WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Geraldo Simões’

MIRALVA NEGA DIVERGÊNCIA COM DEPUTADO E DIZ QUE PT CONVERSA COM PPS E PMDB

Juçara discursa tendo ao lado a presidente do PT local, Miralva Moitinho (Foto Pimenta).

A presidente do diretório itabunense do PT, Miralva Moitinho, disse que o partido tem apoios fechados de PHS, PSB, PRP e PTdoB para as eleições de 2012 e dialoga com outras duas legendas. “Estamos ainda conversando com PMDB e PPS e abertos ao diálogo partidário. Por decisão do Diretório Nacional não coligaremos com DEM e PSDB”, disse ela no encontro municipal que ocorre na Câmara de Vereadores.

Ainda no encontro, Miralva indicou mudança de postura e agiu diplomaticamente ao tentar negar mal-estar com o deputado federal Geraldo Simões (PT-BA), a quem é atribuído pedido de investigação das ações da professora na Direc 7.

– Não há ressentimentos, não sou disso. Há discordâncias normais, como há respeito às decisões. O PT é partido de grandeza, mobilidade e respeito às opiniões divergentes – afirmou.

Miralva anunciou a sua permanência na presidência do PT local e disse que estará à frente da coordenação política da campanha petista em Itabuna. O encontro municipal serve para homologar o nome de Juçara Feitosa como candidata a prefeita pela legenda.

Na pauta do Encontro Municipal do PT estão a definição das diretrizes do programa de governo e atuação legislativa e política de alianças. Na parte da manhã, o encontro atraiu representantes de pequenos partidos, como o lojista Antonio Badaró Bathomarco, do (PTdoB), e o ex-candidato a deputado estadual Fábio Lima (PHS).

Fábio fez discurso criticando a administração do prefeito Capitão Nilton Azevedo pela má-utilização dos recursos federais em obras paralisadas ou com andamento lento no município.

TIA MIMI FICA…

Miralva: "fico".

A presidente do PT de Itabuna, Miralva Moitinho, abortou a pré-candidatura a vereador do filho, Edmundo Moitinho. A revelação foi feita ao site Itabuna Notícias.

Ela também desistiu de pedir afastamento da presidência do partido, numa reação às últimas manobras do casal Juçara Feitosa-Geraldo Simões contra ela. Até agora ela não engoliu a investigação aberta nas suas contas à frente da Direc 7.

O Itabuna Notícias também informa que a Câmara deverá votar nesta semana as contas do ex-prefeito Geraldo Simões, exercício de 2002. O relatório está sob a responsabilidade do líder do Governo na Casa, Milton Gramacho.

PT CONFIRMARÁ NOME DE JUÇARA; MIRALVA PODE OFICIALIZAR AFASTAMENTO DA PRESIDÊNCIA

Juçara: homologação pelo PT.

O diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) vai realizar Encontro Municipal, a partir das 9 horas desse domingo, 27, na Câmara de Vereadores. A legenda vai homologar o nome de Juçara Feitosa à prefeitura de Itabuna. A candidatura, porém, será oficializado em convenção partidária a ser realizada em junho.

Dentre as presenças de autoridades confirmadas no evento de amanhã, estão a secretaria estadual de Políticas para Mulheres, Vera Lúcia Barbosa, dirigentes da executiva estadual do PT, deputados estaduais e federais e líderes regionais da legenda.

Esta será a segunda vez que a petista Juçara Feitosa vai disputar o comando do Centro Administrativo Firmino Alves. Há quatro anos, a candidata do PT obteve 40.610 (39%), mas perdeu a eleição para o atual prefeito Capitão José Nilton Azevedo Leal, que conquistou 52.187 votos válidos (50%).

RUSGAS NO PT

O encontro pode também marcar o afastamento da professora Miralva Moitinho da presidência do diretório municipal do PT. A ex-dirigente da Direc 7 pensa em concentrar todas as suas forças na pré-candidatura a vereador do filho, o advogado Edmundo Moitinho.

Miralva, aliás, não terá lá muito entusiasmo para participar da campanha da prefeiturável petista. Ela atribui a Juçara Feitosa e ao deputado federal Geraldo Simões tanto a sua queda na Direc 7, órgão máximo da Secretaria Estadual de Educação na região de Itabuna, como o fogo amigo que lhe tirou muito do capital político.

PPS COM PT TAMBÉM EM ITABUNA?

Nesta semana, o PPS ilheense confirmou apoio à chapa petista em Ilhéus, encabeçada pela vereadora Carmelita Ângela. A aliança pode ser reproduzida também em Itabuna. Nas rodas políticas é dado como certo o apoio do PPS à suplente de senadora Juçara Feitosa (PT), que tentará novamente a prefeitura de Itabuna.

Os entendimentos teriam avançado ao ponto da psicóloga e empresária Mariana Alcântara ser cotada para vice de Juçara. O acordo envolveria também o PMN, que se coligaria com o PPS para a disputa de vagas na Câmara.

Juçara, aliás, terá que passar muito sebo nas canelas no seu projeto eleitoral. Ontem, um encontro promovido pelo PT no Centro de Cultura Adonias Filho reuniu pouco mais de 40 pessoas. Juçara esteve lá, acompanhada do deputado e esposo Geraldo Simões, ambos constrangidos pelo público diminuto.

PESCOÇO NA GUILHOTINA

Geraldo responde a ação por uso da máquina.

Correndo para fazer da esposa, Juçara Feitosa, prefeita de Itabuna, o deputado federal Geraldo Simões (PT) tem outro páreo duro também na Justiça. É o processo em que o parlamentar é acusado de usar servidor público e carro oficial em seu favor na eleição de 2010, em Itororó.

Além dele, o prefeito Adroaldo Almeida (PT) também responde à ação (0006454-50.2011.805.0113). A representação contra o parlamentar foi feita pelo Ministério Público Eleitoral.

Uma picape C-10, locada pelo município, e o servidor José Nilo Ferreira de Oliveira, conforme o MP, foram usados na campanha à reeleição do deputado. O caso é ilustrado por fotografias.

WENCESLAU CONFIRMA RACHA E DIZ QUE “NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE COMPOR COM O PT”

Wenceslau: sem acordo com o PT.

O vereador e prefeiturável Wenceslau Júnior disse neste sábado à noite que o PCdoB se aliará a qualquer dos partidos da base do Governo Wagner, mas só há um com quem os comunistas não marcharão nestas eleições em Itabuna, o PT.

– Não temos nenhuma possibilidade de compor com o PT. Poderemos coligar com outros partidos da base ou sair sozinhos como tática de sobrevivência partidária, mas com o PT não dá mais – disse Wenceslau em entrevista exclusiva ao PIMENTA.

A direção do PCdoB enxerga as digitais petistas nas denúncias contra o prefeiturável comunista. Por isso, a decisão de não coligar com o PT. O pré-candidato a prefeito de Itabuna pelo PCdoB diz que esta é uma decisão que tem a chancela dos “capas-pretas” do diretório estadual, Davidson Magalhães, Alice Portugal e Daniel Almeida.

Wenceslau diz que, individualmente, a candidatura da petista Juçara Feitosa é a mais forte agora, “mas tem dificuldades de agregar forças políticas e não possui maiores possibilidades de crescimento”. A íntegra da entrevista será publicada nesta semana e ele, dentre outros assuntos, fala do processo que o afastou do mandato.

O comunistas diz que iniciará nesta semana uma ofensiva pela pré-candidatura com visita com diversas categorias de trabalhadores. “Vamos conversar, discutir, reafirmar projetos e, na outra semana, partir para as visitas aos bairros”. Wenceslau integra frente partidária em que também estão os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT) e Vane do Renascer (PRB).

O RECADO DE WENCESLAU A GERALDO

O PCdoB usou parte do tempo de propaganda eleitoral gratuita no sul da Bahia para vender o peixe do prefeiturável Wenceslau Júnior. É o vereador quem aparece numa das inserções na televisão.

No vídeo, Wenceslau cita os 90 anos do partido e não deixa de mandar uma indireta diretíssima ao ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões (PT).

Antes das gravações desta peça e logo quando estourou o escândalo dos Consignados, os camaradas se reuniram com o vereador e prefeiturável e fizeram diversos questionamentos.

Wenceslau sustentou durante todo o tempo que não tem envolvimento com escândalo. Foi a firmeza do vereador que levou a direção do partido a ir pra cima do deputado federal com unhas e dentes. E autorizar a gravação com a estocada no petista. Confira o vídeo e, mais abaixo, o post Orelha Quente.

 

ORELHA QUENTE

O deputado federal Geraldo Simões (PT) tentava levar na lábia o comunista Davidson Magalhães. A conversa entre os dois era quase diária. E, quase sempre, por telefone. A intenção era fazer com que o PCdoB desistisse da candidatura própria e apoiasse Juçara Feitosa. Tudo caminhava bem, até que…

Até que rolou o processo judicial da Máfia dos Consignados. E, no processo, apareceu justamente o nome do vereador e prefeiturável Wenceslau Júnior, do PCdoB. Os cururus começaram a juntar peças daqui e dali e concluíram que o negócio tinha o dedo do deputado federal – e a clara intenção de “dobrar” Wenceslau.

A versão de influência de Geraldo no processo tomou corpo de tal forma que o petista decidiu acionar o telefone e falar com o camarada Davidson. A orelha esquentou. O presidente da Bahiagás e pai da candidatura de Wenceslau não economizou adjetivos e lembrou que conhecia “muito bem os métodos petistas de agir”.

A conversa acabou ali mesmo.

NOVA CRISE NO PT DE ITABUNA

Miralva e Geraldo quando tudo era azul.

A abertura de sindicância para apurar eventuais ilícitos da professora Miralva Moitinho à frente da Direc 7 detonou nova crise no PT itabunense. A professora aponta em direção ao deputado Geraldo Simões quando lhe perguntam sobre a origem da ideia de sindicância no órgão.

A portaria instalando a comissão que vai investigar a gestão de Miralva foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 2 de maio, assinada pelo secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto. O titular da Pasta é amigo da defenestrada. Miralva ameaça pedir afastamento da presidência do PT itabunense, posto ao qual chegou com a forcinha do “dono” do diretório local, hoje seu inimigo.

Nos corredores da Direc 7, fala-se em rombo milionário e favorecimento a empresas ligadas à família da ex-dirigente do órgão. Mas o motivo da birra de Geraldo com Miralva é que ela foi amarrar o jegue em outra sombra após a queda: passou a integrar o grupo do deputado federal Josias Gomes.

CONVÊNIOS MILIONÁRIOS E O PATRIMÔNIO DE GS

O advogado Adylson Machado, em sua coluna De Rodapés e de Achados, n´O Trombone, cita instituições sul-baianas que receberam repasses milionários da União, resultados de convênios. Uma delas é a a Pau-Brasil. Firmando convênio superior a R$ 2,77 milhões, pingou mais de 1.020.793,00.

O que o Portal da Transparência, do Governo Federal, aponta é que não houve prestação de contas até aqui. Nas rodas do agronegócio, comenta-se que se a CGU passar os olhos neste convênio, o pau brasil vai comer.

O colunista d´O Trombone também cita o caso do deputado federal Geraldo Simões, cujo patrimônio aumentou quase cinco vezes entre 2006 e 2010, saltando de R$ 77.501,35 reais para R$ 419.501,35.

FERNANDO CALDAS É DEMITIDO DA FICC APÓS ARTIGO COM CRÍTICA A POLÍTICOS

CALDAS IDEALIZOU CINE TEATRO JORGE AMADO

Fernando foi demitido da FICC.

O cantor e professor de filosofia Fernando Caldas foi demitido da área de projetos da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). A ordem para a demissão, de acordo com fontes, partiu do prefeito Capitão Azevedo (DEM).

A fundação é mantida com recursos municipais e administrada por Sandra Ramalho, esposa do vereador afastado Roberto de Souza (PR).

A demissão ocorre menos de quatro dias depois do artista ter feito críticas e dizer que não precisava de Azevedo e dos ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões em artigo escrito no PIMENTA. O artista defendia a construção do Cineteatro Jorge Amado no antigo Cine Itabuna, no centro da cidade.

Há mais de uma semana, o prefeito anunciou que o município havia desistido do projeto (relembre aqui). Fernando Caldas então fez artigo lamentando a desistência (confira o conteúdo, na íntegra, aqui).

Azevedo ordena demissão de diretor de projetos.

Numa conversa com este blog, no domingo, 29, Caldas informava que empresas como Vale do Rio Doce e Santander tinham interesse no projeto.

O investimento para aproveitar a estrutura do antigo Cine Itabuna e transformá-lo  no Cine Teatro Jorge Amado é estimado em R$ 500 mil. O espaço seria dotado de 800 lugares, apto a receber também peças de teatro. O prefeito desistiu da ideia e preferiu demitir o artista e idealizador do projeto.

“O preço que pago é ser pobre. Mas que milhão pode comprar a liberdade? Nenhum! Vamos seguir sonhando verdores, se eles virão ou não, que importa ao sonhador?”, perguntava Caldas no artigo. Desceu quadrado para o Capitão Azevedo.

“O NÓ” SERÁ EXIBIDO AMANHÃ EM ITABUNA

O documentário O nó: ato humano deliberado, do produtor e cineasta Dilson Araújo, será exibido pela primeira vez em Itabuna nesta quinta-feira, 26, às 19h, no plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna. A exibição do documentário é patrocinada pelo Instituto Pensar Cacau (IPC).

O documentário fez sucesso na segunda edição do Festival de Cinema Baiano (Feciba), em Ilhéus, e retrata os efeitos devastadores da vassoura-de-bruxa na lavoura cacaueira sul-baiana. O relato é enriquecido com depoimentos de vítimas da vassoura e de pesquisadores.

Calcula-se que a tragédia ambiental e socioeconômica ocorrida na região tenha desempregado em torno de 250 mil trabalhadores rurais. Até hoje, ninguém foi preso pela introdução criminosa da vassoura no sul do Estado. Um réu confesso, Luiz Franco Timóteo, diz que a introdução foi planejada por um grupo de petistas sob a liderança do deputado federal e ex-prefeito itabunense Geraldo Simões.

As investigações da Polícia Federal não reuniram provas que apontassem a participação do parlamentar petista  e o inquérito foi arquivado.

DEPUTADO ATACA JORNALISTA, MAS NÃO EXPLICA PEDIDO DE DEMISSÃO

Geraldo Simões negou ter pedido cabeça de jornalista na bandeja da Bamin

O deputado federal Geraldo Simões (PT) concedeu entrevista à sua emissora, a Rádio Difusora, e pela primeira vez falou sobre o suposto pedido feito por ele à Bahia Mineração (Bamin) para que demitisse o assessor de comunicação, Ricardo Ribeiro, aqui do PIMENTA.

No programa Cacá Ferreira, o parlamentar insistiu em negar que tenha feito o pedido, embora a assessores o deputado tenham falado que o fez no momento em que consumia bebida alcoólica e que “voltaria atrás” (confira mais abaixo). Na entrevista, o parlamentar disse ter feito a “descoberta” de que o jornalista trabalhou no governo municipal e acusou Ricardo Ribeiro de ser “caneta paga” de opositores, para criticá-lo.

O deputado ainda afirmou que foi ele quem deu o primeiro emprego ao jornalista ao contratá-lo para a assessoria de comunicação, em 2001, quando assumiu a prefeitura de Itabuna. Sarcástico e destilando arrogância, Geraldo disse que Ricardo aprendeu a escrever na prefeitura.

O parlamentar ameaçou interpelar o jornalista para provar que foi ele quem pediu sua demissão. Também afirmou que, seguindo conselho de um advogado, avalia entrar com ação por difamação.

O blog teve acesso a mensagens de texto, trocadas por celular entre o jornalista e um diretor da Bamin, que confirmam o pedido feito pelo deputado à empresa.

“TRABALHO COM ISENÇÃO E ÉTICA”

Ricardo Ribeiro rebateu o argumento do deputado, que o acusa de estar a serviço de adversários, e lembra que quando participou do governo municipal, entre 2009 e 2010, decidiu afastar-se do blog, fato que é confirmado por Davidson Samuel, também do PIMENTA. “O blog tem postura crítica ao governo. Eu não misturo as coisas e nunca coloquei o blog a serviço de assessoria de imprensa, prova disso é que o PIMENTA continua independente e criticando a administração municipal quando ela merece ser criticada”, ressalta Ricardo.

Quanto à afirmação de Geraldo de ter sido a prefeitura o primeiro emprego do jornalista, Ricardo lembra que o convite para participar do governo de Geraldo, no período 2001 a 2004, partiu do jornalista Daniel Thame.

– Tive grandes colegas na Assessoria de Comunicação, a exemplo de Cláudio Rodrigues, Daniel Thame, Maurício Maron e Antônio Lopes, mas meu primeiro emprego foi no Jornal Agora, onde trabalhei com Joel Filho, Vera Rabelo, José Adervan, entre outros, e de fato aprendi os primeiros passos da profissão . Nunca pedi emprego ou qualquer outra coisa a Geraldo Simões. Fui convidado a trabalhar na assessoria por Daniel Thame, e foi por mérito e não por apadrinhamento. A indicação foi técnica, porque Daniel conhecia e conhece meu trabalho – assinala Ricardo, que também foi editor do programa Jornal das Sete, da Morena FM, antes de integrar a assessoria.

CRONOLOGIA

A ligação do deputado Geraldo Simões para pedir a cabeça do jornalista foi feita no sábado, 14. O parlamentar telefonou para Armando Santos, do Conselho da Presidência da Bamin. Este acionou o diretor de Relações Institucionais da empresa, Frederico Souza.

O diretor de Relações Institucionais da Bamin, então, ligou para o jornalista na noite de sábado e perguntou se Ricardo conhecia Geraldo e se tinha alguma coisa contra o deputado. Geraldo disse ao diretor Armando Santos que o assessor de comunicação passava “24h do dia” batendo nele e no PT de Itabuna.

Logo após receber a ligação, Ricardo enviou mensagem a Frederico afirmando ter entendido o porquê do pedido do deputado. A razão foi um artigo em que defendia o direito do PCdoB de ter candidatura própria em Itabuna e criticava a “arrogância do PT” de Itabuna.

Ricardo enviou mensagem ao diretor de Relações Institucionais e disse que iria pedir desligamento para não causar constrangimentos à empresa. Frederico respondeu-lhe que não era necessário chegar a esse ponto, pois as coisas seriam contornadas. “Diante da resposta, fui trabalhar na segunda-feira, mas à noite eu recebi a ligação da gerência de comunicação em Ilhéus, informando sobre o desligamento”.

O jornalista disse que não gostaria de envolver o nome da empresa e que o centro de todo o problema está no ato de perseguição do deputado. “A empresa está em momento de fragilidade e que fica sensível a pedidos como este. Não vou julgar a empresa, porque o mais grave nessa história é o ato grotesco de perseguição promovido pelo senhor Geraldo Simões”, afirma.

RETRATO DE UM POLÍTICO PERSEGUIDOR

Filiado a um partido historicamente identificado com a luta por bandeiras democráticas, o deputado federal Geraldo Simões (PT) chega ao ocaso de sua carreira política ostentando a lamentável fama de coronel, devotado a práticas como a de perseguir jornalistas dos quais discorda. Ou seja, revela-se um tiranete da direita mais reacionária, com máscara (que já não esconde mais nada) de progressista.

O impiedoso blog O Chumbo Grosso retratou bem a figura:

RADIALISTAS CRITICAM OS “DINOSSAUROS DA DITADURA”

Nesta terça-feira, 17, o programa Alerta Geral, da Rádio Santa Cruz de Ilhéus, abordou a perseguição ao jornalista Ricardo Ribeiro, promovida pelo deputado federal Geraldo Simões (PT), que “pediu a cabeça” do profissional à empresa Bahia Mineração (Bamin), na qual o mesmo prestava assessoria de imprensa. Naturalmente, o fato é negado tanto pela empresa (que se vê muito dependente dos humores dos políticos), como pelo deputado (que faz de tudo para não figurar como coronel fora de época).

Clique no player para ouvir o comentário do radialista Gil Gomes e do blogueiro Emílio Gusmão sobre o assunto:

NÃO APENAS ARROGANTE

Davidson Samuel | davidsonsamuel@pimentanamuqueca.com.br

As pesquisas eleitorais não andam fazendo bem ao deputado federal Geraldo Simões. O parlamentar tem gasto parte do seu tempo maquinando maldades. Como se velho carlista fosse, agora também age pedindo cabeça de profissionais que ousam discordar de seus métodos, projetos etc.

Não importa a área. Também o faz na comunicação. E quando a empresa possui fortes ligações com a política – e a mesma não age de forma profissional, o campo se torna fértil para GS executar os planos dele. Tudo para tentar evitar nova derrota em eleição que se avizinha. Nada de projetos, discussão, argumentos. Cabeças na bandeja.

Calma lá, Geraldo. O que está acontecendo? Por que trocar a empatia de ontem pela arrogância e perseguição hoje? Que ganho há nisso? Que ganho há em agir como mau caráter?

Gaste seu tempo discutindo projetos para a população, pensando em boas ações de mandato – afinal, mesmo perdendo tantos votos em Itabuna em 2008, você ainda é parlamentar federal. (Re)aprenda a ouvir e a tirar lições disso. Não faz mal. É saudável para a democracia. Arrogância, perseguição, vingança são ações típicas de político em final de carreira. Deixe o porrete de lado. Argumente, cerque-se de bons conselheiros… Antes que a vaca vá pro brejo.

Davidson Samuel é um dos blogueiros do PIMENTA.

“ESQUECERAM” DE CONVIDAR

Por uma incrível “coincidência”, não havia nenhum representante da Prefeitura de Itabuna, nem da Emasa (Empresa Municipal de Água e Saneamento), na audiência pública realizada neste domingo, 15, em Itapé, para discutir o Estudo de Impactos Ambientais (EIA) do projeto de construção da barragem no Rio Colônia (veja aqui).

Itabuna, além de Itapé, é diretamente interessada no assunto, já que a barragem servirá para melhorar o sistema de abastecimento de água no município. Terá importância também para manter uma vazão regular do Rio Cachoeira, afluente do Colônia.

Agora, por que não havia ninguém da Prefeitura de Itabuna nem da Emasa no evento? Simplesmente porque o Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia) não enviou comunicado oficial ou convite nem para o governo nem para a empresa.

A situação, logicamente, agradou ao deputado federal Geraldo Simões (PT), que fez discurso e criticou o governo itabunense pela ausência providenciada.

AZEVEDO NO AR

Azevedo: negociação na capital.

Enquanto a equipe de reportagem do JN no Ar pousava em Ilhéus, o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), embarcava em voo comercial para Salvador hoje pela manhã. A tiracolo, Azevedo levava o presidente da Câmara de Itabuna, Ruy Machado (PRP).

Os dois políticos itabunenses preferiram concluir na capital baiana – longe dos olheiros e em ambiente mais fresco e iluminado – a negociação travada ontem no gabinete do presidente do legislativo itabunense (relembre aqui).

Azevedo, como já dito, quer ver suas contas de 2009 aprovadas pelo legislativo. Conta com a ajudinha de Ruy, inclusive para melar as pretensões políticas do seu hoje principal adversário, o deputado federal e ex-prefeito Geraldo Simões, cujas contas relativas a 2002 serão votadas ainda neste semestre pela Câmara.

O VERMELHINHO DA DIFUSORA

Tornou-se famoso em Itabuna o carro vermelho no qual o repórter Paulo Leonardo faz suas reportagens para a rádio Difusora AM, de tal forma que o veículo é chamado carinhosamente de “O vermelhinho da Difusora” e dá nome ao blog onde o Leonardo destaca o noticiário policial.

Porém, enquanto a viatura do repórter sempre foi vermelha, a rádio era toda azul, desde a identificação política histórica com o carlismo até a fachada, na qual a cor chamava atenção. Mas não chama mais.

Quem observou a mudança foi o blog Políticos do Sul da Bahia. Depois que a rádio Difusora foi adquirida por gente do deputado federal Geraldo Simões (PT), uma das primeiras providências foi tirar aquele azul com a cara do DEM e estampar uma faixa vermelha sobre um fundo branco, mais ao gosto dos novos donos.

E a rádio, para não perder a essência, muda de cor, mas segue a serviço do jogo político.

OLHO NAS CONTAS DE GS

A Câmara de Vereadores publicou edital 002/2012 em que abre prazo de 30 dias para que contribuintes itabunenses tenham acesso às contas do exercício 2002 da Prefeitura de Itabuna. É o primeiro passo para que os vereadores votem as contas do ex-prefeito Geraldo Simões. O parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) foi pela aprovação das mesmas.

De lambuja, o presidente da Câmara, Ruy Machado (PRP), aproveitou para passar sabão nos ex-presidentes da Casa, no período de 2005 a 2010 (Edson Dantas e Clóvis Loiola), por não terem deliberado sobre as contas do ex-prefeito e atual deputado federal.

Para ter acesso às contas, o cidadão precisa protocolar pedido na Câmara. O atendimento será das 13h30min às 16h de segunda a quinta. Às sextas, das 9h às 12h.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia