WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

editorias






:: ‘greve em Itabuna’

GREVE DO FUNCIONALISMO ENTRA NO 2º DIA

A greve dos servidores municipais em Itabuna entra no segundo dia e, ainda, longe de um desfecho. Os servidores cobram o pagamento do salário de dezembro. No primeiro encontro, o governo acenou com a proposta de parcelar o atrasado em até 16 vezes, o que aumentou a insatisfação dos servidores.

A gestão municipal alega que o ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM) deveria ter deixado previsão de recursos ou saldo em caixa para o pagamento do salário, o que não ocorreu. A dívida atinge aproximadamente R$ 11,3 milhões.

As negociações têm a participação das secretarias de Administração, da Fazenda e do Planejamento e do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserv). O prefeito Claudevane Leite participa de encontro nacional dos prefeitos, em Brasília, e tem retorno previsto a Itabuna apenas para a amanhã, dia 31.

PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ITABUNA DECRETAM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Educadores reunidos em assembleia que decidiu pela paralisação.

Os 1,4 mil professores da rede municipal de ensino em Itabuna vão entrar em greve a partir da próxima segunda-feira, 9. A decisão foi tomada em assembleia encerrada no início da tarde de hoje, 4. Os professores rejeitaram a proposta do governo, de conceder reajuste de 15% para os níveis II e III e 22,22% apenas para os educadores do nível I.

O reajuste seria escalonado. O governo pagaria 8% já a partir deste mês e o restante, 7%, a partir de outubro. O prefeito Capitão Azevedo (DEM) e o secretário de Educação, Gustavo Lisboa, disseram que não há como atender à proposta dos professores, que reivindicavam reajuste linear de 22,22% para todos os níveis.

Além do reajuste, os professores exigem que o governo melhore as condições de trabalho da categoria, ofereça transporte para os educadores que trabalham em escolas situadas na área rural e também repasse em dia o vale-transporte.

O sindicato da categoria, o Simpi, deve emitir nota até o final desta quarta com esclarecimentos à população. O sindicato comandou as paralisações ocorridas na semana passada, quando ficou acordado que os professores dariam apenas duas horas de aula por turno, como forma de pressionar o governo.

LISBOA DIZ QUE NÃO HÁ COMO CONCEDER REAJUSTE MAIOR

Gustavo: sem capacidade de pagamento.

Ouvido pelo PIMENTA, o secretário da Educação, Gustavo Lisboa, disse que não há recurso novo para pagar reajuste de 22,22% para todos os níveis. Segundo ele, o aumento rejeitado pela categoria é o maior já oferecido até agora pelo município.

O secretário disse que ainda não foi comunicado oficialmente da greve por tempo indeterminado, mas fez um alerta aos professores: o prazo para enviar á Câmara qualquer projeto de aumento salarial vai até o dia 10, por causa da legislação eleitoral. A partir desse prazo, o município só poderá discutir reposição de perdas salariais, que neste ano fica em torno de 6,5%.

A contraproposta do governo, de acordo com o secretário, é maior dos aumentos já oferecidos pelo governo municipal (22,22% para o nível I e 15% escalonado para os demais níveis). Ele lembra que em 2009 foram 9,41% para o nível I e 8% para os níveis II e III. Já em 2010, o aumento foi de 12% para todos os níveis, alcançando 15,85% em 2011, também de forma linear.

– Não há mais nenhuma discussão para ir adiante. Ninguém vai ser irresponsável a ponto de dar aumento sem capacidade de pagar.  Muitos dos municípios que talvez tentem garantir o piso podem chegar ao fim deste ano devendo 2 ou 3 meses de salários.

O secretário disse não entender o porquê da greve já que o aumento concedido agora é o maior de todos os anos do atual governo. “Alguma coisa está errada”, observou.

‘ALTERNATIVOS’ FATURAM COM GREVE DE ÔNIBUS

"Alternativos" faturam com greve de ônibus (Foto Fábio Roberto/Pimenta na Muqueca).

A greve de ônibus em Itabuna entrou no segundo dia. Os rodoviários só retornam ao trabalho quando o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) decidir sobre a legalidade da paralisação de sete horas ocorrida no início do mês. Há também uma disputa de dois sindicatos (Sindirod e o recém-criado Sintracol) pela representatividade da categoria.

Apenas 30% da frota de ônibus do município está em circulação. Resultado: pontos lotados, passageiros nervosos e o transporte alternativo aproveitando para lucrar. Vans, mototáxi e táxi cobram dois reais por viagem, o mesmo preço da tarifa cobrada pelas empresas de ônibus.

A paralisação também pode atingir o transporte intermunicipal. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários de Itabuna (Sindirod), as negociações avançaram quanto às cláusulas sociais, mas as empresas só admitem reajuste de 2,6%, ante reivindicação de aumento de 30% por parte dos trabalhadores.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia