• WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
    cenoe





    dezembro 2018
    D S T Q Q S S
    « nov    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  

    editorias






    :: ‘Greve da PM’

    DEMISSÕES DE PMs PODEM FORÇAR GREVE

    Os policiais militares estão de olho nas movimentações do novo comando da corporação. Se forem confirmadas informações de bastidores – de que o governador Rui Costa dará “ok” às demissões dos policiais que participaram mais ativamente da paralisação de 2012 – a corporação para novamente.

    As demissões podem atingir mais de oitenta policiais, muitos deles ligados a associações de PMs. A reação se daria por causa de quebra de acordo e pelo entendimento de que a maioria dos policiais é vítima de corregedores “bem-intecionados”

    JUNTA DESCARTA TRATAMENTO DOMICILIAR A LÍDER DA GREVE DA PM-BA

    Prisco foi preso no dia 18 de abril e encaminhado para o Distrito Federal.

    Prisco foi preso no dia 18 de abril e encaminhado para o Distrito Federal.

    Uma junta médica do Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu que o ex-policial e líder das três últimas greves da Polícia Militar (PM-BA), Marcos Prisco, não precisa de tratamento domiciliar.

    A defesa do vereador soteropolitano, alegando risco à vida do cliente, entrou com pedido para que Prisco cumpra prisão domiciliar. A junta foi convocada pelo relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski.

    “Após avaliação da história clínica, exame físico, exames complementares e pareceres especializados que se encontram apensos ao prontuário, concluímos que o paciente não apresenta, no momento, evidência de cardiopatia que exija tratamento hospitalar ou domiciliar”, é o que concluiu a junta médica.

    Prisco está preso desde 18 de abril, menos de um dia após encerrada a greve da Polícia Militar. Logo, o policial foi transferido para o Complexo da Papuda, em Brasília, onde passou mal e foi internado em hospital de Brasília.

    SEGUE A MATANÇA DOS SEM-NOME E SEM-ROSTO

    PMs FAZEM PASSEATA PARA COBRAR SOLTURA DE PRISCO

    Manifestação Prisco2 foto Jorge Bitencourt Blog Pimenta

    Policiais militares fizeram uma passeata nesta tarde de terça (22) em Itabuna para cobrar a soltura do Vereador Prisco. A manifestação foi pacífica e levou à avenida faixas e cartazes com críticas ao governador Jaques Wagner.

    Prisco está preso desde a sexta-feira (18), quando foi detido por policiais federais no litoral norte baiano e levado para o Complexo da Papuda, em Brasília.

    A manifestação de hoje visou pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF) a conceder habeas corpus para que o ex-soldado da PM responda ao processo em liberdade. O pedido de prisão foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF), que acusa Prisco de incitação e liderar greve de militares.

    dfdfdfdfd

    Manifestantes cobram em cartazes liberdade de ex-PM (Foto Jorge Bitencourt).

    Manifestação Prisco3 foto Jorge Bitencourt Blog Pimenta

    SEM PERDER TEMPO

    Geddel: greve da PM.

    Geddel: greve da PM.

    Afoito, o peemedebista Geddel Vieira Lima nem deixou a questão esfriar. Nas inserções gratuitas do PMDB, o pré-candidato ao Senado pelas oposições faz críticas ao ex-aliado Jaques Wagner e lembra das greves dos professores e dos policiais militares, encerrada na quinta à noite e que deixou um saldo superior a 100 mortes no estado.

    Aliás, Geddel é da chapa integrada pelo PSDB, partido ao qual pertence o ex-soldado da PM e vereador de Salvador, Marco Prisco. Líder das três últimas greves da PM, o vereador está preso desde a sexta (18), na Papuda, em Brasília.

    Geddel usa o bordão “já deu”, na cola de Aécio Neves (“tem jeito”). O chamariz de Aécio, tucano pré-candidato a presidência da República, lembra o de um prefeito de Porto Seguro. Na campanha, o rapaz dizia que Porto tinha jeito – e a saída era o povo elegê-lo prefeito. Ele faturou a eleição, mas pouco – ou nada – fez. E saiu com a fama semelhante à de árbitro de futebol “bem-intencionado”…

    PMs VOLTAM AO TRABALHO EM ILHÉUS; ITABUNA NÃO PARA

    Os policiais militares de Ilhéus decidiram retornar ao trabalho nesta manhã de sábado (19), após aquartelarem-se em reação à prisão do líder dos últimos movimentos grevistas na Bahia, Vereador Prisco (PSDB-Salvador). A informação foi confirmada ao PIMENTA, há pouco, por policiais e dirigentes da Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares na Bahia (Aspra).

    Ontem à noite, policiais em Ilhéus haviam decidido aderir a nova paralisação sob gritos de “Ô, a PM parou”.

    Os soldados que atuam em Itabuna fizeram avaliação do movimento nas últimas horas e decidiram manterem-se em seus postos de serviço.

    PASSEATA NA TERÇA

    Deverá haver, na próxima terça (22), às 9 horas, passeata saindo do Jardim do Ó, centro da cidade. Segundo o soldado Wadson Andrade, dirigente da Aspra em Itabuna, a mobilização ocorrerá em todo o estado e será puxada pelos familiares dos policiais militares.

    Wadson pediu aos policiais para que hajam com sabedoria. “A sociedade só está aguardando o nosso clamor. Se a gente clamar pela violência, mesmo a indireta, a culpa acaba recaindo sobre nós”, disse. Ele também informou que, independentemente da posição tomada pela Aspra em nível estadual, policiais de Salvador e Feira de Santana decidiram parar.

    PARA EX-MINISTRA, PARALISAÇÃO AFETARIA PRISCO

    Hoje pela manhã, a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon emitiu nota para informar que uma nova paralisação somente agravaria a situação do Vereador Prisco, que está preso na Papuda, no Distrito Federal, desde ontem à noite. Prisco foi preso na tarde de sexta (18), quando chegava a um resort no litoral norte baiano, a 70 quilômetros de Salvador.

    A esposa do ex-policial e hoje vereador soteropolitano fez críticas ao modo como ocorreu a prisão. Segundo ela, 20 policiais federais, usando brucutu (máscara), armamento pesado, helicóptero e cinco viaturas, detiveram Prisco diante de suas filhas, de 10 e 12 anos. A Polícia Federal não se pronunciou quanto ao caso.

    Na madrugada de hoje, a representação baiana da associação de policiais federais emitiu nota em que condenava a ação da PF. De acordo com a nota da associação, a prisão foi feita por homens da PF do Distrito Federal.

    PRISCO DESCARTA RETOMAR GREVE, DIZ JORNAL

    Prisco foi preso nesta sexta (Reprodução Rede Globo).

    Prisco deixa aeroporto em direção ao presídio da Papuda (Reprodução Rede Globo).

    A bravata incendiária do deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) terá consequências. Do Presídio da Papuda, no Distrito Federal, o vereador Marco Prisco (PSDB) desautorizou o deputado e pediu aos policiais militares que não retomem a greve, segundo a Folha de São Paulo. A informação teria sido confirmada ao jornal pelo advogado do preso e dirigentes da associação comandada pelo ex-policial, a Aspra.

    A tomada de decisão de Prisco atenderia ao clamor de políticos como a senadora Lídice da Mata (PSB) e do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que temem assumir – compulsoriamente – os ônus decorrentes da retomada da greve. Isso, porque Tadeu é do PSB e Prisco, além de aliado de ACM Neto, pertence ao PSDB.

    Lídice já se posicionava contra a greve por meio do Twitter. Ela ainda revelou que o Capitão Tadeu conversou com a ex-ministra Eliana Calmon, que aconselhou o parlamentar a não estimular nova paralisação. Tadeu não aceitou os conselhos da ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça, conforme a senadora Lídice da Mata.

    Nas redes sociais, quando questionada, Lídice respondia que ali era uma posição (e responsabilidade) do deputado estadual, que não falava nem representava o partido, mas a sua classe, os policiais.

    PM PARA EM ILHÉUS; ITABUNA NÃO ADERE

    Viaturas recolhidas em companhia da PM em Salvador (Foto Whatsapp).

    Viaturas recolhidas em companhia da PM em Salvador (Foto Whatsapp).

    Policiais militares cruzaram os braços em Ilhéus, após a prisão do líder das greves de 2012 e 2014, Vereador Prisco (PSDB), ocorrida hoje em um resort a 70 quilômetros de Salvador . Mais cedo, circulou informação entre os soldados de que a Polícia Federal estaria à caça de Augusto Júnior, líder do movimento de 2012 em Ilhéus.

    Já em Itabuna, a orientação de associações de policiais é não parar. O 15º Batalhão da PM (Itabuna) tem efetivo de cerca de 740 homens. No final da tarde, o deputado Capitão Tadeu orientou a tropa a aderir a uma nova paralisação até que Prisco seja solto.

    O vereador tucano foi preso por ordem da Justiça Federal em Salvador e encaminhado para o Presídio da Papuda, no Distrito Federal, onde deverá ficar por, pelo menos, 90 dias (prisão preventiva). A defesa do vereador diz que entrará com pedido de habeas corpus.

    ESPOSA CRITICA PRISÃO

    Em entrevista concedida ao Bocão News, de Salvador, a esposa de Prisco fez críticas à ação da Polícia Federal na prisão do esposo. Segundo ela, foram mais de vinte homens no cumprimento do mandado de prisão. Ele foi detido na frente de duas filhas, de 10 e 12 anos, conforme o relato.

    GOVERNO BAIANO DIZ QUE CUMPRE ACORDO: “DECISÃO FOI TOMADA PELA JUSTIÇA FEDERAL”

    O governo baiano emitiu nota em que nega ter relação com a prisão do líder das greves de 2012 e deste ano, o vereador Marco Prisco (PSDB). “A Secretaria da Segurança Pública (SSP) assegura o cumprimento de todos os itens do acordo firmado com as associações representativas da Polícia Militar (PM), quando do final da paralisação, no último dia 17 de abril”, cita a nota.

    O governo baiano, ainda por meio de nota, esclarece que nada teve a ver com o cumprimento do mandado de prisão. “A ação de prisão atendeu pedido do Ministério Público Federal e foi executada pela Polícia Federal”, aponta.

    E continua: “A decisão foi tomada pela Justiça Federal, no último dia 15 de abril, e se refere a diversos crimes praticados durante a greve realizada entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro de 2012”.  Prisco foi transferido hoje à tarde para o Presídio da Papuda, no Distrito Federal. Confira a íntegra da nota clicando no “leia mais”.

    :: LEIA MAIS »

    WAGNER DIZ QUE TROPAS DO EXÉRCITO SERÃO MANTIDAS ATÉ NORMALIZAR SITUAÇÃO

    Wagner diz que tropas do Exército serão mantidas em Salvador (Foto Manu Dias/GovBA).

    Wagner diz que tropas do Exército serão mantidas em Salvador (Foto Manu Dias/GovBA).

    Apesar do anúncio do fim da greve da polícia militar, o governador Jaques Wagner informou que as tropas do Exército serão mantidas nas ruas de algumas das principais cidades baianas.

    – O nosso planejamento não se encerra aqui, temos um feriado pela frente e vamos manter a GLO para uma reavaliação e ter a certeza de que a normalidade foi reconquistada – disse, acompanhado do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e do comandante-geral da PM, Alfredo Castro.

    Wagner ressaltou o papel de alguns intermediários na negociação com os policiais, a exemplo do arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger. O fim da greve foi anunciado às 14h15min desta tarde de quinta (17).

    Antes, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF 1) decretaram a ilegalidade da greve (confira em posts abaixo).

    JOVEM BALEADA NO ANTIQUE MORRE NO HBLEM

    Franciele Jacó

    (Reprodução Radar Notícias).

    Uma jovem foi baleada hoje à noite (16) quando saía de casa, no Antique, em Itabuna. Os tiros atingiram a cabeça de Franciele dos Santos Jacó, de 19 anos.

    Bandidos passaram em uma moto e efetuaram os disparos, segundo disse a mãe da vítima ao site Radar.

    Socorrida em um veículo particular, a jovem foi encaminhada para o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), onde faleceu minutos após dar entrada.

    TIROTEIOS E MORTE

    Ainda não há confirmação, mas um homem teria sido assassinado durante troca de tiros na Califórnia. Moradores dos bairros São Lourenço, Pedro Jerônimo e Daniel Gomes dizem que está havendo tiroteios constantes nestas localidades.

    No São Lourenço, o tiroteio começou na última segunda (14). Um traficante da região do Pau Caído (Corbiniano Freire) tenta tomar pontos de tráfico de drogas no São Lourenço, segundo moradores afirmaram ao PIMENTA.

    GREVE DA PM: SINDICATO DEFENDE FECHAMENTO DO COMÉRCIO ÀS 18H

    Gilson defende fechamento às 18h.

    Gilson defende fechamento às 18h.

    O Sindicato dos Comerciários de Itabuna divulgou nota em que solicita das entidades lojistas a recomendação para que o comércio feche às 17h30min devido à greve da Polícia Militar. O ofício fala em fechamento de supermercados e shopping às 18h.

    Segundo a assessoria do sindicato, um ofício foi enviado ao Sindicato do Comércio Varejista (Sindicom), CDL, Sindsuper e Associação dos Lojists do Shopping Jequitibá. Além da greve, o sindicato cita que a frota de ônibus em Itabuna será recolhida às 19 horas.

    – O sindicato pede ainda que as lojas do Shopping Jequitibá e supermercados fechem suas portas até 18 horas, para que os trabalhadores possam se dirigir a suas casas de forma segura – diz a nota assinada pelo presidente do sindicato, Gilson Araújo.

    Atualizado às 15h45min.

    GREVE DA PM: DILMA AUTORIZA FORÇAS ARMADAS NA BAHIA

    Tropa com mais de 600 homens está no sul da Bahia desde fevereiro para atuar em conflito (Foto Pimenta).

    Tropa está no sul da Bahia desde fevereiro para atuar em conflito (Foto Pimenta/Arquivo).

    Pelo menos cinco mil homens do Exército devem chegar à Bahia ainda nesta quarta-feira (16) para assumir a segurança pública no estado. Há pouco, o governador Jaques Wagner informou que a presidente da República, Dilma Rousseff, assinou decreto em que autoriza o trabalho de policiamento das Forças Armadas no estado.

    A presidente assinou o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Com isso, as Forças Armadas poderão atuar no patrulhamento e vistoria e efetuar prisões em flagrante.

    Segundo o governo baiano, o general Racine Bezerra Lima, da 6ª Região Militar (Bahia e Sergipe), assumiu o comando das operações. O Exército já está nas ruas de Salvador desde ontem. No sul da Bahia, guarnições já são vistas nas ruas de Ilhéus, onde fica a base regional das Forças Armadas.

    O Exército já faz a segurança na área rural de Ilhéus, Una e Buerarema desde o início do ano, mas nas terras disputadas por agricultores e índios e autodeclarados tupinambás (foto acima).

     

    AETU: ÔNIBUS VÃO CIRCULAR ATÉ AS 21H

    Ônibus devem circular, pelo menos, até as 21h.

    Ônibus devem circular, pelo menos, até as 21h.

    A Associação das Empresas de Transporte Urbano (AETU) informou que os ônibus devem circular normalmente durante o dia em Itabuna. Elvis Souza, da AETU, disse que as empresas podem recolher os veículos às 21 horas até o final da greve da Polícia Militar. Tudo vai depender do nível de adesão da tropa à greve em Itabuna.

    A redação do PIMENTA não conseguiu contato com a direção do Sindicato dos Rodoviários.

    WAGNER FAZ APELO A PMs EM GREVE

    Wagner se diz surpreso e apela ao "bom senso".

    Wagner se diz surpreso e apela ao “bom senso”.

    O governador Jaques Wagner disse ter ficado surpreso com a decisão de greve por parte dos policiais militares na Bahia. Por meio de sua conta em uma rede social, o mandatário baiano disse acreditar “no bom senso dos policiais, na esperança de uma solução mais breve possível”.

    – Continuamos abertos ao diálogo, mas ficamos muito surpresos com a deflagração da greve, uma vez que o Governo acatou os pontos solicitados pelas lideranças das associações da polícia militar na negociação anterior à assembleia – disse em sua conta no Facebook.

    A greve foi deflagrada ontem à noite durante assembleia no Wet´n Wild com a participação de cerca de três mil policiais. Antes, líderes das associações de policiais tiveram reunião com o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro (reveja aqui).

    O governo anunciou ontem à noite que pediria reforço de tropas federais em Salvador. Ontem, homens do Exército já estavam nas ruas.

    SECRETÁRIO DIZ QUE PROPOSTAS DOS PMs SERIAM ASSUMIDAS PELO GOVERNO

    Barbosa durante coletiva hoje à noite (Foto Carla Ornelas).

    Barbosa durante coletiva hoje à noite (Foto Carla Ornelas).

    O secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, concedeu coletiva nesta noite e disse que, na reunião de hoje à tarde com representantes das associações, foram incluídos novos itens além dos propostos pelo governo:

    –  Um documento foi assinado por mim, pelo comandante-geral e por um dos líderes das associações. Ficou decidido que estas propostas seriam assumidas pelo governo. Durante a deliberação da categoria, recebi uma ligação desta liderança, informando que estava tudo acertado para a aprovação do que havia sido acordado. Ainda assim, foi decretada a greve – disse Maurício Barbosa.

    Barbosa disse que novos itens foram atendidos pelo governo hoje, antes da decretação da greve. Entre eles, estão o reajuste da gratificação de Condição Especial de Trabalho (CET), a rediscussão do novo código de ética da categoria, a ser construído entre as associações e área sistêmica; e demais propostas apresentadas pela categoria até agora.

    TROPAS FEDERAIS

    O governo baiano recorrerá à Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para que tropas federais assumam a segurança enquanto durar a greve da PM.

    – Não sabemos a proporção do movimento paredista. Só podemos contar com as Forças de Segurança Pública do Estado e da União. Temos a convicção que vamos contar com o bom senso dos policiais de saber que, independente das questões salariais, remuneratórias e etc, temos o dever de proteger a sociedade. Da nossa parte, tínhamos atendido tudo o que foi colocado, prometendo até voltar a revisar tudo o que o governo já tinha proposto ao grupo de trabalho – disse o secretário.

    Barbosa também mostrou acordo assinado pelo dirigente da Aspra, Marco Prisco, no qual o governo assegura atender a pontos sobre remuneração dos policiais. Com a deflagração da greve, o acordo acabou sendo descumprido.

    Atualizado às 23h20min

     

    PMs DECRETAM GREVE NA BAHIA

    Os policiais militares decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado na Bahia. A decisão foi anunciada pelo policial e líder do movimento, Vereador Prisco, do PSDB, que também comanda a Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares (Aspra).

    As principais reivindicações dos policiais estão relacionadas à remuneração, plano de cargos e salários, aposentadoria de policiais femininas com 25 anos de serviço, revisão do Código de Ética.

    O plano de modernização apresentado pelo governo, na quinta-feira passada (relembre aqui), foi considerado “insuficiente” pelos policiais. As propostas foram discutidas durante nove meses entre governo e representantes das polícias.

    MOBILIZAÇÃO

    O comando de greve está convocando os policiais para que se reúnam em pontos específicos e deixem os postos de trabalho. Em Salvador, Prisco, que comandou a greve de 2012, pediu aos colegas para concentrar no local onde foi decidida a greve, no Wet´n Wild, na Paralela.

    Atualizado às 21h30min

    ASSEMBLEIA DA PM AINDA NÃO COMEÇOU

    Marcada para as 15 horas, no Wet´n Wild, em Salvador, a assembleia dos policiais militares ainda não começou. Há pouco, policiais relataram que o local ficou às escuras.

    Os policiais aguardavam até há pouco a chegada de um dos líderes do movimento, o vereador Marco Prisco (PSDB). O governo estadual ainda negocia para tentar evitar uma greve.

    Diante da iminência de uma paralisação geral da polícia militar, o Exército foi convocado e já está nas ruas de Salvador.

    PRESO PM QUE SE ENVOLVEU EM CHACINAS

    Policiais apontados como autores de chacinas (reprodução Correio da Bahia)

    Policiais apontados como autores de chacinas (reprodução Correio da Bahia)

    A Secretaria da Segurança Pública anunciou a prisão do soldado da PM, Willen Carvalho Bahia, que estava foragido. Ele é apontado como autor de chacinas durante a greve da Polícia Militar, em fevereiro do ano passado. Os crimes teriam sido cometidos juntamente com os também soldados Donaldo Ribeiro,  Samuel Oliveira Menezes e Jair Alexandre Silva Santos, que estão presos desde o dia 4 de janeiro.

    Segundo as investigações, o grupo de PMs realizou duas chacinas em Salvador, logo no início da greve. Em uma delas, no bairro de Engomadeira, foram assassinados Edvanildo Oliveira dos Santos e dois homens identificados apenas como Elton e Amilton. A outra ocorreu no bairro da Boca do Rio, onde os soldados mataram os moradores de rua Simone Cardoso dos Santos, Caíque Jesus dos Santos, Alan Silva Souza e um homem que até hoje não foi identificado. Os crimes foram cometidos no dia 3 de fevereiro de 2012.

    Willen Carvalho, que era lotado no 16º Batalhão da Polícia Militar, em Serrinha, apresentou-se na terça-feira, 22, à Corregedoria da PM e está custodiado no Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas. Segundo o delegado Jackson Carvalho, da Delegacia de Crimes Múltiplos, com a prisão do soldado, o inquérito sobre a chacina de Engomadeira foi concluído e encaminhado à Justiça.

     

    OTTO PROMETE APOIO A MILITARES PUNIDOS NA GREVE

    Otto Alencar (centro) recebe dirigentes e promete apoio à anistia.

    O vice-governador baiano, Otto Alencar, recebeu representantes da Associação de Praças da Polícia Militar (APPM) e garantiu apoio pela anistia aos militares considerados líderes da greve e que não se envolveram em episódios de violência no início do ano.

    De acordo com dirigentes da APPM, Otto prometeu que “não vai medir esforços” para assegurar a anistia aos policiais. Na Bahia, cerca de 80 policiais responderam a inquéritos e a maior parte foi afastado da corporação via Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

    O LIMITE DA GREVE

    Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

    O governo precisa dispor de mais esforços. Independente do fim da greve, a lição de casa é aprender como lidar com uma greve que começou com um objetivo de classe e é transformada numa disputa pelo comando do sindicato.

    No dia 16 de julho, a APLB Sindicato de Jacobina anunciou o final da greve no município. Da mesma maneira de dezenas de municípios, não aderiu, portanto, a continuidade do movimento grevista, a exemplo da capital baiana. Com isso, a paralisação perdeu força e diminui os espaços de pressão no estado. O enfoque, contudo, hoje, não é a continuidade ou não da greve. Não é o mérito ou não da greve. Não é, principalmente, a força ou não da greve. O enfoque é o limite da greve, o sentido da greve, não apenas para os professores, mas, especialmente, para a população.

    A população reconhece o mérito da greve dos professores. Aliás, qualquer reivindicação da categoria é encarada de maneira positiva pela população. A educação é e será – permanentemente – um fator de reivindicação encarado de maneira legítima e indelével pelas pessoas. Portanto, não é o mérito da greve dos professores que é avaliado. Não seria justo.

    Só que não é possível convencer a sociedade de uma luta – por intermédio do uso da greve – apenas sob o olhar dos professores. A greve é um instrumento de manifestação pública construído pela classe trabalhadora. Sendo assim, possui domínio de toda a classe trabalhadora.

    Isso significa que o bom ou o mau uso da greve por professores, médicos, jornalistas ou operários, influencia positivamente ou negativamente em toda e qualquer manifestação que faça uso deste instrumento de disputa da sociedade. A greve dos professores da rede estadual de ensino, portanto, é de todos nós. Para o bem ou para o mal, a greve dos professores é de toda a classe trabalhadora.

    Mas, se a greve dos professores é de todos nós, a continuidade ou não dela também é de responsabilidade de todos nós. É uma decisão de todos nós. Estudantes, motoristas, cozinheiros, comerciantes, todos nós. Nós devemos estabelecer o limite da greve. E, o limite da greve, não é – simplesmente – o limite do professor. Não é até quando o professor aguenta viver sem salário, sem dinheiro, sem alimento. O limite da greve é o limite da população.

    Recentemente, a Bahia viveu a greve da PM. Esta greve não terminou simplesmente porque os policiais militares resolveram descruzar os braços. A greve cessou porque a população resolveu encerrar o apoio dela.

    Todo sindicalista reconhece a frase: “Um passo em frente, dois passos atrás”. Isso representa a hora de avançar e recuar. Avançar com a aprovação de 10% do PIB para a educação, aprovado com 100%. Avançar com a criação de universidades federais na Bahia, tendo como protagonista da expansão universitária no país um governo petista, bem como, avançar com o aumento do piso salarial dos professores no Brasil.

    Mas é preciso recuar também quando rotulam (e nós deixamos) o uso da greve como uma válvula de escape esquerdista, por mais justa que seja. O parâmetro da greve não está no caráter dela. Por princípio, toda greve é justa. Infelizmente, uma parcela significativa da sociedade encara toda e qualquer manifestação grevista como o império da baderna. Alguns veículos de comunicação, por sinal, classificaram a Bahia como “A república sindical, a república da greve”. Ou seja: demonizam o uso da greve e satanizam os sindicatos, confrontando os trabalhadores contra outros trabalhadores. Este é o jogo traiçoeiro da oposição.

    Mas é preciso deixar claro também que o limite da greve não é o limite do orçamento do governo. O fato de ter sido eleito e composto majoritariamente por trabalhadores requer deste governo mais disposição para dialogar, mais vontade política para equacionar o orçamento segundo o anseio da classe trabalhadora. Isso significa que o governo precisa dispor de mais esforços. Independente do fim da greve, a lição de casa é aprender como lidar com uma greve que começou com um objetivo de classe e é transformada numa disputa pelo comando do sindicato.

    Sócrates Santana é jornalista.

    CRITICADO, RELATÓRIO DA CORREGEDORIA DA PM COMPLICA SITUAÇÃO DE GREVISTAS EM ITABUNA

    Relatório é desfavorável aos soldados PMs do 15º Batalhão, em Itabuna.

    Os seis policiais militares considerados líderes da greve no 15º Batalhão da PM em Itabuna estão apreensivos. Processo administrativo disciplinar (PAD) aponta que eles teriam impedido a “saída de viaturas da sede do 15º BPM para a área operacional” e articulado a paralisação em Itabuna.

    O relatório do processo administrativo foi elaborado por três oficiais da Corregedoria-Geral da PM e concluído após quatro meses de diligências. O documento será levado ao comandante-geral da PM, Alfredo Castro, e ao governador Jaques Wagner.

    Com base no relatório, o comandante e o governador decidirão pela anistia ou demissão dos soldados José Januário Félix Neto, Márcia Batista de Oliveira, José Roberto dos Santos, Renata Tereza Brandão, Valéria Rodrigues e Wadson Pereira de Andrade. A decisão sai em até 30 dias. Outros 83 PMs no Estado também correm risco de expulsão.

    PROMESSA DE WAGNER É LEMBRADA

    A cobrança agora é para que o governador Jaques Wagner cumpra o prometido e anistie os soldados apontados como líderes da greve em Itabuna. No pico da paralisação, ocorrida entre janeiro e fevereiro deste ano, Wagner disse que não haveria punição aos militares onde não houve greve com características de “crime de mando, quadrilha, ostentação de arma ou violência”, caso de Itabuna.

    Policiais lembram que a paralisação em Itabuna foi pacífica e teve acompanhamento de sindicatos e entidades como a OAB. Outro ponto é que áreas como presídio, hospitais e módulos policiais não ficaram sem segurança durante o movimento.

    DESEMBARGADOR MANDA ESTADO REINCORPORAR PRISCO À PM

    Marco Prisco: de volta à PM.

    A Polícia Militar da Bahia deve reincorporar já a seus quadros o líder da greve Marco Prisco. A decisão é do desembargador José Edivaldo Rotondano, do Tribunal de Justiça da Bahia. Cabe recurso por parte da Procuradoria-Geral do Estado.

    Ao julgar mandado de segurança de Marco Prisco, o desembargador se baseou em decisão anterior do próprio tribunal. O soldado foi expulso a corporação em 2002. Em 2010, o e então presidente Lula sancionou a Lei 12.191 concedendo anistia a policiais e bombeiros militares que haviam sido punidos pela greve no Distrito Federal e em outros oito estados, inclusive Bahia.

    Prisco ganhou notoriedade ao liderar a greve da PM em fevereiro passado. Os grevistas ficaram amotinados no prédio da Assembléia Legislativa impondo ao governo Jaques Wagner a maior crise política nos cinco anos de mandato do governador.






    WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia