WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





outubro 2018
D S T Q Q S S
« set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias






:: ‘Gerson Marques’

SETUR E MSC DISCUTEM PLANEJAMENTO DO RECEPTIVO DE CRUZEIROS NO PORTO ILHEENSE

Gerson Marques, de óculos, em reunião com representantes da MSC, no Congresso da Abav

O diretor de Fomento da Secretaria de Turismo de Ilhéus (Setur), Gerson Marques, reuniu-se com a diretoria da MSC, a maior operadora de navios do mundo, nesta sexta-feira (28), em São Paulo, para tratar do planejamento de receptivos da próxima temporada de cruzeiros.

O encontro ocorreu durante o 46ª Abav Expo Internacional de Turismo, congresso da Agência Brasileira de Agências de Viagens. Segundo Gerson Marques, ficou agendada uma nova reunião em Ilhéus, no próximo dia 8, com a presença da diretora de operações da MSC, Marcia Leite, quando serão concluídas as ações de planejamento para os receptivos.

Ilhéus participa do estande do congresso da Abav em São Paulo em conjunto com o Governo da Bahia, empresários da iniciativa privada e setor público.

TEMPORADA DE CRUZEIROS

A temporada de cruzeiros na Bahia começa em 19 de novembro, com a chegada do MSC Fantasia ao Porto de Salvador, que zarpa em direção a Ilhéus na noite do mesmo dia, chegando no amanhecer de 20 de novembro a Ilhéus.

A expectativa é de que Ilhéus receba 79,1 mil turistas a bordo de cruzeiros na temporada que será encerrada em abril do próximo ano. Ao todo, estão previstas 20 paradas no Porto Internacional do Malhado, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Turismo (Setur).

SOBRE O PRIMEIRO ANO DO GOVERNO DE MÁRIO/NAZAL

Gerson Marques

 

 

Diferentemente de Jabes, que foi eleito com a minoria dos votos, Mário foi eleito por grande maioria e com muito carisma. Tem muita força e gordura para queimar…

 

 

Governar Ilhéus não é fácil. Além dos problemas normais de governança, existe aqui uma cultura política depreciativa, atávica e especulativa.

Há quatro anos, após seu primeiro ano de governo, o ex-prefeito Jabes Ribeiro já estava triturado. O vitorioso movimento dos jovens do Reúne Ilhéus reduziu Jabes a cinzas em menos de um ano. Daí em diante, seu governo foi pato manco, com um fim foi melancólico. Sem chances de se reeleger, tentou a “contragosto” um caminho com Cacá Colchões, obtendo uma votação de pouco mais de onze mil votos.

Diferentemente de Jabes, que foi eleito com a minoria dos votos, Mário foi eleito por grande maioria e com muito carisma. Tem muita força e gordura para queimar…

Claro que tem muitos problemas, que o governo tem erros, mas longe de ser sequer equivalente ao primeiro ano de Jabes.

Mário tem uma qualidade que nunca vi em nenhum prefeito de Ilhéus: trabalha muito e tem muita iniciativa. Com seu estilo brincalhão e alegre cativou o governador Rui Costa, com quem trata direto, sem intermediários. Dessa parceria sairá a sua obra mais importante: uma reforma completa no sistema de saúde da cidade.

Não tenho dúvida de que, ao final do segundo para o terceiro ano de governo, a saúde pública de Ilhéus será modelo, com postos médicos recuperados, hospital materno-infantil, hospital da Costa do Cacau e UPA(Unidade de Pronto Atendimento).

Mário abriu diálogo com as categorias de trabalhadores da PMI e deu o reajuste que Jabes congelou por quatro anos.
Tomou iniciativa em relação ao trágico problema do endividamento trabalhista do município caminhando para saneá-lo.

Em outra frente, se prepara para obras que vão mudar a cidade. Algumas já estão sendo executadas, outras projetadas e outras sendo licitadas.

Quem conhece a maquina pública sabe que o primeiro ano de um governo é sempre o mais difícil, mas, se tiver mão firme e ideias claras, somado a um planejamento e coordenação, o governo entrará nos trilhos.

Claro que existem problemas e parte da equipe ainda não disse pra que veio. Daí surge outra qualidade de Mário: ele é reativo e sabe transformar críticas em soluções e problemas em respostas.

Nestes tempos de redes sociais tem gente que reduz o mundo ao seu pequeno círculo de curtidas e compartilhamentos imaginando estar ali uma espécie de realidade. Ledo engano, a vida corre lá fora, é real e palpável.

O governo Mário/Nazal está só no começo.

Gerson Marques é produtor e presidente da Associação de Produtores de Chocolates do Sul da Bahia.

YRERÊ LANÇA NOVA LINHA DE CHOCOLATES FINOS NO SALÃO DE PARIS

Yrerê lança nova linha de produtos no Salon du Chcolat, em Paris || Foto Divulgação

Yrerê lança nova linha de produtos no Salon du Chcolat, em Paris || Foto Divulgação

A Fazenda Yrerê lançou nova linha chocolates e derivados do cacau (nibs e amêndoas caramelizadas) durante o Salão do Chocolate, em Paris, no último final de semana.

A nova linha da Yrerê conta agora com seis produtos, que vão de chocolates com 55% e 72% de cacau, em formatos de oitenta e trinta gramas e caixas de duzentos gramas de amêndoas de cacau caramelizadas com açúcar demerara orgânico e nibs de cacau.

Os produtos da Fazenda Yrerê são feitos com cacau colhidos na fazenda, elaborados no sistema cacau fino de pós-colheita e fabricados da Bahia Cacau. Além de produtora da chocolates e derivados, a Fazenda Yrerê trabalha também com turismo rural e está localizada na Rodovia Jorge Amado (BR-415), em Ilhéus, no sul da Bahia.

A participação da fazenda Yrerê no Salão do Chocolate em Paris, segundo Gerson Marques, é resultado da parceria da Associação dos Produtores de Chocolates do Sul da Bahia (Chocosul) com a Secretaria de Desenvolvimento Rural da Bahia (SDR) e Federação da Indústria do Estado da Bahia (Fieb).

SUL DA BAHIA DE CACAU – E CHOCOLATE!

Chocolate produzido por cooperativa da agricultura familiar em Ibicaraí || Fotos Daniel Thame

Chocolate produzido por cooperativa da agricultura familiar em Ibicaraí || Fotos Daniel Thame


Do cacau ao chocolate. Essa é a nova realidade do sul da Bahia, após décadas como região produtora de amêndoas. A cada dia, novos empreendedores passam a investir na produção de chocolates finos, apostando num mercado consumidor em expansão no Brasil e no exterior.

O Chocolat Bahia 2017, Festival Internacional do Chocolate e Cacau, que está sendo realizado em Ilhéus, com o apoio do Governo da Bahia, é uma oportunidade de apresentar novos produtos, adquirir e trocar conhecimentos e ampliar os negócios. São cerca de 40 marcas de chocolates regionais em exibição, tendo como característica o cacau de qualidade, resultado de investimentos na modernização da lavoura.

Hans Schaeppi é um pioneiro. Há 32 anos, ele implantou a primeira fábrica de chocolate caseiro do Nordeste. “Foi um grande desafio, porque havia uma cultura de produzir amêndoas e percebi que era preciso investir no produto final. Hoje vejo com alegria a região partindo para a verticalizado e se tornando a terra do cacau e do chocolate”, afirma. Atualmente, Hans produz cerca de duas mil toneladas por ano, comercializa os produtos em todo o país e busca atingir o mercado chinês.

Hans foi o pioneiro na produção de chocolate em escala industrial no sul da Bahia.

Hans foi o pioneiro na produção de chocolate em escala industrial no sul da Bahia.

SETOR CRESCE 10% AO ANO

O setor de chocolates premium cresce cerca de 10% ao ano no Brasil, enquanto o mercado tradicional cresce apenas 2%. Henrique Almeida é outro exemplo de produtor de cacau que apostou no chocolate. Da terceira geração de uma família de produtores de cacau, ele começou a produzir chocolate há cinco anos. Investiu em amêndoas de qualidade, cursos de capacitação e hoje comercializa o chocolate premium em grandes redes da Bahia e do Sul/Sudeste do país.

O próximo passo é o mercado árabe e os Estados Unidos. “Cacau é alimento e também prazer. Nosso foco é a qualidade. Esse é o caminho da região. O negócio cacau só é viável se atrelado ao chocolate”, destaca

Maia

Maia diz que potencial a ser explorado é grande.

O mercado de chocolate atrai jovens empreendedores como Leonardo Maia. Com pós-graduação em Gestão de Negócios em Cacau e Chocolate, ele está produzindo chocolates finos com 50% e 70% de cacau.

– Na infância, sempre tive muito contato com fazendas de cacau e sempre que podia acompanhava os trabalhadores nos tratos e colheita do cacau. Em minhas viagens para outros países, tive a oportunidade de experimentar diversos tipos de chocolates e percebi que o nosso cacau do sul da Bahia tem um potencial grande a ser explorado – ressalta.

AGRICULTURA FAMILIAR

A produção de chocolate também é incentivada na agricultura familiar, que responde por 90% da produção de cacau no Sul da Bahia. A Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia possui 300 associados e produz chocolates caseiros e achocolatado com 30% de cacau.

Beneficiados com recursos do Programa Bahia Produtiva, do Governo do Estado, os agricultores familiares pretendem investir na produção de cacau orgânico, que agrega valor ao chocolate e derivados. “Nossos produtos já são consumidos na merenda escolar. Com o chocolate de origem, vamos buscar novos mercados, gerando mais renda no setor rural”, explica Carine Assunção, coordenadora da cooperativa.

Com 420 associados, a Cooperativa de Agricultores Familiares do Sul da Bahia (Coofasulba), também atendida pelo Bahia Produtiva, produz chocolates finos e achocolatados e está criando uma linha exclusiva para os supermercados. “Com assistência técnica e capacitação, vamos melhorar cada vez mais a qualidade e criar novos canais de comercialização” , diz o diretor da Coofasulba, Gildeon Farias.

MODELO SUPERADO

Gerson: "modelo antigo está superado"

Gerson: “modelo antigo está superado”

Gerson Marques, presidente da Chocosul comenta que a produção de chocolate é uma alternativa viável, num processo que está se consolidando. “Dos 40 produtores, 38 produzem o próprio cacau. São empreendedores que foram para as fazendas, reorganizaram a produção, com uma nova mentalidade, investindo em amêndoas de qualidade superior”, DIZ.

Segundo Marques, essa é uma estratégia que terá impactos positivos na economia regional, com a melhoria da produtividade e, consequentemente, do preço final. “O modelo antigo, de mero fornecedor de matéria-prima, está superado. Hoje o caminho é a verticalização, valorizando principalmente a produção de chocolates fino e de cacau orgânico, que tem alto valor agregado”.

EMPRESAS CRIAM SELO PARA O CHOCOLATE DE ORIGEM PRODUZIDO NO SUL DA BAHIA

Produtores decidiram criar selo para atestar qualidade do chocolate.

Produtores decidiram criar selo para atestar qualidade do chocolate.

Gerson Marques diz que selo não busca padronizar, mas atestar qualidade e origem.

Gerson Marques diz que selo não busca padronizar, mas atestar qualidade e origem.

Dez empresas decidiram criar um selo de qualidade para o chocolate de origem produzido no sul da Bahia. Tree to bar (da árvore à barra) Sul Bahia identificará o chocolate produzido na região da Mata Atlântica sul-baiana.

“Assim, vamos proteger os chocolates de origem regional que se enquadrarem nos parâmetros e conformidades a serem definidos”, diz Gerson Marques, presidente da Associação dos Produtores de Chocolate de Origem do Sul da Bahia e produtor do chocolate Yrerê.

Um grupo de trabalho foi criado para definir os critérios e regulamentos do selo. Do grupo, participam técnicos, produtores e pesquisadores com alto grau de conhecimento em chocolates de origem. A primeira versão do regulamento para concessão do selo, informa, está prevista para fevereiro do próximo ano.

A homologação do selo deverá ocorrer até meados de 2017. “A ideia não é padronizar, mas sim definir os parâmetros que sirvam de marco referencial para os produtores de chocolates autênticos do sul da Bahia”.

AUTENTICIDADE DO CHOCOLATE DE ORIGEM

Gerson acrescenta que esta referência também servirá para o mercado consumidor, que poderá identificar a autenticidade de um bom chocolate de origem Sul Bahia pelo selo que estará estampado nas embalagens.

O selo será concedido ao avaliar desde critérios reguladores para produção do cacau, tratos culturais na lavoura, práticas na pós-colheita, métodos de fermentação e secagem e armazenagem. Também serão considerados protocolos, processos e técnicas de fabricação, e definições sobre quantidades e parâmetros para uso de ingredientes.

PRODUTO ÚNICO

José Brandt Filho, fabricante do chocolate República do Cacau e diretor financeiro da Associação dos Produtores, definiu como um grande avanço a ideia de proteger a qualidade e os valores do terroir do sul da Bahia presente em nossos chocolates. “Fazemos um chocolate único no mundo. Por isso, este produto tem que ser protegido”, diz.

Fabricante do Amado Cacau e diretora de relações institucionais da Associação, Cecília Gomes da Costa expôs seus produtos na Feira Gastronômica Internacional – Sirah 2016, no Rio de Janeiro.

Segundo Cecília, o chocolate sul-baiano está conquistando reconhecimento e mercados nacional e internacional. “Só é possível fazer este tipo de chocolate com nosso cacau e nossas práticas de produção. Não podemos correr risco de perder mercado por conta de aventureiros que usem atributos regionais e nosso nome e não entregam produtos de qualidade”.

:: LEIA MAIS »

TRADE DISCUTE AÇÕES PARA FAZER DO TURISMO RURAL UM NEGÓCIO RENTÁVEL

Fazenda Yrerê (Foto Divulgação).

Fazenda Yrerê  é uma das apostas em turismo rural rentável (Foto Maurício Maron/Sebrae-BA).

O casal de empresários Gerson Marques e Dadá Galdino transformou a Fazenda Yrerê em um ponto de visitação na rodovia Jorge Amado, que liga Ilhéus a Itabuna, no sul da Bahia. Nos últimos quatro anos o local recebeu mais de três mil turistas para conhecer uma típica fazenda de cacau, saborear o chocolate gourmet da região e registrar, em fotos, o cenário rural sul-baiano.

Apesar do sucesso do negócio, com as paisagens preservadas da Mata Atlântica, a tradicional culinária e a saga da lavoura contada nos livros, ainda não é possível competir com as belas praias da região, cenário que é o principal atrativo para os turistas. “A principal marca da nossa economia é o cacau, mas menos de 2% dos turistas que ocupam a rede hoteleira de Ilhéus fazem turismo rural”, revela Gerson, com base em uma pesquisa de campo que realizou.

O assunto foi tema de um encontro realizado no dia 26 de janeiro com empresários do setor e técnicos do Sebrae, além de representantes dos governos municipais de Ilhéus, Canavieiras, Una e Ibirataia, no ponto de atendimento da entidade em Ilhéus. O objetivo é discutir as ações de uma estratégia que já está sendo montada pelo Sebrae para revitalizar o setor.

“Desenvolver equipamentos turísticos vinculados ao Turismo Rural pode ser o grande salto qualitativo que permitirá a ampliação da competitividade da Costa do Cacau”, assegura a gerente regional do Sebrae, Claudiana Figueiredo. Ela explica que a meta é transformar o que hoje é apenas um grande potencial em um negócio rentável de fato.

As ações estão previstas para acontecer durante três anos e incluem consultoria para elaboração de diagnóstico sobre o setor e a realização de um seminário motivacional, apresentando casos de sucesso do turismo rural em outras regiões do Brasil, ainda no primeiro semestre deste ano. “A ideia desses encontros é mostrar o que é possível fazer para ser ainda muito lucrativo, agregando novos valores às fazendas de cacau”, comemora Gerson Marques.

UNIVERSO PARALELO

UM AMOR COM CHORO, GRITOS E CLAMORES

Ousarme Citoaian | ousarmecitoaian@yahoo.com.br

1Ilhéus

De ótimo texto sobre Ilhéus, assinado por Gerson Marques (“Oração para a bela e triste senhora do atlântico”, aqui no Pimenta na Muqueca), esta coluna reproduz um trecho: “Não existe uma só Ilhéus, existe uma Ilhéus dentro de cada um que a ama, que a conhece, que em suas fontes bebe, que em suas curvas se perde. Assim sendo, não se ama essa terra de uma única forma, ama-se por vezes chorando, clamando e gritando, ama-se na contradição, na expressão do verbo, no suor do trabalho, na tristeza do filho perdido, na dor dos sonhos fruídos, na ausência de carinho, mas também na paixão infinita”. Tem mais, a seguir.

________________

Restam as ruínas do passado glorioso

“Aqui, parece se odiar para amar, vê-se em seus filhos eleitos a ausência completa de amor por ti, vê-se no lixo jogado à rua, na insanidade dos mangues invadidos, nas obras tortas de mau gosto que triunfam sobre suas ruínas de passado glorioso, no desprezo das autoridades à decência de seu povo, na usura pútrida de quem imagina enganar as massas com sorrisos vazios e promessas furtivas, vê-se em verdade uma completa falta de respeito por sua feminilidade atlântica, sua essência de deusa, seu esplendor de musa, suas curvas de rainha.” Um momento feliz, uma saudação merecida a esta terra-mãe da região cacaueira, um grito contra filhos que a desmerecem.

COMENTE! »

DE CHEIROS, SABORES E MEMÓRIAS ANTIGAS

3CheiroÀ sombra dos laranjais, último romance de Marcos Santarrita (1941-2011), ainda inédito, teve como título provisório Cheiro bom de mulher, o que me remeteu, já não digo a uma pesquisa, mas a rápida reflexão sobre o tema. Se existe um cheiro típico de mulher, e que importância tem esse cheiro foram as motivações deste “pesquisador”. Não, não saí por aí a farejar louras, morenas, negras e ruivas (quem me dera!), mas me vali de observações de terceiros e da minha própria memória olfativa (ai, meu Deus!), que está mais viva do que imaginava minha vã e pessimista filosofia.
______________
Mulher possui cheiro “indescritível”
Concluí que mulher possui cheiro exclusivo, capaz de ser percebido mesmo que estejamos de olhos fechados. E é tão único quanto uma impressão digital: Ana cheira diferente de Maria, que não exala o mesmo perfume de Francisca, enquanto esta tem pouco a ver com Madalena… mas todas cheiram tão bem, graças a Deus! Cheiro de mulher não se descreve. Talvez seja uma mistura de perfume propriamente dito com sabonete, creme para a pele, xampu, esmalte de unha, batom e demais ingredientes que vocês imaginem. Digo que a parte feminina mais cheirosa é o pescoço, e provo lembrando quanto pescoço vejo cheirado em público.
______________

5Salto altoCheiro bom montado em sapato Luiz XV

Alguém um pouquinho mais desocupado do que eu procurou saber o que nas mulheres mais atrai os homens (a pesquisa não permitia palavrões) e encontrou o cheiro na ponta da tabela. Houve respostas que tangenciaram a tara e adentraram o fetiche: existe nego vidrado em biquíni, uns se sentem atraídos por mulher burrinha, outros preferem o tipo “cabeça”, houve um cara que destacou “a capacidade de chorar”, outro se disse “fissurado em mulher que sabe… ouvir!” e por aí vai. Transportando-me para a pesquisa (nunca me ouvem nessas entrevistas!) eu apontaria nas mulheres não um atrativo, mas dois: cheiro bom e sapato alto.

 

ENTRE PARÊNTESES, OU…

Entre a moralidade e a esperteza
Aviões da FAB cruzam os céus, no afã de transportar autoridades em dolce far niente. E o presidente do STF, Joaquim Barbosa, equipara-se a Renan Calheiros e outros useiros e vezeiros em espertezas: viajou ao Rio, com dinheiro do Tribunal, para assistir ao jogo Brasil x Inglaterra. “Joaquim Barbosa?” – perguntaria a gentil e desinformada leitora. Ele mesmo, aquele que analistas apressados elevaram ao panteão dos heróis nacionais. À mente me vem uma reflexão do humorista Stanislaw Ponte Preta, cinquentenária, mas atual como se fosse nascida ontem: “Ou restaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos.” Até tu, Quincas?

SOM DE IPANEMA QUE CONQUISTOU O MUNDO

7Tom Getz Gilberto
Garota de Ipanema é canção clássica da MPB, eternizada no disco fundamental, já comentado aqui, Getz/Gilberto, fruto da implicância de João Gilberto (na foto, com Tom Jobim e Stan Getz), em 1964. É um dos temas mais gravados do mundo, tendo registros de Pery Ribeiro (o primeiro, em 1962), Astrud Gilberto (no LP referido), Frank Sinatra, Cher, João Gilberto, Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Amy Winehouse, Roberto Carlos, Gal Costa, Madonna, Toquinho e outros. Até uma certa Xuxa se permitiu um atentado contra esse texto sagrado – numa novela (da Globo, é óbvio). Dizem ser a segunda gravação mais tocada do mundo, vencida somente por Yesterday, dos Beatles.
_______________
Tom Jobim, no auge da fama, em 1967
É pouco divulgado que Vinícius titulou a canção como Menina que passa, cuja letra pouco inspirada falava de um sujeito que “vinha cansado de tudo/ de tantos caminhos/ tão sem poesia/ tão sem passarinhos…” , para descambar nesta quadra: “Eu vi a menina/ que vinha num passo/ cheio de balanço/ caminho do mar”. Tom e Vinícius não gostaram desse resultado e, mais tarde, ao ver passar o balanço de Helô Pinheiro, o poetinha fez a letra definitiva. O vídeo mostra Tom no auge da fama, ao gravar o disco Francis Albert Sinatra e Antônio Carlos Jobim, em 1967. Uma curiosidade é Tom ao violão, quando o público se habituou a vê-lo ao piano ou à flauta transversal.

(O.C.)

ORAÇÃO PARA A BELA E TRISTE SENHORA DO ATLÂNTICO

Gerson MarquesGerson Marques | gerson.marques.1004@facebook.com

Já dizia a poeta Jane Badaró que Ilhéus é feminina, é mulher em forma de urbe, uma urbe com curvas de menina, assim sendo, o eu apaixonado, me perco no velho jogo do decifra-me e me conquiste, difícil, quase impossível. Ilhéus não é fácil, não é para amadores, não se dá por completo, não se oferece em retribuições amorosas aos que se perdem em suas entranhas sinuosas, a Ilhéus de todos nós é, no fundo, uma Ilhéus de poucos de nós, uma mulher profunda de alma atormentada e sonhos dilacerados, em dor.

Mesmo assim, nos retribui os maus tratos em forma de beleza infinita, de paisagens magníficas e encantos secretos. Como é linda ser Ilhéus, ser ilha, ser céus, ser mar e florestas, uma perfeita estética feminina, meio Terra, meio Janaína.

Não existe uma só Ilhéus, existe uma Ilhéus dentro de cada um que a ama, que a conhece, que em suas fontes bebem, que em suas curvas se perdem. Assim sendo, não se ama essa terra de uma única forma, ama-se por vezes chorando, clamando e gritando, ama-se na contradição, na expressão do verbo, no suor do trabalho, na tristeza do filho perdido, na dor dos sonhos fruídos, na ausência de carinho, mas também na paixão infinita.

Aqui, parece se odiar para amar, vê-se em seus filhos eleitos a ausência completa de amor por ti, vê-se no lixo jogado a rua, na insanidade dos mangues invadidos, nas obras tortas de mau gosto que triunfam sobre suas ruínas de passado glorioso, no desprezo das autoridades a decência de seu povo, na usura pútrida de quem imagina enganar as massas com sorrisos vazios e promessas furtivas, vê-se em verdade uma completa falta de respeito por sua feminilidade atlântica, sua essência de deusa, seu esplendor de musa, suas curvas de rainha.

Ah Ilhéus, Ilhéus… Como dói te ver triste em suas quase quinhentistas primaveras, que Deus nos perdoe, mas filhos destes vós não merecestes. Se ousar dizer que te entendo, falso seria, mas ouso compreender que na essência cumpres tua sina de mãe com desmesurada valentia.

Desejo-te com carinho que dias melhores tenhas, para historias de alegria poder contar um dia, como outros dos seus filhos já assim fizeram com enorme galhardia… Amem.

Gerson Marques é produtor.

MARQUES SE DEFENDE

Marques diz que Gurita foi leviano

Ao assumir o desafio de mudar o sistema de coleta de lixo em Ilhéus, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Gerson Marques, tem ideia dos interesses que incomoda. É a esses interesses que Marques atribui recentes ataques feitos contra ele pelo vereador Alzimário Belmonte (PP), o Gurita, o mesmo que se tornou célebre pela lei do “Pai Nosso”.

Ontem, a Câmara de Vereadores aprovou convocação para que Marques compareça ao plenário e informe sobre as mudanças na limpeza pública. Gurita aproveitou a deixa para apontar supostos esquemas no setor, mas não entrou em detalhes. A bancada do governo reagiu e o veredor do PP não avançou, perdendo a oportunidade de sustentar melhor a acusação. Se apresentasse provas, prestaria um serviço à comunidade.

O secretário diz que irá à Câmara sem receios. “Como dizem, a luz do sol é o melhor detergente. Terei a oportunidade de expor com toda a clareza o que estamos fazendo para melhorar a cara de Ilhéus no que diz respeito à limpeza pública”, afirma. Para Marques, “Gurita fez um ataque leviano, aproveitando-se do período eleitoral para jogar lama no governo”.

ILHÉUS TERÁ MUDANÇA NA LIMPEZA

Segundo Gerson Marques, 80% da coleta passa a ser feita à noite

Um dos serviços mais criticados pela população ilheense, a limpeza pública sofrerá intervenção do governo municipal. De acordo com o secretário Gerson Marques, de Desenvolvimento Urbano, a partir do próximo dia 19 a empresa Porto Corp não será mais responsável pela coleta do lixo.

Alterando um modelo existente há anos, o serviço de coleta deixará de ser terceirizado e passa a ser feito diretamente pela Prefeitura. No primeiro momento, a Prefeitura alugará caminhões-compactadores da Porto Corp, mas há uma licitação em andamento para que outras empresas possam se habilitar à locação dos veículos.

Segundo Marques, a economia gerada pela mudança será em torno de R$ 80 mil por mês, mas a principal intenção, segundo ele, é melhorar o serviço.

O secretário diz que está prevista a instalação de uma central de monitoramento de resíduos sólidos, que ajudará na identificação das demandas de cada área da cidade no que se refere à limpeza. Marques afirma ainda que os compactadores locados serão novos e isso deverá agilizar o trabalho. Os veículos também serão equipados com GPS, o que Marques afirma ser importante para ter um melhor controle da operação. A previsão é de que, a partir da próxima semana, 80% do trabalho de coleta seja realizado no período noturno.

Críticas – Marques se defende de críticas quanto à coleta de lixo no Distrito Industrial de Ilhéus. Segundo ele, a destinação do lixo industrial, de acordo com a lei de resíduos sólidos, é responsabilidade das próprias indústrias que o produzem.

SECRETÁRIO CONDENA AÇÕES DE GREVISTAS

Em sua página no Facebook, o secretário de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Gerson Marques, critica a postura de grevistas da Polícia Militar, que teriam investido no terror como estratégia reivindicatória. Marques afirma que a população foi submetida a um estado de pânico por meio de boatos espalhados pelo movimento da PM.

Leia abaixo a postagem do secretário no Face:

“Os que patrocinaram e apostaram no pânico como arma politica foram atropelados pela realidade pura dos fatos, simplesmente nada do que foi divulgado aconteceu, nem arrastão, nem quebra-quebra, nem assassinato de cobradora, nada… Era tudo mentira inventada e disseminada como “viral”, arma politica fartamente utilizada na ultima campanha presidencial pelo PSDB.

Atitude irresponsável como essa além de desgastar a imagem de um movimento justo e da própria Policia Militar, gerou milhões em prejuízos, fortes impactos e danos morais a população alem de muita covardia e preconceito. As maiores vitimas dessas atitudes irresponsáveis são normalmente os mais pobres e os mais carentes”.

GERSON MARQUES TIRA O DELE DA RETA

Em meio ao vespeiro que bem caracteriza o PT de Ilhéus, o nome do secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Gerson Marques, passou a figurar como potencial pré-candidato a prefeito. Não deve mais ser considerado, por desautorização expressa do próprio.

Ouvido pelo blog Cia da Notícia, Gerson revela que, após conversa com o vereador petista Paulo Carqueija, na qual avaliaram todos os “poréns” e “todavias” do cenário político ilheense, preferiu retirar seu nome de qualquer cogitação sucessória. Segundo ele, existem hoje apenas dois nomes no PT que poderão almejar o Paranaguá: o secretário de Governo Alisson Mendonça e o deputado federal Josias Gomes.

Só falta resolver se a definição será por meio de prévias (o que certamente acentuará a divisão interna do partido) ou utilizando-se a fórmula do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, já que o PT há muito tempo se igualou aos demais partidos e também possui seus caciques.

IBAMA APREENDE EQUIPAMENTOS USADOS NA LIMPEZA DAS PRAIAS

Gerson Marques lamenta contratempos em operação nas praias

Causa perplexidade ao secretário de Serviços Urbanos de Ilhéus, Gerson Marques, a atitude do Ibama e da Polícia Ambiental, que por duas vezes apreenderam equipamentos utilizados numa operação de limpeza das praias do município. A alegação para as apreensões é de que, além do lixo, as caçambas e pás-carregadeiras também retiram areia das praias.

Como vê certa dificuldade em fazer a separação entre o lixo e alguma areia que inevitavelmente o acompanha, Marques não sabe de que forma poderá resolver a situação e lamenta as dificuldades criadas na operação de limpeza. “Nas duas vezes em que ocorreram as apreensões, nós tivemos que mobilizar advogados e conseguimos liberar os equipamentos, mas isso não evitou a perda de tempo e os embaraços ao trabalho”, observa.

Nesta sexta-feira, 27, a operação ocorria nas praias do Malhado e do Marciano, quando o pessoal do Ibama apareceu querendo levar os equipamentos. Dessa vez, tudo foi resolvido com uma conversa e o trabalho continuou, apesar da chateação.

“Nós perguntamos o que seria pior: tirar um pouco da areia ou deixar o lixo na praia”, afirma Gerson Marques. Caso o Ibama queira esclarecer essa dúvida, o blog está aberto às explicações.

 

GERSON MARQUES, O XERIFÃO DO COMÉRCIO

O secretário de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Gerson Marques, não está dando moleza para empresários que desrespeitam o Código de Posturas do Município. Há algumas semanas, Marques aplicou multa a uma lanchonete que utilizava parte da Avenida Soares Lopes como extensão de sua lixeira. Ontem (16),  outras duas empresas foram autuadas.

Como o PIMENTA já noticiou, um dos casos envolveu as Casas Bahia, que constrói uma loja no calçadão da Marquês de Paranaguá. Durante a madrugada de quinta para sexta-feira, um caminhão a serviço da empresa passou pela via (que é fechada ao tráfego de veículos), destruindo o piso e a decoração natalina. Em resposta, a Prefeitura determinou a suspensão das obras até que tudo esteja consertado.

Também ontem, Marques comprou uma briga com as Lojas Maia, que já havia sido notificada onze vezes por extrapolar na poluição sonora. Como último recurso, nesta sexta foi apreendido o equipamento de som utilizado pela loja para atrair (?) clientes. O gerente do estabelecimento tentou reagir, esperneou e quase foi junto.

O secretário diz que não se trata de hostilidade às empresas, mas de defender o respeito às regras e à cidade.

CAMINHÃO ESTRAGA DECORAÇÃO DE NATAL

Um caminhão utilizado nas obras da futura unidade das Casas Bahia, no centro de Ilhéus, destruiu peças da decoração de Natal montada no calçadão da Marquês de Paranaguá, bem como parte do piso do logradouro. O fato ocorreu na noite desta quinta-feira, 15, e causou indignação no governo Newton Lima.

A reação veio do secretário de Desenvolvimento Urbano do município, Gerson Marques, que usou do poder de polícia e determinou a suspensão das obras até que a decoração e o piso sejam recompostos pelas Casas Bahia.

MASSAROLLO NÃO “PASSOU NA CATRACA”

Ida de Massarollo para o governo depende da contratação dos ônibus da ST Transportes

Tido e havido como o futuro secretário do Turismo de Ilhéus, o presidente local do PMN, Carlos Massarollo, não mais assumirá a pasta. O motivo é que desandaram as negociações que envolviam o ingresso do PMN na base do prefeito Newton Lima.

O acordo incluía a exigência do vereador Jailson Nascimento de que os ônibus da ST Transportes voltassem a atender à Prefeitura. Parte dos veículos, que de tão gastos são conhecidos em Ilhéus como “latas velhas”, continua a serviço do governo. As sucatas são alugadas por empresas que têm contrato com o poder público para o transporte escolar. Mas, segundo este blog apurou, Nascimento não quer somente parte de seus ônibus rodando; ele quer todos.

Esse não é o único impasse que fez as negociações emperrarem. Segundo uma fonte do PIMENTA, nas discussões internas do PMN começou a prevalecer o entendimento de que a Secretaria de Turismo não é assim tão interessante. “É uma área com poucos recursos”, explica nossa fonte.

O alvo do partido de Massarollo passou a ser a robusta Secretaria de Desenvolvimento Urbano, hoje ocupada pelo petista Gerson Marques. E não está descartada a possibilidade de que o “companheiro” seja deslocado para o Turismo, deixando o caminho livre para a gula do PMN.

Numa rima ordinária, pode-se afirmar que esta é a política dos cifrões mirando em ano de eleições…

SÍNDROME DE NAPOLEÃO

Gerson Marques | gersonilheus@gmail.com

 

Não seria necessário lembrar que o Coronel Deputado tem uma longa história de serviços prestados às causas do autoritarismo e da ditadura.

 

Mal-assessorado ou mal-intencionado, sabe-se lá, o coronel, deputado Gilberto Santana, inventou um factoide certo de que isso pode render votos ao seu projeto de se tornar prefeito em Itabuna. A ideia mirabolante é tomar grande parte do território de Ilhéus, estendendo a fronteira itabunense para logo depois da Uesc (sentido Itabuna/Ilhéus). Da noite para o dia, seriam de Itabuna não somente os dois hipermercados, como também Ceplac, Uesc, Salobrinho, seus habitantes, bichos, rios e florestas.

Pode-se até imaginar uma reunião do deputado com sua assessoria como em uma cena do famoso desenho animado dos anos noventa, “Pink e Cérebro”, em que um dos personagens fricciona as mãos e diz: “qual a ideia genial para dominarmos o mundo hoje, chefe?”, no que o chefe dana a apresentar suas ideias mirabolantes que nunca dão certo.

O Coronel Deputado faz parte de uma comissão da Assembleia Legislativa encarregada de resolver exatamente litígios territoriais entre as cidades baianas. Ao inventar esse factoide, ele abre mão da condição de juiz e torna-se parte, o que o descredencia completamente para permanecer na comissão. Nesse caso, paira sobre o deputado uma suspeição, ele já tomou lado antes de concluir os trabalhos.

:: LEIA MAIS »

QUINHENTOS ANOS DEPOIS, ESTÁ NASCENDO UMA NOVA ILHÉUS

Gerson Marques

.

Acumulando números que demonstram um forte quadro de decadência social e econômica, com as piores colocações em todos os índices, sejam eles econômicos ou sociais, a cidade de Ilhéus vive, no entanto, a contradição de poder olhar para frente e dispor de, pelo menos, onze iniciativas diferentes dos governos estadual e federal que apontam novos rumos para seu futuro, abrindo um verdadeiro leque de novas e promissoras opções.

Além do já conhecido Complexo Intermodal que reúne quatro iniciativas de peso como porto, aeroporto, ferrovia e rodovias, existem também outras iniciativas em diferentes graus de execução, a exemplo da duplicação da rodovia Ilhéus/Itabuna, em fase de engenharia.

Outros exemplos, ainda, são a construção do Cefet, que vai a todo vapor, a implantação da ZPE e do Terminal Pesqueiro, ainda na fase de projetos e licenciamentos, o Semi-Anel Viário em fase de estudos, o Parque Ecológico da Lagoa Encantada, que é parte dos investimentos ambientais do projeto Porto Sul, apresentado como ativo ambiental do projeto, a implantação do Gasene (Gasoduto do Nordeste), em obras avançadas que passam pelos municípios de Ilhéus e Itabuna, alem da criação da região metropolitana, em fase de elaboração do projeto de lei.

O conjunto destas ações, obras e iniciativas desenha para o futuro uma nova e dinâmica Ilhéus. Pode-se dizer que estamos à beira de uma revolução que deverá virar a cidade de cabeça pra baixo, impondo novos paradigmas de desenvolvimento. Sairemos de cidade agrária a cidade industrial, do século dezenove para o vinte e um. Serão enormes os desafios e também as possibilidades que veem no seio desta nova realidade.

O mais incrível de tudo é que apesar de significar uma mudança radical na vida da cidade e de seus cidadãos, os ilheenses simplesmente assistem de forma incrédula, quando não cética, o desenrolar destas ações, não se conhece a opinião das entidades representativas, das organizações de classe e nem mesmo do governo.

Até o momento, a única posição conhecida da sociedade ilheense sobre o assunto são as dos contra, um importante grupo de ONGs ambientalistas, algumas delas respeitáveis, que tem se manifestado de forma contrária a algumas destas iniciativas.

Para romper com esta inércia e defender os interesses públicos e a qualificação social e ambiental destes projetos, um grupo de cidadãos ilheenses está tomando a iniciativa de fundar o Movimento Pró-Ilhéus. Trata-se de um fórum permanente de debates e ações que pretende contribuir para unificar e coordenar tais projetos, fazer prevalecer sobre eles os interesses sociais e coletivos de nossa comunidade, além de garantir qualidade ambiental, social e econômica, ou seja, a sustentabilidade.

:: LEIA MAIS »

unisa






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia