WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia





abril 2019
D S T Q Q S S
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

editorias






:: ‘greve de ônibus’

ITABUNENSE PODE ENFRENTAR GREVE DE ÔNIBUS NA PRÓXIMA SEMANA

Itabuna pode ter greve de ônibus na próxima semana || Foto Pimenta/Arquivo

Os rodoviários de Itabuna vão aguardar até a próxima segunda-feira (28) para decidir se entram em greve por reajuste.  Segundo o diretor executivo do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna e Região (Sindirod), Carlos Alberto Pereira dos Santos, as empresas sinalizaram com reajuste abaixo da inflação, mas devem apresentar nova proposta na próxima segunda.

A categoria pede 6% de reajuste salarial e 10% de aumento no valor do tíquete refeição. Nesta semana, os rodoviários haviam decidido pelo início da greve nesta quinta (24), mas aceitaram esperar pela contraproposta das empresas, que até agora sinalizam com reajuste salarial abaixo da inflação.

De acordo com Carlos Alberto em entrevista ao PIMENTA, as empresas ofereceram 0,78% de reajuste para tíquete refeição, tendo como referência o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Os rodoviários rejeitaram, nesta semana, a proposta feita pelas empresas. A data-base da categoria é maio.

RODOVIÁRIOS ENTRAM EM GREVE E ITABUNA FICA SEM ÔNIBUS

Ônibus ficaram retidos nas garagens (Foto Pimenta/Arquivo).

Ônibus ficaram retidos nas garagens (Foto Pimenta/Arquivo).

Os rodoviários que trabalham no transporte urbano de Itabuna decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, hoje (24), após rejeitar contraproposta de reajuste salarial apresentada pelas empresas Viação São Miguel e Expresso Rio Cachoeira. A assembleia foi realizada nesta manhã.

As empresas ofereceram reajuste de 7,5% no salário e 8% no tíquete refeição. Os rodoviários cobram 16% de reajuste salarial e 20% no tíquete refeição, além de plano de saúde. “A paralisação é por tempo indeterminado”, disse ao PIMENTA o primeiro secretário do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna e Região (Sindirod), Ulisses dos Santos.

O sistema de transporte coletivo de Itabuna é operado por duas empresas e tem cerca de 700 funcionários. “Já estávamos na quinta rodada de negociações”, observa Ulisses. Empresas e Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna (Settran) ainda não se pronunciaram sobre a paralisação.

MANHÃ CHUVOSA E SEM ÔNIBUS

O itabunense que precisa do transporte público amanheceu a sexta sem ônibus e debaixo de chuva. Os rodoviários pararam logo cedo para decidir, em assembleia, os rumos do movimento. Como a proposta de reajuste foi rejeitada, a greve foi iniciada logo após a decisão.

Os rodoviários ainda decidirão se haverá paralisação no transporte intermunicipal. Uma segunda rodada de negociações está prevista para a próxima segunda (27), às 10h, em Itabuna. No sul da Bahia, base do Sindirod, são aproximadamente 3,5 mil rodoviários.

TRANSPORTE CLANDESTINO. TARIFA: R$ 3,00

Transporte alternativo fatura em primeiro dia de greve (Foto Pimenta).

O itabunense está recorrendo ao transporte alternativo – e clandestino – no primeiro dia de greve dos rodoviários e paga tarifa de até R$ 3,00. Profissionais liberais ou autônomos como José Guimarães aproveitaram a terça de greve para faturar fazendo lotação.

“Tá fraco até agora, mas deu pra ganhar uns R$ 60,00”, disse ele, torcendo pela melhora no “caixa” ao final do dia. José Guimarães usava um modesto Fiat Uno na praça Octávio Mangabeira (Camacã), uma das principais paradas de ônibus da cidade. José disse que em dias normais trabalha vendendo CDs.

Mototaxistas se queixavam do movimento fraco, mas a “bronca” maior era com relação ao santo que “faz chover”, São Pedro. “Não dá pra faturar bem com essa chuva, né?”, explicava o mototaxista Robson Souza, que assediava a todos que passavam pelo ponto da praça Camacã e julgava ser passageiro.

A parte da tarde foi quase inteira de chuva, transformando o primeiro dia de greve de ônibus em Itabuna num “inferno”.

GREVE NO TRANSPORTE URBANO CONTINUA, DIZ SINDICALISTA

Josemiro diz que greve continua (Foto Pimenta).

As negociações avançaram pouco e a greve dos no transporte urbano em Itabuna continuará, assegurou ao PIMENTA o diretor de finanças do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna e Região (Sindirod), Josemiro de Jesus Alves, o Vaca Magra. A categoria cruzou os braços nas primeiras horas da madrugada desta terça, 29.

Segundo Vaca Magra, os representantes das empresas do sistema urbano ofereceram até 7,5%, de reajuste. O percentual não foi aceito pela categoria, que se mantém em assembleia permanente e reivindica 16,5%. “As negociações continuam”, informou.

A greve no transporte urbano itabunense manteve na garagem a frota de 100 ônibus que circula em Itabuna. A paralisação prejudica cerca de 40 mil passageiros que usam ônibus diariamente. O sistema é operado pelas empresas São Miguel e Expresso Cachoeira.

TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

As empresas Viação Águia Branca e Rota, que operam no sistema intermunicipal, ofereceram reajuste de 9% aos cobradores e motoristas. A categoria aceitou a proposta, aprovada em assembleia realizada nesta terça-feira, 29, no Sindirod.

A contraproposta foi feita em mesa de negociação na noite de ontem. Por isso, os ônibus que atuam entre Itabuna e os demais municípios não suspenderam os serviços.

O presidente do Sindirod, Joselito Paulo, o “Pé De rato”, o porcentual oferecido pela Rota e Viação Águia Branca foi um dos maiores já recebidos pela categoria na Bahia. “Salvador só conseguiu 7,5%, após 45 dias de negociação. O valor é para os motoristas das linhas intermunicipais e interestaduais”, disse. A maioria votou pela aceitação do índice.

INTRANSIGÊNCIA DAS EMPRESAS LEVA RODOVIÁRIOS À GREVE, DIZ SINDICALISTA

"Vaca Magra": intransigência patronal provoca greve(Foto Luiz Conceição/Pimenta).

O diretor de Finanças do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna e região (Sindrod), Josemiro de Jesus Alves, o Vaca Magra, disse neste domingo, 27, que a intransigência dos patrões levou os rodoviários de Itabuna à greve marcada para as 17 horas desta segunda-feira, 28.

Segundo ele, o Sindrod comunicou a paralisação às empresas, prefeitura, Polícia Militar, Ministério Público do Trabalho (MPT) e à mídia em cumprimento à Lei de Greve.

Os rodoviários pedem 16,5% de reajuste sobre os atuais salários, a elevação do percentual de hora-extra dos atuais 60% para 70%, tíquete-refeição e passe livre.

O sindicalista disse que as empresas urbanas e intermunicipais oferecem apenas 6% de reajuste. Também não aceitam mudanças nas cláusulas econômicas. “Diante da resistência e após oito rodadas de negociação, não nos resta alternativa que não seja cruzar os braços”, afirma.

Motoristas do sistema urbano têm salário de R$ 1.030, seus colegas do sistema intermunicipal R$ 1.099 e cobradores recebem um salário mínimo (R$ 622,00).

Atualmente, 1.100 rodoviários estão associados na base do Sindrod. A maioria votou favorável à greve em quatro assembleias, a última na tarde de sexta-feira, 25, quando se abriu prazo para iniciar a paralisação.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia