WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘Geraldo Simões’

XULA SAI DO PT E CRITICA PROJETO FAMILIAR DE GERALDO SIMÕES

Xula critica projeto familiar de GS.

O ex-candidato a vereador Ricardo Xula desfiliou-se do PT disparando críticas ao projeto “familiar” do deputado federal Geraldo Simões. “Não tenho como ficar em um partido em que só uma família domina”.

A carta de desfiliação foi entregue na última sexta, 23, momentos antes do almoço de aniversário de Geraldo. “Fiz questão de entregar a carta naquele momento, pois ele só trabalhou contra mim, contra a minha candidatura [a vereador]”. Só hoje o ex-candidato decidiu falar.

Técnico em radiologia, Ricardo Xula fundou o núcleo do PT no Jardim Primavera, do qual era presidente, e também integrou a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna e Região (Sintesi). Segundo Xula, cerca de 50 pessoas ligadas a ele deixarão o partido.

Xula diz que a insistência de Geraldo com o projeto familiar resultou em derrota eleitoral “pior do que da outra vez”, numa referência às derrotas petistas em 2008, quando Juçara Simões teve pouco mais de 40 mil votos, e em 2012, quando acabou em terceiro lugar e obtendo 16 mil votos.

O agora ex-petista disse não ter decidido ainda o seu destino político-partidário, mas irá apoiar quem possa “bater de frente com Geraldo Simões” no campo progressista. Xula diz que as perseguições à sua candidatura começaram quando parte do grupo decidiu apoiar a eleição de Vane do Renascer.

Xula não acredita em mudança na direção do PT itabunense no processo eleitoral de 2013. Juçara é a candidata de Geraldo para a presidência do partido. O ex-petista diz que o grupo que retornou ao partido não terá força para enfrentar o grupo geraldista. “Geraldo, oferecendo horrores, filiou três vezes mais pessoas que os outros grupos”.

O PT E A SUCESSÃO DE 2016

Marco Wense

Para os geraldistas, o antigeraldismo está ansioso para participar do governo Vane. Conta com o aval de Miralva Moitinho, presidenta do diretório, e com o endosso do deputado federal Josias Gomes.

O prefeito eleito Claudevane Leite (PRB) nem tomou posse e já vem esse Marco Wense com seus devaneios sobre a sucessão municipal de 2016.

O caro leitor, independente de sua condição intelectual, de gostar ou não de política, tem todo o direito de achar que o comentário de hoje é ridículo, inoportuno e intempestivo.

Mas não é. Política é um processo de vários e interligados atos. E o primeiro ato importante do PT, visando o pleito de 2016, é a eleição para a presidência do partido.

Não é à toa que o deputado Geraldo Simões quer o comando da legenda para uma pessoa de sua inteira confiança, como a militante, companheira e esposa Juçara Feitosa.

Correligionários bem próximos do parlamentar são da opinião de que o PT só terá candidatura própria se o partido continuar sob o controle de Geraldo Simões.

Para os geraldistas, o antigeraldismo está ansioso para participar do governo Vane. Conta com o aval de Miralva Moitinho, presidenta do diretório, e com o endosso do deputado federal Josias Gomes.

Participar do governo do prefeito eleito é assumir o compromisso de apoiá-lo na sua natural pretensão de buscar o segundo mandato via instituto da reeleição.

O governador Jaques Wagner, cansado e ressabiado com três derrotas consecutivas, não criaria nenhum obstáculo para uma possível aproximação entre o PT e o governo Vane.

Portanto, caro leitor, não há devaneios e, muito menos, elucubrações no comentário de hoje. O processo sucessório de 2016 já começou, pelo menos no petismo de Itabuna.

COBRANÇA JUSTA

A executiva estadual do PDT, sob a batuta do gaúcho Alexandre Brust, cobra de Jaques Wagner mais espaços no governo. Espaço é sinônimo de cargos.

O PDT apoiou a reeleição do petista em 2010. A contrapartida foi proporcional ao fraco desempenho da legenda na eleição de 2008: oito prefeitos, alguns vice-prefeitos e poucos vereadores.

Agora, na sucessão de 2012, a legenda brizolista elegeu 43 chefes de Executivo, 31 vice-prefeitos e 373 vereadores. A cobrança faz sentido. É mais do que justa.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

WAGNER, GERALDO E O PT

Marco Wense 

A verdade é filha do tempo. E o tempo, como senhor da razão, vai mostrar que os seguidos erros de Geraldo Simões – alguns até infantis – podem levá-lo para o isolamento político.

O governador Jaques Wagner faz um esforço sobrenatural para entender o político Geraldo Simões. Fica mais abismado quando compara o Geraldo de ontem com o Geraldo de hoje.

O irreverente jornalista Eduardo Anunciação diria que o Geraldo Simões de priscas eras, na época de “minha pedinha”, é o oposto do Geraldo Simões de agora.

Anunciação, comentarista político do Diário Bahia, tem razão quando diz que GS “está precisando com urgentíssima-urgência perceber alguns episódios, alguns erros, alguns fatos, falhas”.

Wagner também não entende como é que Geraldo Simões consegue, concomitantemente, se atritar com as legendas da base aliada, suas respectivas lideranças e com os próprios companheiros.

Das agremiações partidárias de maior expressão, obviamente do cenário baiano, apenas o PSB e o PDT de Acácia Pinho acompanharam a então candidata Juçara Feitosa na última sucessão municipal.

O fato de Juçara ser a suplente da senadora Lídice da Mata, que é a comandante-mor do PSB, contribuiu para que petistas e socialistas ficassem no mesmo palanque.

O PSB, no entanto, assim como o PDT, ficou dividido entre as candidaturas de Juçara e Vane do Renascer. A ala histórica do brizolismo grapiúna decidiu pelo apoio ao candidato do PRB.

Vale ressaltar que Acácia Pinho foi protagonista de uma enxurrada de discursos contra o capitão Azevedo e Geraldo Simões. A neopedetista pregava o fim da “mesmice”, aí incluindo o ex-prefeito Fernando Gomes.

Ao romper com a frente partidária, que terminou optando por Wenceslau Júnior como vice de Vane, Acácia se aproximou do capitão Azevedo com o intuito de integrar a chapa majoritária.

O comando estadual do PDT daria o aval para a estranha aliança, já que todas as pesquisas de intenção de voto apontavam Azevedo em uma posição confortável. Sua reeleição era considerada como favas contadas. :: LEIA MAIS »

PMDB VERSUS PSB

Marco Wense

Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A bola da vez, quando o assunto envereda para a disputa do Palácio do Planalto, é o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Todo esse oba-oba, envolvendo o neto do saudoso Miguel Arraes, decorre do sucesso eleitoral do PSB, que foi a sigla que mais cresceu (40% a mais de prefeitos) desde 2008.

Não é o bom desempenho da legenda que vai ditar as regras para a eleição presidencial de 2014. A candidatura de Campos está condicionada a uma queda acentuada na popularidade da presidenta Dilma Rousseff.

A verdadeira disputa é o PMDB versus PSB. Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A ELEIÇÃO DE HADDAD

É evidente que o ex-presidente Lula tem os seus méritos e foi o grande responsável pela vitória de um “poste” na sucessão paulistana.

O então candidato Fernando Haddad saiu do zero em todo sentido: pesquisas de intenção de voto, apoios de partidos e de lideranças políticas. Só contava com o entusiasmo de Lula.

É bom lembrar que o toma-lá-dá-cá funcionou a todo vapor. Marta Suplicy, por exemplo, só virou Haddad desde criancinha depois que passou a ser ministra da Cultura.

É o toma-lá-dá-cá, digamos, “interna corporis”.

A BRIGA PELO PT

A briga é de “cachorro grande”. A disputa é pelo comando do diretório do PT de Itabuna. De um lado, o deputado Geraldo Simões. Do outro, o também parlamentar Josias Gomes.

Josianistas são da opinião de que o momento é agora, já que o ex-prefeito, depois de três derrotas consecutivas na sucessão municipal, se encontra politicamente debilitado.

Uma coisa é certa: Geraldo Simões, em caso de uma nova derrota política, vai ficar no mato sem cachorro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

EM ITABUNA, PODE SURGIR O PT DO FG

Charge (já postada no dia 31/10/12) sugere como Geraldo Simões se torna cada vez mais parecido politicamente com Fernando Gomes. Agora, até o grupo é o mesmo

Um fenomenal rol de fernandistas está para desembarcar no PT de Itabuna, sob as bênçãos do deputado federal Geraldo Simões. Avalia-se que sejam em torno de 30 fiéis seguidores do ex-prefeito Fernando Gomes que irão assinar suas fichas de filiação e engrossar as fileiras petistas. Como chega para reforçar o time do cacique, o grupo terá direito a um belo prêmio: o comando da Direc 7.

O fato já é dado como certo dentro do partido e assusta parte da militância, que vê Simões, a cada gesto, desacreditar e desfigurar o PT na cidade. Na Direc, a professora Rita Dantas já anunciou sua saída, que deverá ocorrer em breve. Pelos compromissos firmados, seu lugar será assumido realmente por um fernandista.

Um dos que estão mais indignados com a situação é o professor Denelísio Nobre, diretor do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães. É que o deputado-cacique também já lhe prometera o comando da Direc, agora oferecido aos recém-chegados.

A estratégia de Simões é se fortalecer para o Processo de Eleição Direta (PED), que acontecerá em novembro de 2013, e já tem como primeira postulante a esposa do deputado, Juçara Feitosa. Por outro lado, opositores internos do parlamentar se movimentam para enfrentá-lo e a entrada de egressos do PSOL, ocorrida esta semana, seria uma das armas dos adversários do cacique. Embora afirmem independência, os pessolistas deverão perfilar com a ala contrária a Fernando Gomes… Ops, Geraldo Simões!

CHARGE – EFEITO ORLOFF

O ALVO AGORA É HELENILSON

O deputado federal Geraldo Simões não para de (tentar) acumular inimigos. Tem obtido muito sucesso na missão. A vítima do momento é o empresário Helenilson Chaves, diretor-presidente do Grupo Chaves.

Geraldo ficou enciumado com a proximidade de Helenilson com Vane do Renascer (PRB), prefeito eleito de Itabuna, e o vice-prefeito Wenceslau Júnior (PCdoB).

BATALHA JURÍDICA PARA SALVAR OS VOTOS DE CANDIDATOS DO PSD

O presidente do PSD de Itabuna, Delson Mesquita, foi a Salvador para tentar resolver a pendenga eleitoral envolvendo os candidatos a vereador do partido. Delson disse ao PIMENTA que o deputado federal Geraldo Simões (PT) trabalhou para tirar o PSD da coligação de Vane do Renascer (PRB) e acabou prejudicando os candidatos, cujos votos foram computados como inválidos.

Geraldo e a coligação da candidata do PT, Juçara Feitosa,  não tomaram as providências adequadas no campo jurídico e acabaram por tirar do páreo candidatos competitivos como Solange da Saúde. Edson Pimenta, que foi o avalista do “cavalo-de-pau” eleitoral em Itabuna, disse que acionará a assessoria jurídica do diretório baiano para resolver a situação dos candidatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Solange: prejudicada.

Os candidatos a vereador também foram prejudicados na campanha no rádio e na televisão. Solange da Saúde, por exemplo, somente apareceu no programa de TV uma vez, apesar do partido dispor de 1min59s de tempo de televisão. E foi de olho no tempo na propaganda eleitoral na televisão que Geraldo moveu a direção estadual do PSD e o governador Jaques Wagner a trabalhar para que o partido estivesse na coligação de Juçara, mesmo contra a vontade do diretório e da ampla maioria dos candidatos a vereador.

INADIMPLENTE

O deputado federal Geraldo Simões (PT) é acusado de aplicar calote de até R$ 900 mil em auxiliares de campanha, informa o Blog do Ricky. O parlamentar teria emitido cheques sem fundos de sua conta pessoal para pagamento de compromissos de campanha da esposa, Juçara Feitosa (PT).

Um canal de TV a cabo e agência de propaganda estariam no rol dos atingidos pelos cheques voadores, além de 28 colaboradores envolvidos na produção dos programas de rádio e televisão da candidata.

MENOS, DEPUTADO

O deputado federal Geraldo Simões (PT) tem realmente uma imaginação riquíssima, para usar um eufemismo. Falando há pouco no programa Show do Jota Silva (Rádio Jornal AM), ele calculou que desde 2009 o Governo Federal já contemplou Itabuna com recursos da ordem de R$ 150 milhões.

O jornalista Joel Filho indagou quanto desse montante resultou da interferência direta do parlamentar petista. E Simões respondeu de bate-pronto:  ”R$ 70 milhões”.

Ou seja, quase metade de tudo o que Itabuna teria captado foi por obra e generosidade do deputado adversário do atual prefeito.

Com essa, Azevedo deveria substituir a estátua de Jorge Amado, na entrada de Ferradas, por uma do nobre parlamentar. Ele merece.

Do Cena Bahiana

A FÁBRICA DE SUCO

O deputado Geraldo Simões anunciou, ontem, a vinda da fábrica de sucos Del Valle em Itabuna. De fato, os contatos com o município já começaram, mas a assessoria da Secretaria Estadual de Indústria, Comércio e Mineração (SICM) informou ao PIMENTA que não há -até agora – assinatura de protocolo de intenções ou encaminhamento neste sentido. A fábrica pode ser instalada em Itabuna ou na Região Nordeste da Bahia. O investimento é de R$ 500 milhões.

GERALDO DESCARTA RENÚNCIA DE JUÇARA E ATACA O EX-COMPANHEIRO VANE

Do Cena Bahiana

Geraldo: ataques contra ex-coligado.

Quem acredita na possibilidade de desistência da petista Juçara Feitosa para apoiar Vane do Renascer (PRB) na sucessão municipal itabunense, pode esquecer. Primeiro, porque Vane já declarou que não aceitaria e segundo porque o cacique-mor do petismo local, o deputado federal Geraldo Simões, não “alisa” quando se refere ao ex-correligionário (Vane se desfiliou do PT no ano passado).

Nesta manhã, em entrevista ao programa Show do Jota Silva, na Rádio Jornal de Itabuna, Simões foi questionado pelo jornalista Joel Filho se estaria arrependido por não ter apoiado Vane no início das discussões sobre o processo sucessório. O deputado bateu abaixo da linha da cintura, afirmando que se tivesse se aliado ao candidato do PRB estaria hoje envergonhado, em função “do comportamento dele na Câmara de Vereadores”.

A referência de Simões é ao caso das diárias, que levou o Ministério Público (MP) a pedir o afastamento de todos os vereadores, inclusive os companheiros de chapa Vane e Wenceslau Júnior (PCdoB). A ação do MP levou à decretação de indisponibilidade dos bens de todos os acusados até o montante suficiente para cobrir as despesas com as diárias supostamente indevidas.

Sobre a candidatura de sua mulher, Juçara Feitosa, Simões declarou que “está bem, obrigado” e assegurou que as pesquisas de consumo interno têm deixado os petistas animados. Teorizando sobre a política local, o deputado declarou que é a partir da próxima semana que a disputa esquenta de vez. “Vai sair faísca”, disse ele.

Confira o Cena Bahiana

GERALDO, O MASCATE DE EMENDAS

Briga de deputado e radialista foi parar no horário eleitoral.

Proibido de chamar o deputado federal Geraldo Simões de “cabeça de pitu”, o radialista e candidato a vereador Val Cabral (PMDB) apareceu novamente no horário político fazendo “homenagens” ao parlamentar petista.

Além de falar da decisão judicial que o proibiu de chamar GS de “cabeça de crustáceo”, Cabral deu nova denominação ao ex-prefeito de Itabuna: “mascate de emendas”.

Tudo a ver com a denúncia d´O Globo de que Geraldo negociou R$ 3 milhões em emendas com o deputado federal e empreiteiro João Carlos Bacelar (PR).

GERALDO RECORRERÁ DE DECISÃO QUE SUSPENDEU DIREITOS POLÍTICOS, DIZ ADVOGADO

Geraldo vai recorrer de decisão.

Sidney Neves, advogado de defesa do deputado Geraldo Simões (PT), disse que o parlamentar vai recorrer de decisão em primeira instância que suspende os direitos políticos por cinco anos e impõe multa de R$ 4 mil ao petista (confira aqui).

Neves afirmou ao PIMENTA que a ação é referente a ajuda de custo para a realização de formatura de estudantes de Biologia da Uesc em 2004, sendo R$ 3.500,00 para Sílvio Rodrigues das Virgens, representante da banda Bicho de Seda, e R$ 500,00 para o serviço de sonorização prestado por Jáfia Ferreira Costa.

– O Ministério Público entendeu que a realização da despesa feria o princípio da impessoalidade e ajuizou a ação que culminou com a presente decisão – diz o advogado do parlamentar.

A ação foi movida em 2006 pelos promotores públicos Márcio Fahel e Cássio Marcelo de Melo Santos. Segundo Sidney Neves, a promotoria não requereu a suspensão dos direitos políticos. Na ação de improbidade, sustenta o advogado, o pedido é pelo ressarcimento integral do dinheiro e multa equivalente ao dobro do valor destinado à formatura, além de proibição de contratar com serviço público por cinco anos.

COMPLICOU-SE

Sentença da lavra do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública em Itabuna, Eros Cavalcanti, complica a vida do deputado federal Geraldo Simões.

O magistrado condenou Geraldo a ressarcir os cofres públicos em R$ 4 mil e ainda aplicou multa de igual valor. Pior: suspendeu os direitos políticos do parlamentar por cinco anos.

O caso se refere a ação civil de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual.

INADIMPLENTE

Chiadeira geral entre candidatos a vereador na coligação da petista Juçara Feitosa. Partidos estão cobrando do esposo de Juçara, Geraldo Simões, o cumprimento de acordos para esta largada de campanha. Chamou a atenção de observadores a ausência de PTdoB e PHS do ato de inauguração do comitê central de.Juçara, na última sexta, 27.

Há ameaça de debandada geral. O PTdoB, por exemplo, recorreu ao deputado Augusto Castro para garantir material de campanha. Candidatos repetem que, mais uma vez, Geraldo se confirma como “inadimplente da palavra”, expressão cunhada pelo ex-aliado Renato Costa. Do lado do petista, o que se ouve é que não há dinheiro…

BAIXA NA RÁDIO DIFUSORA

O jogo político dentro da Rádio Difusora, recentemente comprada pelo grupo do deputado federal Geraldo Simões, provocou baixa importante nesta semana. Desta vez, foi na área comercial. A funcionária tinha vários anos de empresa e era considerada o cérebro da emissora.

Contactada pelo PIMENTA, a profissional confirmou o pedido de demissão, mas preferiu não ver seu nome citado nem falar das razões de ter pedido desligamento da emissora. Respeitamos.

Certo é que cresce cada vez mais o nível de insatisfação na emissora. A avaliação interna é de que a rádio vem sendo usada exclusivamente para promover Geraldo e a esposa, Juçara Feitosa, abandonando o dever de informar.

Imagine se não fosse concessão pública…

QUAL FOI A RESPOSTA DE DILMA?

Ontem, deputados federais do PT tiveram jantar com a presidente Dilma Rousseff. O itabunense Geraldo Simões participou do convescote. A assessoria do parlamentar informou que Geraldo fez convite à presidente para que ela visite Itabuna e dê aquela forcinha na campanha da petista Juçara Feitosa.

Somente duas pessoas sabem qual foi a resposta da presidente: ela própria e o deputado.

Por falar em Geraldo, hoje a Comissão de Ética da Câmara dos Deputados sorteará o relator do caso da venda de emendas entre deputados baianos (relembre aqui). O deputado itabunense será investigado sob a acusação de ter negociado com João Bacelar uma emenda de R$ 3 milhões para Casa Nova (BA). GS negou a venda.

LISTA DE FICHAS-SUJAS DO TCM TRAZ AZEVEDO, MOACIR LEITE, GERALDO E FERNANDO GOMES

Ex-prefeitos Geraldo Simões e Fernando Gomes e prefeito Azevedo estão na lista dos fichas-sujas do TCM (Fotomontagem Pimenta).

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) liberou, finalmente, a lista dos políticos fichas-sujas na Bahia. A relação traz 915 nomes com contas rejeitadas no período de 2004 a 2010. De Itabuna, os principais nomes são os do prefeito Capitão Azevedo (DEM) e dos ex-prefeitos Geraldo Simões (PT) e Fernando Gomes (PMDB).

Azevedo figura na lista por ter as contas de 2009 e 2010 rejeitadas e constar uma representação criminal ao Ministério Público estadual contra ele. Geraldo teve contas rejeitadas em 2004 pelo TCM, mas foram aprovadas pela Câmara de Vereadores. Fernando Gomes teve todas as contas do último mandato (2005, 2006, 2007 e 2008) rejeitadas pelo tribunal.

CONFIRA LISTA COMPLETA AQUI

O tribunal informou que alguns gestores com contas rejeitadas no período de 2004 a 2011 conseguiram liminar judicial para excluir os respectivos nomes da lista, dentre eles está o ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, que disputa o quarto mandato na Terra de Gabriela. Ele alega que suas contas, embora rejeitadas pelo TCM, foram aprovadas pela Câmara de Vereadores.

Confira alguns dos nomes do sul da Bahia que constam da lista:

Adailton Ramos Magalhães (Dai da Caixa), ex-prefeito de Ubatã
Agilson Muniz (sem partido), ex-prefeito de Ubatã
Adriano Clementino (PMDB), prefeito de Barro Preto
Alexandre Almeida (PMDB), prefeito de Ubaitaba
Alfredo Melo (PV), ex-presidente da Emasa-Itabuna
Alisson Mendonça (PT), vereador de Ilhéus
Antônio Costa, o Professor Costinha (sem partido), ex-presidente do Hblem
Antônio José do Prado, prefeito de Pau Brasil.
Antônio Mário Damasceno (PCdoB), prefeito de Itacaré
Capitão Azevedo (DEM), prefeito de Itabuna
Carlos Amilton Pereira, o Garrafão, ex-prefeito de Floresta Azul
Clóvis Loiola (PSDC), vereador e ex-presidente da Câmara de Itabuna
Dejair Birschner (PP), prefeito de Una
Dilson Argolo, o Dika (PTdoB), ex-prefeito de Uruçuca
Domingos Marques, Domingão (PSDB), prefeito de Aurelino Leal
Edvaldo Lima, o Galego (DEM), ex-prefeito de Itaju do Colônia
Edson Dantas (PSB), ex-presidente da Câmara de Itabuna
Geraldo Simões (PT), ex-prefeito de Itabuna e deputado federal
Isaías Mendes, ex-presidente da Emasa-Itabuna
Jailson Nascimento (PMN), vereador e ex-presidente da Câmara de Ilhéus
Jarbas Barbosa (PSB), ex-prefeito de Itacaré
Jeová Nunes (PT), prefeito de São José da Vitória
Joaquim Gally Galvão, o Gima (PR), ex-prefeito de Coaraci
José Bispo dos Santos, o Zé Pretinho (PDT), ex-prefeito de Una
José Mendonça (PP), vereador e ex-prefeito de Ipiaú
Maria José da Gama, ex-presidente da Fundação Marimbeta
Marcos Dantas (PP), prefeito de Itajuípe
Mardes Monteiro (PT), prefeito de Buerarema
Moacir Leite Júnior (PP), prefeito de Uruçuca
Newton Lima (PT), prefeito de Ilhéus
Orlando Filho (PRTB), ex-prefeito de Buerarema
Pedro Jackson Brandão, Pedrão (PSB), ex-prefeito de Itapé

VENDA DE EMENDAS NO BOM DIA BAHIA

O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) será um dos entrevistados do programa Bom Dia Bahia, da Rádio Nacional, neste sábado, 30, das 8h às 8h30min.

O deputado fluminense vai falar do pedido que protocolou para que três colegas de parlamento sejam investigados por venda de emendas ao Orçamento Geral da União (OGU).

Geraldo Simões (PT-BA), João Carlos Bacelar (PR-BA) e Marcos Medrado (PDT-BA), segundo denúncia d´O Globo, participavam de esquema que beneficiava bases eleitorais de Bacelar. A venda das emendas ocorria em troca de dinheiro para campanhas eleitorais.

A VOLTA DO CIPÓ DE AROEIRA

Cláudio Rodrigues | claudiorodrigues10@yahoo.com.br

As acusações contra Simões pelo TCU são de fazer inveja ao também deputado, ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, Paulo Salim Maluf.

Nos últimos meses, uma grande nuvem negra anda pairando sobre a cabeça do deputado federal e ex-prefeito de Itabuna Geraldo Simões. É como se todas as maldades que o político realizou com aliados e não-aliados estivesse sob o efeito bumerangue.

As últimas vitimas das maldades de Simões, ao menos que eu tenha conhecimento, foram a professora Miralva Moitinho, atual presidente do PT itabunense e ex-diretora da Direc 7 – que sofreu fritura até ser exonerada e teve a sua gestão à frente do órgão investigada por uma sindicância, e o jornalista Ricardo Ribeiro.

Profissional exemplar e de um caráter ímpar, Ricardo prestava serviços para uma empresa privada de mineração e foi sumariamente demito a pedido do “todo poderoso” deputado. Isso, porque o mesmo não gostou do que o rapaz escreveu em um site de notícias.

Depois dessas maldades, Geraldo começou a viver seu inferno astral. Um “grupo” ligado ao parlamentar adquiriu a rádio Difusora, líder isolada da programação AM e que era de propriedade do ex-prefeito Fernando Gomes, até então adversário quase mortal do parlamentar, pela “bagatela” de R$ 3,5 milhões, segundo a imprensa local.

Depois da troca de comando, o Ibope da emissora despencou e nem mesmo a competência do diretor de programação J. Pimentel conseguiu frear a queda, e o que era para ser uma poderosa arma de campanha e política, não vai passar de mais um bem patrimonial para o “grupo” do deputado.

Sua esposa e pré-candidata a prefeita da cidade, amarga uma rejeição do tamanho do Alto da Lua, e até o momento não conseguiu atrair nenhum partido de expressão e muito menos um nome de peso para a composição de vice-prefeito. Pelo visto, vai disputar com o candidato do PCB, Pedro Heliodoro, quem vai ficar com a lanterna na mão.

Como diz o ditado, “urubu quando está de azar, o de cima suja o de baixo”. O deputado teve seu nome citado em gravações de conversas entre familiares do também parlamentar João Carlos Barcelar, sobre venda de emendas parlamentares do Orçamento da União.

O fato ganhou repercussão nacional e o deputado deve ser investigado pelo Conselho de Ética da Câmara Federal. Como inferno pouco é bobagem, o nobre deputado consta na Lista dos Políticos Fichas Sujas, que foi divulgada semana passada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). As acusações contra Simões pelo TCU são de fazer inveja ao também deputado, ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, Paulo Salim Maluf.

Como cantou Vandré nos tempos da Ditadura, “madeira de dar em doido vai descer até quebrar. É a volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar”.

Cláudio Rodrigues é empresário.

PTB ANUNCIA ADESÃO À CHAPA DE AZEVEDO

Rui confirma preferência do PTB pelo prefeito Azevedo (Foto Pimenta).

Os líderes do PTB de Itabuna vão anunciar a adesão partidária à chapa do prefeito Capitão Azevedo (DEM), candidato à reeleição, tendo como candidato a vice o médico Renato Costa (PMDB).  O partido trabalhista vai lançar 11 candidatos a vereador em aliança com o PRTB.

A chapa proporcional, contudo, deve ter a adesão de mais dois partidos mantidos em sigilo, segundo o vereador e presidente da Câmara Municipal, Rui Machado. A participação no grupo político do prefeito Azevedo foi apontado pelo vereador ao PIMENTA como um dos fatores determinantes para a aliança política de seu partido com o DEM nas eleições deste ano.

Machado disse ter amizade pessoal com o deputado federal Geraldo Simões (PT-BA), mas realçou que na política cada sigla deve lutar pelos seus interesses. “Pessoalmente, tenho admiração por Geraldo. Mas estou agindo politicamente na busca de preservar o espaço político do PTB e de seu quadro político”, afirmou Rui.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia