COM O APOIO DO PT”, DIZ DAVIDSON

Magalhães diz que esta é a vez do PCdoB e quer apoio do PT.

O presidente da Bahiagás, o prefeiturável Davidson Magalhães (PCdoB), negou ao PIMENTA que a composição da chapa majoritária tenha sido o assunto da reunião com o deputado Geraldo Simões. De acordo com ele, o papo foi para discutir o fim dos ataques entre PT e PCdoB por causa da disputa de nomes a vereador. Mas… ressalta ter sido este o passo inicial para um diálogo visando à composição da chapa a prefeito.

Davidson reafirma a intenção comunista de manter a candidatura a prefeito até o fim. O partido tem dois nomes no páreo: o do próprio dirigente e o do vereador Wenceslau Júnior.

Segundo o cururu, tanto o governador Jaques Wagner como o PT sabem do projeto comunista em Itabuna. “Não está posta, em nenhum momento, a retirada de candidatura a prefeito. A nossa decisão política foi tomada e estamos conversando com todos os partidos da base”.

O dirigente da Bahiagás e do PCdoB baiano insiste na teoria de que há um esgotamento de nomes no PT e prega que o partido da estrelinha apoie o PCdoB em 2012. “Com o apoio do PT, com o papel destacado de Geraldo, nós vamos aglutinar e tenho certeza que vamos ganhar a eleição”, acredita, lembrando da dobradinha das legendas em 2004 e 2008 com os cururus no papel de vice.

O comunista diz que as pesquisas apontam, além do esgotamento petista, a necessidade de um novo modelo de gestão. E faz críticas ao jeito “improvisado” de governar, implantado pelo prefeito Capitão Azevedo (DEM). Para Davidson, a cidade precisa de um governo antenado com as mudanças que acontecerão no sul da Bahia a partir dos projetos de grande impacto executados pelos governos baiano e federal, a exemplo da Ferrovia Oeste-Leste e do Porto Sul.

REJEIÇÃO PREOCUPA

Azevedo: rejeição ainda é muito alta.

Embora o prefeito Capitão Azevedo tenha se recuperado nas pesquisas quando o quesito é intenções de voto, membros do governo revelam preocupação com outro dado que emerge destas sondagens eleitorais: a alta rejeição.

Azevedo crava sempre entre 41% e 52% de rejeição popular.

O alívio é que as candidaturas mais fortes no campo oposicionista (Geraldo Simões e Juçara Feitosa, ambos do PT) também são donas de alta rejeição, apesar de figurar alguns pontinhos percentuais à frente de Azevedo ou empatarem nas intenções de voto.

A tática para reduzir o percentual de rejeição a níveis aceitáveis e, claro, pontuar melhor nas intenções de voto do governo será mesmo jogar todas as fichas nas obras nos bairros (leia-se pavimentação de ruas).

O governo também reforçou o time com figuras que, embora rejeitadas, sabem jogar eleitoralmente, a exemplo de Maria Alice Pereira, a ex-secretária de Governo nas gestões de Fernando Gomes, também conhecida como faz-tudo fernandista. Ela e o vereador Roberto de Souza (PR) são os responsáveis pelas cooptações de lideranças que sonham disputar eleição legislativa em 2012.

Ainda sobre o quesito rejeição, o sociólogo Agenor Gasparetto defende teoria (baseada em estudos próprios) de que dificilmente é reeleito o gestor que tenha mais que 25% de rejeição.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia